Page 1

Normalização

Normalização - CT 63 José Pirralha Presidente da CT 63

Realizou-se no passado dia 15 de junho 2015

senvolve no CEN/TC10 e na ISO/TC178. Ainda

no IPQ - Instituto Português de Qualidade

assim consideramos que há muito a fazer.

uma Jornada/Encontro na qual se apresentaram e discutiram as implicações da entrada

Centrando-nos na CT 63 – Ascensores,

em vigor da Nova Diretiva – 2014/33/UE e das

monta-cargas, escadas mecânicas e tape-

Novas Normas Harmonizadas EN 81-20/50.

tes rolantes, onde várias questões se podem levantar: >

É a sua constituição atual representativa de todos os setores económicos

«(...) é chegada a altura de termos claro a importância da normalização como parte essencial do negócio das empresas, qualquer que seja o seu estatuto ou dimensão.»

envolvidos na atividade? > >

Como se pode avaliar a eficácia da sua

dos setores que participam nos traba-

ação?

lhos, aumentando o leque de opiniões e

É o número de Normas traduzidas acei-

interesses.

tável face às necessidades da indústria e em particular das PMEs?

Não podemos dar-nos por satisfeitos com a eficácia da CT 63, precisamos ser mais

Desmistificada a ideia de que a normaliza-

ativos, não só pronunciando-nos atempada-

Esta alteração considerada por muitos pe-

ção é um assunto para as multinacionais, é

mente sobre os inquéritos e votações finais

ritos como uma verdadeira revolução, não

chegada a altura de termos claro a impor-

que vêm do CEN/ISO mas, sobretudo, ava-

deixa dúvidas de que se está perante um

tância da normalização como parte essen-

liando as consequências e expressando-

novo paradigma quer para a indústria de

cial do negócio das empresas, qualquer que

-as na forma de propostas.

elevação quer para os demais operadores

seja o seu estatuto ou dimensão. Quanto ao que por muitos é considerado o

que, de uma forma ou de outra forma, estão relacionados com esta atividade - au-

Cremos que é o momento de abrir a CT 63 a

resultado do trabalho da CT 63 (o que de

toridades e organismos de avaliação da

outros setores da sociedade - ordens profis-

facto não corresponde inteiramente à re-

conformidade. Do que são as alterações e

sionais, sindicatos, organizações de defesa

alidade), como a tradução de Normas para

consequências deste novo quadro legal e

dos consumidores, entre outros. No que se

português, muito há a fazer.

normativo, já tivemos ocasião de nos pro-

refere às empresas, pese embora exista já

nunciarmos se bem que, pensamos voltar

hoje uma interessante participação de PME,

Precisamos de uma maior participação, para

ao tema dentro de alguns meses, altura

é necessário que haja um reforço dessa

lá de alguns estímulos financeiros que pos-

em que, se espera que alguns dos pontos

participação.

sibilitem a criação de condições para que a

que hoje permanecem envoltos em dúvidas

tarefa dos Grupos de Trabalho encarregues

possam estar esclarecidos.

das traduções possa ser mais eficaz.

Hoje, quereríamos partir das implicações

Este é um assunto que estamos a discutir

das novas Normas, para uma reflexão so-

com a DGEG e o IPQ, esperando que a breve

bre a situação da normalização no setor

prazo possa haver boas notícias.

nomeadamente no que diz respeito à CT 63. Em resumo precisamos de mais gente de e QUAL O ESTADO DA NORMALIZAÇÃO DO SETOR EM PORTUGAL?

uma maior disponibilidade para que algumas ©eeagrants.org

das dificuldades possam ser ultrapassadas.

Hoje, em Portugal, o processo de normalização do setor assenta no acompanhamen-

O papel da normalização estará tanto mais

Espera-nos a curto prazo a ingente tarefa de

to do processo de normalização que se de-

facilitado quanto maior for a diversidade

tradução das EN 81-20/50.

elevare

11

Normalização - CT 63  

Autor: José Pirralha; Revista: Elevare nº5

Normalização - CT 63  

Autor: José Pirralha; Revista: Elevare nº5

Advertisement