Issuu on Google+

Avaliação de Estudos Autônomos Escola Estadual “Dr. Joaquim Vilela” Professora: Juliene Miranda Pereira Valor =) 100,0 Aluno (a): __________________________________________________________ N.: _______

9º ano _________

Data: _________________

As questões de 01 a 06 devem ser respondidas com base no texto a seguir. SARNA PARA SE COÇAR A palavra estresse virou uma grande vilã dos tempos modernos.Injustamente, eu diria - porque o estresse não é uma coisa só. Para começar, deve-se separar o estresse (um problema a resolver) da resposta ao estresse (as mudanças que o cérebro orquestra no corpo, e nele mesmo, para resolver o problema). E como gostamos de um problema! A resposta aguda, imediata, ao estresse - a atenção aumentada, a maior disposição, a mobilização de reservas de energia e a sensação de força que vem com ela - tem tudo para ser uma grande aliada, pois aumenta nossas chances de resolver o problema da vez. Até a resposta dada agora ao problema de amanhã (o relatório a entregar, a conta por pagar), mais conhecida pelo nome de "ansiedade", tem lá suas vantagens: começando a nos preocupar agora, temos mais chances de nos lembrar do problema a resolver e ainda ganhamos um tempo para pensar em estratégias e alternativas. O lado ruim do estresse surge quando, apesar de toda a preparação de cérebro e corpo para resolver o assunto, o problema não some. Assim, o estresse torna-se crônico: abusos físicos ou verbais, a falta de dinheiro que não se resolve, a doença que não cede, a solidão. Nesses casos em que suas tentativas iniciais falharam, o cérebro, sem controle da situação, muda de estratégia e, ao invés de usar as reservas disponíveis, passa a armazená-las. Aqui, sim, a resposta crônica ao estresse torna-se nociva, com acúmulo de gordura, hipertensão, desgaste mental e risco aumentado de transtornos de humor e de ansiedade. Mas a maior parte dos estresses da vida são pequenos e, sobretudo, voluntários. E como gostamos de arranjar pequenos problemas para resolver! Ao nosso alcance, nem fáceis demais nem difíceis demais, os problemas que nós mesmos nos colocamos nos deixam no controle da situação - algo que o cérebro adora. Não é surpresa que seja tão difícil ficar à toa. Por que mais compraríamos palavras cruzadas ou revistinhas de lógica para resolver no ônibus ou no avião, ou montaríamos quebra-cabeças, se não pelo prazer de ter um problema para resolver? O cérebro, pelo visto, adora arranjar sarna para se coçar... HERCULANO-HOUZEL, Suzana. Jornal Folha de S.Paulo, Equilíbrio. São Paulo, 28 mai. 2009.(Adaptado) (Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/eq2805200909.htm/acessado em 11 jun. 2009)

01 - É objetivo principal do texto A) avaliar o que o cérebro faz nas situações em que vivemos o estresse. B) investigar nossas atitudes nas situações em que enfrentamos problemas. C) delatar os tipos de estresses mais frequentes em nossas vidas. D) explicar o que é o estresse, suas vantagens e seu lado ruim. 02- No desenvolvimento de seu texto, o autor NÃO A) apresenta exemplos. B) faz avaliações. C) faz exclamações. D) coloca citações. 03- Os trechos grifados trazem expressões que são características da linguagem informal, EXCETO: A) [...] pois aumenta nossas chances de resolver o problema da vez. [linha 8] B) [...] mais conhecida pelo nome de "ansiedade", tem lá suas vantagens[...] [linhas 10-11] C) Nesses casos em que suas tentativas iniciais falharam[...] [linhas 17-18] D) O cérebro, pelo visto, adora arranjar sarna para se coçar[...] [linha 29] 04- Leia o seguinte trecho. “Nesses casos em que suas tentativas iniciais falharam, o cérebro, sem controle da situação, muda de estratégia e, ao invés de usar as reservas disponíveis, passa a armazená-las.”[linhas 17-19] Nesse trecho, o pronome grifado refere-se a A) casos. B) cérebro. C) estratégia. D) situação 05- Leia as seguintes afirmativas. I. As mudanças que o cérebro comanda em nosso corpo, nas situações de estresse, dificultam a resolução de um problema. II. A ansiedade, que antecipa uma preocupação, pode contribuir para a solução de um problema. III. A maioria dos estresses da vida surge por nossa vontade, porque é da nossa natureza arranjar problemas para resolver. As afirmativas que contêm interpretações permitidas pelo texto são: A) I e II. B) I e III. C) II e III. D) I, II e III. 06- De acordo com o texto, são respostas do cérebro ao estresse, EXCETO: A) a melhoria da disposição. C) a mobilização de reservas de energia. B) o aumento da atenção. D) o surgimento do problema a resolver.


Leia texto a seguir para responder a questão 7. LIVRO REÚNE CHARGES DE SUPER-HERÓIS DECADENTES da BBC Brasil Um livro publicado na Itália reúne 40 caricaturas dos mais conhecidos super-heróis de revistas em quadrinhos, com um detalhe: o ilustrador Donald Soffritti imaginou-os todos já na meia-idade ou velhice. "Superheroes Decadence", da editora Comma 22, custa 10 euros (cerca de R$ 27,00) e começou como um projeto no blog do artista italiano. De acordo com Soffritti, graças ao apelo popular, as caricaturas viraram livro, "revelando" barriguinhas, maus hábitos, vista cansada e mostra até alguns dos heróis em cadeiras de roda. Entre os personagens retratados nas caricaturas, estão Batman e Robin, Super-Homem, Elektra e vários outros. O artista de Bolonha continua a publicar suas caricaturas na internet. www.bbcbrasil.com.br, acessado em 28/07/2009.

07 - O objetivo desse texto é A) divulgar um livro que ridiculariza os heróis. B) mostrar como os heróis tornam-se decadentes.

C) exibir o apelo popular de caricaturas de heróis. D) revelar que o autor publicará novas caricaturas.

Texto para a questão 08:

“Só tenho tempo pras manchetes no metrô E o que acontece na novela alguém me conta no corredor. Escolho os filmes que eu não vejo no elevador” ( Bruno & Leoni Fortunato)

08- O tema central do texto é: A) a pressa. C) a saudade. B) o amor. D) o excesso de trabalho. (A) a pressa (B) o amor (C) a saudade

Leia texto a seguir para responder a questão 9.

Café faz bem A cafeína é um composto químico de fórmula C8H10N4O2, encontrado em certas plantas e usado para o consumo em bebidas, na forma de infusão, como estimulante. Uma xícara média de café contém, em média, cem miligramas de cafeína. Sua rápida ação estimulante faz dela poderoso antídoto à depressão respiratória, em consequência de intoxicação por drogas como morfina e barbitúricos. www.google.com.br/anounce.cafeina acessado em 29/06/2008

09 - No desenvolvimento desse texto, em relação ao café, o autor A) define a sua substância química. C) mostra os males decorrentes de seu uso. B) indica as formas variadas de tomá-lo. D ) sugere a diminuição de seu consumo. Leia este texto para responder às questões 10 e 11. O caipira estava passando na porta da casa de um amigo, quando o avistou lá dentro, vendo tevê. – E aí, Raimundo! Firme? – Não, cumpadi. Por enquanto tá na novela.

10- Qual é o gênero desse texto? A) Anedota. B) Conto. C) Fábula. D) Notícia.

Almanaque Brasil de Cultura Popular, n. 58, março/2006

11 - Nesse texto, o trecho em que se empregou a norma padrão (linguagem formal) é A) “Não, cumpadi.” C) “... tá na novela”. B) “...passando na porta.” D) “...quando o avistou...”. Leia este texto e responda à questão 12. Mandamentos para a compra on-line 1. Procure lojas conhecidas ou indicadas por amigos. 2. Pesquise sobre a idoneidade da loja em órgãos de defesa do consumidor e em sites de avaliação e comparação de preços. 3. Faça contato telefônico com a loja e verifique se ela tem endereço e telefone fixos. 4. Antes de comprar, fique atento às formas de pagamento disponíveis, ao prazo de entrega e à política de troca. www.ebit.com.br, acessado em 02 de julho de 2009.

12 - Esse texto tem o objetivo principal de A) alertar sobre os perigos e as armadilhas da internet. C) despertar o temor dos leitores de comprar pela internet. B) recomendar ações preventivas no comércio pela internet. D) revelar preconceitos em relação ao uso da internet. Leia este texto para responder à questão 13. A exploração da madeira na Amazônia Cerca de 600 mil pessoas vivem da madeira na região Norte, destruindo anualmente milhares de quilômetros quadrados de florestas, ao que se soma a destruição na região Centro-Oeste e o pouco que resta da mata Atlântica. Em 1999, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INEP), ocorreram, entre julho e dezembro, mais de 1000 focos de incêndio por dia na Amazônia, dois terços deles em Mato Grosso, no Pará e em Rondônia. A isto se soma o envenenamento dos rios provocado pelas descargas de mercúrio dos garimpos. Os números da destruição de nossas florestas têm crescido a cada ano e algumas áreas do país já sofreram o fenômeno da desertificação. (Português: linguagens, 7ª série/William Roberto Cereja, Thereza Analia Cochar Magalhães. – São Paulo:Atual, 1998.)

13 - Sabemos que fatos como este continuam acontecendo e que cada vez mais nosso planeta está sendo ameaçado. A consequência que o fenômeno da desertificação acarretará às gerações futuras e ao nosso planeta é a) o aumento gradual de focos de incêndio por dia na Amazônia. b) a destruição anual de milhares de quilômetros quadrados de florestas. c) o aumento da produção de madeira legal na região Norte do país.


d) a destruição dos garimpos em Mato Grosso, Pará e em Rondônia. Leia o texto com atenção para responder às questões 14 e 15. POR QUE ALGUMAS PESSOAS ATRAEM MAIS MOSQUITOS DO QUE OUTRAS? TEXTO RAFAEL TONON Se você já passou a noite sendo picado por insetos enquanto o resto da turma escapou ileso, este texto não vai apagar suas feridas. Mas ao menos vai explicá-las. O principal atrator de mosquitos (ou pernilongos, são sinônimos) é o suor. Essa relação foi estudada na Universidade da Califórnia: cientistas pegaram um homem incapaz de suar e constataram que ele atraía bem menos insetos que o normal. Essa atração acontece porque 90% dos nervos das antenas dos mosquitos são dedicados à detecção de substâncias químicas, como o ácido láctico – não por coincidência, presente em nosso suor. Para nosso azar, outra coisa que alerta os radares desses malditos insetos sanguinários é o dióxido de carbono (CO2), simplesmente o gás que a gente joga no ambiente toda vez que respiramos. Cuidado com noites quentes: como o calor deixa os mosquitos sedentos, elas costumam ser mais “picantes”. Quem buscar um refresco perto da janela poderá estar trocando 6 por meia dúzia, já que a brisa vai levar os sinais do seu ácido láctico e o seu CO2 pelo ar até o pernilongo. A maioria dos repelentes se vale justamente desse fato: modificam o nosso odor, confundindo os sentidos dos insetos. SUPERINTERESSANTE. JAN. 2009 14 – Qual é a tese defendida no texto? A) O principal atrativo dos mosquitos (ou pernilongos, como também são chamados) é o suor. B) Essa relação entre os mosquitos e o suor das pessoas foi estudada na Universidade da Califórnia. C) O calor das noites deixa os mosquitos sedentos, estimulando-os para o ataque noturno às pessoas. D) Outra coisa que alerta os radares desses insetos sanguinários é o dióxido de carbono (CO2) do ar. 15 – O argumento que apoia a tese defendida pelo autor é A) A maioria dos repelentes se vale justamente desse fato: modificam o nosso odor, confundindo os insetos. B) Se você passou a noite sendo picado por insetos, este texto não vai curá-lo, mas ao menos vai explicá-las. C) As antenas dos mosquitos detectam o ácido láctico e o CO2 que as pessoas expelem no ar. D) Cientistas pegaram um homem incapaz de suar e constataram que ele atraía bem menos insetos que outros. Leia o texto a seguir para responder a questão 16. Seja criativo: fuja das desculpas manjadas Entrevista com teens, pais e psicólogos mostram que os adolescentes dizem sempre a mesma coisa quando voltam tarde de uma festa. Conheça seis desculpas entre as mais usadas. Uma sugestão: evite-as. Os pais não acreditam. _Nós tivemos que ajudar uma senhora que estava passando muito mal. Até o socorro chegar... A gente não podia deixar a pobre velhinha sozinha, não é? _O pai do amigo que ia me trazer bateu o carro. Mas não se preocupem, ninguém se machucou! _Cheguei um minuto depois do ônibus ter partido. Aí tive de ficar horas esperando uma carona... _Você acredita que o meu relógio parou e eu nem percebi? _Mas vocês disseram que hoje eu podia chegar tarde, não se lembram? _Eu tentei avisar que ia me atrasar, mas o telefone daqui só dava ocupado! 16 - De acordo com o texto, os pais não acreditam em A) adolescentes. B) psicólogos. C) pesquisas. D) desculpas. Leia os textos para responder as questões de 17 a 19 . TEXTO I TEXTO II O bicho Pessoas e urubus disputam restos Em Belford Roxo, onde deveria existir a rodovia estadual RJ-040, Vi ontem um bicho urubus e gente disputam os detritos espalhados por um trator, sobre as Na imundície do pátio margens de um riacho e de um mangue à beira da estrada. O mau-cheiro Catando comida entre os detritos. é uma constante e a miséria é compreendida no pedido de Sebastião Mangueira, o Tião, que sobrevive dos restos produzidos, aos borbotões, Quando achava alguma coisa, pela sociedade de consumo. “Queria provar um pedaço de panetone. Não examinava nem cheirava: Nesta época do ano vejo um monte dessas caixas, mas nenhuma delas Engolia com voracidade traz um pedacinho que seja. Deve ser muito bom.”, sonha o trabalhador, de 63 anos. O bicho não era um cão, Tião não dispensa, porém, a leitura. Descobriu, em meio à montanha Não era um gato, de lixo, um livro de poesias da mineira Adélia Prado – O coração Não era um rato. disparado - , que, por engano ou estranheza, parou nas mãos do conterrâneo. “Ela escreve bem demais. Se eu soubesse a metade do que O bicho, meu Deus, era um homem. ela sabe, não estaria aqui, catando sucata nessa sujeira toda”, lamenta. [...] BANDEIRA, Manoel. JORNAL DO BRASIL 30 dez. 2001. In: Tudo é linguagem 6ª série p. 158 . 17 – O que há de comum entre os dois textos? a) Os dois textos falam de pessoas pobres e bichos que passam fome. b) Ambos os textos tratam do sofrimento humano causado pela fome. c) O primeiro texto fala de fome e o segundo trata de livro de poesias.


d) Nos dois textos prevalecem a intenção de emocionar o leitor. 18 – No trecho:” Se eu soubesse a metade do que ela sabe, não estaria aqui...” (texto II) , a idéia expressa pela palavra destacada é de A) adição. B) causa. C) condição. D) oposição. 19 – No verso: “O bicho, meu Deus, era um homem.” (texto I) , o autor expressa um sentimento de A) amor. B) alegria. C) espanto. D) tristeza. Texto para as questões de 20 a 25: AÇÃO DO GOVERNO O Globo, 2/02/2004

O governo decidiu reforçar as ações sociais nas grandes metrópoles para enfrentar a violência e o desemprego. O Bolsa Família será estendido este ano a mais 900 mil famílias nas regiões metropolitanas.“É preciso levar o combate à fome a grandes centros urbanos. É lá que está o desafio da violência”, diz o ministro Patrus Ananias. O número de famílias atendidas subirá para 1,5 milhão, com custo de R$108 milhões mensais. Já o Ministério das Cidades diz que, para construir novas moradias e melhorar o saneamento, são necessários R$76,8 bilhões. 20 - Pelo texto, pode-se ver que o governo considera que a violência urbana tem como uma das causas a) a falta de educação; c) a proliferação de favelas; b) o aumento das famílias; d) a má condição econômica. 21 – No trecho“ para construir novas moradias e melhorar o saneamento, são necessários R$76,8 bilhões. “, qual a ideia expressa pela palavra destacada? A) Causa. B) Consequência. C) Finalidade. D) Explicação. 22 - Pela primeira frase do texto depreende-se que: A) a violência é problema mais grave que o desemprego; B) o desemprego é problema mais grave que a violência; C) a violência e o desemprego são problemas que afetam principalmente as grandes cidades. D) o desemprego cresce com a violência; 23 – O texto traz uma parte entre aspas. Isso significa que o trecho entre as aspas: A ) reproduz a fala de alguém; C) traz uma explicação sobre algo que foi dito; B) mostra uma crítica; D) indica um acontecimento passado; 24 – Qual das palavras a seguir é acentuada pela mesma regra da palavra “violência”? A) Metrópoles. B) Subirá. C) Famílias. D) Está. 25) Qual é o gênero desse texto? A) Anúncio. B) Crônica.

C) Notícia.

D) Reportagem.


Alessandra Av.o de Estudos Aut. 9 ano