Page 1

Nota técnica

Comparação entre Ascensores Elétricos e Ascensores Hidráulicos MRL Jorge Leitão SICMALEVA - Sociedade de Comércio e Indústria de Equipamentos de Elevação, S.A.

INTRODUÇÃO Na aplicação de sistemas de transporte vertical é uma decisão importante qual o sistema de acionamento a usar, tração ou hidráulico? Cada tipo tem caraterísticas que o torna particularmente adequado para uma aplicação específica. >

Conforto na viagem;

do mundo. Se analisarmos detalhadamente

Ao longo dos últimos quarenta anos, o as-

>

Eficiência Energética;

as duas soluções MRL, detetamos alguns

censor hidráulico foi aceite em todo o mun-

>

Ruído Acústico;

pontos que merecem ser abordados:

do. Com a introdução do ascensor elétrico

>

Exigências Estruturais.

Machine Room Less (MRL), em 1995, para

a. Sistema de Resgate: na solução MRL

substituir o ascensor hidráulico, iniciou-se

Estas são, normalmente, as principais pre-

Elétrico, este vem equipado com um sis-

uma forte concorrência pelo mercado nos

ocupações no projeto de um ascensor. Não

tema de alimentação auxiliar de energia

edifícios de baixa altura (Portugal tem um

existe uma solução ideal sem uma análise

que deteta o lado mais favorável em

parque habitacional maioritariamente de

prévia. Considero este ponto muito impor-

função da carga desequilibrada, levan-

baixa altura, cerca de 4 a 6 pisos [13]).Apli-

tante de forma a evitar soluções desajusta-

do a cabina ao piso e libertando o(s)

caram-se, então, estratégias de mercado

das à realidade do edifício.

passageiro(s). Um sistema de ativação é manual, como o sistema de resgate é

bastante agressivas. Existe um conjunto de erros com que nos

elétrico, logo é falível. Na solução MRL

Uma tendência MRL criada em detrimento

deparamos nos cadernos de encargos, e

Hidráulica, este vem equipado com um

da segurança. Os compradores, no entanto,

dou como exemplo os ascensores de dois

sistema de socorro mais simples e efi-

devem ser informados sobre os méritos e

pisos, com um curso de 3 m, que apresen-

caz, baseado na energia potencial. No

defeitos de ambos os sistemas de ascenso-

tam velocidades nominais de 1,0 m/s quan-

fundo não é mais do que uma torneira

res para assegurar a aplicação mais ade-

do, na realidade, o flytime não o permite;

que se abre levando, ao piso mais baixo,

quada e segura de cada tipo.

edifícios de serviço público sem qualquer

a cabina, patamar onde se encontra o

estudo de tráfego com dimensões e veloci-

técnico credenciado a fazer a operação

Neste trabalho, ascensores elétricos e hi-

dades nominais desajustadas e edifícios em

de socorro. Um sistema de ativação é

dráulicos, principalmente MRL, são discuti-

que a construção deveria estar de acordo

manual, como o sistema de resgate é

dos e comparados a fim de esclarecer os

com a Norma antissísmica, mas os seus as-

mecânico, logo é infalível.

consumidores.

censores não estão devidamente projeta-

Analisando uma situação real em que

dos. Esta é uma realidade preocupante uma

temos um problema grave no motor

vez que Portugal continental se encontra

(curto-circuito), no caso da solução MRL

numa zona de risco sísmico moderado.

Elétrico, torna-se impossível de proce-

PROJETO DO ASCENSOR

der ao resgate do passageiro pela via

O desenvolvimento tecnológico na indústria

normal de procedimentos de socorro.

do ascensor foi impulsionado principalmente pelos seguintes fatores:

SEGURANÇA

Se analisarmos a solução MRL Hidráu-

>

Segurança;

Com o desenvolvimento tecnológico, os as-

lica verificamos que se consegue fazer

>

Velocidade Nominal;

censores neste momento são considerados

o resgate do passageiro sem qualquer

>

Espaço Ocupado;

um dos meios de transporte mais seguros

problema, porque este sistema utili-

20

elevare


Nota técnica

Figura 13.

Se olharmos para o mercado dos Estados

[6] McGavin, G. L. Earthquake Protection of Essential

[20] Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Unidos a realidade apresenta-se com 70%

Building Equipment: Design, Engineering, Insta-

– Projeto de Diplomação Frenagem Regene-

de ascensores hidráulicos e os restantes

lation. John Wiley & Sons, NewYork, 1981;

30% elétricos.

CONCLUSÃO

rativa;

[7] Suarez, L. e Singh, M. Review of Earthquake

[21] Guidelines on Energy Efficiency of Lift and Es-

Performance, Seismic Codes, and Dynamic

calator Installations-Electrical and Mechani-

Analysis of Elevators. Earthquake Spectra,16

cal Services Department The Government of

(4) (novembro 2000), 853-878;

the Hong Kong Special Administrative Region;

Ao analisar as diferenças que existem em

[8] Comportamento Sísmico de Sistemas de Ele-

ambas as situações é com estranheza que

vadores em Hospitais, Joana Isabel Freire

Schindler

observo a cota de mercado que ocupa a

Palha, Dissertação para obtenção do Grau de

5300;

solução elétrica em relação à hidráulica na

Mestre em Engenharia Civil;

[22] Efficient mobility. Sustainable technology. 3100/Schindler

3300/Schindler

[23] Modeling and simulation of hydrostatic

Europa. Uma vez que ambas as soluções

[9] Draka.EP.US Counterweight Displacement Kit;

transmission system with energy regenera-

apresentam vantagens e desvantagens

[10] Celik, Ferhat. Elevator safety in seismic re-

tion using hydraulic accumulator†Triet Hung

mas nada justifica, tecnicamente, tão gran-

gions. Blain Hydraulics, Germany, 2005;

HO1 and Kyoung Kwan AHN2,* - Journal of

de diferença de critérios nas vendas. Julgo

[11] A survey for the effect of 2011 Van earth-

Mechanical Science and Technology 24 (5)

que o fator decisivo foi quando em 1995 as

quakes on elevators - Prepared by Professor

4 BIG começaram apostar na solução do ascensor MRL Elétrico, e aqui inverteu-se a tendência do mercado.

C.E.İmrak January 2012 – AYSAD; [12] DR. C. Erdem Imrak – A survey on the effects of the 2011 Van, Turkey e Arthquakes on Elevators – ELEVATORWORLINDIA; [13] INE-O Parque Habitacional e a sua Reabilita-

REFERÊNCIAS [1] Wikipedia Patente; [2] W. H. Hundt, “Series Production or Special lift Systems?”. Lift Journal, November 2004, pp. 28; [3] Gould, N. e Griffin, M. Earthquake Performance of Nonstructural Components (January 2003);

ção – Análise e Evolução 2001-2011; [14] “Transportation systems in buildings”, CIBSE Guide D, 2005;

(2010) 1163~1175; [24] L. E. White, ‘Energy Consumption: Hydraulic Elevators and Traction elevators’, Elevator World, abril de 1984; [25]Dr. Ferhat ÇELİK1 & Dr. Banu KORBAHTI2- Blain Hydraulics GmbH, 74078-Heilbronn, Alemanha. Departamento de Engenharia Mecânica, Universidade de Istambul, Turquia; [26] Source: Swiss Federal Office of Energy, stu-

[15] Eficiência energética de transporte vertical -

dy by the S.A.F.E. Schweizerische Agentur für

Tiago Ruibal de Azevedo Pires Faculdade de

Energieeffizienz (Swiss Agency for Energy

Engenharia da Universidade do Porto;

Efficiency), final report on power consump-

[16] VDI 4707 Guideline;

tion and savings potential with lifts;

[4] Mondal, G. e Jain, S. Design of non-structural

[17] Conradin Jost - Member of directive com-

[27] EDP Serviço Universal, 2013-Tarifas Social/

elements for buildings: A review of codal

mittee „VDI 4707/2 Energy efficiency of lift

Transitórias de Venda a Clientes Finais em

provisions. The Indian Concrete Journal (Au-

components“Article February 2010 – Energy

gust 2005), 22-28;

efficiency class – BUCHER;

Portugal Continental; [28] Yang 2006;

[5] Ayres, J. M., Sun, T. Y., e Brown, F.R. Nonstructural

[18] Top class energy-efficiency VDI 4707 - A

[29] C. E. Thoeny, ‘Smart Hydronics for the Ele-

damage to buildings, in The Great Alaska Ear-

CLASS FROM SMALL RESIDENTIAL BUILDIN-

vator Future’, Elevator World, abril de 2004,

thquake of 1964: Engineering. Division of Earth

GS TO HIGH-RISE OFFICE BUILDINGS – KONE;

Sciences, National Research Council, National Academy of Sciences, Washington, 1973a;

[19] UNIVERSAL ELEVATORS Energy saving solutions for the Lift and Escalator Industry;

p.118. [30] ELEVATOR INDUSTRY JOBSITE SAFETY (2013 ELEVATOR WORLD.

elevare 31

Comparação entre ascensores elétricos e ascensores hidráulicos MRL  

Autor: Jorge Leitão; Revista: Elevare nº3

Comparação entre ascensores elétricos e ascensores hidráulicos MRL  

Autor: Jorge Leitão; Revista: Elevare nº3

Advertisement