Page 1

115

dossier auditorias energĂŠticas e qualidade e gestĂŁo de energia

a importância da realização de auditorias energÊticas para a implementação de medidas de eficiência energÊtica Clåudia Rocha Coordenadora do Departamento de Energia, Construçþes e Edifícios Grupo SGS Portugal

É nos nossos dias consensual que o paradigma energÊtico terå de ser alterado, atuando, de forma combinada, na oferta e na procura de energia. A estratÊgia a adotar deve basear-se na sustentabilidade, combinando os fatores ambientais, atravÊs da garantia da qualidade ambiental do planeta e de fatores económico-sociais que permitam que as empresas se tornem mais competitivas e não percam o seu valor.

                             termos de redução do consumo de energia !"!"# $%&

 Europeia, Conselho Europeu e Parlamento  '    *          Energética que irá introduzir medidas vinculativas, tais como a renovação anual de edifícios públicos e um plano de poupanças para as empresas de utilites que obrigará a poupanças de 1,5% das suas vendas anuais em todos os anos entre 2014 e 2020. Será prioritária a conservação de energia, alterando hábitos de consumos, evitando utilizações desnecessárias, através da atuação pelo lado da procura de energia. Assim,

pretende-se a gestão e racionalização dos consumos, através da implementação de medidas concretas e realistas que conduzam à diminuição do consumo de energia, sem com isso comprometer os seus padrões de utilização e de conforto, nomeadamente no caso das indústrias, não comprometendo o nível de produção. Por outro lado, a oferta de energia está a sofrer alterações de fundo, pela implemen               geração de energia, nomeadamente a partir de fontes energéticas renováveis. Existe um longo caminho a percorrer que torne a adoção destas fontes de energia (hídrica, eólica, solar e biocombustíveis) economicamente competitivas, de forma a alterar o paradigma tradicional do mercado de energia. O que tem de ser incentivado, em primeiro             devem considerar as fontes energéticas renováveis. A racionalização dos consumos de energia, apesar da obrigatoriedade legal (SCE e RGCIE), traduz-se também numa mais-valia para as empresas, na medida em que contribui para o aumento da sua competitividade, através da redução do consumo energético, que é também um importante fator produtivo.

Objetivos e etapas das Auditorias EnergÊticas              vo a avaliação das condiçþes de utilização da energia no edifício/instalação para deter      

     

Figura 1 Organização das etapas para realização da Auditoria EnergÊtica. www.oelectricista.pt o electricista 41

as oportunidades de melhoria que permitam reduzir a utilização de energia através da ado        3 6 7 8  que a realização de uma Auditoria Energética, por si só, não implica redução de consumos, permite apenas conhecer a realidade destes, bem como avaliar a eventual produção de energia de origem renovável. 9               ações, com base no balanço energético anual e no histórico dos consumos entre necessidades e eventual produção de energias renováveis, que conduza a um melhor desempenho energético e que, simultaneamente,

             $veis. Esta prĂĄtica ĂŠ baseada em conceitos de sustentabilidade que pretende conduzir a    :        

    energias e consequentes poupanças através da redução da fatura energética. Estará também a ser dado contributo para a redução das emissões de CO2. A auditoria energética desenvolve-se em ;   3      <  apresenta na Figura 1, e deve ser realizada por uma equipa multidisciplinar de especialistas que analisa documentação, monitoriza :           6 No decorrer da Auditoria Energética    8        baselines de consumos de energia para os conhecer na atualidade e preconizar investimentos que  < =              zação Racional de Energia que, por sua vez, permitam a realização de estudos prévios, análises técnicas mais detalhadas e a criação

A importância da realização de auditorias energéticas para a implementação de medidas de eficiência  
A importância da realização de auditorias energéticas para a implementação de medidas de eficiência  

Autor: Cláudia Rocha; Revista: oelectricista/projecto nº41

Advertisement