Page 1

Editorial

No início de mais um novo ano temos mais um número da “ELEVARE”. Como é habitual, neste período é aconselhável uma análise de 2016 e uma perspetiva do que poderá ser 2017. Efetivamente 2016 foi um ano fértil em acontecimentos mas, nem todos, foram os mais desejados. Um evento marcante foi a realização da 4.a edição das Jornadas Técnicas – Elevadores que, mais uma vez, tiveram lugar no ISEP – Instituto Superior de Engenharia do Porto. E dado

Fernando Maurício Dias

o número de participantes e a qualidade dos oradores as condições para o sucesso estavam

Diretor

reunidas, é de referir a presença do Eng.° Esfandiar Gharibaan (Chairman of CEN/TC10 – Lifts, Escalators and Moving Walks) que, embora pouco conhecido do setor em Portugal, é uma personalidade internacional que nos honrou com a sua presença. O ano de 2016 fica marcado pela entrada em vigor da nova Diretiva Ascensores (Diretiva 2014/33/UE) no dia 20 de abril, mas este processo não foi pacífico uma vez que Portugal ficou sem Organismos Notificados durante um período, que considero longo, dado que inviabilizou, pelo menos nos modos habituais, a avaliação da conformidade de muitas instalações. No entanto, dado que ainda não há legislação nacional que transpõe a Diretiva 2014/33/UE para o direito nacional, ainda persistem dúvidas se a sua aplicação é efetiva. Um outro aspeto menos positivo de 2016 foram as conclusões, ou as não-conclusões, do grupo de trabalho para a revisão da Circular n.° 1 da DGEG, efetivamente, após mais de um ano de trabalho, não foi encerrada a sua revisão. Para o ano de 2017 é expectável um ano de bastante perturbação levando em conta que as Normas EN 81-1/2 serão substituídas pelas Normas EN 81-20 e EN 81-50 a partir de 1 de setembro e, atendendo ao histórico de outras alterações análogas não será um processo de transição fácil a começar (nesta altura) pela não-existência das novas Normas em português. Hoje, muitas das nossas empresas desta área desconhecem as alterações que são introduzidas por estas novas Normas e as suas implicações práticas. Desta forma ainda não resolvemos o problema da nova Diretiva, a questão da revisão da Circular n.° 1, ainda não temos as novas Normas traduzidas e já se aproxima mais uma alteração muito significativa no setor. 2017 não será fácil.

4

elevare

Editorial  

Autor: Fernando Maurício Dias; Revista: elevare nº8

Editorial  

Autor: Fernando Maurício Dias; Revista: elevare nº8

Advertisement