Issuu on Google+

N.º 6 FEVEREIRO 2011

EQUIPA PROVINCIAL DE PASTORAL VOCACIONAL

PROVÍNCIA PORTUGUESA DA SOCIEDADE SALESIANA

bússola € €em dia > IR. FERNANDA LUZ

O MUNDO VESTIDO DE BRANCO A vida dos jovens anda sempre carregada de sonhos e os adultos, através do sonho, vão “acumulando” juventude. Hoje, eu sonho um mundo “vestido de branco”: o branco deste Inverno, o branco de um olhar optimista, o branco - cor da Paz. E que paz procuro eu, anseiam os jovens e espera o Mundo? Qual é o branco deste Inverno? Apenas o da neve, nalguns sítios? Mas o que há de branco onde só impera o frio e a escuridão? O que fazemos para que à nossa volta seja visível o “manto” branco da Paz? Conseguimos aproveitar as longas e escuras noites de Inverno para reflectir e vestir as nossas vidas do branco dos sonhos e do optimismo? É mesmo com optimismo que olho para o nosso Mundo e dou graças a Deus pelos esforços de Paz, que vão surgindo mesmo em meios impensados. Quem poderia supor que entre israelitas e palestinianos surgisse uma organização bi-nacional com o intuito de construir a paz? Estes “Combatentes pela paz” reúnem já 700 palestinianos e israelitas que participaram nas mais violentas acções no Médio Oriente. Convencidos de que violência gera violência, decidiram abandonar as armas e realizar uma “revolução” pela paz. Fazem-no através do teatro tentando encenar e “exorcizar” a dura realidade que vivem - ou convencendo companheiros, criando opinião a nível local e mundial e pela solidariedade recíproca. Gestos assim passam de vez em quando nas notícias internacionais. Os nossos simples gestos de fraternidade podem nem sequer ser notícia de última página porém são uma “pincelada de branco” no mundo escurecido pela tristeza. Podemos sentir a tentação da estabilidade e a pressão da inércia que nos agarra às nossas casas aquecidas mas nos gela o coração. Ao contrário, quem experimenta dar-se, conquista um novo olhar e o sorriso é a marca da paz interior.

da mihi animas > PE. JOSÉ MIGUEL NÚÑEZ, CONSELHEIRO REGIONAL DO REITOR-MOR PAR A A EUROPA OESTE

«Fica!»

€€

O MÊS DE JANEIRO AVANÇA E APROXIMA-SE A FESTA DE DOM BOSCO. CELEBRÁ-LO É TAMBÉM DISPOR O COR AÇÃO PAR A VIVER COMO ELE E FAZER NOSSAS AS SUAS GR ANDES INTUIÇÕES ESPIRITUAIS E APOSTÓLICAS.

CORAÇÃO DE PAI. Conta o próprio Dom Bosco que numa tarde chuvosa do mês de Maio, um jovem de uns quinze anos se apresentou em sua casa completamente encharcado de água: “Não tenho nada e estou completamente sozinho”, disse-lhe, enquanto Mãe Margarida procurava enxugar-lhe a roupa. Dom Bosco, reconhece ele próprio, “estava comovido”. A resposta que brotou do seu coração de pai, mesmo na penúria daquele tempo, não foi senão “arranjar-lhe lugar”: “Fica”.

AMOR SEM EVASIVAS. Creio que naquele primeiro “fica” podemos descobrir toda a força de um coração grande e magnânimo que compreendeu que o amor não entende de medidas nem de evasivas. E depois vieram muitos mais “Fica” pronunciados com um sorriso e uma mão aberta e solidária que convidavam sempre à esperança. CONTA COMIGO. Temos de aprender de Dom Bosco a dizer “Fica”, isto é: és muito importante para mim, aqui estou, conta comigo. Havemos de saber expressar também nós, como ele, a bondade e a proximidade daquele que não passa ao largo, olha com compaixão para a realidade e nela se envolve a fundo, embora tal suponha “complicar” mais a sua vida.


página 2 n.º 6 Fevereiro 2011

o guia... > PE. DAVID TEIXEIR A

Dom Bosco e a vocação €€

ESTAMOS NO MÊS DE JANEIRO QUE, PAR A A FAMÍLIA SALESIANA, É O MÊS DE S. JOÃO BOSCO. O QUE NOS DIRIA ELE SOBRE A VOCAÇÃO?

Partilho convosco 5 coisas, tantas quantos os dedos da nossa mão… 1. A nossa vocação depende da amizade que temos com Deus. E não é difícil ser seu amigo, porque só temos de lhe retribuir a sua amizade. Ele criou todas as coisas para nós. Foi Ele quem nos fez. Ele cuida de nós, se lhe permitirmos. Ele dirige-nos as suas palavras para O escutarmos. E, portanto, ser seu amigo não é um frete, não é cumprir umas quantas regras, não é não pecar. É escutar as suas palavras amigas, pô-las em prática e com alegria! 2. Para crescer na vocação precisamos de ajuda. E, como Deus nunca nos deixa entregues a nós mesmos, serve-se de outros amigos seus para nos ajudar e guiar. Podemos, humilde e confiadamente, colocar a nossa vida nas mãos deles, como se fosse nas do próprio Deus. Foi o que Dom Bosco fez, na sua infância, com a sua mãe; na sua adolescência, com o Pe. Calosso e o amigo

Luís; e na vida sacerdotal, com o Pe. Cafasso. 3. As condições para a descoberta da vocação são muitas: a indispensável oração e o exame de consciência; a meditação da Palavra de Deus; a confissão frequente; o evitar o pecado propositado; a leitura de um bom livro; o adquirir as virtudes cristãs; a pertença à igreja local; a participação na Eucaristia e retiros; os bons amigos; o acompanhamento de um guia espiritual; o apostolado ou serviço aos outros. Mas, atenção! Não devemos fazer tudo e ao mesmo tempo.

Deus, na entrega ao Espírito e na amizade e seguimento de Jesus. Ela é a mãe que nos guarda e cuida de nós. Dom Bosco sempre a sentiu próxima e nela pôs a sua confiança, deixando-se guiar, orientar e animar em tudo: “Foi Ela quem fez tudo”. Finalmente, Dom Bosco dir-nos-ia que nos espera no paraíso, juntamente com uma multidão de jovens, na presença de Deus, com Jesus, Maria e os santos, na alegria sem fim. © Konrad Mostert, Stock.xchng

4. Responder a Deus. Não podemos viver com um coração dividido, não podemos adiar a nossa resposta, porque senão nunca seremos felizes... A dada altura, depois do aconselhamento e oração, é preciso tomar uma corajosa e generosa decisão de conversão e de entrega do nosso coração: amando a Deus sobre todas as coisas e com todo o nosso ser. 5. Ter presente o exemplo e o auxílio de Maria. Ela é mestra (“Dar-te-ei a mestra” - disse Jesus, no sonho do Joãozinho, aos 9 anos) na escuta e prática da Palavra de

contemplar

acontece

> IR. MARIA JOÃO GARCIA

> RICARDO PINTO

A Nossa Vida é uma Presença de Amor �

D. BOSCO QUIS REUNIR JOVENS E R APAZES PAR A OS AJUDAR A DESCOBRIR QUE JESUS É O ÚNICO QUE DÁ A VERDADEIR A FELICIDADE. VINDE E VEDE! ESTE CONVITE QUE JESUS NOS FAZ EXIGE UMA PROFUNDA MUDANÇA INTERIOR. ESTE PROJECTO DE DEUS TOCA O NOSSO COR AÇÃO, A NOSSA VIDA.

Para ajudar a rezar: lê o salmo 119 (118) e apresenta-te diante de Deus que te ama e deseja a tua vida em plenitude.

Felizes os que seguem o caminho da rectidão e vivem segundo a lei do SENHOR. Felizes os que cumprem os seus preceitos e o procuram com todo o coração, que não praticam o mal, mas andam nos caminhos do SENHOR. Promulgaste os teus preceitos para se cumprirem fielmente. Oxalá os meus passos sejam firmes no cumprimento dos teus decretos. Então não terei de que me envergonhar, se observar os teus mandamentos. Poderei louvar-te de coração sincero, instruído pelos teus justos juízos.

Ao longo do dia, da semana, vamos abrir o nosso coração para escutarmos a voz de Deus, dar-Lhe espaço para a viagem interior, dar tempo às nossas memórias, às nossas emoções, ao nosso olhar atento a tudo o que nos rodeia, dar espaço à paz que invade o nosso ser. Quando nos colocamos totalmente disponíveis diante de Deus que nos ama, é oração.

Hei-de cumprir as tuas leis; não me abandones mais! Depois de leres o salmo repete no teu interior algumas palavras, vive este desejo de proclamar com as tuas acções que Deus é o Senhor da tua vida. Pede a Deus a força para que a tua vida seja uma presença de amor em tudo o que acontece à tua volta.

� FLASHBOSCO 2011 Nos dias 22 e 23 de Janeiro, teve lugar em Mirandela e no Estoril o FlashBosco 2011. Participaram, nos dois encontros, cerca de 180 adolescentes do 7º, 8º e 9º anos. Os dois dias da actividade decorreram entre momentos de grande animação – jogos, a “Gala das Estrelas” em que os participantes organizados em grupos apresentaram cada um o seu número (canções, danças, números de magia, questionários, jogos, teatros), o Peddy Paper –, trabalhos de grupo, reflexão com a apresentação de um filme que retratava a infância e juventude de D. Bosco, e oração, como a Eucaristia que encerrou o encontro no Domingo.


página 3 n.º 6 Fevereiro 2011

a minha vez > MATHEUS SANTOS

indiscreto > PE. JORGE BENTO

“Deus estava ao meu lado” Reflexos de um dia além-mar…! Chamo-me Matheus Santos, tenho 18 anos e sou natural de Curitiba, Brasil, mas vim para Portugal aos meus 7 anos. Estive 5 anos nos Açores e já há algum tempo que vivo no Porto. Não nasci numa família propriamente cristã. Fui baptizado por opção própria, quando tinha 9 anos. Nesse mesmo dia, recebi a primeira comunhão. Guardo como lembrança deste dia o facto de ter sido eu a fazer a segunda leitura, e do quão cansado me sentia durante a celebração, porque foi muito longa. Por causa da minha realidade familiar, que era um pouco complicada, em 2008 fui retirado de casa, enviado para o Colégio dos Órfãos e recebido numa família de acolhimento, onde passava os fins-de-semana e as férias. Neste entretanto, retomei a catequese que tinha abandonado, na paróquia de Mafamude, acabei por receber o Crisma e passei a fazer parte de um grupo de jovens. Decisiva no meu percurso vocacional foi a ida para o Colégio dos Órfãos. No entanto, na entrevista de admissão, lembro-me de dizer que queria ir para o colégio, mas, depois, passado alguns minutos, comecei a chorar. Na altura fiquei logo arrependido, mas agora, olhando para trás, não me arrependo nada, ainda que tenha passado por uma difícil etapa de adaptação. Nesta fase, recebi a ajuda e o apoio do Pe. Paulo Pinto, então Director do Colégio. Com a sua preciosa ajuda, comecei a ter uma melhor compreensão da minha vida, do meu passado, dos meus sentimentos e a pressentir mais claramente que Deus estava ao meu lado. Por isso, não foi estranho que nessa altura começasse a sentir uma inquietação vocacional. Recordo-me de uma noite em que estava à conversa com o Pe. Paulo e ele convidou-me a amar a todos, sem diferenças, pois todos são filhos de Deus. Depois destas suas palavras, comecei a pensar nelas e, seguidamente, a chorar. E a nossa conversa ficou por ali…

Diz-nos a Palavra de Deus que «cada dia tem o seu afã» e, portanto, cada dia apresenta-se a cada um de nós como um desafio… nem que seja, o de descobrir aquilo que, realmente, pertence ao próprio dia, sem pecar por defeito ou entrar em excessos! Desde pequeno, fui habituado a esforçar-me a fim de cumprir bem o meu dever e, portanto, até há bem pouco tempo, costumava repetir com frequência que «a hora de levantar não tinha nada a ver com a hora de deitar»; justificava este meu argumento dizendo que se tratavam de «horas diferentes»! O importante era que elas não se juntassem muito «uma com a outra»; e acrescentava ainda que, só ficava mais preocupado quando, pelas diversas razões, elas coincidiam uma com a outra, sem me dar tempo sequer de «passar pelas brasas». À medida que o tempo vai passando, a nossa agilidade e frescura mental, já não dá para tanto e, neste sentido, requerer-se uma maior disciplina! No entanto, continuamos o nosso trabalho e vamos descansando aquilo que podemos e… caso falte qualquer coisa, regalar-nos-emos depois, no paraíso! Actualmente, os dias dedicados à missão salesiana em S. Vicente – Cabo Verde, decorrem a bom ritmo, não estivéssemos nós sob as temperaturas e os ares tropicais! O dia começa bem cedo, geralmente, o «alegre despertar» acontece às 06:00; segue-se a oração comunitária, entre as 06:30 e as 07:30, com Laudes, meditação e celebração da Eucaristia; quanto ao pequeno-almoço, este não tem hora marcada, dado que, o final da oração coincide com a hora de chegada dos alunos e início das aulas; à terça e quinta-feira ocupo-me do «bomdia» com os alunos do Ensino Profissional às 07:30, de segunda a sexta-feira com os alunos do Ensino Básico (1º ao 6º ano) às 08:00, e às segundas, quartas e sextas-feiras com os alunos do 1º ciclo do Ensino Secundário (7º e 8º ano) às 08:20; depois, até à hora do almoço, seguem-se as aulas e a assistência salesiana no pátio.

Estou ainda no início de um longo caminho, mas na companhia de Deus tudo é possível: se for a sua vontade, continuarei, pois “quem quer o que Deus quer, tem tudo o que quer”.

O primeiro turno de aulas termina pelas 12:30, altura em que nos juntamos, uma vez mais, em comunidade, para recuperar as energias com o almoço, o qual é recomendado fazer de forma ligeira, dado que o silêncio nos espaços é rapidamente interrompido com a chegada dos alunos do 2º turno de aulas, correspondente ao 2º ciclo (9º e 10º), com início às 13:30; tal como acontece pela manhã com os alunos do Ensino Secundário, às segundas, quartas e sextas-feiras, também estes, no final da primeira aula, têm o seu momento de «boa-tarde» na capela da escola, o qual acompanho com a maior das atenções, uma vez que se trata do seu penúltimo ou último ano na nossa escola e, por isso, representam o fruto e o espelho do nosso trabalho para a sociedade cabo-verdiana.

Termino com um único pedido: que rezem por mim, para que faça a vontade de Deus.

O restante da tarde, decorre entre a assistência no pátio, a preparação das aulas e das

Passado algum tempo, o Pe. Paulo convidou-me a iniciar uma nova fase de discernimento com o Pe. David. Durante este discernimento, descobri-me, e descobri, um pouco mais, Deus. O resultado deste acompanhamento foi a minha opção de seguir Jesus, nas pegadas de S. João Bosco, para ajudar especialmente os jovens. Tal como diz o canto “Deus precisa das tuas mãos…”, pretendo, com a graça de Deus, ser as suas mãos e, assim como fizeram comigo, manifestar aos outros o amor de Jesus.

restantes actividades pastorais que requerem, cada vez mais, não somente mera «repetição» mas, também, a «criação» de subsídios novos e atractivos, capazes de envolver os nossos destinatários na pedagogia salesiana e de fazer de cada um deles, um honesto cidadão e um bom cristão. Terminadas as aulas, pelas 18:30, entre as despedidas dos alunos e dos professores, e o fechar uma e outra porta, chega a hora da oração comunitária da tarde, quando são 19:00, com a recitação do Terço, oração de Vésperas, leitura espiritual e a «boa-noite» do director. Depois deste encontro com o Senhor, segue-se o segundo momento comunitário de repor as forças à volta da mesa, com o jantar às 19:30. Caminhando para o final do dia, segue-se o telejornal, um ou outro programa, enquanto se vai pensando já no dia seguinte… Pessoalmente, como tenho grande dificuldade em estabelecer «a meta do trabalho que compete a cada dia», costumo dedicar as restantes energias à leitura, a ultimar trabalhos, ou a criar novas coisas, para o qual se recomenda a companhia de boa música, a fim de favorecer a inspiração e o alento, para escrever e organizar ideias como é, por exemplo, o conteúdo do presente artigo! Além desta actividade, algo que me apraz recordar é o acompanhamento vocacional de um jovem, o Edson, que está a fazer a sua experiência na nossa comunidade, e com quem procuro partilhar o dia-a-dia, procurando mostrar-lhe, no próprio terreno, os «motores essenciais» para dar continuidade à obra de D. Bosco, em favor da juventude dos nossos dias. Enfim, em matéria de psicologia, diz-se que «ninguém pode dar aquilo que não tem…», eu procuro, simplesmente, fazer a minha parte, dando o melhor de mim mesmo, confiante nas graças abundantes que o Senhor vai depositando no coração de cada um de nós.


página 4 n.º 6 Fevereiro 2011

animais ferozes > ANS (AGÊNCIA NOTICIOSA SALESIANA)

SRI LANKA – UM RAIO DE ESPERANÇA NUMA TERRA ATORMENTADA Desafios

Numa terra que tanto sofreu com a guerra e que ainda carrega os sinais da violência, um raio de esperança chega da obra salesiana de Murunkan, onde os salesianos iniciaram um novo aspirantado (casa de acompanhamento vocacional). O prédio, parte da obra São João Bosco, de Murunkan, Mannar, acolhe já 30 jovens que serão acompanhados pelos salesianos para se tornarem os guias espirituais do povo local. Na cerimónia de abertura, celebrada Domingo, 16 de Janeiro, estava presente toda a comunidade educativo-pastoral salesiana da obra. O rito do corte da fita foi feito por três mãos, o Pe. Nihal Liyanaghe, Superior da Visitadoria São José, do Sri Lanka, o Pe. Pius Rathappillil, Director da obra de Murunkan, e o Pe. Paul Kachappilly, Delegado para as Comunicações Sociais e as Missões.

Nas suas duas últimas visitas ao Sri Lanka o Pe. Pascoal Chávez, Reitor-Mor, advertira para a necessidade de abrir um aspirantado no norte do país, e encorajou a comunidade salesiana a aceitar o desafio. Dada a importância da questão, os salesianos arregaçaram as mangas e estruturaram rapidamente os locais em Murunkan. E já se estão a avaliar outras possibilidades para posteriores iniciativas nas regiões ainda mais ao norte. O novo aspirantado acrescenta-se a outros serviços pastorais que a comunidade de Murunkar leva avante pelo bem da população local. A obra compreende uma paróquia, uma escola técnica não formal, um internato, uma ‘escola’ de inglês e um centro de reabilitação para ex-soldados-mirins.

Gostavas de conhecer melhor a vocação salesiana? Queres receber este jornal no teu e-mail?

Bússola

Jornal da Equipa de Pastoral Vocacional Pe. Álvaro Lago alvaro.lago@salesianos.pt Ir. Alzira Sousa alzirasousa.fma@gmail.com Pe. David Teixeira david.teixeira@salesianos.pt Pe. João Chaves joao.chaves@salesianos.pt Pe. José Aníbal Mendonça anibal@salesianos.pt Pe. Juan Freitas juan@salesianos.pt Ir. Maria João Garcia mjoao.garcia@hotmail.com PROPRIEDADE DA PROVÍNCIA PORTUGUESA DA SOCIEDADE SALESIANA Rua Saraiva de Carvalho, 275 1399-020 Lisboa t: 21 090 06 00 f: 21 090 06 39 w. www.salesianos.pt Casa Salesiana Imaculada Conceição t: 22 589 80 45 f: 22 589 80 46 Fotografia da capa: © Combatants For Peace cfpeace.org

vem aí � 31 DE JANEIRO FESTA DE SÃO JOÃO BOSCO � 2 DE FEVEREIRO DIA DO CONSAGRADO � 5 DE FEVEREIRO ENCONTRO DE PRÉ-ADOLESCENTES (PORTO E LISBOA) PARA O 5.º E 6.º ANOS � 25 DE FEVEREIRO FESTA DE S. LUÍS VERSIGLIA E S. CALISTO CARAVÁRIO

sugestões cartoon

> RUI MADEIR A

CANÇÃO NOVA www.cancaonova.pt

> PROF. NUNO QUARESMA

A Canção Nova é uma comunidade, criada por Deus, para a formação de homens novos para um mundo novo com base no Evangelho. Fundada em 1978 no Brasil, conta com 20 casas de missão no Brasil e seis casas internacionais. WOJTYLA de Matilde Trocado É um musical enérgico e emotivo sobre testemunhos de pessoas que se cruzaram nas suas vidas com o Papa João Paulo II e como isso as influenciou decisivamente. Não é uma missa é mesmo um musical e muito bom!!!! É sobre a vida de alguém que vai ser beatificado, que tocou também as nossas vidas!!!! Vamos ver como se faz para ser Santo!!!!!! Em Lisboa, no Teatro Tivoli, dias 17, 18 e 19 de Fevereiro e no Porto, no Teatro Sá da Bandeira, nos dias 24 e 25 de Fevereiro.


bussola_fevereiro2011