Page 1

05

03

02

Sete passos para um Processo de Selecção Estruturado.

n. 26

Seminários REDE Formação no Quartel do Carmo

Recrutamento e Selecção de Recursos Humanos

Distribuição gratuita www.citeforma.pt gcm@citeforma.pt

05 03

Formação Jovens 2006

02

‘05

Ministério do Trabalho e Solidariedade Social


NOTÍCIAS

nota editorial Vivemos, em Portugal, um momento difícil que, no entanto, comporta grandes desafios para todos. No Citeforma, temos consciência de que o futuro nos exige um papel activo, uma nova cultura. Em 2006, prosseguiremos o nosso caminho de aposta na melhoria e visibilidade das qualificações dos trabalhadores. Por isso, apresentamos uma candidatura para a criação dum CRVCC. Entendemos que o Citeforma deve dar o seu pequeno contributo para alterar a posição relativa dos portugueses quanto ao nível das suas qualificações escolares e profissionais. Nessa perspectiva, apostamos progressivamente, em cursos com dupla certificação. O ambiente de trabalho nas empresas é cada vez mais complexo, mais interactivo mais sustentado em redes. Prosseguiremos, nesse contexto, com o desenvolvimento de formações comportamentais e tecnológicas adequadas a essa realidade. As PME continuarão a ser motor de desenvolvimento e de criação de emprego. O Citeforma, integrando o REDE, dará o seu contributo para dinamizar o desenvolvimento de massa crítica nesse tipo de empresas, sem perda da flexibilidade que lhes é própria. Encaramos 2006 com confiança. Mesmo sabendo que nos esperam dificuldades, julgamos que seremos capazes de as superar. Agostinho Castanheira

Director do Citeforma

Formação sobre Redes no Quartel do Carmo Um projecto para colocar todos os postos territoriais a funcionar de forma integrada, do ponto de vista informático, levou a Guarda Nacional Republicana a contactar o CITEFORMA. Pretendiam a criação de um curso capaz de responder às necessidades de formação das pessoas envolvidas nesse projecto. Assim, o CITEFORMA desenvolveu, em articulação com a GNR, uma acção de formação sobre “Planeamento e Implementação de Redes Informáticas”, com a duração de 55 horas.

A acção realizou-se entre os dias 7 e 18 de Novembro, no Quartel do Carmo e recebeu 29 formandos de todo o país. “O CITEFORMA pretende desenvolver a sua capacidade de resposta às necessidades de formação, levando um trabalho de qualidade para fora das suas quatro paredes” comentou o Director do Centro

sobre esta formação que decorreu nas instalações da GNR. “Trata-se de uma forma flexível, de promover formação, ajustada às necessidades de cada instituição” acrescenta Agostinho Castanheira.

Curso de Técnico de Contabilidade Homologado Há mais um curso de formação de jovens homologado pelo Sistema Nacional de Certificação Profissional (SNCP): o de Técnico de Contabilidade. Assim, os formandos que concluírem com aproveitamento este curso, têm direito ao respectivo Certificado de Aptidão Profissional (CAP). Este curso junta-se assim ao de Técnico de Secretariado, que foi homologado pelo SNCP, no início do ano. Numa época em que o ingresso e a mobilidade, no mercado de trabalho, se fazem com dificuldade, o CITEFORMA mobiliza-se para que os seus formandos sejam mais competitivos. O reconhecimento e certificação dos seus cursos é uma garantia da qualidade da formação que promove.

Jantar - Debate sobre Recrutamento O CITEFORMA realiza dia 15 de Dezembro um jantar debate com o tema: Recrutamento e Selecção de Recursos Humanos em PME’s – Factores Críticos. O seminário realiza-se em Lisboa, no âmbito do Programa REDE, e destina-se a empresários de PME’s.

A Reforma da PAC e o Arroz O CITEFORMA promove, no dia 15 de Dezembro, um seminário em parceria com a Aparroz (Agrupamento de Produtores de Arroz do Vale do Sado) sobre A Reforma da PAC e o Arroz. A Aparroz já participou numa edição anterior do programa REDE e, entre outras vertentes, tem como missão a disseminação de conhecimentos sobre a cultura do arroz pelos seus associados. Nesta iniciativa, a abordagem é feita a todos os empresários da região, sensíveis ao tema.O programa conta com a participação de Luís Mira, Secretário Geral da CAP no tema “Ameaças e Oportunidades da reforma da CAP”. Segue-se Marie Christine Ribera da COPA-COGECA sobre “O Arroz Europeu e o Acesso ao Mercado”. O seminário termina com a intervenção de António Teixeira, empresário agrícola, sobre a “Agricultura (Orizicultura) - Actividade Económica de Risco”.

10 Melhores Práticas Empresarias - 2004 É o segundo ano consecutivo que o CITEFORMA vê uma empresa que participa no Programa REDE, com o seu apoio, receber a distinção das 10 Melhores Práticas Empresariais. Este ano o prémio será entregue à empresa Ponto Óptimo - Consultores, numa cerimónia a decorrer dia 6 de Dezembro, no Centro de Formação Profissional de Santarém. A Ponto Óptimo Consultores é uma empresa de consultoria de gestão, fundada em 1999, dedicada ao desenvolvimento de serviços profissionais de apoio a empresas de todo o país.

DEZEMBRO

DIRECÇÃO Agostinho Castanheira | REDACÇÃO e FOTOGRAFIA Tânia Fernandes | DESIGN Shift design, Lda TIRAGEM 2000 exemplares | COLABORAM NESTA EDIÇÃO Dulce Matos, Fernando Cordeiro, Isabel Diogo, Rogério Pacheco, PROPRIEDADE CITEFORMA - Centro de Formação Profissional dos Trabalhadores de Escritório, Comércio, Serviços e Novas Tecnologias | MORADA Av. Duque D’ Avila, n.º 185-2ºB . 1050-082 LISBOA | DEPÓSITO LEGAL 139409/99 Ficha Técnica

02


Formação para Jovens - 2006

Sistemas Informáticos e Gestão para Jovens procedimentos adequados bem como nas normas de higiene, segurança e ambiente, prepara, promove e executa decisões de gestão, nomeadamente ao nível do processo da compra, do processo de gestão interna e do processo de controlo da produção e do marketing, assegurando também a representação interna ou externa de acordo com as orientações da organização.

O CITEFORMA vai iniciar dois novos cursos destinados a jovens: Técnicas de Sistemas Informáticos I e Gestão. O curso de Técnicas de Sistemas Informáticos I insere-se no sistema de aprendizagem, ou seja, destina-se a jovens que abandonaram o sistema de ensino após o 9º ano de escolaridade, mas que pretendem uma qualificação profissional. O programa tem a duração de 3 anos, combina formação teórica com a prática não só em contexto de formação como também em ambiente real de trabalho. Este curso pretende formar profissionais que, de forma, autónoma ou sob orientação, procedam à montagem de componentes de computadores e redes de computadores, efectuem a instalação de sistemas operativos e aplicações informáticas em computadores pessoais, sendo especializados no desenvolvimento de aplicações informáticas, na instalação e configuração de sistemas informáticos e no desenvolvimento e administração de bases de dados.

Para além destes novos cursos, o CITEFORMA inicia em 2006, as seguintes acções:

O curso de Gestão destina-se a jovens que concluíram o sistema secundário no âmbito do ensino tecnológico, ou outro que confira uma qualificação de nível III. Tem a duração de 1560 horas (sensivelmente um ano) e os formandos terminam esta formação com uma qualificação de nível IV. Em termos de perfil, o Técnico de Gestão é o profissional que, no domínio das técnicas e

Cursos

Destinatários

Técnicas de Apoio à Gestão

9º ano de escolaridade

Técnico de Contabilidade

12º ano de escolaridade

Técnico de Secretariado

12º ano de escolaridade

Técnico de Secretariado e Burótica

12º ano de escolaridade

Análise e Programação de Software de Gestão

12º ano de escolaridade

Técnico de Comunicação Multimédia

12º ano de escolaridade

Especialização em Redes e Sistemas Informáticos

Nível III

Tal como os anteriores, estes cursos decorrem em horário laboral. Os formandos têm direito a subsídio de alimentação, subsídio de transporte e bolsa de formação nos termos da legislação aplicável.

Arte, Comunicações e Línguas O enriquecimento individual e social, a pesquisa de informação para trabalhos e o contacto directo com outras realidades levam os formadores do CITEFORMA a planear visitas de estudo. Assim, os formandos dos cursos de Técnico de Secretariado, Técnico de Secretariado e Burótica e Técnico de Contabilidade visitaram a exposição “A Casa do Futuro” no Museu das Comunicações, com os objectivos específicos de compreender a evolução tecnológica das telecomunicações e reconhecer a importância das telecomunicações no mundo de hoje. Em Outubro, assistiram ao espectáculo Quijote in Love, uma versão cómica da peça de Cervantes, interpretada pela companhia de Teatro Interactivo em Inglês: Interacting. Para um contacto com a língua francesa, os formandos de Burótica foram à Mediateca do Instituto Franco-Português. Esta visita permitiu-lhes não só conhecer uma mediateca e o material disponível, como reconhecer as vantagens deste serviço como centro de informações. A mais recente visita foi dos formandos de Contabilidade ao Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, na Fundação Calouste Gulbenkian.

03


Formação para Activos - 2006

Formação para

Activos 2006 Formação Activos - 2006 Está já disponível o Plano de Actividades do CITEFORMA para 2006. Há novos cursos, novos percursos formativos e reestruturação dos existentes. Traçamos aqui as alterações gerais. Para detalhes, consulte por favor, www.citeforma.pt

LEGISLAÇÃO SOBRE TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL

Desenvolvimento Pessoal O CITEFORMA reorganizou a sua oferta formativa na área desenvolvimento pessoal. Apresenta novos cursos e reviu os existentes. Procura assim, responder às necessidades dos seus formandos e exigências do mercado de trabalho ao promover acções de formação destinadas a desenvolver competências pessoais e sociais, essenciais a todas as profissões. Simultaneamente, reestruturou acções que, pelo seu conteúdo, são relevantes para efeitos de renovação do certificado de aptidão de formador (CAP). A actualização do corpo de formadores, através da reciclagem de conhecimentos e de aperfeiçoamento de técnicas, continua a ser um dos objectivos do Centro. Foram, neste âmbito, criados dois percursos formativos nesta área: Desenvolvimento de Competências Socioprofissionais: que responde às necessidades de formação diagnosticadas como transversais ao conjunto de profissões na área de intervenção de centro (escritório, comércio, serviços e novas tecnologias) Desenvolvimento de Competências de Liderança: destinado a profissionais que exercem funções de liderança de equipas.

Portaria n.º1182/2005. DR 226 SÉRIE I-B de 2005-11-25 Ministérios da Administração Interna, da Economia e da Inovação, da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, do Trabalho e da Solidariedade Social e da Cultura Aprova o regulamento de condições mínimas para os trabalhadores administrativos. Decreto-Lei n.º179/2005. DR 210 SÉRIE I-A de 2005-11-02 Ministério das Finanças e da Administração Pública Altera os artigos 78º e 79º do Estatuto da Aposentação, definindo as condições de exercício de funções públicas ou de trabalho remunerado por aposentados, em quaisquer serviços do Estado, pessoas colectivas públicas ou empresas públicas. Acórdão n.º323/2005. DR 198 SÉRIE I-A de 2005-10-14 Tribunal Constitucional Declara, com força obrigatória geral, a inconstitucionalidade da norma constante do artigo17º, nº3, do Decreto-Lei n.º353-A/89, de16 de Outubro, na medida em que permite o recebimento de remuneração superior por funcionários que, cumulativamente, detenham menor antiguidade na categoria e na carreira, restringindo a respectiva produção de efeitos. Lei n.º 52-A/2005. DR 194 SÉRIE I-A 1º SUPLEMENTO de 2005-10-10 Assembleia da República Altera o regime relativo a pensões e subvenções dos titulares de cargos políticos e o regime remuneratório dos titulares de cargos executivos de autarquias locais.

LÍNGUA ESPANHOLA Para além do Inglês, o CITEFORMA promove no próximo ano acções de formação de Língua Espanhola. São cursos de curta duração que permitem uma aproximação a esta língua. O processo de iberização de muitas multinacionais e a necessidade de preparação das nossas empresas para o mercado ibérico tem levado a uma crescente procura de acções de formação deste idioma.

Resolução do Conselho de Ministros n.º 155/2005. DR 192 SÉRIE I-B de 2005-10-06 Presidência do Conselho de Ministros Prevê um conjunto de orientações no sentido de tornar mais justos e equilibrados os sistemas de remunerações e pensões nas empresas e institutos públicos.

INFORMÁTICA PARA TÉCNICOS A oferta formativa na área da Microsoft.Net foi ajustada, com o objectivo de acompanhar as alterações tecnológicas introduzidas no software. Assim, temos novas edições dos cursos: Programação em Visual C++.NET 2005, Programação em Visual C# .NET 2005, Programação em Visual Basic.NET.2005, Programação em ASP.NET 2.0. Os cursos da área de Programação em Java também foram reestruturados, e foram criadas novas acções de: Programação em Java: Fundamentos, Programação em Java - Aplicações Web e Programação em Java - AWT e Swing. Na área de Informática para Utilizadores, mas destinado a utilizadores com muita experiência em Excel e Access, foi criado o curso de Visual Basic for Aplications Excel e Access.

Decreto-Lei n.º 164/2005. DR 183 SÉRIE I-A de 2005-09-22 Ministério do Trabalho e da Solidariedade Prorroga, até 31 de Julho de 2006, a vigência de algumas medidas temporárias de emprego e formação profissional instituídas pelo Decreto-Lei n.º168/2003, de 29 de Julho. Declaração nº13/2005. DR 168 SÉRIE I-B de 2005-09-01 Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Declara terem sido autorizadas as alterações ao orçamento da segurança social para o ano de 2005.

Por Rogério Pacheco

04


Rede

A Competitividade das PME's no Contexto da Globalização O CITEFORMA, no âmbito do programa REDE reuniu, no passado dia 26 de Outubro de 2006, um grupo de empresários de PMEs para falar sobre A Competitividade das PME’s no Contexto da Globalização. O jantar-debate decorreu em Vendas Novas e contou com 35 participantes. “Julgo que fizeram uma explicação muito clara e coerente do tema. Os meus parabéns pela iniciativa e pela forma aberta com que nos foi dirigida a mensagem” referia um empresário participante. Comentava-se, ainda, a pertinência do tema tratado e a importância deste tipo de iniciativas para empresários de PME’s, pela forma directa e práctica com que os temas são expostos. A colaboração do Centro de Emprego de Montemor-o-Novo O Centro de Emprego de Montemor-o-Novo também esteve envolvido neste encontro temático. Contactaram empresas da região que ficaram, desta forma, a conhecer o Programa REDE. Olga Miranda, Directora deste Centro de Emprego apresentou um conjunto de Medidas de Apoio ao Empreendorismo que os empresários podem usufruir, promovidas pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional. Este jantar debate contou ainda com a presença de Luís Miguel Silva, Director do Centro de Formação Profissional de Évora e Carlos Vintém, Sub-Delegado Regional do IEFP da Delegação Regional do Alentejo que contribuíram, com as suas experiências, para as conclusões e o momento final de debate.

Os Desafios do Sindicalismo face à Globalização Os problemas e os desafios com que se debatem actualmente os sindicatos é o tema do jantar debate organizado pelo CITEFORMA, no âmbito do REDE. Destina-se a sócios e dirigentes do SITESE e realiza-se no Hotel Marquês de Sá, em Lisboa, no dia 6 de Dezembro de 2006.

LEGISLAÇÃO LABORAL Concordata celebrada entre o Estado Português e a Igreja Católica - Artigo 26.º - Isenções em sede de IRC, IMT e IMI

das normas contidas no referido artigo 71.º do CIVA, nomeadamente nos seus n.ºs 2 a 6, cujo conteúdo tem suscitado maiores dúvidas.

que de seguida procedem à revenda das partes sociais adquiridas.

Circular nº 10/2005, de 21/11 do Director-Geral dos Impostos Divulga instruções, de harmonia com o entendimento sancionado pelo Despacho n.º 1308/2005-XVII do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, proferido em 20 de Outubro de 2005.

Decreto-Lei n.o 192/2005, de de 7 de Novembro

Decreto-Lei n.o 193/2005, de 7 de Novembro

As alterações introduzidas pelo presente diploma aos Códigos do IRS e do IRC e ao Estatuto dos Benefícios Fiscais visam prevenir práticas de evasão fiscal que são utilizadas para escapar, total ou parcialmente, à tributação dos lucros distribuídos por entidades residentes em território português. Tais práticas são concretizadas de variadas formas, sendo a mais corrente a que consiste na mudança da titularidade de partes sociais, antes da distribuição dos dividendos, de entidades, não residentes ou residentes, sujeitas a uma tributação mais elevada, para entidades isentas de imposto ou sujeitas a um regime mais favorável,

O presente decreto-lei estabelece um regime especial de tributação dos rendimentos daqueles valores mobiliários, facilitando a captação de financiamento junto de investidores não residentes, sem no entanto prejudicar o combate aos abusos e à utilização de «paraísos fiscais», através da previsão de mecanismos que visam salvaguardar as situações de utilização indevida da isenção.

IVA - REGULARIZAÇÕES NOS TERMOS DO ARTIGO 71º DO CIVA Oficio-Circulado 30082/2005, de 17 de Novembro DSIVA Este ofício-circulado procede à divulgação de orientações visando a aplicação correcta e uniforme

05

NOTA: Versão completa dos comentários à legislação em www.citeforma.pt (newsletter). Por Fernando Cordeiro


Recrutamento e Selecção

Um Processo de Selecção Estruturado Muitos empresários vêem o processo de selecção como algo desnecessário, moroso e dispendioso. Pois é, talvez até seja verdade! Mas será que compensa, basearmos a nossa decisão de contratar alguém, num processo de selecção não estruturado, baseado num recrutamento não dirigido, e numa entrevista onde apenas se confirmam aspectos referidos num currículo e se fazem questões susceptíveis de respostas socialmente desejáveis? Se pensarmos que estas metodologias podem gerar informação falível, que pode levar a decisões erradas de selecção, se constatarmos que um candidato que mostrou excelentes resultados na entrevista, acaba por não corresponder às expectativas em termos de desempenho real, fazemos contas ao tempo e dinheiro que perdemos com o erro? Quando os desafios colocados às empresas, são cada vez mais exigentes e os pequenos e médios empresários têm necessariamente que dar resposta às solicitações do mercado, com eficácia e inovação, não podem dar-se ao luxo de pagar por erros cometidos nos processos de recrutamento e selecção dos seus colaboradores. Por isso, devemos conhecer aspectos essenciais a ter em consideração quando identificamos uma vaga na empresa e/ou precisamos de um novo colaborador:

a avaliar. Assim, e para sistematizar a informação poderemos considerar a seguinte abordagem: Confirmação e actualização de dados do cv; Formação escolar e técnica/profissional; Experiência profissional

1 - Comece por analisar e descrever a função, definindo: Aptidões e competências exigidas Características de personalidade favoráveis Experiência profissional necessária / formação necessária Conhecimento de línguas / informática / outros

5.Questões de ordem contextual, especificas da função (conhecimento de línguas, disponibilidade para deslocações, carta de condução, etc.)

Nesta fase é essencial apostar numa perspectiva comportamental. O sujeito deverá dar exemplos concretos e reais da sua experiência anterior/actual, nos quais se tenha confrontado com situações criticas/complexas, que o entrevistador tem que definir anteriormente, e explicar que tipo de comportamentos desenvolveu para as solucionar. Esta abordagem é a que se apresenta como melhor preditora do futuro desempenho dos sujeitos. 4.Motivação A componente mais difícil de avaliar, mas também uma das mais importantes. É essencial nesta fase identificar factores que constituem motivo de satisfação profissional, tais como, trabalho em equipa, liderança, que tipo de tarefas lhe dá maior satisfação na função que desempenha e o que procura na função em causa.

6.Hobbies Poderão dar-nos pistas, subjectivas, de características de personalidade. O importante poderá não ser o hobbie em si, mas os motivos da escolha.

2 - Recrutamento através de: Anúncios Recurso a bases de dados Cartazes ou anúncios na própria empresa Apresentações/Conferências nos Centros de Formação, Escolas e/ou Universidades A triagem dos currículos deverá ser a mais objectiva possível, e realizada com base nos aspectos definidos na análise e descrição da função.

7.Espaço para questões dos sujeitos entrevistados Também nesta altura, para além de esclarecermos dúvidas ou curiosidades, podemos ter indicações relativas ao interesse/motivação dos sujeitos, pela função e pela empresa. No final, deverá existir uma grelha de pontuação/cotação dos aspectos identificados, para cada um dos sujeitos. Porque sabemos que, durante todo o processo, estamos sujeitos a questões subjectivas inerentes à nossa própria experiência, vivência, crenças e mesmo personalidade, devemos ser o mais objectivos possível e acima de tudo, basearmos a nossa avaliação nos critérios que definimos e naquilo que é o nosso melhor guia pessoal, o bom senso.

3 - Métodos de selecção Caso seja pertinente avaliar aptidões e exista na empresa um colaborador habilitado para o efeito, deverão ser aplicados testes adequados e aferidos para a população portuguesa. Também existem no mercado testes para aferir características de personalidade. Estes são bons complementos de avaliação à entrevista de selecção. A entrevista de selecção deve ser bastante objectiva e estruturada num guião construído com base nos aspectos

Texto Isabel Diogo

06


APONTAMENTO CULTURAL

Erico Verissimo e Portugal Está a chegar ao fim o ano em que se comemora o centenário do nascimento de um dos maiores vultos da literatura brasileira de todos os tempos. Porto Alegre - capital do Rio Grande do Sul - sua cidade adoptiva, pois nascera em Cruz Alta, no interior do Estado a 17 de Dezembro de 1905, fez questão de primar para o homenagear condignamente. Na famosa Rua da Praia - um dos seus lugares preferidos situa-se a Livraria/ Editora Globo onde começara a trabalhar em 1931, primeiro como redactor e pouco depois como secretário do departamento editorial, a convite de Henrique Bertaso com quem colaborou por longos anos, mostrava neste mesmo espaço uma exposição evocativa da passagem de Erico Verissimo por esta editora. Convém lembrar que a Globo se transforma por volta de 1940 na mais importante editora brasileira, lançando autores como Thomas Mann, Proust, Tolstoi, Faulkner, etc. constituindo um extraordinário acervo da literatura ocidental. E ainda na Rua da Praia, já perto da Praça da Alfândega (onde se realiza habitualmente a Feira do Livro de Porto Alegre) tivemos ocasião de assistir no Centro Cultural que leva o seu nome, a uma panóplia de eventos verdadeiramente interessante - desde a mostra da literatura infanto-juvenil, uma das áreas a que o autor dedicará grande parte da sua criação literária “gosto de escrever para crianças”, à montagem de cenários de algumas das suas obras, a conferências, mesas redondas, filmes e peças de teatro. Porto Alegre continua a amar Erico Verissimo!

e vertical que lutava por uma causa nobre: uma sociedade mais justa para todos. Quando o escritor visita Portugal pela primeira vez, em 1959, é recebido pelo então embaixador Álvaro Lins, o corajoso diplomata que ousara conceder asilo politico ao general Humberto Delgado, enfrentando a ira de Salazar e do seu Governo. E o curioso é que essa recepção, que contou com a presença, entre outros, de Jaime Cortesão, António Sérgio, Aquilino Ribeiro, Ferreira de Castro, Miguel Torga, Jorge de Sena, Alves Redol, Vitorino Nemésio e Urbano Tavares Rodrigues, se realizava na embaixada do Brasil em Lisboa, onde se encontrava “o hóspede” ilustre que todos eles admiravam e apoiavam. Não havia possibilidade de contacto pessoal, mas certamente a emoção pairava na atmosfera.

O autor que se havia estreado em 1932 com Fantoches (em forma de pequenas peças teatrais) lança em 1933 o seu primeiro romance Clarissa e entra no Movimento do Romance de 30 com Olhai os lírios do campo (1938) que se traduziu num verdadeiro sucesso nacional. O drama de Eugénio e Otília teve enorme repercussão: o autor passou a receber cartas de todo o país, de pessoas em busca de conselhos amorosos e existenciais. Em Portugal, os leitores não se deixaram apenas empolgar pelos escritores nordestinos como José Lins do Rego, José Américo de Almeida, Graciliano Ramos ou Jorge Amado. Na década de 40 e segundo dados existentes na nossa Biblioteca Nacional (pois naquela época não havia o hábito de colocar o ano da edição nas obras publicadas) Olhai os lírios do campo teve 8 edições!

Erico Verissimo pretendeu ser solidário com o povo português que, sofrendo a ditadura, se vira impedido de ter acesso a uma mudança democrática – é sobejamente conhecido de todos o resultado fraudulento das eleições de 1958 e igualmente com os seus companheiros de ofício, aqueles que nunca desistiram do combate pela liberdade e que tinham apostado na vitória do general Humberto Delgado. “Detesto qualquer regime que roube ao povo a sua liberdade e a sua dignidade” (Erico Verissimo – Portugal Democrático, Maio de 1959)

Erico Verissimo fazia parte das bibliotecas particulares não só da classe intelectual opositora ao regime, como também da pequena e média burguesia. Os nossos leitores viam nele o paradigma do homem de esquerda, apartidário, íntegro

Texto de Dulce Matos

07


Cursos de Formação

FORMAÇÃO PARA JOVENS CURSO TÉCNICO DE SECRETARIADO

INÍCIO

FIM

06-02-06

01-01-07

DURAÇÃO 1500

HORÁRIO Laboral

FORMAÇÃO PARA ACTIVOS CURSO

INÍCIO

FIM

DURAÇÃO

Técnicas de Captação de Vídeo e Áudio

07.01.06

11.02.06

42

Sábados

Guionismo

04.03.06

08.04.06

42

Sábados

Análise dos Modelos Declarativos IRS/IRC/IVA

28.01.06

08.04.06

40

Sábados

Contabilidade Financeira

28.01.06

25.03.06

32

Sábados

Seminário de Actualização Fiscal

04.02.06

11.03.06

37,5

Sábados

Seminário de Actualização Fiscal (Torres Vedras)

11.02.06

18.03.06

37,5

Sábados

Seminário de Actualização Fiscal (Portalegre)

04.03.06

01.04.06

37,5

Sábados

Seminário de Actualização Fiscal

11.03.06

08.04.06

37,5

Sábados

Encerramento Anual de Contas

25.03.06

15.07.06

48

Sábados

Técnicas de Negociação e de Gestão de Conflitos

02.01.06

12.01.06

35

Pós-Laboral

Motivação e Gestão de Equipas

07.01.06

04.02.06

35

Sábados

Técnicas de Apresentação e Expressividade

28.01.06

04.03.06

35

Sábados

Comunicação

11.03.06

08.04.06

35

Sábados

Condução de Reuniões

13.03.06

23.03.06

35

Pós-Laboral

Finanças, Banca e Seguros

Finanças para não Financeiros

28.01.06

04.03.06

37,5

Sábados

Formação de Formadores

Formação Pedagógica de Formadores (Iniciação)

16.01.06

10.03.06

104

Sábados

Informática para Técnicos

Autocad Fundamental

02.01.06

19.01.06

42

Pós-Laboral

Criação de Páginas para a Web

07.01.06

11.02.06

42

Sábados

Programação em ASP.NET

07.01.06

11.02.06

42

Sábados

Programação em Java: Fundamentos

07.01.06

11.02.06

42

Sábados

Photoshop

09.01.06

26.01.06

42

Pós-Laboral

Arquitectura e Tecnologias de Redes Informáticas

14.01.06

18.02.06

42

Sábados

Segurança de Redes de Dados

21.01.06

11.02.06

30

Sábados

Autocad 2D - Desenho Bidimensional

23.01.06

09.02.06

42

Pós-Laboral

Introdução às Metodologias de Programação

01.02.06

16.02.06

48

Pós-Laboral

Autocad 3D – Desenho Tridimensional

13.02.06

06.03.06

42

Pós-Laboral

Gestão e Administração de Windows 2003 Server

01.03.06

22.03.06

48

Pós-Laboral

Introdução à Administração de Bases de Dados

01.03.06

14.03.06

40

Pós-Laboral

Sistemas de Informação Geográfica I

01.03.06

21.03.06

60

Pós-Laboral

Administração e Gestão de SO Linux

04.03.06

08.04.06

42

Sábados

Microsoft SQL/ Server

04.03.06

08.04.06

42

Sábados

Programação de Aplicações Móveis em .NET

04.03.06

08.04.06

42

Sábados

Programação em Java: AWT e Swing

04.03.06

08.04.06

42

Sábados

Segurança na Internet

04.03.06

25.03.06

30

Sábados

3D Studio Max

13.03.06

30.03.06

42

Pós-Laboral

Análise Orientada a Bases de Dados

20.03.06

04.04.06

30

Pós-Laboral

Sistemas de Informação Geográfica II

23.03.06

12.04.06

60

Pós-Laboral

Introdução ao Windows

02.01.06

13.01.06

30

Pós-Laboral

MS - Word Fundamental

23.01.06

03.02.06

40

Pós-Laboral

Introdução ao Windows (Portalegre)

02.02.06

23.02.06

30

Pós-Laboral

MS - Excel Fundamental

13.02.06

24.02.06

40

Pós-Laboral

MS-Access Fundamental

01.03.06

14.03.06

40

Pós-Laboral

MS-Word Fundamental (Portalegre)

07.03.06

28-03-06

40

Pós-Laboral

Apresentações Electrónicas (Power Point)

16.03.06

29.03.06

30

Pós-Laboral

Internet e Correio Electrónico

30.03.06

12.04.06

30

Pós-Laboral

Línguas e Literaturas Estrangeiras

Inglês ao Vivo – Conversação em Lingua Inglesa

14.01.06

25.03.06

30

Sábados

Segurança e Higiene no Trabalho

Segurança , Higiene e Saúde no Trabalho

07.01.06

18.03.06

40

Sábados

Contabilidade e Fiscalidade

Desenvolvimento Pessoal

Informática para Utilizadores

Formação Co - Financiada pela União Europeia (Fundo Social Europeu)

e pelo Estado Português (Ministério do Trabalho e Solidariedade Social)

08

HORÁRIO

Datas previstas, sujeitas a confirmação

JANEIRO A MARÇO 2006

ÁREA Audiovisuais e Produção dos Média

CITE'IN'FORMA Nº26  
CITE'IN'FORMA Nº26  

CITE'IN'FORMA Nº26 - Dezembro de 2005

Advertisement