Page 1

PRESS RELEASE Press Office Ana Silva Telefone Directo: +351 21 322 04 05 E-mail: ana.silva@eur.cushwake.com

Lisboa, 28 de Janeiro 2009

EM 2008, A CRISE ECONÓMICA PREJUDICOU O CRESCIMENTO MUNDIAL DO MERCADO HOTELEIRO 2008 foi um ano relativamente fraco no que respeita aos mercados mais importantes de hotelaria, com o RevPAR (preço médio por quarto disponível) a registar descidas consideráveis. O investimento em hotéis acompanhou também esta tendência, tendo o mercado de Londres atraído somente 500 milhões de libras de investimento contra as 1,5 mil milhões de 2005. Estes dados foram recolhidos pela STR Global e apresentados pela consultora imobiliária Cushman & Wakefield (C&W) , numa conferência de investimento hoteleiro que teve lugar em Londres. Na Europa, em 2008, o RevPAR desceu 4,2% em contraste com o crescimento de 5,9% que registou em 2007. Nos Estados Unidos, este indicador desceu no ano passado 1,3% contra o crescimento de 5,7% em 2007. Na região da Ásia-Pacífico o crescimento abrandou de 12,2% para 4%, tendo nas zonas de Médio-Oriente e Africa crescido uns significativos 19,5%.

Comparando os resultados de Dezembro de 2007 com os de Dezembro de 2008 verifica-se um cenário pouco favorável para a maioria dos mercados europeus. O RevPAR registou descidas de 20% em Itália, na Holanda e em Espanha. Apesar de um melhor desempenho que os restantes países, o RevPAR na Bélgica e a Alemanha desceu de 2,6% e 6,4%, respectivamente.

Os países com melhores resultados a nível de RevPAR em 2008 foram a Bélgica e a Alemanha, onde se registou um crescimento de 4,6% e 4,1%, respectivamente. Por outro lado, Itália e Espanha registaram as maiores descidas com -9,9% e -5,4%, respectivamente. O Reino Unido registou uma performance estável, com 0,1% de crescimento anual.

Os níveis de ocupação também desceram na maioria dos mercados europeus. Praga registou a maior descida -23,4%. Amesterdão desceu 18,7% e Budapeste 12,4%, Moscovo e Roma registaram uma descida de 11%.


2

Segundo Jorge Catarino, Partner e Director de Hospitality da C&W em Portugal “A previsão para 2009 não é particularmente animadora se bem que estamos a encerrar um ciclo. As pessoas continuam a viajar, mas as viagens de negócios estão a abrandar e os consumidores estão aparentemente a realizar menos férias. Quando o mercado melhorar serão as marcas e os destinos já consolidados que irão manter os preços e aumentar os níveis de ocupação mais rapidamente.” O investimento no mercado hoteleiro europeu continuou a ser relativamente activo em 2008, sendo França o país que atraiu mais investimento, liderado pela aquisição de 57 hotéis Accor pela Caísse des Depots, seguida pelo Reino Unido e Escandinávia. Em 2007, o Reino Unido atraiu o maior investimento, seguido de França e África. Um dos maiores negócios realizados em 2008, em Londres, foi a aquisição dos restantes 50% do Hotel Andaz pela Global Hyatt Corporation , no valor de cerca de 200 milhões de libras. Em 2008, foram investidos nos hotéis londrinos cerca de 500 milhões de libras, valor que embora semelhante ao de 2007, desceu consideravelmente se comparado com os 1,5 mil milhões de libras de 2005. Jorge Catarino comenta “A nacionalidade dos investidores na Europa tem-se alterado significativamente durante os últimos quatro anos. O interesse dos compradores norteamericanos tem decrescido claramente, sobretudo quando comparando com os compradores europeus, que têm aumentado consideravelmente. Em 2008, os compradores do Reino Unido tiveram um ano pouco dinâmico, embora os compradores do Médio Oriente tenham demonstrado maior interesse na região”. Em Portugal, o número e volume de transacções de hotéis foi relativamente reduzido em 2008, devendo manter- se baixo no primeiro semestre deste ano. Porém, é provável que na segunda metade do ano se assistam a algumas fusões e aquisições, com a integração de unidades hoteleiras independentes ou de menor dimensão em redes ou cadeias hoteleiras, ou grupos de maior dimensão.

Para mais informações contactar: Ana Silva Cushman & Wakefield Telef: 213 220 405 Fax: 213 432 117 Email: ana.silva@eur.cushwake.com Nota para os editores:

A Cushman & Wakefield é a maior empresa privada de serviços imobiliários do mundo. Fundada em 1917, a firma tem 227 escritórios em 59 países, contando com mais de 15.000 profissionais de imobiliário. A Cushman & Wakefield fornece soluções integradas aos seus clientes, ao aconselhar, implementar e gerir activamente todas as etapas do processo imobiliário, em representação de proprietários, inquilinos e


3

investidores. Estas soluções incluem não só aconselhamento para venda, compra, financiamento, arrendamento e gestão de activos imobiliários, mas também avaliações, planeamento estratégico e research, análise de portfólios e assistência na selecção de localizações, entre muitos outros serviços. Somos reconhecidos mundialmente pela qualidade dos nossos estudos sobre os mais variados sectores de imobiliário, que pode encontrar no Knowledge Center no nosso website www.cushmanwakefield.com.

normal  

EM 2008, A CRISE ECONÓMICA PREJUDICOU O CRESCIMENTO MUNDIAL DO MERCADO HOTELEIRO Press Office Ana Silva Telefone Directo: +351 21 322 04 05...

Advertisement