Page 1

FORMAÇÃO

revista técnico-profissional

145

o electricista Hilário Dias Nogueira (Eng.º) com o patrocínio de IXUS, Formação e Consultadoria, Lda.

formação

{ARTIGO TÉCNICO FORMATIVO N.º 18}

Neste número, vamos apresentar mais um tema relacionado com o esquema IT e os seus princípios de funcionamento.

Tema enunciado na revista anterior: 413.1.5 - Esquema IT e seus princípios de funcionamento. 1› INTRODUÇÃO Vamos apresentar o tema relacionado com a protecção contra contactos indiretos subordinado ao tema regime de neutro isolado (IT) aplicado normalmente em Estabelecimentos recebendo público, sendo principalmente uma das utilizações mais frequentes em Edifícios hospitalares e obrigatoriamente em:

alimentadas por Rede pública de distribuição de energia; › Será obrigatória uma observação permanente por uma pessoa qualificada e devidamente credenciada para o fazer; › Pelas caraterísticas específicas deste sistema, a sua utilização deve ser prevista expressamente na elaboração do projeto da instalação elétrica, tornando-se necessário um estudo profundo das condições de proteção, nomeadamente no que se refere ao cumprimento máximo das canalizações.

Medida P5

Salas

De partos distócitos; De operações; Operações de cirurgia ambulatória; De cataterismo cardíaco; De cuidados intensivos; De angiografia.

2› SISTEMA IT – PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO › A conceção base da segurança das pessoas neste sistema está no facto de se dimensionar uma impedância Z para que, na eventualidade de vir a aparecer um primeiro defeito no circuito elétrico, o potencial das massas não se eleve a um potencial perigoso; › Pelas caraterísticas especiais da ligação à terra do ponto neutro, neste sistema, o sistema IT, não é utilizado em instalações

3› SISTEMA IT – CIRCUITO DE DEFEITO – 1.º DEFEITO


FORMAÇÃO

revista técnico-profissional

o electricista

147

2. Quando as massas são interligadas por um condutor de proteção e colocadas coletivamente à terra são aplicadas as condições do sistema TN.



IT



Sistema IT – Circuito de Defeito – 2.º Defeito (TT) NEUTRO ISOLADO OU IMPEDANTE (IT) Técnica de exploração › Vigilância permanente do isolamento; › Sinalização do 1.º defeito de isolamento; › Pesquisa e eliminação antes do 2.º defeito; › Corte da instalação em caso de dois defeitos de isolamento simultâneos. Técnica de proteção de pessoas › Interligação e ligação das massas à terra; › Vigilância do 1.º defeito através de um controlador permanente de isolamento; › Corte ao 2.º defeito por proteção contra sobreintensidades (MI por disjuntores ou fusíveis).

Sistema IT – Circuito de Defeito – 2.º Defeito (TN)

Vantagens 1. Esta solução assegura a melhor continuidade de serviço em exploração; 2. A sinalização do 1.º defeito de isolamento, seguido de pesquisa e eliminação, permite uma prevenção sistemática contra os riscos de electrocussão.

7› SISTEMA IT – DETERMINAÇÃO DA TENSÃO DE CONTACTO AO 2.º DEFEITO › Quando o sistema IT deriva em TT as expressões são as mesmas, considerando a tensão composta, quando o neutro não é distribuído e a resistência de terra dos respetivos recetores; › Quando o sistema IT deriva em TN as expressões são as mesmas, considerando a tensão composta, quando o neutro não é distribuído e considera-se que o circuito tem o dobro da distância, logo o dobro da impedância.

Tempos máximos de corte Tensão nominal Uo (V)

(2.º defeito – Uc = 50 V) t (s)

(2.º defeito – Uc =25 V) t (s)

120 -240

0,8

0,4

230 - 400

0,4

0,2

400 - 690

0,2

0,06

580 - 1000

0,1

0,02

Desvantagens 1. Necessita de técnicos de manutenção e conservação com preparação adequada; 2. Necessita de um bom nível de isolamento da instalação (com eventual fragmentação se muito longos, e alimentação por transformadores de isolamentos dos recetores com fugas importantes); 3. Limitação do comprimento das instalações, de forma a limitar a intensidade de corrente no 1.º defeito; 4. Necessidade de limitador de sobretensões; 5. Localização difícil dos defeito em redes longas.

ENUNCIADO PARA O TEMA DA REVISTA 40: Estabelecimentos recebendo público, “REGRAS COMUNS”

Formação: Artigo técnico formativo n.º18  
Formação: Artigo técnico formativo n.º18  

Autor: Hilário Dias Nogueira; Revista: oelectricista/projecto nº39

Advertisement