Page 160

Minhas mãos pararam de se mexer no ato. Ele engoliu em seco. “É a sua palavra pra quando as coisas fogem de controle, ficam intensas demais. Mas também é a minha palavra porque é como você faz eu me sentir. O tempo todo.” “Gideon, eu...” Ele me deixou sem palavras. “Quando você diz isso, significa que é pra parar tudo.” A mão que estava no meu peito subiu até encontrar o meu rosto. “Quando eu disser, é pra não parar nunca. O que quer que você esteja fazendo, quero que você continue.” Eu ergui o corpo e me posicionei sobre ele. “Posso?” “Claro.” Ele tirou a mão do meio das minhas pernas, e um instante depois seu pau estava dentro de mim, alargando meus tecidos mais sensíveis. “Devagar”, ele disse baixinho, lambendo os dedos com movimentos lentos e sensuais. Ele parecia profundamente entregue aos seus desejos, sem nenhum pudor. “Então me ajuda.” Para mim, era sempre difícil transar com ele daquele jeito, com a gravidade e o peso do meu corpo jogando contra. Por mais que ele me deixasse com tesão, o membro dele era grande demais para o meu corpo. Ele agarrou meus quadris, me puxando para cima e para baixo lentamente, sentindo toda a extensão de sua ereção. “Aproveite cada centímetro, meu anjo”, ele gemeu. “Olha só como você me deixa duro.” Minhas pernas tremeram quando ele alcançou um ponto especialmente sensível dentro de mim. Eu agarrei seus pulsos, sentindo meu sexo se contrair com força. “Não goza”, ele falou com um tom tão autoritário que quase provocou o efeito contrário naquele mesmo instante. “Só depois que eu meter tudo.” “Gideon.” O atrito lento e constante de sua penetração cuidadosa estava me levando à loucura. “Pense em como é bom quando estamos juntos, meu anjo. Em como a sua bocetinha se contrai toda quando você goza.” Eu me contraí em torno do pau dele naquele exato momento, excitada pelo tom áspero em seu tom de voz. “Anda logo.” “Mas é você que precisa me deixar entrar.” Seus olhos brilhavam de prazer. Ele fez com que eu me inclinasse para trás, modificando o ângulo da minha descida. Eu me deixei cair sobre ele, recebendo-o por inteiro com um único movimento. “Ah!” “Caralho!” Ele jogou a cabeça para trás, com a respiração acelerada. “Você é uma delícia. Toda apertadinha.” “Amor.” Meu tom de voz era quase de súplica. Ele estava tão duro e tão profundamente dentro de mim que eu mal conseguia respirar... Gideon me lançou um olhar que me provocou um calor pelo corpo inteiro. “É isso o que eu quero. Eu e você, sem mais nada entre nós.” “Nada”, eu repeti, ofegante. Trêmula. Prestes a perder a cabeça. Desesperada para gozar. “Shh. A gente já resolve isso.” Gideon lambeu a ponta do dedão, levou a mão até

Profile for Cláudia Tressoldi

Crossfire 3 para sempre sua  

Crossfire 3 para sempre sua  

Advertisement