Page 1

Dossier: Eletrónica e Conetividade

Garantia da proteção de pessoas em instalações elétricas (1.a Parte) Sérgio Ramos Instituto Superior de Engenharia do Porto

INTRODUÇÃO

sas) normalmente sem tensão ligadas

Nas sociedades modernas atuais não conce-

ao condutor de neutro;

bemos o nosso estilo de vida sem a utilização

ra, e que garante a condição de explora-

de energia elétrica. O uso e a exploração das

ção do condutor neutro da instalação, e

transformador isolado ou ligado à terra

instalações elétricas e dos equipamentos a

as partes metálicas empunháveis (mas-

através de uma impedância, e as partes

elas ligadas requerem meios de proteção

sas), normalmente sem tensão, ligadas

metálicas empunháveis (massas) nor-

adequados, de forma a garantir a segurança

diretamente à terra;

malmente sem tensão ligadas direta-

TN - Ponto neutro do secundário do

mente à terra.

de pessoas e bens. O presente artigo aborda,

>

>

IT - Ponto neutro do secundário do

de uma forma breve, e sucinta as medidas

transformador ligado diretamente à ter-

ativas e operativas na conceção e utilização

ra, e que garante a condição de explora-

O quadro seguinte resume o significado do

das instalações elétricas para garantir a se-

ção do condutor neutro da instalação, e

primeiro e segundo dígito de cada um dos

gurança dos seus utilizadores.

as partes metálicas empunháveis (mas-

diversos regimes de neutro.

Quadro 1. Codificação dos regimes de neutro.

REGIMES DE NEUTRO A conceção e garantia da proteção de pesso-

Define a situação do ponto

as e bens, decorrentes da utilização das ins-

Neutro em relação à Terra

1.ª Letra

talações elétricas, estão intimamente ligaT

modo sucinto, existem três tipos de regimes de neutro: >

T

TT - Ponto neutro do secundário do transformador ligado diretamente à ter-

I

Figura 1. Esquemas de regime de neutro em Corrente Alternada. Fonte: Regras Técnicas de Instalações Elétricas de Baixa Tensão (RTIEBT).

40

elevare

2.ª Letra

Designação

das com o tipo de regime de neutro imposto para uma dada instalação. Assim, e de um

Define a situação da ligação

Ponto Neutro Ligado à Terra Ponto Neutro Ligado à Terra Ponto Neutro Isolado da Terra

das Massas Designação

T N T

Massas Ligadas Diretamente à Terra Massas Ligadas Diretamente ao Neutro Massas Ligadas Diretamente à Terra


PUB

as pulsantes), geradas por cargas não lineares, como por exemplo, retificadores de onda (tipo Ponte de Wheatstone); >

Classe B - capazes de detetar fugas de Corrente Alternada, Corrente Alternada com componente contínua (contínuas pulsantes) e Correntes Contínuas alisadas. Ideais para variadores trifásicos, inversores, ascensores, equipamentos médicos e unidades de alimentação ininterrupta (UPS – Unit Power Supply).

A Figura 5 ilustra, de um modo muito sucinto, o princípio de funcionamento subjacente ao funcionamento de um aparelho diferencial residual. Na ausência de defeito a corrente da fase é igual à do neutro pelo que o fluxo da bobine da fase é igual à do neutro não havendo, assim, corrente induzida na bobine de deteção que aciona o relé. Os contactos permanecem fechados e a instalação funciona normalmente. Porém, na presença de um defeito de isolamento a corrente na fase será maior do que a do neutro, visto que há uma corrente de defeito para a terra, pelo que a diferença dos fluxos será diferente de zero, promovendo o aparecimento de uma corrente induzida na bobine de deteção que aciona o relé. Os contactos abrem e a instalação é desligada.

«A garantia da proteção de pessoas e bens pelo uso das instalações elétricas deve ser cuidadosamente dimensionado e projetado por técnicos devidamente habilitados»

CONCLUSÃO Neste primeiro artigo sobre a proteção de pessoas e bens decorrentes do uso das instalações elétricas, incidimos sobre as medidas a ter em conta nessas mesmas instalações elétricas com regime de neutro do tipo TT. De um modo simplista podemos afirmar que na presença deste regime de neutro o aparelho que garante a proteção de pessoas é o aparelho sensível à corrente diferencial residual. Há, no entanto, outros tipos de cuidado aquando do seu dimensionamento e instalação, nomeadamente no que se refere à escolha do valor da sensibilidade, quer respeitando regulamentos quer associados a valores de resistência de terra obtidos, na garantia de seletividade vertical numa cascata de sucessivas proteções diferenciais de diferentes respostas e sensibilidades, bem como na escolha de dispositivos diferenciais de alta imunização, os quais apresentam um ligeiro atraso intencional no disparo em relação aos instantâneos. A garantia da proteção de pessoas e bens pelo uso das instalações elétricas deve ser cuidadosamente dimensionado e projetado por técnicos devidamente habilitados, dado que não existe uma solução única para todas as situações, devendo todas serem alvo de uma rigorosa e séria avaliação.

Garantia da proteção de pessoas em instalações elétricas (1.ª parte)  

Autor: Sérgio Ramos; Revista: Elevare nº3

Garantia da proteção de pessoas em instalações elétricas (1.ª parte)  

Autor: Sérgio Ramos; Revista: Elevare nº3

Advertisement