Page 1

Consultores de elevadores

Consultoria de Elevadores, uma atividade a 360° no setor de elevação Ricardo Vieira Elevadores.com.pt – Consultoria e formação para o setor de elevação

A Consultoria de Elevadores é um comple-

mais abrangente, que, incluindo ou não a

mento que pode abranger todas as ativida-

formação, pode ajudar a construir dentro da

des diretas ou indiretas do setor de eleva-

EMIE as competências requeridas pelo setor

ção, suprindo as necessidades dos vários

que mencionamos anteriormente, passando

intervenientes do setor, de forma indepen-

mesmo pelo desenvolvimento ou definição

dente e isenta.

de produtos ou serviços adequados e competitivos, para além do desenvolvimento das

1. CONSULTORIA E AS EMIE’S

competências dos recursos humanos.

A especificidade do setor de elevação e a

"Se todo o setor operar de forma adequada, uma empresa de Consultoria apenas valida, de forma positiva, junto do cliente, o bom serviço prestado por uma EMIE"

sua pequena dimensão, do ponto de vista

O software modular e específico para a ges-

macro, impõem às empresas ascensoristas

tão de avarias e rotas, gestão do parque de

que nele operam um nível de especialização

ascensores, especificação de ascensores,

que operem adequadamente com o tráfego

em diversas áreas distintas, devido à diversi-

elaboração de propostas comerciais e sua

previsto ou existente, como gerir um gran-

dade de legislação, Normas, atos inspetivos,

especificação de materiais, é também uma

de parque de ascensores e qual deve ser

equipamentos de elevação, software para

área interessante de Consultoria que, hoje

o seu plano de manutenção, se podem ou

a atividade, componentes e sua seleção ou

em dia, está ao alcance de qualquer EMIE.

não existir aplicações informáticas para o

aquisição, áreas de atuação, remodelação de

fazer, se o controlo dos sistemas de comu-

ascensores antigos e outras questões técni-

2. CONSULTORIA E OS CLIENTES FINAIS

nicação, a cada 72 horas, é realizado ou não,

cas complexas.

Os clientes finais têm dentro dos seus edifí-

entre outros.

cios ascensores e, normalmente, não conhePor outro lado, a alteração constante da

cem adequadamente o setor de elevação, as

Os clientes finais têm o direito de conhecer

EMIE que mantém um ascensor também

suas Normas e legislação, a forma como as

esta informação e um cliente bem informa-

faz com que as EMIE’s tenham que evoluir

EMIE’s desenvolvem a sua atividade, quando

do é, normalmente, uma maior valia para as

técnica e comercialmente, de uma forma

devem pedir e efetuar a inspeção periódica

EMIE’s, pois terá uma melhor consciência de

mais célere para poderem acompanhar a

e como o devem fazer, qual é a qualidade

que o que lhe está a ser proposto é o corre-

evolução normal do mercado, mantendo a

da manutenção ou serviço prestado, qual

to para o bom funcionamento do (s) seu (s)

competitividade.

é a urgência de efetuar uma determinada

ascensor (es) e vai de encontro às exigên-

reparação, qual é o melhor produto para

cias legais, regulamentares ou normativas.

Para manter a competitividade, quer pela di-

o seu edifício existente ou para o seu novo

mensão das empresas do setor, quer pela di-

edifício, qual deve ser a quantidade e capa-

É praticamente impossível, mesmo para

mensão do mesmo, é difícil, senão impossí-

cidade dos ascensores, escadas ou tapetes

grandes clientes institucionais, que têm

vel, mesmo nas empresas de nível médio ou

rolantes que devem existir no edifício para

muitos ascensores nos seus edifícios,

grande, que estas tenham ou mantenham, nos seus quadros, toda a especialização necessária, com a qualidade exigível, de forma abrangente e com a competência que é esperada e exigida pelos Clientes. A Consultoria externa coloca à disposição das EMIE’s as competências de que necessitam, podendo ser prestada em casos específicos e pontuais que devido à sua natureza requerem este serviço, ou de uma forma

22

elevare


PUB

manterem dentro das suas empresas quadros técnicos que tenham o nível de especialização de um Consultor especializado no setor, especialmente pensando que, normalmente, existem nos edifícios muitos outros equipamentos de outros setores que requerem igual nível de especialização. A Consultoria pode ser um trunfo das EMIE’s que pretendem demonstrar ao cliente que prestam um serviço de qualidade e que as informações ou propostas de reparação que lhe apresentam têm uma justificação técnica ou legal. A Consultoria contratada pelo cliente final irá auxiliar o mesmo, de forma isenta, a avaliar se o que lhe é proposto por uma EMIE corresponde à sua necessidade, transformando-se num aliado da EMIE que esteja a operar adequadamente, pois pode fazer o cliente entender melhor o que lhe está a ser proposto, solicitado, entre outros. Se todo o setor operar de forma adequada, uma empresa de Consultoria apenas valida, de forma positiva, junto do cliente, o bom serviço prestado por uma EMIE. Se os produtos e serviços forem validados por um Consultor, a decisão e validação passa a ser determinada por muitos fatores e não apenas pelo fator preço, como é a prática comum do mercado, quando não sabe encontrar outras caraterísticas de diferenciação ou desconhece a sua importância. A Consultoria junto dos clientes finais pode também ajudar os mesmos com a execução de cadernos de encargos e concursos adequados, que previamente, garantam que os produtos a instalar e os serviços a realizar são os mais adequados para o caso concreto, filtrando inicialmente, muitos problemas que poderiam ocorrer se fosse colocado em funcionamento um ascensor que é desadequado ao fim a que se destina, ou que um ascensor seja mantido de forma desadequada. Os clientes finais são qualquer proprietário que detenha ascensores nos seus edifícios, normalmente condomínios particulares, clientes institucionais ou empresas de média ou grande dimensão, podendo ser clientes nacionais ou internacionais. A eficiência energética é um tema que deve estar sempre presente na análise dos ascensores, sejam estes novos ou existentes, e a empresa de Consultoria deve ter, neste caso, um papel fundamental. 3. CONSULTORIA E FORNECEDORES DE COMPONENTES OU EQUIPAMENTO PARA O SETOR DE ELEVAÇÃO Os fabricantes de componentes ou de equipamento para o setor de elevação são diversificados e têm uma atuação cada vez mais global, e se alguns ainda trabalham apenas num país ou continente, outros têm uma atuação de caráter mundial. Para que estes parceiros tenham um suporte local no mercado nacional, e para que continuem a ser competitivos, podem recorrer, pontualmente ou de forma permanente, a diversos


Consultores de elevadores serviços de Consultoria que os auxiliam a

nos seus quadros, todo o conhecimento e

fundamental, tendo por missão a gestão,

chegar mais perto dos decisores das EMIE’s

competências necessárias para prepara-

coordenação e desenvolvimento do Siste-

do setor, ou de outros operadores do merca-

rem os seus procedimentos de modo a da-

ma Português da Qualidade, onde se inclui

do, permitindo-lhes um acesso mais rápido

rem resposta às Normas de acreditação.

a reflexão, discussão e adoção das Normas Europeias e sua tradução para Português,

ao mercado. O mesmo ocorre com as entidades de cer-

tendo, neste setor da elevação, a Comissão

Por outro lado, estes serviços de Consulto-

tificação de sistemas de qualidade, sob li-

Técnica CT63 como instrumento técnico

ria prestados a fabricantes permitem escla-

cenciamento do IPAC ou IPQ - Instituto Por-

para o auxiliar nesta tarefa.

recer técnica e adequadamente os operado-

tuguês de Qualidade, a quem as EMIE’s e as

res do mercado acerca dos produtos ou dos

EIIE’s recorrem para certificarem os seus

A ASAE - Autoridade de Segurança Alimen-

equipamentos em causa, permitindo a todos

sistemas, que para além de especialistas na

tar e Económica é a entidade responsável

beneficiar de um suporte local técnico e co-

área de sistemas de qualidade, necessitam

por fiscalizar o setor.

mercial, assegurando que a expansão co-

de peritos ou Consultores especializados na

mercial para outro país continua a garantir

área da elevação.

As Câmaras Municipais, ou outras entidades que tenham necessidade de gerir as inspe-

produtos vendidos ou adquiridos de forma mais competitiva, mantendo-se a estrutura

Esta questão assume ainda maior relevân-

ções a realizar, podem também recorrer

original do fornecedor na sua origem, sem

cia quando se trata de uma nova entidade

a serviços específicos de Consultoria para

ter de criar delegações ou armazém locais.

que pretende ser EIIE ou EMIE, mas que des-

obtenção de formação ou de software es-

conhece o setor de atividade e que necessi-

pecífico para este fim.

4. CONSULTORIA E ENTIDADES

ta também de formar os seus técnicos. Todas estas entidades necessitam de Con-

INSPETORAS OU DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMA DE QUALIDADE

A Consultoria tem um papel a desempe-

sultoria especializada no setor, seja para a

As entidades inspetoras e os organismos

nhar neste meio, podendo ser uma forma

participação de peritos em testemunhos

notificados operam no mercado sob Acredi-

externa e pontual de ajudar a preparar um

no terreno, decorrentes de auditorias ou

tação do IPAC - Instituto Português de Acre-

sistema de qualidade, um processo, uma

processos de licenciamento, seja pela ne-

ditação e, no caso das EIIE’s, estão também

acreditação, ou atuando como perito para

cessidade de obtenção de esclarecimentos,

sujeitas ao licenciamento da DGEG - Direção

casos concretos, permitindo a competiti-

opiniões ou de pareceres, seja pela necessi-

Geral de Energia e Geologia.

vidade e dando acesso às competências

dade de formação interna dos seus quadros

necessárias.

nesta área específica.

com a dimensão das EIIE’s que operam no

5. CONSULTORIA E ORGANISMOS PÚBLICOS

6. CONSULTORIA A 360°

mercado nacional, com os valores de inspe-

RELACIONADOS COM O SETOR

Conforme mencionamos, a Consultoria

ção praticados e com a rotação contratual

A entidade que regula o setor de eleva-

pode ser prestada a 360˚ no setor, pois ela

estabelecida com as Câmaras Municipais,

ção é a DGEG, sendo que o IPAC é a entida-

constitui uma necessidade do mesmo.

imposta pelo regime de contratação pública,

de que acredita as EIIE’s e os organismos

é natural que as EIIE’s nem sempre tenham,

notificados. O IPQ desempenha um papel

Por várias razões, diretamente relacionadas

Simplesmente, ao trabalhar o setor a 360˚, para além da necessidade de um profundo e abrangente conhecimento do setor, por parte da empresa que presta a Consultoria, tem de existir em todas as entidades envolvidas um forte sentido ético para não cruzar linhas fundamentais de confidencialidade e de isenção. Por vezes, ao aceitar prestar Consultoria a uma entidade, podemos não poder prestar Consultoria a outra, se, nesse caso concreto, a atividade de Consultoria correr o risco de se tornar conflituante. É necessário informar previamente e com transparência, todos os envolvidos numa determinada ação de Consultoria acerca das atividades em que o risco possa existir e, se necessário, recusar a prestação de

© Neil Gould

24

elevare

certos serviços.

Consultoria de Elevadores, uma atividade a 360° no setor de elevação  

Autor: Ricardo Vieira; Revista: elevare nº8

Consultoria de Elevadores, uma atividade a 360° no setor de elevação  

Autor: Ricardo Vieira; Revista: elevare nº8

Advertisement