Page 1

Normalização

Conceitos e definições de falha e avaria nas Normas Portuguesas de Manutenção NP EN 13306:2007 e NP EN 15341:2009 C. Pereira Cabrita, A. J. Marques Cardoso Professores Catedráticos · Membros Conselheiros e Especialistas em Manutenção Industrial pela Ordem dos Engenheiros CISE – Electromechatronic Systems Research Centre · Universidade da Beira Interior cabrita@ubi.pt, ajmc@ubi.pt

RESUMO

Este trabalho foi apresentado no 17.° Con-

ficas e tecnológicas com uma importância

No tempo presente, onde a globalização

gresso Ibero-Americano de Manutenção,

crescente no domínio dos diversos ramos

crescente em todos os setores de atividade é

em Cascais, nos dias 21 e 22 de novembro

e atividades não só das engenharias, mas

uma realidade indiscutível, a competitividade

de 2013.

também em todos os restantes setores do

é um fator primordial na sobrevivência das

quotidiano. Integra os objetivos das empre-

empresas, obrigando a padrões de qualidade

1. INTRODUÇÃO

sas com a finalidade de se otimizarem as

até então nunca vistos. Por outro lado, para

Como salientou o Eng.º Monteiro Leite,

ações de conservação, tendo um caráter

se conseguir assegurar esses elevados pa-

primeiro Presidente da Associação Portu-

de antecipação e obrigando à definição de

drões, aumentando simultaneamente a efi-

guesa de Manutenção Industrial, “é sabido

políticas de atuação concretas e concisas.

ciência, a disponibilidade e a fiabilidade não

que na indústria moderna os pontos fracos

Ou seja, utilizando uma linguagem de ca-

só da maquinaria envolvida nos processos

podem originar anualmente custos 20 vezes

riz económico, a manutenção industrial é

de fabrico mas também dos equipamentos

mais elevados que o valor da própria instala-

já considerada como um centro de lucro e

produzidos, a “função manutenção”, associa-

ção afetada e se apenas 0,1% desses custos

não como um centro de custo, devendo ser

da à componente qualidade, representa uma

fossem investidos com oportunidade na aná-

entendida não como um encargo inútil mas

área estratégica fundamental, com um peso

lise da origem dos pontos fracos, poder-se-ia

sim como uma atividade produtiva.

elevadíssimo nos índices de produtividade e

ter evitado 50% dessas perdas” [1].

na implantação, consolidação e prestígio das

2. NORMAS PORTUGUESAS

organizações. Como tal, o conhecimento e o

Independentemente da variedade de con-

DE MANUTENÇÃO

cabal cumprimento da normalização exis-

ceitos e definições associados às atividades

Atendendo à panóplia dos domínios téc-

tente, tanto no plano nacional como interna-

da “função manutenção”, sejam eles nor-

nicos associados à sua atuação, é aconse-

cional, é essencial para que aqueles objeti-

malizados ou de cunho prático e pessoal,

lhável que a “função manutenção” recorra

vos sejam cumpridos e se consiga utilizar a

é consensual apresentar-se esta função

a um conjunto vastíssimo de Normas não

mesma linguagem de uma forma supra-na-

como sendo a garantia da disponibilidade

só de engenharia mas também específi-

cional, com práticas verdadeiramente lean.

e da fiabilidade da maquinaria envolvida

cas da manutenção, e que deverão estar

nos processos produtivos assim como dos

acessíveis, nas organizações, a todos os

Neste trabalho, os autores salientam a

bens colocados à disposição da sociedade,

recursos humanos afetos ao respetivo de-

importância da existência da normalização

através da avaliação das imperfeições e

partamento. No domínio concreto da ma-

em manutenção industrial, e qual o papel

defeitos surgidos no património tecnológi-

nutenção tem-se verificado, recentemente,

que as instituições de ensino superior de-

co investido, levando em linha de conta os

uma atividade significativa no sentido de se

verão desempenhar no seu ensino e divul-

objetivos das organizações e realizando-se

uniformizarem terminologias, conceitos,

gação. Adicionalmente, expôem os concei-

no âmbito de uma despesa orçamentada

definições e formas de atuação, recorrendo

tos e definições de falha e avaria, propondo

previamente, e estando diretamente rela-

a Normas internacionais que têm vindo gra-

algumas melhorias e correcções nas Nor-

cionada com uma determinada atividade

dualmente a substituir as Normas e práti-

mas Portuguesas NP EN 13306:2007 e

industrial. Como tal, a manutenção indus-

cas de atuação que já existiam em diversos

NP EN 15341:2009 com vista à sua otimiza-

trial e a qualidade e o seu controlo são já,

países. Esta tendência representa inequivo-

ção e uniformização.

felizmente, encaradas como áreas cientí-

camente um fator positivo, contudo a sua

8

elevare


Normalização

Bens não reparáveis e não reparados

Expressões matemáticas

Bens reparáveis e reparados com tempo de avaria nulo

com tempo de avaria não nulo

Intensidade (instantânea) de falhas (191-12-04)

----------

----------

----------

Disponibilidade instantânea (191-11-01)

----------

----------

X

Indisponibilidade instantânea (191-11-02)

----------

----------

X

Disponibilidade média (191-11-03)

----------

----------

X

Indisponibilidade média (191-11-04)

----------

----------

X

Disponibilidade assintótica (191-11-05)

----------

----------

X

Indisponibilidade assintótica (191-11-07)

----------

----------

X

Tempo médio de indisponibilidade TMI (abreviatura) (191-11-12)

----------

----------

X

Manutibilidade (191-13-01)

----------

----------

X

Taxa média de reparação (191-13-03)

----------

----------

X

Tempo médio de reparação (191-13-05)

----------

----------

X

Tempo médio de manutenção corretiva ativa (191-13-07)

----------

----------

X

Média dos tempos de recuperação MTTR (abreviatura) (191-13-08)

----------

----------

X

Atraso administrativo médio (191-13-11)

----------

----------

X

Atraso logístico médio (191-13-13)

----------

----------

X

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1.

10. Rui Assis, “Apoio à Decisão em Manutenção

Carlos Varela Pinto, “Organização e Gestão

na Gestão de Activos Físicos”. Idem, Ibidem,

da Manutenção”. Monitor, Lisboa, 2002; 2.

Norma Portuguesa NP EN 13306:2007, “Terminologia da Manutenção”. Instituto Português da Qualidade, 2007;

3.

as Novas Ferramentas de Gestão”. Monitor, Lisboa, 2011;

Norma Portuguesa NP EN 13269:2007, “Ma-

contratos de manutenção”. Ibidem, 2007;

6.

7.

9.

20

13. Filipe Didelet Pereira e Francisco Vicente Sena, “Fiabilidade e sua aplicação à Manutenção”. Publindústria, Porto, 2012; 14. Norma Internacional CEI IEC 60050 (191),

Norma Portuguesa NP EN 13460:2009, “Ma-

“Vocabulaire Electrotechnique International,

nutenção. Documentação para a manuten-

Chapitre 191: Sûreté de fonctionnement et

ção”. Ibidem, 2009;

qualité de service. International Electrote-

Norma Portuguesa NP 4483:2009, “Guia

chnical Vocabulary, Chapter 191: Dependa-

para a implementação do sistema de gestão

bility and quality of service”. Commission

de manutenção”. Ibidem, 2009;

Electrotechnique International, Internatio-

Norma Portuguesa NP 4492:2010, “Requisi-

nal Electrotechnical Commission, Genebra,

tos para a prestação de serviços de manu-

Suíça, 1990;

tenção”. Ibidem, 2010; 8.

Manutenção”. Publindústria, Porto, 1998; 12. J. Torres Farinha, “Manutenção. A Terologia e

Norma Portuguesa NP EN 15341:2009, “Ma-

nutenção. Instruções para a preparação de

5.

Luís Andrade Ferreira, “Uma Introdução à

nutenção. Indicadores de desempenho da manutenção (KPI)”. Idem, 2009; 4.

2010; 11.

"(...) o conhecimento e o cabal cumprimento da normalização existente, tanto no plano nacional como internacional, é essencial para que aqueles objetivos sejam cumpridos e se consiga utilizar a mesma linguagem de uma forma supra-nacional, com práticas verdadeiramente lean."

15. www.iec.ch/ (Commission Electrotechnique

17. Norma Internacional CEI IEC 61703, “Expres-

Norma Portuguesa NP EN 50126:2000,

International, International Electrotechnical

sions mathématiques pour les termes de

“Aplicações ferroviárias. Especificação e de-

Commission, Genebra, Suíça);

fiabilité, de disponibilité, de maintenabilité et

monstração de Fiabilidade, Disponibilidade,

16. www.electropedia.org/ (Electropedia: The

de logistique de maintenance, Mathematical

Manutibilidade e Segurança (RAMS)”. Ibidem,

World’s Online Electrotechnical Vocabulary,

expressions for reliability, availability, main-

2000;

subject area 191 – Dependability and quality

tainability and maintenance support terms”.

José Saraiva Cabral, “Gestão da Manutenção

of service), Commission Electrotechnique

Commission Electrotechnique International,

de Equipamentos, Instalações e Edifícios”.

International, International Electrotechnical

International Electrotechnical Commission,

Lidel, Lisboa, 2009;

Commission, Genebra, Suíça;

Genebra, Suíça, 2001.

elevare

Conceitos e definições de falha e avaria nas Normas Portuguesas de Manutenção NP EN 13306:2007 e N  

Autor: C. Pereira Cabrita, A. J. Marques Cardoso ; Revista: elevare n.º7

Conceitos e definições de falha e avaria nas Normas Portuguesas de Manutenção NP EN 13306:2007 e N  

Autor: C. Pereira Cabrita, A. J. Marques Cardoso ; Revista: elevare n.º7

Advertisement