Page 1

Dossier: Eletrónica e Conetividade

Sistemas e Tecnologias para Elevadores Miguel Tato EFALIFT - Sistemas e Tecnologias para Elevadores

Este artigo pretende descrever a forma

com um componente que, entre outras fun-

como os circuitos eletrónicos têm vindo

ções, pode funcionar como um comutador

a substituir os circuitos eletromecânicos

extremamente rápido, barato, fiável, extre-

nos quadros de comando para

mamente pequeno e com um baixíssimo

elevadores, e de que modo essa

consumo energético. Depressa se chegou

substituição traz vantagens para todos:

à conclusão que toda a lógica baseada em

para o utilizador, para o instalador e,

eletromecânica poderia ser substituída por

indiretamente, para todos através da

este novo conceito de interruptor sólido com imensas vantagens.

otimização da eficiência energética. Desde que foi inventado no fim do sécu-

O elevador como transporte seguro de pes-

Os quadros de comando para elevadores

lo XIX, o elevador seguro para transporte

soas começou a ser amplamente utilizado

não foram exceção a esta revolução: da

vertical de pessoas dependia quase exclu-

desde a sua invenção e proporcionou o ar-

utilização de dezenas de dispositivos de co-

sivamente de dispositivos eletromecâni-

ranque da construção em altura em larga

mutação podia agora passar-se facilmente

cos para a implementação da sua lógica de

escala. Com o passar do tempo e o aumen-

para as centenas ou milhares e ainda assim

funcionamento.

to do número de utilizadores, as exigências

poupando em espaço e consumo energéti-

no funcionamento do elevador foram cada

co. As restrições que condicionavam o au-

Tal acontece porque a eletricidade é um fe-

vez maiores e pressionaram fortemente a

mento de complexidade deixaram de existir

nómeno físico que revela particular apetên-

melhoria da lógica do seu funcionamento. O

e abriram-se as portas para novos níveis de

cia para a aquisição de ordens, para o pro-

sempre crescente aumento de tráfego e da

lógica de funcionamento até então vedados.

cessamento lógico dessas ordens e para a

dimensão dos edifícios, aliada a uma socie-

realização de comandos baseados nessas

dade que, ao modernizar-se, se tornava cada

ordens processadas: é fácil implementar

vez mais exigente e apressada, requeria

uma ordem com um contacto elétrico, é fácil

cada vez mais complexidade na gestão das

processar essa ordem usando uma “lógica

chamadas de forma a otimizar o tempo de

de contactos”, e é fácil realizar um coman-

espera. Essa complexidade era conseguida

do usando um sinal elétrico num atuador

pelos projetistas através da utilização cria-

adequado.

tiva de mais e mais dispositivos eletromecâ-

«O estabelecimento de protocolos rápidos e seguros de comunicação eletrónica foi outro fator de melhoria»

nicos, interligando-se numa rede de lógica A utilização de eletricidade como força mo-

de contactos progressivamente maior. Os

A crescente miniaturização do transístor

triz é também bastante vantajosa quer pela

quadros de controlo dos elevadores come-

abriu caminho para outra invenção que im-

facilidade de construção de máquinas elétri-

çaram assim a tornar-se grandes e comple-

pulsionou ainda mais o desenvolvimento do

cas capazes de a produzir, quer pelo elevado

xos, utilizando quantidades consideráveis de

comando do elevador: o microprocessador.

rendimento energético que essas máquinas

energia apenas para o controlo.

Com um microprocessador, a lógica deixou de ser implementada com contactos e pas-

conseguem. De algumas décadas para cá a eletrónica é,

sou a ser programável. Passou-se de uma

Da conjunção de todos estes fatores não é

talvez, a disciplina tecnológica que mais tem

situação onde o quadro de comando era fei-

de admirar que o processo de eleição para o

vindo a evoluir. A invenção do transístor em

to à medida para cada caso para uma outra

comando de um elevador seja, desde há mais

1947 potenciou, de forma extraordinária,

em que o quadro é standard, e apenas se al-

de um século, feito através da eletricidade.

essa evolução, já que dotou os projetistas

teram parâmetros específicos à instalação.

46

elevare

Sistemas e tecnologias para elevadores  

Autor: Miguel Tato; Revista: Elevare nº3

Sistemas e tecnologias para elevadores  

Autor: Miguel Tato; Revista: Elevare nº3

Advertisement