Page 206

“Meu anjo.” Gideon grunhiu e me beijou na boca com vontade enquanto saíamos do mar e voltávamos para a praia. Ele me levou até a cabana e me deitou na espreguiçadeira, me cobrindo com o peso do seu corpo antes que eu tivesse a chance de recuperar o fôlego. Ainda estava meio tonta quando o ouvi dizer: “Casa comigo”. Mas não foi por isso que respondi: “Sim”. Gideon tinha entrado na água atrás de mim de calça e tudo. Senti o linho ensopado grudar nas minhas pernas descobertas enquanto ele me beijava como se estivesse morrendo de sede e eu fosse a única fonte capaz de saciá-lo. Ele segurava meus cabelos, me mantendo imóvel. Sua boca fazia movimentos enéticos, tanto com os lábios inchados como com a língua ávida e possessiva. Fiquei deitada sob ele sem me mover. Em choque. Foi quando entendi tudo. Ele estava aflito porque queria me pedir em casamento, e não me abandonar. “Amanhã”, ele soltou por entre os dentes, es egando seu rosto no meu. A barba já começava a deixar seu rosto áspero, e o atrito com a minha pele fez com que de repente eu me desse conta de onde estava e do que estava acontecendo. “Eu...” Minha mente estava a mil por hora. “É só dizer sim, Eva.” Ele ergueu o corpo e me encarou fixamente. “É uma palavra bem simples... sim.” Eu engoli em seco. “A gente não pode casar amanhã.” “Claro que pode”, ele disse, convicto, “não só pode como vai. Eu preciso disso, Eva. Dos votos, da certidão em papel passado... Vou enlouquecer se não tiver tudo isso com você.” Senti o mundo todo girar, como se estivesse em um daqueles brinquedos de parque de diversão que rodam a toda velocidade. “É cedo demais”, eu protestei. “Como você pode me dizer isso depois do que aconteceu no avião?”, ele disparou. “Você tomou posse de mim, Eva. E agora eu preciso fazer o mesmo.” “Não estou conseguindo respirar”, eu falei, quase sem fôlego, em meio a um inexplicável acesso de pânico. Gideon rolou para o lado, me puxou para cima dele e me abraçou. Me tomou para si. “É isso que você quer”, ele insistiu. “Você me ama.” “É verdade.” Deixei a cabeça cair sobre o seu peito. “Mas você está apressando as...” “Você acha que eu decidi fazer o pedido assim do nada? Pelo amor de Deus, Eva, você me conhece. Estou planejando isso faz semanas. Só penso nisso há um tempão.” “Gideon... nós não podemos casar escondidos.” “Não o cacete.” “E a nossa família? E os nossos amigos?” “Podemos fazer uma cerimônia só pra eles. Isso também está nos meus planos.” Ele afastou os cabelos molhados do meu rosto. “Quero fotos nossas nos jornais, nas revistas... em todos os lugares. Mas isso vai demorar meses, e eu não posso

Profile for Cláudia Tressoldi

Crossfire 3 para sempre sua  

Crossfire 3 para sempre sua  

Advertisement