Issuu on Google+

Hist贸rias que ficam da inf芒ncia

Autora Cida Gimenez 2013


Olá !Querem conhecer minha historia ?Então vamos ! Estou feliz por compartilhar com vocês.


Hoje estou aqui para um daqueles momentos que a saudade bate ao passar por uma rua e sentir o cheiro gostoso do bolo quente saindo do forno. Nรฃo existe cheiro igual. Enquanto o perfume acompanha meus passos me veio a memรณria a casa de minha avรณ materna. Lรก cheiro de bolo ,nas tardes tranquilas de uma pequena cidade do interior paulista ,era convite certo para um delicioso chรก da tarde.


Enquanto saboreio minhas lembranças lembrei-me de uma traquinagem, que como todo moleque sempre aprontava. Minha avó exibia no corredor que levava a sala de visita quadros de parentes que diziam ser nossos antepassados: tetravô,tataravô,bisavô.

?


▬ Vó vou ficar careca?E com essas orelhas?!

Certo dia percebi que um novo retrato lá estava e perguntei a minha avó quem era aquele homem. Logo me veio a resposta – seu avô, Gustavo e você é muito parecido com ele :o cabelo, nariz .Um é a cara do outro ,pena não tê-lo conhecido. Partiu antes de você nascer. Ah! Gustavo tenha certeza que quando ficar velhinho será igualzinho a ele.


▬ Gustavo seu avô quando jovem tinha a mesma cor do seu cabelo. Uma bela cabeleira .Com o passar dos anos os cabelos foram sumindo. Perdia um fio aqui,outro ali, são coisas da vida.

Já vi o meu futuro!


Minha av贸 foi para a cozinha , eu e o Bidu ficamos a olhar aquela figura. Poxa pensei j谩 vi o meu fim, careca e orelhudo, mas se a gente pode mudar o destino como comenta minha av贸 vou dar um jeito nisso rapidinho antes que comece a perder os primeiros fios de cabelo.


Fui até o quarto onde dormia e peguei meu lápis de cor. Subi na cadeira, sob o olhar atento do Bidu e botei cabelo, barba e bigode em meu avô. Agora sim posso parecer com ele e sem risco nenhum. Sai da sala orgulhoso, havia resolvido um problemão futuro . Quando já estava para sair do quarto escutei um grito de minha avó. Pensei será que é um rato ou uma barata a incomodá-la de novo( ps:ela tem pavor desses bichos) ,corri até o lugar de onde ela resmungava e a vi diante do retrato de meu avó, parada ,estática ,suando frio...☻

Meu futuro melhorou!

OH?


Quem fez isso no retrato do falecido!?

V贸 s贸 fiz o que a senhora aconselha: mudar o destino da gente .


Vó procurou sua cadeira preferida ,me chamou até bem pertinho dela e sussurrou : ▬Ficou uma belezura, Gustavo. Igualzinho quando o conheci. Obrigado meu neto.


Continuei a caminhar e o cheiro de bolo dava lugar ao cheiro do jantar que Suzana, minha mulher, preparava. Inf창ncia . Autora Cida Gimenez 2013


Historias que ficam da infância