Page 1

Coluna AIECE

AIECE “A aiece no caminho para a autorregulação do mercado do setor da elevação” A Presidente da AIECE Amadeu Ferreira da Silva, Lda. La Salette Silva

Em Portugal é bem conhecida a

do século passado, com prédios habitacio-

importância das pequenas (com menos

nais e de escritórios cada vez mais altos e

de 50 trabalhadores) e micro-empresas

com maiores necessidades de transportar

(com menos de 10 trabalhadores) que

com regularidade em milhares de viagens

Mais recentemente, as Diretivas Europeias

constituem a maioria de empresas de

elevatórias diárias, milhares de pessoas.

vieram introduzir neste setor, como em muitos outros, fatores de exigência crescente

manutenção de elevadores, filiadas na Paralelamente, assistiu-se gradualmente,

em termos de organização das empresas, e

quer devido à evolução da legislação sobre

da qualificação dos seus profissionais e téc-

Do facto, regista a informação oficial no

segurança, como também devido à neces-

nicos, que as micro e pequenas empresas

website do IAPMEI que “segundo dados for-

sidade de formação para acompanhamento

de manutenção de elevadores tem vindo

necidos pelo INE, relativos a 2008, micro e

da evolução tecnológica dos equipamentos

a acompanhar diligentemente, em estreita

pequenas empresas representam a esma-

elevatórios, a uma maior especialização do

cooperação com a Administração Pública,

gadora maioria do tecido empresarial nacio-

setor, quer na instalação de raiz em novos

de modo a que o progresso que todos dese-

nal (96,5%). A importância deste conjunto de

prédios de elevadores, como na sua instala-

jam se faça de forma segura e consistente,

empresas manifesta-se, naturalmente, em

ção e reabilitação ou remodelação em pré-

sem fazer perigar nem os interesses legí-

termos de emprego, e também, ainda que de

dios antigos, como nos complexos comer-

timos dos proprietários dos edifícios, nem

forma mais ténue, em termos de volume de

ciais e serviços públicos modernos, em que

os dos seus inquilinos ou utentes, nem os

negócios, já que micro e pequenas empresas

elevadores, escadas e passadeiras rolan-

das empresas de instalação e manutenção

geram 51,5% do emprego e realizam 35,7%

tes, vieram alargar o mercado tradicional.

de elevadores e similares.

AIECE.

do volume de negócios nacional”. Ou seja, cabe ao Estado Legislador, como Ora, a situação da atividade de manutenção

ao Estado Administração Pública Central

de elevadores em Portugal tem vindo a

e Local, como ainda ao Estado Poder Judi-

evoluir, desde os tempos iniciais em que se

cial, desenvolver uma adequada “Governan-

registavam na atividade vários empresários

ce” (pela boa regulamentação, inspeção e

em nome individual, para estes se transfor-

julgamento) para este setor de atividade

marem gradualmente em sociedades por

económica, arbitrando de forma isenta e

quotas, muitas vezes de raiz familiar, e com

operacional os interesses tripartidos acima

recurso a profissionais qualificados, não

identificados.

apenas pela experiência acumulada mas, já também, em função de habilitações escola-

Nesse sentido, é positiva a exigência de qua-

res e académicas mais exigentes.

lificação das empresas de manutenção de elevadores junto da atual Direcção Geral de

Na verdade vários fatores contribuíram para

Energia e Geologia, como é de salutar que

esse progresso, desde logo pela própria

estas empresas e de forma crescente, se ve-

evolução do urbanismo a acompanhar a ex-

nham a certificar de acordo com a Norma ISO

a

pansão demográfica a partir da 2. metade

18

elevare

de qualidade 9001: 2008 (Implementação do

AIECE: "A aiece no caminho para a autorregulação do mercado do setor da elevação"  

Autor: Amadeu Ferreira da Silva, Lda. La Salette Silva; Revista: Elevare nº3

AIECE: "A aiece no caminho para a autorregulação do mercado do setor da elevação"  

Autor: Amadeu Ferreira da Silva, Lda. La Salette Silva; Revista: Elevare nº3

Advertisement