Page 1

1


2


Mensagem do Presidente da C.M.A . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 02 Mayor’s message

Mensagem do Diretor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 04 Message from the Director

Membros do Júri . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 06 Jury

Categoria Sénior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20 Senior category

Categoria Júnior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .36 Junior category


Mensagem do Presidente da C.M.A. O Município de Alcobaça dá as boas vindas a todos os participantes no Concurso Internacional de Música de Câmara “Cidade de Alcobaça” (CIMCA), músicos a concurso, jurados e demais elementos que fazem deste evento uma referência no panorama nacional e internacional. Em mais uma edição do CIMCA, o Cine-Teatro de Alcobaça – João d’Oliva Monteiro volta a ser a “Casa” de todos eles neste mês de março. Alcobaça e a Música têm uma ligação quase umbilical desde há várias décadas. A tradição no ensino da música levou a que muitas crianças e jovens alcobacenses contactassem com esta forma de expressão artística, permitindo que muitos enveredassem por uma carreira profissional nesta área, com resultados excecionais e de referência internacional, o que nos enche de orgulho! António Rosa, uma vez mais Diretor Artístico desta competição, é um exemplo desta realidade. Pela qualidade que imprimiu ao CIMCA desde a primeira hora não foi difícil ter participantes de várias nacionalidades e diferentes continentes, de grande nível. As parcerias internacionais são uma consequência natural de todo o empenho manifestado, e alargam-se nesta edição a Moçambique, nomeadamente ao Festival Internacional de Música de Maputo, mantendo-se a parceria com África do Sul e o Festival Internacional de Música de Câmara de Stellenbosch.

4

A distinção dos membros do Júri merece igualmente todo o destaque e é, também ela, sinónimo e garantia da qualidade deste evento. O CIMCA chama à cidade de Alcobaça grandes vultos do universo da música de câmara e este contacto direto com a Arte enriquece-nos a todos sem exceção. Num mundo tão conturbado e veloz como aquele em que vivemos, a arte e a cultura têm um lugar de inegável relevo. Devemos abrandar o ritmo e respirar, deixarmo-nos tocar e encantar pela simplicidade e mestria da música, essa forma universal de comunicação e que é um dom conferido à humanidade, assim o queiramos apreciar. Alcobaça Dá Lugar ao Amor, e à Música! Paulo Jorge Marques Inácio Presidente da Câmara Municipal de Alcobaça


Mayor’s message The Municipality of Alcobaça welcomes all participants in the International Chamber Music Competition “City of Alcobaça” (CIMCA), musicians in competition, jurors and other elements that make this event a reference in the national and international scene. In this new edition of CIMCA, Cine-Teatro de Alcobaça - João d’Oliva Monteiro is once again the “home” for all of them this march. Alcobaça and the Music have an almost umbilical connection for several decades. The tradition in music education led many children and young people from Alcobaça to make contact with this form of artistic expression, allowing many of them to embark in a professional career on this field, with exceptional results and international reference, something that fills us up with pride! António Rosa, once again Artistic Director of the competition, is an example of this reality. For the quality that he printed to CIMCA from the start it was not difficult to have participants from several countries and different continents, at a high level. The international partnerships are a natural result of all the expressed commitment, and in this edition were increased up to Mozambique, particularly to the Maputo International Music Festival, maintaining the partnership with South Africa and Stellenbosch International Chamber Music Festival. The distinction of the Jury members also deserves to be highlighted and is, itself, a synonymous and an assurance of quality for the event. CIMCA calls to the town of Alcobaça great figures of chamber music universe and this direct contact with Art enriches us all without exception. In a world so troubled and fast as the one in which we live, art and culture have a place of undeniable importance. We must slow down and breathe, let ourselves be touched and enchanted by the simplicity and mastery of music, this universal form of communication and that is a gift given to mankind, thus we want to enjoy it. Alcobaça Give Place to Love, and to Music! Paulo Jorge Marques Inácio Mayor of the Municipality of Alcobaça

5


Mensagem do Diretor Quando Bartolomeu Dias em 1488 conseguiu dobrar o “Cabo da Boa Esperança”, muito mais que a esperança Portuguesa e Ocidental em chegar à Índia ficou ultrapassada. Foi o início da abertura de um canal marítimo que intensificou não só os intercâmbios comerciais, mas também as vivências humanas, culturais, sociais, e sobretudo a riqueza planetária do encontro entre as várias nações. Curiosamente, 500 anos mais tarde, parece ser este o mote que permite o arranque da quarta edição do CIMCA. Conseguida a primeira parceria Internacional em 2013, fomos à procura de mais. É um privilégio e uma honra poder repetir a colaboração com o Festival Internacional de Música de Câmara de Stellenbosch assim como apresentar a nova parceria que conseguimos com o Festival Internacional de Música de Maputo. África do Sul e Moçambique abraçam-nos historicamente de forma natural e surpreendente, é de louvar a aposta que fizeram na nossa parceria, um garante credível do nosso trabalho, que por grande convicção e arrojo contínuo nos permitiu aqui chegar. Reunimos uma vez mais, um júri de qualidade ímpar, experiente e de grande projeção que nos ajuda indelevelmente a atingir os patamares que ambicionamos. Estamos mais uma vez prontos para deixar fluir a Música, na sua vertente de Câmara em que nos enquadramos desde a primeira hora. Levamos mais esperança e expectativas aos participantes, e este é o nosso projeto principal. Celebrar a Música de Câmara, premiando o esforço, o talento e a criatividade. Instituído pela UNESCO, celebra-se em 2015 o “Ano Internacional da Luz”, acreditamos pois, que será este o ponto de viragem que trará a Boa Esperança em definitivo ao concurso que cresce em passo certo, rumo à conquista do seu lugar. António Rosa Diretor Artístico 6


Message from the Director When Bartolomeu Dias managed to cross in 1488 the “Cape of Good Hope”, it was much more than the hope of Portuguese and West to reach India that was overcome. It was the beginning of the opening of a sea channel that not only intensified commercial exchanges, but also human, cultural and social experiences, and especially the planetary richness of the encounter between the various nations. Interestingly, 500 years later, this seems to be the motto that allows the start of the fourth edition of CIMCA. Having achieved the first international partnership in 2013, we went looking for more. It is a privilege and an honor to repeat the collaboration with the Stellenbosch International Chamber Music Festival, as well to introduce a new partnership we managed with the Maputo International Music Festival. Historically, South Africa and Mozambique have always embraced us in an natural and surprising way, so is to praise the commitment they have made in our partnership, a credible guarantee of our work, that with great conviction and boldness continuum allowed us to get here. Once more, we meet a jury of unparalleled quality, with experience and great projection that helps us to achieve indelibly the levels we expect. We are once again ready to let the music flow, under the sign of Chamber where we fit in since our start. We bring more hope and expectations to the participants, and this is our main project. Celebrating the Chamber Music, rewarding effort, talent and creativity. Established by UNESCO, in 2015 it is celebrated the “International Year of Light”, so we believe that this will be the turning point that will bring definitely Good Hope to the competition that grows with right steps, towards the conquer of its place. António Rosa Artistic Director

7


8


Júri | Jury António Rosa

António Saiote

Jonathan Luxton

Luís Magalhães

Miquel Bernat

Vicente Chuaqui 9


Nasceu em Coimbra em 1977. Natural de Vestiaria (Alcobaça), estudou no Conservatório Nacional de Música de Lisboa, Escola Profissional de Música de Almada e é licenciado pela ESMAE, na classe do Professor António Saiote, onde lhe foi atribuído o Prémio Fundação Engenheiro António de Almeida (melhor aluno de cada instrumento em cada ano). Vencedor dos concursos Jovens Clarinetistas, Porto 2000, Marcos Romão dos Reis, Loures 2001, I.C.A., Estocolmo (Suécia) 2002 e Concurso Internacional de Clarinetes de Montroy, Valência (Espanha) 2003. Membro fundador do Quarteto de Clarinetes do Porto, Horizontes Trio, Marchen Trio, é Solista da Orquestra Nacional do Porto desde janeiro de 2002 e no corrente ano letivo Professor de Clarinete na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Porto. Lançou em janeiro de 2007 e março de 2012 os seus trabalhos discográficos – Projeto XXI – assente em obras de compositores Portugueses contemporâneos para Clarinete e Piano, com o pianista António Oliveira. Em outubro de 2007 obtiveram o prémio para o melhor grupo de Música de Câmara do Festival Internacional de Lleida, Espanha. Participou com o Projecto XXI em vários espetáculos em Portugal e Espanha e também no Congresso Internacional de Clarinetes como em Vancouver 2007, Canadá, Kansas City 2008, EUA. Empreendedor por natureza, criou em 2008 o projeto “Tempos de Vanguarda”, um conjunto de atividades culturais ligadas à música e às artes em geral, dando especial ênfase à performance ao vivo com artistas de grande qualidade, aos projetos educativos e a criação regular de novas obras e desafios a vários autores da atualidade. Mentor e Diretor Artístico do Concurso Internacional de Música de Câmara “Cidade de Alcobaça”.

10


António Rosa was born in Coimbra in 1977. Native of Vestiaria (Alcobaça), he studied at the Lisbon National Conservatory of Music, Almada Professional School of Music and he is a graduate of ESMAE under the guidance of professor António Saiote. He was awarded the Prize Foundation Engineer António de Almeida (best clarinet student of the year). António Rosa is a prize winner of Young Clarinetists Competition, Porto 2000, Marcos Romão dos Reis, Loures 2001, I.C.A., Stockholm (Sweden) 2002 and International Clarinet Competition of Montrov, Valencia (Spain) 2003. Founder of the Porto Clarinet Quartet, Horizontes Trio, Marchen Trio, he is soloist with the Oporto National Orchestra since 2002 and currently he is clarinet teacher at Oporto Superior School of Music and Performing Arts . In January 2007 and March 2012 he released his CD works – Projecto XXI – , with music by Contemporary Portuguese Composers for Clarinet and Piano, along with the pianist António Oliveira. In October 2007 they were awarded the Best Chamber Music Group prize at the International Music Festival of Lleida, Spain. He participated with the Projecto XXI at several shows in Portugal and Spain as well as in the ClarinetFests Vancouver 2007, Canada, and Kansas City 2008, USA. Entrepreneur by nature, António Rosa created the project “Tempos de Vanguarda”, a set of cultural events directed to music and arts in general, emphasizing live performances by high quality artists, educational projects and commission of new works to many living artists. Since the first edition, António Rosa is the Mentor and Artistic Director of the International Chamber Music Competition “Cidade de Alcobaça”.

António Rosa Presidente do Júri Diretor Artístico President of the Jury and Artistic Director 11


Nascido em Loures, Portugal, António Saiote é um artista e pedagogo reconhecido mundialmente. Foi solista na orquestra do Teatro Nacional de São Carlos, na Orquestra Régie Sinfonia, assim como membro do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa com Jorge Peixinho, durante 11 anos. Para além disso formou e inspirou vários grupos de música de câmara, tendo sido diretor dos Solistas do Porto. Foi solista convidado dos congressos mundiais em EUA, Bélgica, França, Suécia e Japão e atuou ou ensinou em mais de vinte Países da Ásia, Europa, América e África. Desde 1998 desenvolve paralelamente uma profícua carreira de maestro tendo dirigido várias vezes a Sinfónica Portuguesa, Orquestra Clássica do Porto, Filarmónica das Beiras, Orquestra Académica, ESMAE, Sinfónica de Zurique, Festival de Oviedo, Orquestra Nacional do Porto, Orquestra do Norte, Símon Bolívar, Orquestra da Comunidade de Madrid, Gran Mariscal Ayacucho, Orquestra do Teatro Municipal de Caracas, Maracay, San Felipe, Harmos Festival e Musicalta. Terminou um MPHIL em Direção de Orquestra, na Universidade de Sheffield. É diretor artístico do Festival e Academia de Guimarães. A convite de Sequeira Costa foi membro do júri do Prémio Viana da Mota, na sua 50ª edição. Membro do Júri nos prestigiados concursos de Varsóvia, Caracas, Kortrik, Gand, Brasília, Toulon, Constancia, Sevilha e presidente do Valentino Buchi em Roma. Colabora regularmente como pedagogo, solista e maestro com o Sistema Venezuelano de Orquestras Infantis e Juvenis. Foi assistente do Maestro Ivo Cruz na Orquestra Clássica do Porto. Em 2009 organizou o Congresso Mundial de Clarinetes do Porto. Atualmente é professor na ESMAE (Porto) e diretor artístico da orquestra sinfónica, assim como membro fundador da Ópera Norte. Em 2011, atuou na Costa Rica, em Oviedo e Madrid para os príncipes das Astúrias, Polónia, França, China, Peru, Venezuela e Brasil. Em 2012, estará na Polónia, França, Espanha, Colômbia, Venezuela, México e China.

12


Born in Loures, Portugal, António Saiote is a world renowned artist and educator. He was soloist in the orchestra of the São Carlos National Theater, in the Régie Symphony Orchestra, as well as a member of the Contemporary Music Group of Lisbon with Jorge Peixinho for 11 years. He also formed and inspired several chamber music groups, and was director of the Oporto Soloists. He was guest soloist at world congresses in USA, Belgium, France, Sweden and Japan and has performed or taught in over twenty countries in Asia, Europe, America and Africa. Since 1998 develops at the same time a fruitful conducting career having directed several times the Portuguese Symphony Orchestra, Oporto Classical Orchestra, Philharmonic of Beiras, Academic Orchestra, ESMAE, Zürich Symphony Orchestra, Oviedo Festival, Oporto National Orchestra, North Orchestra, Símon Bolívar, Madrid Community Orchestra , Gran Mariscal Ayacucho, Municipal Theatre Orchestra of Caracas, Maracay, San Felipe, Harmos Festival and Musicalta. Completed an MPhil in Orchestral Conducting at the University of Sheffield. He is the artistic director of the Guimarães Festival and Academy. By invitation of Sequeira Costa he was a jury member of the Viana da Mota Prize, at its 50th edition. Jury member in prestigious competitions of Warsaw, Caracas, Kortrik, Gand, Brasilia, Toulon, Constancia, Seville and president of Valentino Bucchi in Rome.

António Saiote

Works regularly as a pedagogue, soloist and conductor with the Venezuelan System of Youth and Children Orchestras. He was assistant of conductor Ivo Cruz in Oporto National Orchestra. In 2009 he organized the Clarinets World Congress of Oporto. He is currently a professor at ESMAE (Porto) and artistic director of the symphonic orchestra as well as a founding member of North Opera. In 2011, he performed in Costa Rica, in Oviedo and Madrid for the princes of Asturias, Poland, France, China, Peru, Venezuela and Brazil. In 2012, he will be in Poland, France, Spain, Colombia, Venezuela, Mexico and China.

ESMAE – Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo · Porto 13


Jonathan Luxton nasceu em Inglaterra em 1959. Começou a estudar a trompa aos doze anos de idade. Em 1976 iniciou estudos particulares com James Brown em Londres, ingressando na Royal Academy of Music no ano seguinte. Ainda aluno, foi Primeiro Trompa na Orquestra Juvenil da Comunidade Europeia, sob a direção de Claudio Abbado e Daniel Barenboim. Em 1981, Jonathan Luxton iniciou a sua carreira profissional, tendo tocado com a Orquestra Sinfónica de Londres, a City of Birmingham Symphony e a Royal Philharmonic Orchestra, entre outros. Participou também em concertos de música de câmara, no Festival de Edimburgo e em concertos organizados pela BBC. Desde 1984, Jonathan foi Primeiro Trompa Solista da Orquestra Gulbenkian, tendo-se apresentado como solista em varios digressões internacionais e gravações realizadas por esta orquestra. Também foi professor de trompa na Escola Superior de Música de Lisboa e membro do Quinteto de Sopros “Amadeus”, “Hot Brass de Portugal” e “Trompas do Tejo”.

14


Jonathan Luxton was born in Shaftesbury, Dorset, in 1959. At age 12 he began his music studies on the French Horn. Higher education was at the Royal Academy of Music where he was a student from 1977-81. During his student years, Jonathan played First Horn with the European Youth Orchestra and the Snape Maltings Training Orchestra, and subbed in the London Symphony Orchestra, City of Birmingham Symphony Orchestra and the Orchestra of the Royal Ballet, among others. On leaving the Royal Academy of Music Jonathan was Horn teacher for Kent Music School for three years, then in 1984 won the position of Principal Horn in the Gulbenkian Orchestra of Lisbon. During his thirty years in the Gulbenkian Orchestra, Jonathan was also Professor of Horn at the Escola Superior de MĂşsica de Lisboa, as well as a member of several chamber music groups including the Amadeus Wind Quintet, Hot Brass of Portugal and Trompas do Tejo.

Jonathan Luxton Orquestra Gulbenkian e Escola Superior de MĂşsica de Lisboa 15


Descrito como detentor de um “som maravilhosamente completo” (American Record Guide) e de uma “técnica polida e refinada” (AllMusic), o pianista Luís Magalhães, radicado em Stellenbosch, alcançou a aclamação da crítica tanto como solista e músico de câmara. Como uma das metades do duo Schumann-Magalhães, mais conhecido como TwoPianists, Luís Magalhães lançou ainda três CDs laudados pela crítica, prevendo-se um outro que será lançado em breve em meados de 2015. Esta colaboração com a sua esposa, Nina Schumann, foi comparada aos duos Ashkenazy-Previn e Argerich-Freire (American Record Guide). Luís Magalhães foi agraciado com o grau Doutor em Música pela Universidade da Cidade do Cabo em 2011, e atualmente ocupa uma cadeira na Universidade de Stellenbosch. Luís Magalhães também tem orientado inúmeras Masterclasses, incluindo aulas na lendária Juilliard School de Nova Iorque e em diversas universidades de toda a Europa, Ásia e Estados Unidos. Como pianista experimentado e educador, Luís Magalhães tem igualmente participado no júri de vários concursos de piano, incluindo a prestigiada Competição Internacional de Piano para Jovens Músicos Tchaikovsky. Luís Magalhães é um Artista Internacional Yamaha.

16


Described as possessing a “wonderfully full sound” (American Record Guide) and a “polished, refined technique” (AllMusic), Stellenbosch-based pianist Luís Magalhães has achieved critical acclaim as both a soloist and a chamber musician. As one half of the Schumann-Magalhães duo, better known as TwoPianists, Luís has also released a further three critically acclaimed CDs, with another soon to be released mid 2015. This collaboration with his wife, Nina Schumann, has been compared to the duos of Ashkenazy-Previn and Argerich-Freire (American Record Guide). Luís was awarded a DMus from the University of Cape Town in 2011, and currently holds a Professorship at the Stellenbosch University. Luís has also given extensive masterclass tuition including lessons at New York’s fabled Juilliard School and numerous universities across Europe, Asia and the United States. As an expert pianist and educator, Luís has also served in the jury of several piano competitions including the prestigious Tchaikovsky International Piano Competition for Young Musicians. Luís is a Yamaha International Artist.

Luís Magalhães Universidade de Stellenbosch · África do Sul 17


Miquel Bernat, percussionista, é um dos maiores dinamizadores da cena internacional, contribuindo fortemente para a divulgação e solidificação da percussão, abrangendo no seu trabalho os mais diversos tipos de música que vai desde o erudito, experimental com eletrónica até ao meio popular e vernacular interagindo com diversas áreas artísticas. Estudou nos conservatórios de Valência, Madrid, Bruxelas e Roterdão e frequentou o Aspen Summer Music Course em USA. Foi laureado com o “Prémio Extraordinário Final de Curso” dos conservatórios de Madrid e de Bruxelas, o Prémio Especial no Gaudeamus na Holanda em 1993, bem como o segundo prémio do Aspen Nakamichi Competition (EUA). Músico de grande versatilidade, tocou na Orquestra Ciutat de Barcelona e Royal Concertgebouw Orchestra de Amesterdão. Foi membro do Duo Contemporain de Roterdão e fundador do Ictus Ensemble de Bruxelas, com o qual tem vindo a fazer variados espetáculos (em alguns deles tocando como solista) com a coreógrafa A. T. de Keesrmaeker da Cia. Rosas. Solista em incontáveis recitais por todo o mundo, destacamos as estreias mundiais dos Concertos de Percussão de David del Puerto, César Camarero, Luis de Pablo, Mauricio Sotelo e Joan Guinjoan, como solista com a Orquesta de Cadaqués (Espanha), Orquestra Nacional do Porto, Orquesta de la Comunidad de Madrid, Orquesta Sinfónica de Murcia, Orquesta de la Radio Television Española (RTVE), Borusan Orchestra de Istambul (Turquia), Cyprus Symphony Orchestra (Chipre), MusikFabrik (Aemanha), Remix Ensemble (Portugal), etc. Estreia no IRCAM/Centre George Pompidou de Paris, “Mantis Walk in a Metal Space” de Javier Alvarez, primeiro concerto mundial de Steel Drums com o Ictus Ensemble e destaca-se a sua participação como solista junto ao conceituado barítono Spyros Sakkas na música cénica “Oresteia” de Iannis Xenakis em festivais como Radio France de Montpellier, Estambul Festival, Cyprus Festival, Auditorio Nacional de Madrid etc. A sua carreira como pedagogo passa como professor nos Conser18

vatórios de Música de Roterdão e Bruxelas. Seguidamente cria o primeiro curso superior de Percussão de Portugal (ESMAE) do Porto. É também professor na ESMUC de Barcelona. Tem sido convidado como professor nos International “Summer Course for New Music” de Darmstadt, no “El Sistema de Orquestras de Venezuela” (FESNOJIV), no Instrumenta de Oaxaca, e em CIVEBRA de Brasília e UNICAMP de Campinas. Funda no Porto o Drumming-GP, um dos grupos de percussão mais dinâmicos da cena e crítica internacional e residente do Porto 2001-Capital Europeia da Cultura. Encontra-se a criar uma coleção de Estudos de Concerto para Marimba em estreita colaboração com compositores conceituados, que publicará em 2015 na Editorial “Tritó” de Barcelona. Miquel Bernat é um apaixonado pela criação atual, assim como, um dos exponentes mais comprometidos com a expansão da arte da percussão.

Miquel Bernat, percussionist, is one of the major driving forces behind the international scene, contributing greatly to the spread and consolidation of percussion, including his work in the most diverse types of music ranging from classical, experimental with electronics to the popular and vernacular universe interacting with various artistic fields. He studied at the conservatories of Valencia, Madrid, Brussels and Rotterdam and attended the Aspen Summer Music Course in USA. He was awarded with the “Final Course Special Prix” at conservatories in Madrid and Brussels, the Gaudeamus Special Prize in the Netherlands in 1993, as well the second prize of Aspen Nakamichi Competition (USA). Musician of great versatility, he played in Orquestra Ciutat de Barcelona and Royal Concertgebouw Orchestra of Amsterdam. He was a member of Rotterdam Contemporain Duo and founder of the >


> Ictus Ensemble Brussels, with which it has been playing in various shows (in some of them as a soloist) with choreographer A.T. de Keersmaeker of Rosas company. Soloist in countless recitals around the world, we highlight the world premieres of David del Puerto Percussion Concerts, César Camarero, Luis de Pablo, Mauricio Sotelo and Joan Guinjoan, as a soloist with the Orquesta de Cadaqués (Spain), the Oporto National Orchestra , Orquesta de la Comunidad de Madrid, Orquesta Sinfónica de Murcia, Orquesta de la Radio Television Española (RTVE), Borusan Orchestra of Istanbul (Turkey), Cyprus Symphony Orchestra (Cyprus), MusikFabrik (Germany), Remix Ensemble (Portugal), etc. Debuts at IRCAM/Centre George Pompidou in Paris, “Mantis Walk in a Metal Space” by Javier Alvarez, the first world concert of Steel Drums with the Ictus Ensemble and we highlight his participation as a soloist with the renowned baritone Spyros Sakkas in scenic music “Oresteia” by Iannis Xenakis at festivals as Radio France of Montpellier, Istanbul Festival, Cyprus Festival, Auditorio Nacional de Madrid, etc. In his career as an educator we find him as a teacher at the Conservatories of Music in Rotterdam and Brussels. Then he creates the first Percussion degree in Portugal (ESMAE) at Oporto. He is also a teacher at ESMUC of Barcelona. He has been invited as a teacher at the International “Summer Course for New Music” of Darmstadt’, “El Sistema de Orquestras de Venezuela” (FESNOJIV), Oaxaca Instrumenta, and at CIVEBRA of Brasilia and Campinas UNICAMP.

Miquel Bernat Drumming, ESMAE e ESMUC · Barcelona

Founds Drumming GP at Oporto, one of the most dynamic and acclaimed percussion groups of the scene, and resident in Oporto 2001 – European Capital of Culture. He is currently creating a Concert Studies collection for Marimba in close colaboration with renowned composers, which will publish in 2015 on Editorial “Tritó” of Barcelona. Miquel Bernat is a passionate of current creation, as well as one of the most committed exponents to the expansion of art percussion. 19


Natural de Santiago do Chile, Vicente Rosas Chuaqui iniciou os seus estudos de violoncelo aos seis anos de idade no Instituto de Música da Universidade Católica do Chile, com Roberto González Lefebvre. Paralelamente, trabalhou também, sob a orientação de Janos Starker, Bernhard Michelin e Boris Pergamenchikov, tendo-se estreado como solista aos 12 anos, com a Orquestra de Câmara da Universidade Católica do Chile. Em 1986, foi admitido como aluno no Conservatório Tchaikovsky de Moscovo, na classe de Natalia Shakhovskaya. Seguiu desde então o seu percurso solístico, tendo sido convidado para tocar a solo com diversas orquestras, tais como a Orquestra de Santo Domingo, a Orquestra Pro-Música do Chile, a Orquestra do Conservatório de Moscovo, a Orquestra Clássica do Porto, Orquestra Sinfónica Casa da Música, Orquestra do Ministério da Educação do Chile e Orquestra Rádio Televisão Espanhola. Apresentou-se em recitais a solo e música de câmara em diversas cidades do Chile, Rússia, Alemanha, Espanha, Suécia e Portugal. Tem também desenvolvido uma intensa atividade pedagógica, sendo regularmente convidado a orientar Masterclasses em Portugal e no estrangeiro. Atualmente é professor de violoncelo no Conservatório de Música do Porto e chefe de naipe Solista da Orquestra Sinfónica Casa da Música.

20


Born in Santiago, Chile, Vicente Rosas Chuaqui began her cello studies at the age of six at the Music Institute of the Catholic University of Chile, with Roberto González Lefebvre. At the same time, he also worked under the guidance of Janos Starker, Boris Bernhard Michelin and Pergamenchikov, having debuted as a soloist at the age of 12, with the Chamber Orchestra of the Catholic University of Chile. In 1986 he was admitted as a student at the Tchaikovsky Moscow Conservatory, in the class of Natalia Shakhovskaya. Since the, he followed his solo career, having been invited to play solo with various orchestras such as the Santo Domingo Orchestra, Pro-Music Orchestra of Chile, Moscow Conservatory Orchestra, Oporto Classical Orchestra, Casa da Música Symphony Orchestra, Ministry of Education of Chile Orchestra and Spanish Radio Television Orchestra. He has performed in solo recitals and chamber music at various cities in Chile, Russia, Germany, Spain, Sweden and Portugal. He has also developed an intense teaching activity, being regularly invited to direct Masterclasses in Portugal and abroad. He is currently professor of cello at the Oporto Conservatory of Music and soloist Chief suit in Casa da Música Symphony Orchestra.

Vicente Chuaqui Conservatório de Música do Porto 21


<30 23


Categoria Sénior | Senior Category Grupos que não excedam em média os 30 anos de idade Ensembles that do not exceed the age of 30 years old in average

24

Caravela QM

Duo Piaolin

Quinteto de Metais | Brass Quintet Portugal

Duo de Violino e Piano | Violin and Piano Duo Coreia do Sul | South Korea

Duo em Fuga

Duo Oliveira Cernadas

Duo de Flauta e Guitarra | Flute and Guitar Duo Portugal & Espanha | Portugal & Spain

Duo de Pianos | Piano Duo Portugal

Duo L

Duo Shalamov

Duo de Violoncelo e Piano | Cello and Piano Duo Coreia do Sul | South Korea

Duo de Pianos | Piano Duo Rússia & Bulgária | Russia & Bulgaria


Duo Suggia

SforzanDuo

Duo de Violoncelo e Piano | Cello and Piano Duo Portugal e Irlanda do Norte | Portugal & Northern Ireland

Duo de Percuss茫o | Percussion Duo Portugal

InTrio

Trio Tarantella

Trio de Clarinete, Viola e Piano | Clarinet, Viola and Piano Trio Portugal

Trio de Flauta, Clarinete e Piano | Flute, Clarinet and Piano Trio Portugal

MagDus Duo Duo de Saxofone e Piano | Saxophone and Piano Duo Pol贸nia | Poland 25


Caravela Quinteto de Metais

Ricardo Vitorino trompete

Jorge Pereira trompete

Ricardo Conde

trompa

Pedro Silva trombone

Elmano Pereira tuba

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Victor EWALD (1860-1935) Quinteto para metais nº 4 em Lá bemol maior I. Allegro commodo

António VICTORINO D’ALMEIDA (1940-) In Memoriam, op. 105

Eric ERWAZEN (1954-) Frost Fire, para quinteto de metais

26

Victor EWALD (1860-1935) Quinteto para metais nº 4 em Lá bemol maior III. Andantino IV. Allegro com brio

PORTUGAL


Duo em Fuga

PORTUGAL & ESPANHA | PORTUGAL & SPAIN

Luciana Silva flauta

Roberto García guitarra

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Otto SIEGL (1896-1978) Sonata para flauta e guitarra

António VICTORINO D’ALMEIDA (1940-) D. João e Máscara, poema para flauta e guitarra, op. 80

Salvador BROTONS (1959-) Três divertimentos para flauta e guitarra, op. 68 I. Molto allegro

Astor PIAZZOLLA (1921-1992) História do Tango, para flauta e guitarra Mauro GIULIANI (1781-1829) Grande duo Concertante para flauta e guitarra, op. 85 I. Allegro Maestoso

27


Duo L

COREIA DO SUL | SOUTH KOREA

Seung Won Lee piano

Kyeong Jin Lee violoncelo

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

David POPPER (1843-1913) Dança dos Elfos, op. 39

Sergei RACHMANINOFF (1873-1943) Sonata para violoncelo e piano em Sol menor, op. 19 I. Lento – Allegro moderato II. Allegro scherzando

Ludwig van BEETHOVEN (1770-1827) Sonata para violoncelo e piano nº 3 em Lá maior, op. 69 III. Adagio cantabile – Allegro vivace

28

Cândido LIMA (1939-) Sonata - sobre temas medievais


Duo Piaolin

COREIA DO SUL | SOUTH KOREA

Shinhae Yu violino

MiHyang Yu piano

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Wolfgang A. MOZART (1756-1791) Sonata para violino e piano nº 26 em Si bemol maior, K. 378 I. Allegro moderato

Dmitri CHOSTAKOVITCH (1906-1975) Sonata para violino e piano, op. 134 I. Andante II. Allegretto III. Largo. Andante. Largo

Witold LUTOSŁAWSKI (1913-1994) Subito, para violino e piano

Luís de FREITAS BRANCO (1890-1955) Sonata para violino e piano nº 2 I. Allegreto

29


Duo Oliveira Cernadas

PORTUGAL

Catarina Real Oliveira piano

Nuno Cernadas piano

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Fernando LOPES-GRAÇA (1906-1994) Melodias Rústica Portuguesas, caderno III II. Este ladrão novo … VII. A Virgem se confessou IV. S’nhora da Póvoa

Dmitri CHOSTAKOVITCH (1906-1975) Concertino para dois pianos, op. 94

J. Almeida PRADO (1943-2010) Livro de Ogum, para dois pianos

30

Piotr I. TCHAIKOVSKI (1840-1893) Suite do bailado O Quebra-Nozes (arr. para dois pianos de N. Economou)


Duo Shalamov

RÚSSIA & BULGÁRIA | RUSSIA & BULGARIA

Nikolay Shalamov piano

Alina Shalamova piano

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Jan Ladislav DUSSEK (1760-1812) Grande sonata para piano a 4 mãos, op. 48 I. Allegro

Franz SCHUBERT (1797-1828) Divertimento sobre motivos originais franceses para piano a 4 mãos, D. 823 II. Andantino varié

Dmitri CHOSTAKOVITCH (1906-1975) Concertino para dois pianos, op. 94

Paul HINDEMITH (1895-1963) Sonata para dois pianos I. Glockenspiel: Maestoso II. Allegro III. Kanon: Lento IV. Recitativ eines altenglischen: A piacere V. Fugue: Moderato António VICTORINO D’ALMEIDA (1940-) Balada para uma criança que vai nascer, para piano a 4 mãos 31


Duo Suggia

PORTUGAL E IRLANDA DO NORTE | PORTUGAL & NORTHERN IRELAND

Alisa Liubarskaya violoncelo

Manuel Beja Santos piano

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Ludwig van BEETHOVEN (1770-1827) Sonata para violoncelo e piano nº 3 em Lá maior, op. 69 I. Allegro ma non tanto

César FRANCK (1822-1890) Sonata para violino e piano em Lá maior (arr. para violoncelo e piano de Delsart, ed. Casadesus /Rose) I. Allegretto ben moderato II. Allegro III. Ben moderato: Recitative-Fantasia IV. Allegretto poco mosso

Sergei PROKOFIEFF (1891-1953) Sonata para violoncelo e piano em Dó maior, op. 119 II. Moderato

Fernando LOPES-GRAÇA (1906-1994) Três Canções Populares Portuguesas I. Senhora da Encarnação II. Ó, Ó, Menino, Ó (embalo) III. Senhora do Almurtão

32


InTrio

PORTUGAL

José Pinto clarinete

Ana Campos viola

João Almeida piano

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Robert SCHUMANN (1810-1856) Märchenerzählungen (Contos de Fadas), Op.132 IV. Lebhaft, sehr markirt

Max BRUCH (1838-1920) Oito peças para clarinete, viola e piano, op. 83

Joly Braga SANTOS (1924-1988) Aria a tre com variazione, op. 62

33


MagDus duo

POLÓNIA | POLAND

Magdalena Wojciechowska piano

Bartłomiej Dus saxofone

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Johannes BRAHMS (1833-1897) Sonata para clarinete e piano nº 2 em Mi bemol maior, op. 120 nº 2 (versão para saxofone alto e piano) I. Allegro amabile

Telmo MARQUES (1963) Sonata in Acrylic, para clarinete e piano (versão para saxofone soprano e piano) I. Allegro Risoluto II. Andante III. Adagio

Sergei PROKOFIEFF (1891-1953) Sonata para flauta e piano em Ré maior, op. 94 (versão para saxofone soprano e piano) II. Scherzo

34

William ALBRIGHT (1944-1998) Sonata para saxofone alto e piano I. Two-Part Invention II. La folia Nuova: A Lament for George Cacioppo III. Scherzo “Will of Wisp” IV. Recitative and Dance


Sforzanduo

PORTUGAL

Tomás Moital percussão

Miguel Filipe percussão

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Anna IGNATOWICZ (1968-) Passacaglia para marimba e vibrafone

Alejandro VIÑAO (1951-) Book of Grooves, para duas marimbas

Philippe MANOURY (1952-) Le Livre des Claviers II. Duo de marimbas

Cláudio CRUZ (1982-) Mare

35


Trio Tarantella

PORTUGAL

Tiago Canto

flauta

Susana Valente

Clarinete

Pedro Ramos piano

36

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Sérgio AZEVEDO (1968-) Cinco borboletas para Olga I. Inquieto III. Tarantela V. Alla Danza

Maurice EMMANUEL (1862-1938) Sonata para clarinete, flauta e piano, op. 11

Camille SAINT-SAËNS (1835-1921) Tarantella, op. 6

Guillaume CONNESSON (1970-) Techno-Parade para flauta, clarinete e piano

Jacques IBERT (1890-1962) Ária para piano, flauta e clarinete


<20 37


38


Categoria Júnior | Junior Category Grupos que não excedam em média os 20 anos de idade Ensembles that do not exceed the age of 20 years old in average

Face Two Phase

RisolutoQuintet

Duo de Percussão | Percussion Duo Espanha | Spain

Quinteto de Flauta, Clarinete, Oboé, Trompa e Fagote | Flute, Clarinet, Oboe, Horn and Bassoon Quintet Portugal

Frater Duo Duo de Eufónio e Marimba/Vibrafone | Euphonium and Marimba/Vibraphone Duo Portugal

Spiritus Virtutis Duo Duo de Flauta e Harpa | Flute and Harp Duo Portugal

Quarteto Werther

TianoPrio

Quarteto de Violino, Viola, Violoncelo e Piano | Violin, Viola, Cello and Piano Quartet Portugal & Brasil | Portugal & Brazil

Trio de Violino, Violoncelo e Piano | Violin, Cello and Piano Trio Portugal 39


Face Two Phase

ESPANHA | SPAIN

Julián Enciso Izquierdo percussão

Joan PérezVillegas Morey percussão

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Steve REICH (1936-) Nagoya Marimbas

Johann S. BACH (1685-1750) Prelúdio e Fuga nº 2 em Dó menor, BWV 847, de O Cravo Bem Temperado (versão para duas marimbas) I. Prelúdio

Maurice RAVEL (1875-1937) Alborada del Gracioso (arr. para duas marimbas por Savery/ Friis)

Paulo BASTOS (1967-) Urban Walk, para duas marimbas Anders KOPPEL (1947-) Toccata para vibrafone e marimba

40


Frater Duo

PORTUGAL

Inês Luzio eufónio

Rodrigo Marques percussão

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Nathan DAUGHTREY (1975-) Spitfire, dueto para eufónio e percussão

David MASLANKA (1943-) Song Book, para saxofone alto e marimba (versão para eufónio e marimba)

Fernando LOPES-GRAÇA (1906-1994) Melodias Rústica Portuguesas, caderno IV (arr. para eufónio e percussão de Luzio) I. Oração do pobrezinho III. Carvalhesa

Filipe RAPOSO (1979-) Escape, para tuba e piano

41


Quarteto Werther

PORTUGAL & BRASIL | PORTUGAL & BRAZIL

Lucas Freitas

violino

Miguel Sobrinho viola

Maria Nabeiro violoncelo

Tiago Rosário

piano

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Anne VICTORINO D’ALMEIDA (1978-) Quarteto com Piano

Johannes BRAHMS (1833-1897) Quarteto para violino, viola, violoncelo e piano nº 3 em Dó menor, op. 60 I. Allegro non troppo IV. Finale. Allegro comodo

Antonín DVORÁK (1841-1904) Quarteto para violino, viola, violoncelo e piano nº 2 em Mi bemol maior, op. 87 IV. Finale: Allegro ma non troppo

42


RisolutoQuintet

PORTUGAL

Beatriz Baião flauta

Martín Costas oboé

Vítor Fernandes clarinete

Francisco Martins fagote

Edna Fernandes trompa

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Paul HINDEMITH (1895-1963) Kleine Kammermusik para quinteto de sopros, op. 24 nº 2 I. Lustig. Mässig schnelle Viertel

Paul TAFFANEL (1844-1908) Quinteto para instrumentos de sopro II. Andante

Joly BRAGA SANTOS (1924-1988) Adagio e Scherzino

Carl NIELSEN (1865-1931) Quinteto para flauta, oboé, clarinete, trompa e fagote, op. 43 I. Allegro bem moderato II. Menuet III. Prelude – Tema con variazioni

43


Spiritus Virtutis Duo

PORTUGAL

Catarina Rebelo

harpa

Ricardo Carvalho

flauta transversal

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Jean-Baptiste KRUMPHOLZ (1742-1790) Sonata para flauta e harpa em Fá maior, op. 8 nº 5 III. Tempo di minueto (en Rondo)

João D. BOMTEMPO (1775-1842) Sonata para violino e piano em Sol maior, op. 18 nº 1 (arr. para flauta e harpa de Dias) I. Allegro moderato (cantabile)

Astor PIAZZOLLA (1921-1992) História do Tango, para flauta e guitarra (arr. para flauta e harpa de Vehmanen) I. Bordel 1900

44

Camille SAINT-SAËNS (1835-1921) Fantasia para violino e harpa, op. 124 (versão para flauta e harpa)


TianoPrio

PORTUGAL

Jaime Lourenço Jacob violino

Pedro Massarrão violoncelo

Alexander Stretile piano

Prova Eliminatória | Eliminatory Round

Prova Final | Final

Ludwig van BEETHOVEN (1770-1827) Trio para violino, violoncelo e piano nº3 em Dó menor, op. 3 nº 1 III. Menuetto. Quasi Allegro

Franz SCHUBERT (1797-1828) Trio para violino, violoncelo e piano nº 2 em Mi bemol maior, D. 929 II. Andante com moto

Anton ARENSKY (1861-1906) Trio para violino, violoncelo e piano nº 1 em Ré menor, op. 32 I. Allegro moderato

Felix MENDELSSOHN (1809-1847) Trio para violino, violoncelo e piano nº 1 em Ré menor, op. 49 I. Molto Allegro agitato


Ficha Técnica Diretor Artístico António Rosa Diretor Executivo Rui Morais Diretora de Produção Susana Martins Diretor Técnico João Ribeiro Diretor de Comunicação David Mariano Consultoria Financeira Eduardo Nogueira Design Gráfico www.velcrodesign.com Impressão Arte Ataca


47


48

Catálogo \\ CIMCA 2015 \\ 22 a 27 de março  

Catálogo do IV Concurso Internacional de Música de Câmara "Cidade de Alcobaça" que decorrerá no Cine-Teatro de Alcobaça - João d'Oliva Monte...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you