Issuu on Google+

Escola Estadual Dr. Joaquim Vilela Avaliação Diagnóstica para 8º Ano

2013

Atividades de Verificação da Aprendizagem em História Nº:

Nome:

Disciplina: Historia Bimestre: 1º

Turma:________ ______

Série: Turno:

Data: __/__/_____

Professora:

1 – De acordo com o texto e imagem. Forma do fabrico do açúcar até o século XIX, Debret.

"[...] Pelo sertão nos pareceu, vista do mar, muito grande, porque, a estender olhos, não podíamos ver senão terra com arvoredos, que nos parecia muito longa. Nela, até agora, não pudemos saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou ferro; nem lho vimos. Porém, a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados, como os de Entre Doiro e Minho, porque neste tempo de agora os achávamos como os de lá. Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-as aproveitar, darse-á nela tudo, por bem das águas que tem." Trecho da carta de Pero Vaz de Caminha

A implantação de grandes engenhos para produção de açúcar no Brasil durante o período colonial teve como um dos fatores principais para seu início a) uma vasta estrutura de produção já existente antes mesmo da chegada dos europeus. b) servir como suporte econômico para sustentar a extração de metais preciosos encontrados em seu território. c) solos férteis propícios para sustentar grandes lavouras de cana-de-açúcar. d) facilidade de obter uma grande quantidade de mão-de-obra, já que havia uma vasta população no território. 2- Observe a tabela abaixo:

PINTO, Virgílio Noya. O Ouro Brasileiro e o Comércio Anglo-Português. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1979, p.114.

2 – De acordo com a tabela, levando em consideração a produção aurífera de Minas Gerais no século XVIII, um dos motivos para o aumento da extração nesse período foi a) a interiorização do território colonial brasileiro com o objetivo de aumentar as possibilidades de construção de novos engenhos. b) a descoberta de grandes jazidas auríferas, na região de Minas Gerais, por bandeirantes no fim do século XVII e início do XVIII. c) o investimento dos senhores de engenho em explorações que buscavam extração de ouro. d) a possibilidade de ascensão social encontrada pela população colonial quando da sua fixação no interior da colônia.

3 – Utilizando a tabela acima como suporte, a construção das “Casas de Fundição” em Vila Rica em 1724 teve por objetivo a) auxiliar os senhores de minas na extração, o que levou a um crescimento muito grande da produção de ouro ano após ano. b) tirar o quinto, imposto cobrado pela coroa portuguesa, e legalizar a circulação de ouro, apesar da produção do período ter se mantido sem crescimento. c) controlar a cobranças de impostos e a circulação de ouro na região, já que a extração vinha crescendo com o passar dos anos. d) ter como suporte um posto português do qual podia-se cobrar impostos e auxiliar os senhores das minas na extração aurífera.

Viagem de Vasco da Gama para as Índias

Viagem de Vasco da Gama (a preto) e as viagens anteriores de Pêro da Covilhã (laranja) e Afonso de Paiva (azul), com o caminho percorrido antes de se separarem a verde. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Vasco_da_Gama)

4 – Levando em consideração o mapa ao lado. O objetivo inicial de Portugal com a expansão marítima a) era estabelecer comércio com os povos da Ásia para a obtenção de especiarias. b) era estabelecer comércio com os povos da África para a obtenção de escravos. c) era resolver os problemas no Mediterrâneo e retomar o comércio na região. d) era estabelecer colônias na América para produzir e extrair o que o reino precisava.


5 – Felipe II, rei da Espanha no século XVI e também conhecido como o “Rei Católico”, teve um imenso império em seu reinado. De acordo com o mapa, os domínios de Felipe II circunscrevem toda a América do Sul porque: a) nesse período houve a União Ibérica, da qual após a morte do rei português, tanto o reino como suas colônias, se tornaram possessões espanholas. b) os espanhóis invadiram os domínios de outras metrópoles, fazendo prevalecer suas vontades sobre as colônias. c) os reis portugueses e espanhóis se uniram numa grande aliança, que tinha por objetivo controlar política e economicamente todas as regiões das colônias. d) o rei espanhol simplesmente controlava o comércio da região, tendo todos os outros aspectos das colônias voltadas aos domínios de outras metrópoles europeias. 6 – Analise os dois documentos abaixo.

Lienzo de Tlaxcala, imagens feita por artista asteca. “Noite Triste”.

Manuscrito mexicano do século XVI, a

Levando em consideração as relações entre os povos americanos e os espanhóis, durante o início da ocupação do novo continente, a) as duas culturas sempre estiveram em guerras, não havendo em nenhum momento a possibilidade de uma relação amistosa. b) os espanhóis invadiram militarmente os territórios dos astecas, não utilizando nenhuma aliança e destruindo todos os povos presentes na América. c) as relações, que inicialmente eram pacíficas e amistosas, se tornaram num domínio dos espanhóis sobre os astecas, utilizando-se de alianças com povos indígenas inimigos. d) não aconteceram conflitos significantes, e os europeus auxiliaram os indígenas a resolveram conflitos internos existentes entre os povos da região.

7 – Analise as informações abaixo.

O mapa, que representa a colônia brasileira logo após a presença brasileira, podemos considerar que a) os portugueses desejavam estabelecer contatos comerciais na região, principalmente com os indígenas, para assim levarem as especiarias para a Europa. b) foram estabelecidos no Brasil somente postos comerciais que tinham o único objetivo de servir de entreposto para os produtos que vinham das Índias serem encaminhados para Portugal. c) o reino português não tinha interesses nos produtos que poderiam ser extraídos da colônia, voltando inicialmente somente à produção do que precisavam. d) os portugueses se voltaram a extração de produtos que existiam na colônia e eram de fácil acesso, utilizando mão-de-obra indígena para tal.


Observe a imagem e leia o texto e responda as questões.8,9 e 10 O texto abaixo foi escrito por um funcionário holandês no Brasil e foi dirigido ao governante de seu país. “ O Brasil oferece grandes lucros aos portugueses. Em relação ao nosso país, verificar-se-á que esses lucros e vantagens serão maiores para nós. Os açúcares do Brasil, enviados diretamente a nosso país, custarão bem menos do que custam agora, pois que serão libertados dos impostos que sobre eles se cobram em Portugal [...]. Quanto à situação da parte norte do Brasil, verificar-se-á que nenhuma outra aparece situada tão vantajosamente para os nossos Países Baixos, pois é a mais oriental de toda a América meridional [...]. Uma vez deposse desta parte setentrional do Brasil destruiríamos todo o comércio de açúcar português.” SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Coordenadoria 1º grau – 5ª a 8ª série. São Paulo: SE/Cemp, 1985, p. 17. 8 – Levando em consideração o trecho “O Brasil oferece grandes lucros aos portugueses”, o reino português tinha grandes lucros com a colônia brasileira, principalmente, porque a) os produtos produzidos aqui, como por exemplo o açúcar, eram de qualidade muito superior dos que outros encontrados na Europa naquele momento. b) existia o Pacto Colonial, do qual Portugal como metrópole tinha benefícios, tanto comerciais como de produção, muito grandes em relação ao Brasil, que era sua colônia. c) foi estabelecido o Tratado de Tordesilhas, que delimitava como a colônia brasileira beneficiaria os portugueses no comércio com a Europa. d) na verdade, todos os reinos da Europa se beneficiavam dos produtos brasileiros, mas os portugueses eram os que mais produziam e extraiam nesse território. 9 – De acordo com o texto acima, os holandeses desejavam dominar a América meridional, onde fica localizado o Norte e Nordeste brasileiros, porque a) o acesso da colônia para Europa seria mais fácil. b) teriam mais lucros e mais vantagens que os portugueses na região. c) o açúcar custaria muito menos de dominarem. d) os produtos seriam mandados diretamente aos Países Baixos. 10 – Levando em consideração o texto acima, o principal desejo dos holandeses era a) era obter domínio de toda a colônia portuguesa para produzir açúcar. b) era produzir açúcar para fazer frente no comércio com o produto português. c) ter mais lucro que os portugueses na produção de açúcar e no comércio com a Europa. d) se livrar dos impostos dos portugueses, levando o açúcar diretamente os Países Baixos. 11 – Leia o trecho abaixo. “Acredita-se que, no século XVI, parte do capital e do crédito necessários ao funcionamento da atividade açucareira nordestina provinha de investimentos holandeses, italianos e da própria metrópole. [...] No século seguinte, esses investimentos passaram a provir da própria colônia.” FRAGOSO, João; FLORENTINO, Manolo; FARIA, Sheila de Castro. A economia colonial brasileira: séculos XVI-XIX. São Paulo: Atual, 1998, p. 42.

De acordo com o texto, a colônia se desenvolveu por conta própria. Um dos motivos disso acontecer foi a) pelo grande investimento do reino português para que a colônia se desenvolvesse. b) pela formação de um mercado interno, formado pela estruturação dos engenhos e pela vinda de colonos. c) porque os colonos não se preocupavam com as políticas da metrópole, pois queriam se tornar independentes. d) porque muitos outros reinos vieram ao Brasil e investiram na produção da região. Leia o trecho abaixo. “(...) Estimativas autorizadas indicam que a população colonial de procedência européia chegou a decuplicar durante o século em que foi mais intenso o trabalho das lavras. Essa imigração, quase toda espontânea, serviu para povoar uma vastíssima região arredada do litoral, e que de outra maneira ficaria sem dúvida abandonada e talvez perdida para os portugueses, afeitos tradicionalmente à colonização costeira. O descobrimento das jazidas do extremo oeste e a fundação ali de núcleos urbanos e fortalezas, em resultado desses achados, dará como fruto a silhueta geográfica do Brasil atual." HOLANDA, Sérgio Buarque de (org.). A época colonial, tomo I, vol. II: administração, economia, sociedade. In História geral da civilização brasileira. RJ: Bertrand Brasil, 2001, p. 310.

12 – Levando em consideração o período do Ciclo do Ouro, a “região arredada do litoral”, da qual se refere o texto, é a região a) ao norte do Brasil. b) a oeste da colônia. c) a sul do país. d) costeira do Brasil. 13 – O descobrimento de minas de ouro fez com que a) um número grande de colonos se voltasse ao litoral brasileiro. b) o território se tornasse abandonada e perdida para os portugueses. c) aparecesse a silhueta geográfica do Brasil atual. d) acontecesse a fundação de núcleos urbanos e fortalezas. 14 – Levando em consideração a tirinha do “Papa-Capim”, de Maurício de Souza, e História do Brasil, Os “caraíbas” citados pelo personagem são os a) índios. b) indígenas. c) africanos. d) portugueses.


15 – Conforme os dados do mapa, que especifica a região no sul do Brasil onde estava presente os “Sete Povos das Missões”, as Guerras Guaraníticas, do século XVIII, iniciaram-se porque a) as missões de San Miguel e San Borja estavam fora dos limites do Brasil. b) toda região da América do Sul passou a ser de domínio português. c) a Colônia do Sacramento não estava dentro dos limites do Brasil. d) a Colônia do Sacramento não tinha acesso ao Oceano Atlântico.

16 – Leia o relato. “A maior parte das representações atuais dos paulistas do século XVII, seja na pintura, De acordo com o relato e o início da seja na escultura, mostra-os em trajes e com altas botas de montaria. Mas, na interiorização do território brasileiro no verdade, eles muito pouco usaram além do chapelão de abas largas, camisa e século XVII, os paulistas” eram ceroulas. Caminhavam quase sempre descalços, em fila indiana, ao longo das trilhas do sertão e dos caminhos dos matagais, embora levassem muitas vezes armas. Sua a) os bandeirantes. vestimenta incluía gibões de algodão, acolchoados, úteis contra as flechas dos grupos b) os comerciantes. indígenas inimigos.” c) os senhores de escravos indígenas. BOXER, Charles. A idade de ouro do Brasil; bastidores de crescimento de uma d) os senhores de engenho. sociedade colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira,2000, pp. 58-59. 17 – Leia o trecho. “O comércio, atividade vital, funcionava como via Tendo como base o trecho acima, as ligações comerciais entre os de comunicação para os pensamentos perigosos e colonos no Brasil geraram as ideias que culminaram, por exemplo, nos as autoridades portuguesas quase sempre se planos da Inconfidência Mineira, que tinham como base os pensamentos: preocupavam com isso.” a) renascentistas. MOTA, C. G. Ideia de revolução no Brasil, 1789-1801: estudo das formas b) modernos. de pensamento. 2. Ed. São Paulo: Cortez, 1989, p. 43. c) absolutistas. d) liberais. 18. Observe a tabela Levando em consideração as informações da tabela, na História do Brasil Colonial, o produto que teve a maior produção no passar dos séculos foi a) o açúcar. b) o ouro. c) o pau-brasil. d) o algodão. 19 – Com dos dados da tabela, podemos concluir que a) o açúcar foi o produto mais importante entre os anos de 1760 e 1800. b) houve um crescimento contínuo da produção de tabaco e algodão de 1700 a 1800. c) houve um crescimento contínuo da extração de ouro entre os anos de 1700 e 1800. d) o ouro foi o produto mais importe entre 1550 e 1600. 20 – Analise os três trechos abaixo. José Ventura Mendonça recebeu carta de sesmaria datada de junho de 1711 porque: “... ele se achava nessas minas, morador sem terras para poder plantar mantimentos para se sustentar e vender aos moradores e passageiros”. Revista do Arquivo Público Mineiro, ano X, 1905, p.972-973. Em 1723 foi concedida sesmaria a Bartolomeu Gomes: “... situado no sítio a quem chamam Casa Branca, junto do qual se acham algumas terras e matos devolutos que o suplicante quer cultivar plantando neles mantimentos, assim para o sustento dos seus escravos como para o provimento desta Comarca de Vila Rica”. (Códice 21, Seção Colonial do Arquivo Público Mineiro, p, 170 v.171 e v.) Em 1746 a carta de João Teixeira de Andrade dizia: “... morador no distrito do Caruru, freguesia de Santa Bárbara, termo da Vila Nova da Rainha, que ele suplicante possuía uma roça que comprara em o ano de 1731 e na qual edificou dois engenhos, um de cana e outro de fazer farinha e em cuja posse se conservava trabalhando com trinta e dois escravos dos quais pagava os quintos”. Revista do Arquivo Público Mineiro, ano XI, 1906, p. 564-565. Levando em consideração o período do Ciclo do Ouro no Brasil, os três trechos acima mostram que a) todos os colonos residentes nas regiões das minas se voltavam exclusivamente ao trabalho de extração de ouro. b) Vila Rica tinha estrutura para sustentar somente a extração aurífera, sem a necessidade de outras atividades. c) mesmo com a extração de ouro, existiam outras atividades essenciais, como o plantio, para a manutenção da estrutura na região. d) mesmo com a extração aurífera, a edificação de engenhos e a produção de açúcar eram muito mais lucrativas na região.


diagnostica historia_8ano