__MAIN_TEXT__

Page 1


A ARTE EM TUDO ISSO / ART IN ALL OF IT ...................................................................................... 03

Índice Index

MOSTRAS / EXHIBITIONS ............................................................................................................... 04 MOSTRA COMPETITIVA BRASIL / BRAZIL COMPETITIVE EXHIBITION ................................................... 04 MOSTRA OUTROS ESQUEMAS / OUTROS ESQUEMAS EXHIBITION ...................................................... 05 MOSTRA UNIVERSITÁRIA BASE-LÍBANO / BASE-LEBANON UNIVERSITY FILM EXHIBITION ..................... 05 MOSTRA AUDIOVISUAL EM CURSO / ONGOING AUDIOVISUAL EXHIBITION .......................................... 05 SESSÕES COM ACESSIBILIDADE / SCREENINGS WITH AREAS FOR DISABLED PERSONS ........................... 05 FILMES / FILMS ............................................................................................................................. 07 MOSTRA COMPETITIVA BRASIL / BRAZIL COMPETITIVE EXHIBITION ................................................... 07 MOSTRA OUTROS ESQUEMAS / OUTROS ESQUEMAS EXHIBITION ...................................................... 18 MOSTRA UNIVERSITÁRIA BASE-LÍBANO / BASE-LEBANON UNIVERSITY FILM EXHIBITION ..................... 23 MOSTRA AUDIOVISUAL EM CURSO / ONGOING AUDIOVISUAL EXHIBITION .......................................... 24 Sessão 1 – PUCRS E UFRGS / Session 1 – PUCRS E UFRGS ........................................................ 24 Sessão 2 – UNISINOS, UNIRITTER E UFPEL / Sessão 2 – UNISINOS, UNIRITTER E UFPEL ............... 28 RODADAS DE NEGÓCIOS / BUSINESS ROUNDS ................................................................................ 39 SEMINÁRIO / SEMINARS ................................................................................................................ 42 PROGRAMAÇÃO / SCHEDULE ........................................................................................................ 44 OFICINAS / WORKSHOPS ................................................................................................................ 49 FILME DE ENCERRAMENTO / CLOSING SCREENING ....................................................................... 50 ENDEREÇOS / ADDRESS INFORMATION .............................................................................................. 51 FICHA TÉCNICA ......................................................................................................................... 52


A arte em tudo isso Art in all of it Muitos nos questionam sobre curadoria do Cine Esquema Novo: explicar, mas também não é difícil. um festival temático, mas também genéricos.

como é a não é fácil Não somos não somos

Estamos te explicando, pra te confundir. Estamos te confundindo, Pra te esclarecer. Quando assistimos aos 703 inscritos procuramos uma luz para nos guiar. Suavemente colocamos nossa proposta, fechamos os olhos e enxergamos essa curadoria. Pensamos naqueles que se identificam com o CEN e o que gostariam de ver. Mas também naquilo que não fazem ideia que poderão encontrar, pois a surpresa sempre esteve no nosso DNA. Ficamos alegres com os filmes que escolhemos, e também sensíveis à realidade que se apresenta ao nosso redor. E essa realidade está nas obras que escolhemos, para que o desespero dê lugar ao carinho. Uma deliciosa e radical salada de frutas, que é servida das lutas de cada dia. Deixando clara nossa posição de não acomodação diante disso tudo, pois afinal isso tudo não é pouco, e é tudo isso e muito mais.

E não precisa de rima na arte quando o que queremos falar é de feminismo, colonialismo, empoderamento e representatividade negra, política atual, sobrevivência e exploração da religiosidade, questões candentes aos povos originários, pertencimento, imigração, memória, acessibilidade, identidade queer e a nossa identidade, que representa através do audiovisual um Brasil em momento de disruptura. Não é o discurso pelo discurso, é como esse discurso transita entre cérebros e punhos, olhos e câmeras, telas grandes e pequenas, de forma a encantar mesmo na barbárie. Poesia numa hora dessas também pode, mas ela não está só, pois o audiovisual é o espelho da sociedade e suas idiossincrasias, é o nosso bilhete de viagem, a ponte e o porto. Então vamos por agora nos despedindo que é pra poder voltar. Gustavo Spolidoro, Jaqueline Ramiro Azevedo e Vinicius Lopes

Beltrame,

Many people ask us about what it is like to curate Cine Esquema Novo: it is not easy to explain, but it is not difficult either. We are not a theme festival, but we are not generic either. We are explaining it to you Just to confuse you. And we’re confusing you Just to make things clear to you. When we watched the 703 works submitted, we looked for a guiding light. We gently laid out our proposal, closed our eyes and saw this curatorship. We thought about those who identify with the CEN and what they would like to see. However, we also thought about what people have no idea they might find, because the surprise element has always been in our DNA. We are very thrilled with the movies we

choose, but we are also sensitive to the reality that surrounds us. And this reality is in the works we chose, so that despair may give way to affection. A delicious and radical fruit salad, which is served from our daily struggles. Making our position clear, which is not to cross our arms in the face of it all, Because, in the end, this ‘all of it’ is not a minor thing. it’s indeed all of it and much more. Rhyming is not necessary in art when what we want to talk about is feminism, colonialism, empowerment and black representativeness, current politics, the survival and exploitation of religiousness, burning issues to native peoples, sense of belonging, immigration, memory, accessibility, queer identity and our identity, which represents - through audiovisual works - a Brazil that is going through moment of disruption. It isn’t about talking for the sake of it, it’s about how this discourse travels across brains and fists, eyes and cameras, big and small screens, in order to spur enchantment even in times of savagery. In times like these, poetry is allowed; however, it must not walk alone, because audiovisual works are a mirror reflecting society and its idiosyncrasies, they is our means to go other places; they are our bridges and harbors. So let us say our goodbyes now so that we may come back another day.


MOSTRA COMPETITIVA BRASIL De 21 a 27/11 na Cinemateca Capitólio Petrobras e Goethe-Institut Porto Alegre

Mostras Exhibitions

Um panorama da produção autoral e independente do país. São 33 obras, 28 delas exibidas em sala de cinema, uma performance na Cinemateca Capitólio Petrobras e quatro videoinstalações expostas no Goethe-Institut Porto Alegre, correalizador do CEN 2019. Temáticas como feminismo, empoderamento e representatividade negra, política atual, colonialismo, questões indígenas, pertencimento, memória, imigração, identidade queer, acessibilidade, entre outras, pautam os títulos selecionados de dez Estados brasileiros e quatro produções assinadas por brasileiros realizadas no exterior (ou em coprodução internacional). A Mostra Competitiva Brasil premiará ao final do evento o Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2019, com um troféu assinado por Luiz Roque, criado especialmente para o CEN, além de prêmios em serviços da Locall, KF Studios, TECNA/PUCRS e Fluxo – Escola de Fotografia e Cinema. JÚRI: O júri da Mostra Competitiva Brasil do Cine Esquema Novo 2019 é formado por Camila Leichter, Gabriela Motta e Silvero Pereira

CAMILA LEICHTER: Artista visual e doutoranda em Poéticas Visuais pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais - UFRGS, com a pesquisa Campo e Contracampo da Experiência, envolvendo os aspectos processuais, imersivos e performativos da prática audiovisual a partir do lugar da experiência, atualmente, uma antiga casa adjacente a um moinho em ruínas e seu entorno, na Picada 48 Baixa - RS. GABRIELA KREMER MOTTA: Curadora, crítica e pesquisadora em artes visuais. Atualmente, é bolsista PNPD junto ao PPG do Centro de Artes da UFPEL (2016 – 2020). Doutora em Teoria, Ensino e Aprendizagem da Arte, pela USP (2015), e mestre em Artes Visuais pelo Instituto deArtes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005). SILVERO PEREIRA: Ator, dramaturgo e diretor. Fundador do Coletivo As Travestidas (Fortaleza- CE). No Teatro atuou em mais de 30 peças e circulou por quase todo o território brasileiro além de EUA e Alemanha. Na TV atuou na novela A FORÇA DO QUERER e participou do Show dos Famosos 2018 do domingão do Faustão, é mobilizador do programa Criança Esperança. No Cinema fez Serra Pelada (2012), curtas como No Fim de Tudo (RN) As Bodas do Diabo (SP) e Mar de Zila (RN). Recentemente participou do filme BACURAU de Kleber Mendonça e Juliano Dorneles.


MOSTRA OUTROS ESQUEMAS De 22 a 27/11 na Cinemateca Capitólio Petrobras A Mostra Outros Esquemas surge de um desejo do time de curadores do CEN 2019 em contemplar um espaço de expressão diferenciado daquele que costumam selecionar para a Mostra Competitiva Brasil, mas que fizeram brilhar seus olhos. No amplo espectro de mais de 700 inscritos, a Mostra Outros Esquemas apresenta quinze obras que, por sua relevância cinematográfica, política, social, narrativa e também pelo momento atual do cinema brasileiro, precisam ser exibidas, assistidas e refletidas. Os 15 filmes concorrem ao voto do público e a produção escolhida como Melhor Filme receberá prêmios em serviços da Locall e TECNA/PUCRS. MOSTRA UNIVERSITÁRIA BASE-LÍBANO 22/11, 16h, Cinemateca Capitólio Petrobras A Mostra Universitária Base-Líbano apresenta um encontro entre processos, entreolhares de cinco realizadores e seus primeiros filmes, que se abriram para outras formas-cinema, menos convencionais, contaminados pela temporalidade e pela materialidade da experiência, por vezes brutal, e suas sutilezas. São títulos assinados por alunos da faculdade de cinema da AUL Kaslik no Líbano com curadoria da BASEfilm, plataforma colaborativa de produção audiovisual a partir de práticas processuais de construção de imagem, capitaneada pelos brasileiros Camila Leichter, Mauro Espíndola e o libanês Ali Khodr.

MOSTRA AUDIOVISUAL EM CURSO 23 e 24/11, 14h, Goethe-Institut Porto Alegre A segunda edição da Mostra Audiovisual em Curso conta com a curadoria de 19 alunos de sete cursos de realização audiovisual, artes visuais, comunicação e animação de cinco instituições do RS: Crav/Unisinos, Teccine/PUCRS, Fabico e Instituto de Artes/ UFRGS, Audiovisual e Animação/UFPEL e Audiovisual/Uniritter. A mostra reunirá 38 obras selecionadas pelos alunos-curadores. Além da exibição, a mostra terá debates entre os curadores e os realizadores dos filmes selecionados. A Mostra Audiovisual em Curso ocorre no sábado e domingo, 23 e 24 de novembro, no Goethe-Institut Porto Alegre, das 14h às 18h. A novidade em 2019 é que a mostra torna-se competitiva e conta com o voto do público, que escolherá não o seu filme preferido, mas a melhor sessão, valorizando assim o processo curatorial dos alunos. A Fluxo Escola de Fotografia e Cinema concederá prêmios ao grupo de curadores escolhidos pelo Júri Popular. SESSÕES COM ACESSIBILIDADE O público pode conferir dois filmes com sessões acessíveis na Cinemateca Capitólio Petrobras: 23/11, 14h - Raia 4 (2019, RS, 94min), de Emiliano Cunha 27/11, 14h - Enquanto Estamos Aqui (2019, MG, 78min), Clarissa Campolina e Luiz Pretti

BRAZIL COMPETITIVE EXHIBITION Nov 21-27 at Cinemateca Capitólio Petrobras and Goethe-Institut Porto Alegre A general overview of original and independent productions in the country. It pesents 33 works, 28 of which screened in movie theaters, in addition to a live performance at Cinemateca Capitólio Petrobras and four video installations at Goethe-Institut Porto Alegre, coorganizer of the 2019 CEN. Topics such as feminism, Black representativeness and empowerment, current politics, colonialism, native people issues, sense of belonging, memory, immigration, queer identity, accessibility, among many others, are addresses by the works selected from ten Brazilian states, in addition to four works made by Brazilians overseas (or international co-productions). At the end of the event, the Brazil Competitive Exhibition will award the 2019 Cine Esquema Novo Grand Prize, a trophy designed by Luiz Roque especially for CEN, as well as prizes in services from Locall, KF Studios, TECNA/ PUCRS and Fluxo - Escola de Fotografia e Cinema. JURY: The jury of the 2019 Cine Esquema Novo’s Brazil Competitive Exhibition is comprised of Camila Leichter, Gabriela Motta and Silvero Pereira. CAMILA LEICHTER: A visual artists and PhD student in Visual Poetics at the Graduate program in Visual Arts-UFRGS, her research is focused on “Field and Counterfield of Experience”, which involves the procedural, immersive and performative aspects of audiovisual practices taking ‘experience’


as a starting point, currently focusing on an old manor beside a ruined mill and its surroundings, located in Picada 48 Baixa RS. GABRIELA KREMER MOTTA: Curator, critic and researcher specialized in visual arts. Currently, she holds a PNPD scholarship in the Graduate program at UFPEL’s Arts Center (2016-2020). She has a PhD in Art Theory, Teaching and learning from USP (2015) and a Master’s degree in Visual Arts from the Federal University of Rio Grande do Sul’s Arts Institute (2005). SILVERO PEREIRA: Actor, playwright and director. Founder of the As Travestidas collective (Fortaleza- CE). In the theater, he has performed in more than 30 plays and traveled throughout the Brazilian territory with these performances, as well as to the United States and Germany. On TV, he acted in soap opera A Força do Querer and participated in the 2018 edition of Show dos Famosos (a competition on the Domigão do Faustão TV show), in addition to being a mobilizing force behind the Criança Esperança initiative. In film, he acted in films such as “Serra Pelada” (Heitor Dhalia, 2012) and short films “No Fim de Tudo” (Victor Ciríaco, RN), “As Bodas do Diabo” (Ivan Ribeiro, SP) and “Mar de Zila” (RN). More recently, he had a part in “Bacurau”, a film by Kleber Mendonça Filho and Juliano Dornelles.

OUTROS ESQUEMAS EXHIBITION Nov 22-27 at Cinemateca Capitólio Petrobras The Outros Esquemas Exhibition is the result of the 2019 CEN curating team’s desire to have unique space for expression, different from the expressions that make it to the Brazil Competitive Exhibition, but which was just as important. From the universe of over 700 works submitted, the Outros Esquemas Exhibition features fifteen works that, due to their cinematographic, political, social and narrative relevance, as well as to the current scenario of Brazilian cinema, must be screened, watched and discussed. Audiences will cast a vote for the 15 films in this exhibition, and the one chosen as Best Picture will receive a prize in services from Locall and TECNA/PUCRS. BASE-LEBANON UNIVERSITY FILM EXHIBITION Nov 22, 4:00 PM, at Cinemateca Capitólio Petrobras The Base-Lebanon University Film Exhibition, which presents an encounter between processes, the directors’ regards and their first films, which were open to new ways of filmmaking, which are less conventional and contaminated by temporality and the materiality of experience (sometimes brutal) as well as its subtleties. These are films directed by students from the AUL Kaslik film school in Lebanon, curated by BASEfilm, a collaborative platform for audiovisual productions based on procedural image construction practices, led by Brazilian artists Camila Leichter, Mauro Espíndola and Lebanese artist Ali Khodr.

ONGOING AUDIOVISUAL EXHIBITION Nov 23-24, 2:00 PM, at Goethe-Institut Porto Alegre The second edition of the Ongoing Audiovisual Exhibition is curated by 19 students from seven audiovisual, visual arts, communication and animation courses from five institutions in the state of Rio Grande do Sul: Crav/Unisinos, Teccine/PUCRS, Fabico and Arts Institute/ UFRGS, Audiovisual e Animação/UFPEL and Audiovisual/Uniritter. The exhibition will feature 38 works selected by the students-curators. In addition to the screenings, the exhibition will feature debates between the curators and the filmmakers who directed the selected films. The Ongoing Audiovisual Exhibition will be held on Nov 23-24 at GoetheInstitut Porto Alegre, from 2:00 to 6:00 PM. The news in 2019 is that this exhibition is now a competitive exhibition the winner of which is decided by the public, who will not vote on the best film, but on the best session, thus valuing the curating process developed by the students. Fluxo Escola de Fotografia e Cinema will award prizes to the group of curators chosen by the Popular Jury. SCREENINGS WITH AREAS FOR DISABLED PERSONS Audiences will be able to watch two films screened at Cinemateca Capitólio Petrobras: Nov 23 at 2:00 PM - Raia 4 (2019, RS, 94min), by Emiliano Cunha Nov 27 at 2:00 PM - Enquanto Estamos Aqui (2019, MG, 78min), Clarissa Campolina e Luiz Pretti


Filmes Films

MOSTRA COMPETITIVA BRASIL BRAZIL COMPETITIVE EXHIBITION

A Cristalização de Brasília (2019, DF, 06min), de Guerreiro do Divino Amor - 14 ANOS 24 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras

A Mentira (2019, RJ, 11min), de Klaus Diehl e Rafael Spínola – LIVRE 23 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras

-

-

Direção de fotografia: Mauricio Chades Som: Neural Xolotl Montagem / Edição: Guerreiro do Divino Amor Direção de arte: Guerreiro do Divino Amor Personagem real principal: Sallisa Rosa Animação: Guerreiro do Divino Amor Produção: Guerreiro do Divino Amor Roteiro: Guerreiro do Divino Amor Trilha sonora original: Neural Xolotl

Direção: Klaus Diehl e Rafael Spínola Som: Hugo Rocha Montagem / Edição: Rafael Spínola Personagem real principal: Klaus Diehl Produção: Rafael Spínola Roteiro: Jansen Hertz e Rafael Spínola

- Tradução: Caio Lindoso

- Beleza e estilo: Ventura Profana

Em um relatório da polícia secreta da Alemanha Oriental, o amor.

Quarto capítulo do projeto de Atlas Superficcional Mundial, A Cristalização de Brasília, explora a ideia de um futuro como passado petrificado. Num tempo geológico acelerado onde séculos se cristalizaram em poucos anos na forma de uma cidade pela força do racionalismo místico, que tem o poder de embalsamar idéias e estruturas sociais para que se perpetuem para todo sempre.

A Mentira (2019, RJ, 11min), by Klaus Diehl and Rafael Spínola - ALL AGES ADMITTED

A Cristalização de Brasília (2019, DF, 06min), by Guerreiro do Divino Amor - 14+ ADMITTED Chapter four of the Superfictional World Atlas project, A Cristalização de Brasília (“The Crystallization of Brasilia) explores the idea of a future as a petrified past. In an accelerated geologic time where centuries have crystallized in just a few years in the form of a city by the force of mystical rationalism, which has the power to embalm social ideas and structures so that they may be perpetuated forever.

Love is found on an East German secret police report.


A Palavra de Deus (2019, SP, 21min), de Katrina Vernice - 16 ANOS 22 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Katrina Vernice Features Direção: Katrina Montagem / Edição: Marco Ator principal: Marco Animação: Katrina Produção: Marco

- Roteiro: Katrina

Um cidadão de bem recebe a missão a matar bandidos com fuzil ou metralhadora. No filme mais estranho do mundo

A Palavra de Deus (2019, SP, 21min), by Katrina Vernice - 16+ ADMITTED An upright citizen receives a mission to kill bad guys with a rifle or a machine gun. The most bizarre filme in the world.

A Rosa Azul de Novalis (2019, SP, 70min), de Rodrigo Carneiro e Gustavo Vinagre - 18 ANOS 26 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras Empresa produtora: Carneiro Verde Filmes Direção: Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro Roteiro: Gustavo Vinagre e Marcelo Diorio Produção: Rodrigo Carneiro e Gustavo Vinagre Produção de set: Edson Costa Fotografia: Bruno Risas Edição: Rodrigo Carneiro Som Direto: Ruben Valdés Direção de Arte: Gabriel Pessoto Figurino: João Marcos de Almeida Assistente de Direção: Beatriz Pomar Assistente de Fotografia: Wilssa Esser Microfonista: Rodney Blanco Preparação de elenco: Gilda Nomacce Maquiagem: Alma Negrot Efeitos: Paulo Bueno e João Marcos de Almeida Correção de Cor: Natalia Nora Martínez Tradução para o inglês: Adriana Davanzzo Arte do cartaz: Gabriel Pessoto Design do cartaz: João Marcos de Almeida Elenco: Marcelo Diorio, Majeca Angelucci, Marcos Hermanson Pomar, Thais de Almeida Prado, Estela Lapponi, Beatriz Pomar, Rafael Rudolf e Christian Sedemaka Música: Dominico Scarlatti – Fandango

Marcelo, 40 anos, possui uma memória inigualável. Revive lembranças familiares em sua cabeça e tem recordações de suas vidas passadas. Em uma delas, foi Novalis, poeta alemão que perseguia uma rosa azul. E nessa vida atual, o que Marcelo persegue?

A Rosa Azul de Novalis (2019, SP, 70min), by Rodrigo Carneiro and Gustavo Vinagre - 18+ ADMITTED Marcelo, aged 40, has an outstanding memory. He relives familiar memories in his head, also recollecting memories from his past lives. In one of these past lives, he was Novalis, a German poet chasing a blue rose. In this life, what is Marcelo chasing?

Aurora (2018, RJ, 18min), de Renata Spitz - 16 ANOS 26 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras - Empresa produtora: Terra Bruta - Direção: Renata Spitz - Direção de fotografia: Ana Galizia - Som: Guilherme Farkas - Montagem / Edição: Adriana Bassi - Direção de arte: Andreia Costa - Personagem real principal: Luisa Machado, Ludmyla Lemos, Agatha Cardoso. E Yatha Johann - Produção: Lihemm Farah, Mariana Ramos, Guilherme Rezende Jr. Mayara Del Bem e Renata Spitz - Roteiro: Renata Spitz

Quatro garotas compartilham seus sonhos dentro de um pequeno apartamento até que o dia nasce novamente, algumas não conseguem dormir.

Aurora (2018, RJ, 18min), by Renata Spitz - 16+ ADMITTED Four girls share their dreams in a small apartment until the sun rises for yet another day; some can’t sleep.


Aymberê (2019, SC, 12min), de Duo Strangloscope - 12 ANOS 21 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras - Empresa produtora: Duo Strangloscope - Direção: Duo Strangloscope - Trilha sonora original: Rodrigo Ramos

Aymberê integra uma trilogia iniciada em Carcará, apresentada em 2018 em mostra assinada pela dupla catarinense. A obra é realizada através de multiprojetores analógicos com acompanhamento de som digital ao vivo que reúne materiais de filmes alterados, pintados, riscados com a temática dos povos originários contra as injustiças sociais que nos acometem desde os tempos do “descobrimento” do Brasil até hoje.

Bem no meio do céu (2018, RJ, 13min), de Isabella Raposo e Thiago Brito – LIVRE 23 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Dilúvio Produções Direção: Isabella Raposo e Thiago Brito Direção de fotografia: Guilherme Tostes Som: Acácia Lima Montagem / Edição: Acácia Lima Direção de arte: Isabella Raposo e Thiago Brito Personagem real principal: Glaucia Brito Brandão Produção: Isabella Raposo e Thiago Brito Roteiro: Isabella Raposo e Thiago Brito Trilha sonora original - Grupo ou compositor principal: Acacia Lima

Bicha-Bomba (2019, PR, 08min), de Renan de Cillo - 12 ANOS 26 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Beija Flor Filmes Direção: Renan de Cillo Som: Carmen Agulham Montagem / Edição: Renan de Cillo Personagem real principal: Renan de Cillo Produção: Renan de Cillo Roteiro: Renan de Cillo, Marcelo Oriani Narração: Renan de Cillo, Marcelo Oriani, Luca Scarpelli, Lui Castanho Produtor Executivo: Gil Baroni Orientação: Juslaine Abreu-Nogueira

- Tradução: Alyne Chagas

- Mixagem: Ricardo Reis Chuí

A última mulher do mundo.

Aymberê (2019, SC, 12min), by Duo Strangloscope - 12+ ADMITTED

Bem no meio do céu (2018, RJ, 13min), by Isabella Raposo and Thiago Brito – ALL AGES ADMITTED

Aymberê is part of a trilogy initiated with Carcará, performed in 2018 at an exhibition captained by the Santa Catarina duo. This performance is executed by using analog multiprojectors accompanied by live digital sound, as well as materials made with modified, painted and scratched films, featuring the topic of native peoples fighting against the social injustice they have been facing since Brazil has been “discovered” until nowadays.

The last woman on Earth.

Este filme “não é capaz de vingar as mortes, redimir os sofrimentos, virar o jogo e mudar o mundo. Não há salvação. Isso aqui é uma barricada! Não uma bíblia”.

Bicha-Bomba (2019, PR, 08min), by Renan de Cillo - 12+ ADMITTED This film “cannot avenge deaths, make up for all the suffering, turn the tide or change the world. There is no salvation. This is a barricade! Not a bible”.


Caçador (2018, PE, 20min), Leonardo Sette - 14 ANOS 26 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Dezenove Som e Imagens Direção: Leonardo Sette Direção de fotografia: Pedro Sotero Som: Rafael Travassos Montagem / Edição: Leonardo Sette Direção de arte: Tiago Melo, Raimundo Mean Ator principal: Raimundo Mean Produção: Sara Silveira, Maria Ionescu

- Roteiro: Leonardo Sette

Após um vôo de monomotor sobre a floresta, Nakuá se sente mal ao chegar na aldeia para a qual está se mudando. Sem entender direito o que está sentindo, solitário, Nakuá se consulta com Dr. Bruno e se apresenta como caçador.

Caçador (2018, PE, 20min), Leonardo Sette - 14+ ADMITTED After flying on a single-engine plane over the forest, Nakuá feels blue when he arrives in the village to where he is moving. Not knowing exactly what he is feeling and experiencing loneliness, Nakuá goes to see Bruno, a physician, introducing himself as a hunter.

Corre Quem Pode, Dança Quem Aguenta (2019, RJ, 07min), Welket Bungué - LIVRE Galeria Goethe-Institut Porto Alegre - Segunda a sexta das 10h às 19h30 | Sábados das 10h às 12h30 | Domingos e feriados não há visitação -

Empresa produtora: Kussa Productions Direção: Welket Bungué Direção de fotografia: Welket Bungué Som: Rádio Escada Montagem / Edição: Welket Bungué & Welsau Bungué Direção de arte: Welket Bungué Ator principal: Welket Bungué Produção: Welket Bungué

- Roteiro: Welket Bungué

Um jovem performer sai ileso de uma manifestação pública agressiva conta o aumento do preço da passagem de ónibus no Rio, e no dia seguinte é entrevistado por outro artista que pretende contar a sua história aos ouvintes da sua rádio. Auris, como muitos afro-brasileiros poderia ser um corpo ausente, camuflado na estatística dos jovens apagados pela violência imposta pelas classes ou pelas estruturas desigualitárias operando em nome do serviço público, só que não, seu corpo está presente.

Corre Quem Pode, Dança Quem Aguenta (2019, RJ, 07min), by Welket Bungué - ALL AGES ADMITTED A young performer emerges unscathed from an intense public demonstration about the bus fare increases in Rio de Janeiro; the next day, he is interviewed by another artist, who wants to tell this performer’s story to his radio listeners. Auris, like many African Brazilians, could have become an absent body, simply added to the statistics related to youth being erased by violence imposed by class struggles or unequal structures operating in the name of public service; however, his corporeal existence is very much present.

De Longe, ninguém vê o presidente (2018, SP/RJ, 15min), de Rená Tardin - LIVRE 22 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Caos e Cinema / IDEOgraph Direção: Rená Tardin Direção de fotografia: Rená Tardin Som: Gianluigi Ciminelli Montagem / Edição: Rená Tardin Personagem real principal: Luiz Inácio Lula da Silva Produção: Felipe Haurelhuk Roteiro: Rená Tardin Assistente de Direção: Alan B. Nogueira

No mesmo local em que construiu sua carreira política, o ex-presidente Lula discursa pela última vez antes de ser preso, no dia 7 de Abril de 2018. Ao mesmo tempo, 10 novos caminhões saem de uma linha de montagem da MercedesBenz com cada vez menos trabalhadores.

De Longe, ninguém vê o presidente (2018, SP/RJ, 15min), by Rená Tardin - ALL AGES ADMITTED At the same place where his political career was built, former President Lula speaks for one last time before his arrest on April 7, 2018. At the same time, 10 new trucks leave a Mercedes-Benz assembly line with fewer and fewer workers.


Enquanto Estamos Aqui (2019, MG, 78min), Clarissa Campolina e Luiz Pretti - LIVRE 25 de novembro, 18h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras 27 de novembro, 14h – Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Anavilhana Direção: Clarissa Campolina, Luiz Pretti Direção de fotografia: Clarissa Campolina, Luiz Pretti, Rodrigo Fischer Som: Pedro Durães, Luiz Pretti Montagem / Edição: Clarissa Campolina, Luiz Pretti Ator principal: Marcelo Souza e Silva Atriz principal: Mary Gatthas, Grace Passô Produção: Luana Melgaço

- Roteiro: Clarissa Campolina, Luiz Pretti

Lamis e Wilson são imigrantes em Nova Iorque. Ela, uma Libanesa que acaba de chegar e ele, um Brasileiro que mora ilegalmente na cidade há 10 anos. Uma narrativa híbrida construída com uma abordagem poética; um diário de viagem que se torna uma crônica e nos leva para a essência da micropolítica humana em tempos de globalização: um reino incerto de desejos, esperança e medo.

Enquanto Estamos Aqui (2019, MG, 78min), by Clarissa Campolina and Luiz Pretti - ALL AGES ADMITTED Lamis and Wilson are immigrants living in New York. Lamis is a newly-arrived Lebanese national, while Wilson is a Brazilian national who has lived illegally in the city for 10 years. This is a hybrid narrative built with a poetic approach; it is a travel journal that becomes a chronicle, showing us the essence of human micropolitics in times of globalization: an uncertain realm of desire, hope and fear.

Intervenção Jah (2019, RJ, 15min), de Welket Bungué e Daniel Santos - LIVRE 23 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras Roteiro e Concepção: Welket Bungué Direção: Daniel Santos Performers: Welket Bungué, Walter Reis, Daniel Santos, Jéssica Senra e Kristin Bethge Câmera A: Daniel Santos Câmera B: Jéssica Senra Fotografia de Cena: Kristin Bethge Edição: Daniel Santos Gravação Áudio: Rádio Escada Trilha Sonora Original e Máscaras: Walter Reis Arte Sonora: Frado Monteiro Grafismo: Lucas Carvalho Produção: KUSSA Productions

‘Intervenção Jah’ visa uma caminhada simbólica até à exaustão. A intervenção propõe o aquecimento preliminar que antecede um combate de titãs num ringue de boxe. A intervenção consiste no movimento do performer intuindo a queda repentina quando afetado por perfurações por balas de armas semi-automáticas. Segundo os resultados divulgados em 2017, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, as pessoas negras no Brasil ainda representam mais de metade da população do país. Entre 2005 e 2015 o número de pessoas negras assassinadas aumentou 18% e isso nos tornou também a maior parte das vítimas de homicídio, tendo correspondido a 71% do total de corpos registrados.

Jogos Dirigidos (2019, PE, 26min), de Jonathas de Andrade - LIVRE 26 de novembro, 20h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras - Empresa produtora: Jonathas de Andrade - Direção: Jonathas de Andrade - Direção de fotografia: Ivo Lopes - Som: Maurício D’orey - Montagem / Edição: Tita, Fábio Costa Menezes - Elenco: Celina Barbosa de Carvalho, Claudiana Barbosa de Carvalho, Cleide Evani de Araújo Barros, Denilson de Carvalho, Elizabete Isabel da Cruz Barbosa, Eulálio Barbosa de Carvalho, Francisco Antônio da Silva, Francisco Ricardo de Carvalho Filho, Gildeto Silva Batista, Irene Joana da Silva, Julia Maria Barbosa, Laise de Araújo Barros, Luzia de Araújo Barros, Manoel Francisco de Carvalho, Manoel Sebastião Barbosa, Maura Barbosa de Carvalho, Reginaldo João Barbosa, Solandia Isabel Barbosa - Produção: Vanessa Barbosa - Roteiro: Jonathas de Andrade - Trilha sonora original: Homero Basílio - Em colaboração com: Marcelo Rosenbaum, Instituto a Gente Transforma - Comissionado por: The Museum of Contemporary Art Chicago

Uma comunidade com cerca de 900 habitantes e um alto índice de surdos-mudos em sua população, proporcionalmente incomum. É lá em Várzea Queimada, no interior do Piauí, que se passam os Jogos Dirigidos. O vídeo propõe uma experiência de jogos e dinâmicas de grupo ao ar livre, articulados com momentos de fala, onde o grupo se coloca em situação de plateia e assiste à pessoa que fala. Contadas através de sinais, as histórias narram as vivências dos habitantes do local.

Intervenção Jah (2019, RJ, 15min), by Welket Bungué and Daniel Santos - ALL AGES ADMITTED

Jogos Dirigidos (2019, PE, 26min), by Jonathas de Andrade - ALL AGES ADMITTED

‘Intervenção Jah’ proposes a symbolic journey towards exhaustion. This intervention proposes a preliminary warm-up before a fight between champions in a boxing ring. This intervention consists of a performer moving and sensing his sudden fall when hit by bullets shot by semi-automatic weapons. According to data released in 2017 by the Brazilian Public Safety Forum, Black people in Brazil still account for more than half of the country’s population. Between 2005 and 2015, the number of Black people murdered increased by 18%, and this also turned us into the most likely victims of homicide, accounting for 71% of all reported murders.

A community comprising approximately 900 inhabitants with a high rate of deaf-mutes among population, which is proportionally uncommon. This village is called Várzea Queimada, in the Piauí countryside, where Jogos Dirigidos take place. This film proposes an experience of outdoor games and group dynamics, in combination with talks, when the community becomes an audience watching the one who speaks. Told through sign language, these stories narrate the experiences of local inhabitants.


Looping (2019, MG, 11min), de Maick Hannder - 16 ANOS 25 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras

Magalhães (2018, SP, 22min), de Lucas Lazarini - LIVRE 22 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras

Mirante (2019, RS, 78min), de Rodrigo John - 12 ANOS 23 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras

-

-

-

Empresa produtora: Ponta de Anzol Filmes Direção: Maick Hannder Direção de fotografia: Maick Hannder Som: Maick Hannder, Pedro Mancini e Yara Tôrres Montagem / Edição: Maick Hannder Direção de arte: Dayane Tropicaos Ator principal: João Victor / Arthur Diniz Produção: Jacson Dias e Bruno Greco Roteiro: Maick Hannder Mixagem: Flora Guerra Assistente de fotografia: Higor Gomes Pesquisa de atores: Bruna Cunha

- Motorista: Pedro Cícero

Vi um garoto atravessando a rua hoje.

Looping (2019, MG, 11min), by Maick Hannder - 16+ ADMITTED I saw a little boy crossing the street today.

Direção: Lucas Lazarini Direção de fotografia: Tobias Rezende Som: Guilherme Augusto Montagem / Edição: Lucas Lazarini Personagem real principal: Magalhães Teixeira Produção: Lucas Lazarini

- Produtor Associado: Vini Campos

Nas eleições municipais de 1992, Magalhães Teixeira é eleito prefeito de Campinas. Filme-arquivo, sobre um político em campanha, os embaraços de sua equipe de filmagem e eleitores desconfiados em meio ao impeachment do presidente Collor.

Magalhães (2018, SP, 22min), by Lucas Lazarini - ALL AGES ADMITTED In the 1992 municipal elections, Magalhães Teixeira is elected mayor of Campinas. It is a film made using archival footage of a politician during his campaign, the tribulations of his film crew and suspicious voters following President Fernando Collor’s impeachment.

Empresa produtora: Osso Filmes Direção: Rodrigo John Direção de fotografia: Rodrigo John Som: Rodrigo John Montagem / Edição: Rodrigo John Personagem real principal: Rodrigo John e Adriana Hiller Produção: Adriana Hiller, Rodrigo John e Vado Vergara Roteiro: Rodrigo John Trilha sonora original - Grupo ou compositor principal: Vagner Cunha Editor de Som e Mixagem: Leo Bracht Produção Executiva: Adriana Hiller Produção de Copyright: Paola Oliveira e Adriana Hiller

- Coloristas: Amarello Rodrigues e Daniel Dode

Do alto de seu apartamento, morador observa a vida no centro de Porto Alegre. Nos vidros das janelas, as narrativas de dentro e de fora se misturam, ecoando a precariedade das relações. Enquanto uma reviravolta na história do Brasil desafia a rotina da cidade, vozes fantasmagóricas compõem um retrato caleidoscópico da nossa época, numa sinfonia distópica.

Mirante (2019, RS, 78min), de Rodrigo John - 12+ ADMITTED From their apartment, a resident observes life in downtown Porto Alegre. On the window pane, inside and outside narratives are mixed together, echoing the precariousness of relationships. Whilst a plot twist in Brazilian history defies the city’s daily routine, spooky voices make up a kaleidoscopic portrait of our times, in a dystopian symphony.


Negrum3 (2018, SP, 21min), de Diego Paulino - 10 ANOS 24 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras

Noh (2019, SP, 18min), de Giovanni Manzi - LIVRE 23 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras

O Lucas Chamou o Mar (2018, SP, 21min), de Ani Cires - LIVRE 23 de novembro, 20h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras

-

-

-

Empresa produtora: Reptilia Produções Direção: Diego Paulino Direção de fotografia: Leandro Caproni Som: Diana Ragnole Montagem / Edição: Amanda Beça Direção de arte: Maiara Del Pino Personagem real principal: Eric Oliveira, Félix Pimenta, Euvira, Aretha Sadick Animação: Martin Namikawa Produção Executiva: Victor Casé Roteiro: Diego Paulino Trilha sonora original: Jhonatta Vicente Direção de Produção: Claudia Alves Figurino: Igor Bibiano

- Maquiagem: Ian Ribeiro

Entre melanina e planetas longínquos, NEGRUM3 propõe um mergulho na caminhada de jovens negros da cidade de São Paulo. Um ensaio sobre negritude, viadagem e aspirações espaciais dos filhos da diáspora.

Direção: Giovanni Manzi Direção de fotografia: Thiago Akira Som: Murilo Bortolo Montagem / Edição: Rodrigo Ziouva Direção de arte: Isabel Sachetti Ator principal: Sérgio Luiz Bortolo Produção: Tiemi Fujise Roteiro: Giovanni Manzi Narração: Ana Beatriz Pereira Assistente de fotografia: Isabel Sachetti

- Correção de Cor: Thiago Akira

- Produção Executiva: Luiza Marques da Costa, Tiago Pinheiro

Noh é um filme que se propõe a explorar de forma subjetiva e poética, através de um fluxo de pensamento, alguns dos diversos espaços e manifestações da escuridão, levando em conta suas implicações estéticas e culturais.

Ani e seus dois filhos, Lucas e Clara, levam uma vida comum na Zona Sul de São Paulo, mas o comum e o extraordinário, o cotidiano e a poesia, se fundem nesse ensaio sobre o olhar que convida a um mergulho em águas profundas e fluidas, num só fôlego.

Noh (2019, SP, 18min), by Giovanni Manzi - ALL AGES ADMITTED Negrum3 (2018, SP, 21min), by Diego Paulino - 10+ ADMITTED Between melanin and distant planets, NEGRUM3 proposes diving in the journey of young Black people in the city of São Paulo. It is an essay on Blackness, queerness and the spatial aspirations of diaspora children.

Empresa produtora: Frontera Filmes Direção: Ani Cires Direção de fotografia: Ani Cires, Tiago Pinheiro Som: Ani Cires, Thiago Ferraz Montagem / Edição: Tiago Pinheiro Personagem real principal: Ani Cires, Lucas Cires, Clara Cires Produção: Luiza Marques da Costa Roteiro: Ani Cires Trilha sonora original: André Bruni, Pedro Luce Folley, SFX e Mixagem: Pedro Luce

Noh is a film that aims at exploring, in a subjective/poetic way and making use of stream of consciousness, some of the various spaces and manifestations of darkness, taking into account their aesthetic and cultural implications.

O Lucas Chamou o Mar (2018, SP, 21min), by Ani Cires - ALL AGES ADMITTED Ani and her two children, Lucas and Clara, live an ordinary life in the South Zone of São Paulo; however, the ordinary and the extraordinary, daily life and poetry, merge in this essay about a perspective that invites you to dive in deep and fluid water, in one single breath.


O mundo é redondo pra ninguém se esconder nos cantos – Parte I: Refúgio (2018, ALE, 10min), de Leandro Goddinho - 12 ANOS Galeria Goethe-Institut Porto Alegre - Segunda a sexta das 10h às 19h30 | Sábados das 10h às 12h30 | Domingos e feriados não há visitação

O mundo é redondo pra ninguém se esconder nos cantos – Parte II: O Beijo (2018, ALE, 05min), de Leandro Goddinho - 14 ANOS Galeria Goethe-Institut Porto Alegre - Segunda a sexta das 10h às 19h30 | Sábados das 10h às 12h30 | Domingos e feriados não há visitação

-

-

Empresa produtora: Cinema Pósgenero Direção: Leandro Goddinho Direção de fotografia: Part I: Lucas Milhomem Som: Nico Fanari Montagem / Edição: Parte I: Lucas Milhomem Personagem real principal: M. Produção: Paulo Menezes e Leandro Goddinho Roteiro: Leandro Goddinho

Empresa produtora: Cinema Pósgenero Direção: Leandro Goddinho Direção de fotografia: Alex Zampini Som: Nico Fanari Montagem / Edição: Leandro Goddinho Personagem real principal: M. Produção: Paulo Menezes e Leandro Goddinho Roteiro: Leandro Goddinho

- Trilha sonora original: Nico Fanari

- Trilha sonora original - Grupo ou compositor principal: Nico Fanari

Ele foi forçado a fugir da Nigéria para salvar sua vida e seu amor. Primeira parte da série sobre Diáspora LGBTQ+.

Performance explorando o romance e terror de um simples beijo. Um refugiado Africano visita o Memorial Gay do Holocaust, em Berlin. O filme faz um paralelo entre a perseguição nazista aos homossexuais, com refugiados gays Africanos que fogem da pena de morte em seus países em busca de asilo na Alemanha. Segunda parte da série sobre Diáspora LGBTQ+.

O mundo é redondo pra ninguém se esconder nos cantos – Parte I: Refúgio (2018, ALE, 10min), by Leandro Goddinho - 12+ ADMITTED He was forced to escape from Nigeria to save his life and his love. First part of the series on the LGBTQ + Diaspora.

O mundo é redondo pra ninguém se esconder nos cantos – Parte II: O Beijo (2018, ALE, 05min), by Leandro Goddinho - 14+ ADMITTED Performance exploring the romance and horror behind a simple kiss. An African refugee visits the Gay Holocaust Memorial in Berlin. The film compares the Nazi persecution of homosexuals and African gay refugees who escape from the death penalty in their countries and seek asylum in Germany. Second part of the series on the LGBTQ + Diaspora.

Pedra do Medo (2019, SP, 12min), de Patricia Black - 12 ANOS 23 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Fratura Filmes Direção: Patrícia Black Direção de fotografia: Bruno Risas Som: Felipe Zenícola Montagem / Edição: Patrícia Black e Lucas Camargo de Barros Direção de arte: Hélio Moreira Filho Ator principal: Rodrigo Pavon Atriz principal: Flora Kountouriotis Produção: Brenno Brunette Roteiro: Patrícia Black e Lucas Camargo de Barros Assistente de Direção: Beatriz Pomar Assistente de Produção: Amanda Gomes Assistente de Fotografia: Fabio Politi Casting e preparação de elenco: Frann Ferraretto Maquiagem: André Florindo Som Direto: Thiago Ferraz e Matheus Fernandes Correção de Cor: Alexandre Cristófaro

- Efeitos Especiais: Paulo Bueno

Através de dois documentos reais envolvendo, de um lado o diário de um falecido avô, e do outro, a nota de atropelamento de uma jovem judia em São Paulo, atores ensaiam uma ficção onde descobrir o amor é entender quem vive ou quem morre.

Pedra do Medo (2019, SP, 12min), ny Patricia Black - 12+ ADMITTED By way of two authentic documents, the diary of a deceased grandfather and a newspaper note reporting a Jewish woman had been run over in São Paulo, actors rehearse a fictional film in which finding love means to understand who lives or dies.


Pela Luz do Teu Olhar (2019, DF, 11min), de Flávia Aguiar - LIVRE 25 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Lumiô Filmes Direção: Flávia Aguiar Direção de fotografia: Flávia Aguiar / Leila Aguiar Montagem / Edição: Flávia Aguiar Personagem real principal: Leila Aguiar, Flávia Aguiar Produção: Gui Campos

Polis (2019, RJ, 08min), de Rafael Baptista - LIVRE Galeria Goethe-Institut Porto Alegre - Segunda a sexta das 10h às 19h30 | Sábados das 10h às 12h30 | Domingos e feriados não há visitação - Direção: Rafael Baptista - Som: Rafael Baptista - Montagem / Edição: Rafael Baptista

- Trilha sonora original: Gui Campos

- Roteiro: Rafael Baptista

Em busca de si, Flávia mergulha em seu passado arquivado em fitas VHS. Nesta arqueologia afetiva de lembranças cotidianas, vários encontros ancestrais. Dentre eles, o de seu olhar com o de sua mãe revela dois rios que se cruzam para desaguar no mar. Um rito de passagem de quem foi, para se tornar quem é.

Uma máquina angustiada narra a crise que enfrenta ao tentar exercer sua função. Expressando com imagens urbanas suas dificuldades, ela tenta encontrar alguma saída.

Quando Elas Cantam (2018, SP, 28min), de Maria Fanchin - LIVRE 24 de novembro, 18h30 – Cinemateca Capitólio Petrobras Empresa produtora: Klaxon Cultura Audiovisual Direção: Maria Fanchin Produção: Beatriz Carvalho, Maíra Bühler, Maria Fanchin e Rafael Sampaio Produção Executiva: Beatriz Carvalho e Karina Lima Roteiro: Julia Rufino e Maria Fanchin Fotografia: André Tashiro e Cris Lyra Som direto: Gustavo Brandão Montagem: Manoela Ziggiatti Edição de Som: Simone Alvez Figurino: Juliana Rizzo (show) Projeto Voz Própria: Carmina Juarez Elenco: Andreza Cristina, Asya Aygul, Carmina Juarez, Cristiane da Silva, Danisile Linah, Erick Analia, Jolenah Dliwayo, Martha Bravo, Munyadzina Mavis, Precious Montsho, Robyn Chaplin, Sbekezele Msimango, Seja Ramaotswa, Thandi Sheila Mseleku, Tikeh, Thomas Muciacito.

Polis (2019, RJ, 08min), by Rafael Baptista - ALL AGES ADMITTED Pela Luz do Teu Olhar (2019, DF, 11min), by Flávia Aguiar - ALL AGES ADMITTED On a journey to find herself, Flavia dives into her past, recorded on VHS tapes. In this emotional archaeological effort to unearth everyday memories, various ancestral encounters take place. This includes an encounter between her own perspective and her mother’s, something that reveals two rivers that cross one another to reach the sea. A rite of passage, from ‘who we used to be’ to ‘becoming who we are’.

A distressed machine narrates the crisis it faces as it tries to execute its job. Expressing her difficulties through urban images, it tries to find a way out.

O documentário acompanha os encontros de mulheres do projeto Voz Própria, focado no tratamento terapêutico de mulheres presas para um show na Capela da Penitenciária Feminina da Capital de São Paulo.

Quando Elas Cantam (2018, SP, 28min), de Maria Fanchin ALL AGES ADMITTED This documentary follows women’s meetings from the Voz Própria project, focused on the therapeutic treatment of incarcerated women in connection with a performance at the chapel of the Women’s Penitentiary in the city of São Paulo. The film premiered at the 22nd Tiradentes Film Festival in January 2019, having been screened in various festivals around the world, such as 31st Cinelatino in Toulouse - France, IFEMA - Switzerland, and Hot-docs - Canada. It received the Audience Award at the 22nd Portuguese-Brazilian Film Festival, in Santa Maria da Feira, Portugal. It also received the Best Artistic Contribution award at the 26th Vitória Festival.


Rise (2018, PE, 20min), de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca – LIVRE 21 de novembro, 20h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Ponte Produtoras Direção: Barbara Wagner e Benjamin de Burca Direção de fotografia: Pedro Sotero Som: Nicolau Domingues, Caio Domingues, Paul Hill Montagem / Edição: Eduardo Serrano Produção: Emelie Chhangur Roteiro: Barbara Wagner e Benjamin de Burca

- Trilha sonora original: Nate Smith

Nos espaços subterrâneos da nova extensão do metrô de Toronto, um grupo de poetas, rappers, cantores e músicos negociam seu status como primeira e segunda geração de torontonianos, bem como colonos que vivem em terras indígenas.

Rua Guaicurus (2019, MG, 75min), de João Borges - 18 ANOS 25 de novembro, 20h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Yara Filmes Direção: João Borges Direção de fotografia: Lucas Barbi Som: Vitor Brandão Montagem / Edição: Fabian Remy Direção de arte: Thais Mol Ator principal: Carlos Francisco Atriz principal: Ariadina Paulino, Elizabeth Miguel e Shirley Santos Produção: Mariana Andrade Roteiro: João Borges

- Trilha sonora original: Lucas Oscilloid e Pedro Durães

A rua Guaicurus é uma das maiores zonas de prostituição do Brasil, localizada no centro da cidade de Belo Horizonte, desde os anos 50. Atualmente funcionam mais de 25 hotéis na região, com aproximadamente três mil trabalhadoras do sexo. O filme vai revelar este enorme complexo de prostituição por meio de situações que eclodem das relações entre suas personagens.

Rise (2018, PE, 20min), by Bárbara Wagner and Benjamin de Burca - ALL AGES ADMITTED In the underground areas of the new Toronto subway expansion, a group of poets, rappers, singers and musicians discuss their status as first- and second-generation Torontonians, as well as settlers living on Native people’s lands.

Rua Guaicurus (2019, MG, 75min), by João Borges - 18+ ADMITTED Rua Guaicurus is one of the largest prostitution zones in Brazil since the 1950s, located in downtown Belo Horizonte. Currently, there are over 25 hotels in operation in that area, with approximately 3,000 sex workers. This film will reveal this huge prostitution complex by showing situations that result from the relationships between the people involved.

Sem Título # 5 : A Rotina terá seu Enquanto (2019, SP, 10min), de Carlos Adriano - LIVRE 21 de novembro, 18h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Babushka Direção: Carlos Adriano Direção de fotografia: Carlos Adriano Som: Carlos Adriano Montagem / Edição: Carlos Adriano Direção de arte: Carlos Adriano Ator principal: Chishu Ryu Atriz principal: Shima Iwashita Personagem real principal: Yasujiro Ozu Animação: Carlos Adriano Produção: Carlos Adriano Roteiro: Carlos Adriano

Um kino haikai de found footage. Cinepoema de reapropriação de arquivo, é composto de elementos ressignificados do último filme do diretor japonês Yasujiro Ozu (1903-1963) – “A Rotina tem seu Encanto” (Sanma no Aji; 1962) –, de imagens da filmagem (Ozu dirigindo planos do filme) e de filmagens rodadas em 2018 durante uma viagem de trem entre Ouro Preto e Mariana e durante um sol nascente em Salvador. O filme-testamento do mágico de Ozu foi lançado no Brasil com um título (“A Rotina tem seu Encanto”) que resume à perfeição toda a filmografia do extraordinário cineasta do cotidiano japonês. Historicamente, a cidade de São Paulo abrigou a maior população japonesa fora do Japão e foi o primeiro lugar no Ocidente a reconhecer as obras-primas do cinema produzido na terra do sol nascente.

Sem Título # 5 :A Rotina terá seu Enquanto (2019, SP, 10min), by Carlos Adriano - ALL AGES ADMITTED A kino haiku made of found footage. A film-poem using reappropriated footage composed of reframed elements of the last film by Japanese director Yasujiro Ozu (1903-1963) - “Routine Has Its Charm” (Sanma no Aji; 1962) -, plus footage from the shooting process (Ozu directing shots of the film) and footage recorded in 2018 during a train ride between Ouro Preto and Mariana and in the early morning, at sunrise, in Salvador. Film-testament Wizard of Ozu was released in Brazil with a title (“A Rotina tem seu Encanto”, or “Routine has its charm”) that sums up the entire filmography of this extraordinary filmmaker dedicated to capturing everyday life in Japan. Historically, the city of Sao Paulo has been the home of the largest Japanese population outside Japan, being one of the first Western cities to praise the cinematic masterpieces produced in the Land of the Rising Sun.


Sete anos em maio (2019, MG, 42min), de Affonso Uchôa - 12 ANOS 21 de novembro, 20h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras - Empresa produtora: Camila Bahia, Vasto Mundo, Un Puma - Direção: Affonso Uchôa - Direção de fotografia: Lucas Barbi - Som: Marcela Santos, Bruno Vasconcelos, Adrian Rodriguez – Pomeranec Estúdio - Montagem / Edição: João Dumans - Direção de arte: Karine Assis - Ator principal: Rafael dos Santos Rocha - Personagem real principal: Rafael dos Santos Rocha - Produção: Affonso Uchôa, Camila Bahia, Jerónimo Quevedo, Victoria Marotta - Roteiro: Affonso Uchôa, Rafael dos Santos Rocha, João Dumans - Assistência de direção: Vinícius Rezende - Assistência de fotografia: Rodrigo Beetz - Assistência de produção: Wesley Figueiredo, Juninho Vende-se - Assistência de arte e figurino: Camila Magalhães - Elenco: Wederson Neguinho, Robson Vieira

Swinguerra (2019, PE, 22min), de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca - 12 ANOS 24 de novembro, 18h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Ponte Produtoras Direção: Barbara Wagner e Benjamin de Burca Direção de fotografia: Pedro Sotero Som: Nicolau Domingues Montagem / Edição: Eduardo Serrano Direção de arte: André Antonio Personagem real principal: Eduarda Lemos Produção: Dora Amorim, Thaís Vidal e Julia Machado

- Trilha sonora original: Carlos Sá

Na quadra de uma escola pública, dançarinos tem uma rotina altamente disciplinada e ensaiam sob o olhar atento do seu coreógrafo. Tensões assombram desejos pessoais, enquanto eles são observados por uma trupe rival.

Em uma noite de Maio, sete anos atrás, Rafael chegava em casa depois do trabalho. Quando abria o portão, alguém chamou o seu nome. Ele olhou pro lado e viu pessoas que não conhecia. Rafael saiu da sua casa carregado pelos desconhecidos e nunca mais voltou. Desde então ele vive como se aquela noite nunca tivesse terminado.

Swinguerra (2019, PE, 22min), by Bárbara Wagner and Benjamin de Burca - 12+ ADMITTED

Sete anos em maio (2019, MG, 42min), by Affonso Uchôa - 12+ ADMITTED

On the sports court of a public school, dancers have a highly disciplined routine, practicing their moved under the watchful supervision of their choreographer. Tensions affect personal desires as they are watched by a rival group.

In a autumn evening in May, seven years ago, Rafael got home after work. When he opened the gateway, someone called out his name. He looked the other way and saw people he did not know. Rafael left his home carried by these unknown people and never returned. Since then, he has been living as if that night had never ended,

Thinya (2019, PE, 15min), de Lia Letícia - LIVRE 21 de novembro, 18h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Cinecão Direção: Lia Letícia Direção de fotografia: Francisco Baccaro Som: Thelmo Cristovam Montagem / Edição: André Sampaio Produção: Clarice Hoffmann Roteiro: Lia Letícia

- Trilha sonora original: Claudio N

Minha primeira viagem ao Velho Mundo. Minha fantasia aventureira pós-colonial. [Um discurso muda uma imagem?]

Thinya (2019, PE, 15min), by Lia Letícia - ALL AGES ADMITTED My first trip to the Old World. My post-colonial, adventurous fantasy. [Can a discourse change an image?]


MOSTRA OUTROS ESQUEMAS OUTROS ESQUEMAS EXHIBITION

Tragam-me a cabeça de Carmem M. (2019, RJ, 60min), de Felipe Bragança e Catarina Wallenstein - 12 ANOS 24 de novembro, 20h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras -

Empresa produtora: Mario, A/CAVIDEO Direção: Felipe Bragança e Catarina Wallenstein Direção de fotografia: Guilherme Tostes Som: Fernando Henna Montagem / Edição: Karen Black Direção de arte: Lia Maia Ator principal: Marcos Sacramento Atriz principal: Catarina Wallenstein Produção: Felipe Bragança, Cavi Boges, Catarina Wallenstein

- Roteiro: Felipe Bragança

Ana, uma atriz portuguesa, mergulha no pesadelo brasileiro de 2018, enquanto procura viver a icônica Carmen Miranda em um misterioso longa-metragem.

Tragam-me a cabeça de Carmem M. (2019, RJ, 60min), by Felipe Bragança and Catarina Wallenstein - 12+ ADMITTED Ana, a Portuguese actress, plunges into the Brazilian nightmare that is 2018 as she seeks to portray iconic star Carmen Miranda in a mysterious feature film.

A Praga do Cinema Brasileiro (2018, DF, 27min), de William Alves e Zefel Coff - LIVRE 26 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras

A Mulher da Luz Própria (2019, SP/RJ, 74min), de Sinai Sganzerla – 14 ANOS 26 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras Helena Ignez é uma das principais personalidades femininas do cinema brasileiro. Inaugurou um novo estilo de interpretação e hoje dirige filmes independentes. O documentário descreve parte da história do cinema, o contexto político e sua trajetória.

Zé do Caixão retorna ao passado, no dia 2 de fevereiro de 2000, às 14:22, com o objetivo de evitar o Terror Político instituído no Brasil de 2018. Ele abre o “portal das películas” e liberta antigos filmes brasileiros que já denunciavam os ataques do imperialismo contra a soberania do país em uma longa guerra híbrida com o objetivo de dividir a população para conquistar suas riquezas.

A Praga do Cinema Brasileiro (2018, DF, 27min), by William Alves e Zefel Coff - ALL AGES ADMITTED A Mulher da Luz Própria (2019, SP/RJ, 74min), by Sinai Sganzerla - 14+ ADMITTED Helena Ignez is one of the most important female personalities in Brazilian cinema. She gave rise a new style of acting, nowadays directing independent films. This documentary show part of the history of cinema, as well as its political context and path.

Zé do Caixão travels back in time to February 2, 2000, 2:22 PM, in order to prevent the Political Nightmare put in place in Brazil 2018. He opens a “film portal” and releases old Brazilian films that had already denounced the attacks of imperialism against the country’s sovereignty as part of a long, hybrid war aiming at dividing the population in order to take their riches.


Ainda Temos a Imensidão da Noite (2019, DF, 98min), de Gustavo Galvão - 16 ANOS 22 de novembro, 18h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras

Bicho do Mato (2018, PR, 15min), de Juliana Sanson – LIVRE 23 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras

Desaparecer (2019, RS, 02min), de Mariana Ferreira – LIVRE 26 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras

Karen canta e toca trompete numa aguerrida banda de rock em Brasília, mas ninguém na cidade parece se interessar. Aos 27 anos, ela perdeu as esperanças na cidade que o avô ajudou a construir e tenta a sorte em Berlim. Um incidente lhe obriga a recomeçar em Brasília alguns meses depois. Agora Karen precisa entender seu papel numa cidade onde ainda há muito a ser construído.

Jussara e sua família perdem tudo o que tinham quando suas terras são atingidas por chuvas intensas e violentas. Sem ter onde viver, eles deixam o campo para morar na cidade grande. Uma mudança que trará muitas dificuldades para todos, em especial para Jussara que precisará se adaptar a um mundo muito diferente do que ela conhecia.

“Desaparecer” é um curta-metragem documental que exerce uma crítica ao cinema atual, principalmente ao cenário da indústria cinematográfica brasileira. Além dos cortes nos investimentos ao setor audiovisual do país desde o início do recente governo de Bolsonaro, o Brasil, que é conhecido por sua diversidade cultural, não é representado na tela grande nem por trás das câmeras. Essa falta de participação de minorias no cinema, também a nível mundial, fará desaparecer possíveis grandes artistas e grandes obras e, consequentemente, a sétima arte.

Ainda Temos a Imensidão da Noite (2019, DF, 98min), by Gustavo Galvão - 16+ ADMITTED

Bicho do Mato (2018, PR, 15min), by Juliana Sanson – ALL AGES ADMITTED

Karen sings and plays the trumpet in a scrappy rock band in Brasilia, but no one in town seems to be interested. At age 27, she has given up hope in the city her grandfather helped build, and tries her luck in Berlin instead. An incident forces her to restart her life in Brasilia a few months later. Now Karen needs to understand her place in a city where there is much yet to be built.

Jussara and his family lose everything they had when their lands are hit by heavy and severe rainfall. Having nowhere to live, they leave the countryside to live in the big city. This move will bring many difficulties for everyone, especially Jussara, who will have to adjust to a world that is very different from the one she used to know.

Desaparecer (2019, RS, 02min), by Mariana Ferreira - ALL AGES ADMITTED “Desaparecer” is a documentary short film that criticizes current cinema and film, especially the scenario of the Brazilian film industry. In addition to cuts in government investments for the country’s audiovisual segment since the Jair Bolsonaro took office, Brazil, which is known for its cultural diversity, is not being truly portrayed on the big screen or behind the scenes. Such lack of minority participation in the film industry, both on a national and on an international level, will lead to the disappearance of potential talented artists and works, consequently undermining the entire film industry as a whole.


Desvio (2019, PB, 95min), de Arthur Lins – 18 ANOS 22 de novembro, 14h - Cinemateca Capitólio Petrobras Pedro recebe o direito de uma saída temporária da cadeia para visitar a sua família que mora em Patos, interior da Paraíba. Nesse curto tempo ele irá confrontar seus antigos fantasmas e planejar os novos rumos de sua vida, enquanto descobre em Pâmela, uma prima adolescente, a mesma chama que queimava em seu peito.

Jaçanã (2018, BA, 26min), de Clarissa Virmond, Laryssa Machada e Yasmin Alves - LIVRE 25 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras Jaçanã é pássaro e é gente. É mulher que carrega corpo presente há setenta e seis anos. Mão de quem cura é mão quente. Suas mãos trazem em suas marcas a história da resistência Pataxó, tocando direta e profundamente as raízes dessa terra: formas ancestrais de cultivar, de colher e de curar, mantendo viva a cultura e os conhecimentos tradicionais de um povo originário onde a invasão brutal teve início.

Desvio (2019, PB, 95min), by Arthur Lins Pedro is granted the right to a temporaly leave from jail to visit his family living in Patos, in the Paraíba countryside. In that short period of time, he will face his old ghosts and plan new directions for his life, while finding out that Pamela, his teenage cousin, has that same flame that used to burn within him.

Jaçanã (2018, BA, 26min), by Clarissa Virmond, Laryssa Machada and Yasmin Alves - ALL AGES ADMITTED Jaçanã is a bird and also a person. She is a woman who has been in her own skin for seventy-six years. Healing hands are warm. Her hands and the marks on them tell the history of the Pataxó resistance, directly and deeply touching the basic foundations of this land: ancient ways of cultivating, harvesting and healing, keeping alive the traditional culture and knowledge of a native people who have suffered with outside invasions since they first started.

Marielle e Monica (2019, RJ 24min), de Fábio Erdos – LIVRE 25 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras Marielle Franco, uma política brasileira e ativista de direitos humanos LGBT, foi assassinada em março de 2018. Ao lidar com a morte de sua parceira, Monica Benicio continua a luta para fortalecer a voz daqueles que são considerados descartáveis no Brasil: mulheres, pobres, a comunidade LGBT e os brasileiros negros. O assassinato de Marielle ainda não foi resolvido e, à medida que a investigação policial avança, Monica está mergulhada em uma nova crise por causa da campanha de extrema direita e anti-LGBT do político Jair Bolsonaro para se tornar o próximo presidente brasileiro. “Marielle e Monica” conta uma história pessoal de perda, colocando em foco os desafios que estão à frente dos direitos LGBT e da política progressista no Brasil.

Marielle e Monica (2019, RJ 24min), by Fábio Erdos - ALL AGES ADMITTED Marielle Franco, a Brazilian politician and LGBT human rights activist, was murdered in March 2018. While dealing with the death of her partner, Monica Benicio continues her fights to empower the voices of those who are seen as disposable in Brazil: women, the poor, the LGBT community and African Brazilians. Marielle’s murder has not yet been resolved, and as the police investigation advances, Monica is facing a new crisis due to politician Jair Bolsonaro’s farright and anti-LGBT campaign to become the next president of Brazil. “Marielle e Monica” tells a personal story about loss, focusing on the challenges that lie ahead in terms of LGBT rights and progressive politics in Brazil.


Peixe (2019, MG, 17min), de Yasmin Guimarães - 14 ANOS 22 de novembro, 18h30 - Cinemateca Capitólio Petrobras Marina é uma jovem mulher que trabalha em Belo Horizonte realizando entregas com a sua bicicleta.

Peixe (2019, MG, 17min), by Yasmin Guimarães - 14+ ADMITTED

Raia 4 (2019, RS, 94min), de Emiliano Cunha - 12 ANOS 23 de novembro, 14h - Sessão com Acessibilidade Cinemateca Capitólio Petrobras 24 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras Amanda é uma nadadora pré-adolescente. Quieta e reservada, encontra, embaixo d’água, um refúgio - lugar onde os segredos não podem ser ouvidos. O conflito com os pais, as pressões do esporte e da fase da vida, tudo parece se acumular no entorno de Amanda, que acaba se aproximando de Priscila, uma colega de equipe.

Marina is a young woman working s in Belo Horizonte by making deliveries with her bicycle. Raia 4 (2019, RS, 94min), by Emiliano Cunha - 12+ ADMITTED Amanda is a pre-teen swimmer. Quiet and reserved, she finds a safe haven underwater, a place where secrets cannot be heard. The conflicts with her parents and the pressure associated with swimming and teenage life seem to build around Amanda, who is eventually drawn towards Priscila, a teammate.

Resplendor (2019, GO, 52min), de Claudia Nunes e Erico Rassi - LIVRE 25 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras A Comissão Nacional da Verdade, instalada em 2011 para apurar crimes cometidos durante a ditadura militar, trouxe a público um capítulo ainda muito obscuro da nossa história: a existência de um presídio indígena, na cidade de Resplendor (MG), chamado Reformatório Krenak. Instalado primeiramente dentro do território da etnia Krenak, e posteriormente transferido para Carmésia (MG), aprisionou e torturou não apenas indígenas Krenak, mas diversas outras etnias, impondo restrições às suas práticas ancestrais sob implacável vigilância dos militares. O documentário mostra como funcionou este aparato de repressão e as conseqüências deste trauma coletivo para os povos indígenas afetados.

Resplendor (2019, GO, 52min), by Claudia Nunes and Erico Rassi - ALL AGES ADMITTED The National Truth Commission, created in 2011 to investigate crimes committed during the military dictatorship, has shed light upon a very obscure chapter of our history: the existence of a prison for Native Brazilians in the city of Resplendor (MG), called Reformatório Krenak. First located within the territory of the Krenak tribe and subsequently transferred to Carmésia (MG), it imprisoned and tortured not only Krenaks, but many other native groups, severely restricting their ancestral practices under ruthless military surveillance. This documentary shows how this instrument of repression operated, as well as the consequences of this collective trauma for the native peoples affected.


Terrorismo Lírico (2018, RS, 21min), de Jonatan Pacheco 14 ANOS 22 de novembro, 14h - Cinemateca Capitólio Petrobras

Um Filme de Verão (2019, RJ, 94min), de Jo Serfaty - 14 ANOS 23 de novembro, 14h - Cinemateca Capitólio Petrobras

O documentário trata sobre o Coletivo de Slam Poetry “Poetas Vivos” de Porto Alegre e seus integrantes. Com poesias performadas por Cristal, Agnes e Felipe Deds. O documentário vai abordar a resistência negra em forma de poesia e a vida dos poetas.

Durante o verão, Karol, Junior, Ronaldo e Caio estão no último mês das aulas na escola pública do Rio de Janeiro. Quando as férias chegam, a temperatura alcança 40 graus. Imersos nos fios emaranhados que cobrem o céu da favela e os súbitos apagões, estes quatro jovens são afetados pela crise da cidade e se reinventam diante da adversidade.

Terrorismo Lírico (2018, RS, 21min), by Jonatan Pacheco 14+ ADMITTED

Um Filme de Verão (2019, RJ, 94min), by Jo Serfaty - 14+ ADMITTED

This documentary features“Poetas Vivos”, a Porto Alegrebased Poetry Slam Collective and its members. Slam poetry performed by Cristal, Agnes and Felipe Deds. It also addresses Black resistance in poetry and the lives of these poets.

During the summer, Karol, Junior, Ronaldo and Caio are in the last month of classes at a Rio de Janeiro public school. When summer vacation is upon them, the temperature is reaching 40 degrees Celsius. Immersed in the tangled wires over the favela sky and sudden power outages, these four youths are affected by the city’s crisis, reinventing themselves in the face of adversity.

Vidas Inventadas de Amélia Aragão (2019, RJ, 15min), de Luiza Quental – LIVRE 24 de novembro, 16h - Cinemateca Capitólio Petrobras Amélia Aragão não vive, espera. Ela espera o alarme tocar, a fila andar, o elevador subir, o anúncio do Spotify passar. E no dia seguinte, faz tudo de novo, para o desgosto de sua narradora, que é condenada a fazer o off de uma vida sem sentido. Mas, o que acontece quando a narradora decide mudar o script?

Vidas Inventadas de Amélia Aragão (2019, RJ, 15min), by Luiza Quental - ALL AGES ADMITTED Amélia Aragão does not live. She simply waits. She waits for the alarm to ring, the line to move, the elevator to go up, the Spotify ads to pass. And the next day, she does it all over again, much to the dismay of her narrator, who is doomed to narrate a meaningless life. But what happens when the narrator decides to change the script?


MOSTRA UNIVERSITÁRIA BASE-LÍBANO BASE-LEBANON UNIVERSITY FILM EXHIBITION

A Lover’s Journey (2019, LIB, 15min), de Jawad Rida – LIVRE 22 de novembro, 16h – Cinemateca Capitólio Petrobras Uma viagem mística ao mundo do amor expresso por mestres sufis através da poesia, música e dança.

A Lover’s Journey (2019, LIB, 15min), by Jawad Rida - ALL AGES ADMITTED A mystical journey into the world of love as expressed by Sufi masters, through poetry, music and dance.

Lucid (2019, LIB, 09min), de Nariman Zahran – LIVRE 22 de novembro, 16h – Cinemateca Capitólio Petrobras

Lust (2019, LIB, 20min), de Carl E. Helou – LIVRE 22 de novembro, 16h – Cinemateca Capitólio Petrobras

Uma garota que lida com as dificuldades da realidade sonha com seu duplo sombrio. Progressivamente o sonho e a realidade se confundem e ela decide confrontar a si mesma.

O relato de uma jovem problemática que procura abrigo em sua própria arte cai nas mãos puras e seguras de um colega de classe que é padre. É sua arte ou sua devoção que a intriga?

Lucid (2019, LIB, 09min), by Nariman Zahran - ALL AGES ADMITTED

Lust (2019, LIB, 20min), by Carl E. Helou – ALL AGES ADMITTED

A girl who struggling with the difficulties of real life dreams of her dark double.

The story of a troubled young woman who is seeking solace in her own art falls into the pure and steady hands of a classmate who is a priest. It is her art or her devotion that intrigues her?


MOSTRA AUDIOVISUAL EM CURSO ONGOING AUDIOVISUAL EXHIBITION

Sessão 1 – PUCRS E UFRGS 23 de novembro, 14h, Auditório do Goethe-Institut Porto Alegre Texto curatorial TECCINE PUCRS por Pedro Spieker e Samanda Kozicki Dentro de uma busca de unidade das obras audiovisuais realizadas na PUCRS entre 2016 e 2019, encontrou-se um recorte reconhecido como de interessante diálogo com nosso momento. Este é representado por um conjunto compacto de quatro filmes que i lustram um vigor na ascensão de narrativas femininas frente aos entraves do meio audiovisual. The Middle Beast (2019, LIB, 16min), de Ahmad Moussally – LIVRE 22 de novembro, 16h – Cinemateca Capitólio Petrobras Após passar a maior parte da sua vida na escuridão, uma jovem mulher se cura da cegueira e começa a enxergar. Ela abre seus olhos para ver e ela quer ver tudo.

The Middle Beast (2019, LIB, 16min), by Ahmad Moussally ALL AGES ADMITTED After spending most of her life in darkness, a young woman cures herself from blindness and startes to see. She opens her eyes to see, and she wants to it all.

Quando pensamos nas principais problemáticas institucionais vigentes no cinema, percebemos uma necessidade urgente de correção sobre a falta de diversidade tanto nas histórias sendo contadas quanto nas pessoas que as tornam realidade. Para o bem deste quadro, é notável uma presença crescente de novas caras realizadoras, agregando pontos de vista frescos e carregando a magia audiovisual com os incômodos de suas vivências. No contexto audiovisual, a primeira voz apagada que vemos emergir nessa onda transformadora na cultura contemporânea é a feminina. A curva do número de mulheres diretoras torna-se visível até mesmo para os olhos pouco treinados e, apesar de estar longe de um ideal igualitário, demonstra um quadro muito superior ao que se tinha há até mesmo poucos anos atrás. Inseridos no universo da PUCRS, os curtas-metragens O Ser e o Nada, Primavera, Calêndula e Bacante representam exemplos vivos desta realidade em transformação. Todos dirigidos ou codirigidos por mulheres, estes trazem histórias protagonizadas por elas com tramas impossíveis de desligar de seus gêneros, corpos e vivências.

Bacante (2016, RS, 09min), de Mariah Feijó – 16 ANOS Uma mulher volta para a casa, embora todos saibam que o dia seguinte seja como o anterior.

Bacante (2016, RS, 09min), by Mariah Feijó – 16+ ADMITTED A woman comes back home, even though everyone knows the next day is like the day before.


Calêndula (2017, RS, 08min), de Fernanda Martinelli e Reynerio Espinoza - 16 ANOS O fragmento do cotidiano de Karol visto de um ângulo íntimo. Repleto de metáforas nos demonstra os diversos embates da personagem e suas visões sobre si própria.

Calêndula (2017, RS, 08min), by Fernanda Martinelli and Reynerio Espinoza - 16+ ADMITTED A fragment of Karol’s daily life seen from an intimate angle. Full of metaphors, it shows us the character’s various struggles as well as her views on herself.

O Ser e o Nada (2018, RS, 10min), de Natália Pimentel - 16 ANOS Simone é uma mulher solitária que não enxerga mais sentido em sua vida. Um dia ela descobre que ganhou um prêmio: a visita de uma arrumadeira. A partir dessa visita, Simone acaba se confrontando com o vazio de sua existência.

O Ser e o Nada (2018, RS, 10min), by Natália Pimentel - 16+ ADMITTED Simone is a lonely woman who does not see any meaning in her life. One day she finds out she won a prize: a maid will be coming over to her place. With his visit, Simone ends up facing the emptiness of her existence.

Primavera (2017, RS, 13min), de Caroline Abegg Karnas e Mariah Philippe - 16 ANOS Uma mulher chega a um jardim distante e se depara consigo mesma através das outras que ali habitam.

Primavera (2017, RS, 13min), by Caroline Abegg Karnas and Mariah Philippe - 16+ ADMITTED A woman arrives at a distant garden and sees herself through others who live there.


Texto curatorial UFRGS Aline Rodrigues, Kahena Zanardo Sartore, Nícolas Lobato, Sophia Kopte Durante o processo de seleção, percebemos, que, de forma inconsciente, foram escolhidos filmes que se relacionavam com relatos particulares. Narrativas imaginárias envolvendo a memória de acontecimentos passados da personagem ou enfrentamentos de obstáculos pessoais, em relatos não tão ficcionais de experiências do criador em si, ou mesmo onde a presença do próprio corpo do artista nos conectam, como humanos, a uma mesma história coletiva. Dentro da prosa imagética do outro, encontramos um pouco de nós mesmos. O espectador, ao acompanhar a ordem dos filmes, se verá entrando cada vez mais profundamente na vivência de outrem, à medida em que os vídeos vão adquirindo uma perspectiva mais pessoal. Essa seleção nos faz refletir, como público, a respeito de nosso papel tanto como membro da sociedade, como corpo, quanto como seres mentais e emocionais, com nossas experiências que nos lapidam e nossa capacidade de olhar para dentro e se autoconhecer.

0000-01 (2017, RS, 2min), de Lu Rabello - 16 ANOS Diálogos para tentar lidar com a morte.

0000-01 (2017, RS, 2min), by Lu Rabello - 16+ ADMITTED

Aparências (2019, RS, 4min), de Kahena Zanardo Sartore 16 ANOS Um estudo em reflexos, fora e dentro da intimidade da própria casa, que quer questionar qual o nível de realidade do mundo dentro do vidro mágico.

Conversations aiming at trying to deal with death. Aparências (2019, RS, 4min), by Kahena Zanardo Sartore 16+ ADMITTED A study on reflexes, inside and outside the privacy of one’s own home, raising the question of what is the level of reality in the world the world within the magic glass.


Barracuda (2019, RS, 2min), de Nícolas Lobato e Tulia Radaelli - 16 ANOS Filme Viagem experimental no litoral do RS

Barracuda (2019, RS, 2min), by Nícolas Lobato and Tulia Radaelli - 16+ ADMITTED An experimental road movie on the Rio Grande do Sul coast.

Endo (2018, RS, 2min), de Dani Amorim - 16 ANOS No Brasil as mulheres ainda são caladas, invisibilizadas e inferiorizadas em contextos acadêmicos, profissionais e familiares, e muitas tem no corpo e na mente as marcas deixadas pelo patriarcado. O corpo da mulher é com frequência utilizado pela mídia para impulsionar o consumo por parte dos homens, seja em propagandas de cerveja, de carro ou perfume, porém ainda há enorme tabu no que se refere aos direitos da mulher sobre o próprio corpo. É preciso falar sobre o corpo, falar sobre a nudez e desenraizá-la desse lugar sobressexualizado em que a colocaram. É preciso que haja a naturalização da nudez para que o corpo da mulher passe do estatuto de algo proibido a algo natural, talvez só assim se diminua o nível de violência contra a mulher. Endo se refere ao que está dentro, nosso estado mais cru e suscetível, ao mesmo tempo em que faz uma analogia quanto à invisibilidade intelectual da mulher perante a sociedade e sua visibilidade enquanto corpo nu “a ser consumido”. Quando mostro meu corpo, estou questionando o pudor que nos leva a sermos vistas como objetos, pois se ele não existisse em primeira instância, talvez o corpo da mulher passasse de objeto intocável - e por isso sabemos que, muitas vezes, violável aos olhos e ações de alguns - à condição de corpo humano. Precisamos ser donas de nossos próprios corpos.

Endo (2018, RS, 2min), by Dani Amorim - 16+ ADMITTED In Brazil women are still silenced, invisible and inferior in academic, professional and family contexts, and many of them bear the marks left by patriarchy in their bodies and minds. Women’s bodies are frequently portrayed by the media to drive men’s consumption, whether in ads promoting beer, cars or perfumes; however, there is still a huge taboo on women’s rights to their own bodies. We need to talk about their bodies, about nudity and set them free from this oversexualized position they were put in. We need to naturalize nudity so that women’s bodies go from something forbidden to something natural. Only in this way violence against women may be reduced. Endo refers to what is inside, our rawest and most susceptible state, at the same time making an analogy as to the intellectual invisibility of women in society and their visibility as naked bodies “to be consumed.” When I show my body, I am questioning the shame that leads us to be seen as objects, because if it did not exist in the first place, perhaps women’s bodies would go from an untouchable object and, as we know, often subject to violations through the eyes and actions of some - to being seen as a human body. We need to own our own bodies.

Farrapos (2018, RS, 4min), de Bruno Novadvorski - 16 ANOS Desde criança, transito pela Avenida Farrapos em Porto Alegre-RS, percebendo sua movimentação em relação a uma de suas características mais marcantes que é a presença de profissionais do sexo. A videoperformance Farrapos (2018) surge como um resgate das minhas memórias alinhandose a inquietações contemporâneas quanto à circulação do meu corpo relacionado àquele espaço onde o sexo e toda sua potência se faz presente mesmo que, às vezes, na sua forma mais sutil. Foi desenvolvida durante a residência artística vivenciada como forma de imersão no projeto de pesquisa PRÁTICAS URBANAS: POÉTICAS DE APROXIMAÇÃO, grupo OBJETO E MULTIMÍDIA com orientação da Profª Drª Teresinha Barachini.

Farrapos (2018, RS, 4min), by Bruno Novadvorski - 16+ ADMITTED Since I was a child, I pass along Farrapos Avenue in Porto Alegre-RS, realizing its movements with regard to one of its most striking characteristics, which is the presence of sex workers. Video performance Farrapos (2018) aims at rescuing my memories, in alignment with contemporary concerns about the circulation of my body in connection that area where sex and all its powers are present even if sometimes they are present in their subtlest forms. This performance was produced as part of the artistic residency experienced as a form of immersion in a research project titled PRÁTICAS URBANAS: POÉTICAS DE APROXIMAÇÃO, by the OBJETO E MULTIMÍDIA group, advised by Professor Teresinha Barachini, PhD.


Sessão 2 – UNISINOS, UNIRITTER E UFPEL 24 de novembro, 14h, Auditório do Goethe-Institut Porto Alegre TEXTO CURATORIAL – CRAV UNISINOS Beatrice Fontan, Guilherme Medeiros, Lucas Bastos, Luiza Zimmer

Mostra-me teus pés (2017, RS, 10min), de Pedro Nakamura - 16 ANOS

O Urso na Sala (2017, RS, 9min), de Pâmela de Oliveira Bernardo - 16 ANOS

Quando a crise política do presente faz um professor de fotografia lembrar do passado, as fronteiras entre tempo, espaço e memória começam a perder significado.

Eduardo tem tudo para ser um rapaz normal, mas recentemente está com problemas para seguir com sua vida normalmente - estudar, sair com os amigos, ser jovem. Atividades que outrora eram tranquilas tornaram-se fardos, e a solidão é uma sombra que se esgueira, quieta e constante pelo apartamento. Porém, Eduardo nunca está completamente sozinho. Há um urso na sala.

Mostra-me teus pés (2017, RS, 10min), by Pedro Nakamura - 16+ ADMITTED When the current political crisis reminds a photography teacher of the past, the boundaries between time, space, and memory begin to lose their meaning.

O Urso na Sala (2017, RS, 9min), by Pâmela de Oliveira Bernardo - 16+ ADMITTED Eduardo has everything within his grasp to be a normal boy, but he’s recently having trouble living with his normal life - studying, hanging out with friends, and being young. Activities that were once easy become burdens, and loneliness is a shadow that creeps in quietly and constantly around his apartment. However, Eduardo is never truly alone. There is a bear in the living room.

Recebemos o desafio da oficina de curadoria do Cine Esquema Novo 2019, em selecionar 40 minutos de filmes de nossos colegas, filmes universitários realizados a partir de 2016, em que todos coubessem ao estilo da Mostra Audiovisual em Curso. Tivemos um longo debate analisando os filmes a serem selecionados, de curtas que melhor representam a proposta e o CRAV. Selecionamos cinco filmes, de diversos gêneros e estilos que juntos formam uma bricolagem de perguntas e buscas por respostas, expressando o que nós, estudantes de audiovisual e realizadores, procuramos intrinsecamente no cinema e no momento cultural atual em que vivemos. Os filmes são: Brava (Isabela Alves Prudêncio, 2017); Coágulo (Jéssica Gonzatto, 2017); E.V.A. (Alice Sperb e Thiago Dorsch, 2018); Silhueta (Victoria Farina, 2018); e Theia (Victor Haubert, 2018). Apesar de suas peculiaridades, os filmes em si dialogam narrativamente através de uma jornada incessante por parte dos personagens. Essa combinação de filmes, mostram corpos, muitas vezes perdidos, no qual percorrem durante o filme uma busca dentro de si ou através de outro. Um caminho que percorrem dentro de uma procura visual, sensorial, psicológica e impalpável. Tal trajetória, que varia de uma casa até os confins do espaço sideral, mostra essa necessidade do protagonista de encontrar algo que o complete e que não está presente em seu mundo comum. As respostas nem sempre se manifestam, ou ainda, se apresentam concretas para os personagens e abstratas para nós. Esperamos que o público aprecie a curadoria do MAC 2019. Encontre gatilhos para perguntas assim como respostas dentro de si mesmos através dos questionamentos propostos pelas obras a partir das narrativas e inventividades criadas pelos estudantes do CRAV – UNISINOS.


Brava, (2017, RS, 14min), de Isabela Alves Prudêncio - 16 ANOS

Coágulo (2018, RS, 13min), de Jessica Gonzatto – 10 ANOS

E.V.A. (2018, RS, 2min), de Alice Sperb Thiago Dorsch -16 ANOS

Brava, elas são.

Eva tem as veias escuras. Após uma tensa visita ao médico, ela adentra uma espiral de acontecimentos estranhos, perseguida por sua própria paranoia até encontrar seu fim de modo bizarro.

Em meio à vastidão do espaço, um astronauta vaga perdido.

Brava, (2017, RS, 14min), by Isabela Alves Prudêncio - 16+ ADMITTED They are indeed brave.

Coágulo (2018, RS, 13min), by Jessica Gonzatto – 10+ ADMITTED Eva has dark veins. After a tense doctor’s appointment, she goes into a downward spiral of strange events, chased by her own paranoia, until she meets her end in a bizarre way.

E.V.A. (2018, RS, 2min), by Alice Sperb Thiago Dorsch -16+ ADMITTED In the vastness of space, an astronaut floats, lost.


TEXTO CURATORIAL - UNIRITTER Lorena Longaray e Márcio Picoli

Silhueta (2018, RS, 9min), de Victoria Farina - 16 ANOS

Theia (2018, RS, 07min), de Victor Haubert - 16 ANOS

Uma mulher busca sua sombra.

Durante uma crise de sonambulismo, um homem solitário interage com seus sonhos. Personificando todos seus medos e inseguranças na figura de uma mulher, a qual ele vê e conflita.

Silhueta (2018, RS, 9min), by Victoria Farina - 16+ ADMITTED A woman seeks her shadow.

Theia (2018, RS, 07min), by Victor Haubert - 16+ ADMITTED During a sleepwalking episode, a lonely man interacts with his dreams. All his fears and insecurities are embodied in the figure of a woman whom he sees and struggles with.

Quando fomos convidados para fazer a curadoria da Mostra Audiovisual em Curso da Uniritter para o Cine Esquema Novo, um grande obstáculo era bastante evidente: o pouco tempo de existência do curso e a aparente falta de filmes que pudessem conversar com a proposta do Festival. Para nossa surpresa, esse foi o menor dos problemas. Encontramos uma quantidade de produções muito maior do que imaginávamos e, então, a grande questão foi encaixar toda essa qualidade e diversidade encontrada em apenas 40 minutos. Na Uniritter, encontramos os mais diferentes tipos de estudantes, de histórias e de aspirações. Por isso, o norte da nossa curadoria foi a busca pela diversidade. É possível encontrar curtas que vão desde a política, passando pelo empoderamento feminino e a questão de pessoas com deficiência. Essas temáticas também se refletem nas pessoas realizadoras. A ideia é fazer um mergulho em questões que, embora estejam em discussão na sociedade, dificilmente são colocadas no mesmo espaço e com importância semelhante. Ademais, o uso da linguagem experimental e, às vezes, documental apresenta um novo olhar aos corpos envolvidos nos curtas, os quais dialogam com a crescente necessidade de demarcar posições e buscar espaços antes negados. Por fim, em um ano como 2019 e, considerando o momento tenso em que o mundo passa, focar na diversidade e na busca por novos lugares, sem dúvida, é a melhor forma de resistência que vamos encontrar.


451 (2019, RS, 4min), de Anthonio C. Trindade - 16 ANOS Baseado na crítica do livro Fahrenheit 451, o curta traz de forma experimental os caminhos das mídias e meios de comunicação, que nem sempre buscam mostrar o todo da informação, talvez por alguns problemas de pesquisa, mas muitas vezes por interesse.

451 (2019, RS, 4min), by Anthonio C. Trindade - 16+ ADMITTED Based on a literary critic of book Fahrenheit 451, the short film portrays in an experimental way the paths associated with means of communications and the media, which do not always aim at providing information in its entirety, perhaps due to investigative issues, but often due to other interests.

a política do fogo no corpo em chamas (2019, RS, 02min), de Maria Eduarda Feistauer - 16 ANOS

Acelerações demarcadas por um mundo visto através de ti (2019, RS, 03min), de Victor Di Marco - 16 ANOS

A política do fogo não é o corpo em chamas. A política do fogo sempre sabe quais são as chamas de um corpo. As chamas são a política do fogo.

Quando as músicas externas não obedecem a ordem interna, a única opção que resta é se misturar com a desordem já estabelecida.

a política do fogo no corpo em chamas (2019, RS, 02min), by Maria Eduarda Feistauer - 16+ ADMITTED

Acelerações demarcadas por um mundo visto através de ti (2019, RS, 03min), by Victor Di Marco - 16+ ADMITTED

The politics of fire is not bodies on fire. The politics of fire always knows what the flames of a body are. The flames are the politics of the fire.

When external songs do not obey an internal order, the only option left is mixing them with the disorder that has already been established.


Aterrizza (2019, RS, 13min), de Luisa Gavillon e Maria Eduarda Feistauer - 16 ANOS Em uma cidade cada vez mais privatizada quem decide quem pode ocupar os lugares públicos? Quem decide o lugar e o valor da arte?

Aterrizza (2019, RS, 13min), by Luisa Gavillon e Maria Eduarda Feistauer – 16+ ADMITTED In a city more and more privatized who decides who can occupy the public spaces? Who decides art’s value and place?

Através (2017, RS, 00:37), de Kevyn Nunes - 16 ANOS

Deletando (2018, RS, 06min), de Jhonattan Queiroz - 16 ANOS

Se podemos chamar de lar o lugar onde nos sentimos bem, então podemos dizer que um viajante sempre carrega um lar consigo.

Um cachorro fugindo de sua dona é o início de uma perturbadora noite.

Através (2017, RS, 00:37), by Kevyn Nunes - 16+ ADMITTED

Deletando (2018, RS, 06min), by Jhonattan Queiroz - 16+ ADMITTED

If we can call a place where we feel good ‘home’, then we can say that travelers always carry their home with them.

A dog running away from its owner is the beginning of a disturbing night.


IMsomNIA (2019, RS, 1min), de Minerva - 16 ANOS Após acordar com um estranho ruído, um menino deve fazer o que for preciso para lidar com sua insônia.

IMsomNIA (2019, RS, 1min), by Minerva - 16+ ADMITTED After being woken up by a strange noise, a boy must do whatever it takes to deal with his insomnia.

internaCOR (2019, RS, 2min), de Victor Di Marco e Márcio Picoli - 16 ANOS Às vezes, as dores mais profundas estão nas cores mais suaves.

internaCOR (2019, RS, 2min), by Victor Di Marco and Márcio Picoli - 16+ ADMITTED Sometimes, the deepest of pains are shown in the softest colors.

Latrina (2018, RS, 2min), de Lorena Longaray - 16 ANOS Uma atividade comum sob uma ótica diferente. Ou uma atividade diferente sob uma ótica comum. A podridão - assim como tudo - vem de dentro. Isso é certo, como apertar a descarga no banheiro.

Latrina (2018, RS, 2min), by Lorena Longaray - 16+ ADMITTED A common activity from a different perspective. Or a different activity from a common perspective. The rot just like everything - comes from within. That’s certain, like flushing the toilet.


Lonely Souls (2018, RS, 4min), de Filipe Silvera Paes e Lorena Longaray - 16 ANOS Três jovens expõem suas distintas personalidades através da forma em que eles se alimentam.

Lonely Souls (2018, RS, 4min), by Filipe Silvera Paes e Lorena Longaray - 16+ ADMITTED Three youngsters expose their respective unique personality through the way they fed theirlselfs.

Luz na Chuva (2019, RS, 1min), de Luisa Gavillon - 16 ANOS Jovens em um rolê de chuva durante a noite.

Luz na Chuva (2019, RS, 1min), by Luisa Gavillon - 16+ ADMITTED Young people go out on a rainy night.

O ET e a destruição em massa (2019, RS, 1min), de Guilhermme Rodrigues Leal - 16 ANOS Um homem entrevista um ET que encontrou na rua, em um estilo talk show.

O ET e a destruição em massa (2019, RS, 1min), by Guilhermme Rodrigues Leal - 16+ ADMITTED A man interviews an ET that he found on the streets, in a talk show style.


TEXTO CURATORIAL – UFPEL André Berzagui, Emmanuelle Schiavon, Lucas Honorato, Rowan Romeiro, Rubens Fabrício Anzolin e Victória Deniz

Ruído e Caos (2018, RS, 2min), de Kevyn Nunes - 16 ANOS Temos muito mais em comum com as formigas do que imaginamos. O cotidiano movimentado e caótico quebra barreiras entre dois mundos.

Ruído e Caos (2018, RS, 2min), by Kevyn Nunes - 16+ ADMITTED We have much more in common with ants than we realize. Busy and chaotic daily life breaks down barriers between two worlds.

Ainda que tenhamos feito um recorte de filmes a serem exibidos na mostra Audiovisual em Curso do Cine Esquema Novo, torna-se importante mencionar que é impossível através desta seleção ter uma ideia sobre como se desenvolvem as produções cinematográficas dos cursos de Cinema e Audiovisual e Cinema de Animação da Universidade Federal de Pelotas. Tornando, então, este recorte apenas um pequeno fragmento das múltiplas narrativas e linguagens que são produzidas nestes cursos. Porém, através de discussões que envolveram a compreensão de que somos realizadores diferentes, que possuem experiências cinematográficas múltiplas e, claro, considerando o conceito de produções que o Cine Esquema Novo busca, foi possível estabelecer um diálogo curatorial que nos permitiu chegar a estas obras específicas. As experimentações que estes filmes trazem nos direcionam a um ponto de embate que compete uma leitura da existência – uma leitura de onde viemos e para onde vamos –, pois os filmes em si carregam a capacidade e turbulência das emoções humanas, de tragar-nos e questionar-nos, são obras que jogam as vias do espectador a um campo mais indefinido, apontando para a angústia da permanência. No filme Só sei que foi assim (Giovanna Paixão, 2019) o encontro com um livro que fala sobre a selva, e revela a pulsão do desejo de seu melhor amigo de finalmente agir como um tigre e partir em uma jornada, proporciona confrontos com inseguranças, mas também um encontro com as forças internas. Já em A olho nu (Bruno Iligo, 2018) observamos como o abstracionismo que uma obra causa aos nossos sentimentos pode ser vista literalmente por um personagem que se sente tocado pela arte. Um tanto distante dos descobrimentos emocionais, Não foi gol tava, impedido (André Berzagui, 2019) traz footages baixados do Youtube, falando sobre o futebol de modo certo por pernas tortas, tal como Garrincha jogava. TonyTony (Victória Araújo e Gabriel Portela, 2018) explora nossa relação tão próxima com a tecnológica, filhos de um computador, pais que são máquinas. Adentrando um viés de descontinuidade encontramos Sardanisca (Luan Bento, 2018), e nossa pele cai muda sai suja vai até virar ao contrário, largatixa. Eu te registro, simplesmente (Rowan Romeiro, 2019) é uma elegia a uma vida triste, pessimista e frágil. Sofrerás, sofrerás, sofrerás, e tudo será inútil. André na festa (Rubão, 2019) trata-se da libertação, “a beleza é o nome de qualquer cousa que não existe. Que eu dou às cousas em troca do agrado que me dão. Não significa nada”. A transmutação como um indicativo de estar se tornando uma má pessoa, Céu da boca (Amanda Treze, 2019) fala do processo de autoanálise quando a personagem se questiona sobre a relação entre estar se tornando um rinoceronte e ser alguém ruim. E finalizamos

na fuga, na percepção de se encontrar acordado e vivo de Até mais, e obrigada pelo breve chá (Rowan Romeiro, 2018), o aqui e agora não é suficiente, é necessário sair e seguir para uma vida melhor, é hora de seguir em frente. Se estes filmes hoje fazem parte da Mostra Audiovisual em Curso, é por que acreditamos que levam-nos um tanto para mais longe, um longe incompreensível, mas constantemente buscado, são obras que se locomovem para antes delas, depois delas, para dentro delas.

A Olho Nu (2018, RS, 2min), de Bruno Iligo – 16 ANOS O abstracionismo que uma obra causa aos nossos sentimentos pode ser vista em um sentido literal por um personagem que se sente tocado pela arte.

A Olho Nu (2018, RS, 2min), by Bruno Iligo – 16+ ADMITTED The abstractionism imposed by a work of art to our feelings can be seen in a literal sense by a character who feels touched by art.


André na Festa (2019, RS, 05min), de Rubão - 16 ANOS A beleza é o nome de qualquer cousa que não existe. Que eu dou às cousas em troca do agrado que me dão. Não significa nada.

Até mais, e obrigada pelo breve chá (2018, RS, 2min), de Rowan Romeiro - 16 ANOS Eu estou acordada e viva. Navegar para Nápoles e deixar o Sul, fazer uso do meu tempo. Porque em três dias eu vou sair daqui seguir para uma vida melhor. Eu não suporto o aqui e agora. Saímos da cidade por pena, você sabe, é hora de seguir em frente.

Céu da boca (2019, RS, 07min), de Amanda Treze - 16 ANOS Mari está se tornando um rinoceronte. Para ela essa transmutação é um sinal de que se tornou uma má pessoa, nesse cenário a protagonista entra em um processo de autoanálise ao se questionar sobre ser uma pessoa ruim em meio a tais processos metamórficos.

André na Festa (2019, RS, 05min), by Rubão - 16+ ADMITTED Beauty is the name of any given thing that does not exist. A name that I give to things in exchange for the pleasure they give me. It does not mean anything.

Até mais, e obrigada pelo breve chá (2018, RS, 2min), by Rowan Romeiro - 16+ ADMITTED

Céu da boca (2019, RS, 07min), by Amanda Treze - 16+ ADMITTED

I am awake and alive. Sailing to Naples and leave the South, making use of my time. Because in three days I will be getting t out of here and move on to a better life. I cannot stand right here and right now. We left town out of pity, you know, and it is time to move on.

Mari is becoming a rhinoceros. For her, this transformation is a sign that she has become a bad person; in this scenario, the protagonist starts a self-analysis process, asking herself if she is indeed bad person, in the midst of such metamorphic processes.


Eu te registro, simplesmente (2019, RS, 07min), de Rowan Romeiro - 16 ANOS

Filho de um computador (2018, RS, 2min), de TONYTONY 16 ANOS

Não foi gol, tava impedido (2019, RS, 4min), de André Berzagui - 16 ANOS

Elegia à uma vida triste, pessimista e frágil. Sofrerás, sofrerás, sofrerás, e tudo será inútil.

Filho de um computador, pai máquina.

Reza a lenda que quando Garrincha jogava, o futebol era escrito certo por pernas tortas.

Eu te registro, simplesmente (2019, RS, 07min), by Rowan Romeiro - 16+ ADMITTED A eulogy to a sad, pessimistic and fragile life. You will suffer, suffer and suffer, and it will all be for nothing.

Filho de um computador (2018, RS, 2min), by TONYTONY 16+ ADMITTED The son of a computer, a machine as a father.

Não foi gol, tava impedido (2019, RS, 4min), by André Berzagui - 16+ ADMITTED Rumor has it that when Garrincha played, football was properly written by crooked legs.


Sardanisca (2019, RS, 3min), de Luan Bento - 16 ANOS Minha pele cai muda sai suja vai até virar ao contrário .largatixa.

Sardanisca (2019, RS, 3min), by Luan Bento - 16+ ADMITTED I shed my skin, which falls out, dirty, until it is turned inside out .house gecko.

Só sei que foi assim (2019, RS, 07min), de Giovanna Muzel - 16 ANOS Quando Santiago, o melhor amigo de Júlia encontra um livro falando sobre a selva e como é a vida lá, ele decide que está na hora de finalmente agir como um tigre e decide partir em uma jornada até a selva. Durante essa aventura eles confrontam suas inseguranças e encontram algumas das forças que possuem.

Só sei que foi assim (2019, RS, 07min), by Giovanna Muzel 16+ ADMITTED When Santiago, Julia’s best friend, finds a book talking about the jungle and what life is like there, he decides it is time to finally act like a tiger. So he decides to go on a journey into the jungle. During this adventure, they face their insecurities and discover some of their strengths.


25 e 26/11, no Hub Criativa Birô – Sala Sérgio Napp – Casa de Cultura Mario Quintana 25/11 – 10h – Mesa “Circulação e Mercado de Produções Audiovisuais Autorais e de Arte”

Rodadas de Negócios Business Rounds

O Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira 2019 divulga novidades em sua programação: pela primeira vez o festival contará com Rodadas de Negócios que ocorrem entre os dias 25 e 26 de novembro, integrando as atividades do evento, com players do Brasil e da Alemanha. A atividade busca projetos audiovisuais autorais de longa-metragem de ficção, documentário, animação e experimental, além de longasmetragens finalizados ou em finalização. Na segunda-feira, 25 de novembro, os convidados e players integram uma mesa com o tema Circulação e Mercado de Produção Audiovisuais Autorais e de Arte. A participação nesta mesa é aberta para aqueles que se inscreveram nas rodadas de negócios independente de terem sido selecionados ou não. Nos demais turnos, serão realizadas reuniões individuais préagendadas com 20 minutos de duração, entre os players e os representantes dos projetos selecionados. Integram a comissão das rodadas Angelika Ramlow, gerente de projetos do Arsenal Distribution, Argel Medeiros, sócio/diretor da Olhar Distribuição, Letícia Friedrich, sócia da produtora e distribuidora Boulevard Filmes e Paulo de Carvalho, produtor, programador e diretor artístico do Festival CINELATINO na Alemanha.

PERFIL DOS PLAYERS ANGELIKA RAMLOW: Angelika Ramlow gerente de projetos do Arsenal Distribution, com foco em cinema experimental, vídeo arte e instalações. É integrante da equipe do Forum Expanded, além de programas curatoriais e palestras no Arsenal - Institute for Film and Video Art, Berlin, Kurzfilmtage Oberhausen, IFF Rotterdam, Kansk Filmfestival (Russia), o 4-VIDEOFORMA Festival em São Petersburgo, Dokfest Kassel, (S8) Mostra de Cinema Periférico (A Coruña, Spain). Ela vive com suas duas filhas em Berlim. Angelika busca filmes inovadores com viés mais experimental, política/esteticamente interessantes documentários ou ficções que desviam dos caminhos do cinema mainstream. Grandes produções com narrativas mainstream ou arthouse não são de seu interesse. Serão analisados apenas filmes que possuam legenda em inglês ou alemão. ARGEL MEDEIROS: Argel Medeiros é administrador, especializado em Gestão Empreendedora e sócio/diretor da Olhar Distribuição. Atuou como parecerista na Fundação Cultural de Curitiba, foi um dos diretores do Festival Kinoarte de Cinema em Londrina, foi professor-convidado de formatação de Projetos Culturais na PósGradução Criação e Produção em Rádio e Televisão da Faculdade Pitágoras. A Olhar Distribuição nasceu em parceria com o Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba e em consonância com seu propósito de buscar filmes que dialogam com a contemporaneidade.


Nosso objetivo é respeitar o universo próprio a cada filme, suas cores, sua cultura, seus sorrisos e transpor as fronteiras que limitam tais mundos, ficcionais ou reais, e levá-los a outros olhares, cercados de realidades distintas, a fim de sensibilizar e provocar a reflexão. Entendemos que o momento é o de olharmos, também, para a pluralidade de realidades singulares: Queremos ouvir a história que elas, mulheres, querem contar - negra, branca, transexual; queremos assistir ao filme que os negros sempre desejaram filmar; levar as telas o indígena do jeito que ele quer ser; e assim, na busca da amplitude de outras narrativas que a Olhar Distribuição almeja em especial filmes realizados por mulheres, negros, indígena e transgênero. LETÍCIA FRIEDRICH: Letícia Friedrich é produtora. Formada em Cinema pela UNISUL-SC, pós graduada em Produção Cinematográfica pela Escola Superior de Cinema e Audiovisual da Catalunya – ESCAC/ Espanha e LL.M em Direito Empresarial, pela FGV. Em sua atuação como produtora, produziu curtas-metragens (entre eles os premiados curtas de animação “Até a China”, de Marão e o infantil “A culpa é do Neymar”, de João Ademir), os longas “Amor, Plástico e Barulho”, de Renata Pinheiro, “A vida extra-ordinária de Tarso de Castro”, de Leo Garcia e Zeca Brito e “Açúcar”, de Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira e o telefilme infanto juvenil “Guigo Offline”, de René Guerra (Tv Cultura). Além disso, transitou por instituições audiovisuais como o Centro Técnico Audiovisual – CTAV/MinC, onde produziu projetos de preservação e a Associação Brasileira de Produtoras Independentes – BRAVI, onde

atuou como Coordenadora de Projetos. É sócia da produtora e distribuidora Boulevard Filmes. A Boulevard Filmes busca projetos de longa-metragem de ficção, nos gêneros de drama, romance e infanto-juvenil, que tragam novos olhares sobre a sociedade, para todos os nichos de público. PAULO DE CARVALHO: Produtor e Programador. Diretor artístico do Festival CINELATINO na Alemanha. Foi delegado para filmes latino-americanos para a Quinzena dos Realizadores de Cannes, DokLeipzig e Festival de Locarno (Comite de seleção). Através da produtora Autentika Films (Berlin) tem realizado diversas coproduções com países latino-americanos. Em 2018: O Processo, de Maria Augusta Ramos (Brasil). Em 2019: Breve História del Planeta Verde, de Santiago Loza (Argentina), Querência, de Helvécio Marins Jr. (Brasil) e Vendrá la muerte y tendrá tus ojos, de José Luis Torres Leiva (Chile). Participa como líder do Núcleo Criativo da produtora Filmes de Abril (São Paulo). Desde 2010 participa da organização do Encontro Internacional de Coprodução Brasil CineMundi, em Belo Horizonte.

Nov 25-26 at Hub Criativa Birô – Sérgio Napp Hall – Mario Quintana Cultural Center Nov 25 – 10:00 AM – Round: “The circulation and market for artistic and original audiovisual productions” Cine Esquema Novo - Brazilian Audiovisual Art 2019 announces news in its event schedule: for the first time, the festival will feature Business Rounds taking place between November 25 and 26, integrating the activities of the event, with players from Brazil and Germany. This initiative seeks original audiovisual projects such as full-length feature films, documentaries, animations and experimental films, as well as finished or finalized feature films. On Monday, November 25, guests and players will form a panel and discuss the following topic: the circulation and market for artistic and original audiovisual productions. Participation at this event is open to those who have signed up for business rounds regardless of whether they have been selected or not. For the remaining rounds, individual pre-scheduled 20-minute meetings will be held between the players and the representatives of the selected projects. The commission for these rounds comprises Angelika Ramlow, Arsenal Distribution project manager, Algiers Medeiros, partner / director of Olhar Distribuição, Letícia Friedrich, partner of production and distribution company Boulevard Filmes, and Paulo de Carvalho, producer and organizer / artistic director of the CINELATINO Festival in Germany.


Interested parties may sign up as many projects as they wish in the Rounds, in two categories: Projects under development for co-production and pre-sales contacts, either with or without secured funding, and projects already finished / being finalized for contacts with distributors and festival representatives. Production companies must be actively registered with Ancine. Finished / finalized films submitted to the Arsenal Institute must have English or German subtitles. Registration, via form (http://bit.ly/rodadascen2019), is open until 11:59 PM on Nov 12, costing BRL 50.00 (plus administrative fees) per project, regardless of how many players are indicated on the registration form * (payment through the Sympla platform - https://www.sympla. com.br/rodadas-de-negocios---cineesquema-novo-2019__628481 The list of selected projects will be released by Nov 18 and the meeting schedule will be released by Nov 21. For questions or information about the Business Rounds, please contact: rodadas@ cineesquemanovo.org PLAYERS’ PROFILE ANGELIKA RAMLOW: Angelika Ramlow is a project manager at Arsenal Distribution, focusing on experimental film, video art and installations. She is a member of the Forum Expanded team, as well as being a member of curating programs and lectures at the Arsenal - Institute for Film and Video Art, Berlin, Kurzfilmtage Oberhausen, IFF Rotterdam, Kansk Filmfestival (Russia), the 4-VIDEOFORMA Festival in St. Petersburg, Dokfest Kassel, (S8) Mostra de Cinema

Periférico (A Coruña, Spain). She lives with her two daughters in Berlin. Angelika seeks innovative films with a more experimental inclination, as well as politically / aesthetically stimulating - documentaries or fictional works that deviate from the roads of mainstream cinema. Large productions with mainstream or arthouse narratives are outside her scope of interest. Only films with English or German subtitles will be appraised. ARGEL MEDEIROS: Algiers Medeiros is a manager specialized in Entrepreneurial Management and partner / director of Olhar Distribuição. He worked as a reviewer at the Cultural Foundation of Curitiba and was one of the directors of the Kinoarte Film Festival in Londrina, having also worked as a guest professor in Cultural Project Structuring at the Graduate Program in Radio and Television Creation androduction at Faculdade Pitágoras. Olhar Distribuição was created in partnership with Olhar de Cinema - Curitiba International Film Festival and with the purpose of seeking films that establish a dialog and a connection with contemporary times. Our goal is to respect the universe inherent to each film, as well as its colors, culture and smiles, crossing boundaries that limit such worlds, either fictional or real, and have them been seen from other perspectives, surrounded by different realities, in order to raise awareness and generate reflections. We understand that in this moment we must also look at the plurality of singular realities: We want to hear the story women want to tell - black, white, trans; we want to watch films that Black people have always

wanted to make; portray native peoples on screen they way they want to be portrayed; in this search for such amplitude provided by other narratives, Olhar Distribuição is especially seeking films made by women, Black individuals, native peoples and transgender people. LETÍCIA FRIEDRICH: Letícia Friedrich is a producer. She has a Bachelor’s degree in Film Studies from UNISUL-SC, a graduate degree in Film Production from the Cinema and Audiovisual School of Catalonia – ESCAC/Spain and a Master of Laws degree in Corporate Law from FGV. In her role as a producer, she produced short films (including Marão’s award-winning animated short films “Até a China” and the children’s animated film “A culpa é do Neymar” by João Ademir), as well as feature films “Amor, Plástico e Noulho”, by Renata Pinheiro,“ A vida extra-ordinária de Tarso de Castro”, by Leo Garcia and Zeca Brito, and “Açúcar”, by Renata Pinheiro and Sérgio Oliveira, and “Guigo Offline”, a children’s made-fr-TV movie directed by René Guerra (TV Cultura). Furthermore, she has worked at audiovisual institutions such as the Technical Audiovisual Center - CTAV / MinC, where she led preservation projects, and the Brazilian Association of Independent Producers - BRAVI, where she worked as a Project Coordinator. She is a partner at Boulevard Filmes, a production and distribution company. Boulevard Filmes is in search of fiction feature films (drama, romance and children’s pictures) that bring fresh perspectives on society to all audience niches.


PAULO DE CARVALHO: Producer and programmer. Artistic director of the CINELATINO Festival in Germany. He was appointed a delegate for Latin American films for the Directors’ Fortnight at Cannes, DokLeipzig and the Locarno Festival (Selection Committee). Through production company Autentika Films (Berlin), he has made several co-productions with Latin American countries. In 2018: O Processo, by Maria Augusta Ramos (Brazil). In 2019: Breve História del Planeta Verde, by Santiago Loza (Argentina), Querência, de Helvécio Marins Jr. (Brazil) and Vendrá la muerte y tendrá tus ojos, by José Luis Torres Leiva (Chile). He is the leader of the Creative Hub of production company Filmes de Abril (São Paulo). Since 2010, he has been involved in the organization of the Brazil CineMundi International Coproduction Meeting, in Belo Horizonte.

Seminário Seminário Pensar a Imagem

Seminar

Reflecting on Image Seminar

De 21 a 24/11, das 10h às 12h, no Auditório do Goethe-Institut Porto Alegre O Cine Esquema Novo promove durante a semana de realização do festival o Seminário Pensar a Imagem. A proposta do evento é abordar especificidades teóricas, técnicas, conceituais, narrativas e de circulação associadas à produção autoral e experimental de imagens no século 21. Ocorrem no auditório do Goethe-Institut Porto Alegre quatro mesas que têm como tema transversal as implicações entre estética e política no cinema contemporâneo e nas artes. Considera-se que, no caso das linguagens artísticas, a política se dá não apenas com a produção de representações que evoquem questões macropolíticas de forma mais evidente, mas especialmente por meio da experimentação formal e da possibilidade de emergência de poéticas, corpos e discursos dissidentes. O Seminário reúne oito convidados brasileiros e estrangeiros, entre os quais o programador da Cinemateca Francesa Bernard Payen; a gerente de projetos do Arsenal distribution (Alemanha), Angelika Ramlow; o ator, dramaturgo e diretor Silvero Pereira; a curadora no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) Izis Abreu, o produtor e programador Paulo de Carvalho, sócio da Autentika Films Berlim e curador do Cinelatino para a Alemanha, a mestre em Educação, com pesquisa em cinema e educação e membro fundadora do Cineclube Academia das Musas Juliana Costa, o doutorando em comunicação pela UFRGS, pesquisador e atua na interseção entre o cinema e os estudos de gênero Dieison Marconi e o artista, ensaísta e

pesquisador Ali do Espírito Santo. O Seminário foi criado a partir de uma livre associação com o Think:Film International Experimental Cinema Congress, parte do Festival de Cinema de Berlim e organizado pelo Arsenal Institut für Film und Videokunst. A produção e a curadoria do Seminário são da pesquisadora e professora universitária Gabriela Almeida.

From Nov 21-24, from 10:00 AM to 12:00 PM, at the Auditorium of Goethe-Institut Porto Alegre Places available: 130 | International speakers will make their presentations in English without simultaneous translation | Registration at: https://www.sympla.com. br/seminario-pensar-a-imagem__702745 During the week on which the festival will be held, Cine Esquema Novo will organize the Reflecting on Image Seminar. The purpose of this seminar is to address theoretical, technical, conceptual, narrative and circulation specificities associated with the original and experimental production of images in the 21st century. From November 21-24, always at 10:00 AM, four panels will be held at the auditorium of GoetheInstitut Porto Alegre, their main underlying theme being the implications between aesthetics and politics in contemporary cinema and the arts. It may be argued that, in the case of artistic languages, politics is present not only through the production


of representations that most clearly evoke macropolitical issues, but especially through formal experimentations and the possibility of the emergence of dissident poetics, bodies and discourses. The seminar will bring together eight Brazilian and foreign guests, including French Cinematheque programmer Bernard Payen; Arsenal Distribution (Germany) project manager Angelika Ramlow; actor, playwright and director Silvero Pereira; Rio Grande do Sul Museum of Art (MARGS) curator Izis Abreu and producer-programmer Paulo de Carvalho, partner at Autentika Films Berlin and curator of Cinelatino for Germany; Juliana Costa, scholar with a Master’s degree in Education, whose research focuses on film and education, and founding member of the the Academia das Musas Movie Club; Dieison Marconi, a PhD student in communication studies at UFRGS and a researcher working at the intersection between cinema and genre studies, and artist, essayist and researcher Ali do Espírito Santo. The Seminar was created thank to a free association with Think: Film International Experimental Cinema Congress, part of the Berlin Film Festival and organized by the Arsenal Institut für Film und Videokunst. Researcher and university professor Gabriela Almeida will be responsible for the production and curation of the Seminar.


21/11, 10h - Mesa 1: Estética e política no cinema contemporâneo

Programação Schedule

Ementa: O cinema contemporâneo é marcado por uma multiplicidade de sujeitos, muitos deles ligados a dissidências ou grupos minoritários, realizadores de filmes que rasuram imaginários cristalizados socialmente e produzem rupturas de paisagens hegemônicas, especialmente no que diz respeito às políticas do corpo e às relações entre poder e produção de subjetividades. A mesa de abertura do seminário trará um panorama de certo cinema contemporâneo para o qual a política não está dissociada da estética, nos contextos brasileiro e francês. Participantes: Bernard Payen (programador da Cinemateca Francesa) Dieison Marconi (pesquisador, desenvolve investigação sobre a estética queer no cinema brasileiro contemporâneo no doutorado em Comunicação na UFRGS) 22/11, 10h - Mesa 2: Estética e política nas artes Ementa: O campo das artes visuais e suas instituições - como museus, galerias e acervos - têm sido tensionados no sentido de se repensar enquanto lugares de poder historicamente constituídos. Esses lugares vêm sendo disputados, no presente, por uma multiplicidade de sujeitos que buscam não apenas representatividade, mas principalmente o reconhecimento da legitimidade dos seus saberes, práticas e formas de vida. O objetivo da mesa é colocar em discussão, a partir de experiências

bastante distintas de mulheres que atuam espaços institucionalizados das artes, a urgência de viabilizar esse reconhecimento por meio de ações de curadoria, constituição de acervos, preservação e distribuição. Participantes: Angelika Ramlow (gerente de projetos do arsenal distribution, braço do Arsenal Institut für Film und Videokunst, na Alemanha) Izis Abreu (curadora no MARGS e pesquisadora de questões étnico-raciais na história da arte no Rio Grande do Sul) 23/11, 10h - Mesa 3: Corpos em cena no cinema e nas artes visuais no Brasil Ementa: Pensar as implicações entre estética e política passa necessariamente pelo debate sobre as imagens e as políticas do corpo - gênero, raça e etnia, orientação sexual e classe. O objetivo da mesa é suscitar um debate sobre os corpos em cena no cinema e nas artes visuais do Brasil, orientado por questões como: que corpos podem estar em cena? Que espaços existem para corpos não-normativos? Como os corpos de pessoas negras, mulheres, pessoas LGBT e/ou pobres são representados nas imagens? Quem produz essas representações e que esforços têm sido feitos em busca de representações contra-hegemônicas? Participantes: Ali do Espírito Santo (artista, ensaísta e pesquisador, desenvolve pesquisa de mestrado em Psicologia Social na UFRGS) Silvero Pereira (ator, dramaturgo e diretor, fundador do Coletivo As Travestidas)


24/11, 10h - Mesa 4: As cinematografias emergentes na perspectiva da crítica e da programação Ementa: A mesa tem como proposta discutir as chamadas cinematografias emergentes a partir dos olhares da crítica e da distribuição desse cinema nos mercados internacionais. De um lado, temos a consolidação de espaços para o exercício da crítica cinematográfica fora da imprensa tradicional e a ampliação do acesso a filmes de difícil circulação comercial, o que potencialmente confere maior possibilidade de ação à atividade crítica. De outro, temos a ampliação da circulação do cinema produzido no sul global em espaços hegemônicos - sejam eles os festivais europeus ou norte-americanos ou o circuito comercial desses locais. Esse cenário levanta inúmeras questões relativas à visibilidade das cinematografias emergentes e suas complexas relações com as instâncias de consagração e reconhecimento do cinema. Participantes: Juliana Costa (integrante da Associação de críticos de cinema do Rio Grande do Sul, pesquisadora e criadora do cineclube Academia das musas) Paulo de Carvalho (produtor e programador na Autentika Films e diretor artístico do Festival CINELATINO, na Alemanha)

CURADORIA E PRODUÇÃO: Gabriela Almeida integra a diretoria da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine), na gestão 2019-2021, e coordena do Grupo de Pesquisa Estéticas, Políticas do corpo e Gêneros na Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom). Integra também a Latin American Studies Association (LASA) e rede de pesquisadores e artistas Radical Film Network (RFN). É doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com estágio doutoral na Universitat Autònoma de Barcelona (UAB). Atualmente é professora da Faculdade de Comunicação Social da UniRitter, em Porto Alegre, onde coordena o curso de Jornalismo. É autora do livro “O ensaio fílmico ou o cinema à deriva” (Ed. Alameda, 2018) e co-organizadora da coletânea “Comunicação, estética e política: epistemologias, problemas e pesquisas” (Ed. Appris, 2019). SOBRE OS CONVIDADOS Ali do Espírito Santo é artista, ensaísta e pesquisador. Nasceu em Cuiabá-MT e atualmente trabalha e estuda em Porto Alegre-RS. Graduado em Artes Visuais e mestrando em Psicologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Nos últimos anos seu trabalho artístico tem abordado temas como as dissidências sexuais, as ficções do antropoceno e o cancelamento dos futuros. Ali do Espírito Santo usa a fotografia e a performance como linguagem de criação e ação. Angelika Ramlow é gerente de projetos do Arsenal Distribution, com foco em cinema

experimental, vídeo e instalações. Integra o Forum Expanded Team, do Festival de Berlim, e vem participando de programas curatoriais e ministrando conferências em eventos e instituições como Arsenal – Institute for Film and Video Art (Berlim, Alemanha), Kurzfilmtage Oberhausen (Alemanha), IFF Rotterdam (Holanda), Kansk Filmfestival (Rússia), The 4-VIDEOFORMA Festival in St. Petersburg (Rússia) e Dokfest Kassel (Alemanha). Bernard Payen é programador da Cinemateca Francesa de Paris. Foi curador e coordenador da comissão de curtas metragens da Semana da Crítica do Festival de Cannes entre 2005 e 2013. Como realizador, dirigiu os curtas Reminiscence (2006), Portrait of the french filmmaker Damien Odoul (2009) e Mister H (2014, gravado no Brasil). Dieison Marconi é doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com período de doutoramento realizado na Universidade Complutense de Madrid, na Espanha (UCM), junto ao Grupo de Pesquisa em Gênero, Estética e Cultura Audiovisual (GECA -UCM). É mestre em Comunicação e Bacharel em Comunicação Social (Jornalismo) pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). É pesquisador e atua na interseção entre o cinema e os estudos de gênero. Suas pesquisas envolvem especialmente os seguintes temas: estética e política no audiovisual; estudos da performance e da performatividade; cinema brasileiro e cinema queer.


Izis Abreu é mestranda em História, Teoria e Crítica de arte pelo Programa de Pós Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Bacharela em História da Arte também pela UFRGS. É curadora no Museu de Arte do Rio Grande do Sul – Ado Malagoli, onde também integra o Conselho curatorial. Pesquisa a representação de sujeitos negros na história da arte do Rio Grande do Sul e realiza palestras utilizando as artes visuais como perspectiva de educação antirracista. Juliana Costa é mestre em Educação, com pesquisa em cinema e educação e membro fundadora do Cineclube Academia das Musas, dedicado a estudar e difundir a cinematografia de diretoras mulheres. Editora do fanzine de crítica de cinema Zinematógrafo e membro da Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul. Publicou textos nas revistas Filme e Cultura, Teorema e na revista belga Filmaggie. Curadora da mostra “O Feminismo e a Vanguarda de Helke Sander”, realizada pelo Instituto Goethe. Paulo de Carvalho é produtor e programador. É diretor artístico do Festival CINELATINO, na Alemanha e foi delegado para filmes latinoamericanos para a Quinzaine dos Realizadores de Cannes, DokLeipzig e Festival de Locarno. Com a produtora Autentika Films (Berlim), tem realizado diversas coproduções com países latinoamericanos, a exemplo dos filmes “O Processo” de Maria Augusta Ramos (Brasil, 2018), “Breve História del Planeta Verde”, de Santiago Loza (Argentina, 2019), “Querência” de Helvécio Marins Jr. (Brasil,

2019) e “Vendrá la muerte y tendrá tus ojos”, de José Luis Torres Leiva (Chile, 2019). Participa como líder do Núcleo Creativo da produtora Filmes de Abril (São Paulo). Desde 2010 participa da organização do Encontro Internacional de Coprodução Brasil CineMundi em Belo Horizonte. Silvero Pereira é ator, dramaturgo e diretor. Fundador do Coletivo As Travestidas (Fortaleza- CE). Atuou em mais de 30 peças de teatro e circulou por quase todo o território brasileiro com os espetáculos, bem como pelos Estados Unidos e pela Alemanha. Na TV, atuou em produções da Rede Globo, como a novela A Força do Querer.. No cinema, atuou em filmes como “Serra Pelada” (Heitor Dhalia, 2012), “No Fim de Tudo” (Victor Ciríaco, RN), “As Bodas do Diabo” (Ivan Ribeiro, SP) e “Mar de Zila” (RN). Recentemente participou do filme “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles.

Nov 21, 10:00 AM - Panel 1: Aesthetics and politics in contemporary cinema Description: Contemporary cinema is characterized by a multiplicity of subjects, many of them associated with dissent or minority groups, filmmakers who erase socially-crystallized imagery and give rise to disruptions of hegemonic landscapes, especially with regard to body politics and the relationships between power and the production of subjectivities. The opening panel of the seminar will present a panorama of a certain kind of contemporary cinema in which politics is not dissociated

from aesthetics, within the Brazilian and French contexts. Participants: Bernard Payen (programmer at the French Cinematheque) Dieison Marconi (researcher at the PhD program in Communication Studies at UFRGS whose work is focused on queer aesthetics in contemporary Brazilian cinema) Nov 22, 10:00 AM - Panel 2: Aesthetics and politics in the arts Description: The field of visual arts and their institutions - such as museums, galleries and collections - have been forced to rethink themselves as historicallyestablished places of power. These places are currently being challenged by a multiplicity of individuals that seek not only representativeness, but mainly recognition in terms of the legitimacy of their knowledge, practices and ways of life. The purpose of this panel is to discuss, from very different realities experienced by women who work in institutionalized art spaces, the urgent need to enable such recognition through actions in terms of curatorship, the establishment of collections, as well as preservation and distribution initiatives. Participants: Angelika Ramlow (project manager at Arsenal Distribution, a division of the Arsenal Institut für Film und Videokunst, Germany) Izis Abreu (MARGS curator and researcher of ethnic-racial issues in the history of art in the state of Rio Grande do Sul)


Nov 23, 10:00 AM - Panel 3: Bodies on the scene in film and visual arts in Brazil Description: Reflecting upon the implications between aesthetics and politics necessarily involves a debate about body image and politics - gender, race and ethnicity, sexual orientation and class. The purpose of this panel is to generate a debate about bodies on the scene in film and visual arts in Brazil, guided by questions such as: what bodies can be displayed? What spaces are there for non-normative bodies? How are the bodies of Black people, women, LGBT people and / or poor people represented in these images? Who produces these representations and what efforts have been made in terms of producing counterhegemonic representations? Participants: Ali do Espírito Santo (artist, essayist and researcher at the Master’s degree program in Social Psychology at UFRGS) Silvero Pereira (actor, playwright and director, founder of the As Travestidas art collective) Nov 24, 10:00 AM - Panel 4: Emerging cinematographies from the perspective of criticism and programming Description: The purpose of this panel is to discuss the so-called emerging cinematographies, from the perspective of criticism and the distribution of these films in international markets. On the one hand, we have the consolidation of spaces for producing film criticism outside the

traditional press and the expansion in terms of access to films with a difficult commercial circulation, which potentially results in an increased possibility for criticism activities. On the other hand, there is the expansion in terms of the circulation of films produced in the southern half of the globe in hegemonic spaces - either European / US festivals or the commercial circuit in these areas. This scenario raises numerous questions about the visibility of emerging cinematographies and their complex relationships with renown and recognition in film. Participants: Juliana Costa (member of the Rio Grande do Sul Film Critics Association, researcher and creator of the Academia das Musas Movie Club) Paulo de Carvalho (producer and programmer at Autentika Films and artistic director of the CINELATINO Festival in Germany) CURATORSHIP AND PRODUCTION: Gabriela Almeida is a member of the board of the Brazilian Society of Cinema and Audiovisual Studies (Socine) for the 2019-2021 period and coordinates the Aesthetics, Body Politics and Gender Research Group at the Brazilian Society of Interdisciplinary Communication Studies (Intercom). She is also a member of the Latin American Association of Studies (LASA) and of the Radical Film Network (RFN), a network of researchers and artists. She has a PhD in Communication and Information Studies from the Federal University of Rio Grande

do Sul (UFRGS), with a doctoral internship at Universitat Autònoma de Barcelona (UAB). She currently works as a professor in UniRitter’s School of Social Communication Studies, in Porto Alegre, acting as coordinator of the Journalism program. She authored a book titled “O ensaio fílmico ou o cinema à deriva” (Publishing house: Alameda, 2018) and co-organized a compilation of texts titled “Comunicação, estética e política: epistemologias, problemas e pesquisas” (Publishing house: Appris, 2019). ABOUT THE GUESTS Ali do Espírito Santo is an artist, essayist and researcher. He was born in Cuiabá-MT and currently works and studies in Porto Alegre-RS. He has a Bachelor’s degree in Visual Arts and a Master’s degree in Social Psychology from the Federal University of Rio Grande do Sul. In recent years, his artistic work has addressed topics such as sexual dissents, fictions of the Anthropocene and the cancellation of futures. Ali do Espírito Santo uses photography and performance as languages for creation and action. Angelika Ramlow is a project manager at Arsenal Distribution, focusing on experimental film, video art and installations. She is a member of the Forum Expanded team and has been participating in curating programs and lectures at events and institutions such as the Arsenal - Institute for Film and Video Art, Berlin, Kurzfilmtage Oberhausen, IFF Rotterdam, Kansk Filmfestival (Russia), the 4-VIDEOFORMA Festival in St. Petersburg, and Dokfest Kassel.


Bernard Payen is a programmer at the French Cinematheque of Paris. He was the curator and coordinator of the short film commission of the Cannes Film Festival Critics Week between 2005 and 2013. As a director, he directed short films Reminiscence (2006), Portrait of the French filmmaker Damien Odoul (2009) and Mister H (2014, shot in Brazil). Dieison Marconi is a PhD student in the Graduate program in Communication Studies at the Federal University of Rio Grande do Sul (UFRGS), having studied part of his PhD program at the Complutense University of Madrid, in Spain (UCM), within the Gender, Aesthetics and Audiovisual Culture Research Group (GECA -UCM). He has a Bachelor’s and a Master’s degree in Social Communication Studies (Journalism) from the Federal University of Santa Maria (UFSM). He is a researcher who works at the intersection between cinema and gender studies. More specifically, his research involves the following topics: aesthetics and politics in audiovisual works; performance and performativity studies; Brazilian cinema and queer cinema. Izis Abreu is a Master’s degree student in History, Theory and Art Criticism, from the Graduate Program in Visual Arts at the Federal University of Rio Grande do Sul (UFRGS) and has a Bachelor’s degree in Art History from UFRGS. She is the of at the Rio Grande do Sul Art Museum - Ado Malagoli, also being a member of the museum’s Curating Committee. She researches the representation of Black individuals in the history of art in the state of Rio Grande do

Sul and gives lectures using the visual arts as an anti-racist education tool. Juliana Costa has a Master’s degree in Education, her research being focused in film and education, also being a founding member of the Academia das Musas Movie Club, a club dedicated to studying and disseminating the cinematography of female directors. Editor of film critic fanzine Zinematographer and member of the Rio Grande do Sul Film Critics Association. She has published texts in the Film and Culture and Theorem magazines, as well as in Belgian magazine Filmaggie. Curator of the exhibition titled “O Feminismo e a Vanguarda de Helke Sander”, held at the Goethe Institute. Paulo de Carvalho is a producer and programmer. He is the artistic director of the CINELATINO Festival in Germany and has been appointed a delegate for Latin American films for the Directors’ Fortnight at Cannes, DokLeipzig and the Locarno Festival. Through production company Autentika Films (Berlin), he has made several co-productions with Latin American countries, such as “O Processo”, by Maria Augusta Ramos (Brazil, 2018), “Breve Historia del Planeta Verde”, by Santiago Loza (Argentina, 2019), “Querência”, by Helvécio Marins Jr. (Brazil, 2019) and “Vendrá la muerte y tendrá tus ojos”, by José Luis Torres Leiva (Chile, 2019). He is the leader of the Creative Hub of production company Filmes de Abril (São Paulo). Since 2010, he has been involved in the organization of the Brazil CineMundi - International Coproduction Meeting, in Belo Horizonte.

Silvero Pereira is an actor, playwright and director. Founder of the As Travestidas collective (FortalezaCE). He has performed in more than 30 plays and traveled throughout the Brazilian territory with these performances, as well as to the United States and Germany. On TV, he acted in productions by Rede Globo, such as the soap opera A Força do Querer. In film, he acted in films such as “Serra Pelada” (Heitor Dhalia, 2012), “No Fim de Tudo” (Victor Ciríaco, RN), “As Bodas do Diabo” (Ivan Ribeiro, SP) and “Mar de Zila” (RN). More recently, he had a part in “Bacurau”, a film by Kleber Mendonça Filho and Juliano Dornelles.


Oficinas Workshops

Oficina Câmera Causa - Realização Audiovisual para grupos em vulnerabilidade social – com Gustavo Spolidoro e Lucas Heitor 12, 13, 19, 20 e 21/11, das 09h às 13h, no Teatro Quilombo das Artes Utopia e Luta 25/11, 14h, mostra dos curtas na Cinemateca Capitólio Petrobras Oficina voltada para pessoas que são pertencentes ou atuam junto a projetos sociais e grupos em vulnerabilidade social, professores e alunos de escolas públicas e público em geral, proporcionando uma reflexão e prática da realização audiovisual a partir de seus próprios celulares. Criada em 2018, com 10 edições e 8 palestras de lá pra cá, a oficina gerou mais de 60 curtas divulgados nas redes sociais e tem como objetivo a criação de conteúdo que possa ser utilizado como divulgação do trabalho desses grupos, sua realidade e causas. Oficina Trabalhando artesanalmente com película 16mm – com Luciana Mazeto e Vinícius Lopes 25 e 26/11, das 09h às 12h30 e das 13h30 às 18h, no Laboratório de Fotografia - IA/UFRGS. A oficina abordará técnicas simples, manuais e experimentais para filmagem, revelação e copiagem de filme 16mm. Os realizadores Luciana Mazeto e Vinicius Lopes exploram a revelação de negativo preto e branco com o uso de cafenol, uma solução ecológica e acessível que produz belas imagens de alto contraste a partir de ingredientes facilmente encontrados. Em seguida, os participantes trabalharão com a copiagem desse negativo através da técnica de cianotipia em emulsão artesanal, aplicando a própria emulsão na película e gerando belas imagens positivas em tonalidades azuladas, prontas para a exibição.

Camera Cause - Audiovisual Creation for groups in social vulnerability - with Gustavo Spolidoro and Lucas Heitor Nov 12, 13, 19, 20 & 21, from 9:00 AM to 1:00 PM, at Teatro Quilombo das Artes Utopia e Luta Screening of short films at Cinemateca Capitólio Petrobras: Nov 25 at 2:00 PM. This workshop is designed for people who belong or work with social projects and collectives assisting groups in social vulnerability, teachers and students from public schools, as well as the general public, providing reflections and practices in terms of audiovisual creation using their own cell phones. Created in 2018, with 10 editions and 8 lectures so far, this workshop generated more than 60 short films posted on social medial and aims at creating contents that can be used to promote the works developed by these groups, as well as their reality and causes. Registration closed. https://www.facebook. com/cameracausa Working with 16-mm film in an artisanal fashion – with Luciana Mazeto and Vinícius Lopes Nov 25-26, from 9:00 AM to 12:30 PM and from 1:00 PM to 6:00 PM, at IA/UFRGS’s Photography Lab. Places available: 10 | Registration: https://www.sympla.com.br/oficina-depelicula__702756 The workshop will cover simple, manual and experimental techniques for filming, developing and copying 16mm film. Filmmakers Luciana Mazeto and Vinicius Lopes explore the development of black and white negatives using caffenol, an environmentally-friendly and affordable solution that produces astonishing highcontrast images made from easily-found ingredients. Afterwards, participants will work on copying negatives by using the traditional cyanotype emulsion technique, applying the emulsion on the film and generating astonishing positive images in bluish hues, which are ready to be displayed and shown. www.patiovazio.com


Filme de Encerramento Closing Screening

Breve Miragem de Sol (2019, BR/FRA/ARG, 95min), de Eryk Rocha Dirigido por – Eryk Rocha Elenco Principal – Fabricio Boliveira, Bárbara Colen, Cadu N. Jay Produzido por - Eryk Rocha, Edgard Tenembaum, Diego Dubcovsky, Walter Salles ROTEIRO – Eryk Rocha,Fabio Andrade, Julia Ariani
 Produção Executiva – Joelma Oliveira Gonzaga Direção de Fotografia – Miguel Vassy
 Montagem – Renato Vallone Desenho de Som – Edson Secco Trilha Original – Ava Rocha, Negro Léo, Kiko Dinucci Produção associada – Pras Cabeças, Carlos Diegues Coprodução – Globo Filmes, VideoFilmes, Canal Brasil Produção – Aruac Filmes, Tu Vas Voir, Varsovia Filmes Breve Miragem de Sol conta a história de Paulo (40), um homem desempregado e recém divorciado que começa a dirigir um táxi pelas noites do Rio de Janeiro. Carregando uma dívida com seu filho, Mateus (10), ele encontra no novo trabalho a chance de um recomeço. Conforme Paulo aprende a coreografia da nova profissão, a solução aparentemente provisória se solidifica como momento presente, e noite após noite, conversas com os passageiros misturam-se às de sua vida. Karina, enfermeira de um hospital público, surge na vida de Paulo como um respiro de amor e luta. Assim como ela, cada passageiro possui um destino diferente, mas ao fim é sempre Paulo que está no comando do volante, tecendo uma grande narrativa sobre um país em convulsão política, econômica e social.

Sobre o diretor: Nascido no Brasil no ano de 1978, Eryk Rocha estudou cinema na EICTV de Los Baños, Cuba, onde também dirigiu e produziu o primeiro longa-metragem, ROCHA QUE VOA (2002). Desde então, dirigiu outros oito longas, entre documentários e ficções, todos apresentados em prestigiosos festivais internacionais tais como Cannes, Veneza, Sundance, Telluride, Havana, Guadalajara, Bafici e Rio. Em 2016, CINEMA NOVO recebeu o prêmio L’Œil d’Or Prize de Melhor Documentário no Festival de Cannes e foi o vencedor do Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2016. Em 2019, estreia sua mais recente ficção, BREVE MIRAGEM DE SOL. FILMOGRAFIA Ficção: Breve Miragem de Sol (2019) | Transeunte (2010) Documentário: Cinema Novo (2016) | Campo de Jogo (2014) | Jards (2012) | Pachamama (2009) | Intervalo Clandestino (2006) | Rocha que Voa (2002)


CINEMATECA CAPITÓLIO PETROBRAS: Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico | (51) 3289-7458 | Aberto ao Público de terça a sexta das 9h às 21h e Sábados, Domingos e Feriados das 14h às 21h

Endereços Address Information

GOETHE-INSTITUT PORTO ALEGRE: Rua 24 de Outubro, 112 – Moinhos de Vento | (51) 21187800 | Visitação Galeria: Segunda a sexta das 10h às 19h30 | Sábados das 10h às 12h30 | Domingos e feriados não há visitação CASA DE CULTURA MARIO QUINTANA: Rua dos Andradas, 736 - Centro Histórico | (51) 3221-7147 | Aberto ao público de terça a sexta das 09h às 21h e sábados e domingos das 12h às 21h INSTITUTO DE ARTES UFRGS: R. Sr. dos Passos, 248 Centro Histórico | (51) 3308 4320 | Aberto ao público de segunda a sexta, das 08h às 22h | Sábado das 08h às 13h | Domingo fechado TEATRO QUILOMBO DAS ARTES UTOPIA E LUTA: Av. Borges de Medeiros, 719 – Centro Histórico

CINEMATECA CAPITÓLIO PETROBRAS: Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico | (51) 3289-7458 | Opening hours: Tuesday to Friday, from 9:00 AM to 9:00 PM | Saturday, Sunday and bank holidays, from 2:00 PM to 9:00 PM GOETHE-INSTITUT PORTO ALEGRE: Rua 24 de Outubro, 112 – Moinhos de Vento | (51) 21187800 | Gallery visitation: Monday to Friday, from 10:00 AM to 7:30 PM | Saturday, from 10:00 AM to 12:30 PM | Sunday and bank holidays: closed MARIO QUINTANA CULTURAL CENTER: Rua dos Andradas, 736 - Centro Histórico | (51) 3221-7147 | Opening hours: Tuesday to Friday, from 9:00 AM to 9:00 PM | Saturday and Sunday, from 12:00 PM to 9:00 PM ARTS INSTITUTE / UFRGS: R. Sr. dos Passos, 248 - Centro Histórico | (51) 3308 4320 | Opening hours: Tuesday to Friday, from 8:00 AM to 10:00 PM | Saturday, from 8:00 AM to 1:00 PM | Sunday: closed TEATRO QUILOMBO DAS ARTES UTOPIA E LUTA: Av. Borges de Medeiros, 719 – Centro Histórico


Ficha Técnica

O CEN 2019 é uma realização do Ministério da Cidadania – Secretaria Especial da Cultura

Assistência de Curadoria: Isabel Cardoso

Financiamento: BRDE/ FSA/ Ancine

Redes Sociais e cobertura site (RP online): Ricardo Romanoff

Correalização: Goethe-Institut Porto Alegre

Site: Pomo Studio (Gabriella Tachini e Fred Messias)

Direção Geral e Coordenação de Produção: Jaqueline Beltrame

Fotografia: Roberto Vinicius - Agafoto

Coordenação de Programação: Ramiro Azevedo Coordenação de Curadoria: Gustavo Spolidoro, Jaqueline Beltrame e Ramiro Azevedo Curadoria Mostras Competitiva Brasil e Outros Esquemas: Gustavo Spolidoro, Jaqueline Beltrame, Ramiro Azevedo e Vinícius Lopes Curadoria Mostra Universitária BASE-Líbano: Ali Khodr Júri Mostra Competitiva Brasil: Camila Leichter, Gabriela Motta e Silvero Pereira Assessoria de Comunicação: Bruna Paulin Produção Rodada de Negócios: Leandro Engelke Produção Receptivo: Kamyla Claudino Belli Curadoria e Produção Seminário Pensar a Imagem: Gabriela Almeida Curadoria Mostra Audiovisual em Curso: UNISINOS Beatrice Fontana, Guilherme Medeiros, Lucas Bastos, Luiza Zimmer | UFRGS - Nicolas Lobato, Kahena Zanato Sartore, Sophia Kopte, Aline Rodrigues | PUCRS - Samanda Kozicki, Pedro Spieker | UFPEL - Rubens Fabricio Anzolin, André Berzagui, Raquel Romeiro, Lucas Honorato Cordeiro, Emmanuelle Schiavon Melgarejo, Victória Deniz | UniRitter - Márcio Picoli Valmorbida, Lorena Teodora Fraga Longaray, Daniel Santos de Castro Administrativo e Assistência de Produção: Arthur Ferraz

Arte – ilustração, design e desenvolvimento material gráfico: Gustavo Panichi Vinheta: Kamyla Claudino Belli Assessoria Jurídica: Patrícia Goulart Contabilidade: MVG Consultoria Contábil Oficina Câmera Causa - Realização Audiovisual para grupos em vulnerabilidade social: Gustavo Spolidoro e Lucas Heitor Oficina Trabalhando artesanalmente com película 16mm: Luciana Mazeto e Vinícius Lopes Seminário Pensar a Imagem (palestrantes): Ali do Espírito Santo, Angelika Ramlow, Bernard Payen, Dieison Marconi, Izis Abreu, Juliana Costa, Paulo de Carvalho e Silvero Pereira Rodadas de Negócios (players): Angelika Ramlow, Argel Medeiros, Leticia Friedrich e Paulo de Carvalho Apoio Institucional: Ministério das Relações Exteriores, RS Criativo, Embaixada da França no Brasil Apoio Premiação: TECNA PUCRS, Locall, KF Studios e Fluxo – Escola de Fotografia e Cinema Apoio: Secretaria Municipal da Cultura/Coordenação de Cinema e Audiovisual/Cinemateca Capitólio Petrobras, Prime Box Brasil, Traduzca, Roger Lerina.com.br, Instituto de Artes/UFRGS, RC Som, Master Hotéis, Revista Clandestina, APTC, Bertoldo Espaço Cultural, Atelier de Massas, Ocidente, Bárbaros Cervejas Especiais, Cachaça da Chica, Justo, Ossip, Maison Forestier-Gran Legado


Profile for Cine Esquema Novo

Catálogo Cine Esquema Novo 2019 - Arte Audiovisual Brasileira  

Catálogo da edição 2019 do festival Cine Esquema Novo - Arte Audiovisual Brasileira, que ocorre de 21 a 27 de novembro em Porto Alegre, RS....

Catálogo Cine Esquema Novo 2019 - Arte Audiovisual Brasileira  

Catálogo da edição 2019 do festival Cine Esquema Novo - Arte Audiovisual Brasileira, que ocorre de 21 a 27 de novembro em Porto Alegre, RS....

Advertisement