Issuu on Google+

PRESS RELEASE Press Office Ana Silva Telefone Directo: +351 21 322 04 05 E-mail: ana.silva@eur.cushwake.com

Lisboa, 5 de Maio de 2009

INVESTI M EN TO IMOBIL IÁR IO EM LONDRES DESCE 76 %

No primeiro trimestre de 2009, o valor das transacções imobiliárias em Londres desceu 76% comparativamente com o primeiro trimestre de 2008. Comparando com o primeiro trimestre de 2007, quando o mercado se encontrava no auge, desceu 83%.

Segundo a consultora imobiliária global Cushman & Wakefield (C&W), no primeiro trimestre do ano foram transaccionados, no centro de Londres, cerca de 762 milhões de euros contra os 3,171 mil milhões do primeiro trimestre de 2008 e os 4,420 mil milhões do primeiro trimestre de 2007.

No entanto, o enfraquecimento da libra, e a queda de preços nos últimos 12 meses, tornaram o mercado imobiliário londrino mais atractivo para compradores estrangeiros e começou, aliás, a registar- se um aumento considerável de interesse pelos mercados da City e do West End nas últimas semanas.

No mercado londrino da City , foram transaccionados 527 milhões de euros, tendo como principais intervenientes os fundos alemães. No mercado do West End realizaram-se, no primeiro trimestre, transacções no valor de 224 milhões de euros, o que corresponde a 13% do valor do primeiro trimestre de 2008. O valor médio dos 14 negócios realizados foi de 16,3 milhões de euros.


2

Relativamente ao mercado do West End , Luís Rocha Antunes, Partner e Director do Departamento de Investimento da Cushman & Wakefield em Portugal, refere: “É evidente o crescente interesse e a maior actividade no mercado de West End . Apesar de se ter verificado um claro decréscimo de transacções no primeiro trimestre deste ano, existe um número significativo de contratos em fase de finalização. O enfraquecimento da libra teve um grande impacto no processo de decisão de compra dos investidores estrangeiros – alguns decidiram que era o momento ideal para investir no West End . Acentua-se uma clara distinção entre imóveis que oferecem um rendimento sólido, onde os preços se mantêm, e os imóveis não prime onde os yields continuam a subir.”

“Provavelmente ainda é cedo para dizer que se atingiu o fundo do mercado, em especial devido à contínua deterioração do mercado de arrendamento, mas existe claramente mais actividade, o que poderá resultar num maior número de transacções no segundo trimestre do ano”, conclui Luís Rocha Antunes.

Para mais informações contactar: Ana Silva Cushman & Wakefield Telef: 213 220 405 Fax: 213 432 117 Email: ana.silva@eur.cushwake.com Nota para os editores:

A Cushman & Wakefield é a maior empresa privada de serviços imobiliários do mundo. Fundada em 1917, a firma tem 230 escritórios em 58 países, contando com mais de 15.000 profissionais de imobiliário. A Cushman & Wakefield fornece soluções integradas aos seus clientes, ao aconselhar, implementar e gerir activamente todas as etapas do processo imobiliário, em representação de proprietários, inquilinos e investidores. Estas soluções incluem não só aconselhamento para venda, compra, financiamento, arrendamento e gestão de activos imobiliários, mas também avaliações, planeamento estratégico e research, análise de portfólios e assistência na selecção de localizações, entre muitos outros serviços. Somos reconhecidos mundialmente pela qualidade dos nossos estudos sobre os mais variados sectores de imobiliário, que pode


3

encontrar no Knowledge www.cushmanwakefield.com.

Center

no

nosso

website


normal