Page 1

Espaço Qualidade

Processos e regeengenharia 1. Introdução Gestão por processos?... Porquê? - Medir actividades; - Medir processos; - Avaliar o seu desempenho; - Medir a concretização da estratégia. Reengenharia de processos – o que é? - Abordagem transversal à Organização; - Processos Homogeneizados e Sistematizados; - Focalização no Cliente; - Saber Fazer; - Inovação. Objectivos: - Ajudar a melhorar e controlar as operações; - Minimizar as demoras e tempos “mortos”; - Tornar os processos efectivos (produzindo os resultados desejados); - Tornar os processos eficientes (minimizando a utilização de recursos); - Eliminar erros e desperdícios; - Reduzir custos. Resultados esperados? - Simplificação de Processos; - Monitorização e Rastreabilidade dos Fluxos de Informação; - Sistema de Integração de Gestão entre as diferentes áreas tecnológicas existentes na organização; - Modernização da Organização. Factores críticos de sucesso: - Inovação; - Criação de valor; - Eficiência dos processos; - Flexibilidade; - Satisfação dos clientes; - Qualidade. Actualmente, um Sistema de Gestão eficaz é uma contribuição substancial na conquista de vantagens competitivas e distintivas. Um fluxo de processos dinâmico e bem organizado, é um valor acrescentado para o desempenho e resultados da organização. É imperativo que se meçam as actividades e se avalie o seu desempenho e para tal é necessário criar as condições para a obtenção desses indicadores. A simplificação dos processos resulta na melhoria do relacionamento da organização com os seus clientes, aumentando o resultado da prestação ao cliente.

20 · MANUTENÇÃO

2. Abordagem simplificada à metodologia“reengenharia de processos” Os processos de mudança Antes de mais, torna-se necessário definir uma metodologia para planear, realizar e acompanhar a mudança nos moldes da reengenharia de processos. Esta “reengenharia” distribui-se por cinco etapas: 1. Identificação e classificação dos processos: - Enumerar os principais processos; - Determinar limites dos processos; - Avaliar a relevância estratégica de cada um; - Julgar ao mais alto nível sobre as condições reais de cada processo; - Enquadrar os processos na cultura organizacional. 2. Identificação das alavancas da mudança: - Identificar potenciais oportunidades tecnológicas e humanas; - Identificar factores tecnológicos e humanos potencialmente limitadores; - Determinar limitações ao processo de mudança.

Exemplo 1 Metas Estratégicas

Como fazer?

- Melhorar o relacionamento com os clientes.

- Superar as expectativas dos clientes.

- Preservar o que temos e perspectivar o futuro.

- Atingir as expectativas dos accionistas e dos colaboradores.

- Fazer melhor as coisas.

- Inovar de forma contínua (NP 4457); - Melhorar a capacidade de resposta nos processos internos.

- Qualificar as pessoas e fortalecer o nível de partilha e de conhecimento.

- Qualificar as pessoas e aumentar o nível de partilha e de conhecimento; - Alinhar a força de trabalho com os processos e os propósitos.

3. Desenvolvimento de visões de processo - Avaliar as estratégias existentes para os processos (com os “donos” dos processos);


Espaço Qualidade

Melhoria versus reengenharia Melhoria

As etapas de reengenharia

Reengenharia

Nível de mudança

Gradual

Radical

Ponto de partida

Processo existente

Estaca zero

Frequência da mudança

De uma vez ou contĂ­nua

De uma vez

Tempo necessĂĄrio

Curto

Longo

Participação

De baixo para cima

De cima para baixo

Ă‚mbito tĂ­pico

Limitado, dentro das funçþes

Amplo, inter-funcional

Risco

Moderado

Alto

Habilitador principal

Controlo estatĂ­stico

Tecnologia da informação

Identificar as necessidades do cliente e objectivos do processo Elaborar o mapa (de processos) e medir o processo actual Analisar e modificar o processo existente Fazer benchmarking para identificar alternativas Redesenhar o processo Implementar o novo processo e monitorizar resultados

Pedro Vale vale.pedro@gmail.com

Tipo de mudança

Cultural

Cultural e estrutural

PUB

Formação Financiada ITED / ITUR      

Formação de Actualização ITED

Formação Habilitante ITED / ITUR

› Instalador ITED com formação Habilitante: 50 horas

› Instalador ITED: 100 horas

 !"#$

 *"#'%) "#'")  "#'!) ("#''

› Instalador ITED sem formação Habilitante: !% &

› Instalador ITUR: 150 horas

 '"#$() $"#$%

 *"#'%) "#'")  "#'!) ("#'') +*"#$" +"#$!

Condiçþes de Acesso: 

  

BC46  6 @  9D9=

Formador: Paulo Monteiro Local e HorĂĄrios das SessĂľes: , -./  +  23

 4 ) 6 & 

7  )    78 , 9  : 6 6

 4 

8 , 3 6  *$&## ; &##8 , 3  3<.  $&## ; *&##

 *(&## ; *'&## Nota: = >6   . : . ? 

9 6:

  @ A   

&.

Homologação 22 ¡ MANUTENĂ&#x2021;Ă&#x192;O

Informaçþes e Inscriçþes IXUS, Formação e Consultadoria, Lda. Tel.: 22 519 13 90 Fax: 22 519 13 99 E-mail: geral@ixus.pt | forma@ixus.pt Site: www.ixus.pt

Processos e regeengenharia  

Autor: Pedro Vale; Revista: Manutenção nº105

Processos e regeengenharia  

Autor: Pedro Vale; Revista: Manutenção nº105

Advertisement