Page 1

E S PA Ç O Q U A L I D A D E

PROCESSO DE MARKETING ESTRATÉGICO - PARE PARA PENSAR. PARE PARA AGIR. DEIXE PARA QUEM SABE. São tantas as expectativas que se depositam nessas coisas do “marketing e das publicidades”. São tantas as dificuldades que se deparam neste universo tão vasto, competitivo e dinâmico das teorias de marketing. São tantas as opiniões de pessoas dos mais diversos sectores de actividade, com as mais diversas competências. Mas curiosamente, são tantas as asneiras que se cometem. São tantos os erros estratégicos de marketing que se fazem. É tanto o dinheiro verdadeiramente gasto e nunca investido em acções ditas de marketing, mas que sinceramente, ou não levam a lado nenhum, ou levam a empresa para locais escuros, caminhos penosos e prejuízos avultados.

tarem clientes, fazem almoços de negócios onde só discutem um negócio isolado. Mas também aqueles que gostam muito de aparecer em revistas, em press releases, em websites institucionais. Outros que gostam de oferecer brindes e presentes de Natal. Outros ainda que acham mesmo a televisão o máximo; se pudessem, faziam anúncios intermináveis em televisão. Conheço outros empresários que, por venderem máquinas, acreditam que não precisam de pessoas. Tudo isto e muito mais porque “acham” que é o ideal e o melhor para a empresa, e porque, “nestas coisas dos marketings”, eles já fizeram muito e percebem alguma coisa.

Nos dias de hoje, com as dificuldades do mercado, por limitações nos processos de decisão, entre muitas outras razões, não existe justificação para investimentos (gastos) que não têm qualquer retorno. Não são, de forma alguma, aceites a ignorância ou a estupidez quanto aos investimentos nesta área tão importante das empresas. Há uns anos atrás, fui a uma apresentação de uma instituição de ensino, onde tinham sido convidadas ilustres personalidades dos mais diversos sectores da sociedade. Ouvi coisas muito úteis, mas ouvi um comentário que nunca me saiu da cabeça: “Essas coisas do marketing ou propaganda, que, para mim, são exactamente a mesma coisa”. Ora, isto foi o culminar da minha intolerância para com a falta de consciência, a falta de competência ou a falta de inteligência de muitos dos intervenientes na nossa sociedade.

Caramba, se não são financeiros, não vos vejo a meterem-se na analítica. Se não são engenheiros, não vos vejo a meterem-se na produção ou em ID. Se não são comerciais, não vos vejo a lidarem directamente com os clientes. Mas todos, sem excepção, “acham” que podem e devem interferir, com carácter decisivo, determinante e final no processo de marketing. É evidente que são muitos os casos de sucesso que partem de profissionais de diferentes áreas de competências, que catapultam as empresas para estados de graça nunca alcançados. Mas essas são as excepções que confirmam a regra. Se queremos empresas magras; se queremos empresas saudáveis; se queremos empresas rentáveis a trabalhar em mercados promissores; se queremos tudo isto, temos de obedecer a um conjunto de processos, procedimentos, regras e pressupostos que nos ajudem a organizar, planear, desenvolver e controlar cada uma das nossas tarefas, funções, obrigações.

Pedro Sanches Silva pedromiguelsanches@gmail.com

Meus senhores, se eu não sei, compro o conhecimento. Se não sei fazer, pago a quem sabe. Se quero fazer asneiras, devo pensar seriamente se não as devo fazer sozinho. Se quero gastar dinheiro, então que o faça em coisas que me dão prazer e não em coisas que me podem tirar, a curto prazo, rendimentos.

A POLÍTICA DO “ACHÓMETRO” Conheço empresários que acham que para conseguir clientes têm de colocar muitos outdoors na rua. Conheço empresários que, para conquis-

[20] robótica

Consultor e empresário.

Processo de marketing estratégico - pare para pensar. Pare para agir. Deixe para quem sabe.  

Autor: Pedro Sanches Silva; Revista: robótica nº83

Processo de marketing estratégico - pare para pensar. Pare para agir. Deixe para quem sabe.  

Autor: Pedro Sanches Silva; Revista: robótica nº83

Advertisement