Page 1

8

espaço qualidade

CIP – fazer acontecer a regeneração urbana CIP – Confederação Empresarial de Portugal lançou, em 2010, o Projeto “Fazer Acontecer a Regeneração Urbanaâ€?, um movimento que aposta na Regeneração Urbana como elemento fundamental da economia das cidades e consequentemente, da economia do paĂ­s. O desenvolvimento deste projeto ĂŠ uma das iniciativas estratĂŠgicas do programa de atividades da CIP para 2012. Este projeto pretende gerar oportunidades de investimento multidisciplinar, envolvendo diversos agentes e valĂŞncias, no quadro de uma polĂ­tica integrada. Para a Confederação Empresarial de Portugal ĂŠ fundamental criar condiçþes objetivas favorĂĄveis que incentivem os proprietĂĄrios dos imĂłveis, os investidores, os agentes 



   

interessados a empenhar-se neste movimento

    

   

de bairros e da reabilitação de edifícios. Segundo estimativas feitas pela CIP existem neste momento vårias oportunidades que devem ser potenciadas, todas elas orientadas para recuperar vastas åreas urbanas, num processo que, se for implementado, permitirå criar mais de meio milhão de postos de trabalho, num período de 18 a 20 anos, e contribuir, em cada um desses anos, para um acrÊscimo do PIB em cerca de 900 milhþes de euros. Desde 2010 que a Confederação Empresarial de Portugal tem pretendido demonstrar ao Governo que este projeto Ê essencial e deseja promover junto do mesmo a necessidade de alteração da           

licenciamento municipal e de criação de fun         As alteraçþes legislativas mais relevantes jå se encontram na Assembleia da República,

www.oelectricista.pt o electricista 40

sendo que a CIP jĂĄ se pronunciou sobre elas e declarou publicamente que vĂŁo no sentido certo. Mas ainda nĂŁo foram aprovadas e nĂŁo se sabe quanto tempo vĂŁo demorar atĂŠ entrar em vigor. HĂĄ jĂĄ vĂĄrios anos que entendemos que a reforma do regime jurĂ­dico do arrendamento urbano constitui uma prioridade para Portugal, tendo-se empenhado ativamente no processo de revisĂŁo.     

     te o Fundo Jessica, que jĂĄ estĂĄ no terreno mas          

tenha jå apoiado projetos de boa dimensão. Para a CIP Ê fundamental a criação de novos          Nos últimos dois anos, a CIP veio a desenvolver um vasto leque de açþes, com vista a desenvolver o projeto da Regeneração Urbana e que passam pela apresentação de propos 

  !

    cado de arrendamento, do licenciamento e      "  #  

Conselho Consultivo da Regeneração Urbana, de que fazem parte personalidades de relevo nacional com a missão de ajudar a refletir e a promover os conceitos da Regeneração Urbana como pressuposto para a dinamização da economia nacional e foram feitos 5 estudos de diagnóstico associados aos processos de regeneração urbana relacionados com o mer    

     

licenciamento, as políticas de solos, planos diretores e limitaçþes de intervenção nas zonas $          

e de incentivos e o comércio de proximidade como elemento dinamizador das cidades. Foram desenvolvidas três Ações-piloto em Viana do Castelo, Figueira da Foz e Portalegre, para teste de aplicação de potenciais estratégias de regeneração urbana, estando a CIP a trabalhar em estreita colaboração com as Associações Empresariais locais, as Autarquias, instituições de ensino superior, representações        

dos Engenheiros, Arquitetos, Projetistas e Urbanistas, bem como empresĂĄrios e potenciais investidores. Existe tambĂŠm um estudo de

ANTĂ“NIO SARAIVA Presidente da CIP

benchmarking nacional e internacional, em           !  $

do conhecimento e boas prĂĄticas mundiais em matĂŠria de regeneração urbana, e foi ainda constituĂ­do um cluster para a Regeneração Urbana, que serĂĄ presidido por Carlos Cardoso, Vice-Presidente da CIP e Coordenador dos trabalhos que a Confederação tem desenvolvido no âmbito do projeto FAZER ACONTECER A REGENERAĂ‡ĂƒO URBANA. Para que a Regeneração Urbana seja uma realidade hĂĄ 6 objetivos que a CIP propĂľe: eliminar os constrangimentos econĂłmicos, legais, administrativos e jurĂ­dicos que tĂŞm impedido a adoção de projetos integrados de regeneração do patrimĂłnio das cidades; reanimar a atividade econĂłmica transversalmente, atravĂŠs de projetos estratĂŠgicos de regeneração urbana, economicamente sustentĂĄveis e geradores de maior valor acrescentado para a economia regional e nacional; promover a integração no mercado de edifĂ­cios devolutos e degradados; promover a dinamização do mercado de arrendamento e de novos instrumentos de rentabilização de poupanças alternativos Ă s tra  

    %   

organização da oferta e a criação de emprego com um elevado nível de especialização e a internacionalização das empresas portuguesas  



 % $ 

a qualidade urbanística das cidades, apoiar o desenvolvimento do comÊrcio de proximidade e a qualidade de vida das populaçþes. Para a CIP, a Regeneração Urbana Ê um projeto estratÊgico para Portugal porque viabiliza o investimento, envolve o comÊrcio, a indústria e o turismo, consome materiais e produtos em grande parte produzidos em Portugal, rentabiliza estruturas existentes que se encontram desaproveitadas ou subapro        

engenheiros e arquitetos, desenhadores e projetistas, operĂĄrios, artistas e artesĂŁos, reanima a vida das cidades, atrai turistas e       

de vida das populaçþes e permite rentabilizar poupanças privadas.

CIP – fazer acontecer a regeneração urbana  
CIP – fazer acontecer a regeneração urbana  

Autor: António Saraiva; Revista: oelectricista nº40

Advertisement