Page 1

Ano 11 . Nº 3. Agosto | 2013 . R$ 8,00

10 anoS

Luciana Eickhoff Com seu primeiro CD, ijuiense que vive em Xaxim/SC começa a fazer carreira na música

Mais imagens da nossa festa EnTREVISTa

Costella, o popular frei da São Geraldo Museu das Etnias terá espetáculo de som e luz Pró-Vôlei recebe visita de dirigente nacional


le mond

PARA mUlHeReS QUe FAZem dA le mond A eXTenSテバ do SeU CloSeT


a

índice SAúde

6 8

Profissionais de hospital de Bento Gonçalves vieram conhecer e trocar experiências no HCI

Voleibol

Ex-técnico da Seleção Feminina e atual diretor da Confederação Brasileira veio conhecer o Pró-Vôlei

empReSA

Radiolar comemorou 40 anos festejando o sucesso e apostando no futuro eSColA

Yázigi esclarece a dúvida dos pais sobre a idade certa para as crianças aprenderem inglês

memÓRiA

Melhorias e um espetáculo de som e luz vão tornar mais atraente o Museu das Etnias no Parque

eNTReViSTA

Irineu Costella, o padre da São Geraldo, fala sobre vocação, fé e o Papa Francisco

10 ANoS

Confira mais imagens da comemoração e da entrega do Prêmio Stampa

peRFil

A ijuiense Luciana Eickhoff começa promissora carreira na música com seu primeiro CD

pelo mUNdo

Uma advogada e uma jornalista contam sobre suas trajetórias longe da terra natal

CUlTURA

O nativismo recupera espaço no cenário cultural da cidade com dois eventos em agosto

ViAGem

Dançarinos do Centro Cultural Leto comentam participação em festival de Riga, Letônia

bliTz

No campus da Unijuí, Stampa foi perguntar contra o quê os universitários gostariam de protestar

4 | STAMPA

9 10 12 13

16 20 27 30 31 32

E

Conteúdo

sta é uma edição em que você voltará a encontrar todos os assuntos aos quais sempre nos dedicamos na Stampa. Nos dois últimos meses, a revista chegou até você alterada em sua estrutura - em junho, foi a Edição Especial 10 Anos, e em julho, edição especial de cobertura da festa e da entrega do Prêmio Stampa. Retomar a normalidade é muito bom, porque ultrapassamos com êxito um momento muito importante, e porque voltamos à nos dedicar à proposta que fundamenta nosso gratificante trabalho, de mostrar e valorizar o que Ijuí tem de bom. Para fazer isso, é preciso garimpar aqui e ali, estar sempre atento ao que acontece perto e longe. E é desta atitude que chegamos à nossa personagem de capa desta edição, Luciana Eickhoff De Filtro, ijuiense radicada em Xaxim, Santa Catarina. O sobrenome dela, praticamente sinônomo de música em Ijuí, já indica sua vocação, apesar de dedicar-se profissionalmente à odontopediatria. Luciana gravou seu primeiro CD e a acolhida por parte do público mostra que ela tem talento e que está em vias de realizar seu sonho, de ter a música como profissão. Confira o Perfil de Luciana na página 20. O Papa é Pop foi o hino que se ouviu em 1979 quando o carismático João Paulo II visitou pela primeira vez o Brasil. O Papa Francisco, cuja presença no Brasil foi o grande assunto em julho, também identifica-se com o codinome, pelo carisma, simpatia e comunicabilidade. Pois em Ijuí, nós temos um padre que é pop, pelos mesmos motivos - é Frei Costella, da paróquia São Geraldo, nosso entrevistado do mês. Ele fala de vocação, da liderança do Papa Francisco, dos jovens, nas páginas 13 e 14. Duas ijuienses que vivem longe contam suas experiências no espaço Ijuienses Pelo Mundo, a jornalista Adriane Schimainski dos Santos e a advogada Cátia Gress Krüger. Elas são dois de tantos outros exemplos de jovens que partem em busca de crescimento profissional. Os eventos do mês, as comemorações, o esporte, a saúde, a cultura, as dicas de profissionais - tudo isso você também vai ver adiante. Boas notícias, com imagens e principalmente, com conteúdo. Um abraço, e até setembro Iara Soares

stampa@jornaldamanhaijui.com Ano 11 - Nº 3 | Agosto | 2013 PublicAção GráficA e editorA JorNAlísticA seNtiNelA ltdA cNPJ: 87.657.854/0001-23 ruA AlbiNo breNdler, 122 - foNe: (55) 3331-0300 98.700-000 iJuí/rs diretor edmuNdo HeNrique PocHmANN edição e textos iArA soAres iara@jornaldamanhaijui.com colAborAdores cArlos Alberto PAdilHA, leilANe oliVeirA, ceciliA mAtHioNi, serGio corrÊA imPressão ciA de Arte (55 3331-0319)

Assinatura semestral: r$ 45,00 - ligue 3331-0300 Informações contidas em matérias comercializadas são responsabilidade integral das empresas e/ou dos profissionais.


‘‘Serviço pioneiro na região noroeste’’ Principais exames realizados:

Cintilografia de Perfusão do Miocárdio; Cintilografia Óssea; Cintilografia Renal; Cintilografia do Aparelho Digestivo em Geral; Cintilografia de Perfusão Cerebral; Cintilografia com Gálio 67; Cintilografia de Perfusão Pulmonar; Linfocintilografia + Detecção Radioguiada de Linfonodo Sentinela com Gama Probe; Cintilografias de Tireóide e Tratamento do Câncer da Tireóide com Iodeto ¹³¹I.

Informações e agendamento: 55 3332-8605. Atendimento a Convênios e Particulares.

Diretor Técnico Dr. Airton Buss Jr. CRM: 20307


SAÚDE

Comitiva de hospital de Bento Gonçalves visita HCI

O

Hospital de Caridade de Ijuí(HCI) é referência médico- guns setores do HCI como o Instituto do Coração, Residência hospitalar em serviços de alta complexidade, como o Médica, Faturamento, Marketing e atendimento ao público. Centro de Alta Complexidade em Oncologia - Cacon, o Insti- “Ficamos encantados com o serviço do Instituto do Coração. tuto do Coração, a Medicina Nuclear e a Residência Médica. Não tenho dúvida de que o HCI é hoje uma referência esA esta condição, soma-se a determinação da diretoria em bus- tadual neste serviço. Aprendemos muito nesta visita”, disse car parcerias que propiciem melhorias, tanto na assistência o médico coordenador do serviço de cardiologia do Tacchicomo na gestão hospitalar, e que teve como resultado prático ni Airton Luiz Lopes Branchi. Outra constatação do grupo a visita de uma comitiva do Hospital Bartholomeu Tacchini, de Bento é o sucesso da implantação da pós em Residência de Bento Gonçalves, para uma ampla troca de experiências. Médica. “É gratificante ver tantos médicos envolvidos nesIntegraram a comitiva o superintendente geral Armando ta questão, pois é evidente que uma residência médica traz Piletti, médico hemodinamicista Ricardo de Gasperi, médi- praticamente um serviço de auditoria, ganho recíproco, com co cardiologista Airton Luiz Lopes Branchi, superintenden- resultado assistencial. Saímos com ótima impressão e devete-executivo Hilton Roese Mancio, médica diretora técnica mos implantar também no Tacchini”, disse a diretora técnica, Roberta Pozza e o gerente de Relações com o Mercado Hum- a médica nefrologista Roberta Pozza. berto Tomazi Godoy. O Tacchini é também uma referência no O presidente do HCI Cláudio Matte Martins reiterou a Rio Grande do Sul, um hospital moderno, com a certificação importância destes intercâmbios. “Este intercâmbio qua“Acreditação Hospitalar lifica ainda mais nossos Nível 3 – Excelência”, e serviços, pois a troca que busca qualidade tode experiências é uma tal constantemente. “Nós forma inteligente de somos referência para melhorar processos e 30 municípios da Região implantar novos com Serrana, com 319 leitos, eficiência e eficácia”, mais de 1.300 funcionáresumiu o presidente. rios e 220 médicos, das Nos próximos meses, diversas especialidades”, em data a ser marcada, informa Piletti. ocorre o segundo enNeste primeiro enconcontro, quando os protro, os profissionais do fissionais do HCI visitaTacchini vieram conherão o hospital de Bento cer especificamente alGonçalves. Administradores e médicos do Hospital de Bento conheceram a estrutura e os serviços do HCI

HPV

A Imunijui é a mais nova e moderna clínica de vacinas de Ijuí, planejada dentro das mais rigorosas normas da ANVISA. Dispõe de todos os tipos de vacinas.

TRíPICE VIRAL - SARAMPO, CAXUMBA E RUBÉOLA GRIPE HPV - CÂNCER DE COLO DO ÚTERO HEPATITE A e B PNEUMOCOCO TÉTANO TUBERCULOSE DIFTERIA, TÉTANO E COQUELUCHE FEBRE AMARELA

Rua Dr. Pestana, 215 - Centro Em frente ao Restaurante Glasnost 3332-7007

FEBRE TIFÓIDE ROTAVIRUS VARICELA

O Human Papillomavirus, popularmente conhecido como HPV, é um vírus que provoca lesões de pele e mucosa tanto em homens como em mulheres. Os sintomas mais comuns são o aparecimento de verrugas na vagina, pênis e ânus. Mas em boa parte das vezes, a infecção por HPV aparece de maneira assintomática e as lesões - neste caso chamadas de subclínicas - podem passar despercebidas ao exame de rotina. São mais de 150 tipos de HPV existentes. O que torna essa infecção ainda mais séria é que alguns desses vírus têm relação íntima com o desenvolvimento do câncer de colo de útero. 98% dos casos de câncer de colo de útero estão relacionados com a presença dos vírus HPV tipos 16 e 18. Estima-se que cerca de 30% das mulheres está atualmente contaminada por um dos tipos de vírus HPV. Existem duas vacinas que previnem o HPV: A Cervarix (bivalente) do laboratório GSK que é recomendada para adolescentes a partir dos 09 anos e mulheres de todas as idades. Esta vacina previne infecções causadas por HPVs tipos 16, 18, 31 e 45. E a Gardasil (quadrivalente) do laboratório MSD que é recomendada de 09 a 26 anos de idade em mulheres e também pode ser aplicada em meninos e rapazes. Esta vacina previne infecções causadas por HPVs tipos 6, 11, 16 e 18.


VIAGEM

AA

Implantes, uma alternativa próteses móveis

Ijuienses participam confortável para as de Festival na Letônia

s técnicas dos implantes dentendendo a convite do Ministério da tários vêm evoluindo basCultura da Letônia, o Centro Cultural que eles foram Letotante, de Ijuídesde enviou representantes aceitos comunidade para o 25º pela Festival Nacional decientífica Dança e mundial a Nationwide aproximadamente 40 Canção, o XXV Latvian Song quando foram desenvolvidos andanos, XV Dance Celebration, realizado em Riga, na prina capital Suécia,danoLetônia. Brasil, Viajaram já são mais de meira julho, o coreógrado do 20 semana anos dedeutilização com muito Grupo de Danças Staburags, Rosucesso. Muitas pessoasSandro nos relaberto e sua namorada Andréia tamMedeiros com sente-se desconfortáveis Cardoso Nowaczyk. Eles participaram de por utilizar dentaduras, por ter que toda a programação e tiveram a grande removê-las ao fazer consultas méoportunidade de conhecer mais sobre a dicas ou internações hospitalares, cultura e osmesmo costumes in loco. ou até aoletos, mastigar e sentiSandro que a viagem a realas se destacou movimentando, destafoiforma lização de parte de um sonho. “Poder estar utilizando implantes, podemos conno país-mãe da cultura que o Centro Culfeccionar próteses fixas sobre estes tural Leto e o Grupo de Danças Staburags tãoimplantes. bem representam, teve um valor senCom a utilização dosnão implantes, timental muito grande, e só foi maior podemos fazer de uma forma rápida porque o grupo ainda não pôde ir por come segura, uma prótepleto”, disse.aOinstalação coreógrafodecontou que o se fixa sobre implantes. A utilização festival é um exemplo de amor e respeito da técnica “carga imediata” na à cultura, com da apresentações de danças qual os implantes (4 a 6 por arcada) são instalados, no mesmo momento já é moldada e após 3 a 7 dias a prótese definitiva é instalada. Esta técnica chama-se protocolo em car-

Os grupos Teiksma, Lielupe e Perle

“em nível de abertura de grandes eventos, além de um profissionalismo fantástico”. Para Sandro, o evento que evidencia todas as formas da cultura leta, é uma amostra de quanto à cultura pode fortalecer e dar vida a um povo. “Riga é uma cidade belíssima, uma mistura de antiguidade com modernismo, uma limpeza impecável e um povo muito receptivo. O que tiramos de lição é com quegrande o Staburags Caso Inicial, deficiência segue no caminho pois seu trabalho está nos estética ecerto, funcional mesmos padrões dos grupos da Letônia, e quem sabe num momento próximo, nós ga imediata. poderemos serretidas um dos grandes grupos As próteses e suportadas soque fazem a apresentação evento”. bre implantes, oferecemfinal umadogrande O festival para acontece a cada cinco anosa e vantagem aqueles casos onde reuniu grupos de vários países como Poestabilização das dentaduras é comlônia, Ucrânia, Canadá, Estados Unidos, plicada, por perda do osso de suporRomênia, Lituânia, Rússia e Estônia. Toda te, ou porfoilesões (machucados) a viagem custeada pelo Centro sobre Cultural a mucosa, ou ainda, Leto, com a finalidade desimplesmente proporcionar ao quando o acliente não quer mais ter coreógrafo experiência de ver a dança que remover a prótese. Neste siste- o leta em sua terra natal e complementar ma, fixadas sobre os que jáasé próteses ensinado são ao grupo de Ijuí.

implantes e não são removidas pelo cliente, apenas pelo dentista, nas revisões periódicas anuais. A higienização é simples, com escovação normal e uso de escovas interdentais e/ou

Caso Finalizado, recuperando estética e capacidade mastigatória

aparelhos com jatos de água. A instalação dos implantes para a confecção da prótese fixa é simples, e segura com anestesia local (mesma utilizada pra fazer restaurações ou extrações). Para o procedimento cirúrgico Sandro ede instalação dos implantes, utilizam-se medicamentos como anAndréia: tibióticos, experiência analgésicos e antiinflamaemocionante tórios como forma de dar conforto e Riga seremprocedimento indolor. Não existe idade para ter ou melhorar nossa qualidade de vida! A capacidade mastigatória e estética do sorriso podem melhorar em muito a sua!!!

No ensaio geral dos grupo para a apresentação final


ESPORTE CARLOS ALBERTO PADILHA

Diretor da Confederação Brasileira visitou Pró-Vôlei

O

ex-técnico da Seleção Brasileira Feminina de Voleibol (CBV) de 2001 a 2003, Marco Aurélio Motta retornou ao Brasil para desenvolver um trabalho nas categorias de base. Responsável por formar, no fim da década de 80, a geração de Ana Moser, Marcia Fu e Fernanda Venturini, é o atual diretor de Desenvolvimento da Confederação Brasileira de Voleibol. Ele esteve trabalhando no exterior, mas especificamente na Turquia. Em 2010, assumiu a Seleção Feminina Turca. Foi medalha de bronze no Campeonato Europeu de 2011 e classificou a Seleção para a Olimpíada de Londres em 2012, fato inédito na história da modalidade naquele país. A Turquia caiu ainda na primeira fase dos Jogos Olímpicos e perdeu para o Brasil por 3 a 2 em um jogo muito disputado, mas a marca do trabalho do treinador ficou. Em sua nova função na CBV, Motta está viajando pelo Brasil para conhecer a realidade da modalidade. Em julho ele veio a Ijuí, acompanhado do presidente da Federação Gaúcha de Vôlei, Carlos Alberto Cimino, para visitar o Projeto Ijuí Pró-Vôlei. Motta disse à Stampa que acredita que o voleibol está consolidado no Brasil. “É o segundo esporte nacional em várias pesquisas. Essencialmente escolar e não violento, vem sendo bem aceito por meninos e meninas. A modalidade tem uma série de valores e ao longo dos últimos 30 anos o Brasil conquistou 768 medalhas internacionais, entre eles sul-americanos, Marco Aurelio Motta pan-americanos e vôlei de praia. Temos medalhas em todas as categorias, infanto, juvenil e adulto masculino e feminino”. Marco Aurélio Motta disse que o Rio Grande do Sul fez parte desta história, cedendo árbitros, atletas e treinadores nas diversas décadas. Ele acha que todos os que trabalham com o voleibol precisam aproveitar este período que antecede os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro para ajudar ainda mais no crescimento da modalidade. Defensor de que a iniciativa privada participe com mais intensidade em projetos do voleibol no país, o dirigente frisou que toda a ajuda é bem-vinda. Motta reconheceu que houve uma desarticulação dos projetos das categorias de base do voleibol brasileiro nos últimos anos. “A Confederação Brasileira de Voleibol percebeu isso e a minha chegada é para discutir e realinhar algumas ações que fomentem o vôlei de base. Isso passa por várias questões, como aprimoramento de recursos humanos, cursos, enfim uma política de desenvolvimento que sirva de alinhamento para as pessoas discutirem e terem um direcionamento nas suas ações.Existe uma série de ações em que a CBV por ser líder deste processo, tem o dever e responsabilidade de agir”, comentou. Motta reconhece a dificuldade que as pequenas cidades têm para colocar em prática projetos ligados ao voleibol, mas enfatizou que Estados como o Rio Grande do Sul, o Paraná e Santa Catarina estão trabalhando ativamente na iniciação esportiva e os resultados vêm aparecendo.

Motta comandando treino de atletas do Pró-Vôlei 8 | STAMPA

Gabriel Turcato, Henrique Cereser Schneider, Hiberê Zardin, Gabriel Aosani, Igor Pilissão e o técnico Osmar Laureano

Em gramados

C

italianos

inco atletas do Centro de Formação Esportiva (CFE Grêmio Ijuí) - Henrique Cereser Schneider, Hiberê Cortes Zardin, Gabriel Aozani, Gabriel Turcato e Igor Pilissão, e o técnico Osmar Laureano, participaram em maio do 6º Torneio Internacional de Futebol na cidade de Borgon San Dalmazzo, na Itália. Eles representaram a Seleção Brasileira, categoria Sub-13 formada pelo Planeta Bola Eventos Esportivos a partir de jogadores que se destacaram na Copa Saudades, em Santa Catarina no início deste ano. O time ijuiense foi o campeão na sua categoria nos gramados catarinenses. Na Itália os brasileiros terminaram em terceiro lugar com quatro vitórias e uma derrota em cinco jogos. Os treinamentos preparatórios ao torneio na Itália aconteceram em Curitiba com a participação de mais oito atletas oriundos da equipe do Atlético-Goianense e mais dois jogadores do Paraná. Foram seis treinos e dois amistosos com a equipe do Coritiba e do Centro de Treinamento do Capa. O técnico Osmar Laureano disse que a estrutura oferecida no Brasil desde o treinamento, logística e viagem foram fundamentais para o bom desempenho da Seleção no Torneio na Itália. O treinador que acompanhou a delegação fazendo parte da comissão técnica afirmou que os meninos tiveram uma ótima oportunidade em conhecer novas culturas. “Jogaram futebol com sistemas táticos diferentes em nível de formação. O crescimento pessoal deles também precisa ser destacado”, comentou Osmar. O Torneio foi disputado por 24 equipes, entre elas as tradicionais italianas Juventus e Genova, e a Seleção Francesa.


Antonio Quatrin e família

Equipe do Grupo Radiolar

Grupo Radiolar comemora 40 anos O

Grupo Radiolar lançou oficialmente a campanha comemorativa aos seus 40 anos, em evento para o público interno, parceiros e imprensa local e regional. Com o tema História e Renovação, foi apresentado o selo comemorativo que fará parte dos materiais do Grupo Radiolar no decorrer do ano. O evento reuniu as quatro lojas do Grupo, lojas TokLar Catuípe, TokLar Ijuí, Finger Móveis Planejados e Loja Radiolar, para apresentar as projeções e ações que se concretizaram a partir deste ano. O diretor do Grupo, Sr. Antonio Quatrin, resgatou a trajetória da empresa e deu destaque especial ao momento de transformação e renovação que todo o Grupo Radiolar está vivendo, atualizando-se tanto para atender seus já clientes, quanto para conquistar novos públicos, numa busca constante por excelência e adap-

tação às necessidades do mercado. O principal projeto apresentado, já em andamento, é o novo e moderno prédio que irá abrigar a loja Radiolar e a loja Finger Móveis Planejados, de aproximados 2 mil m2, incluindo estacionamento privativo. Em fase final de construção, o novo prédio localiza-se na Rua do Comércio, 150 metros abaixo da loja Radiolar atual. Esse espaço também incorporará administração e, um grande passo para o Grupo será a união da Radiolar e Finger Móveis Planejados, que passam a atuar em parceria, criando um setor de planejados único. De forma que o cliente terá acesso a todo o serviço de projetos e diversidade de produtos dentro da mesma loja. Proporcionando também maior concentração de profissionais para atendimento, incluindo a área gerencial e administrativa que também estará próxima para dar suporte.


Yázigi explica por que começar cedo é eficaz Professores e funcionários do Ceap com a camiseta da campanha

A

Muitas vezes, os pais de crianças pequenas devem se perguntar: “qual a idade ideal para o meu filho iniciar o aprendizado de um novo idioma”? Nos estudos da neurociência, cada etapa da vida é marcada por uma diferente configuração cerebral conforme os diversos ritmos de amadurecimento do cérebro. É possível dividir a vida cerebral em quatro etapas: a fase infantil (dura mais ou menos até os 12 anos); a fase do cérebro adolescente; a fase adulta e uma última fase ligada à terceira idade. O cérebro infantil pode ser denominado incansável. Tudo é motivo de alegria ou tristeza. As emoções afloram com facilidade e, de uma forma geral, a capacidade racional é ofuscada pela confusão de sensações diferentes. É possível dizer que o córtex (região mais externa do cérebro) de uma criança é considerado um livro aberto para o aprendizado. Nesta idade, a chamada massa cinzenta é maior e capta melhor o aprendizado e por esta razão é tão mais fácil aprender na infância. Com aproximadamente 12 anos, o cérebro infantil começa a caminhar na direção de sua configuração final com o início da adolescência. Esta massa começa a diminuir e, consequentemente, a massa branca do cérebro começa a aumentar, amadurecendo o que já foi utilizado ao longo da infância. A Escola de Idiomas Yázigi acredita e trabalha sério no ensino de crianças, pois tem metodologia de ensino para elas a partir de 3 anos e meio, aproveitando ao máximo esse potencial. Ao iniciar um novo idioma, a seriedade que há por trás de brincadeiras lúdicas - que na realidade estão explorando ao máximo a idade dessas crianças de forma descontraída e criativa - tem o objetivo de despertar na criança um desenvolvimento afetivo, social e cognitivo. Ou seja, uma vontade de conhecer um mundo de novidades buscando um desenvolvimento que integra áreas de conhecimento através do estímulo da consciência de seu próprio corpo, aprendendo a falar sobre si mesmo em uma nova cultura. Portanto, aprender desde cedo ajuda o cérebro a “entender” a existência e as diferenças de uma nova língua antes que esteja comprometido com o idioma materno. E vale a dica, também, de que cada novo idioma facilita o aprendizado de um próximo.

Pela valorização do professor

campanha “Obrigado Professor”, que vinha sendo pensada desde o início do ano pelo grupo de professores e funcionários do CEAP, foi lançada em junho. A ideia é de valorização da figura do professor, de quem está envolvido em educação e também da escola. “Não se trata de uma campanha do CEAP, mas ‘a partir do CEAP’. A base da educação escolar é a figura do professor. Nele é centrado o projeto pedagógico de uma escola e a partir dele se desenvolvem as ações pedagógicas”, afirma o diretor Gustavo Malschitzky. O grupo de professores e funcionários da escola foi reunido no auditório para uma foto da equipe vestindo a camiseta com a frase “Obrigado Professor...”. Entre as ações propostas pela campanha, os professores e funcionários iniciaram uma distribuição de adesivos com a mesma frase em frente à escola, abordando especialmente os pais de alunos do CEAP. “A ideia é levar adiante essa iniciativa. Temos que agradecer aos professores que temos ou tivemos. É um reconhecimento de cada um pelo que se é, independentemente da idade que se tem”, salienta Malschitzky. A comunidade escolar está demonstrando uma excelente receptividade à iniciativa. Tanto nas abordagens feitas em frente à escola quanto na rede social, na página oficial do CEAP, as manifestações são positivas e de adesão. Várias famílias já estão usando o adesivo em seus veículos. Na escola há uma quantidade de adesivos disponível para qualquer pessoa que tenha interesse em aderir a essa iniciativa de valorizar os professores. Novas ações estão sendo pensadas e deverão acontecer gradativamente. Adesivos da campanha aparecem em vários carros das famílias do Ceap


Estar - Jantar, com sacada de 60 m²

Lindo playground com chimarródromo

Bom gosto e sofisticação: Residencial Benjamin

A

pós um lançamento de sucesso, o Condomínio Residencial Benjamin já foi adquirido por muitos clientes e está com as vendas a pleno vapor. O inovador empreendimento que tem uma das melhores localizações de Ijuí possibilita ao morador estar em um lugar tranquilo e ao mesmo tempo central, estando a três quadras da praça e junto ao Colégio das Irmãs, Ceap e Ruizinho. A proximidade com a Sogi, que oferece as melhores opções de lazer e cultura é outro diferencial.A localização em uma região plana também propicia aos moradores efetuarem caminhadas ou andar de bicicleta. Ideal para reunir a família ou os amigos e celebrar bons momentos, sem sair do local da sua residência, no interior do próprio prédio, um amplo salão de festas com espaço gour-

met, uma bela academia, uma maravilhosa piscina e um chimarródromo pergolado anexo ao playground, darão o tom para espaços de convivência equipados e que oferecem conforto e bem-estar. A planta dos apartamentos foi planejada com muito esmero, propiciando um espaço em torno de 60m², nas áreas sociais, uma linda suíte máster e duas demi-suítes. Dois elevadores modernos com capacidade para oito pessoas cada um, proporcionam conforto e comodidade aos moradores. Além disso, sabendo da necessidade das famílias, duas garagens, com algumas opções para três, também são oferecidas. Para as unidades comercializadas na planta, um valor especial para os dez primeiros clientes está sendo oferecido, podendo ser

pago em até 50 meses, com uma entrada, parcelas mensais, reforços e saldo na chave (Habite-se). A Tabaimóveis, com tradição de 37 anos em lançamentos, está comercializando com exclusividade este empreendimento e colocase à disposição para agendamento de um encontro com o corpo técnico(engenheiro civil e arquiteto) para ampliar a apresentação deste maravilhoso projeto, com possíveis adequações internas do apartamento, atendendo às necessidades em termos de acabamentos de materiais e decorações. Informações adicionais pelo telefone 33328009 ou pelo e-mail diretoria@tabaimoveis. com. A Tabaimóveis está localizada na Rua 15 de Novembro, 122. Visite o site www.tabaimoveis.com


FENADI

O Museu está passando por ampla reforma

Prefeito Ballin, presidente da UETI Nelson Casarin e gerente regional da Deltasul Valtezer Kramp firmam patrocínio para o Desfile das Etnias

História das etnias com som e luz

Museu das Etnias, no pavilhão administrativo do Parque, vai finalmente merecer uma atenção à altura de sua importância dentro de uma festa que se propõe a preservar e valorizar a história das etnias. A novidade é a Epopeia Ijuí, um espetáculo de som e luz para recontar a saga dos imigrantes, desde a saída de seus países de origem até a chegada ao Brasil. Para viabilizar a ideia, o espaço do Museu está sendo reformado e receberá uma estrutura adequada. O diretor da Comissão de Cultura, reitor Martinho Kelm, anunciou a novidade e destacou que a equipe responsável pelo projeto está trabalhando com muito entusiasmo para que o resultado surpreenda a todos. “Esse projeto é uma grande inovação. Uma sala de projeção climatizada está sendo montada no centro do Museu . A atração contempla um circuito em torno da sala culminando com a apresentação da epopeia”, adiantou. A ideia é baseada em modelos como o da Serra Gaúcha, que trata da

epopeia italiana, e contará o processo de imigração de todas as etnias em um espetáculo que ocorrerá de hora em hora. Os espetáculos terão duração de 40 minutos, entre o giro pelo museu e a apresentação. Kelm ressalta que a essa primeira edição servirá como base para possíveis aperfeiçoamentos. Outras atrações já anunciadas da programação da Fenadi são os grupos que vêm do Paraguai, da Argentina, do Uruguai e da Letônia. Desfile das Etnias - A Deltasul será a patrocinadora do Desfile das Etnias deste ano. O contrato é endossado pela Lei de Incentivo à Cultura e foi assinado entre a empresa e a União das Etnias de Ijuí, prevendo um investimento de R$ 145 mil da empresa e 10,25% de contrapartida do governo municipal, totalizando R$ 162.191,40. Para o presidente da Ueti, Nelson Casarin, a parceria demonstra o fortalecimento do evento em nível estadual. O Desfile das Etnias acontecerá dia 6 de outubro, na Rua Benjamin Constant, e a estimativa é de um público de 10 mil.

Show no banheiro: suas toalhas sempre secas! Na estação onde o frio e umidade predominam, a Hydrolux dispõe de uma alternativa prática, econômica e inovadora: os toalheiros térmicos Seccare. Um produto projetado para manter toalhas e roupas secas, os toalheiros Seccare desumidificam ambientes, são práticos, seguros e econômicos baixíssimo consumo de energia. São desenvolvidos em aço tubular e produzem aquecimento através de um sistema de irradiação de calor, com aquecimento controlado e permanente, não ressecam ou danificam o tecido. Disponíveis em diversos tamanhos, modelos, cores e com design internacional, adaptando-se aos mais variados estilos de ambientes. Encante-se com a praticidade, beleza, qualidade e conforto que esse produto dispõe a você, o qual encontrase com exclusividade na Hydrolux.


ENTREVISTA

Frei Irineu Costella

Padre pop

O

padre Irineu Costella, ou simplesmente Frei Costella, soube desde muito pequeno que seria padre. Cresceu numa família de 12 filhos, que trabalhavam arduamente na terra - na pouca terra da família e nas terras de outros, em Vila Flores, uma pequena localidade da Serra Gaúcha. As dificuldades da infância não lhe trazem dissabor, ao contrário. Relembra com alegria a vivência familiar e as visitas costumeiras do padre, que aguardava sempre com ansiedade e muita satisfação. Conta que as famílias tinham até um quarto reservado para o padre, que precisava pernoitar em suas difíceis andanças pelo interior. É desse tempo em Vila Flores sua decisão de tornar-se um sacerdote, objetivo que perseguiu com determinação desde os primeiros anos de escola. Em Ijuí, Frei Costella chegou em fevereiro de 2007 para assumir a paróquia São Geraldo. Desde então, tornou-se conhecido na comunidade, pelo dom da comunicação e da disponibilidade de estar sempre onde o chamam e da capacidade de adequar o discurso religioso à vida cotidiana em diferentes situações. É um padre popular, e não só na comunidade São Geraldo, onde desenvolve um trabalho apreciável, que tem atraído até católicos mais renitentes e que ele, modestamente, credita à equipe, aos colaboradores voluntários. Da paróquia Santo Antônio, em Porto Alegre, onde atuou por quase 20 anos, trouxe o costume de distribuir pães nos veículos de comunicação, e apoiou com entusiasmo a execução do projeto de um programa diário de mensagens, que faz sucesso na Rádio Jornal da Manhã. Como foi a sua formação? Desde o ensino primário estudei em escolas de formação, interno a partir do quarto ano. Passei por Veranópolis, Ipê, Marau, Flores da Cunha, Caxias do Sul, onde comecei a estudar Filosofia, que terminei na Universidade Federal em Porto Alegre. Depois fiz Teologia, na PUC. Fui ordenado padre em fevereiro de 1977, em Vila Flores. De 1982 a 1984 fiz pós-graduação em Roma e retornei a Porto Alegre, onde fui ser auxiliar na paróquia Santo Antônio, do bairro Partenon. Dois anos depois, assumi como sacerdote e fiquei lá por quase 20 anos. Em 2004 fui para Caxias do Sul e em fevereiro de 2007 cheguei aqui. Como foi esse começo em Porto Alegre? Foi um trabalho fantástico. O foco era a devoção a Santo Antônio e, conforme fomos atuando, conseguimos uma grande mobilização. Chegamos até a fazer carreata com Santo Antônio, com milhares de seguidores. No dia do santo em 13 de junho, chegamos a distri-

Frei Irineu Costella: participativo e bom comunicador

nias, muitas igrejas, e isto proporciona outra dimensão, a dimensão da tolerância, do acolher diferente, do aprender. A gente não sabe tudo, pode partilhar. Há o lado ecumênico, que só mesmo na prática se aprende o significado.

O senhor sempre viveu no eixo Porto Alegre-Serra, como foi a adaptação em Ijuí? Sentiu diferenças? Sempre comento com meus confrades que Ijuí tem uma história muito bonita dos freis capuchinhos, e para a gente que vem da serra, é uma escola.

Quais suas impressões sobre o Papa Francisco? É muito carismático. Quando foi anunciado um papa latino-americano, nem quis acreditar. Quem conhece um pouco da Europa, sabe que eles são muito ciosos de suas coisas. E depois, quando ele anunciou o nome de Francisco, me surpreendi ainda mais. Já parecia outra realidade. Quando ele surgiu na sacada e pediu ao povo para abençoá-lo, inclinando a cabeça, foi revolucionário. Nunca antes um papa havia feito tal coisa. Foi um gesto de uma grandeza impressionante. Também foi humilde em citar nossos cardeais, dom Claudio Hummes, por exemplo, dizendo que ele o ajudou a orientá-lo, que teria pedido para não esquecer dos pobres. Claro, que uma frase não mudaria suas convicções e pensamentos, ele sempre foi dedicado aos pobres, mas mostra sua humildade em considerar o que o brasileiro lhe disse.

Em que sentido, padre? Do plural, escola do plural. Lá na serra, temos uma mão única, uma etnia só que predomina, há muita intolerância. Aqui, não. São 11 et-

Que expectativas o senhor tem com relação com essa liderança? Ele espelha nas atitudes e nas orientações algumas práticas - pedindo, por exemplo que os padres não >>

buir 300 a 350 mil pãezinhos, tudo feito com doações. O lado sacramental também era impressionante. Batizávamos de 10 a 15 crianças todos os domingos e houve um ano, em dezembro, que fizemos, somente naquele mês, 27 casamentos, confirmando a vocação de casamenteiro de Santo Antônio. Nessa época, contávamos muito com o apoio dos meios de comunicação. Todo mês levávamos às rádios, jornais, televisão os pãezinhos de Santo Antônio.

Ijuí é uma escola do plural, com 11 etnias, muitas igrejas. Isso proporciona outra dimensão, a dimensão da tolerância, do acolher diferente.

STAMPA | 13


Batizados são da rotina do Frei Costella, que conta com a colaboração de muitos voluntários na administração da paróquia e também na parte litúrgica

Eu vejo que muitas vezes, os sonhos dos jovens são simplesmente benefícios. Não vejo atitudes de arcar com responsabilidades, de empenhar-se por alguma coisa.

andem em carros de luxo -, a vida de São Francisco. Uma vida simples que nos coloca mais próximos do povo. Ser pobre e crescer, tornar-se bem-sucedido, é natural, no sentido de que todo mundo deseja, aspira melhorar. O contrário, é uma opção. Abdicar de tudo, só faz isso quem realmente sabe o que quer. São Francisco fez isso. O Papa Francisco quer que essa atitude inspire a Igreja e todos os católicos. Francisco de Assis foi muito precioso para a Igreja, ensinou que é preciso estar perto do povo. E parece que esta é a grande virada que o Papa Francisco está introduzindo na Igreja - estar mais perto do povo e atacar problemas que não podem mais ser evitados. Sim, mas não só isso. Quando a gente só vai atrás de problemas e não aponta horizontes, também não ajuda. O Papa Francisco faz isso, vai à frente, leva motivação, alegria e esperança. Vamos resolver os problemas, mas vamos andar para a frente. O que nós precisamos é pessoas que levem ânimo, esperança. É como quando apontamos defeito em alguém. Se simplesmente apontamos o defeito, a pessoa fica sentida, mas se fazemos isso mostrando que há outros caminhos, outras possibilidades, a pessoa fica mais animada e supera limitações. Outro desafio, ao qual o Papa Francisco parece estar atento, é atrair os jovens. Sim, atrair o jovem é um desafio permanente da Igreja, sempre foi tratado com prioridade. Ainda em 1979, documento latino-americano firmado no México, já fazia a opção preferencial pelo jovem e pelos pobres. Estando próximos dos jovens, nós asseguramos um futuro. Não que o jovem seja só futuro; não, mas é quem vai governar o mundo amanhã. Tem mudado o enfoque, o jeito de atrair os jovens no decorrer do tempo? Sim, claro. Hoje são eles que assu-

14 | STAMPA

mem, que lideram. Houve movimentos importantes no passado, como a Associação Cristã de Moços, a Ação Católica, operária, estudantil, rural, também foram significativas. Hoje temos outros movimentos. Em Ijuí, por exemplo, tem os 72 Peregrinos. Eles, os jovens, é que precisam assumir, dizer o que querem, o que pretendem. E nós, adultos, assessoramos. O que o Papa quer, desde 1986 quando iniciou-se essa Jornada Mundial da Juventude, é que o jovem seja missionário, que evangelize outro jovem. A fé cristã não se opõe à ciência, a outros valores, ela incide na realidade, e hoje, de forma mais exigente, quando propõe a perspectiva da paz e do amor como núcleos fundamentais para viver o cristianismo. A paz pressupõe a justiça, que é fruto do amor, a paz que para nós é o rosto do próprio Cristo. O símbolo do cristianismo é o amor - amai-vos uns aos outros. Como é sua rotina de trabalho? Quem faz minha agenda é o povo. Existem compromissos que podem ser definidos e outros que não, são imprevisíveis, alguém que precisa conversar, alguém para visitar no hospital, um sepultamento. Somos muito do imprevisto, mas é muito positivo se habituar ao imprevisível. Tenho uma equipe de cinco colaboradores na secretaria, que zelam pelo patrimônio, muitos voluntários que praticamente vivem em função da São Geraldo. O lado administrativo e econômico não é comigo. Tem gente que cuida disso. Até para a parte litúrgica tenho muitos colaboradores, temos o conselho comunitário, de pastoral, um grupo muito bom. Sua presença é requisitada em eventos de todo tipo. O senhor acha importante? Sim, é preciso estar presente em tudo. Os convites são muitos e eu faço isso com muita alegria. O confessionário está desativido ou ainda existe a prática das confissões? Ainda existe. Nesta região, não é tão requisitado porque tem uma grande presença evangélica, que não tem a confissão. Mas em comunidades predominantemente católicas, ainda é forte. Aqui, fazemos em ocasiões especiais, no Advento, por exemplo. A confissão é eu me encontrar comigo, reconhecer meus erros. Ninguém diz que estou errado. Eu é que reconheço, bato no peito e assumo o compromisso diante de Deus de mudar de vida. Na verdade, a confissão é um espaço privilegiado para assumir o erro e a mudança. O importante é perdoar a si mesmo, perdoar não é esquecer, é mudar, e não se vingar.

O que o senhor considera que seja o grande sofrimento, o grande problema da juventude hoje? Frustração. Olhando para trás, percebemos que nós sempre tivemos sonhos, desde crianças, de fazer, conquistar uma vida melhor. Eu não me queixo até hoje de ter trabalhado duro na infância. Brincava com meus irmãos, me divertia, mas éramos voltados para o trabalho, porque precisávamos sobreviver. Quais são os sonhos que nós vemos na juventude de hoje? Eu vejo que muitas vezes, os sonhos dos jovens são simplesmente benefícios. Não vejo atitudes de arcar com responsabilidades, de empenhar-se por alguma coisa. Querem só privilégios. Por que não podem trabalhar? Claro, existe o Estatuto da Criança e do Adolescente, ao qual eu não me oponho, mas acho que mais adiante teremos de fazer uma avaliação disso, da geração que se formou sob essas normas. Se vê, por exemplo, jovens argumentando seu direito de não fazer nada, mas peraí: nem lavar a louça, ajudar na faxina da casa? Penso que o problema está nos sonhos, que nos ajudam a viver, a construir hoje o que teremos amanhã. O que vejo é os jovens sem sonhos. Então, sonham com a dependência química. Os nossos jovens, os que frequentam comunidades, a Igreja, não precisam disso. Eles compartilham suas vida, trabalham pelo bem comum, agem com objetivos. Eu fico pensando que não teria conquistado meus sonhos se não tivesse passado dificuldades na infância, de trabalhar duro. Isso nos ensinou a ter garra, a conviver, a congregar. O senhor referiu-se à importância do apoio da mídia nas ações na paróquia Santo Antônio, em Porto Alegre. Hoje, aqui em Ijuí, a sua paróquia tem um programa na Rádio Jornal da Manhã que faz sucesso, é muito comentado. É um programa de cinco minutos diários, com mensagens que falam sobre vários aspectos da vida. Fizemos um laboratório para elaborar o programa. Tem sido uma experiência maravilhosa em todos os sentidos. Os colaboradores estudam, se preparam para fazer o programa, solicitam a colaboração de outros, multiplicando participantes e ouvintes. O senhor sabe quanto tempo ainda ficará em Ijuí? Já estou com o prazo vencido. São seis anos, dois triênios, normalmente, o tempo em cada paróquia. A transferência é um indicativo, um sinal para dizer aos outros que ninguém é eterno. Estamos no mundo de passagem. O frei que é transferido provoca esta reflexão. Não é por fazer bem ou mal o trabalho que somos transferidos. É para lembrar que ninguém é insubstituível.


Renée El Ammar e Iva Pruss

Festejando com a Stampa

Paulo Afonso Nicoletti e Daniela Maehler

Ana Paula e Humberto Sanfelice

Felipe e Rubia Quatrin

James Bandeira Coracini e Mauricio Müller

Maiquel Berchtorld e Gisiele Pretzel

Naur e Ilhana Vendruscolo, João e Inês Cassol, Rosane e Joceli Schiavo, Liane e José Risso, Gessy e prefeito Ballin

Juares e Rosane Piccoli STAMPA | 15


Patrocinadores e convidados que entregaram os prêmios Camila Marin e o Prêmio Stampa Líbera Marin - Sociedade/ Presença Elso e Claudia Engleitner e o Prêmio Stampa - Saúde

Jocélia dos Santos e o Prêmio Stampa Clube Um - Empreendedor

Mario Jung e Jussara Pinto e o Prêmio Stampa Óptica Wolff - Cultura Presidente do Sindilojas Bruno Hass e o Prêmio Stampa - Empreendedora

Ana Claudia Santos e o Prêmio Stampa Doce Lar - Ação Social 16 | STAMPA

Ortodontista Mauricio Souto e o Prêmio Stampa Profissional

Primeira-dama Gessy Ballin e o Prêmio Stampa Sociedade/Atuação

Melina e Paulo Juswiak e o Prêmio Stampa Stiletto - Educação

Juiz Vinicius Borba Leão e o Prêmio Stampa Profissional


LorenzoCunegatto e Cheila Eickhoff, Mauricio e Daniele Souto, Silvia e Renato El Ammar, Marcos Pias

Marcia e Jaime Piccoli

Jamile El Ammar e Leonardo Zaffari

Valmir e Shirley Bohn

Olmiro e Maria Nicoletti

Elaine e Carlos Deboni

Tiago Stragliotto e Marcia Menezes Egon D端rks e Eduardo Agne

Jorge e Doris Montardo

Medi Fuchs e sua filha Eliana Burtet

Ana Isa Pochmann e Lucas Zardin STAMPA | 17


cenas

1 2

5

6

1. O produtor Luis Carlos Leindecker com a turma de modelos que formou em junho 2. Adriana e Jerry Drevin comemorando o Dia dos Namorados no Restaurante da Fonte Ijuí

9 10

3. Foi um sucesso a primeira edição da Colmeia do Rock, promovido pela Coordenadoria de Cultura, Desporto e Lazer, na Praça. Ano que vem tem mais. 4. Nerli Biesdorf curtindo festa junina junto com a netinha Antonia Biesdorf Pretto, no CSCJ

18 | STAMPA

13

14


5. Provando o cardápio do Restaurante Glasnost: Michele, Sonia, Vicenso e Marina 6. Rafael e Daiana Pias prestigiando a comemoração dos 49 anos do Ouro Verde 7. Eneida e Cândido Rodrigues comemorando o Dia dos Namorados em jantar na Sogi

3

4

8. Renê Reis (D) sendo empossado presidente do Rotary Club Ijuí por Jaime Huth, que ocupou o cargo na última gestão 9. A festa junina no CSCJ foi muito divertida e teve todas as tradições, como o casamento caipira, encenado pelas crianças das séries iniciais

7

8

10. Romeo Etgeton e Silvia Busnello na noite só de sopas na Casa Austríaca 11. Jane Andary Kurtz (E) e Nasa Andary com o irmão, cirurgião plástico Emilio Andary, na festa dos 10 anos da Stampa 12. Maria Leda Roberto transmitiu o cargo de presidente do Rotary Club Nova Geração para Carla Thomas Soares

11

12

13. Maristela, Marco, Hardy e Rosane comemorando o aniversário da EFA em tarde de chá na Cripta São Geraldo 14. Valter e Carmem Persich na Casa de Dança Movimento 15. João Ludwig e Denise Bauer, Carlos e Elisane Ludwig no Absoluto 16. Rafael Terra e Nadine Dubal prestigiraram jantar e baile no Clube Ijuí

15

16

STAMPA | 19


PERFIL

Com a música no DNA Com este sobrenome - Eickhoff, sinônimo de música desde os tempos da colonização de Ijuí, pode-se dizer que a vocação de Luciana é genética

D

Luciana com os pais Cláudio e Ana Maria e o irmão Mauricio, que vivem em Floresta, no lançamento de seu primeiro CD MInhas Canções, em Xaxim/SC 20 | STAMPA

edicar-se à música, pode-se afirmar, é o destino de quem nasce na família Eickhoff, o nome da bandinha que subiu aos palcos pela primeira vez há mais de 100 anos e até hoje tem descendentes que atuam na cena cultural da cidade e da região. Pois a música sempre esteve na vida de Luciana, filha de Cláudio Marcelo e Ana Maria e irmã de Maurício, que vivem na propriedade rural da família, em Floresta. Embora os pais não sejam músicos, o avô paterno era, muitos tios e o irmão também. Aprendeu acordeon e violão ainda criança e na adolescência chegou a participar de festivais, como o Canto Farroupilha, realizado em Ijuí na década de 1980, disputando com nomes consagrados do nativismo gaúcho - ela lembra de João de Almeida Neto e Mário Barbará, nesse festival, em 1989. Luciana, entretanto, não enveredou pelo caminho da música profissional. Embora sempre tivesse o violão por perto e nunca deixasse de subir em um palco sempre que convidada, foi fazer faculdade. Escolheu a Ondontopediatria, que cursou em Passo Fundo. Formada, decidiu começar a carreira em uma cidade onde não existissem profissionais de sua área e escolheu Xaxim, no oeste de Santa Catarina. Lá conheceu seu marido, Celso De Filtro, com quem tem dois filhos - Bernardo, 6 anos, e Guilherme, 1 ano. O marido também é seu parceiro musical, faz arranjos no acordeon. Em 2011, a música voltou ao primeiro plano, com a decisão de, enfim, realizar o sonho de gravar seu primeiro CD. Fez a seleção pensando em tocar o coração das pessoas e contatou diversos compositores. Estão reunidas no CD Minhas Canções, entre outras, composições de Fábio Júnior Colla, Marcelo Dametto, Édison Suita, do irmão Maurício Eickhoff e uma parceria dela com o marido, em Nosso Encontro. São canções de estilo pop e duas nativistas, que Luciana fez questão de colocar em alusão às raízes que nunca esquece. O lançamento do CD em Xaxim, em novembro do ano passado, foi um grande sucesso. A maioria da plateia não sabia que “a dentista de crianças” também cantava. Com a divulgação a cargo de uma produtora paulista, a voz de Luciana começou reverberar pelas rádios e videoclipes na internet, intensificaram a divulgação do trabalho. Ela se diz surpresa e “um pouco assustada” com toda a repercussão, mas não recua diante de novos desafios. Os próximos são subir ao palco em dois grandes shows. O primeiro no início de setembro, em Xaxim, com uma produção caprichada, que poderá resultar no seu primeiro DVD, e outro em outubro, no sul da Bahia, onde - para sua surpresa, sua música está sendo muito apreciada. O sucesso por lá, explica, deve-se ao grande número de gaúchos e demais sulistas que lá vivem, e sua produtora está tratando de levá-la para ser aplaudida ao vivo. Enquanto lida com sua carreira musical conforme se apresentam os desafios, a ijuiense Luciana segue administrando sua vida em Xaxim, entre os cuidados e a convivência em família e a dedicação à profissão em seu consultório de odontopediatria. E sonhando com reconhecimento que a possibilite fazer de sua vocação musical uma profissão.


Queijos & Vinhos Foi no Salão Nobre da Sogi que o Rotary Club Ijuí Comeia realizou este ano seu tradicional evento de inverno, o Festival de Queijos e Vinhos, no início de julho.

Bráulio e Andreia Schüssler

Liane e Roque Casarin

Dominique Heberle comemorou 13 anos em uma Festa Teen da Aquarella Kids Carlos e Mediatriz Freidheim

Flavio e Guilhermina

Festa Teen:

novidade na Aquarella Kids

Genésio Gomes e Jéssica Telam

Romeu e Sueli de Jesus

Promotores: integrantes do Rotary Comeia capricharam no figurino

Para a garotada, as melhores festas são aquelas comemoradas com a turma, sem a interferência de adultos. Para os pais, não há tranquilidade maior do que saber que os filhos estão em boas mãos e se divertindo de maneira saudável. Por isso a Aquarella Kids Buffet oferece o pacote de Festa Teen, onde a garotada que está entrando na adolescência pode comemorar com os amigos tendo privacidade mas com a responsabilidade necessária. Nas Festas Teens a galerinha pode brincar em todas as atrações da Aquarella Kids Buffet e ainda dançar em uma pista de dança animada por DJ’s, com iluminação especial. E ainda disponibilizamos um cardápio diferenciado com inúmeras opções de doces e salgados, além de uma equipe qualificada para atender a todas as necessidades dos convidados. A Aquarella Kids Buffet fica na Rua Dr. Pestana 453, Ijuí/RS, podendo ser contatada pelos telefones (55) 8146.8888, 9607.2500 e 9121.7222, pela página do facebook, facebook.com/aquarellakidsbuffet, ou pelo site www.aquarellakidsbuffet.com.br


No Restaurante

Confraria Cardápio que contempla vários sabores e execução caprichada fazem do restaurante na Sogi programa preferencial nas noites ijuienses

Saboreando peixes

A Comunidade Evangélica promoveu oio io io io io ioioi Há 22 anos, a Legião Evangélica Luterana promove o Jantar do Peixe, promoção em benefício de suas atividades assistenciais e de estudos. Este ano, o delicioso cardápio com variadas receitas de peixe foi servido em 22 de julho, no Centro Evangélico.

Luis, Neusa e Isa Zambenedetti

Diego lima e Gislaine Pianesso

Drielen, Isabelle e Maicon da Pieve

Marlene e Antonio Basso

Everson e Greice

Jules Stucky e Luciana Frizon

Maria de Lurdes RosangelaeFloriano e Lena Fricke Raquele Schwanke Rafael Wayhs

Edite e Valmir Zeni

Douglas e Ângela Cargnelutti

Juliano Beck e Kely Mews

Marlene e Paulo Gross


Josieli, Daniela, Franciele, Vitória e Caroline

Elias e Aline

Isadora, Eduardo, Adriana, Vanderléia

Fabiana e Martinho

Juliana e Cássio

Ericson, Taiane, Marcella e Rodrigo Di Fontana e Bruna

Claudia e Manoela

Maria Paula, Anderson e Tatiana

Rafael, Adriane e Maiara

Bruno e Vagner


Tardes de chá Um chazinho ou café, com doces, salgados, cucas e bolos ... quem resiste? Nada melhor para as tardes de inverno, e o programa é oferecido por várias entidades e associações

Ely Berwanger, Esther Oppermann e Renira Krüger na Cripta São Geraldo

Iria, Valquiria, Julia e Diva na Cripta São Geraldo

Celia Selbach e Isabel Christmann no Centro Evangélico

Maria Luiza Dürks e Irene Berwig, no Centro Evangélico

Sopa austríaca Casa austríaca, no Parque, esquentou uma noite fria com deliciosas sopas

Aline e Claiton dos Santos

Moacir e Noemi Hammarstron

Gerusa Hocevar e Ricardo Reimann Olita e Valdeci no Centro Evangélico

Hilda, Olívia, Erna, Zelma, Edith, Herta e Sônia no Centro Evangélico

Selenita, Júlia e Rudi Johann na Cripta São Geraldo

Odethe, Alfrida e Nelci na Comunidade Evangélica do bairro São José

Sandro Bueno e Viviane Glitz


SobreNomes

Projeto

Anfitriões Em Ijuí para uma palestra na BPW, a cirurgiã plástica de Porto Alegre Fernanda Ribas foi cicereonada pela presidente da ong Eliana e seu marido Luiz Chiappetta. Com o casal, a visitante prestigiou a festa dos 10 anos da Stampa.

Esforço pela dança

Na Big Apple A modelo Cristiane Stamborwski, 22 anos, visitou Ijuí em um curto período de férias e contou ao Jornal da Manhã que seu novo endereço é em Nova York. Descoberta por Luiz Carlos Leindecker, ela começou carreira há cinco anos saída de Distrito Santana e está chegando ao topo. Modelo da Ford no Brasil e da MC em Nova York, Cristiane é presença nos mais importantes eventos de moda, só desfilando para grifes de ponta.

É de se lamentar o esforço que Lorena Cossetin precisa fazer para realizar seu grande projeto, o Festival Estadual que fez de Ijuí a capital da dança de salão. Mesmo com o incentivo da Lei Rouanet, está difícil reunir os recursos necessários para cumprir o prometido: proporcionar tudo de graça aos participantes, desde os cursos até as atrações. Embora todas as dificuldades, é certo que o festival vai acontecer de 4 a 6 outubro, pela tenacidade e perseverança dela.

O projeto Rua 15 está indo longe. Em junho, o pesidente do CDL Ijuí, Clovis Rorato de Jesus, apresentou a ideia na Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo. As lideranças de lá pensam em adotar ação semelhante para revitalização do centro da cidade.

Show

Uma atração nacional vai cantar em Ijuí na véspera da Expo-Ijuí - Oswaldo Montenegro. O show é promoção do Sesc, mas vai acontecer na Estação da Mata, dia 6 de outubro. Uma boa hora para ser comerciário, que pagará apenas R$ 5,00 o ingresso.

No Olympe No ensejo da comememoração de 38 anos de casamento, Renato e Elaine Arais tiveram uma experiência excepcional para o paladar. Foram brindar no Olympe, restaurante superestrelado do chef francês Claude Troisgros, no Rio de Janeiro, onde as portas só abrem para clientes com reserva - e muito antecipada. Entre as duas entradas e uma sobremesa estupendas, os pratos principais: robalo com crosta de quinoa, endivas carameladas e molho de limão, e depois cordeiro desfiado com molho e purê de inhame. E tudo isso perfeitamente harmonizado com vinhos. Demais!

Gráfica Pampa: sua festa do seu jeito Sonhar e realizar. Um momento mágico na vida de toda menina certamente é a comemoração de seus 15 anos. Uma noite inesquecível e única, cercada de alegria e emoção que contagiam amigos e familiares. Para dar o primeiro passo na concretização deste evento, a Gráfica Pampa confecciona os mais lindos convites. Modernos, com acabamentos exclusivos, produzidos com todo cuidado para marcar a data e serem guardados com carinho junto ao álbum de fotografias, a fim de reviver este dia ao passar dos anos. O convite de 15 anos conta uma história, através de temas ou fotos.

A imaginação corre solta para traduzir em imagem o que foi idealizado em sonhos desde a infância. Ousadia, cores, brilho, simplicidade e luxo são impressos para dar o tom da noite. Através de acabamentos em glitter, verniz localizado, cortes especiais, papéis selecionados, fitas, cristais e outros, o seu convite ganha o tamanho da sua imaginação. Além dos convites, toda a papelaria da festa pode ser personalizada. Embalagens, menu, marcação de mesa, cartões de recado e agradecimento, kit para o banheiro, e tudo o mais que sua festa pedir, a Gráfica Pampa deixa do seu jeito.

STAMPA | 23


autorretrato

Há sete anos atuando como assessor de imprensa do Hospital de Caridade de Ijuí, Allan Denis Fonseca, 41 anos, é natural de Coronel Bicaco. Formado pela Ulbra/Canoas, atua na área de jornalismo há 21 anos, com passagens em emissoras de rádio e televisão da região e da capital. É casado com uma colega de profissão, Janis Loureiro, com quem tem dois filhos - Jonas Santiago, 11 anos, e Henrique, 4 anos. Considera que a melhor fase de sua carreira é agora, dentro do HCI, que se consolida como referência macrorregional. “Fazer parte desta história é sensacional”, afirma.

Allan Denis Bandeira Fonseca

Um lugar: Ruínas de São Miguel, um lugar energizado, simplesmente mágico Uma conquista: Minha família Um sonho: Ver meu filhos jogar futebol profissionalmente Uma alegria: Férias com a família na praia de Atlântida Uma tristeza: As tantas barbáries que ocorrem neste mundo dito ‘moderno’ Uma saudade: Dos tempos de guri na querida cidade de Chiapetta Quem é chato: Pessoas egoístas que acham que o mundo é só para elas O que me tira do sério: Falta de caráter Uma mania: Ficar horas na frente da televisão, assistindo de tudo um pouco Marca pessoal:

Observador O melhor presente: Já tenho, meus filhos Quero ir para: Tour pela Europa Adoraria aprender: A arte de ter paciência Não vivo sem: Meu futebol com a parceira Se pudesse, compraria: Comida e vestuário para distribuir nas várias instituições que cuidam de crianças e idosos Gasto muito com: A vida ensina que gastar muito é para quem pode Melhor hora do dia: Aquele em que a gente se sente produtivo Prazer à mesa: O velho e bom churrasco Livro marcante: Gostei do último que li, A Menina Que Roubava Livros, de Markus Zusak Som preferido: Aprendi com o tempo a ser eclético, vou desde bossa nova

até sertaneja, mas depende do momento Filme inesquecível: My Life, com Michael Keaton Lazer: Futebol É lixo: Abusar de crianças É luxo: Exercer um rabalho voluntário Mulher bonita: A brasileira, especialmente as gaúchas Se não fosse o que sou, seria: Mesmo com todo o descrédito que existe, gostaria de ser político, para, ao menos, mostrar vergonha na cara ao lidar com dinheiro público Ijuí é: Uma cidade que cresce e tem papel fundamental na Região Noroeste, pois é um centro de saúde, de educação e com um comércio forte. Pessoalmente, acho a melhor cidade, pois reúne um povo trabalhador e mantém a simplicidade de uma cidade pequena.


Perto ou longe, onde vivem ijuienses Foto: Rodrigo Magalhães

Cátia Gress Krüger

Depois de 10 anos em Brasília, Cátia vive hoje em Porto Alegre

F

ilha de Nelson Krüger e Vali Gress Krüger, irmã de Nelson Gress Krüger e Nádia Cristina Gress Krüger, a advogada Cátia vive hoje em Porto Alegre, atuando no Tribunal de Justiça do RS, mas sempre que possível vem a Ijuí visitar a família, em especial, o avô Alfredo Krüger, com 99 anos, símbolo da longevidade da família Krüger. É mãe de Lucas Krüger Noronha, 25 anos, formado em Música (piano), pela UFRGS, em 2010, e que agora cursa Medicina

na UFSM, e de Mateus Krüger Noronha, 21 anos, residente em Brasília. “Tenho na família o sustentáculo de vida e nos filhos a razão de viver”, diz. Estudou no CEAP até o 2º ano, vindo a terminar o Ensino Médio mais tarde, após o nascimento do primeiro filho, Lucas, no então Êxitus. Um breve intervalo para a chegada do Mateus e então prestou vestibular para Direito, na Unijui, curso concluído em fevereiro de 1999, com distinção, o que lhe rendeu convite para trabalhar no Superior Tribunal de Justiça, a partir de dezembro de 2000, em Brasília. Antes do salto para Brasília, Cátia faz questão de ressaltar como muito significativa sua experiência profissional na Prefeitura de Ijuí, de 1997 a 2000, na área social, que lhe conferiu uma outra dimensão na forma de ver a vida. “Atuando ao lado de grandes profissionais, como Elisabete Almeida, Rosane Scalei, Marilei Idalêncio e Jair da Silva, tive contato direto com as mazelas que atingem a população menos favorecida socialmente, que são as mesmas que acometem todas as cidades brasileiras”, comentou. Em Brasília a partir de 2000, onde passou a trabalhar no Judiciário, participou da produção de várias obras jurídicas, como autora ou coautora. Para Cátia, Brasília é uma cidade agradável de viver, que oferece uma ótima qualidade de vida e acolhe bem a todos que lá fixam residência. “Por ser um centro de de-

Adriane Schimainski dos Santos

H

á quase 10 anos, Adriane Schimainski dos Santos, 31 anos, transferiu-se para Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, cidade industrial e próxima do litoral. É a filha caçula de Pedro Vasconcelos dos Santos e da cabeleireira Vanda Schimainski dos Santos, formada em Jornalismo na Unijuí em 2003. O motivo da mundança foi uma proposta de trabalho como editora do jornal O Regional, onde permaneceu até 2006, quando passou a trabalhar em outro jornal da cidade, o Jornal do Vale Itapocu. Entre os anos de 2006 e 2007, Adriane cursou pós-graduação pela Unerj, especializando-se em Marketing. Foi quando ingressou na carreira acadêmica, tornando-se professora nas faculdades FATEJ e FATEJA de

cisões, onde destinos são traçados, vivenciase com muita intensidade e de muito perto os acontecimentos que são notícia no país. Está tudo logo ali, ao alcance das mãos, olhos e ouvidos”. Um dos inconvenientes, ressalta, é a constatação de que o Brasil ainda está muito distante de se ver livre dos saqueadores. “Fica-se perplexo com o que acontece e com as consequências diretas na vida de todo brasileiro.” De toda forma, é uma cidade onde se trabalha muito. “Todo o tempo que lá residi, foi dedicado ao trabalho, o que me conferiu uma vasta experiência nas áreas do Direito em que atuei.” Sobre Porto Alegre, onde vive desde 2011. Cátia diz que aprendeu a amar, pela beleza e diversidade, pelo povo, pela atmosfera de capital “do mundo”. “Ouvir o Hino Riograndense sendo cantado a plenos pulmões nos estádios da cidade é um sentimento único, de identidade, de saber que aqui se valorizam nossas raízes, aquilo que efetivamente somos e do que fomos forjados: o amor pela nossa terra. Orgulho de ser gaúcha, orgulho de ser ijuiense, orgulho de ser desta terra.” Atualmente, ela segue uma rotina de muito estudo, como exige a profissão e também em preparação para possíveis concursos que pretende prestar. Sua paixão é a leitura e tem se aventurado na escrita de textos fora da área jurídica, publicados no seu blog (http:// ideiassoltasaovento.wordpress.com/).

Jaraguá do Sul.Em novembro de 2007 recebeu uma nova proposta de trabalho e assumiu como assessora de comunicação na Associação de Municípios do Vale do Itapocu – AMVALI, onde permanece exercendo seu trabalho atualmente. Em 2010 optou por um novo desafio e iniciou o Mestrado em Administração na PUCPR. Teve uma rotina árdua trabalhando durante o dia como assessora de comunicação, à noite dando aula e aos finais de semana fazendo o mestrado. Durante o mestrado teve muitos aprendizados, além de participar de congressos a nível nacional e também um internacional. Em 2011, apresentou o artigo “Analysis of Aspects of Logistics Used by Group Mime: A Study of Distributionand Network of Fuel Stations”, na cidade de Reno, Estado de Nevada, nos EUA. O mesmo artigo foi publicado em 2013, no International Journal of Business and Social Science. Em 2010, Adriane começou a dar aula também na UNERJ, hoje com o nome de Centro Universitário Católica de Santa Catarina, onde continua trabalhando, tendo se desligado na FATEJ e FATEJA em 2012. A Associação de Municípios de Santa Catarina e seu processo de formulação e implementação de estratégias foi o tema de sua dissertação de mestrado, concluído em 2012. Atualmente, Adriane trabalha na AMVALI durante o período matutino e vespertino e à noite leciona no Centro Universitário Católico de Santa Catarina para os cursos de graduação em Administração, Ciências Contábeis e Engenharia de Produção. A ijuiense Adriane, que pretende seguir investindo na carreira acadêmica fazendo doutorado futuramente, deve seguir vivendo em Jaraguá do Sul, embora Ijuí continue sendo a sua cidade, para onde vem sempre que consegue uma folga. “Vai fazer 10 anos que estou em Jaraguá do Sul, adoro a cidade que tem um grande potencial econômico, além de ficar próxima às praias do litoral catarinense. Jaraguá do Sul é uma cidade que proporciona uma melhor qualidade de vida, é segura, além de gerar muitos empregos”, disse à Stampa. STAMPA | 27


MODA & ESTILO

Figurinos de festa

Studio Saionara

Studio Saionara Studio Saionara

Miguel Aguiar

Iloir e Dulce de Pauli 28 | STAMPA

Eduana Goecks e Bianca Schuh

Gisele Santana, Maiara Turcatto e Juliane Viecili

Studio Saionara

Carla Mussi

Studio Saionara

A elegância, em versões variadas, foi a tônica da comemoração dos 10 anos da Stampa

Andrei Cossetin e Andressa Carvalho

Egon Dürks e Heloisa Eickhoff


Elizabete Sartori El Ammar

Rubia Quatrin

Naiara Casarin Piccoli

Leticia Noronha

Patricia Fabiane Dall Aglio

Saemis Milanowiski

Tida Girardi

Mara Rocha


1º Canto de Luz, em 2012

CULTURA

O nativismo recupera espaço Dois eventos que se desejam grandes acontecem este mês em Ijuí, demonstrando a preocupação em abrir mais espaço para a música de raízes

N

o cenário cultural ijuiense, a música tem desde sempre um lugar de destaque, tanto na produção quando na apreciação, tanto nos palcos como nas plateias. O nativismo é uma das vertentes que se sobressaem. A cidade já sediu importantes eventos nativistas que fizeram sucesso e desapareceram, como foi o Canto Farroupilha. Outros, como o Pesqueiro da Canção, segue acontecendo, mas com a proposta mais direcionada à produção de música e, portanto, distante do público. A tentativa de recuperar espaço para o nativismo é feita no atual cenário pelo Canto de Luz, festival que conta com o financiamento do Pró-Cultura da Secretaria de Cultura do Estado e patrocínio local do Demei. Realizado pela primeira vez em abril do ano passado, durante a Fenii no Parque Municipal Wanderlei Burmann, passou praticamente despercebido do grande público. Para reverter o começo pequeno, a segunda edição do Canto de Luz mudou de data e de local - será realizada este mês, de 21 a 24, no CTG Clube Farroupilha. Pelo significativo número de músicas inscritas é possível antever o crescimento do festival que, para se consagrar, agora só

precisará do público. Estão inscritas 851 músicas e selecionadas dez composições e mais duas suplentes para a fase local, e 18 composições mais três suplentes para a fase geral. A comissão que analisou as músicas esteve integrada por Pedro Darci de Oliveira, Jandir Gottschewski, João Antônio Cargnelutti, Darci Carlos Leal, Vanderlei Juswiak, Dario César Costa Ávila de Borba, Vânia Elise Diel e João Walter Soller. Outro evento de valorização do nativismo é uma novidade na programação do Sesc, o Palco Sesc Nativista, realizado com o objetivo de dar mais espaço para o tradicionalismo, dias 10 e 11 deste mês. “A nossa comunidade tem uma forte ligação com este gênero musical e nós queremos ampliar ainda mais a agenda cultural com este evento”, afirmou o diretor regional do Sesc Everton Dalla Vechia por ocasião do lançamento. A programação de shows teve nomes locais - grupo Bem Campeiro e Dilceu dos Santos, e estaduais - Os Fagundes, Luiz Marenco, Érlon Péricles e a dupla César Oliveira e Rogério Melo, e foi realizada sob um lona de circo, na área externa do Sesc Ijuí. A intenção é que o evento se consolide como uma atração anual na agenda do Sesc.

Vi, li e recomendo Por Fernanda Betinelli, Secretária Adjunta de Cultura Desporto e Turismo

30 | STAMPA

Anna Karenina

Direção de Joe Wright Vi a versão de Joe Wright do clássico Anna Karenina, do escritor russo Leo Tolstoi, por ser uma apaixonada pela história. Estava ansiosa para assistir, e confesso, estranhei um pouco a forma tão inovadora como foi filmado. As “coxias” aparecem a cada saída de cena de um personagem ou de mudança de foco na trama, os cenários são alternados, as cores tão fortes, a maquiagem e os figurinos tão opulentos e ricos em detalhes deixam tudo com um “quê” de espetáculo teatral. Mas a paixão entre Anna e o Conde Vronsky, o triângulo amoroso, a alta sociedade russa e o Transiberiano estão lá e nos fazem viajar por essa tragédia tão bem escrita e ineditamente filmada.

Caninos Brancos De Jack London

Li “Caninos Brancos” de Jack London e recomendo com certeza. A historia se passa na época da corrida do ouro no Alaska e conta a vida de um Lobo, do ponto de vista do próprio, começando pela faminta matilha, desde seu nascimento e toda sua vida, passando por diversas realidades e donos, até se ver totalmente domesticado. Jack London traça um empolgante paralelo entre bicho e homem, natureza e civilização. A narrativa na visão do lobo é fantastica, com sentimentos muito vívidos e densos, que me fizeram viajar e realmente me colocar no lugar daquele animal.


VIAGEM

Ijuienses participam de Festival na Letônia

A

tendendo a convite do Ministério da Cultura da Letônia, o Centro Cultural Leto de Ijuí enviou representantes para o 25º Festival Nacional de Dança e Canção, o XXV Nationwide Latvian Song and XV Dance Celebration, realizado em Riga, capital da Letônia. Viajaram na primeira semana de julho, o coreógrado do Grupo de Danças Staburags, Sandro Roberto Medeiros e sua namorada Andréia Cardoso Nowaczyk. Eles participaram de toda a programação e tiveram a grande oportunidade de conhecer mais sobre a cultura e os costumes letos, in loco. Sandro destacou que a viagem foi a realização de parte de um sonho. “Poder estar no país-mãe da cultura que o Centro Cultural Leto e o Grupo de Danças Staburags tão bem representam, teve um valor sentimental muito grande, e só não foi maior porque o grupo ainda não pôde ir por completo”, disse. O coreógrafo contou que o festival é um exemplo de amor e respeito à cultura, com apresentações de danças

Os grupos Teiksma, Lielupe e Perle

“em nível de abertura de grandes eventos, além de um profissionalismo fantástico”. Para Sandro, o evento que evidencia todas as formas da cultura leta, é uma amostra de quanto à cultura pode fortalecer e dar vida a um povo. “Riga é uma cidade belíssima, uma mistura de antiguidade com modernismo, uma limpeza impecável e um povo muito receptivo. O que tiramos de lição é que o Staburags segue no caminho certo, pois seu trabalho está nos mesmos padrões dos grupos da Letônia, e quem sabe num momento próximo, nós poderemos ser um dos grandes grupos que fazem a apresentação final do evento”. O festival acontece a cada cinco anos e reuniu grupos de vários países como Polônia, Ucrânia, Canadá, Estados Unidos, Romênia, Lituânia, Rússia e Estônia. Toda a viagem foi custeada pelo Centro Cultural Leto, com a finalidade de proporcionar ao coreógrafo a experiência de ver a dança leta em sua terra natal e complementar o que já é ensinado ao grupo de Ijuí.

Sandro e Andréia: experiência emocionante em Riga

No ensaio geral dos grupo para a apresentação final


a

índice SAúde Protestos estão na ordem do dia.

6 8

Profissionais de hospital de Bento Stampa foi ao campus da Unijuí paraGonçalves perguntar: vieram conhecer e trocar experiências HCI contra o quê você gostaria denoprotestar?

Voleibol

Ex-técnico da Seleção Feminina e atual diretor da Confederação Brasileira veio conhecer o Pró-Vôlei

empReSA

“Em meio a tantas possibilidades, elenco como primeiro ponto do meu protesto o comportamento dos políticos. Tem muito dinheiro público sendo utilizado de forma incorreta. A falta de caráter em geral é outra questão que precisa ser avaliada, Radiolar pois quem colocacomemorou os políticos no poder 40 é o povo e para cobrar atitudes corretas é preciso ter atitudes anos festejando corretas. Do contrário, uma sucessão de más ações sucesso e acaba gerando o que o temos.” apostando no Mathias Berwig, 17 anos

9

futuro

eSColA

Yázigi esclarece a dúvida dos pais sobre a idade certa para as crianças aprenderem inglês

“No Brasil, o profissional da memÓRiA biologia, o cientista, não é valorizadoecomo professor. Melhorias um oespetáculo de som e luz vão tornar Faço o curso de Ciências mais atraente o Museu das Etnias no Parque Biológicas e vejo isso claramente. Acredito que seria muito eNTReViSTA importante que o governo profissionalizasse o cientista. Irineu Costella, o padre da São Geraldo, fala Meu protesto seria por isso, pela sobre vocação, fé e o Papa Francisco profissionalização do cientista e do pesquisador.” 10 Ana ANoS Laura Arnhold, 20 anos

Confira mais imagens da comemoração e da entrega do Prêmio Stampa

“O meu protesto seria contra os políticos corruptos, que ao invéscomeça de lutarempromissora pelo direito A ijuiense Luciana Eickhoff população ocupam as carreira na música da com seu primeiro CD cadeiras do governo apenas pensando em si próprios.” Régis Schneider, 20 anos pelo mUNdo

peRFil

Uma advogada e uma jornalista contam sobre suas trajetórias longe da terra natal

CUlTURA

O nativismo recupera espaço no cenário cultural “A minha reivindicação seria contra corrupção. Acho em agosto da cidade coma dois eventos

10 12 13 16 20 27 30 31 32

E

Conteúdo

sta é uma edição em que você voltará a encontrar todos os assuntos aos quais “Acredito sempre nos dedicamos que a área da na Stampa. Nos dois últimos meses, a revista chegou saúde seja a princpal até você alterada em sua estrutura - em junho, foi a questão. Protestaria Edição Especial 10 Anos, e em julho, edição especial de contra a falta de médicos cobertura da festa e da entrega do Prêmio Stampa. e remédios para os mais Retomar a normalidade é muito bom, porque necessitados.” ultrapassamos com êxito um momento muito importante, Diovan Martins,19 anos e porque voltamos à nos dedicar à proposta que fundamenta nosso gratificante trabalho, de mostrar e valorizar o que Ijuí tem de bom. Para fazer isso, é preciso garimpar aqui e ali, estar sempre atento ao que acontece perto e longe. E é desta atitude que“Eu chegamos nossa personagem de capa desta acho queàmuito dinheiro edição, Luciana Eickhoff De Filtro, ijuiense radicada em é destinado ao futebol. Xaxim, Santa Catarina. O sobrenome dela, praticamente Atualmente, a preocupação sinônomo música em Ijuí,é já indica sua vocação, comde a Copa do Mundo apesar de dedicar-se à odontopediatria. a questão principal.profissionalmente Muitas Luciana gravou seu primeiro melhorias estão sendoCD e a acolhida por parte do público que ela tem feitasmostra para esse evento, e talento e que está em vias de realizar seu sonho, deficam ter a música como profissão. a educação e saúde Confira o Perfil recursos. de Luciana na página 20. com poucos Então, O Papa é Pop foi hinodivisão que se ouviu em 1979 quando o protestaria porouma carismático Paulo II visitou pela primeira vez o Brasil. mais justaJoão dos investimentos O Papa Francisco, presença no Brasil foi o grande públicos.” cuja Guilherme assunto em julho, também identifica-se com o codinome, Wildner, 19 anos pelo carisma, simpatia e comunicabilidade. Pois em Ijuí, nós temos um padre que é pop, pelos mesmos motivos - é Frei Costella, da paróquia São Geraldo, nosso entrevistado do mês. Ele fala de vocação, da liderança do Papa Francisco, dos jovens, nas páginas 13 e 14. Duas ijuienses que vivem longe contam suas experiências no espaço“A Ijuienses Mundo, jornalista melhoriaPelo do sistema deasaúde seria Adriane o foco Schimainski dos Santos a advogada Cátia Gress Krüger. principal do meue protesto. Aqui na região Elas são dois detemos tantos outros vantagens, exemplos mas de jovens que ainda algumas no partem emrestante busca do de país crescimento essa área profissional. é muito precária.” Os eventosAline do mês, as comemorações, o esporte, a Czekalski, 20 anos saúde, a cultura, as dicas de profissionais - tudo isso você também vai ver adiante. Boas notícias, com imagens e principalmente, com conteúdo. Um abraço, e até setembro “Fora a corrupção, o Iara Soares transporte, a saúde e a educação seriam os principais alvos do meu protesto. No entanto, acredito que apenas com a troca de 95% dos políticos que estão no poder é que começaria stampa@jornaldamanhaijui.com a resolver essa Ano 11 - Nº 3 | Agosto | 2013 situação.” Fernando Pretto, 25 PublicAção anos GráficA e editorA JorNAlísticA seNtiNelA ltdA cNPJ: 87.657.854/0001-23 ruA AlbiNo breNdler, 122 - foNe: (55) 3331-0300 98.700-000 iJuí/rs diretor edmuNdo HeNrique PocHmANN edição e textos iArA soAres iara@jornaldamanhaijui.com

que se tivéssemos políticos que trabalhassem em prol colAborAdores do país, as coisas não estariam como estão. O povo cArlos Alberto PAdilHA, leilANe oliVeirA, ViAGem não teria tanta dificuldade, tanta fome, tanta miséria. serGio corrÊA “O meu protesto seria em relaçãoceciliA à saúde. mAtHioNi, O SUS, Acho interessante essado onda de protestos, porque Dançarinos Centro Cultural Leto comentam que deveria servir à população, é uma bagunça. imPressão mostra que o povo acordou e que nãofestival está maisde Riga, Letônia participação em Em duas situações precisei utilizar o serviço e achei ciA de Arte (55 3331-0319) satisfeito com a situação. Protesto também contra o atendimento desumano, as pessoas são tratadas os altos salários que os políticos ganham, enquanto muito mal. Acho que a saúde deveria estar emr$ 45,00 - ligue 3331-0300 Assinatura semestral: bliTz a população em geral precisa viver com um salário primeiro lugar. Aqui em Ijuí, essa questão precisa No campus da Unijuí, Stampa foi perguntar contra Informações contidas em matérias comercializadas são responsabilidade mínimo, uma injustiça.” de uma atenção maior e de uma grande melhoria.” integral das empresas e/ou dos profissionais. SidianeoBetina Beuter, 25 anos quê os universitários gostariam de protestar Pâmela de Lima Thomé da Cruz, 23 anos 32 STAMPA 4 ||STAMPA


O BOTICÁRIO Blush mineral R$ 54,99

VIVAS Jaqueta Forum - R$ 557,90; blusa base -R$ 125,90 RADIOLAR Poltrona EGG R$ 1.730,00

ITAPEMA Blazer - R$ 79,90; camisa - R$ 69,90

ARMAZEM BIJU Colar - R$ 58,80; brinco folheado R$ 22,80

STILETTO Ankle Boot couro com spyke - R$ 199,90

LE MOND Jaqueta Dimy encerada - R$ 430,90

DOM JUAN Suéter escocês Refined - R$ 95,00 à vista

MAB Vestido Bobstore - R$ 174,50

STAMPA | 33 STAMPA | 33


Humor & Cia

Uma questão de prioridade

Colabore com este espaço. Mande temas divertidos para: stampa@jornaldamanhaijui.com

Um cara chegou no trabalho todo de porre e trocando as pernas. O chefe olhou e falou pra ele: - Droga que estória é esta que te aconteceu pra você estar neste estado?! E o bêbado: - A culpa é do Doutor... Foi o Doutor que fez isso... - Mas como assim, o médico? - Eu fui no Doutor, e ele me examinou, e disse pra eu comprar uns negócios... Escreveu num papel... Eu não entendi muita coisa... era uma letra ruim... Mas li lá embaixo... dos garranchos... E pinga 3 vezes ao dia...!

Comprovado que no Dia dos Namorados o comércio vende bem mais do que no Dia das Mães. É que não só tem uma.

Julgamento

- Como conseguiu entrar numa casa gradeada e tirar todos os bens? O ladrão responde: - Sr. Juiz, vim para ser julgado pelos crimes que cometi, não para ensinar a minha profissão.

A mulher de bombeiro japonês O bombeiro chega em casa e diz à mulher: - No quartel temos um sistema excelente, que nunca falha e vamos adotá-lo. Ao tocar da primeira sirene juntamo-nos em equipes, com a segunda sirene descemos pela coluna e com a terceira subimos ao caminhão-tanque e saímos. A partir de hoje, quando eu disser “primeira sirene” tiras as roupas, “segunda sirene” vais para a cama e “terceira sirene”, fazemos amor. No dia seguinte o bombeiro chega em casa e grita: - Primeira sirene. - a mulher tira a roupa. Em seguida grita: - Segunda sirene. - a mulher deita-se na cama. E por fim grita: - Terceira sirene. - e começam a fazer amor. Depois de uns minutos a mulher grita: - Quarta sirene. E o bombeiro exclama: - Que porra é essa “quarta sirene”? E a mulher diz: - Desenrola mais mangueira porque está longe do fogo!!!

‘‘

34 | STAMPA

!

No cemitério, uma mulher vestida de preto, véu na cabeça, lamentava-se ajoelhada ao lado de um túmulo: - Salim, meu querido! Por que você foi me abandonar? Sniff... Sniff... Estou sentindo tanto a sua falta, Salim! As crianças não se conformam com a sua morte! Oh! Salim! Sniff... Que desgraça que foi acontecer com a gente! Nesse instante um senhor passa pela mulher e nota que a inscrição da lápide do túmulo dizia: “Aqui jaz Jacó”. Comovido, ao ver a mulher tão transtornada, aproximou-se para ajudá-la: - Desculpe, a senhora deve ter se enganado de túmulo. Esse daí está escrito: Jacó! - Não me enganei não, cavalheiro! É que Salim nunca punha nada no nome dele!

# A diferença entre credor e devedor, é o que o primeiro tem a memória muito melhor.

Simples e honesta Numa empresa de grande porte, era uma linda moça, de seus 25 anos, que servia o cafezinho. O chefão da empresa era louco por ela. Um dia, quando ela entrou em sua sala, com o cafezinho, ele pediu a ela que fechasse a porta à chave. Tomou o cafezinho e excitado, disse: - Não se ofenda, mas eu dou R$ 200,00 para você tirar a blusa. Ela guardou os R$ 200 e tirou a blusa. O patrão continuou: - R$ 300,00 para você tirar a saia. Ela guardou os R$ 300 e tirou a saia, mostrando suas lindas coxas. Mais excitado disse: - R$ 500,00 para você tirar o sutiã. Ela guardou os R$ 500 e tirou o sutiã, mostrando seus lindos seios. O patrão, que já estava doidão, disse: - Agora mais R$ 700,00 para tirar a calcinha. Ela guardou os R$ 700 e tirou a calcinha. Com a voz trêmula, disse entusiasmado: - Diga quanto você quer para transar comigo! Respondeu inocentemente a moça: - R$ 50,00, que é quanto eu cobro de todo mundo aqui na empresa!

ENTRE ASPAS

“Cada hora de tempo perdido na mocidade é uma possibilidade a menos nos sucessos do futuro.” Napoleão Bonaparte (1769-1821), imperador francês, grande estrategista militar

Receita de bêbado

Uma senhora idosa estava no convés de um navio de cruzeiro, segurando seu chapéu firmemente, com as duas mãos, para não ser levado pelo vento. Um cavalheiro se aproxima e diz: - Me perdoe, senhora... não pretendo incomodar, mas a senhora já notou que o vento está levantando bem alto o seu vestido? - Já, sim, mas é que eu preciso de ambas as mãos para segurar o chapéu. - Mas, senhora.... a senhora deve saber que suas partes íntimas estão sendo expostas! - disse o cavalheiro. A senhora olhou para baixo, depois para cima, e respondeu: - Cavalheiro, qualquer coisa que o senhor esteja vendo aqui em baixo tem 85 anos. O chapéu eu comprei ontem!!!


MODA CONCEITO

Stampa web agosto  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you