Page 1

João Paulo Calau Director Auditoria Energética Indústria ADENE – Agência para a Energia Tel.: +351 214 722 800 · Fax: +351 214 722 898 paulo.calau@adene.pt geral@adene.pt · www.adene.pt

DOSSIER

SGCIE - SISTEMA DE GESTÃO DOS CONSUMOS INTENSIVOS DE ENERGIA O Sistema de Gestão dos Consumos Intensivos de Energia (SGCIE), aplicável a todos os sectores de actividade mas com maior incidência no sector industrial, está em vigor desde 15 de Junho de 2008 e tem por objectivo obter economias de energia de cerca de 500.000 toneladas equivalentes de petróleo (tep) até 2015 e promover a utilização de fontes de energia renováveis e de recursos endógenos. O SGCIE é uma das medidas do PNAEE – Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (2008-2015) e é regulado pelo Decreto-Lei n.º 71/2008, publicado em Diário da República a 15 de Abril de 2008. O Decreto-Lei n.º 71/2008 tem por enquadramento a Estratégia Nacional para a Energia e alarga o âmbito de aplicação do anterior Regulamento de Gestão dos Consumos de Energia (RGCE) com vista ao aumento da eficiência energética no parque empresarial português.

As empresas e operadores de instalações consumidoras intensivas de energia (CIE), com consumos anuais iguais ou superiores a 500 toneladas equivalentes de petróleo (500/tep/ano), têm de efectuar o registo online em http://www.adene.pt/SGCIE de acordo com o quadro legal. Esta obrigatoriedade resulta do Decreto-Lei n.º71/2008, publicado a 15 de Abril, que regula o Sistema de Gestão dos Consumos Intensivos de Energia (SGCIE), uma das medidas previstas no PNAEE – Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética (2008-2015). O SGCIE vigora desde 15 de Junho de 2008 para todos os sectores de actividade e tem como objectivo promover a eficiência energética no parque empresarial português através da utilização de fontes de energia renováveis e de recursos endógenos. Para tal, o SGCIE define um conjunto de medidas regulamentares, a serem implementadas nas instalações CIE após a primeira fase de registo no website da Agência para a Energia (ADENE). São, assim, obrigatórias a realização de auditorias energéticas periódicas e a elaboração de Planos de Racionalização dos Consumos de Energia (PREn) e dos respectivos Relatórios de Execução e Progresso (REP). A ADENE é a entidade gestora operacional do SGCIE e assegura o seu bom funcionamento e o acompanhamento dos intervenientes em todas as fases do processo. Até Setembro de 2010, registaram-se 841 instalações consumidoras intensivas de energia.

O número de instalações com consumo energético anual igual ou superior a 1000 tep é dominante, tendo em conta também os registos dos operadores que estão a concluir o RGCE.

Os gráficos seguintes apresentam a distribuição geográfica e a classificação da actividade económica dos novos registos.

Número de registos novos até 16/09/2010

[42]

UREËWLFD


PUB

Compromisso com o futuro

A entrega dos Relatórios de Execução e Progresso (REP) entrou em prática a partir de Março de 2010 e até Setembro de 2010 foram entregues 22 REP.

Climatização em edifícios sob controlo - Custos operacionais sob controlo Graças à medição precisa de temperatura, humidade e pressão diferencial Temperatura NOVO

Os transmissores Testo são ideais para a monitorização e regulação do ar climatizado, por exemplo em: - Produção e armazenamento - Escritórios e edifícios administrativos - Espaços comerciais e salas de exposição - Museus e bibliotecas - Escolas, hotéis, clínicas - Hospitais

Os resultados observados nos REP entregues e que dizem respeito ao primeiro biénio (2008-2009) de 22 operadores permitem comparar algumas variáveis actuais com aquelas existentes no ano de referência. Constata-se que apesar da redução dos consumos de energia e das emissões de CO2, existe também uma redução acentuada nos valores de VAB e Produção com efeitos nas metas do SGCIE.

Humidade e temperatura

Pressão diferencial NOVO

racionais Redução dos custos ope ctos e devido aos sensores exa zo estáveis a longo pra enção Baixos custos de manut a para ern ext e rfac inte à graças ajuste no local em edifícios Óptimo ar climatizado de produtos de lida qua para elevada

Quando comparamos os indicadores obtidos (Intensidade Energética, Consumo Especifico de Energia e Intensidade Carbónica) com aqueles que os operadores previam atingir no final do primeiro biénio, verificamos que cerca de 47% dos processos e/ou produtos analisados apresentam a Intensidade Energética e o Consumo Especifico de Energia abaixo das metas propostas para o primeiro biénio, ou seja, cumprindo os objectivos. Destaque-se que cerca de 81% dos processos e/ou produtos analisados reduziram ou mantiveram a Intensidade Carbónica.

custos operacionais! Poupe energia e reduza

Mais informações em http://www.adene.pt/SGCIE onde também é possível, neste momento, proceder ao reconhecimento e pesquisa de técnicos ou entidades habilitados para a realização de auditorias energéticas periódicas e elaboração de Planos de Racionalização dos Consumos de Energia (PREn) e dos respectivos Relatórios de Execução e Progresso (REP).

Descubra mais sobre os : transmissores Testo em dingclimate/pt_PT

www.testosites.de/buil

testo Portugal . Urb. Ribas Parque, 21 R/C esq. 3830-237 Ílhavo UREËWLFD

[45]

Tel. 234 320 280 . Fax 234 083 708 . www.testo.pt . testo@testo.pt

Instrumentação industrial - medição de pressão  

Autor: Miguel Malheiro; Revista: robótica nº81

Instrumentação industrial - medição de pressão  

Autor: Miguel Malheiro; Revista: robótica nº81