Page 1

‘12 Julho

news50 03 | Ministro da Economia e do Emprego visita Citeforma

04 e 05 | B-learning

Empreendedorismo e empregabilidade

06 | Apoios e incentivos à integração de formandos no mercado de trabalho

www.citeforma.pt | tania.fernandes@citeforma.pt | nº.

50


NOTÍCIAS

citeinforma nota editorial Não há memória recente duma conjuntura tão negativa em termos de emprego em Portugal. O Citeforma, enquanto executor da parceria entre o SITESE e o IEFP para a área da formação, tem, neste contexto, uma responsabilidade muito grande. Há muitos desempregados que esperam o apoio do Citeforma na busca duma nova oportunidade de emprego. Há muitos ativos empregados que, ao longo dos anos, têm encontrado no Citeforma um parceiro no desenvolvimento das suas competências, e que hoje esperam uma ajuda segura no reforço das suas oportunidades de emprego face a um futuro incerto. Há muitos jovens que confiam no valor duma qualificação adquirida no Citeforma como um bom caminho para melhorar as suas hipóteses de entrada no mercado de trabalho. Muitas pessoas com formação superior necessitam duma formação prática em matérias que apenas abordaram teoricamente na sua carreira académica e esperam encontrar no Citeforma um modo acessível e eficaz de o conseguir. Ora, apesar das dificuldades, restrições e circunstâncias menos favoráveis, seremos capazes de responder com eficácia a estas solicitações que são, afinal, os objetivos essenciais dos outorgantes do Citeforma. Agostinho Castanheira (Direção)

Alteração dos órgãos sociais do Citeforma Foram nomeados novos representantes do Sitese nos órgãos sociais do Citeforma, pelo Despacho nª. 6878/2012, do Secretário de Estado do Emprego, publicado dia 21 de maio de 2012 no Diário da República: Luís Alberto Silva Santos e Carlos Manuel Agostinho de Sousa para os cargos

de vogais do Conselho de Administração, Vítor Manuel Vicente Coelho para o cargo de vogal do Conselho Técnico-Pedagógico e José Luís Farinha para o cargo de vogal da Comissão de Fiscalização. Os mandatos dos agora nomeados terão a duração de três anos.

João Galrito conquista medalha no Campeonato Nacional das Profissões

O formando do curso de Programador do Citeforma participou no Campeonato Nacional das Profissões, na categoria de Tecnologias da Informação. A participar pela primeira vez neste evento, João Galrito conquistou a medalha de prata. A prova decorreu em Faro, entre os dias 7 e 10 de Maio e reuniu 240 concorrentes vindos de várias regiões do país, representando 43 profissões.

Participantes de conferencia da CES visitam Citeforma No auditório, foi-lhes dado um panorama do sistema de educação e formação português e, detalhadamente, uma explicação do processo RVCC e da forma como é desenvolvido no Citeforma, seguindo-se uma breve visita ao espaço polivalente do Centro de Recursos. O Citeforma havia anteriormente participado no estudo " Actors and practices of vocational training and NFIL in Portugal", que serviu de pano de fundo a toda a conferência.

DIREÇÃO Agostinho Castanheira | REDAÇÃO E FOTOGRAFIA Tânia Fernandes PAGINAÇÃO Orange | COLABORAM NESTA EDIÇÃO Vitor Santos, Fernando Cordeiro, Rogério Pacheco. PROPRIEDADE Citeforma – Centro de Formação Profissional dos Trabalhadores de Escritório, Comércio, Serviços e Novas Tecnologias TELEFONE 21 799 45 60 | FAX 21 799 45 66 | E-MAIL tania.fernandes@citeforma.pt | http://www.citeforma.pt DEPÓSITO LEGAL 139409/99 Estamos nas redes sociais. Siga-nos!

citeinforma

Julho’12

O Citeforma, recebeu, no passado dia 26 de Junho os participantes da conferência de encerramento relativa ao ETUC PROJECT: “Informal and non formal learning (NFIL): Parallel practices for a systemic integration” promovida pela CES – Confederação Europeia de Sindicatos. Estes técnicos oriundos das confederações sindicais dos 27 Estados-Membros da União Europeia estavam, na sua maioria, ligados à temática da formação profissional e desenvolvimento de competências.


EVENTOS

citeinforma

Ministro da Economia e do Emprego visita Citeforma Álvaro Santos Pereira visitou, no passado dia 23 de Maio, as instalações do Citeforma. Para além das áreas técnica e de gestão administrativa, o Ministro da Economia e do Emprego visitou algumas salas de formação, possibilitando uma maior perceção da atividade do Centro, desde as pessoas envolvidas ao trabalho em curso. Os candidatos ao processo de RVCC, em sala, puderam partilhar a sua experiência assim como as motivações

que os levaram ao Citeforma. “Aprendo muito aqui a falar com as pessoas” admitiu o Ministro depois de ouvir a opinião dos envolvidos no sistema e afirmou que, nos próximos anos, é intenção do Governo apostar no ensino técnico profissional. A deslocação ao Citeforma decorreu no seguimento da participação do Ministro na apresentação da medida “Estimulo 21” no Auditório do Citeforma.

Seminário – Jovens: Empregabilidade e Empreendedorismo

Com o objetivo de promover o espírito empreendedor dos jovens que frequentam formação no Citeforma foi desenvolvido o seminário “Jovens: Empregabilidade e Empreendedorismo”, em parceria com a ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários. Rui Brilhante, orador convidado do Road Show da ANJE de Empreendedorismo Integrado, deixou o seu testemunho de versatilidade perante o mercado de trabalho: “Empreendedorismo não é só criar um negócio. Podem estar a trabalhar numa empresa e nela criar valor”. E exemplo atrás de exemplo, procurou demonstrar perante uma plateia de candidatos ao mercado laboral que ideias bem estruturadas, força de vontade, organização e muito trabalho são a base de uma carreira bem sucedida. “O Gabinete de Psicologia do Citeforma trata da integração dos formandos no mercado de trabalho, quer através da angariação de estágios profissionais, quer mediando processos de recrutamento e selecção junto de empresas e outras organizações. Face à conjuntura atual, consideramos

cada vez mais importante fomentar também neles a capacidade de iniciativa e de autonomia, para serem empreendedores por conta própria ou por conta de outrem” refere Susana Gonçalves, responsável pelo GP. “Procurámos assim, com este evento, mostrar as condições reais de criação do próprio emprego e/ou empresa, como um caminho possível e alternativo.” Esta abordagem teve ainda uma vertente muito prática, com a intervenção de Sílvia Carimbo, Técnica do IEFP, que procurou dotar os jovens de um conhecimento aprofundado dos diversos instrumentos de apoio à integração na vida ativa, enumerando as medidas atualmente disponíveis. Adérito Gil do Sitese falou ainda sobre o papel dos sindicatos no apoio ao percurso profissional, João Medroa apresentou a oportunidade de conseguir colocação no estrangeiro recorrendo à Rede EURES e Alice Cardoso, Técnica de Recursos Humanos, elucidou os jovens sobre a forma de agir na procura de emprego.

10 características do empreendedor de sucesso 1 - Concentração: num determinado objetivo ou tarefa. 2 – Organização: planeamento e preparação. 3 – Iniciativa: antecipar ou procurar oportunidades. 4 – Coragem: assumir riscos. 5 – Persistência: insistir em perseguir um objetivo. 6 – Curiosidade: manter atento a novas informações que possam ser úteis ao plano de crescimento.

7 – Superação: constante melhoria: fazer melhor, mais rápido, com custo mais baixo. 8 – Persuasão: convencer os outros sobre os pontos fortes do seu negócio. 9 – Compromisso: cumprir o acordado no prazo combinado. 10 – Autoconfiança: acreditar em si mesmo, nas suas decisões e no futuro do negócio criado. (David McClelland – psicólogo)

03


FORMAÇÃO

Introdução O Citeforma tem como principal atribuição a promoção e realização da formação profissional para a valorização de recursos humanos. No cumprimento dessa missão, tem ao longo dos anos, oferecido formação em diversas áreas, sendo de destacar as de gestão, contabilidade, informática, áreas comportamentais e línguas. A dimensão da oferta tem crescido significativamente quase todos anos. Numa época de reconhecida contenção orçamental, como será possível aumentar a oferta da formação profissional, alcançando ainda mais pessoas, sem aumentar custos e como a estender a outras partes do território não cobertas atualmente? Uma resposta será: recorrer ao ensino à distância como instrumento de democratização e universalização do acesso à formação e ao conhecimento. O projeto de e-learning do Citeforma foi iniciado em 2010, embora com experiências anteriores preparatórias, das quais se destacam aproximações com a Universidade Aberta e o desenvolvimento de recursos didáticos para o desenvolvimento de uma ação de formação de formadores à distância. Em 2010 foi constituída uma equipa de projeto com a missão de desenhar e desenvolver um modelo de formação à distância centrado numa solução b-learning. A equipa de projeto delineou um modelo pedagógico próprio e a metodologia de implementação. Para além destes outputs, antes da generalização da implementação do projeto no Citeforma, entendeu-se ser extremamente pertinente realizar um curso piloto que permitiu, não só aferir da qualidade do modelo pedagógico e da metodologia de implementação, como da operacionalidade da plataforma Moodle e dos serviços de suporte administrativos.

b-learning

Metodologia Ensinar à distância significa: organizar situações de aprendizagem, planear e propor atividades, disponibilizar materiais de apoio com uso de diferentes media e linguagens, incentivar a busca de fontes de informação, ter um professor que atue como mediador e orientador do aluno, incentivar a realização de experiências, provocar a reflexão e a formação de conceitos, promover a aprendizagem do aluno. Não havendo dúvidas quanto à efetividade do ensino à distância e em particular do e-learning no domínio cognitivo há, porém, algumas restrições na sua utilização no domínio psicomotor, onde os melhores resultados são alcançados quando o e-learning é combinado com atividades presenciais no denominado modelo b-learning. Nele o domínio afetivo tende a ser trabalhado de forma mais efetiva do que na abordagem de e-learning convencional. O e-learning e o ensino presencial combinados sugerem poder atingir melhores resultados. As duas abordagens podem, portanto, ser encaradas como complementares e não exclusivas, respeitando os seus contextos particulares, na procura da excelência da aprendizagem. É, essencialmente, por esta razão e pelo facto do modelo a adotar para formação profissional necessitar da implementação de uma combinação entre uma componente teórica, que é sempre necessária, e uma componente prática presencial, que o plano de desenvolvimento de ensino à distância no Citeforma assenta numa metodologia mista de ensino à distância, dita blended, pertencente à família denominada por b-learning. A sessão presencial deve funcionar como um sincronizador do grupo, esclarecendo dúvidas práticas e reforçando as ligações entre formandos. Por outro lado, serve também para uma breve introdução dos temas do tópico

04

que se inicia nessa semana, enquadrando os formandos na importância e utilidade do tema, dando ênfase às questões mais importantes e com interesse prático, funcionando assim como um catalisador que os motive para o auto-estudo e a experimentação que será feita ao longo do próximo período não presencial. Esta apresentação feita na sessão presencial requer uma grande preparação e sensibilidade do formador, que deve conhecer a aplicabilidade do tema, a sua utilidade e ter sensibilidade para as principais motivações e dificuldades que os formandos encontram na fase de estudo. Os cursos em formato b-learning necessitam da elaboração de um guião, que assume uma dupla função: por um lado garante que a ligação entre a formação presencial e a formação à distância seja assegurada; por outro lado, constitui-se como a base de trabalho para facilitar a construção, na plataforma, da componente de ensino à distância. Para cada curso em formato b-learning será construída na plataforma uma instanciação para suporte à formação não presencial com a seguinte estrutura: • uma área principal geral • um conjunto de tópicos A área geral serve para a descrição do conjunto de elementos na formação à distância, com uma apresentação geral do curso, do formador e dos meios de apoio. Se existirem documentos de apoio gerais ao curso como, por exemplo, uma sebenta elaborada pelo formador, então é aqui que a mesma é disponibilizada. É também disponibilizado um fórum geral para afixação de notícias pelo formador e de dúvidas genéricas pelos formandos. Por fim, caso existam avaliações no período em que decorre a formação à distância, é também aqui que devem ser disponibilizados os acessos à mesma. Cada curso é constituído por um ou mais tópicos, que constituem o segundo elemento da estrutura do curso a criar na plataforma. Estes tópicos devem refletir a ordem pela qual as matérias devem ser ministradas aos formados. Para cada tópico, tem de existir a seguinte estrutura: • nº correspondente ao tópico com uma frase que descreve o mesmo; • a data de início e a data de fim previstas no estudo da matéria que compõe o tópico; • objetivos do tópico e o que se espera que os formandos sejam capazes no final do mesmo; • materiais de apoio, como apresentações em MS PowerPoint, PDF, ou qualquer outro formato, links para páginas ou sítios web ou, mesmo, livros. Para documentos grandes deve indicar-se, sempre que seja caso disso, quais as páginas a estudar; • atividades formativas, que se reflectem na disponibilização de exercícios que permitam ao aluno aferir da sua evolução (quizzes, …) • fórum moderado, próprio do tópico, onde os formandos, entre si e entre estes e o formador, interagem no decurso do processo de aprendizagem. Qualquer pedido de ajuda por parte de um formando deve ser respondido pelo formador num prazo máximo de 24h. Um curso típico de b-learning no Citeforma estrutura-se na sequência de etapas que ilustramos na figura ao lado. Para cada tópico é seguida exatamente a mesma estrutura pelo que as etapas 2 a 7 são repetidas tantas vezes quantas os tópicos que compuserem o curso. Saliente-se a necessidade de existência de um nível de interação forte a fim de garantir a plena adesão dos formandos a esta componente do curso. Também a possibilidade de acesso em offline aos conteúdos, por recurso ao download prévio dos mesmos a partir da plataforma é disponibilizada.

citeinforma

Projecto de b-learning do Citeforma


FORMAÇÃO

citeinforma 1-Publicação dos objetivos a atingir com o curso e da estrutura modular do curso e respetivos timings 2- Publicação dos objetivos do tópico e respetivos timings 3 – Disponibilização dos conteúdos on-line pela ordem a consumir 4- Organização do Fórum Aluno 5- Organização do Fórum Professor 6- Atividades de avaliação on-line (trabalhos on-line,quiz, ...) 7- Sessão prática presencial T

Novo tópico F

8-Organização do Fórum Final

A progressão ao longo dos tópicos é feita de forma perfeitamente controlada, ou seja, devem ir sendo disponibilizados à medida que o tempo avança e de acordo com o que for definido no guião ou “Programa de Curso”. O guião ou “Programa de Curso” deve ser distribuído e apresentado aos formandos na 1ª sessão presencial e afixado na plataforma online. Independentemente da quantidade de elementos de avaliação construídos durante o decurso da ação, é sempre necessário a realização de uma avaliação presencial final que permita validar as avaliações obtidas em formato de formação à distância.

Curso Piloto A realização de um curso piloto teve como objetivo testar, em condições reais, a metodologia desenvolvida, a plataforma e a capacidade de suporte administrativo, e dessa forma perceber se estavam reunidas as condições necessárias para que o Citeforma expanda a sua oferta formativa utilizando a modalidade de b-learning. Como output do piloto antecipava-se, também, a identificação de correções ou alterações a fazer melhoria dos processos metodológicos e operacionais. A promoção e angariação de formandos para o curso piloto foi efetivada através de promoção no site institucional e de Marketing direto para formandos inscritos em cursos presenciais. Foi envolvida uma pessoa da secretaria para suporte administrativo. O curso escolhido para a realização do piloto foi o curso de programação em linguagem SQL Avançado. As avaliação dos formandos foi, em média, mais baixa do que a que é normalmente obtida no mesmo curso realizado presencialmente. Tal, provavelmente, é resultado não de um aproveitamento pior, mas do facto da avaliação ser “mais continua” e individual, sendo por isso potencialmente mais justa e refletindo melhor a realidade.

Considerações finais e questões em aberto Recorrer ao ensino à distancia como instrumento de democratização e universalização do acesso à formação e ao conhecimento, aumentando

a dimensão da oferta da formação e sem perda de qualidade constitui um desafio aliciante. A grande maioria dos modelos de ensino a distância existentes, e em particular de b-learning, não se destinam especificamente à formação profissional. Tendo isso em conta bem como os elevados padrões, consolidados ao longo de mais de duas décadas, requeridos para a execução da formação profissional no Citeforma, foi decidido avançar com o desenvolvimento de uma metodologia própria, apresentada neste artigo. Com o objetivo de testar, em condições reais, a metodologia desenvolvida, a plataforma e a capacidade de suporte administrativo procedeu-se à realização de um curso piloto que decorreu satisfatoriamente e que, após posterior avaliação e dissecação, permitirá afinar a metodologia. Apesar do ganho de conhecimento obtido com a construção, implementação e experimentação do modelo, permanecem ainda em aberto algumas questões às quais importa tentar responder no futuro: • Numa abordagem de b-learning, quais os critérios adequados para se determinar que sessões deverão decorrer em forma presencial e quais as que beneficiam com a componente à distância? • Em que áreas de formação, constantes da oferta formativa do Centro, a opção pela modalidade de b-learning é mais vantajosa, do ponto de vista dos diferentes atores, incluindo o próprio Citeforma? • Que contextos específicos aos grupos de formação e aos formadores deverão ser tidos como determinantes para a real adequação da modalidade de b-learning? • Que parceiros, ou tipo de parcerias, deverá o Citeforma procurar para implementar o desenvolvimento desta área? Texto de Vitor Santos Professor Auxiliar Convidado na Universidade do Nova de Lisboa (UNL), Universidade de Trás os Monte e Alto Douro (UTAD), e na Universidade Lusófona (ULHT). Coordenador/ consultor de formação para a área da Informática no Citeforma.

05

b-learning

9- Avaliação presencial


citeinforma

QUALIDADE | CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES

Técnicas de um Ministério de Cabo Verde visitam Citeforma no âmbito da avaliação das Entidades Formadoras O Citeforma acolheu nas suas instalações, no passado dia 16 de Maio, uma delegação de duas Técnicas Superiores do Ministério da Juventude, Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos de Cabo Verde. A visita, dinamizada e acompanhada pela DGERT, teve como objetivo debater temas relacionados com a formação profissional, tais como boas práticas decorrentes da aplicação do referencial de acreditação no Centro. Contou ainda com uma apresentação da experiência do Citeforma na realização de auditorias, enquadrada no projeto de certificação de entidades certificadoras da DGERT. “Quero agradecer ao Citeforma os conhecimentos aqui transmitidos, que serão importantes instrumentos para nós” referiu Iris Rodrigues, Técnica do

Ministério de Cabo Verde, no final da sessão. “Vamos para Cabo Verde mais esclarecidas. Fiquei a conhecer o trabalho que desenvolvem neste Centro o que também permite antecipar algumas dificuldades. Vai ser um grande desafio!” admite. Teresa Guimarães, responsável pelo Gabinete de Gestão de Sistemas referiu a importância desta partilha de informação, pela vertente prática de quem já executa este trabalho: “foi para nós muito gratificante termos transmitido a experiência do Citeforma nas questões da avaliação da qualidade e o contributo que este sistema de avaliação traz para a melhoria do desempenho do Centro de Formação”.

Certificação dos primeiros candidatos de RVCC PRO no perfil de Assistente Administrativo O Citeforma certificou, em Abril, os primeiros candidatos de RVCC PRO no perfil de Assistente Administrativo. “O perfil deste tipo de candidatos é satisfatório, as pessoas têm todas experiência sólida na área, por vezes precisam da certificação para ascensão na carreira. Outros estão desempregados e a certificação poderá ser uma mais-valia para o mercado de trabalho” refere Alexandra Alves, profissional de RVC do CNO do Citeforma. A procura desta vertente profissional tem sido elevada. Apesar da certificação ser de nível III, os candidatos têm praticamente todos o 12º ano, “o que facilita bastante a adaptação às metodologias empregues” refere a Técnica.

Parceria com Hotel Sheraton “A boa articulação entre o CNO do Citeforma e a pessoa responsável pelo grupo de candidatos do Hotel Sheraton tem sido determinante para o sucesso desta parceria” refere Cristina Rodrigues, Profissional de RVC que tem acompanhado o processo. Os candidatos iniciaram o processo em Maio, tendo as sessões de grupo decorrido

nas instalações da empresa. “É um grupo de nível secundário e eles estão muito motivados para concluir o processo até ao final de Agosto. Inicialmente estava agendada uma sessão por semana e eles mobilizaram-se no sentido de agilizar o processo e passámos a ter duas sessões por semana” explica Cristina Rodrigues

Entrega de certificados Realizou-se, dia 25 de Junho mais uma entrega de certificados aos candidatos que concluíram com aproveitamento o processo de RVCC no CNO do Citeforma. Entre a centena de candidatos que recebeu o diploma, encontra-se um grupo de trabalhadores de uma grande empresa construtora, que realizou o processo em modo b-learning, tal como foi noticiado na edição anterior. Estes candidatos iniciaram o processo em sessões presenciais de grupo, no Citeforma e, por motivos de deslocação para diferentes pontos do mundo, concluíram o processo à distância.

06


No âmbito da formação para jovens, o Citeforma desenvolve ações de formação que permitem a certificação profissional nas seguintes áreas: - Informática para Técnicos - Audiovisuais e Produção dos Media - Secretariado e Trabalho Administrativo - Contabilidade e Fiscalidade - Gestão e Administração Todos os cursos incluem a realização de um Estágio Curricular que permite aos jovens consolidar e aplicar em contexto real as competências adquiridas na formação

em sala, facilitando assim a sua futura inserção profissional. Estes estágios têm uma duração variável, estão isentos de custos para as empresas parceiras e resultam de protocolos estabelecidos entre estas e o Citeforma. Após o fim da formação, o Citeforma apoia ainda a Colocação no Mercado de Trabalho de ex-formandos. O trabalho desenvolvido pelo Centro ao longo dos últimos anos é vastamente reconhecido, apresentando elevadas taxas de colocação. Caso pretenda ser uma entidade parceira para a realização de estágios curriculares ou integrar estes jovens na sua empresa, entre em contacto com o Gabinete de Psicologia (susana.goncalves@citeforma.pt)

Legislação sobre trabalho, solidariedade e segurança social por Rogério Pacheco Portaria n.º 95/2012. D.R. n.º 68, Série I de 2012-04-04

Resolução da Assembleia da República n.º 64/2012. D.R. n.º 88, Série

Ministérios da Economia e do Emprego e da Solidariedade e da Segurança Social Segunda alteração à Portaria n.º 985/2009, de 4 de setembro, que aprova a criação do Programa de Apoio ao Empreendimento e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE), a promover e executar pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P., e regulamenta os apoios a conceder no seu âmbito Decreto-Lei n.º 85-A/2012. D.R. n.º 69, Suplemento, Série I de 2012-04-05 Ministério da Solidariedade e da Segurança Social Suspende o regime de flexibilização da idade de acesso à pensão de reforma por antecipação, constante do Decreto-Lei n.º 187/2007, de 10 de maio, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 64-A/2008, de 31 de dezembro, salvaguardando a situação dos desempregados de longa duração Portaria n.º 107/2012. D.R. n.º 77, Série I de 2012-04-18 Ministério da Economia e do Emprego Especifica as profissões regulamentadas abrangidas na área da economia e designa a respetiva autoridade competente para proceder ao reconhecimento das qualificações profissionais Resolução da Assembleia da República n.º 61/2012. D.R. n.º 87, Série I de 2012-05-04 Assembleia da República Por um envelhecimento ativo

I de 2012-05-07 Assembleia da República Recomenda ao Governo a aplicação de medidas em matéria de pagamento de prestações sociais Decreto n.º 50/XII da Assembleia da Republica II serie A – número 186 29 de maio de 2012 Procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro. Decreto-Lei n.º 117/2012. D.R. n.º 109, Série I de 2012-06-05 Ministério da Economia e do Emprego Regula a organização do tempo de trabalho de condutores independentes em atividades de transporte rodoviário, transpondo a Diretiva n.º 2002/15/ CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de março de 2002 Resolução do Conselho de Ministros n.º 51-A/2012. D.R. n.º 114, Suplemento, Série I de 2012-06-14 Presidência do Conselho de Ministros Aprova o Plano Estratégico de Iniciativas de Promoção de Empregabilidade Jovem e Apoio às Pequenas e Médias Empresas - «Impulso Jovem»

Fiscalidade Por Fernando Cordeiro Informação Vinculativa – Processo 413/2012 Revogação de Benefícios Fiscais e aplicação da lei fiscal no tempo A revogação do art. 43º do EBF (regime fiscal da interioridade) não se aplica a uma empresa constituída, nos últimos quatro períodos de tributação, numa das áreas beneficiárias, a qual poderá assim continuar a beneficiar da aplicação de uma taxa reduzida de 10% em sede de IRC até ao término dos cinco períodos de atividade expressamente mencionados na al. b) do nº1 do mesmo normativo

tributária, ao Código de Procedimento e de Processo Tributário, ao Regime Geral das Infrações Tributárias e ao Regime Complementar do Procedimento de Inspeção Tributária. A autorização tem o seguinte sentido e extensão: a) Estabelecer os critérios de seleção dos contribuintes cuja situação tributária e aduaneira deve ser acompanhada pela Unidade de Grandes Contribuintes; b) Conferir ao diretor-geral da AT competência para definir os contribuintes cujo relacionamento com aquela Autoridade é efetuado através de um gestor de contribuinte; c) Adaptação dos códigos tributários e aduaneiros e demais legislação tendo em vista a atribuição à Unidade de Grandes Contribuintes da AT das competências relativas aos procedimentos referentes aos contribuintes cujo acompanhamento lhe seja atribuído.»

Lei n.º 20/2012, de14/05 Primeira alteração à Lei n.º 64-B/2011, de 30 de dezembro (Orçamento do Estado para 2012), no âmbito da iniciativa para o reforço da estabilidade financeira Concomitantemente com diversos ajustamentos a diversos Códigos, o artigo 172.º-B desta Lei autoriza o Governo a introduzir alterações à lei geral

07

citeinforma

ESTÁGIO E COLOCAÇÕES • FORMAÇÃO DE JOVENS | FISCALIDADE

Pretende ser uma entidade parceira para a realização de estágios curriculares?


Julho

CURSO

citeinforma UFCD

FIM

DURAÇÃO HORÁRIO

INSCRIÇÃO

Sócios Sitese

Não sócios

704

02-07-2012 13-07-2012

25 h

L

Comunicação interpessoal e assertividade

5440

02-07-2012 09-07-2012

25 h

PL

€45

€65

Aplicações informáticas de contabilidade

664

02-07-2012 16-07-2012

25 h

PL

€23.75

€47.5

Língua inglesa - Informação e orientação

3462

05-07-2012 16-07-2012

25 h

PL

€25

€50

Software de Gestão de Pessoal

5449

05-07-2012 20-07-2012

25 h

PL

€25

€50

Gestão do tempo e organização do trabalho - Portalegre

382

07-07-2012 21-07-2012

25 h

S

Sistema de Normalização Contabilística

6214

08-07-2012 29-07-2012

25 h

S

€25

€50

Segurança no trabalho - Equipamentos Gestão de Correio Eletrónico e Pesquisa de Informação na Web - Portalegre Topologias de redes - fibra óptica e wireless

3782

09-07-2012 18-07-2012

25 h

PL

€25

€50

693

09-07-2012 18-07-2012

25 h

PL

830

14-07-2012 28-07-2012

25 h

S

€45

€70

17-07-2012 27-07-2012

35 h

PL

€62.5

€95

19-07-2012 30-07-2012

25 h

PL

€25

€50

21-07-2012 28-07-2012

25 h

S/ PL

€45

€65

Coaching and Empowerment 3361

Recursos Humanos - Processamento de Vencimentos (Avançado) Programação de sistemas distribuídos JAVA

816

01-09-2012 27-10-2012

50 h

S

€67.5

€135

Equipamentos passivos de redes

832

01-09-2012 20-10-2012

50 h

S

€67.5

€135

Programação em Linguagem SQL avançada (b-learning)

814

01-09-2012 24-11-2012

50 h

S

€67.5

€100

Programação em linguagem SQL (sobre Oracle)

812

03-09-2012 19-09-2012

50 h

PL

€67.5

€135

Linux - Instalação e configuração

836

03-09-2012 12-09-2012

25 h

PL

€45

€70

Liderança e Gestão de Equipas

4216

03-09-2012 19-09-2012

50 h

PL

€55

€110

Língua espanhola - Conversação

4900

03-09-2012 04-10-2012

50 h

PL

€45

€90

Gestão de Stress e Gestão de Conflitos

4651

03-09-2012 11-09-2012

25 h

PL

€45

€65

Gestão de Conflitos

1531

08-09-2012 29-09-2012

25 h

S

€27.5

€55

08-09-2012 24-11-2012

30 h

S

€39

€60

TIC-B3-A 08-09-2012 27-10-2012

50 h

S

€50

€100

08-09-2012 29-09-2012

32 h

S

€52

€80

08-09-2012 29-09-2012

25 h

S

Gestão Estratégica de Recursos Humanos (E-Learning) Operar, em segurança, equipamento tecnológico, designadamente o computador Auditoria Contabilística e Financeira * Gestão de Conflitos Portalegre

Setembro

INÍCIO

Comunicação no Atendimento - Portalegre

Língua inglesa - Serviço de bar na restauração

1531

Gestão de Competências - Modelos e Sistemas

08-09-2012 15-09-2012

14 h

PL

€35

€52.5

366

08-09-2012 20-10-2012

50 h

S

€50

€100

Programação de sistemas distribuídos JAVA

816

08-09-2012 27-10-2012

50 h

S

€67.5

€135

Língua inglesa - Informação e orientação

3462

10-09-2012 19-09-2012

25 h

S

€25

€50

Língua inglesa - Animação cultural Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho - conceitos básicos - Portalegre Língua estrangeira - iniciação - alemão

3476

10-09-2012 19-09-2012

25 h

S

€25

€50

349

10-09-2012 20-09-2012

25 h

L

UC

10-09-2012 08-10-2012

50 h

PL

€50

€100

Recursos humanos - balanço social

679

10-09-2012 21-09-2012

25 h

PL

€25

€50

Recursos humanos - processamento de vencimentos

678

10-09-2012 19-09-2012

25 h

PL

€25

€50

Plano de Marketing

CURSOS DE FORMAÇÃO

FORMAÇÃO DE ATIVOS

Contabilidade de Gestão *

15-09-2012 10-11-2012

32 h

S

€52

€80

Recursos humanos - processamento de vencimentos

678

15-09-2012 13-10-2012

25 h

S

€25

€50

Métodos e Técnicas de Análise Económica e Financeira

619

17-09-2012 09-10-2012

50 h

PL

€50

€100

Folha de cálculo

756

17-09-2012 09-10-2012

50 h

PL

€50

€100

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho

UC

22-09-2012 27-10-2012

40 h

S

€55

€90

Recursos Humanos - Relatório Único

6736

24-09-2012 10-10-2012

25 h

PL

€25

€50

Controlo de Gestão

620

29-09-2012 24-11-2012

50 h

S

€55

€110

* Por comunicação de presidente da Direção da OTOC, o Citeforma foi informado de que esta ação de formação que reúne condições para atribuição de créditos nos termos previstos do Regulamento de Atribuição de Créditos (artigo 4º). Inscrição em UFCD: Descontos para sócios do Sitese, reembolsos para formandos encaminhados por um CNO e isenção para desempregados Formação Co-Financiada pela União Europeia (Fundo Social Europeu) e pelo Estado Português (Ministério da Economia e do Emprego).

GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA Ministério da Economia e do Emprego UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

• Nota: datas previstas, sujeitas a confirmação • JULHO A SETEMBRO DE 2012

JULHO A SETEMBRO DE 2012

Newsletter nº50  

Cite'in'Forma nº50 - Newsletter Citeforma, edição de julho de 2012

Advertisement