Issuu on Google+

O QUE É UM SISMO OU TREMOR DE TERRA?

É um movimento brusco da superfície terrestre, de pequena

duração e com consequências variáveis.


POR QUE RAZÃO OCORREM SISMOS? CAUSAS Naturais Tectónicos (Colisão de placas tectónicas e Formação das falhas e dobras)

Artificiais

De colapso

Vulcânicos

(Abatimento de uma gruta)

(Movimentação de Magma )

Produzidos pela atividade humana


TECTÓNICOS


VULCÂNICOS


SISMOS DE COLAPSO


Algumas atividades humanas (explosĂľes ou o enchimento de barragens, por exemplo) tambĂŠm podem causar sismos que, neste caso, se consideram artificiais.


EPICENTRO Ponto à superfície, situada na vertical do hipocentro, onde o sismo é sentido com mais intensidade.

HIPOCENTRO Local no interior da Terra, onde um sismo tem origem.

Ondas sísmicas

Um sismo propaga-se sob a forma de ondas sísmicas.


FATORES QUE CONTRIBUEM PARA A MAIOR OU MENOR INTENSIDADE DE UM SISMO 1- Quantidade de energia libertada no hipocentro; 2- Natureza das rochas; 3- Dist창ncia ao epicentro; 4- Profundidade do hipocentro.


O QUE É UM TSUNAMI OU UM MAREMOTO?


TSUNAMIS OU MAREMOTOS


COMO DETETAR TSUNAMIS?


QUE APARELHO É UTILIZADO PARA DETETAR E REGISTAR ONDAS SÍSMICAS?

SISMÓGRAFO

130 d.C – Na China, Zhang Heng inventou o 1º Sismógrafo.


Atualmente existem outros sism贸grafos ...

Regista os movimentos horizontais do solo.

Regista os movimentos verticais do solo.


Os sismógrafos fazem o registo gráfico das ondas sísmicas libertadas durante o sismo, ou seja registam as vibrações horizontais e verticais do solo.


ONDE SÃO REGISTADAS AS ONDAS SÍSMICAS?

SISMOGRAMAS - gráfico obtido nos sismógrafos, onde são registadas

as ondas sísmicas.


Existem 3 tipos de ondas sísmicas: -Ondas P - são as primeiras a serem registadas;

-Ondas S - são menos rápidas que as P, surgindo de seguida no sismograma, mas são mais destruidoras; -Ondas L (ondas superficiais) - são as mais lentas, daí serem registadas em último lugar, e as mais destruidoras.


Tremor de 7 graus na escala Richter no Chile

A interpretação dos sismogramas permite determinar: - a quantidade de energia libertada pelo sismo;

- localizar o epicentro e o hipocentro; - a duração do sismo.


Ondas S

Ondas P


ONDAS L


COMO AVALIAR OS SISMOS?

ESCALA DE RICHTER – uma escala de magnitudes. ESCALA MODIFICADA DE MERCALLI – uma escala de intensidades.


ESCALA DE RICHTER

Baseia-se na Magnitude de um sismo, ou seja, na energia libertada hipocentro.  Esta escala não tem limites, embora nunca tenha ocorrido um sismo de magnitude superior a 9. A determinação da magnitude é feita com base na interpretação de sismogramas.


ESCALA DE MERCALLI

Baseia-se na Intensidade de um sismo, ou seja, nos danos causados às populações e habitações. É composta por 12 graus designados em numeração romana de I a XII.


ESCALAS DE RICHTER E DE MERCALLI


ESCALA DE MERCALLI


Conhecendo-se a variação da intensidade sísmica em diferentes locais, pode obter-se CARTAS DE ISOSSISTAS.

Isossistas – linhas curvas, fechadas, distribuídas em torno do epicentro, que unem pontos de igual intensidade sísmica.


SISMO DE LISBOA DE 1755


Sismo de Lisboa 1755


A forma irregular das isossistas resulta do facto do material atravessado pelas ondas sísmicas apresentar uma constituição heterogÊnea.


QUAIS OS LOCAIS DE MAIOR RISCO SÍSMICO A NÍVEL MUNDIAL?

AS ZONAS SITUADAS NA PROXIMIDADE DAS FRONTEIRAS DAS PLACAS TECTÓNICAS


Como se distribuem os sismos no mundo? Verifica -se que as principais zonas sísmicas coincidem com as principais zonas vulcânicas e que são, preferencialmente:

a região circumpacífica (Anel de Fogo do Pacífico)

a cintura Mediterrânica-Asiática

as dorsais médio-oceânicas


QUAIS OS LOCAIS DE MAIOR RISCO SÍSMICO EM PORTUGAL?

-Algarve - Zona litoral a sul da Figueira da Foz - Área metropolitana de Lisboa - Península de Setúbal

ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES


O arquipélago dos Açores é uma das regiões do nosso país que apresenta maior atividade sísmica. Esta região situa -se na dorsal médio -atlântica, numa zona onde contactam três placas litosféricas (Euro-Asiática, Norte-Americana e Africana), designada por ponto triplo.

O arquipélago da Madeira, situado na placa Africana, a uma certa distância da falha Açores -Gibraltar, é afetado moderadamente pelos movimentos deste limite.


A maioria dos sismos que ocorrem no território continental está relacionada, principalmente, com a falha Açores-Gibraltar, fazendo -se sentir sobretudo nas regiões mais a sul de Portugal.

Além da instabilidade causada por essa falha, o território continental possui um conjunto de outras falhas ativas que se movem frequentemente, originando sismos.


Os efeitos de um sismo dependem de vários fatores que se verificam à superfície, na zona afetada, como por exemplo:

• • • • •

Tipo de construções; Tipo de solo e de rocha; Formas de relevo; Densidade populacional; Preparação das pessoas para este tipo de risco.


Como se podem proteger as populações dos efeitos dos sismos? Ainda não é possível evitar nem prever com exatidão quando e onde irão ocorrer sismos. Como tal, os seus efeitos destruidores apenas se podem minimizar através de medidas de prevenção. A proteção das populações deve incidir sobre a adoção de normas de construção de edifícios mais resistentes a sismos, normas que Portugal foi o primeiro país a implementar após o sismo de 1755.


Como se podem proteger as populações dos efeitos dos sismos? Atualmente, a construção de edifícios obedece a estudos e a regulamentos muito rígidos, sobretudo nas áreas de maior risco sísmico.


Como se prevenir de um sismo? Antes:

• Informe-se sobre os desastres sísmicos que poderão ocorrer na região onde vive; • Assegurar-se que existem planos de emergência; • Estudar, com a família, quais os locais de maior segurança em casa; • Informar-se como se liga o alarme de incêndios; • Preparar a casa contra diversos perigos durante os sismos. • Armazenar água e alimentos enlatados e renová-los de tempos a tempos.


Durante: (Num edifício) • Permanecer calmo e prestar atenção ao estuque, tijolos, prateleiras ou outras estruturas ou objetos que possam cair; • Afastar-se de janelas, vidros, varandas ou chaminés. • Abrigar-se debaixo de uma mesa, de uma secretária ou no vão de uma porta. • Não utilizar o elevador pois a eletricidade pode faltar;


Durante: (Na rua) - Dirija-se para um local aberto, com calma

e serenidade; - Enquanto durar o sismo não vá para casa; - Mantenha-se afastado dos edifícios, dos postes de eletricidade, dos taludes ou muros. (Se vai a conduzir):

Pare a viatura, afastada do edifício, muros, postes e cabos de alta tensão e permaneça dentro dela.


Depois: • Desligar, assim que possível, o gás, a eletricidade e a água; • Não utilizar fósforos, isqueiros ou qualquer outro instrumento de chama descoberta; • Não usar interruptores de eletricidade, utilizar antes uma lanterna elétrica; • Não tocar em cabos de eletricidade derrubados ou em quaisquer objetos que estejam em contacto com eles; • Não consumir água da rede pública, pois pode não estar em condições de ser consumida; • Usar um calçado resistente e proteger a cabeça.


•Mantenha a calma, ligue o rádio e cumpra as recomendações que ouvir pela rádio; •Afaste-se das praias e das margens baixas dos rios. Pode ocorrer uma onda gigante – tsunami. Se houver incêndios, tenta apagá-los. Se não conseguir, alerte os bombeiros; •Se houver feridos graves, não os remova a menos que corram perigo; •Limpe produtos inflamáveis que se tenham derramado;

•Se houver pessoas soterradas, informe as equipas de salvamento; •Não circule pelas ruas para observar o que acontece. Liberte-as para as viaturas de socorro.


Sismos