Page 1

Dossier Dossier sobre sobre Iluminação Iluminação emem Elevadores Elevadores

Iluminação nos elevadores

Erick Alves Efalift – Sistemas e Tecnologias para Elevadores, Lda.

A eficiência energética de edifícios tem,

É na iluminação da cabina que é consumida

nos dias de hoje, um papel de relevo na

a maior parte da energia usada para a ilumi-

conceção de novos edifícios bem como na

nação de toda a instalação. Nas instalações

remodelação de edifícios existentes, tanto

já existentes não se justifica o investimento

ao nível da envolvente térmica como ao

em lâmpadas de baixo consumo para a ilu-

nível da energia elétrica, onde se inclui a

minação do poço e casa de máquinas, pelo

energia consumida para a climatização do

seu reduzido números de horas de funcio-

edifício, a energia utilizada para a ilumina-

namento. No entanto na cabina do elevador

ção, para a mobilidade, entre outras.

o uso de lâmpadas de baixo consumo pode

Figura 1 Teto de cabina com iluminação LED.

ser fundamental para a redução do seu

SUBSTITUIÇÃO DAS LÂMPADAS

consumo energético. O tipo de lâmpadas

CONVENCIONAIS POR LÂMPADAS

usadas na iluminação da cabina e o tempo

DE BAIXO CONSUMO

de funcionamento das mesmas são funda-

Na Tabela 1 estão descritos os custos asso-

mentais para uma maior poupança.

ciados a cada tipo de lâmpada, consideran-

© forms-surfaces.com

do o custo do kWh de 0,17€ e um funcionaExistem então duas formas de reduzir o

mento anual ininterrupto totalizando 8760

custo com a iluminação: a primeira passa

horas (número total de horas de um ano).

pela substituição de lâmpadas existentes,

Para o efeito usamos como exemplo uma

por outras de baixo consumo. A segunda

cabina com capacidade máxima de 6 pesso-

passa pela diminuição do tempo de funcio-

as, garantindo um fluxo luminoso constante

namento das lâmpadas, passando as mes-

e uniforme ao nível do solo de 100 lux, con-

mas a estarem ligadas só durante o perí-

forme imposição da norma EN 81-20.

odo de funcionamento do elevador, com o inconveniente de reduzir o tempo de vida

Os valores apresentados na Tabela têm por

Parte considerável do consumo energéti-

das lâmpadas provocado pelo seu constan-

base a informação fornecida por uma conhe-

co de um edifício é da responsabilidade dos

te acender e apagar. Segue-se uma análise

cida marca de fabricante de lâmpadas. Não

elevadores. Existe assim a necessidade de

mais detalhada dos dois casos.

foram considerados os consumos dos ba-

tornar o elevador um meio de transporte cada vez mais eficiente não só no aspeto

Tabela 1 Custo energético anual de lâmpadas convencionais em funcionamento permanente.

funcional bem como no consumo energétiIncandescente

Fluorescentes

Halogéneo

60 W

18 W

35 W

N.° de lâmpadas

3

4

6

Tempo de vida

1000 Horas

20000 Horas

2000 Horas

iluminação é a parte exclusivamente elétri-

Custo lâmpadas

3,07€

2,79€

3,99€

ca que consome mais energia num eleva-

Custo aquisição/ substituição das

dor, sendo por isso um dos principais pon-

lâmpadas (1.° ano)

73,68€

11,16€

95,75€

Custo do consumo

268,05€

94,60€

312,73€

Custo total anual

341,73€

105,76€

408,49€

co. Parte substancial da eficiência prendese com o desenvolvimento de novas soluções a nível mecânico, mas em termos

Tipo de lâmpada

elétricos existem nos últimos anos avanços tecnológicos que permitem uma redução substancial do consumo energético. A

tos onde se pode atuar para aumentar a eficiência energética de um elevador, principalmente em instalações já existentes.

32

elevare


Dossier sobre Iluminação em Elevadores Tabela 4 Custo energético anual de lâmpadas de baixo consumo em funcionamento intermitente (serviços).

Elevador instalado num edifício de serviços Segundo o estudo do “Projeto E4 – Eficiência

Fluoresc.

Incandesc.

Fluoresc.

Halogéneo

60 W

18 W

35 W

3

4

6

3

4

25,000

4,000

25,000

6,000

100,000

3,07€

2,79€

3,99€

4,59€

7,99€

36,84€

279,00€

95,76€

220,34€

63,92€

Custo do consumo

104,03€

47,30€

93.82€

13,01€

15,79€

Custo total anual

140,87€

326,30€

189,52€

357,26€

79,71€

Tipo de lâmpada

N.° de lâmpadas N.° máx. ciclos liga/ desliga Custo lâmpadas

compacta 11 W

LED 5.3 W

tes”, a percentagem do tempo de funcionamento de um elevador instalado num edifício de serviços é, em média, 50%. Portanto vamos considerar o custo do consumo

Custo aquisição/ substituição das

Energética em Elevadores e Escadas Rolan-

lâmpadas (1.° ano)

energético como 50% do consumo anual em elevadores com luz de cabina Assumindo que em média o número de viagens num edifício residencial é de 300 000 viagens, vamos considerar que o número de vezes em que as lâmpadas ligam e desligam é 100 000. Desta forma verificamos que houve uma diminuição no custo da energia gasta anualmente, no caso das lâmpadas incandescentes e de halogéneo. Já as lâmpadas de LED, apesar de um baixo custo de consumo energético, acabam por ficar mais caros do que se tivermos as lâmpadas sempre acesas. Já as lâmpadas fluorescentes têm um aumento do custo enorme se compararmos com o custo das mesmas no caso em que elas ficam sempre acesas. CONCLUSÕES Podemos concluir que a utilização de lâmpadas do tipo LED, independentemente do tipo de utilização e tipo de instalação, é claramente mais vantajosa do que qualquer outro tipo de lâmpada conseguindo-se

Gráfico 1 Gráfico comparativo dos custos anuais.

assim, uma maior eficiência energética no que concerne a iluminação. se poder definir a percentagem de tempo em funcionamento e o número médio de viagens anuais. Eis dois exemplos: um elevador instalado num edifício residencial e outro num edifício de serviços. Elevador instalado num edifício residencial Segundo o estudo do “Projeto E4 – Eficiência Energética em Elevadores e Escadas Rolantes”, a percentagem do tempo de funcionamento de um elevador instalado num

«As reduções do consumo de energia através da eficiência da iluminação, podem ser significativas principalmente em elevadores residenciais que representam cerca de 70% do parque de elevadores a nível nacional.»

Em regra, desligar a iluminação quando o elevador está parado pode reduzir o custo mas está dependente do tipo de lâmpada e do tipo de utilização que o elevador tenha, pois os ciclos liga/desliga ganham maior relevância com o aumento de número de viagens. As reduções do consumo de energia através da eficiência da iluminação podem ser significativas, principalmente em elevadores residenciais que representam cerca de 70% do parque de elevadores a

edifício residencial é, em média, 30%. Por-

nível nacional. O payback do investimento

tanto, vamos considerar o custo do consumo energético como 30% do consumo

viagens, vamos considerar que o número

nas lâmpadas está também dependente do

anual em elevadores com luz de cabina

de vezes em que as lâmpadas ligam e des-

tipo de instalação que o elevador sirva.

permanente, mas tendo em atenção o nú-

ligam é 50,000. Desta forma verificamos

mero médio de viagens anuais e o número

que houve uma diminuição drástica no custo

Desta forma podemos concluir que é sem

máximo de ciclos liga/desliga.

da energia consumida anualmente no caso

dúvida alguma vantajoso apostar na re-

das lâmpadas convencionais. Nas lâmpadas

dução do custo energético do elevador

Assumindo que em média o número de via-

de baixo consumo também se verificou uma

através da melhoria da eficiência da sua

gens num edifício residencial é de 100,000

diminuição, se bem que mais pequena.

iluminação.

34

elevare

Iluminação nos elevadores  

Autor: Erick Alves; Revista: Elevare nº5

Iluminação nos elevadores  

Autor: Erick Alves; Revista: Elevare nº5

Advertisement