Page 1

INFORMAÇÃO TÉCNICO-COMERCIAL Nicole Wittmann, A&D Mathis Bayerdörfer, A&D HARTING Ibéria, S.A. Tel.: +34 933 638 484 · Fax: +34 933 638 469 es@harting.com· www.harting.es

FUNCIONAL E FLEXÍVEL Um conector utilizado na produção industrial deverá cumprir diversos requisitos. A Harting cumpre todos esses requisitos com Han-Yellock®.

As exigências relativamente aos conectores industriais são muito elevadas: têm de ser duradouros e fiáveis, mas também fáceis de manipular. Dependendo da sua aplicação, o conector tem de ser individualmente adaptável às necessidades do cliente. Uma gama de requisitos que a Harting cumpre integralmente com um só produto: o Han-Yellock®. O design deste conector possui um papel preponderante.

o alojamento de montagem esteja concebido para montagem frontal, os módulos Han-Yellock ® e os isoladores podem ser encaixados tanto no lado do contacto como no lado de ligação. Agora nada impede a pré-montagem do isolador e o subsequente encaixe no seu respectivo alojamento dentro do compartimento do armário de controlo ou da máquina.

O Han-Yellock ® foi concebido para ser instalado em ambos os lados, tanto do lado da máquina como do lado do cabo, permitindo, dessa forma, a sua adaptação a todas os requisitos exigidos em qualquer momento. Até agora, o conector determinava a sequência de montagem. O Han-Yellock® oferece uma maior flexibilidade porque, mesmo que

A montagem do conector é também muito flexível. Os anteriores produtos restringiam a liberdade de montagem, dado que os encaixes do contacto quase sempre tinham de ser inseridos no alojamento do lado do conector. No entanto, ao montar o armário de controlo, é necessário trabalhar tanto dentro como fora do armário. Desta forma, é necessário estar constantemente a andar para trás e para a frente com as interfaces. Com o Han-Yellock®, os adaptadores podem funcionar exclusivamente de um lado. Não são necessárias ferramentas especiais para montar o conector. Todo o trabalho pode ser realizado manualmente. O engenheiro de serviço que posteriormente modificar o conector encontrará a ferramenta de desmontagem no próprio conector Han-Yellock®. Trata-se de uma ferramenta plástica em forma de garfo usada para curvar molas de fechadura lateralmente. Esta ferramenta plástica em forma de garfo está fixada ao elemento de suporte do lado do cabo e fica ocultada pelo conector quando este é instalado. O Han-Yellock® consiste numa caixa de mecanismos, montada numa divisória no lado do alojamento e uma tampa de suporte com cobertura do lado do cabo. Há duas opções para fixar a caixa de mecanismos montada no alojamento. São utilizadas peças de metal para a montagem nos painéis de instrumentos de até 4 mm de espessura. A vantagem destas “âncoras metálicas” é que a caixa de dispositivos pode ser fixada ao painel do dispositivo no lado do contacto através de quatro pontos de fixação e depois aparafusada no mesmo lado. A instalação é muito mais rápida do que se forem utilizadas porcas. O segundo método de ligação utiliza parafusos roscados M4 e é aplicado, por exemplo, em instalações de revestimentos robustos para fixações standard. Ambos os tipos de fixação beneficiam da flange vedante IP 67 da Han-Yellock ®, que cobre igualmente os orifícios e parafusos de fixação. Os parafusos de fixação não necessitam de discos vedantes separados.

Figura 1 · O Han-Yellock® consiste numa caixa de mecanismos montada no lado do alojamento e uma tampa de suporte com cobertura no lado do cabo.

Comparada com a variante rectangular, a forma mais arredondada do conector parece limitar o espaço de cablagem. O volume é quase idêntico; no entanto, em qualquer dos casos, o espaço necessário para a cablagem é menor. Em comparação com os designs anteriores, tem de ser empurrado um menor número de condutores individuais para dentro da caixa de dispositivos. UREËWLFD [85]


PUB

INFORMAĂ‡ĂƒO TÉCNICO-COMERCIAL

Por isso ĂŠ que um cabo conector era ligado directamente Ă abertura do armĂĄrio de controlo ou do alojamento. Esta opção de acoplagem por ambos os lados torna mais fĂĄcil ao utilizador trabalhar com linhas prĂŠinstaladas, o que reduz a quantidade de trabalho no local. O processo de trabalho ĂŠ transferido da concepção do armĂĄrio de controlo para a concepção do cabo, que poderĂĄ tambĂŠm ser executado pelo fornecedor do serviço. Com o Han-YellockÂŽ, as inserçþes dos contactos podem ser introduzidas de forma fĂĄcil no respectivo alojamento de ambos os lados. Com os conectores convencionais, a ligação apenas pode ser efectuada do lado do contacto e gera uma quantidade de trabalho adicional, que ĂŠ considerĂĄvel quando se pretende montar armĂĄrios de controlo. Com o nosso novo sistema ĂŠ possĂ­vel dispĂ´r das interfaces ligadas e em funcionamento de ambos os lados e o instalador poderĂĄ escolher a forma mais conveniente. A&D: Qual a gama de inserçþes que o Han-YellockÂŽ abarca? Frank Quast: Relativamente aos nossos utilizadores, nĂŁo existem praticamente limitaçþes em termos de montagem, pois estĂĄ disponĂ­vel uma ampla variedade de inserçþes para o novo sistema de conectores. Por exemplo, toda a famĂ­lia de inserçþes modulares da Han-YellockÂŽ pode ser utilizada em combinação com uma estrutura adaptadora. A gama de produtos abarca uma vasta gama de correntes, inclusivamente diversas inserçþes para dados, cabos de ďŹ bra Ăłptica e atĂŠ mesmo soluçþes para outros tipos de meios, como, por exemplo, linhas pneumĂĄticas. Outra possibilidade ĂŠ direccionada para a mĂĄxima densidade de contacto. Os contactos de uma peça de inserçþes monobloco sĂŁo muito mais pequenos do que os antigos, embora muito robustos. O especial destaque dos novos mĂłdulos Han-YellockÂŽ ĂŠ que tambĂŠm podem efectuar a multiplicação de potencial. A&D: Esta função nĂŁo era jĂĄ desempenhada tradicionalmente? Frank Quast: Com a nossa nova solução, a multiplicação de potencial ĂŠ transferida do bloco terminal para o conector. Esta função do terminal permite substituir pontes simples no armĂĄrio de controlo e, desta forma, reduzir as suas dimensĂľes e a complexidade da cablagem. Estas inovaçþes tecnolĂłgicas nĂŁo eram possĂ­veis com as anteriores sĂŠries de conectores Han. Por tudo isto, criĂĄmos uma solução completamente nova, que, Ă  semelhança das nossas anteriores sĂŠries de conectores, foi concebida para se adaptar ao mercado atravĂŠs da sua funcionalidade e design. NĂŁo tenho a menor dĂşvida de que, mais tarde ou mais cedo, os nossos concorrentes tambĂŠm passarĂŁo a oferecer uma solução similar, mas nĂłs criĂĄmos a tendĂŞncia, e este ĂŠ o lema da Harting como marca. A&D: Portanto, o que se seguirĂĄ? No futuro, como serĂĄ desenvolvida esta nova solução? Andre Beneke: Numa prĂłxima fase, serĂĄ produzida uma versĂŁo mais ampla do conector. Esta nova versĂŁo serĂĄ lançada oďŹ cialmente no ďŹ nal do VerĂŁo. Adicionalmente, o novo conceito oferece vĂĄrias abordagens para desenvolver a gama. Este conceito foi conďŹ rmado com base na substancial quantidade de informação que recebemos dos nossos clientes desde que a solução de conector Han-YellockÂŽ foi apresentada na Hannover Messe de 2010. Abrange desde outros designs e tamanhos de tipos de alojamento atĂŠ inserçþes adicionais e funcionalidades completamente novas. A&D: O Han-YellockÂŽ marca o inĂ­cio de uma nova era? Andre Beneke: A gama de conectores de elevada resistĂŞncia ĂŠ apoiada pela força inovadora da Harting e, claro, foi concebida para uma longa duração. No entanto, ĂŠ importante destacar que a nova solução nĂŁo vai substituir nenhuma das gamas existentes no mercado. A Han-YellockÂŽ ĂŠ uma sĂŠrie adicional da nossa gama. Paralelamente, a nossa gama actual de produtos serĂĄ tambĂŠm alvo de um desenvolvimento posterior.

&XUVRV)RUPDomR $6.)RIHUHFHGLIHUHQWHVWLSRVGHFXUVRVDGHTXDGRViVQH FHVVLGDGHVHVSHFtÂźFDVGHIRUPDomRGRVQRVVRVFOLHQWHV O :(0RQWDJHPHGHVPRQWDJHPGHURODPHQWRV $XPHQWHDÂźDELOLGDGHGRVVHXVHTXLSDPHQWRV&RQKHoDRV SURFHGLPHQWRVDGHTXDGRVDRPDQXVHDPHQWRGHURODPHQ WRV

O :(7HFQRORJLDHPDQXWHQomRGHURODPHQWRV $SURIXQGHDJRUDRVVHXVFRQKHFLPHQWRVHPDSOLFDo}HV LQGXVWULDLVFRPURODPHQWRVFRPRYHQWLODGRUHVERQEDV FHQWULIXJDVHPRWRUHVHOpFWULFRVHQWUHRXWUDV O :($OLQKDPHQWRGHYHLRVVLVWHPDDODVHU 2GHVDOLQKDPHQWRpUHVSRQViYHOSRUHOHYDGRQXPHURGH IDOKDVHPHTXLSDPHQWRVGLQkPLFRV(OLPLQHHVWDDYDULDH DXPHQWHDVVLPDGLVSRQLELOLGDGHGRVVHXVHTXLSDPHQWRV O :((TXLOLEUDJHPGLQkPLFD 8PHTXLSDPHQWRGHVHTXLOLEUDGRLQGX]DYLEUDo}HVHFDUJDV SRWrQFLDGRUDVGHDYDULDVSUHFRFHV$SUHQGDDHTXLOLEUDUH DVVLPPDQWHURVVHXVHTXLSDPHQWRVÂźiYHLV O :,0DQXWHQomRFRQGLFLRQDGD $DQiOLVHGHFRQGLomRGHHTXLSDPHQWRVpKRMHXPDIHUUD PHQWDLQGLVSHQViYHOjPDQXWHQomR'HVHQYROYDFRPSHWrQ FLDVQHVWDiUHDHDXPHQWHR07%)GRVHTXLSDPHQWRV O :,$QiOLVHGHYLEUDo}HV 6HMiSRVVXLFRQKHFLPHQWRVHPDQiOLVHGHYLEUDo}HVDSUR IXQGHRVVHXVFRQKHFLPHQWRVHVSHFtÂźFRVHREWHQKDFHUWLÂź FDomRLQWHUQDFLRQDO 3DUDVDEHUPDLVVREUHRVFXUVRVGHIRUPDomRFRQVXOWHD QRVVDSiJLQD

6.)3RUWXJDO  ZZZVNISW

UREĂ‹WLFD [87]

Funcional e flexível  

Autor: Nicole Wittmann; Revista: robótica nº81

Funcional e flexível  

Autor: Nicole Wittmann; Revista: robótica nº81

Advertisement