Page 1

Jornal da Manhã

Ijuí, 21 de janeiro de 2014

AMAROK: INOVAÇÃO E SEGURANÇA COMO ITENS DE SÉRIE

A Amarok 2014 chega ao mercado fazendo bonito em todos os sentidos » 3

Sistemas de direção

Conheça os sistemas de direção existentes e escolha o que mais se adapta às suas necessidades » 7

Seguro automotivo Saiba qual é a importância do seguro e veja algumas dicas para a escolha acertada » 4

Fique atento Troca de óleo periódica garante qualidade, segurança e bom desempenho dos veículos » 5

capa.indd 1

Férias com segurança

Cuidados na hora da revisão antes de sair para uma viagem de férias evita dor de cabeça durante o descanso » 6

20/01/2014 19:13:36


Ijuí, 21 de janeiro de 2014

Michelin estreia pneus em Detroit A Michelin apresentou uma nova tecnologia chamada EverGrip, que permite que os pneus melhorem sua aderência à medida que se desgastam. O primeiro pneu da Michelin a ser oferecido com esta nova tecnologia, que permite à empresa garantir 96 mil quilômetros de vida útil, é o Premier A/S, que fez a sua estreia mundial durante o Salão de Detroit.

Os novos pneus com a tecnologia EverGrip são feitos de um composto de borracha exclusivo com quantidades extremas de sílica e óleo de girassol e, em vez de ficar com as ranhuras para escoamento de água mais estreitas, como os pneus tradicionais, elas expandem. Além disso, estes pneus apresentam um segundo conjunto de 150 sulcos que permanecem ocultos quan-

do novos, mas que surgem à superfície quando o pneu torna-se desgastado. "Com nossos avanços verdadeiramente revolucionários na tecnologia de pneus, somos capazes de abordar diretamente os efeitos do desgaste dos pneus em relação à tração e conseguimos quebrar o paradigma tradicional", disse Scott Clark, diretor de operações da Michelin North America.

Preços de carros pelo mundo O Camaro é um exemplo marcante. No Brasil sai por R$ 213.490. É a versão topo de linha e é importado. Nos Estados Unidos , com R$ 56.532 (US$ 23.555) dá pra comprar o modelo. Por outro lado, o Jetta (Volks) custa R$ 65.990 no Brasil frente aos R$ 69.520 (21.725 euros) na Alemanha. Os tributos consomem cerca de 45% do custo do carro no Brasil para as fabricantes. Além disso, cerca de 20% é de mão de obra, direta e indireta; 5% é o custo da logística; 5% é o custo médio do frete, que varia de acordo com a região do País. O restante é referente ao lucro da montadora, lucro da concessionária, energia elétrica, transporte interno, estoque, material e outras despesas. As estimativas são do diretor conselheiro da Associação dos Engenheiros Automotivos do Brasil (SAE- Brasil), Francisco Satkunas. Ele ressalta que os carros nos Estados Unidos são mesmo mais baratos, o que é explicado também pela quantidade de veículos vendidos por ano, 15 milhões, quatro vezes mais do que no Brasil, que atinge 3,7 milhões. BRASILEIRO PAGA CARO PELO CARRO? O preço de modelos de carros no Brasil foi levantado e comparado com o preço em outros países. As situações econômicas, regras de esmissão e segurança para veículos são distintas, tudo isso influencia no preço do carro. Custo de produção, peças, logística e mão de obra são di-

pag 2.indd 2

ferentes também. Além disso, os carros podem apresentar diferenças de acordo com o país, até ser de categorias diferentes. De toda forma, são esses os preços sugeridos pelas montadoras para o mesmo carro.

Novo Ka será grande aposta da Ford para 2014 A Ford terá na nova geração do Ka a sua principal aposta para 2014. A informação foi dada pelo presidente da Ford Brasil e Ford América Latina, Steven Armstrong. “Nós o mostramos ao mundo em novembro de 2013 e ele foi muito bem recebido. Trata-se de um novo exemplo de produto desenvolvido para o Brasil para o resto do mundo, como o EcoSport, e nós temos orgulho disso. Será lançado em um segmento bastante importante por aqui, que é de entrada. O Ka será parte fundamental do processo de crescimento e, principalmente, uma etapa de uma nova era de lançamento de carros globais no País, que nos possibilitará aumentar nossa presença no mercado”, comentou.

Jeep trará novo Cherokee ao Brasil Pertencente ao Grupo Chrysler, a Jeep apontou que o novo Cherokee vai chegar ao mercado nacional. O modelo SUV deve desembarcar no País até o final do primeiro semestre. Ele foi lançado no ano passado e trouxe muita polêmica devido ao seu visual esportivo, o que é pouco convencional para um modelo da Jeep. A sua dianteira conta com faróis afilados ao lado das já tradicionais sete entradas de ar verticais. Esse ponto é o que gera mais divisão nas opiniões. O Cherokee vai ser lançado no Brasil depois da chegada do novo Grand Cherokee, que teve uma pequena reestilização e pode ter a sua reserva feita nas prévendas Jeep.

Parceria entre Google e Audi para desenvolver sistemas Segundo rumores que correm no mundo da tecnologia, o gigante Google pode ter assinado um acordo com a Audi com o intuito de desenvolver em parceria sistemas de entretenimento para automóveis que seriam construídos em torno de sua plataforma Android.Ainda aguarda-se que o Google e a Audi anunciem oficialmente a parceria. A notícia do até então possível acordo foi divulgada primeiramente pelo Wall Street Journal. Caso se confirme, o acordo coloca o Google em rota de colisão com a Microsoft e a Apple, que já têm demonstrado interesse em projetos similares.

Vendas de carros 0 km diminuem no Brasil No ano de 2013, a venda de carros usados cresceu em 5% e os novos diminuíram em 1%, para o espanto da indústria automobilística. O fato despertou a curiosidade dos especialistas, já que a previsão era de exatamente o contrário, por conta dos baixos impostos que o governo apresentou como incentivo para aquisição de 0 km. A diferença de preço também foi considerável, já que os carros novos subiram 2,5% e os usados caíram 2%, o que fez com que os contemplados de consórcio, por exemplo, preferissem adquirir um seminovo ao invés do carro zero de fábrica.

20/01/2014 19:09:01


Ijuí, 21 de janeiro de 2014

Volkswagen Amarok 2014 ganha novos itens de segurança e de tecnologia - a qualidade e a robustez continuam A Volkswagen lançou a linha 2014 da Amarok no mercado brasileiro. Produzida em General Pacheco, na Argentina, a picape chega trazendo novidades principalmente no pacote de itens de segurança. Entre os destaques, a versão Highline agora traz de série controle de estabilidade (ESC), assistente para partidas em rampas (HSA), controle automático de descida (HDC), retrovisores com rebatimento e faróis de neblina com luzes dinâmicas para manobras – recurso inédito entre as picapes médias no Brasil. Além disso, o modelo Highline ganha como opcionais airbags laterais para tórax e cabeça e câmera traseira. De série, todas as versões cabine dupla passam a contar com terceiro apoio de cabeça, cinto de segurança central automático de três pontos e sistema Isofix com ancoragem para dois assentos de crianças nas posições laterais do banco traseiro. As configurações Highline e Trendline trazem ainda quadro de instrumentos com iluminação branca e novo computador de bordo. Tanto a Amarok Highline como a Trendline recebem na linha 2014 um novo quadro de instrumentos

(cluster) incorporando o novo computador de bordo com oito funções (tempo de viagem, consumo instantâneo, consumo médio, autonomia, distância percorrida, velocidade média, alerta de velocidade e temperatura do óleo do motor). Até então exclusivo dos modelos com câmbio manual, o indicador de troca de marcha passa a ser item de série também na Amarok Highline e na Amarok Trendline com transmissão automática de oito marchas. O indicador funciona apenas após a alavanca do câmbio ser colocada na posição de trocas manuais e indica, por meio da tela central do painel de instrumentos, a marcha ideal a ser engatada, priorizando a economia de combustível. A Amarok segue com sete opções de configuração, entre carroceria cabine simples e cabine dupla, tração 4×2 e tração 4×4, transmissão manual de seis marchas ou automática de oito marchas. O motor, sempre diesel, pode ser 2.0 TDI de 140 cv e 34,7 kgfm de torque ou 2.0 TDI bi-turbo de 180 cv com 40,8 kgfm (versões manuais) ou 42,8 kgfm (versões automáticas) de força.

Volante multifuncional tem novo design

Amarok em Ijuí Representante da Volkswagen nas cidades de Santo Ângelo, Ijuí, Cerro Largo e região há 40 anos, a Mecautor atua na revenda de carros novos e seminovos, peças e acessórios originais. Serviços de manutenção e assistência técnica especializada também são diferenciais reconhecidos pelos nossos clientes. Por ser uma das primeiras concessionárias Volkswagen no RS, atingiu uma posição de destaque neste segmento, onde se tornou referência em eficiência, segurança e tecnologia. Um dos grandes atributos do grupo Mecautor é a disponibilidade do maior e melhor estoque de veículos e peças. O amplo

showroom permite a escolha do carro dos sonhos com muito mais tranquilidade e faz o cliente se sentir tão à vontade quanto dentro de um Volkswagen. Vantagens como facilidades no financiamento também conquistam e fidelizam milhares de clientes. Com um canal interativo que facilita o relacionamento com os clientes, leva excelentes oportunidades de negócios de forma rápida e segura a todos que procuram por veículos de qualidade. Na Mecautor é possível encontrar a Amarok 2014, além de diversos outros modelos, na BR-285, km 445. Contato pelo telefone 3333-1010. Visite o site: mecautor.com.br.

Entre os itens de segurança está o cinto de segurança central

Câmera traseira passa a ser opcional

pag 3.indd 3

20/01/2014 19:06:30


Ijuí, 21 de janeiro de 2014

Conhecendo melhor o seguro automotivo Como escolher o seguro mais adequado? O que é importante saber ao escolher a seguradora do seu automóvel? Antes de tudo, é essencial entender como ele funciona. O seguro é um contrato em que o proprietário do veículo paga uma quantia (o prêmio) à seguradora para que ela corra um risco no lugar dele. No caso de sinistro, a seguradora vai indenizar o segurado. Quanto maior o risco que o veículo ou seu motorista oferecem à seguradora, mais caro será o prêmio. Há mais um detalhe. Para se defender contra abusos, a seguradora exige que o motorista fique com uma parte do risco. Essa parte é a franquia: em caso de sinistro, é um valor que o segurado tem de pagar ou que é descontado da sua indenização. Indenização, prêmio, franquia: com esses três conceitos em mente, é muito fácil escolher o melhor seguro. Há dois grandes grupos de seguros à disposição dos motoristas brasileiros. Os mais completos são apólices sofisticadas e caras, conhecidas como Cobertura Compreensiva ou Total. Protegem o veículo do segurado contra incêndio e roubo e cobrem acidentes provocados por outros motoristas. É nessas

apólices que os segurados com mais dinheiro no bolso encontram a maior variedade de serviços. Numa tentativa de diferenciarse, as seguradoras têm caprichado em oferecer benefícios diferenciados. Os mimos vão de serviços domésticos gratuitos, como encanadores, eletricistas e técnicos de informática, até um funcionário da seguradora que acompanha o segurado na hora de prestar

queixa em uma delegacia. Na outra ponta, os seguros mais básicos são as apólices de Responsabilidade Civil Facultativa (RCF). Esse nome quer dizer que o segurado terá direito a receber uma indenização se ferir outra pessoa ou danificar outro veículo. É o famoso seguro contra terceiros. “É para quem quer proteção contra o pagamento de indenizações”, diz Osvaldo Nas-

As seguradoras têm caprichado em oferecer benefícios diferenciados, para atrair o cliente

Dicas de economia na contratação do seguro Seguro é um acessório praticamente indispensável para o motorista, mas quem compra torce para não precisar dele. Mesmo o melhor seguro, só será usado em momentos desagradáveis. Pior que isso, o seguro pode ser um acessório muito caro: basta perguntar ao seu vizinho cujo xodó é aquele Fusca 1977 impecável se ele consegue comprar um seguro para ele. A resposta será: não. O preço é impraticável. “É muito difícil encontrar peças de reposição em caso de acidente e os custos são elevados, por isso a seguradora acaba tendo de repassar parte deles ao segurado”, afirma Osvaldo Nascimento, executivo responsável pelos seguros do grupo Itaú. Diante desse cenário, como fazer para pagar menos na hora de assinar o contrato? Especialistas listam recomendações para reduzir o custo dos seguros. A CONCORRÊNCIA ESTÁ BRAVA? ENTÃO PESQUISE MAIS As seguradoras avaliam que apenas um em cada cinco veículos tem seguro e o crescimento recente da frota não foi acompanhado pelo aumento do mercado segurador. Isso pressionou os preços para baixo. Por isso, a ordem é pesquisar nas segura-

pag 4.indd 6

cimento, executivo responsável pelos seguros do Banco Itaú. Os seguros RCF são os que mais têm crescido no mercado, por serem mais baratos. A explosão do financiamento criou uma situação bastante favorável para o segurado. O crescimento dos seguros não consegue acompanhar a expansão da frota. Por mês, chegam às ruas em média 260 mil novos veículos, e

doras e ver quem oferece os melhores preços e benefícios. ABUSE DO SEU CORRETOR Já que o corretor é uma figura indispensável, o melhor é transformá-lo em um aliado na hora de decidir. “O corretor tem de ser visto como um consultor, que vai ajudar o segurado a encontrar o produto mais adequado”, diz Marcelo Prieto, especialista em seguros automotivos da americana Marsh, uma das maiores corretoras de seguros do mundo. CUIDADO COM SEGUROS DE BANCO Fique atento, pois as comodidades oferecidas pelos bancos, como débito em conta, por exemplo, podem esconder preços altos e apólices ruins, que oferecem poucas oficinas. FACILIDADE É ÓTIMO, MAS PODE CUSTAR CARO “Muitas seguradoras oferecem produtos glamourosos, como carro reserva e desconto em viagens, mas o segurado tem de calcular se ele vai ou não usálos”, diz um consultor. INSTALE UM RASTREADOR Uma das poucas maneiras de baixar seu risco é instalar um

rastreador. Foi o que fez o marceneiro Douglas Antonio Cavazane, entusiasta das peruas Parati. "O instalador reduziu o preço em 20%. Em vez de pagar R$ 3 mil, paguei R$ 2,4 mil”, diz Cavazane. CONHEÇA SEUS RISCOS O que você diria ao motorista daquele Mercedes-Benz SLK novinho se soubesse que ele roda sem nenhum seguro? Provavelmente você recomendaria sua internação, até saber que ele é alto executivo em uma seguradora. A explicação para essa atitude aparentemente tresloucada é um apurado cálculo de risco. Ele explica que o veículo é pouco comum no Brasil, e por isso não há muita demanda por peças de reposição. Também se destaca no trânsito e é facilmente detectável pela polícia. Portanto, não é um carro muito visado pelos ladrões. Ou seja, nesse caso, é possível dirigir sem seguro. Pelas contas do executivo, segurar o Mercedes custaria R$ 10 mil por ano. “Seria um dinheiro mal gasto. Eu prefiro segurar os automóveis que a família usa para trabalhar”, diz o executivo, que, por razões óbvias, prefere não aparecer.

as estimativas são de que há de 35 milhões a 40 milhões em circulação no Brasil. Quando muito, só 20% deles têm seguro. “Muitos dos compradores do primeiro carro comprometem toda a renda na prestação”, diz Nascimento. “Por isso, não há folga para fazer o seguro.” Além de forçar as seguradoras a criar produtos mais populares, a tentativa de abocanhar fatias maiores desse mercado em crescimento levou a uma acirrada disputa comercial. “Os preços caíram de 15% a 20% em média em relação ao ano de 2012”, diz Paulo Umeki, diretor da Liberty. “As seguradoras estão dispostas a ganhar menos para conquistar mais espaço no mercado, e isso acaba representando uma vantagem para o segurado.” E O DPVAT? Esse é o conhecido seguro obrigatório, ou seguro contra Danos Pessoais causados por Veículos Automotores Terrestres. Foi criado em 1974 e destina-se a cobrir os riscos de morte e invalidez permanente de qualquer envolvido em acidente de trânsito – motorista ou pedestre. Garante ao acidentado R$ 13,5 mil em caso de morte ou invalidez e até R$ 2,7 mil em despesa médica e hospitalar.

Sistema articulado para espelhos laterais Não é fácil manobrar ônibus e caminhões. Para facilitar manobras de veículos articulados, o engenheiro mecânico Igor Augusto Alves Batista desenvolveu um sistema de regulagem automática para espelhos retrovisores. Sensores na articulação do veículo reajustam automaticamente os espelhos laterais, proporcionalmente ao ângulo formado entre a carreta e o veículo trator com a finalidade de manter o campo de visão do motorista. “O motorista sempre manterá a visibilidade total em todas as situações, seja realizando curvas ou em situações de manobra, pois ele regulará o

espelho automaticamente para que o motorista sempre visualize o final da composição, reduzindo, assim, o risco de acidentes, tempo de manobra e aumentando o conforto e a produtividade”, promete Igor. O sistema está sendo viabilizado em parceria com a Magnetti Marelli e algumas montadoras já sinalizaram interesse na tecnologia, conforme o engenheiro. A proposta é de custo acessível a todo o setor, pois usa uma estrutura simples de funcionamento. Até agora, a tecnologia não está sendo desenvolvida ou pensada para carros de passeio.

O sistema foi pensado para facilitar a vida dos motoristas de caminhão

20/01/2014 19:09:27


Ijuí, 21 de janeiro de 2014

Vida útil do veículo depende da troca do óleo Ao contrário do que muita gente pensa, trocar o óleo do carro não é um gasto, mas, sim, uma necessidade. A lubrificação correta é fundamental para a saúde e durabilidade do motor e faz parte dos procedimentos de rotina na manutenção do veículo. A tarefa do óleo é, com a viscosidade, evitar o atrito entre as peças móveis do motor, garantindo bom funcionamento, sem aquecimento excessivo e desgastes no sistema mecânico. Com o uso do motor, o óleo vai recebendo uma carga de partículas que interferem na viscosidade e em sua eficiência. Por esta razão, deve ser trocado periodicamente. O correto é seguir as instruções indicadas no manual do fabricante do veículo quanto ao tipo de óleo usar, a quantidade adequada e o limite de quilometragem para nova troca. O óleo deve ser trocado de acordo com o período recomendado, porque, com o passar do tempo, o líquido começa a ficar muito sujo, espesso e a função de lubrificar o motor acaba comprometida. Isso pode gerar diversos danos ao automóvel. De acordo com Rodrigo Lima da Rocha, sócio-proprietário da Dinâmica Auto Center, é importante que o motor esteja quente no momento da troca do óleo. “Nessas condições, o óleo fica mais fluido (leve e fino),

facilitando sua retirada do motor.” Rodrigo destaca que, em relação ao tipo de óleo, é essencial verificar se é sintético ou mineral. “Os óleos minerais vêm da separação de componentes do petróleo, sendo uma mistura de vários compostos. Já os sintéticos são gerados por reação química, resultando em produtos de maior nível de desempenho.” O sócio-proprietário da Dinâmica salienta que a troca do filtro também deve ser observada. “O filtro é responsável por reter as impurezas do óleo, que seriam depositadas no motor. Por causa do acúmulo de sujeira, a passagem do lubrificante fica prejudicada e isso pode gerar danos no motor. O período de troca do filtro de óleo também é recomendado pelo fabricante do veículo, mas normalmente ela é feita a cada troca de óleo”, afirma. A Dinâmica, de propriedade de Rodrigo Lima da Rocha e Rafael Peralta da Silva, disponibiliza esse serviço há 15 anos e oferece promoção de troca de óleo com filtro a partir de R$ 65. Serviços de balanceamento, geometria e regulagem de farol são feitos por R$ 60. A Dinâmica está localizada na Rua do Comércio, 1.450, bairro São Geraldo. Contato através dos telefone 3332-6400 ou 8449-0572.

Atendimento personalizado é uma das marcas da Dinâmica

A empresa oferece ambiente amplo e equipamentos modernos

Há 15 anos em Ijuí, a Dinâmica Auto Center oferece serviços de qualidade e bom atendimento com profissionais qualificados

pag 5.indd 6

20/01/2014 19:08:16


Ijuí, 21 de janeiro de 2014

Revisão: cuidados na hora de viajar Motorista que se preze faz a revisão do carro antes de pegar a estrada. No entanto, dependendo do destino escolhido, pode ser necessário prestar atenção especial em determinados itens de segurança do veículo, como freios, barra de direção e pneus. “Em virtude do período de férias, já percebemos um aumento de 30% a 40% na procura pela manutenção desses itens”, afirma Daniel Viana, que é chefe de oficina mecânica. Para não correr o risco de ficar parado no acostamento, a dica é começar pelos pneus. Alinhamento e balanceamento são serviços rápidos e de baixo custo que evitam algumas dores de cabeça em pistas esburacadas e com sinuosidade acentuada. Até mesmo as estradas com boas condições de dirigibilidade podem causar problemas. “Se os pneus estiverem desalinhados e descalibrados, por exemplo, o motorista vai sentir uma trepidação no volante quando desenvolver uma velocidade maior”, garante. Além do desconforto para o motorista, os pneus nessas condições aumen-

tam o consumo de combustível em até 10%. Já para as subidas e descidas, vale usar a embreagem e os freios corretamente. "Nada de descer no ponto morto“, conclui. De acordo com o artigo 231 do Código de Trânsito Brasileiro, dirigir com o veículo desengrenado em declive é uma infração média que rende ao motorista quatro pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85,13. Dirigir sob a chuva requer ainda mais cuidados. O mau funcionamento de itens que passam despercebidos, como palhetas e desembaçador de vidro traseiro, pode colocar o condutor em situações críticas, como a perda momentânea do controle do carro. A aquaplanagem acontece quando o contato dos pneus com o solo é perdido após a passagem do veículo por uma poça. Nesse caso, além de contar com a aderência dos pneus, é preciso manter a calma e retomar o controle do carro usando a direção e o acelerador. Depois de verificar esses cuidados, é só curtir as férias!

Para não correr o risco de ficar parado no acostamento, é importante que a revisão seja feita

Risco: cigarro e direção não combinam Segundo Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), dirigir apenas com uma mão e jogar para fora do veículo a brasa são atitudes constantes dos motoristas fumantes. “Acender o fósforo causa um ofuscamento, a visão apaga em média entre três e quatro segundos, tempo suficiente para acontecer um acidente. A brasa jogada do lado de fora do carro, pode cair no corpo e ocasionar uma queimadura, ou as cinzas entrarem no olho do condutor”, alerta do diretor. O cigarro também libera monóxido de carbono (CO2), que

diminui a concentração de oxigênio no sangue. As cinzas podem causar algum tipo de irritação nos olhos, enquanto a fumaça pode provocar tosse excessiva e atrapalhar na direção. “O cérebro tem que estar bem oxigenado para termos as respostas motoras imediatas e o cigarro reduz a oxigenação do cérebro”, orienta Dirceu. De acordo com pesquisa coordenada por Sean Semple, da Universidade de Aberdeen, na Escócia, no ano passado, automóveis com cigarros acesos, mesmo em movimento e com as janelas abertas, excedem em mais de três vezes os índices de

CO2 tidos como aceitáveis pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Esses veículos apresentam também dez vezes mais poluição do ar em relação aos carros de não fumantes. Na pesquisa, foram colhidas amostragens de 83 veículos de fumantes e não fumantes. Conforme a Abramet, conduzir com um cigarro na mão pode ser tão perigoso quanto outra atividade que desvie a concentração no trânsito, como comer, beber, sintonizar rádio, maquiarse, usar tablet, ler e falar ao celular enquanto dirige, portanto, os motoristas precisam focar a atenção nas ruas e nas estradas.

Faça corretamente As restrições do Código de Trânsito Brasileiro (CTB)

Dirigir o veículo com o braço do lado de fora

Transportar pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas

Usar calçado que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais Dirigir com apenas uma das mãos, exceto quando deva fazer sinais regulamentares de braço, mudar marcha do veículo, ou acionar equipamentos e acessórios do veículo

Os condutores devem evitar qualquer distração que possa tirar a atenção do seu foco principal

pag 6ok.indd 6

Utilizar fones nos ouvidos conectados a aparelhos sonoros ou telefone celular

20/01/2014 19:10:03


Ijuí, 21 de janeiro de 2014

Conheça os tipos de direção Um dos itens essenciais que define a compra de um carro é o sistema de direção automotiva. Sua composição é básica: volante, eixo ou barra de direção, caixa de direção e componentes que fazem a ligação às rodas. O diferencial está na tecnologia empregada, feita para facilitar o trabalho dos motoristas em situações que é preciso ter força no braço. Existem dois tipos de sistemas: um mecânico e outro assistido (subdividido em três categorias). O mecânico é o mais simples. Em linhas gerais, significa deixar todo o esforço para o motorista. E tem de ter pulso firme para girar a direção em momentos de exigência, como estacionar em vagas estreitas. Apesar do périplo, no quesito manutenção, o gasto chega a ser quase nulo. O sistema é simples, mais barato, porém cada vez menos aceito pelos consumidores. Considerado uma mão na roda, o sistema assistido representa melhor conforto, dirigibilidade e a precisão das manobras. Os componentes

Direção mecânica Vantagens: baixo custo de manutenção Desvantagens: volante pesado e desconfortável

Direção hidráulica Vantagens: dirigibilidade confortável e maior controle do carro nas manobras Desvantagens: vazamentos de óleo. Caso o fluído esteja acima ou abaixo do recomendado pela montadora, a direção ficará pesada absorvem o esforço e a carga de movimento solicitada pelo motorista. Na configuração da direção hidráulica, o sistema é composto por bomba e reservatório, fluido, além de mangueiras. Funciona assim: a bomba é acionada por meio de uma correia ligada ao motor. De maneira automática, ocorre a pressurização do óleo dentro da caixa de direção que multiplica a força para o volante. Ligado à bateria do automóvel, o sistema elétrico dispensa mangueiras e polias para ser acionado. Elimina também o uso de correias e é acionado por meio de um

motor elétrico independente. O modelo reduz o nível de ruídos, peso do veículo e otimiza a economia de combustível. Apesar da série de atrativos, a desvantagem principal se dá em situações de pane elétrica. A direção eletro-hidráulica alia dois sistemas em um. A tecnologia mantém o fluido, as mangueiras e polias e funciona de maneira semelhante ao sistema hidráulico. O diferencial do híbrido está no acionamento. As conexões estão ligadas ao motor elétrico independente, removendo assim o ônus de ativação do motor do carro e evitando perda de potência.

Direção elétrica Vantagens: redução do peso do veículo, economia de combustível e dispensa mangueiras, correias, óleo e polias. É acionado por um motor independente instalado na caixa de direção Desvantagens: em situações de problemas elétricos (pane), a direção fica pesada

Direção eletrohidráulica Vantagens: usa-se os componentes do sistema hidráulico, mas o acionamento se dá por um motor elétrico. Não rouba potência do motor do carro Desvantagens: vazamento de óleo

Recodalpo: quatro décadas de prevenção em Ijuí Há 40 anos, a Recodalpo – Comércio de Equipamentos Contra Incêndios Ltda tem na qualidade dos produtos e serviços que oferece sua grande marca. A empresa, que é credenciada pelo Inmetro, atende

municípios entre as regiões Fronteira Oeste e Noroeste do Estado e mostra que a preocupação e dedicação se reflete no seu mercado de atuação que já se expande pelo Rio Grande do Sul. Levando em conta a qua-

lidade dos serviços, o cumprimento dos prazos e a seriedade dos trabalhos, a Recodalpo oferece à pronta entrega toda a linha de equipamentos contra incêndio, desde venda, reteste, pintura até a recarga de extintores;

sistemas de alarmes de incêndio: luzes de emergência; equipamentos de proteção individual e elaboração de planos de prevenção contra incêndios (PPCI), para prédios comerciais, residenciais e industriais. Conheça a empresa tradicionalmente ijuiense e conte

com os melhores serviços de uma empresa que investe na qualificação do quadro de funcionários. Visite a Recodalpo na Avenida David José Martins, 551. Contato pelos telefones (55) 3332-5577 , 3333-4130 ou 9963-5580. E-mail: recodalpo@uol.com.br.

Toda a linha de produtos para prevenção de acidentes pode ser encontrada na Recodalpo

pag 7.indd 1

20/01/2014 19:10:26


Ijuí, 21 de janeiro de 2014

Próximo caderno:

Fiat Strada 2014: inovação com terceira porta na cabine dupla

A inovação que chega com a terceira porta deixa a picape mais vendida do País ainda melhor

Tudo começou em 1978, quando a Fiat lançou a primeira picape compacta derivada do pioneiro 147, criando um novo segmento no Brasil. Desde então, a marca italiana não parou de inovar na categoria: com a Strada, modelo líder de vendas há 13 anos, também saiu na frente ao oferecer opção de cabine estendida e, mais recentemente, cabine dupla. Para abrir ainda mais vantagens em relação aos modelos que existem no mercado, agora a cabine dupla estreia uma terceira porta. A Strada chega à linha 2014 com

pag 8.indd 1

significativas modificações, além da porta extra. Além do melhor acesso à cabine, a Fiat também aumentou a altura da caçamba em oito centímetros. O que aumentou a capacidade de carga em até 18%. São 120 litros a mais de volume para a versão com cabine simples, 110 litros adicionais para a cabine estendida e 100 litros extras para a cabine dupla. Além disso, a versão estreia novo volante, com abertura elétrica da tampa do combustível e porta escada. Ainda em relação à terceira porta, a solução para melhorar o acesso ao banco traseiro facilita a

vida, eliminando o contorcionismo necessário para adentrar na cabine dupla. Primeiro, é necessário abrir a porta do passageiro e, depois, puxar a maçaneta escondida no vão central, que permite abrir tanto por dentro quanto por fora. A porta dos fundos abre em sentido reverso, a chamada portasuicida, e traz consigo a fixação do cinto de segurança do passageiro da frente. Para não atrapalhar o passageiro de trás, o cinto corre num trilho, liberando totalmente o acesso. Em Ijuí, a nova versão da Strada

é oferecida pela Guaracar Plus, que há mais de 10 anos destaca-se por sua tradição, credibilidade, qualidade de seus produtos e serviços e, principalmente, comprometimento com seus clientes. Além de toda a linha Fiat 0 km e oficina autorizada, também oferece o maior estoque de seminovos multimarcas da região, em uma loja ampla e moderna! Visite a Guaracar Plus e conheça as novidades na Avenida David José Martins, 884. Contato pelo telefone 3332-4242. Acesse o site guaracarplus.com.br.

20/01/2014 19:04:29

Veículos 21.01.2014  

Edição do caderno Veículos do JM

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you