Page 1

ROTEIRO TEMÁTICO / THEMATIC TOUR:

O café e a história da cidade Coffee and the history of São Paulo city Este folheto faz parte da série Roteiros Temáticos. Vivencie e explore São Paulo em roteiros autoguiados que oferecem outras 8 perspectivas da cidade: Roteiro Afro, Arquitetura pelo centro histórico, Arte Urbana, Cidade Criativa, Ecorrural, Futebol, Independência do Brasil e Mirantes.

Concepção / Project: São Paulo Turismo Projeto Gráfico / Graphic Project: Rômulo Castilho Diagramação / Graphic Design: Max Print, Marília Uint, Rene Perol Mapas: Fluxo Design, Rene Perol Fotos /Photography: Acervo Iconográfico (Casa da Imagem de São Paulo – Secretaria Municipal de Cultura), André Stéfano, Gabriel Rostey, Jefferson Pancieri, Keko Pascuzzi, Secretaria de Estado da Cultura Supervisão: Fernanda Ascar, Paulo Amorim Conteúdo / Text Editing: Gabriel Rostey, Muirakitã Projetos Culturais

São Paulo Turismo S/A Av. Olavo Fontoura, 1209 Parque Anhembi, São Paulo (SP), CEP 02012-021, Tel.: +5511 2226-0400 cidadedesaopaulo@spturis.com

This brochure is part of the Thematic Tours series. Live and explore Sao Paulo through auto guided tours that provide 8 other perspectives of the city: Afro-Brazilian Tour, Architecture in Downtown, Street Art, Creative City, Eco Rural, Football, Brazilian Independence and Vistas. www.cidadedesaopaulo.com

www.cidadedesaopaulo.com www.spturis.com www.anhembi.com.br www.autodromointerlagos.com www.visitesaopaulo.com

O objetivo da São Paulo Turismo é promover a cidade de São Paulo de forma independente sem nenhum vínculo com os estabelecimentos mencionados. Algumas informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. / The goal of São Paulo Turismo is to promote the city of São Paulo in an independent way, and with no link to the establishments mentioned in this brochure. All the information in this brochure is subject to change without prior notice.

Tiragem: 5.000 exemplares / Impresso em Junho 2012 Printing: 5.000 copies / Printed in June 2012 Comprometa-se com o meio ambiente. Adote os 3R na sua vida: Reduza, Reutilize, Recicle! Protect the environment. Make the 3 “RS” a part of your life: Reduce, Reuse, Recycle!

Mapa / Map

d


R. Padr Vieira

R.

Ri

ta

Sa n

R.

ld as

so

er ro

us a

o

ar ce lin

Al

m

R.

.B

So

.M

R.

aj

R.

M

nte s uin a

av a

aq

R. X

Jo aria R. M

rin o

ito

an ue r. M

nte s

R. D

Ab Vis ae . de té

av a

R.

R. X

ta

Si lva

R.

Em Ce l. R.

Pa

Te le s

Pi ed ad e

íd io

Ca m po s

lV

G Fr.

r

R. Dr. Fr eire R. André de Leão

Parnaíba

R. Wande nkolk

R. dos Trilhos

R. A

fredo

R.

ipes

alh

éri

o fan

od arã

a

cain

ara

eP

ra d

eJ

o

Largo do

MOOCA

er R. S

agu ara

lexa

ndre

Lev

i

R. Cnso

do

CIT República

© Priscilla Vilariño

Esta

. João Al

R. Oscar Horta

R. Cel. Cintra

R. Odorico Mendes Av. d o

os A

Leit e

Ram

R. Dom Bosco

R. d

rio R. Gli cé

R.

Ce De l. J nt oão e

Di á

Vd .

ne ar .C en G

nto Be

Ca

raib a

rs

tier Av. V au

sd e lo

dre Lim R. Pa a

amo t R. C

R. Can tare ira Can

R. d a

ado Est Av. do

Duprat

R. Barão de

R. F

iro

ade Lib erd

Av .C ar

R. M adeir a

indé

R. Alf redo Maia

s dente Av. T ira

lorê nc Abre io de u

ia

ia nd a Ja R. Av. da

R.

Pena nso R. Afo

rg. T obia s R. B Ma es Av. Pre st

ró ada

ão

ro B

R. S

R. Dr. Rodrigo Silva

a

ca R.

Fra n

cis

io on sA nt ui .L rig Av .B

R. T eix eira

R. Sto. Antônio R. dos Franceses

R. Tie

es R. Prat r Líbero Av. Cás pe

íbe

ed de

R. Nestor Pestana

Miq ue

lin

an

R. A van h Leão

Av. S a

R. Jo aq Murt ui inho

eM

elo

bavir tch R . Lu

orr eia d

R. C no

pia ris .C so

Cn R.

o

R. L

P RE RA PÚ ÇA BL D IC A A

R. Dr. Cesário Mota Júnior

iana a. V erid R. D

To l

de T atuí rão R. B a ar

tim

Fr a

nc

isc

o

R. Fo rtuna to

ques de

a

á

ran

Pa

CIT GUARULHOS Aeroporto Internacional de São Paulo / Guarulhos. Terminais 1 e 2 (desembarque). Diariamente das 6h às 22h. International Airport of São Paulo/ Guarulhos. Terminals 1 and 2 (arrivals). Open daily from 6 a.m. to 10 p.m

pa

as

im

oc ha

m

CIT REPÚBLICA Praça da República, s/nº. Centro. Diariamente das 9h às 18h. República Square, w.o. no – Downtown. Open daily from 9 a.m. to 6 p.m.

ne

Ipa

aL

R. R

R.

eid

ar o

ia

gr

Ale

lm

Cl

sil

ra

.A Dr

.R io

.B

m

R.

Al

Al

a aiv

ar

rio

R.

P os

va

im

ng mi

Do

pe

ard

m

sC

me

a R.

Ita

Go

im

Ita

o

o

ad

ch

aL

a

R.

om dr

Ma

eid

R.

ing

lenc

esá

CIT TiÊTE oimbra R. C Terminal Rodoviário Tietê (desembarque). Diariamente das 6h às 22h. Tietê Bus Terminale A(arrivals). Open bril d Um ee daily from. V6inta.m. to 10 p.m.

CIT OLIDO Galeria Olido. Av. São João, 473. Centro. Diariamente das 9h às 18h. Olido Gallery. 473, São João Ave. Downtown. Open daily from 9 a.m. to 6 p.m.

nte

M

a Vale

R.

Cost

Hi

g. Br

lm

n ati Pir

R.

R. Dr.

R.

R.

.A Dr

CIT PAULISTA Av. Paulista, 1.853. Parque Mário telho s Bo Covas. Diarimente das 8h às 20h. Carlo R. Dr. 1.853 Paulista Ave. Mário Covas Park. Open daily from 8 a.m. to 8 p.m.

CIT MERCADO Mercado Municipal de São Paulo. Rua da Cantareira, 306. Rua E, Portão 04. De segunda à sábado das 8h às 17h e aos domingos das 7h às 16h. a São Paulo County Market. From Monaíb rn Pa de day to Saturdays, from 8 a.m to 5 p.m, c. s i V R. and Sundays from 7 a.m to 4 p.m. a

R.

R. Vieira Ravasco

tto A

R. do Lavapés

SÃO JOAQUIM

li

R

ard

ma R. Luís Ga

Passos

R. O

R.

R.

ch ur

aba

a

R. Casimiro Abreu

R. Miller

. Av. Pref

R. Piedade

R. C

R. Espírita

m

ec ns Fo

s

a

nB

to

ra Flo

Pin

ga

R.

e reir aF

eir

qu

Jo

R. da Mooca

o Miguez

Joaqui

les

Sa

R.

no

n re

o

R. Visc. de

n Ju

va Ca

rti

R. S

da

ve

lin

Ma

R.

o lh va

l ça on sG de en M ior R. des Jún en R. M

rco

R.

eta

Ca

os

mp

Ca

R. Azevedo Jr.

R. Leopold

R. Barão de Iguape

R.

a

R.

lva

PEDRO II

Sarz edas

R

droso

R.

r

At the CITs, visitors can find at their disposal culture guides, as well as city maps and brochures on places of interest.

ut

Leão

A F.

R. Pe

R. Barão de Ladário

neiro

eto

to N rqua

R. To

to

Nas CITs, você encontra à sua disposição guias culturais, além de mapas da cidade e folhetos de locais para visitação.

Br es

BRÁS

rm Ca

R. São

Ma

R. Car

R.

es

lP

ge

an

.R Av

o

R. Taguá

R. dos Ingle

R. M Passa ns. láqua

ria aJ

ila

mit

ria Ma

a tan

R.

d R.

á

Ma d R.

ade

asô do G

ão apit R. C o Lima tin Faus

es e de

R. Cnso Furtado

ait

ico

s. Andr

iro

lhe

R.

R. Cel. Bento Pires

R. Dr. Tomás de Lima

R. dos Estudantes

m

d Va

o úri erc

C ta Pis

ral

I

u drig

I dro

Pe

en t

LIBERDADE

R. da Glória

Hu

Largo Concórdia

o

. Do

PARQUE D. PEDRO I

rio

unçã

R. Ass

o-

m Do

ond

R. São Paulo

R.

R.

R. Min

ern

R.

d Esta Av. do

R.

1

R. C

este

alho

BELA VISTA

a

Silv

es and

Bo

ni

er

eli

.B

o metr

ra

R. Galvão Bueno

rrão

R. Cons. Ca

ste-O

go

ov

N

opulaer

ira

live

eO

o

Tourist Information Centers

em

R. de Rub Ol nin ive o ira

R

aula

S

jam Ben

R. F

R. Tabatingue

R. Maj. Dio

Av

é

e

E

de

R. Cnso. Ram

R. Card. Leme

o

lh

Ju

ial Le

R. Maria Jos

eiro

Rib rata

R. Ba

Av. R ad

R. Rui Barbosa

Maio

ercu

PRAÇA DA SÉ

ula

R. Genebra

R. Treze de

s

a Freit

2

Pa

R. Sto. Amaro

im Pa

de lano

R. Japurá

ngos

R. São Domi

R. Abolição

va

araré

R. It

R. Maj. Diogo

R.

ca

ne

Ca

a

t Ro our

o

s

i Fre

da

ria

nto

o. A

enc

Prad

eiró

Qu

uá nag

de

nio

Ma

it r. B

aio

Para

nia

R.

Dir eit

R. R. Be José Bonifácio njam im C onst ant R. S R. R en. iac Feij hu ó elo

arv

de C

R. D

R.

alho

o

3

p rio

n .C

de P

es imõ in d

R.

SÃO BENTO

4

á

des

ripe

Eu rof.

arç

5

Ch

R.

r

ira

alde

es C

end

R. M

Ri

Bo

se

so

R. P

v.

R. C

. de

ntô

rt

Ma

ro Álva

los

usa

eM

ril

q R. M

a. A

tes

on

F ins

uel Car

So los de R. Car azaré N

ão

ANHANGABAÚ

í

ta rava

R. Mig

R.

Jo

ão

R. Oriente

rós

de No

Ab

do

R.

R.

R. Elisa Whitake

ousa

5d

e

Vd .

Teodor o

ula S

Jo

CENTRO

ann

R. Henrique Dias

.M Av

ão

nnem

ugo

Caetano

l. M

Ce

R.

R. Pa

An

Av .S

R. São

is ora

R. Julio Ribeiro

R. Cel. Ch

t R. S

R.

LUZ

avier

R.

R. João

auá

o t. G

R.

s

Centrais de Informação Turística

o

onit

io B

R. R

anta

eur

Caetano

R. M

R. 15

7d

a

i dó

p .I Av

R.

Luís

ni

R. D

D

ga

n ira

R. 24 de R. M aio Ita Ba r pe ão tin d in e ga

o Av. Sã

ar

R. G

R. São

R. 2

R. Bento Freitas

R. Rêgo Freitas

M

PRAÇA FRANKLIN ROOSEVELT

nda

odoro

as

as

bir

REPÚBLICA

ia

to

9

rad

A

o .d

R. Gen. Jardim

nd

a or ur im sT

R. Major Sertório

An

fo un Tri

ia

ór

Vit

s

á

or H

Av. Sen

R.

R.

sA

do

R.

ia ên

R

R. Santa Isabel

R. Past

a

ria

R.

ão Te

. Quei

o .d

ão

R

ÓPOLIS

do

R.

Ifig

es

us

sG

Jo

R. Jaguaribe

C

R. Itarini

R.

R

. Sta

ão

e Itu

R. Mq. de Itu

no

e .G

R.

Av .S

s

rtinico Prado

li Pau

s

he

or Vit a os Air

o sé R. J

oré n.

ra

SANTA CECÍLIA

nc

a

Aim

ra

R. Jo

Mira

12 ó Os

nt

Ci

rge

baúb

la

ui

R. Ha

R. Im

R. Cachoeira

O

ru

Ju

Ap

R.

R. Itaq

R. Vit

7

6

rio

co an Br

Ab

JÚLIO PRESTES

io .R Av

ico

8

s

na

A R.

a

10

s

er

R.

u

so. D

R. Jo

da

s

R. Cn

e Lim

tia

R.

g

Ara

i

ec ar

5

ia ua

uaç

R. Ig

PARQUE DA LUZ

ia éb

as pin

Fr ed

R.

lvé

ra

R.

s

TIRADENTES

ete

.N

m Ca

B

ei

s

11

SANTA CECÍLIA

m

s Rio

Gl

He

R.

so Cn

de

al

Al.

R.

ão ar

A

R.

a eir

pa

do

sP

Al.

B R.

R.

Lim

R

R.

nd

de

Al.

an

4

jó apa R. T

irante

eiro d

hm

t No

Leme

ande

R. Rib

ão

ORO

a

ilv

aS

d iro ibe

R. Trê

R. Luis Pacheco

s

R. B

ni

ba ica ac

u Ed

Pir

es as ian

ilo

Al.

ar .B Av

am

ard

de

ua

oC rin

o

ad

r oP

to

no

o arã

G R.

o Vit

op

ue oB Din

Ol

R.

de

es

B Al.

A

ador

uara

Pin

va

Sil R.

ela ev Cl

Al.

a

ir ive

L R.

Al.

a

J

R.

R. G

ra ç

u

o úli

G da

Abre

im

aL

s ou

S

o de

n Co

R.

tran

ia nha

apis

o

içã

ce

R. A

R. C

na

. Pe

Ten

R.

R. Luigi Grego

3

R. Salv

R.

2

ho

1

Marino

o do Sul

ue

ente Miguel

dT

o Bosq

R. Con. Vic


Área do Mapa / Map Area

Legenda / Key Terminal Rodoviário Bus Terminals Aeroporto / Airport CPTM / Regional trains Metrô / Subway

Centrais de Informação Turística Tourist Information Center Áreas verdes / Green areas Hidrografia / Hydrography

Atrativos / Main attractions 1

Palácio da Justiça ...........................................................D3 / p.09

2

Edifício Guinle...................................................................D3 / p.09

3

Centro Cultural Banco do Brasil................................... D3 / p.15

4

Largo do Café.................................................................... C3 / p.15

5

Edifício Martinelli............................................................... C3 / p.16

6

Estação da Luz.................................................................. B3 / p.22

7

Painel Epopéia Paulista................................................... B3 / p.22

8

Parque da Luz.................................................................... B3 / p.25

9

Pinacoteca do Estado..................................................... B3 / p.27

10

Estação Pinacoteca......................................................... B2 / p.27

11

Estação Júlio Prestes....................................................... B2 / p.29

12

Vila dos Ingleses............................................................... B3 / p.32

1


© Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

Rua Florêncio de Abreu, 1860

Roteiro o Café e História de São Paulo A economia cafeeira é o fator que desencadeou o desenvolvimento que levou a capital paulista da nona cidade do Brasil em 1872 até a metrópole global de hoje. A cultura do café, introduzida no Brasil no século XVIII, se disseminou pelo sudeste e sul do país, gerando enorme riqueza e recriando hábitos e costumes. Cultivado inicialmente na região de Belém, o café chegou ao Rio de Janeiro. De lá se expandiu atingindo a província de São Paulo, onde se consolidou como base da economia do país nos meados do século XIX e primeiras décadas do XX. Plantado em vales e montanhas proporcionou o surgimento de novas cidades e a dinamização e crescimento de muitas outras. Foi o café responsável pela introdução da ferrovia no estado de São Paulo, construída para escoar o principal produto de exportação brasileiro. Trouxe também aproximadamente 4 milhões de imigrantes entre o final do século XIX e início do XX, vindos especialmente da Europa. A riqueza que fluía pelos cafezais acelerou o desenvolvimento do país e se evidenciava nas elegantes mansões dos barões fazendeiros, nas grandes construções urbanas, na difusão das artes e na importação da cultura européia, nos teatros erguidos na capital e nas novas cidades do interior paulista. O grande impacto na produção e comércio do café se deu com a crise de 29. Entretanto, o país se recuperou e atualmente ainda é o maior produtor mundial do grão. O café transformou a economia e os hábitos brasileiros, das riquezas geradas ao cafezinho servido às visitas para dar sabor às conversas, das transformações na vida urbana ao cotidiano no campo. A Prefeitura de São Paulo, através da São Paulo Turismo, desenvolveu este roteiro que permite compreender as transformações sócio-econômicas e culturais que o dinheiro trazido por esta especiaria provocou em São Paulo, vivenciando o patrimônio material e imaterial deixado pelo “ouro negro”.

Saiba mais sobre os principais pontos deste roteiro! 2

3


© Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

Rua Florêncio de Abreu, 1912 / 1913

Coffee and the History of São Paulo Tour The coffee related economy was the factor triggering the development which has moved São Paulo city from Brazil’s ninth city in 1872 to today’s global metropolis. The coffee culture, introduced in Brazil in the XVIII Century, disseminated throughtout the Country, bringing an enormous richness and recreating habits and customs. Initially grown in Belém (northern Brazil), the coffee reached Rio de Janeiro and then expanded reaching the province of São Paulo, where it consolidated as the base of the country’s economy in the mid XIX Century and early XX Century decades. Raised in valleys and mountains, it contributed to the appearance of new cities and the dynamization and growth of many others. Coffee was responsible for the railroad deployment in the State of São Paulo, built as a way of transporting the main Brazilian export product. Also, it brought approximately 4 million immigrants between late XIX Century and early XX Century, who came particularly from Europe. The richness which flew from the coffee plantations speeded up the country´s development and was transformed into elegant mansions of farm owning barons, into great urban constructions, in diffusing the arts and importing the European culture. The drop in the coffee production and trade took place with the 1929 crisis. However, the country recovered the activity and currently is still the world’s largest producer of this grain. Coffee has transformed the economy and the habits of the São Paulo and Brazilian inhabitants. From the assets conquered by the coffee-related capital to the black coffee served to visitors so as to add taste to the talks, from the transformations in urban life to the daily life of the field worker. São Paulo City Hall, through São Paulo Turismo has developed this tour so that visitors could understand the socioeconomic and cultural transformations brought by this commodity, and to know the material and immaterial legacy left by the “black gold”.

Find out more about these landmarks! 4

5


a

ela

Pin

la ico PRAÇA ANTÔNIO PRADO

da ró

eT ol ed

Ba ero Líb R. nto

olf o

R.

aiuva

itino Boc

erd ade Lib

uís ro L dei iga Av. Br

Can tare ira R. d a

ro ei rn Ca n. R.

R. Qu

o

Silva

rtad

R. Dr. Rodrigo

io An

uel

tôn

ina

R. Genebra

Miq isc a

anc

o

R. F r

ra rm

Ca

R. Santo Amaro

R. er ez

do

Av. da

R.

Jo

São

ão

Be

Ad

o edinh j. Qu R. Ma

E sB

e id

c Al

ns

© Keko Pascuzzi

o II

R.

eira

R.

Pi

dro

An

ti ar

R.

R.

Oliv

M

l

a nh

Pe

i

ald

ib

r Ga

ira

LARGO SETE DE SETEMBRO

do

o

1

ve Sil

PRAÇA Dr. JOÃO MENDES

g Ran

R.

e de

Av.

sa

ita

elip

ana

est

el P

Tere

lo

e nd

R

R. Vanceslau Brás

PRAÇA DA SÉ R. F

arç

anta

hue

eM

R. S

m

od

aba

tant

Do

inc es

piac

Cons

R.

eC igu odr

la

rt R

Pau

inte cou

ana

es

Sal

ão

rn . Fe

nsen

e

iac

Par

imo

ria

es

R. R

Fei

R. V

ten

Ma

io Ma

R. Japurá

R. Abolição

R. Maj. Diogo

6

ch

R.

en.

de

Tv .N

os

jamim

R. S

PRAÇA MÁRIO CÂMARA

nio

R. Ben

arão

rto S

ues

i r. B

os Piq

R. S

Largo do Café

2

R. José Bonifácio

LARGO SÃO FRANCISCO

ieta

nch

R. A

obe

Psa. d

ntô

oA ant

a

s Trê

an

R. S

Dir eit

R. B

ee int .V Av

nio

R.

R. D

Juho

Av. N

ntô to A

a

itand

Qu R. da

R. R

de ove

eado

R. Álv

3

Pent

PRAÇA DO PATRIARCA

Ge

rd

l. X

Ce

ril

R.

á

ares

Ab

Ch

.d Av

de

aro d

R. Álv

te

av ie

Se

Luís

o

4

Vista

R.

o Av. Sã

do

∞ Start from Praça da Sé, PRAÇA walkDOM through Rua XV de novembro, JOSÉ GASPAR walk by Rua da Quitanda, turn to Rua Álvares Penteado, walk ANHANGABAÚ to Largo do Café, turn to Rua Cdo Comércio, walk by Praça Anlação so n o a R. d tonio Prado, turn to Rua São Bento and get on board the train at the São Bento Subway towards Estação da Luz. alh e Carv

R. Boa

o

R.

5

Br

ão

o

R. Calh. Basílio Jaffet

Jo ão

Jo

R.

ns .C

Co

ão

R. C nso . Fu

an o

ris p

ini

SÃO BENTO Av .S

ut

R. Barão de Duprat

LARGO DE SÃO BENTO

to

Jo

ão

ad

R. Cdor As

R. Jorge Azem R. Ge n. Ca rn ei ro

rd o

ão

Vi

hin

ia

Ab

Av .S

This region houses the urban development paths generated ni by the coffee plantation economy, as well as cothe oarchitectural ar rã M Ba city’s most remembrances and the sites where someR. of the va o N R. emblematic cafés operated. There are currently also tenths of good coffee shops spread out in the area.

Cinco de

n gê Ifi

ga

Abdo S cha

nt

Salomão

R. Vinte e

rêncio R. Flo

Sa

R.

de Ab reu

.P re ste o

ut ad

o

Vi

re s

co

ri cá

ti Bo do

PAIÇANDÚ

R. Cap.

R. Cdor

ia ên

an Br

R.

éd

os

J ∞ Partida da Praça PRAÇA da Sé, DA caminhada pela Rua XV de novemom REPÚBLICA .D R bro, seguir pela Rua da Quitanda, entrar na Rua Álvares Penteado, seguir até o Largo do Café, entrar na Rua do Comércio, R. R. 24 Ba de rã na Rua São Bento seguir pela Praça Antonio Prado, entrar e o M de ai I o t embarcar no Metrô São Bento em direçãoapàe Estação da Luz. REPÚBLICA in

Nazaré

Março

sM aia

g Ifi

io

d Av Nesta região se observarão os caminhos .S R.do desenvolvimento ão R. Jo urbanístico gerado pela economia cafeeira, assim como as ã Jo o aq ui m reminiscências arquitetônicas e os locais em que funcionavam Gu a ng Atualmente alguns dos mais emblemáticosstavcafés da cidade. o ra i p também há dezenas de boas cafeterias espalhadas pela área. ros .I ar Av e B LARGO DO

tin

Souza

a nt Sa

as

bir

im

T os

Av .P

r ro

Au

R.

a

R.

.R Av

Centro / Downtown

os de

R. Carl

R. Tabatingüera

Co

R

R. Co

nde

de S

arze

das

7


1. Palácio da Justiça

© Jefferson Pancieri

© Jefferson Pancieri

Palace of Justice

Palácio da Justiça 8

Exemplo de construção da nova metrópole que se modernizava pela economia cafeeira, esta obra do Escritório Técnico Ramos de Azevedo (principal arquiteto da São Paulo do café), foi projetada em 1911 mas só foi inaugurada em 1933. Em estilo eclético, com influência neorrenascentista, a fachada apresenta acabamentos luxuosos e é ornamentada com figuras, cariátides (estátuas femininas com função de coluna) e símbolos do Judiciário. No interior, o ponto alto é o Plenário do Júri, revestido com lambris de madeira de lei e teto ornamentado e coroado por uma clarabóia no centro. Abriga exposições permanentes e temporárias mantidas pelo Museu do Tribunal de Justiça – hoje sediado no Palacete Conde de Sarzedas (Rua Conde de Sarzedas, 100). An example of construction in the new metropolis which kept becoming modern due to the coffee plantation economy, the work of art by the Technical Office Ramos de Azevedo (main architect of coffee’s São Paulo), was designed in 1911, but was inaugurated only in 1933. In an beaux-art

style, with neo renaissance influence, the façade presents luxurious finishing and it is ornamented with figures, caryatids (female statues with a column function) and Judiciary symbols. In its interior, the highlight is the Jury Plenary, covered with hardwood wainscots and roof ornamented with and crowned by a skylight in the center. It houses both permanent and temporary exhibitions kept by the Law Court Museum – today located at the Palacete Conde de Sarzedas (Rua Conde de Sarzedas, 100). Praça Clóvis Bevilácqua, s/n. +55 11 3295-5816. 2ª a 6ª feira, das 10h às 17h (seguindo o calendário do Tribunal de Justiça)/ Monday to Friday, from 10:00 am to 5:00 pm (following the Law Court calendar) www.tj.sp.gov.br/museu/palacio/ palacio_justica.aspx

2. Edifício Guinle Guinle Building Pode ser considerado o primeiro prédio vertical da cidade. Construído entre 1913 e 1916, foi uma das primeiras construções de concreto armado no país. Numa época em que os edifícios vizinhos não passavam de três andares, este projeto dos arquitetos Hipólito Gustavo Pujol 9


Júnior e Augusto de Toledo chegou aos oito pavimentos e 36 metros de altura. A fachada apresenta ornamentação Art Nouveau, com motivos de ramos e frutos de café, remetendo à riqueza trazida pela economia cafeeira.

Edifício Guinle 10

Rua Direita, 49

© Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

© Gabriel Rostey

It may be regarded as the first vertical building in town. Built between 1913 and 1916, it was one of the country’s first constructions in reinforced concrete. In a time where the

neighboring buildings were not taller than three floors, this project by architects Hipólito Gustavo Pujol Júnior and Augusto de Toledo reached eight pavements and 36 meters in height. The façade presents an Art Nouveau ornamentation, with coffee fruit and branch motifs, referring to the riches brought by the coffee plantation economy.

Edifício Guinle ao fundo, na década de 1910 Guinle building on the background, on the 1910´s 11


© Jefferson Pancieri © Jefferson Pancieri

12

© Jefferson Pancieri

© Jefferson Pancieri

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) 13


3. Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)

of the former bank agency in the building underground.

Banco do Brasil Cultural Center (CCBB)

Rua Álvares Penteado, 112

© Keko Pascuzzi

+55 11 3113-3651/ 3113-3652

© Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

O Largo do Café hoje / Largo do Café today

O Largo do Café em 1936 / Largo do Café in 1936 14

A antiga sede do Banco do Brasil na cidade de São Paulo foi construída entre 1923 e 1927, seguindo o projeto do arquiteto Hipólito Gustavo Pujol Júnior, professor da Escola Politécnica. Desde 2001, abriga o Centro Cultural Banco do Brasil, um dos mais ativos e completos espaços culturais paulistanos, parte de mais um esforço na política de revitalização do centro da cidade. A fachada também apresenta adornos de ramos de café. Outro destaque é o cofre da antiga agência no subsolo do prédio.

3ª a domingo, das 10h às 20h

The former headquarters of Banco do Brasil in the city of São Paulo was built between 1923 and 1927, following the project by architect Hipólito Gustavo Pujol Júnior, professor at the Escola Politécnica. Since 2001 it has housed the Banco do Brasil Cultural Center, one of the most active and complete cultural spaces in São Paulo, which is part of one more effort in the city’s downtown revitalization policy. The façade also presents coffee branch adornments. Another highlight is the safe

Coffee was marketed here in the past, in a kind of informal trade exchange, up to 1914 with the setting up of the Official Coffee Stock Exchange, in Santos (which became the world’s largest coffee dealing location). Currently, there are lively bars and coffee shops after business hours, where one may taste a good coffee.

Tuesday to Sunday, from 10:00 am to 8:00 pm www.bb.com.br

4. Largo do Café Largo do Café Antigamente o café era aqui comercializado, numa espécie de bolsa informal, até 1914 com a instituição da Bolsa Oficial do Café, em Santos (que se tornou a maior praça cafeeira do mundo). Atualmente há bares e cafeterias muito animados após o horário comercial, onde se pode saborear um bom café.

Cruzamento das ruas São Bento, Álvares Penteado, do Comércio e Dr. Miguel Couto/ Intersection of Rua São Bento, Rua Álvares Penteado, Rua do Comércio e Rua Dr. Miguel Couto

15


5. Edifício Martinelli Martinelli Building Na São Paulo que crescia com o dinheiro do “ouro negro”, quando inaugurado, em 1929, era o mais alto edifício do mundo fora dos Estados Unidos, condição perdida apenas em 1936. Inicialmente de autoria do arquiteto húngaro William Fillinger, o projeto de 12 andares foi alterado pelo próprio empreendedor da obra, Giuseppe Martinelli, que tinha a meta de 30 andares e a atingiu ao construir sua mansão no topo do prédio, assim demonstrando aos desconfiados que, apesar de tão alta, a construção era segura. Havia neste exato local o Café Brandão, um dos mais marcantes da época.

the world outside the United States, condition this only lost in 1936. Initially authored by the Hungarian architect William Fillinger, the 12 floors project was changed by the very work undertaker, Giuseppe Martinelli, who had in mind 30 floors and attained his goal, building his own mansion on top of the building, thus demonstrating to those who were distrustful that, in spite of being so high, the construction was safe. At this exact site, there was Café Brandão, one of the most remarkable at that time. Rua Líbero Badaró, 504 +55 11 3104-2477 2ª a 6ª feira: das 9h30 às 11h30 e das 14h30 às 16h00; sábado (necessário agendamento): até as 13h Monday, Tuesday and Friday, from 9:30 am to 11:30 am and from 2:30 pm to 4:30 pm Saturday (previous booking necessary): up to 1:00 pm

Café Brandão, em 1915 / Café Brandão in 1915 16

© Keko Pascuzzi

www.prediomartinelli.com.br © Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

In the city that grew with the “black gold” capital, when inaugurated, in 1929, this was the tallest building in

Edifício Martinelli 17


Região da Luz / Luz Area The History of the Luz area is closely related to the railroad and, consequently, to coffee. São Paulo starts growing as of the coffee arrival, in mid XIX Century. The central triangle cannot take any more the growing population and the city’s progress. It is the beginning of the expansion which follows through the Luz region, which was no longer a stop point for tropeiros (horsemen) and was incorporated into the urban scenery. In 1860, by initiative of Irineu Evangelista de Sousa, the Baron of Mauá, a great promoter of the Brazilian industry, the construction of the railroad connecting Santos to Jundiaí started. It was concluded in 1867, under the control of the British “The São Paulo Railway Company”, aimed at transporting the coffee production from the São Paulo’s Interior to the Port of Santos for export.

© Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

A História da Luz está intimamente ligada à ferrovia e, consequentemente, ao café. A partir da chegada do café, em meados do século XIX, São Paulo cresce. O triângulo central não suporta mais a crescente população e o progresso da cidade. É o início da expansão que segue pela região da Luz, que deixa de ser um ponto de parada de tropeiros para incorporar-se no cenário urbano. Em 1860, por iniciativa de Irineu Evangelista de Sousa, o Barão de Mauá, grande impulsionador da indústria brasileira, começa a construção da ferrovia ligando Santos a Jundiaí, concluída em 1867 já sob o controle da inglesa “The São Paulo Railway Company”, visando escoar a produção de café do interior paulista até o Porto de Santos para exportação.

Avenida Tiradentes, início do séc. 20 / Tiradentes Avenue, early 20th century 18

19


© Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

Chegada do café ao Porto de Santos / Café arriving at the Port of Santos 20

21


Com o crescimento da demanda do transporte ferroviário, foi necessário desenvolver um novo projeto de estação que comportasse o movimento de pessoas e cargas. Foram inauguradas em 1901 a atual Estação da Luz e duas pequenas pontes sobre a estrada de ferro. Projetada pelo inglês Charles Henry Driver, sua obra utilizou exclusivamente materiais trazidos da Inglaterra. Um dos maiores símbolos da cidade – especialmente pela sua torre de 60 metros de altura – a Estação da Luz é uma das mais importantes do sistema de transporte metropolitano. Também abriga, desde 2006, um dos mais visitados museus da cidade: o inovador Museu da Língua Portuguesa. With the growing demand for the railway transport, it was necessary to develop a new station project which would accommodate the movement of people and loads. The Luz Station and two small bridges on the railroad were inaugurated in 1901. Designed by the British Charles Henry Driver, its construction used exclusively materials brought from England. 22

One of the city’s main symbols – especially due to its 60-m high tower – Luz Station is one of the most important of the metropolitan transport system. It also houses, since 2006, one of the most visited museums in town: the innovative Portuguese Language Museum. Praça da Luz, 1 - Luz 0800-55-0121 Diariamente, das 4h às 24h. Daily, from 4:00 am to 12:00 pm www.estacaodaluz.org.br

7. Painel “Epopéia Paulista” “Epopéia Paulista” Panel Realizado pela artista plástica Maria Bonomi, este monumental painel de 73 metros de extensão por 3 metros de altura contempla a memória da Estação da Luz e os tipos humanos da cidade de São Paulo. A obra é dividida em 3 partes: Amarela – faz referência à presença nordestina na cidade, com ilustrações que remetem à literatura de cordel e cor que representa a terra seca do Nordeste. Branca – as linhas retas representam os trilhos do trem e do Metrô, na cor branca que simboliza o futuro a ser construído na cidade pelos que chegam. Vermelha – ilustra objetos esquecidos pelos usuários

© André Stéfano

Luz Station

Estação da Luz © Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

6. Estação da Luz

Antiga Estação, entre 1880 e 1900 / Old Station, between 1880 and 1900 23


8. Parque da Luz Luz Park

© Jefferson Pancieri

Entre a rica e diversa flora do parque é possível ver um pé de café. Originalmente concebido para ser um Jardim Botânico, foi criado por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 1798. O Parque da Luz, aberto ao público em 1825, é a mais antiga área verde da cidade. Tem área de 113.400 m² e conta com muitos atrativos, como a gruta com cascata, o aquário subterrâneo, e quase 50 esculturas de artistas como Lasar Segall, Victor Brecheret, Leon Ferrari e Amílcar de Castro dispostas ao longo de toda extensão.

“Epopéia Paulista”

Made by the plastic artist Maria Bonomi this monumental panel with 73 meters in length by 3 meters in height contemplates the Luz Station memory and the city of São Paulo’s human types. The work is divided into 3 parts: Yellow – Refers to the Brazilian northeastern migrants presence in the city, with illustrations harking back to the cordel literature and color representing the Northeast dry land. 24

White – Straight lines representing the Subway and train rails, in white colors, which symbolize the future to be built in the city by those who arrive. Red – Illustrates objects daily forgotten by the users in the station, from the most common to the most curious ones. The selected color represents the “terra roxa”, the rich red soil lands found in São Paulo, which served well for large coffee plantations.

Praça da Luz, s/nº - Luz +5511 3227-3545 3 a a domingo, das 9h às 18h Tuesday to Sunday, from 9 am to 6 pm

Parque da Luz

www.prefeitura.sp.gov.br

Estação da Luz (corredor de interligação entre o Metrô e a CPTM) (interconnection corridor between the Subway and CPTM) 0800-55-0121 Diariamente, das 4h às 24h.

© Jefferson Pancieri

no dia-a-dia da estação, dos mais comuns aos mais curiosos. A cor escolhida representa a “terra roxa”, a terra vermelha encontrada em São Paulo, que serviu a grandes plantações de café.

Among the rich flora of this park, it is possible to find a coffee tree. Originally designed to be a Botanical Garden, it was created by a Portuguese Crown Royal Order in 1798. Open to the public in 1825, it is the city’s oldest green area. It has an area of 113,400 m2 and relies on many attractions such as a cavern with a waterfall, the underground aquarium, and nearly 50 sculptures by artists such as Lasar Segall, Victor Brecheret, Leon Ferrari and Amílcar de Castro, arranged throughout its length.

Daily, 4:00 pm to 12:00 am

25


9. Pinacoteca do Estado

© Jefferson Pancieri

© Jefferson Pancieri

© Jefferson Pancieri

State Pinacoteca

Pinacoteca do Estado 26

O edifício começou a ser construído em 1897 para sediar o Liceu de Artes e Ofícios – centro de educação profissionalizante para formação de artesãos e mão-de-obra especializada para a metrópole que se desenvolvia com o dinheiro vindo da exportação do café. O projeto da construção é do arquiteto Ramos de Azevedo, que também era o diretor do Liceu. Inaugurado em 1905, também passou a abrigar a Pinacoteca do Estado, o primeiro museu de arte de São Paulo, que veio a ocupar a totalidade do prédio. Restaurado em 1998 seguindo o projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, a Pinacoteca tem mais de 8 mil peças em seu acervo e é um dos principais atrativos turísticos paulistanos. This building started to be constructed in 1897 to house the Liceu de Artes e Ofícios – a vocational education center to educate craftspeople and skilled manpower for the metropolis which kept developing with the capital resulting from the coffee exportation. The construction project is by the architect Ramos Azevedo, who was also

the Liceu’s director. Inaugurated in 1905, it also started to house the Pinacoteca do Estado, the first art museum in São Paulo, which ended up taking the entire building. Restored in 1998 following the project by architect Paulo Mendes da Rocha, Pinacoteca has above 8 thousand pieces in its collection and is one of the São Paulo’s main touristic attractions. Praça da Luz, 2 - Luz +5511 3324-1000 3a a domingo, das 10h às 17h30 Tuesday to Sunday, from 10 am to 5:30 pm www.pinacoteca.org.br

10. Estação Pinacoteca Pinacoteca Station Em 1875 foi inaugurada a Estrada de Ferro Sorocabana, fruto da união entre barões do café e produtores de algodão para levar uma nova ferrovia para o interior do estado. Este edifício foi inaugurado em 1914 para abrigar os escritórios administrativos e o Armazém Central da ferrovia, além de funcionar como estação provisória até o início das operações na Estação Júlio Prestes, em 1930. A construção é famosa por ter abrigado o Departamento de Ordem Política e Social – DOPS, principal órgão de in27


11. Estação Júlio Prestes Júlio Prestes Station

© Divulgação Secretaria da Cultura

Projetado pelo arquiteto Christiano Stockler das Neves, este edifício foi erguido para ser a definitiva estação da Estrada de Ferro Sorocabana. A antiga não comportava mais as necessidades da ferrovia na capital paulista, o que levou à nova construção de proporções monumentais. Com a conclusão da área das plataformas em 1930, a estação iniciou suas operações, embora o edifício – muito luxuoso e com detalhes em estilo Luis XVI - só fosse concluído em 1938. Sua torre de 75 metros de altura destaca-se na paisagem. Atualmente, além de ponto de partida dos trens da Linha Diamante da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), abriga a Secretaria de Estado da Cultura, e a Osesp – Orquestra Sinfônica

vestigação e repressão durante o regime da Ditadura Militar. Incorporado em 2004 pela Pinacoteca do Estado, passou a ser chamado Estação Pinacoteca e expõe a Coleção Nemirovsky, um dos mais importantes acervos de arte moderna do país. No térreo, está o Memorial da Resistência de São Paulo, dedicado à preservação das memórias da resistência e da repressão política no Brasil. In 1875 the Estrada de Ferro Sorocabana (Sorocabana Railway) was inaugurated thus coffee barons and cotton producers united themselves to take a new railway to the countryside of the state. This construction was inaugurated in 1914 to shelter the administrative offices and the Central Warehouse of the railway, besides operating as 28

provisional station until the start of operations at the Júlio Prestes Station, in 1930. The building is famous for having sheltered the Department of Political and Social Order – DOPS, main agency of investigation and repression during the regime of the Military Dictatorship. Incorporated in 2004 by the State Pinacoteca, it started to be called Estação Pinacoteca and exhibits the Nemirovsky Collection, one of the country’s most important modern art collections. The São Paulo Resistance Memorial is at the ground floor, dedicated to the preservation of memories of the resistance and political repression in Brazil. Largo General Osório, 66 - Luz +5511 3324-1000 3a a domingo, das 10h às 17h30 / Tues-

Designed by the architect Christiano Stockler das Neves, this building was raised to be the definitive station of the Estrada de Ferro Sorocabana. The former station was no longer proportionate to railway needs at the capital city of São Paulo, which led to the new construction of monumental proportions. With the conclusion of the platform area in 1930, the station started its operations, although the building – a lot luxurious and with details in Louis XVI style – was only concluded in 1938. Its tower with a

© Acervo Iconográfico/ Casa da Imagem de São Paulo

Estação Pinacoteca

do Estado de São Paulo. Desde 1999 o prédio também comporta uma das melhores salas de concerto do mundo, a Sala São Paulo. Instalada no antigo saguão, tem capacidade para cerca de 1.500 pessoas e forro móvel que permite uma acústica ajustável para cada concerto.

day to Sunday, from 10 am to 5:30 pm www.pinacoteca.org.br

Antiga Estação Sorocabana, por volta de 1910 29


© Jefferson Pancieri © Jefferson Pancieri

30

© Jefferson Pancieri

© Jefferson Pancieri

Vitral da Estação Júio Prestes / Julio Prestes Station stained glass window

Estação Júio Prestes e Sala São Paulo 31


height of 75 meters stands out in the landscape. Currently, aside from the starting point of the trains of CPTM’s (Sao Paulo State Company of Metropolitan Trains) Diamond Line, it holds the State Secretary of Culture and the Osesp – São Paulo State Symphonic Orchestra. Since 1999 the building also bears one of the best concert halls in the world, the São Paulo Hall, installed in the former lobby, has capacity for about 1,500 people and moving panels on the ceiling that allows an adjustable acoustics for every concert. Rua Mauá, 16 - Luz +5511 3324-1000 2a a 6a, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 16h30 Monday to friday, from 10 am to 6

12. Vila dos Ingleses English Village Esta vila foi concebida para servir de moradia aos funcionários ingleses da ferrovia São Paulo Railway (Santos-Jundiaí). Construída a partir de 1917 seguindo projeto do chileno Eduardo de Aguar D’Andrada, inspirado nas vilas operárias de Londres. Atualmente funciona como um centro de atividades comerciais. This village was designed by the Chilean Eduardo de Aguar D’Andrada, in order to serve as dwelling for the British employees of the São Paulo Railway (railroad Santos-Jundiaí). It was built as of 1917, inspired in the worker’s villages of London. It currently operates as a business activity center.

pm, and saturdays, from Rua Mauá, 836 – Luz

www.salasaopaulo.art.br

+5511 3228-6944

© Keko Pascuzzi

10 am to 4:30 pm

Vila dos Ingleses 32

Coffee and the History of the City