Issuu on Google+

04

Formação 2007

citeinforma

05

Dupla Certificação

‘06

Citeforma assina protocolo com a Antral

Nova Imagem

05 Setembro ‘06

04

n. 29

Distribuição gratuita www.citeforma.pt gcm@citeforma.pt

02

02

Fonte de conhecimento, dinâmica e humanizada.

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA Ministério do Trabalho e Solidariedade Social


NOTÍCIAS

citeinforma

nota editorial

CITEFORMA: UMA NOVA IMAGEM PARA GARANTIR UMA FORMAÇÃO COM QUALIDADE PRESENTE E FUTURA No passado dia 1 de Agosto abriram as novas instalações do Citeforma (Centro de Formação Profissional dos Trabalhadores do Escritório, Comércio, Serviços e Novas Tecnologias), situado na Avenida Marquês de Tomar nº 91, em Lisboa, num edifício que foi completamente remodelado, apresentando uma nova imagem, mais inovadora, apelativa ao gosto pelo saber-fazer, com o objectivo de melhorar a qualidade de formação que já vem do passado e atenta aos novos desafios que se avizinham. O Citeforma teve origem num Protocolo entre o Sitese (Sindicato dos Trabalhadores e Técnicos de Serviços) e o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) tendo sido homologado pela Portaria nº 764/87, com data de 3 de Setembro. Esta estrutura organizacional procurou dinamizar uma consciência social de melhoria da qualificação pela via da formação profissional e que tem vindo, persistentemente, a ser desenvolvida ao longo do período da existência da Democracia Portuguesa, dando um contributo claro aos trabalhadores e respectivas Empresas, apostando numa inserção requalificadora do tecido produtivo a nível Nacional, como também na formação de jovens à procura do primeiro emprego. Esta perspectiva orientada para a formação de técnicos e profissionais de serviços, não advém apenas do trajecto de um organismo que ganha maior visibilidade a partir de 1987. A referida estrutura já tinha mantido uma aposta clara numa política de formação anterior ao 25 de Abril de 1974, através de um Centro de Formação Profissional do Sindicato dos Trabalhadores do Escritório do Distrito de Lisboa, numas instalações que, outrora, se situavam num dos prédios da Avenida Duque de Loulé. Actualmente o Citeforma para além de ser uma entidade dotada de personalidade jurídica de direito público, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira, encontra-se acreditada pelo IQF (Instituto para a Qualidade da Formação) num conjunto de domínios que lhe dá novas competências para assegurar às entidades empregadoras a possibilidade de dispor de colaboradores com maior capacidade de utilização e de meios instrumentais de elevada exigência profissional. Com estas novas competências o Citeforma, apresenta-se junto dos trabalhadores, jovens, Instituições e Empresas, procurando promover uma Formação Profissional dotada de novos mecanismos e metodologias que permitam preencher as necessidades do mercado como a polivalência, a flexibilidade, a empregabilidade e, simultaneamente, melhorando, também, os projectos de formação à medida das alterações tecnológicas e dos métodos de gestão, numa busca incessante do seu aperfeiçoamento. O Citeforma apresenta-se com uma IMAGEM NOVA para servir as pessoas, centrando muito do seu esforço no processo de aprendizagem, e requalificação, estimulando o desenvolvimento de competências, e dedicando a sua experiência para a melhoria dos resultados individuais e das organizações, com vista a preservar a sua marca de imagem numa Formação Profissional Mais Exigente e de Melhor Qualidade. Custódia Fernandes Membro do Conselho de Administração do Citeforma Vice Presidente do SITESE. Deputada

Prestação de Serviços a Empresas

Citeforma assina protocolo com a Antral

O recurso a formação à medida é cada vez mais a solução que as empresas procuram. Com larga experiência na área, o Citeforma torna-se parceiro de algumas empresas, na medida em que responde às suas necessidades formativas, quer elas sejam no campo do diagnóstico, planeamento, concepção, organização, desenvolvimento ou da avaliação da formação. A Medialog recorreu à formação na área comportamental. Foram, assim, ministrados três cursos: Gestão de Stress, Condução de Reuniões e Comunicação. A formação decorreu nos meses de Junho e Julho, nas instalações do Citeforma, e envolveu 17 trabalhadores desta empresa. Na Ordem dos Advogados está agendada para Outubro mais uma acção de Secretariado Forense. Esta será a 8ª edição deste curso,

O Citeforma assinou, no dia 29 de Agosto de 2006, um protocolo com a ANTRAL, com o objectivo de encaminhar os associados desta entidade para o seu Centro de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC). Criado em Junho deste ano, no âmbito da Iniciativa Novas Oportunidades, o Centro de RVCC permite que um adulto obtenha o diploma escolar do 4º, 6º ou 9º ano de escolaridade através da identificação, validação e certificação de competências que foi adquirindo ao longo da vida.

destinado a aperfeiçoar os conhecimentos das secretárias que prestam assessoria administrativa aos advogados. Também a GNR voltou a recorrer aos serviços do Citeforma para a realização de formação na área de Informática: Técnicas de Manutenção de Hardware e Introdução ao Networking. Estes cursos decorreram em Junho, com uma duração de 32 horas cada.

“Há pessoas que nos contactam, muitas que foram despedidas de fábricas, interessadas em enveredar pela profissão de taxista e não podem, porque não têm a escolaridade mínima obrigatória para obter o CAP” conta Florêncio de Almeida, Presidente da ANTRAL, que considera que “esta iniciativa é muito importante porque além de responder a esta necessidade, possibilita ainda que os nossos associados acedam a uma qualificação superior”. Agostinho Castanheira, Director do Citeforma, elogia a atitude da ANTRAL. “Temos consciência de que muitos profissionais deste sector detêm conhecimentos que resultam da sua experiência pessoal

DIRECÇÃO Agostinho Castanheira | REDACÇÃO E FOTOGRAFIA Tânia Fernandes PAGINAÇÃO Sem Goma, Designers e Associados | COLABORAM NESTA EDIÇÃO Dulce Matos, Fernando Cordeiro e Rogério Pacheco PROPRIEDADE CITEFORMA – Centro de Formação Profissional dos Trabalhadores de Escritório, Comércio, Serviços e Novas Tecnologias TELEFONE 21 799 45 60 | FAX 21 799 45 66 | E-MAIL gcm@citeforma.pt | http://www.citeforma.pt TIRAGEM 2000 exemplares | DEPÓSITO LEGAL 139409/99

citeinforma

Setembro’06

e profissional mas que não são devidamente reconhecidos. Esta é, claramente, uma oportunidade para certificarem esses saberes!”


NOTÍCIAS

citeinforma

Novas Instalações, Nova Imagem

“As novas instalações estão muito boas. O auditório é muito bonito. Acho que antigamente o Citeforma tinha espaço mas não estava bem aproveitado.” Sónia Almeida, formanda “O espaço está bonito. Apesar de ser o mesmo, está todo remodelado, e por isso fica mais agradável.” Hugo Gonçalves, formando “Gosto muito do espaço dado aos corredores e às áreas comuns. É mais agradável. As salas, no geral, têm muita luz. Os novos armários também são muito bons. Ganhámos muito espaço para guardar documentação.” Isabel Pedrosa, formadora “A consequência de uma remodelação tão profunda do prédio, é que temos um edifício novo, tanto a nível interior como exterior. Melhoraram significativamente as condições de trabalho, de luz e de temperatura. Para além disso, também se ganharam espaços que não estavam aproveitados e onde são agora, por exemplo, o auditório e a esplanada.” Abranches Correia, Consultor

Recursos Didácticos O Citeforma vai ter novos recursos didácticos em 2007. A candidatura, recentemente aprovada pelo POEFDS (Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social), prevê que, até Julho de 2007, sejam desenvolvidos cerca de 60 produtos destinados às diferentes áreas de formação ministradas no Centro, nomeadamente manuais técnicos para formandos e formadores.

Os manuais, a produzir para a área da Formação de Formadores e Microinformática, vão ser desenvolvidos em parceria com a empresa Dreamsolutions, que já trabalha em conjunto com o Citeforma no curso de Formação Pedagógica de Formadores Inicial – à Distância. Esta parceria permitirá a construção de recursos para implementação em plataforma de e-learning, podendo o Citeforma, no futuro, vir a alargar a sua oferta formativa, na modalidade à distância.

03


FORMAÇÃO

citeinforma

Formação 2007 Audiovisuais e Produção dos Media

Com as mesmas linhas de acção de anos anteriores, o Plano de Formação para 2007 sofre apenas alguns ajustes resultantes da análise da procura de cursos, da avaliação da formação e estudos sobre a evolução do sector de escritório, comércio, serviços e novas tecnologias. Mantém-se, também, a tendência de reestruturar cursos de longa duração como o Inglês ou o Aperfeiçoamento em Secretariado, que em 2007 darão lugar a acções de formação de curta duração. “O Citeforma aposta, cada vez mais, no desenvolvimento de percursos formativos. Julgamos que a oferta formativa, organizada neste sistema modular, permite que cada pessoa encontre o seu próprio ritmo de formação e que escolha o nível de competências que pretende adquirir ” explica-nos Cristina Tavares, responsável pelo Departamento de Formação do Citeforma.

Considerando as condições proporcionadas pelas novas instalações, o Citeforma retomou alguma da formação ministrada em anos anteriores na área dos Audiovisuais e Produção dos Media e propõe novos cursos. Assim, passa a ministrar os cursos de: Edição de Áudio para Audiovisuais; Edição não Linear de Vídeo com Adobe Premiere; Edição não linear de Vídeo com Avid Xpress; Guionismo Audiovisual; Pós-produção com Adobe After Effects; Produção e Realização de Audiovisuais; Técnicas de Captação de Vídeo e Audio; e Técnicas de Reportagem de Audiovisuais

Desenvolvimento Pessoal

Ciências Informáticas

Há dois novos cursos na área comportamental: Atendimento Comercial e Técnicas de Vendas. Apesar da designação remeter para a área comercial, estes cursos centram-se em estratégias de comunicação, aplicadas a um determinado contexto.

O Citeforma reorganizou os percursos formativos da área de desenvolvimento (ciências informáticas). Na opinião do coordenador da área, José Aser, “as alterações propostas têm o objectivo não só de actualizar os conteúdos programáticos às evoluções tecnológicas como ainda de ajustar a oferta formativa aos perfis profissionais pretendidos pelos candidatos”. Assim, foram criadas três vertentes tecnológicas, cujos conteúdos abaixo descrevemos: Programação sobre Base de Dados; Programação em Java; e Programação em .Net.

Línguas A elevada procura de formação em língua espanhola, durante 2006, levou o Citeforma a planear o alargamento a outros níveis de desenvolvimento da língua. Assim, depois dos níveis de Espanhol Inicial I e II, têm início em 2007 os cursos de Espanhol Médio I e II.

Na área do design gráfico, foram também introduzidos novos cursos: Macromedia Flash Avançado; Adobe Indesign; e QuarkXPress.

Formação em Portalegre

Informática para Utilizadores

O Citeforma mantém a sua oferta formativa em Portalegre, nas áreas da Microinformática, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, Formação de Formadores e Inglês. As acções de longa duração de Inglês darão, no entanto, lugar a cursos de Inglês Intensivo, permitindo que ex-formandos, ou outros que já tenham competências da língua inglesa, aperfeiçoem esses conhecimentos.

Por via das evoluções da tecnologia, esta área irá ser profundamente reestruturada. Estão previstos, ainda, novos cursos: SO Windows, Internet e Comunicação; Introdução ao MSSharepoint; Gestão de Tempo com Outlook; MS-Visio; e MS-Office - Colaboração em tempo real

04


FORMAÇÃO

citeinforma

Dupla Certificação Em resposta ao apelo apresentado pela Iniciativa “Novas Oportunidades” (ver caixa) o Citeforma inicia, já no último trimestre de 2006, cursos de formação com dupla certificação (escolar e profissional) destinada a dois públicos distintos: jovens e adultos.

a 18 anos, não qualificados ou sem qualificação, que não tenham concluído a escolaridade básica de 9 anos mas com o 6º ano de escolaridade. É dada prioridade aos activos empregados no sector administrativo das empresas.

Jovens - Educação, Formação e Aprendizagem

Perfil de Saída do curso de Práticas Administrativas: Descrição Geral

O Citeforma tem vindo a reestruturar a oferta formativa para jovens. Os cursos de Qualificação estão a dar lugar a cursos de Educação Formação (os candidatos entram com o 11º ano de escolaridade e saem com o 12º ano + nível 3 UE) e alargou-se a oferta formativa de Aprendizagem (destinada a jovens com o 9º ano de escolaridade, conferindo-lhes à saída o 12º ano + nível 3 UE). Para 2007, estão previstos os seguintes cursos com dupla certificação: Aprendizagem • Técnicas de Apoio à Gestão e Técnicas de Sistemas Informáticos. Educação Formação • Técnico de Secretariado; Técnico de Secretariado e Burótica; Técnico de Contabilidade; Análise e Programação de Software de Gestão; e Técnicos de Comunicação Multimédia.

O(a) Assistente Administrativo(a) é o profissional que, com base nos procedimentos e técnicas adequados bem como nas normas de higiene, segurança e ambiente, executa tarefas administrativas relativas ao funcionamento das organizações – empresas ou serviços públicos – de acordo com as normas previamente estabelecidas.

Actividades Principais: • Preparar e executar tarefas relacionadas com o expediente geral das organizações, de acordo com procedimentos estabelecidos. • Preencher e conferir documentação de apoio à actividade das organizações. • Registar e actualizar dados necessários à gestão das organizações. • Atender e encaminhar o público interno e externo das organizações.

Activos - Educação e Formação de Adultos

Nota: Este curso dá acesso ao Certificado de Aptidão Profissional (CAP) de Assistente Administrativo previsto pelo Sistema Nacional de Certificação Profissional (SNCP).

O Citeforma inicia já em Novembro uma acção de Práticas Administrativas, destinada a cidadãos com idade igual ou superior

Iniciativa Novas Oportunidades

pessoas. No quadro das exigências da nova economia global, este é um imperativo para o crescimento económico, para o emprego e para a melhoria dos salários” referia José Sócrates no debate mensal da Assembleia da República. Assim, a estratégia apresentada mobilizou esforços no sentido de incrementar a oferta de cursos de educação e formação, sobretudo

Portugal continua a apresentar baixos níveis de escolarização, que atingem também os jovens. Cerca de 45% dos jovens entre os 18 e os 24 anos abandonaram os estudos sem concluir o ensino secundário e uma boa parte não concluiu sequer os actuais 9 anos da escolaridade básica. Com o objectivo de ultrapassar estes indicadores de educação e formação, o Primeiro-Ministro apresentou, em Setembro 2005, o programa Novas Oportunidades. “O problema crítico para a competitividade de Portugal tem a ver com a qualificação das

os que conferem o 9º ano de escolaridade e/ou qualificação profissional de nível 2, bem como aqueles que oferecem o 12º ano de escolaridade e/ou qualificação profissional de nível 3. Estes cursos de dupla certificação constituem novas oportunidades tanto para os jovens como para os activos.

Livro de Curso de Secretariado No âmbito do módulo de Atendimento e Protocolo, os formandos do curso de Técnico de Secretariado realizaram um evento para a apresentação do livro de curso.

formadores do centro. “Com isto, pretendemos demonstrar e reconhecer as variadíssimas potencialidades do curso que frequentamos porque, sendo a sua duração de apenas uns meses, dele se consegue tirar benefícios a vários níveis profissionais”. Referia Diogo Soares, um dos formandos, durante a sessão.

Uma iniciativa para a qual convidaram alguns técnicos e

05


citeinforma

Técnicas de Apoio à Gestão As oportunidades depois de concluído o curso

Mais qualificações

Terminou, no final do mês de Junho, o curso de Técnicas de Apoio à

O Hugo Gonçalves frequentava o 10º ano de Economia, quando decidiu

Gestão, destinado a jovens com o 9º ano. Com a duração de três anos, este curso deu-lhes equivalência ao 12º ano e nível 3UE.

fazer um curso profissional “Não me estava a adaptar muito bem à escola. Desleixei-me e acabei por chumbar”. Optou pelo curso de Técnicas de Apoio à Gestão e hoje reconhece que foi uma boa aposta “Gostei de ter estado no Citeforma durante os três anos. Acho que o curso foi vantajoso. Mais do que na escola, visto que abrange mais matéria e outro tipo de assuntos. O estágio na empresa correu bem, tive muito boas notas”. Inscreveu-se, agora, no curso de Gestão, que tem saída de nível 4UE. “Acredito que tenha mais oportunidades depois no mercado de trabalho. Hoje em dia, só o 12º ano já não é suficiente”.

Quem acompanhou o percurso destes jovens atesta o seu desenvolvimento pessoal, social e profissional: “Muitos deste jovens chegaram ao Citeforma com um percurso escolar marcado pelo insucesso, revelando contudo um grande interesse em processos de aprendizagem mais virados para a prática e para o exercício de uma profissão específica.

A trabalhar

A experiência que viveram aqui no Centro bem como nas empresas onde realizaram os estágios permitiu-lhes atingir um duplo objectivo: obter o 12º ano, o que para uns será sinónimo de progressão nos estudos, e adquirir um conjunto de competências profissionais, o que lhes permitirá entrar mais facilmente no mercado de trabalho” comenta Susana Gonçalves, responsável pelo Gabinete de Psicologia.

A Sofia Madeira continua a trabalhar na empresa onde fez a formação prática em posto de trabalho. Inserida numa empresa de contabilidade de pequena dimensão, faz um pouco de tudo: prepara documentação, classifica, lança dados no computador, tira balancetes. “Fez também o apuramento do IVA tanto no computador como à mão e acompanhou o encerramento de contas” conta-nos Sónia Pereira, tutora do estágio de Sofia. Na opinião de Sónia, a ex-formanda desenvolveu muito os seus conhecimentos nesta empresa. “Pouco depois de ter entrado, saíram duas pessoas que estavam na empresa há mais de dez anos. A Sofia teve mesmo de evoluir, porque deixou de ter esse suporte. Gostámos do seu trabalho e por isso propusemos que continuasse”.

Terminado este ciclo, abrem-se novas oportunidades. Há quem queira dar continuidade a um estágio bem sucedido e prefira por isso, a inserção no mercado de trabalho, mas há também quem opte por elevar a sua qualificação, e por isso aposte o tempo num futuro mais promissor.

Fiscalidade por Fernando Cordeiro

visa o fomento e a disseminação da factura electrónica, de forma a simplificar procedimentos, evitar encargos excessivos para os sujeitos passivos e permitir um clima de certeza e segurança jurídicas.

Lei nº 33/2006, de 28 de Julho Altera o Código do IVA, estabelecendo regras especiais em matéria de tributação de desperdícios, resíduos e sucatas recicláveis e de certas prestações de serviços relacionadas.

Nova Aplicação Informática O Ministério das Finanças divulgou a detecção, através de uma nova aplicação informática, de 4.837 situações em que o montante de prejuízos fiscais deduzido pelos sujeitos passivos foi superior ao devido (7,8% do total), ascendendo a mais de 100 milhões de euros. A DGCI vai, em breve, proceder à correcção dos valores declarados e à liquidação do imposto em falta e dos juros compensatórios devidos, relativamente a todas as situações detectadas.

Decreto-Lei que regula as condições técnicas para a emissão, conservação e arquivamento das facturas ou documentos equivalentes emitidos por via electrónica, nos termos do Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado O Conselho de Ministros aprovou em 31 de Agosto o Decreto-Lei que

REDE As PMEs e o Relacionamento com a Banca Local: Vendas Novas. Este seminário será promovido em colaboração com o Centro de Emprego de Montemor-o-Novo.

Destinatários: dirigentes de pequenas e médias empresas. Negociação com clientes e fornecedores Local: Beja Seminário promovido em colaboração com a empresa Ponto Óptimo, distinguida pelo IEFP como uma das “10 melhores práticas empresariais”.

Informações e inscrições: rede@citeforma.pt Seminários a realizar até ao final do ano

06


“- Saiba V.Sa que a minha graça é Gabriel Ramiro dos Anjos... - explicava o interessado, a tentar receber no Banco um cheque que lhe mandara o filho do Brasil. - Acredito. Mas traga, traga um fiador... Ou então arranje uma casa comercial que o abone... - Talvez V.Sa tenha ouvido falar no Luminárias... - Ai vossemecê é que é o célebre Luminárias?! Isso é outro cantar! Assine aqui...”

agora com companhia: Maria José, Maria da Conceição, Maria Odete, Maria Fernanda; nos anos 50 o fenómeno de Fátima: Maria de Fátima, Maria de Lourdes; os anos 60 trazem o uso de dois nomes próprios: Ana Cristina, Ana Maria, Ana Isabel, Pedro Manuel, José Miguel; nos anos 80 sob a influência da telenovela brasileira eis-nos a dar largas às mais inventivas combinações: Tânia Andreia, Cátia Corina, Tatiana Cristina que contrastam com Filipe, Rodrigo, Diogo, Tomás, Mafalda, Francisca que haviam regressado na década de 70.

(in Novos Contos da Montanha – Miguel Torga 7ª edição (Edição de Autor) 1977 - Coimbra)

Quanto a nomes e apelidos bizarros, para além dos “clássicos” Manuel Passos Dias Aguiar, Maria dos Prazeres e Morais, Um Dois Três de Oliveira Quatro, podemos acrescentar à lista outros nomes menos conhecidos: Maria Cabeça de Pulga, Gertrudes Destapada, Manuel Aldeia dos Ovos, António Bonito Pouca Farinha, Oceano Pacífico Fortes, Carapau Edite Domingos, Maria Breu Cara Linda.

Ao escolher este episódio ocorrido lá pelas décadas de 30/40, em Malhão, uma aldeia algures em Trás-os-Montes, pretendemos mostrar não só a tradição oral da alcunha (do árabe al-Kuniâ) no nosso país, mas também a força que a comunidade possuía, ao conseguir impor o nome por ela escolhido ao que constava nos cartórios do registo civil. Falemos agora de nomes, começando pelo registo civil criado em Portugal em 1911 (ano seguinte ao da implantação da república) e que até lá eram inscritos nos livros paroquiais e escolhidos como os pais entendessem. E o artigo 143 do 1º Código Civil reza assim: “O nome próprio será livremente escolhido de entre os que se encontram nos diferentes calendários, ou de entre os que usarem as personagens conhecidas da História e não deverá ser confundido com nomes de família, nomes de coisas, de qualidades, de animais ou análogos”. Sabemos que a Igreja Católica tem um calendário litúrgico onde figura, para cada dia do ano, o nome de um santo. Neste contexto, acrescentando elementos como a cultura, a região e a época entre outros, estamos perante o fenómeno moda que assim vai ditar as preferências. No século passado, a partir da década de 20, surge o interesse pelos nomes próprios alusivos aos ideais republicanos: Progresso, Liberdade, Igualdade, Nova Pátria, Faternidade; e os apóstolos caiem em graça entre as famílias católicas: Pedro, Paulo e Lucas e Maria (que logo no início do século surgia “sozinha”) aparece

Finalizamos com uma “pincelada” de nomes brasileiros, feita sobre um levantamento de alguns cartórios de Porto Alegre no Rio Grande do Sul: Ressurgente Monte Santos, João de Deus Fundador do Coito, Boaventura Torrada, Bailão Fernandes da Silva, Primeira Delícia Figueiredo Azevedo, António Quexido Fracasso, Hypotenusa Pereira. Doutras paragens chegam até nós Colapso Cardíaco da Silva, Cólica de Jesus, Céu Azul do Céu Poente, João Ataulpa Americano do Brasil. Embora este leque seja reduzidíssimo certamente não deixaremos de partilhar e, quem sabe, subscrever o eloquente testemunho de Umberto Eco no seu Pêndulo de Foucault: “Jamais cheguei a sentir-me à vontade com os nomes próprios brasileiros. Desafiam qualquer dicionário onomástico e só existem naquele país.” Texto de Dulce Matos

Legislação sobre trabalho, solidariedade e segurança social por Rogério Pacheco

composição e estrutura, tendo em vista a sua reactivação. Decreto-Lei nº 115/2006. DR 114 SÉRIE I-A de 2006-06-14 Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

Portaria nº 712/2006, D.R. nº134, Série I de 2006-07-13

Regulamenta a rede social, definindo o funcionamento e as competências dos

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

seus órgãos, bom como os princípios e regras subjacentes aos instrumentos de

Aprova o modelo do registo de trabalho suplementar previsto no nº 2 do artigo

planeamento que lhe estão associados, em desenvolvimento do regime jurídico

188º da Lei nº 35/2006 (regulamenta a Lei nº 99/ 2003, de 27 de Agosto, que

de transferência de competências para as autarquias locais.

aprovou o Código do Trabalho)

Declaração de Rectificação nº 32/2006. DR 113 SÉRIE I-B de 2006-06-12

Declaração de Rectificação nº 41/2006, D.R. nº129, Série I de 2006-07-06

Presidência do Conselho de Ministros

Presidência do Conselho de Ministros

De ter sido rectificada a Resolução do Conselho de Ministros nº38/2006, que

De ter sido rectificado o Decreto-Lei nº 109/2006, da Presidência do Conselho

aprova um conjunto de medidas e procedimentos a observar por todos os

de Ministros, que transitório de pagamento nocturno, subsídio para serviço

ministérios em matéria de admissão de novos efectivos de pessoal tendo em

nocturno ou suplemento salarial para trabalhadores da administração local,

vista a operacionalização do princípio de uma nova admissão por cada duas

publicado no Diário da República, 1ª série, nº 112, de 9 de Junho.

saídas, publicada no Diário da República, 1ª série, nº 76, de 18 de Abril de 2006.

Decreto-Lei nº 121/2006. DR 119 SÉRIE I-A de 2006-06-22

Declaração nª 14/2006. DR 104 SÉRIE I-B de 2006-05-30

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

Altera o Decreto-Lei nº 245/2001, de 8 de Setembro, que reestrutura o Conselho

Altera o orçamento da segurança social – 2006, ao abrigo do Decreto-Lei nª

Nacional de Higiene e Segurança no Trabalho, revendo as suas atribuições,

50-A/2006, de 10 de Março.

07

citeinforma

APONTAMENTO CULTURAL

À conversa sobre nomes e alcunhas


ÁREA

citeinforma

CURSOS DE FORMAÇÃO

FORMAÇÃO PARA JOVENS CURSO

INÍCIO

FIM

DURAÇÃO

HORÁRIO

Técnico de Contabilidade

02.10.2006

06.11.2007

1709h

Laboral

Técnicas de Sistemas Informáticos I

16.10.2006

04.10.2007

4500h

Laboral

Técnico de Comunicação Multimedia

20.11.2006

08.11.2007

1500h

Laboral

EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO PARA ADULTOS ÁREA

CURSO

INÍCIO

FIM

DURAÇÃO

HORÁRIO

Práticas Administrativas

06.11.2006

12.2008

2205h

Pós-Laboral

ÁREA

CURSO

INÍCIO

FIM

DURAÇÃO

HORÁRIO

Contabilidade e Fiscalidade

Contabilidade e Gestão Administrativa I

02.10.2006

29.06.2007

350h

Pós-Laboral

Contabilidade e Gestão Administrativa II

02.10.2006

25.07.2007

350h

Pós-Laboral

Fiscalidade

02.10.2006

18.05.2007

175h

Pós-Laboral

Fiscalidade Empresarial

03.10.2006

21.06.2007

210h

Pós-Laboral

Auditoria Fiscal

04.10.2006

18.01.2007

90h

Pós-Laboral

Contabilidade Analítica e Gestão Orçamental

06.10.2006

22.06.2007

175h

Pós-Laboral

Fiscalidade Internacional

21.10.2006

25.11.2006

30h

Sábados

Preços de Transferência

06.11.2006

27.11.2006

30h

Pós-Laboral Pós-Laboral

Direito

Direito do Trabalho

02.10.2006

11.06.2007

150h

Electrónica e Automação

Técnicos de Manutenção Hardware

14.10.2006

25.11.2006

49h

Sábados

Formação de Formadores

Formação Pedagógica de Formadores à Distância

14.10.2006

02.12.2006

164h*

Pós-Laboral

Gestão e Administração

Gestão de Pessoal - Nível I

02.10.2006

26.02.2007

125h

Pós-Laboral

Gestão Integrada de Recursos Humanos

02.10.2006

11.01.2007

95h

Pós-Laboral

Introdução ao Controlo e Gestão Orçamental

04.11.2006

25.11.2006

30h

Sábados

PL / SQL (Oracle)

16.10.2006

27.10.2006

40h

Pós-Laboral

Administração e Gestão de SO Linux

21.10.2006

25.11.2006

42h

Sábados

Criação de Páginas para a Web - Iniciação

21.10.2006

25.11.2006

42h

Sábados

Microsoft SQL / Server 2005

21.10.2006

25.11.2006

42h

Sábados

Programação em ASP .NET 2.0

21.10.2006

25.11.2006

42h

Sábados

Programação em Java: Aplicações Web

21.10.2006

02.12.2006

42h

Sábados

Programação em Visual C# . NET 2005

21.10.2006

25.11.2006

42h

Sábados

Freehand

23.10.2006

10.11.2006

42h

Pós-Laboral

MS - Word Avançado

09.10.2006

20.10.2006

30h

Pós-Laboral

VBA - Excel e Access

09.10.2006

20.10.2006

30h

Pós-Laboral

MS - Excel Avançado

23.10.2006

06.11.2006

30h

Sábados

Informática para Técnicos

Informática para Utilizadores

Línguas

Marketing e Publicidade

Gestão de Projectos (Project)

13.11.2006

24.11.2006

30h

Pós-Laboral

Espanhol - Inicial I

02.10.2006

30.10.2006

50h

Pós-Laboral

Inglês I

02.10.2006

18.06.2007

150h

Pós-Laboral

Inglês II

02.10.2006

18.06.2007

150h

Pós-Laboral

Inglês III

02.10.2006

12.06.2007

150h

Pós-Laboral

Espanhol - Inicial II

13.11.2006

21.12.2006

50h

Pós-Laboral

MS - Excel Fundamental

27.11.2006

12.12.2006

40h

Pós-Laboral

Marketing I

14.10.2006

02.12.2006

64h

Sábado

03.10.2006

26.07.2007

300h

Pós-Laboral

16.10.2006

31.10.2006

30h

Pós-Laboral

Secretariado e Trabalho Administrativo Aperfeiçoamento em Secretariado Segurança e Higiene no Trabalho

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho - Ambiente (Portalegre)

* das quais 48 horas são presenciais UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA Ministério do Trabalho e Solidariedade Social

08

Nota: datas previstas, sujeitas a confirmação • OUTUBRO A DEZEMBRO DE 2006

FORMAÇÃO PARA ACTIVOS


CITE'IN'FORMA Nº29