Page 1

Jornal da Manhã - Ijuí, 23 de outubro de 2012

Grand Siena vai além dos sedãs comuns

• Página 7

Diferencie freios hidráulicos de eletrônicos Página 4

Novos investimentos marcam os 35 anos da Pippi Pneus • Página 6

capa.indd 1

Aprenda a conservar os equipamentos do seu carro

• Página 2 23/10/2012 09:01:53


Ijuí, 23 de outubro de 2012

Conserve os equipamentos do seu carro Medidas preventivas garantem economia, segurança e a valorização de seu veículo

C

omo todo equipamento, um carro exige alguns cuidados básicos para ter uma vida mais longa. Se forem bem tratados, os veículos atuais podem rodar por muitos anos sem maiores problemas. Além disso, essas medidas preventivas, além de representar economia e segurança, garantem a valorização de seu patrimônio na hora da revenda. Confira algumas dicas para conservar e prolongar a aparência e a vida de seu carro.

Alinhamento: Junto com o balanceamento e o rodízio de pneus, o alinhamento é vital para a segurança, conservação e maior economia. Recomenda-se executar esses serviços a cada 10000 quilômetros para evitar o consumo prematuro dos pneus, o desequilíbrio do carro e o desgaste do sistema de suspensão e da direção. Bancos: Mesmo os revestidos de tecido sintético, que são bem mais resistentes, mancham. Para uma limpeza profunda, procure uma empresa de confiança para a lavagem. Os de plástico podem ser limpos com um pano úmido. Porém, é importante não deixar que a sujeira, ou

pag 2.indd 2

a poeira em excesso, se acumule. Bancos revestidos de couro também necessitam de cuidados. Para limpá-los, use um pano umedecido. O couro de boa procedência é impermeável e não encharca, nem fica quebradiço com o tempo. Procure estacionar sempre à sombra, pois o sol tende a ressecar o couro, causando rachaduras irrecuperáveis em sua superfície. Equipamentos de emergência: Se não tiver estepe, extintor de incêndio e o triângulo de sinalização no carro, você pode ser multado, já que a legislação o obriga a tê-los. Equipamentos como macaco ou chave de roda são de apoio, mas não são obrigatórios. Porém, todos são de extrema utilidade e nunca podem faltar em um veículo. Cuide para que estejam sempre à mão e em plenas condições de uso. Estepe: Deve estar sempre calibrado e balanceado. Se precisar usá-lo e ele estiver murcho, prefira colocá-lo na parte traseira, instalando o pneu bem calibrado na frente. Extintor: Num incêndio, retire o lacre de inviolabilidade, levante a alavanca e aperte o gatilho na direção do fogo. Triângulo: Indica que um

carro parado está com problemas. Deve ser colocado a uma distância de, no mínimo, 50 metros do veículo. Macaco: Atenção redobrada às instruções de uso que vêm no manual do proprietário. Macaco mal colocado pode causar acidentes. Chave de roda: A melhor é a do tipo cruzeta, que permite o uso dos pés para ajudar a soltar os parafusos da roda. Há outros itens que podem ser bastante úteis em emergências ou ocasiões imprevistas: luvas de tecido, panos para limpar as mãos e para forrar o chão (no caso de uma troca de pneu) ou os bancos e o porta-malas (quando for transportar algum objeto sujo ou molhado). Escapamento: Com o uso constante, sofre desgaste provocado pelos resíduos corrosivos de combustível e óleo e deve ser trocado sempre que apresentar buracos ou rachaduras, para não comprometer o bom desempenho do motor. Composto por câmaras de expansão, conversores catalíticos e tubos, é o sistema responsável por recolher e eliminar os gases queimados no processo de combustão no motor, bem como pela redução do nível

de ruído produzido por seu funcionamento, graças a um silenciador interno. Ele abafa o ruído do escape. Dentro do silenciador, há tubos perfurados e defletores que desviam o fluxo do gás, reduzindo sua velocidade e a pressão. Isso diminui as vibrações e o ruído. Faróis: A maioria dos motoristas não sabe, mas é necessário fazer revisões periódicas dos faróis do carro. As lâmpadas devem ser trocadas a cada dois anos, aproximadamente. Além disso, buracos e depressões nas cidades e estradas fazem com que os faróis percam a regulagem de fábrica em até três meses. Por isso, recomenda-se fazer uma revisão completa a cada noventa dias. Lembre-se: olhos ofuscados por luz alta podem demorar até meio minuto para se recuperar. Quanto maior a velocidade, maiores os riscos de acidentes. Limpador de parabrisas: É um equipamento de primeira necessidade. Seu bom funcionamento é sinônimo de segurança, em dias de neblina ou chuva. Verifique periodicamente a pressão do braço do limpador, a borracha das palhetas (se ela passa

e deixa marcas no vidro, está na hora de trocá-las), bem como o jato do esguicho de água do parabrisa. Rodas: Buracos e guias são os seus maiores inimigos. Elas amassam e entortam em choques mais fortes e só uma troca resolve o problema. Rodas em bom estado e pneus com especificação correta, devidamente calibrados, evitam desgastes, melhoram a segurança e economizam combustível. Para cada tipo de veículo, existem rodas com medidas adequadas para não prejudicar seu desempenho. Portanto, não é só a beleza que conta na hora de escolher rodas que não sejam originais de fábrica para seu carro. Vidros: Para evitar riscos precoces, nunca ligue o limpador de parabrisa quando o vidro estiver seco. Ele normalmente acumula poeira, óleo e outras sujeiras. Para lavar os vidros, utilize sempre muita água com detergente suave ou limpa-vidros e uma flanela macia. Não deixe que a sujeira se acumule. Eles devem estar sempre bem limpos para não prejudicar a visibilidade, principalmente, e contribuem com a boa aparência do veículo.

23/10/2012 09:02:10


Ijuí, 23 de outubro de 2012

Peugeot 308 ganha versão com motor turbo O

novo motor do hatch já é usado em outros modelos de luxo da marca francesa. O propulsor é conhecido por desenvolver bem e consumir pouco combustível A Peugeot lança o 308 turbo no Brasil. O motor do carro é igual ao usado em outros modelos de luxo da marca francesa. O propulsor é conhecido por andar muito e beber pouco. É capaz de gerar 165 cavalos de potência e o câmbio é automático. A estreia oficial do 308 Feline THP será no Salão do Automóvel de São Paulo (de 24 de outubro a 4 de novembro) e chegará à rede de concessionárias a partir do dia 5 de novembro. O modelo tem vários itens que ressaltam a esporth idade. O veiculo será oferecido em três cores: branca, cinza e vermelha. Com a nova versão de acabamento, a Peugeot amplia, em seu portfólio de produtos, a tendência mundial de downsizing - motores pequenos turbo que garantem alto desempenho aos automóveis. Agora são seis modelos equipados com esse tipo de motor: o SUV 3008, o sedã

pag 3.indd 3

408, o esportivo RCZ, o sedã grande 508 e o conversível 308 CC. Em sua nova versão, o 308 Feline THP excede as expectativas dos clientes mais exigentes. Agora, o modelo conta também com itens que ressaltam ainda mais sua esportividade, como rodas escurecidas aro 17, retrovisores externos na cor grafite, volante de base achatada com revestimento de couro e urna placa com a inscrição TH P na tampa traseira que identifica o veículo. O carro pode vir ainda com um sistema de GPS integrado ao painel com tela colorida multifunção. As vendas começam no próximo mês.

O modelo conta com itens que ressaltam sua esportividade, como rodas escurecidas aro 17 e retrovisores externos na cor grafite

23/10/2012 09:02:32


Ijuí, 23 de outubro de 2012

Freios: as diferenças entre sistemas hidráulico e eletrônico O

s principais sistemas de frenagem em automóveis são o ABS e o freio a disco. Os dois funcionam a partir de pastilhas, que travam o disco da roda co m a sua aproximação, e impedem-na de girar. Porém, o que os diferencia é o controle do bombeamento do fluido que coordena as pastilhas. O freio ABS impede o travamento total das rodas, parando e soltando o veículo. Já o freio a disco funciona a partir de um sistema hidráulico, que leva ao travamento completo das rodas, resultando na inércia do carro, que acaba parando totalmente. Segundo o engenheiro mecânico, João Paulo Fernandez, alguns cuidados devem ser tomados na hora de utilizar ambos os sistemas. “Se você estiver utilizando um veículo com freio ABS, o pedal deve ser acionado durante todo o percurso da frenagem, nunca aliviar o pé imaginando que as rodas vão travar, porque no caso do sistema ABS isso acontece quando o pedal do freio é pisado até o fim”, afirma. Embora ele

cause a impressão de que o carro está solto, ele para antes do que pararia com o outro sistema. Ainda que mais caro, o sistema ABS também é mais seguro, já que é mais eficiente, mais seguro e evita o travamento, diminuindo as chances de derrapagem e perda de controle. Sua manutenção também é um pouco mais cara, mas por outro lado, os freios ABS têm um desgaste menor. “É recomendável que a manutenção seja realizada no mínimo duas vezes ao ano até um mecânico de confiança para uma revisão nas condições dos sistemas de frenagem. Principalmente, é claro, os carros que passam por situações em que freiam muito”, aconselha o engenheiro. Conforme João Paulo, o freio a disco, quando muito gasto, indica desgaste através do som agudo que o disco começa a produzir. “Isso quer dizer que é hora de substituir por pastilhas novas. E também existe a possibilidade de abrir para inspeção na pinça para ver quanto material de atrito resta nessas pastilhas”, explica.

Ainda que mais caro, o sistema ABS é mais seguro, eficiente e tem um menor desgaste

Fique de olho no escapamento do seu carro

Ficar atento ao escapamento do veículo garante, além do conforto do proprietário, benefícios ao meio ambiente. O escapamento é composto por peças interligadas, e forma o sistema de exaustão de um automóvel – tubo dianteiro, catalisador, silencioso intermediário e

pag 4.indd 6

silencioso traseiro. A função desses componentes é filtrar e reduzir a emissão de gases provenientes do motor, assim como controlar seu ruído. Quando danificado, a substituição pode ser parcial, ou seja, apenas algumas das partes que compõem o

sistema podem ser trocadas. Já o seu mau funcionamento pode aumentar o consumo de combustível, além de causar uma mudança nas taxas de contra-pressão, arrastando o óleo do motor e desgastando as peças prematuramente. Também é prejudicial à saúde, pois compromete a conversão de gases. A má qualidade do combustível e, em especial, combustíveis adulterados contribuem para o rápido desgaste do escapamento. Nesses casos, a peça que mais sofre é o catalisador, tendo vida útil de, em média, três anos. O tempo de uso é um dos principais causadores da deterioração dos escapamentos, que só pode ser resolvida com a sua substituição. A Zambenedetti Peças e Escapamentos dá algumas dicas de como manter o escapamento em dia: - Sempre que possível, verifique os fixadores e braçadeiras. - Se alguma peça do sistema apresentar defeito, estiver corroída ou com falhas, o

único conserto é a troca. - Cuidado ao passar por lombadas ou obstáculos elevados, pontiagudos ou soltos na estrada, como por exemplo, um galho de árvore, pois o escapamento pode ser atingido e ficar danificado. - Evite fazer o carro pegar

no tranco. Essa prática pode deixar a gasolina que não foi queimada escorrer pelo sistema de escapamento (catalisador) e isso pode danificá-lo. Não perca as calhas de chuva para veículos com preços promocionais.

Cuidar do escapamento garante conforto ao proprietário e benefícios ao meio ambiente

23/10/2012 09:02:47


Ijuí, 23 de outubro de 2012

O

Seu carro roda seguro?

s carros passaram de um objeto de luxo para um item indispensável ao ser humano moderno, pois levam até o trabalho, os filhos até a escola, possibilitam uma viagem de fim de semana ou a esticada das férias. Então, um item tão importante requer alguns cuidados. São dicas do engenheiro mecânico e diretor da Storm Automotive, Claudio Stormowski, de cuidados com o seu carro. Se realizadas periodicamente, garantem vida longa ao veículo, um rodar tranquilo, e evita gastos desnecessários no futuro, prolongando a vida útil do seu carro. Elevar a rotação do motor logo após a partida reduz a vida útil deste componente, pois o sistema de lubrificação do motor não está em pleno desempenho nos primeiros instantes após o funcionamento, provocando em alguns casos o desgaste

pag 5.indd 6

prematuro de componentes importantes. Evite acelerações bruscas ao ligar ou desligar o motor do seu carro, pois isto injeta uma quantidade excessiva de combustível na câmera de combustão e pode causar danos ao catalizador dos gases do escapamento. O mesmo vale para o “pegar no tranco”, que deve ser evitado, pois há uma sobrecarga no motor, transmissão e outros componentes importantes. Para transmissões automáticas, semiautomáticas ou automatizadas, a prática de “pegar no tranco” jamais deve ser utilizada, pois além de não funcionar, em alguns casos danifica seriamente o sistema. Evite rodar com o tanque de combustível na reserva, pois isso faz com que os resíduos depositados no tanque entrem na tubulação, causando entupimento dos filtros e prejudicando o funcionamento da injeção

É importante manter o motor bem regulado e os pneus regularmente calibrados

eletrônica do combustível e bicos injetores. Também causa o aquecimento e danos na bomba elétrica que se encontra no interior do reservatório de combustível.

Para reduzir o consumo do veículo sem prejudicar o rendimento, mantenha sempre limpos os bicos injetores, filtros de ar e de combustível e velas, trocando-os confor-

me a recomendação do fabricante. Também mantenha o motor bem regulado e os pneus regularmente calibrados. Procure também rodar com os vidros fechados e evitar manter peso desnecessário no porta-malas. Para veículos com motores de menor cilindrada (1.0) cc, há uma exigência maior em aceleração e redução de marchas para acompanhar os demais veículos. Desta forma, evite sustos em ultrapassagens, consultando o manual do proprietário para saber qual o regime de rotação em que o torque (força) e a potência máxima podem ser obtidos, e, assim, aperfeiçoar a utilização do motor. “Com o período de férias se aproximando, a melhor maneira de evitar o risco de comprometer o bemestar e a segurança dos condutores e dos seus familiares, é através da manutenção preventiva”, orienta o engenheiro.

23/10/2012 09:03:06


Ijuí, 23 de outubro de 2012

Pippi Pneus: uma história de trabalho e respeito ao cliente A

Pippi Pneus é uma empresa que tem origem nos empreendimentos realizados pela família de Plínio Pippi há mais de oito décadas. No dia 5 de agosto de 2012, completou 35 anos de parceria e comprometimento com sua comunidade, quer do ponto de vista da geração de receitas e divisas que impactam no desenvolvimento regional, quer do ponto de vista da responsabilidade social. A cada ano que passa, a empresa amplia seus horizontes e consolida a sua condição de uma das principais representantes, no país e a principal do Rio Grande do sul, da marca mundial de Pneus Bridgestone/Firestone. A Pippi Pneus, pela excelência de seus produtos e serviços,

tem a preferência dos clientes e, pelo desempenho quantitativo e qualitativo, conquista sistematicamente o reconhecimento da indústria, sendo destaque em um universo de mais de quinhentas revendas Bridgestone/Firestone do Brasil. Com filiais em vários pontos do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a Pippi Pneus garante o atendimento no varejo às populações desses municípios e mantém, ainda, parcerias com centenas de revendas credenciadas e empresas transportadoras,além de uma ampla estrutura de vendas no atacado, levando pneus Bridgestone/Firestone para todos os municípios do Brasil, além de participar de licitações via internet.

Criação da Digal, novas filiais da Pippi Máquinas no Rio Grande do Sul e Santa Catarina e implantação de um dos maiores BTS (Bandag Truck Service) da Bridgestone, no Brasil (serviço especializado para veículos pesados). O grupo Pippi Pneus não para de investir e expandir seus negócios. Recentemente, adquiriu as revendas Massey Ferguson de Xanxerê e Abelardo Luz, em Santa Catarina, e está implantando as filiais, de Santo Augusto (RS) e de Chapecó (SC), ampliando a área de atuação de 40 para 88 municipios, num significativo investimento. Criou a DIGAL – Distribuidora Gaúcha de Pneus Ltda., revenda Dunlop exclusiva para o Rio Grande do Sul, e está implantando o BTS, que oferecerá serviços completos com a qualidade Bandag (geometria, balanceamento, correção de eixos, suspensão, freios, posto de molas, elétrica, lubrificação, montagem e venda de pneus) para veículos de carga, como caminhões, carretas, bitrens, ônibus e colheitadeiras. Conforme Wilson Luiz Pippi, o BTS vem preencher uma lacuna existente na região:

“Queremos disponibilizar esses serviços especializados aos frotistas e usuários, através de uma empresa moderna e com equipamentos de última geração, oferecendo o que há de melhor no segmento”, conclui.

A tradição da família Pippi permanece na administração compartilhada entre o diretor – presidente, Wilson Luiz Pippi, sua esposa Clair Burtet Pippi e o filhos, Wilson Luiz Pippi Junior e Rafael

Burtet Pippi, que lideram uma equipe de quase trezentos colaboradores, personagens fundamentais de uma história com belas páginas de coragem, visão empresarial e envolvimento social, e que continua

sendo escrita todos os dias. Responsabilidade Social: As empresas da família Pippi possuem uma característica diferenciada que as aproximam das comunidades em que estão inseridas. É a preocupação com o meio em que atuam que impulsiona a economia e gera, além de empregos e divisas, benefícios sociais. Exemplo desse desprendimento são as doações feitas a entidades assistenciais e filantrópicas, realizadas através da destinação de percentual dos impostos de renda de pessoas físicas e jurídicas. A Pippi Pneus, inclusive, foi uma das empresas precursoras do movimento benemérito denominado “Rugido do Bem”, em Santo Ângelo-RS.

Os próximos meses serão intensos, com muitas inaugurações. No dia 3 de outubro, inaugurou a filial da Pippi Máquinas, em Santo Augusto na rua Pedro Campos Nº 612; no dia 9 de outubro, a filial da Pippi Pneus de Ijuí, na Rua Co-

ronel Dico Nº 657; no dia 10, o BTS, instalado na ERS 344, trevo da Perimetral Norte, em Santo Ângelo; e em dezembro, há previsão de inauguração da revenda Massey em Chapecó (SC) e uma filial da DIGAL, em Porto Alegre.

Novos capítulos de uma história bem-sucedida que continua sendo escrita por uma família caracterizada pelo trabalho, pelo empreendedorismo e tem o foco nos três Ss, Seriedade, Sucessão e Sustentabilidade.

Com filiais em vários pontos do Estado, a Pippi Pneus completou 35 anos de história

Os novos investimentos da Pippi Pneus

pag 6.indd 6

A equipe da Pippi Pneus de Ijuí no lançamento da filial, no dia 9 de outubro

23/10/2012 09:03:24


Ijuí, 23 de outubro de 2012

O

Grand Siena: completo e com bom desempenho

Grand Siena é um carro completamente novo. O sedã ganhou um estilo próprio, que privilegia sua beleza sofisticada com toques de esportividade. Criado em uma parceria entre o Centro Stile Fiat da Itália e do Brasil, o design do Grand Siena demonstra força na dianteira afiada. Com vincos bem demarcados, faróis alongados e o logotipo Fiat em um friso cromado na grade central, ele transmite uma sensação de movimento. Esses componentes se contrapõem ao para-choque robusto, com uma grade inferior esportiva onde estão embutidos os faróis de neblina. Os traços finos e precisos da lateral dosam energia e elegância na medida, e as formas geométricas das lanternas traseiras saltam aos olhos. O Teto Solar Sky Wind deixa o Grand Siena com um design

pag 7.indd 1

ainda mais esportivo e imponente. Além disso, traz mais personalidade, sensação de liberdade e exclusividade ao veículo. O opcional está disponível para todas as versões. O Grand Siena chama atenção não apenas pela aparência, mas também pelo tamanho. Não é à toa que recebeu o nome Grand. O aumento nas dimensões se deu pela adoção de uma plataforma modular, que resultou em um interior espaçoso e confortável para todos os passageiros. E, para ampliar a sensação de bemestar a bordo, o Grand Siena apresenta um acabamento sofisticado e funcional. Mais leves e resistentes, as rodas de liga leve do Grand Siena são ao mesmo tempo econômicas e seguras. Dependendo da versão do carro escolhida, você pode optar por rodas de liga 15”

O carro ganhou estilo próprio, que privilegia sua beleza com toques de esportividade

ou mesmo aro 16”, que vêm de série na linha Essence. Os tecidos têm detalhes claros e costuras estéticas para valorizar a forma ergonômica dos bancos, que aproveitam o espaço interno de forma inteligente e confortável.. O painel de instrumentos do Grand Siena concilia beleza e praticidade. Sua iluminação e display brancos ofere-

cem excelente contraste. Os ponteiros são iluminados em toda a barra e apresentam o Welcome Moving: quando a chave é girada na ignição, eles se movimentam para saudar o motorista e mostrar que estão funcionando corretamente. Acompanhando esse movimento dos ponteiros, a iluminação do painel se acende e apaga gradativamente.

O volante do Grand Siena oferece recursos tecnológicos com uma boa dose de elegância. Ele conta com seis botões que permitem controlar o volume do som, navegar pelas músicas do iPod®, trocar de estação no rádio ou passar para a próxima música no CD. Além de oferecer agilidade na troca de marchas, o câmbio Dualogic® automático permite ao motorista escolher como quer dirigir o Grand Siena. É possível mudar as marchas automaticamente ou manualmente, para guiar sempre da forma mais confortável em cada situação. Uma novidade apresentada pelo Grand Siena é a possibilidade de fazer as mudanças de marcha através de alavancas localizadas no volante. Com isso, o Grand Siena eleva os parâmetros de tecnologia e requinte no seu segmento.

23/10/2012 09:03:38


Ijuí, 23 de outubro de 2012

Conheça o Sandero GT Line

Q

uem gostava de carros nos anos 70 e 80 ainda se lembra de algumas versões esportivas da época, elaboradas com condimentos estéticos e pequenas alterações mecânicas, mas equipadas com motores um tanto modestos para as pretensões de sua aparência. Com o tempo surgiram esportivos mais potentes e o padrão de desempenho se elevou, mas continuaram a existir versões que não acompanhavam sob o capô o vigor que sugeriam com faixas, defletores e rodas especiais. É impossível não se lembrar daqueles “esportivos” quando se analisa o Renault Sandero GT Line, que de edição limitada (vendida em 2010) se torna versão de produção normal na linha 2013 do modelo. Se antes a marca francesa havia reservado a esse Sandero o motor mais potente da linha, o de 1,6 litro e 16 válvulas, agora o GT Line traz a unidade de oito válvulas, cuja evolução é outra das novidades da gama 2013. Denominado Hi-Power ou alta potência, o motor de duas válvulas por cilindro traz alterações desenvolvidas pela engenharia da Renault Tecnologia Américas (RTA) para aumentar o desempenho

e reduzir o consumo. Sabe-se que uma parte considerável da potência de um motor é gasta na superação dos atritos entre as peças, como os pistões e os cilindros onde deslizam, para cima e para baixo. Na nova versão, os pistões encostam com superfícies menores nos cilindros e, onde encostam, são revestidos de grafite, o que de uma certa forma lubrifica esse contato, permitindo melhor deslizamento. Além disso, o pino do pistão que o liga à biela não é mais fixo e sim deslizante. Como elas se movem de modo alternativo subindo, parando e descendo, quanto mais leves, melhor para facilitar esse movimento. Sua fixação inferior passa a ser aberta por um impacto que as fratura, oferecendo um encaixe irregular com pontas e vales, como se fossem dentes, o que torna a junção entre as duas partes mais forte que em uma comum superfície plana de junção (nada de novo aqui, vale frisar, pois é técnica usada em motores nacionais há mais de 10 anos). De resto, o Hi-Power traz central eletrônica com maior capacidade de armazenamento e mais velocidade de processamento de informações,

bronzinas com material mais resistente, junta do cabeçote composta por três lâminas de vedação (antes, só uma) para maior resistência às pressões, corpo de borboleta com quinto bico injetor de seis furos para a injeção de gasolina na partida a frio (melhor pulverização) e novo comando de válvulas, com um perfil que

Conhecida como Lei da Cadeirinha, a resolução obriga o uso de dispositivos de retenção para o transporte de crianças em veículos. De acordo com a medida, crianças até 12 meses devem ser transportados no bebê-conforto. De um a quatro anos, devem viajar em cadeirinhas. Já entre quatro e sete anos e meio, o ideal é que utilizem o booster -- assento elevatório. O cinto de segurança do veículo deverá ser usado por aquelas com idade su-

perior a sete anos e meio e igual ou inferior a 10 anos. O descumprimento da norma prevê multa gravíssima de R$ 191,54, além da perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e retenção do veículo até que o assento seja colocado. De setembro de 2009 a agosto de 2010, o Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde notificou a morte de 296 crianças nessa faixa etária. Entre setembro de

2010 - quando a lei passou a valer - e agosto de 2011, o número caiu para 227. Se comparado com a média dos cinco anos anteriores à Lei (267,9), a queda foi de 15%. Os dados fazem parte da primeira “Avaliação Preliminar do Impacto da Lei da Cadeirinha Sobre os Óbitos de Menores de 10 anos de Idade no Brasil”, elaborada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O estudo foi apresentado nesta terça-feira, 16, durante a 12ª

prioriza o torque em baixa rotação, bem ao gosto dos brasileiros que não gostam de passar marchas o tempo todo. Oferecido nas cores preta, vermelha, branca e prata, o GT Line tem como equipamentos de série bolsas infláveis frontais, freios com sistema antitravamento (ABS), arcondicionado, direção assis-

tida, faróis de neblina, rodas de alumínio, computador de bordo, controle elétrico de vidros dianteiros e travas, volante e banco do motorista com ajuste de altura, alarme antifurto e rádio com CD, MP3, comando satélite na coluna de direção, conexão auxiliar e interface Bluetooth para telefone celular.

Nas cores preta, vermelha, branca e prata, o GT Line oferece bolsas infláveis frontais, freios com sistema antitravamento e ar-condicionado

Lei da Cadeirinha reduz mortes no trânsito

pag 8.indd 1

Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (Expoepi), evento da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. Em seis anos, é a primeira vez que há registro de queda. Nos cinco anos antes da entrada em vigor da lei, vinha ocorrendo um crescimento gradual de mortes de crianças durante o transporte: de 238 óbitos - no período de 1º de setembro de 2005 até

31 de agosto de 2006 - para 296 óbitos no período de 1º de setembro de 2009 até 31 de agosto de 2010. O estudo também revela que as principais vítimas fatais são crianças de até dois anos. Dos óbitos registrados no período de setembro de 2005 a agosto do ano passado, 32% foram de crianças nesta faixa etária. No mesmo período, 42,5% dos óbitos aconteceram nos fins de semanas e 23,9% nos meses das férias escolares.

23/10/2012 09:03:52

Caderno Veículos 23.10.2012  

Edição do caderno Veículos do JM

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you