Page 1


Caçado. Humilhada. Feridos. Espancaram minha cor, meu sexo, meu ser, nosso amor. Me Subjugaram. Seu cuspe na minha cara. Toda estapeada. Meu olho roxo. Sinto-me sufocado. Preso em seu preconceito. Em sua mente pequena. Meu sexo não é frágil. Minha orientação não é escolha, é parte de mim. Seu fanatismo despreza. Me corta a face. Apunhala. Nos manda pilotar o fogão, que lá é nosso lugar. Tu dizes que meu problema é falta de rola para me colocar nos eixos. Que me faltou porrada pra tomar jeito de homem. E meu cabelo é de palha. Me chama de louca quando não aceita meu NÃO. Nos chama de macacos quando não aceita nossos diplomas.


Seu ódio corta orelha, fere pai, fere mãe, fere filho. Meu feminino fere seu masculino. Seu masculino estupra meu feminino. Sua burrice não aceita meu novo nome. Sua ignorância não aceita minha mudança. Somos caçados. Amarrados, nos prendem. Nos tribunais populares, Postes tornaram-se troncos modernos. Presos. Julgados. Condenados. Nas bancadas, somos foras da lei. Mas nossa dor nos fortalece, nos une. Nossas mãos dadas é luta. Sua caçada não nos esmorece. Para cada Donati que perdermos haverá uma Penha. Para cada cabeça cortada, duas surgirão mais fortes. E nada nos esmorecerá. Enquanto UM for perdido para a brutalidade e estupidez, não desistiremos. Todos os dias, em algum canto do mundo, uma mulher é violentada. Um negro sofre racismo. Homossexuais, mortos.


No Brasil, mulheres, trans, travestis, negros, gays, lésbicas são perseguidos, violentados. De seres humanos nos tornamos presas. Estatísticas. 3 em cada 5 mulheres. 2,6 vezes mais negros que brancos. Contra as travestis (26,8%)... Um universo de vergonhosos números. E assim, nossa humanidade se perde um pouco mais. Lutemos para que não se perca por completo. Se assim acontecer. A lâmpada venceu. Fomos exterminados. Literalmente caçados.


“Segundo o Mapa da Violência 2015, dos 4.762 assassinatos de mulheres registrados em 2013 no Brasil, 50,3% foram cometidos por familiares, sendo que em 33,2% destes casos, o crime foi praticado pelo parceiro ou ex (...) O Mapa também mostra que a taxa de assassinatos de mulheres negras aumentou 54% em dez anos, passando de 1.864, em 2003, para 2.875, em 2013. Chama atenção que no mesmo período o número de homicídios de mulheres brancas tenha diminuído 9,8%, caindo de 1.747, em 2003, para 1.576, em 2013 (...) usando dados do Ministério da Saúde, o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) analisou os registros de violência sexual e concluiu que 89% das vítimas são do sexo feminino e em geral têm baixa escolaridade. Do total, 70% são crianças e adolescentes. Em metade das ocorrências envolvendo crianças, há um histórico de estupros anteriores. 70% dos estupros são cometidos por parentes, namorados ou amigos/conhecidos da vítima”1


Evolução das taxas de homicídio de mulheres (por 100 mil). 2 Brasil. 2003/2013

2003

2013


“Vemos que ser LGBT, infelizmente, ainda configura uma situação de risco. Violações de direitos são cometidas com frequência e por motivações diversas (...) Entre os tipos de homofobia, podem-se apontar a homofobia institucional (formas pelas quais instituições discriminam pessoas em função de sua orientação sexual ou identidade de gênero presumida) e os crimes de ódio de caráter homofóbico, ou seja, violências, tipificadas pelo código penal, cometidas em função da orientação sexual ou identidade de gênero presumidas da vítima. A homofobia presente na estrutura da sociedade brasileira vitimiza não apenas a população LGBT cujas oportunidades são limitadas pelo preconceito, mas qualquer indivíduo em que a identidade de gênero seja percebida como diferente da heterossexual (...) Em 2013, foram registradas pelo Disque Direitos Humanos (Disque 100) 1.695 denúncias de 3.398 violações relacionadas à população LGBT, envolvendo 1.906 vítimas e 2.461 suspeitos”3...................


2008

2016

Assassinatos da População LGBT. 4 Brasil. 2008/2016


“A maioria das vítimas de homicídios por arma de fogo continua sendo formada por homens jovens e negros (...) Se no ano de 2003 foram cometidos 13.224 HAF na população branca, em 2014 esse número desce para 9.766, o que representa uma queda de 26,1%; em contrapartida, o número de vítimas negras passa de 20.291 para 29.813, aumento de 46,9% (...) A vitimização negra no país (Tabela 9.3) que, em 2003, era de 71,7% (morrem, proporcionalmente, 71,7% mais negros que brancos), pula para 158,9%, em 2014 (...) No Paraná, o índice de vitimização é praticamente o dobro: taxa de 22,0 HAF brancos para 11,6 de negros. Em contraposição, em Alagoas, em 2014, foram assassinados 60 brancos e 1.702 negros! Taxas de 6,4 HAF brancos para 71,7 negros. Vitimização negra neste estado: 1.028,2% (morrem assassinados, proporcionalmente, acima de 11 negros por cada branco)”5 “as taxas de homicídio, de 2003 a 2013, entre os jovens negros de 16 a 17 anos cresceu 32,7%”6 .............................


2003

2013

Evolução das taxas de Homicídios de Mulheres Negras. 7 Brasil. 2003/2013


Genderless Red Chapter 01: Haunted Concepção Artística e Coreografia: Chris, The Red Fotos: Alex Amaral e Anderson Alves Style: Luciano Sekera Make Up: Silvia Castro Espaço: Escola de Dança Etoile Projeto Gráfico e Diagramação: The Red | graphic & web design Texto de Abertura: Chris, The Red Música: Beyoncé - Haunted Referências 1. Disponível em http://www.compromissoeatitude.org.br/alguns-numeros-sobre-aviolencia-contra-as-mulheres-no-brasil/. Acesso em 26 de junho de 2017. 2. Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil (Flacso/OPAS-OMS/ SPM, 2015). Disponível em http://agenciapatriciagalvao.org.br/wp-content/ uploads/2015/11/MapaViolencia_2015_homicidiodemulheres.pdf. Acesso em 26 de junho de 2017. 3. Relatório de Violência Homofóbica no Brasil: ano 2013. Disponível em http://www. sdh.gov.br/assuntos/lgbt/dados-estatisticos/Relatorio2013.pdf. Acesso em 26 de junho de 2017. 4. Disponível em http://virgula.uol.com.br/comportamento/uma-morte-acada-25-horas-brasil-e-pais-que-mais-mata-lgbts-por-homofobia-nomundo/#img=1&galleryId=1100538. Acesso em 26 de junho de 2017. 5. Mapa da Violência 2016: Homicídio por Armas de Fogo no Brasil (Julio Jacobo Waiselfisz). Disponível em http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2016/Mapa2016_ armas_web.pdf. Acesso em 26 de junho de 2017. 6. Disponível em http://brasildebate.com.br/a-violencia-contra-negros-no-brasil/. Acesso em 26 de junho de 2017. 7. Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil (Flacso/OPAS-OMS/ SPM, 2015). Disponível em http://agenciapatriciagalvao.org.br/wp-content/ uploads/2015/11/MapaViolencia_2015_homicidiodemulheres.pdf. Acesso em 26 de junho de 2017.


Genderless Red: Chapter 01 Haunted  

www.thered.com.br