Revista SABERES / Maio de 2022

Page 1

Edição maio 2022

Revista

SABERES Naturopatia

PROBIÓTICOS E SUA IMPORTÂNCIA NA FUNÇÃO GASTROINTESTINAL

O Todo Aromaterapia da prática milenar à ciência

Naturopatia é Ciência e é holística

O holístico e a ciência NATUROPATIA E NEUROCIÊNCIA NATUROPATASDOBRASIL.ORG

HOLISMO E CIÊNCIA EPIGENÉTICA E NATUROPATIA


Revista

SABERES Naturopatia Editorial

É só dar uma “olhada no mundo” para confirmar: literalmente o holístico está em toda parte. Antes estava apenas na mente de profissionais da saúde holística e da filosofia que lidam com o assunto. Mas depois dessa reviravolta mundial a gente tem mesmo é que falar mais no tema. Por uma ciência menos reducionista, já que até mesmo nosso DNA não é mais visto como determinista e sofre modificação do meio ambiente. O todo conversa mesmo com as nossas partes. E @naturopatasdobrasil conversa com tudo isso, porque há muita seriedade e importância numa vida mais integrativa.

Diretora de conteúdo

COMUNIDADE BRASILERIA DE NATUROPATIA


Revista

SABERES Naturopatia Nesta Edição Naturopatia é Ciência e é holística O Todo EPIGENÉTICA E NATUROPATIA NATUROPATIA E NEUROCIÊNCIA Aromaterapia da prática milenar à ciência PROBIÓTICOS E SUA IMPORTÂNCIA NA FUNÇÃO GASTROINTESTINAL HOLISMO E CIÊNCIA


Editorial de Naturopatia, saúde holística, bem-estar e beleza.

Revista

SABERES

Produção executiva Chris Buarque

Naturopatia

Comunidade Brasileira de Naturopatia

Editora digital Milena Buarque Revisão editorial Claudia Lopes Versão digital da revista no site: www.naturopatasdobrasil.org Para publicidade E-mail: naturopatasdobrasil@gmail.com Entre em contato: Celular: +55 (11) 97123 0252 São Paulo- Brasil @naturopatasdobrasil naturopatasdobrasil www.youtube.com/naturopatasdobrasil naturopatasdobrasil@gmail.com Certificación Internacional

Naturopatas do Brasil

Naturopatía AZUL

Naturopatas do Brasil

Cruelty free

www.naturopatasdobrasil.org Todos os Direitos Reservados. NATUROPATHY HEALTH WELLNESS BEAUTY LIFE FOOD

Edição maio 2022


Revista

SABERES Naturopatia Colaboram nesta edição

Ana Veloso

Flavia Banchieri

Acupuntura

Delegada Internacional da ANNCH

Vice-presidente da APSANA

(Associacão de Naturopatas de Chile)

(Associação Europeia de

Membro colaborador

Profissionais de Saúde Natural)

Conselho Consultivo da

Membro colaborador

Comunidade Brasileira de Naturopatia.

Conselho Consultivo da

Uruguai

Formadora Especialista em

Naturopata

Comunidade Brasileira de Naturopatia.

Portugal

Eugenia Reboll Naturopata e delegada internacional da ANNCH (Associacão de Naturopatas de Chile)

Venezuela


Revista

SABERES Naturopatia Colaboram nesta edição

Leonor Vilela

Naturopata graduada pelo Instituto Português de Naturologia Membro Colaborador da Comunidade Brasileira de Naturopatia

Lorna Estefanía Fernández Naturopata Delegada internacional da ANNCH México

México

Portugal

Giulietta Nadia Mariani Naturopata Homeosinérgica Itália

Claudia Sampaio

Membro colaborador da Comunidade Brasileira de Naturopatia RP e Comitê de Iridologia Brasil


Revista

SABERES Naturopatia Naturopatia é Ciência E é Holística. Por Chris Buarque


Revista

SABERES Naturopatia Naturopatia é Ciência E é Holística.

A Naturopatia é interdisciplinar. Seus pilares têm como fundamentos as relações entre diferentes áreas do conhecimento. É holística por contemplar o ser humano como um todo, sem segmentá-lo. É ciência quando pesquisa a complexidade sobre todas as dores: física, mental, emocional e espiritual. Isso porque o “manejo da dor” inclui disciplinas como fisiologia, anatomia, biologia e ciências do comportamento humano. A Naturopatia tem eficácia. Os excelentes resultados sobre a qualidade da vida podem ser comprometidos pela falta de habilidade profissional e/ou pelas condições de saúde do paciente, mas não pelos atributos do sistema em si. Analogamente seria como duvidar, por exemplo, da eficácia da psicologia, quando o que pode ser discutida é a efetividade de uma terapia para determinado quadro clínico. O caráter científico da Naturopatia pode tornar-se comprometido através dos meios como os serviços são apresentados. Alguns deles fazem parecer que são baseados em “achismos”, tendências de mercado ou revelações do "oculto".


Revista

SABERES Naturopatia Naturopatia é Ciência E é Holística. Já passamos pela

Trata-se da Ciência da vida

nomenclatura “alternativa” e

saudável. Atribui maior

mais recentemente adotamos o

importância ao aspecto

uso do termo complementar.

preventivo dos cuidados de

Sendo este, aquele que se

saúde do que ao aspecto

adequa melhor à

curativo.

interdisciplinaridade. Viver no

A cada consulta busca renovar

século XXI e recorrer a métodos

a convivência do Homem

de tratamento de 5.000 anos

consigo mesmo e com a

pode trazer para alguns certa

natureza que o cerca. Por isso,

incredulidade. Mas os recursos

é vitalista e restaurativa.

da natureza antecedem a nossa

Acreditamos que o ser humano

existência. Nossa própria

deva ser a sua “própria unidade

essência antecede a cada um

básica de saúde”.

de nós. Então a Naturopatia é

Assim, as definições de saúde e

um reecontro bem-vindo com

doença são vistas de forma

aquilo que nos é mais caro:

diferente do tradicional.

viver com vitalidade.


Revista

SABERES Naturopatia Naturopatia é Ciência E é Holística.

Num primeiro momento, isso pode gerar um olhar “simplista ou místico”. No entanto, esses conceitos têm aplicabilidade e origem na filosofia. Enxergar a saúde ou ausência dela numa pluralidade pode ainda ser uma adaptação aos novos tempos. Mudar hábitos para um novo estilo de vida significa mexer com crenças, tradições e culturas familiares. Mas até onde não houver cura pode haver dignidade. E a Naturopatia, como sistema de saúde humanista e humanizado, estará lá. @chris_buarque


Revista

SABERES Naturopatia

"A cura está ligada ao tempo e às vezes também às circunstâncias." — Hipócrates


Revista

SABERES Naturopatia por Ana Veloso

O Todo


Revista

SABERES Naturopatia O Todo Na perspectiva do agora, a história da humanidade, no que concerne à visão da saúde e dos sistemas de tratamento associados, retrata um percurso sinuoso de avanços e recuos, numa viagem em que os preceitos, sensibilidades, conceitos filosóficos e influências várias (religiosas, sociais, econômicas, políticas etc.) divergem e fazem evoluir distintamente o entendimento da cura, de acordo com o momento, o contexto e o ponto do globo. Inegável será dizer que algum dia atrás no tempo, partindo do ponto “zero”, a existência era somente o Homem e a Natureza, melhor dizendo, o Homem como parte da Natureza: o Homem vazio de aprendizagem, a Natureza plena de ensinamento. A exemplo do que acontece na vida de cada um de nós, nascemos com a potencialidade de tudo, de aprendermos tudo o que haja para absorver, de sermos tudo o que quisermos ser, se assim nós decidamos. No entanto, sabemos também que as grandes aprendizagens se fazem impulsionadas pela necessidade, sempre que os desafios se deparem no nosso caminho e nos impeçam o avanço e o movimento. O obstáculo é a evolução vestida de dificuldade para que nada fique como está e se ascenda ao próximo degrau de consciência.


Revista

SABERES Naturopatia O Todo Foram várias as adversidades que estiveram na origem da evolução humana. A necessidade de sobrevivência aos fatores climáticos, à ameaça dos predadores, à fome, às guerras e outros perigos empurraram o Homem para um aprimorar do conhecimento da ordem e das dádivas da Natureza, conscientizando-se do seu lugar no todo da dinâmica natural, acumulando experiência que se transformaria em sabedoria, nomeadamente, quanto aos alimentos e outras substâncias que o meio envolvente colocava ao seu dispor, quer fosse para a sua subsistência, quer para a sua cura. Dessa forma foi conseguida a preservação da espécie.


Revista

SABERES Naturopatia O Todo A palavra “Holismo” deriva do grego “Holos” que significa “Todo” ou “Inteiro”. Se atentarmos não só ao que atrás foi referido, mas colocando também na primeira pessoa, respondamos às questões: como sobreviveríamos isolados? Como sobreviveríamos integrados numa natureza estéril ou não tão graciosa? Não será difícil entender, pelas respostas que passam de imediato pelas nossas cabeças, qual é a importância do Todo, ou seja, a influência que esse “Todo” aporta e implica para a preservação da vida. Há aproximadamente 5000 anos atrás, na China, começava a dar os primeiros passos um sistema de medicina que ainda hoje é praticado por todo o mundo, com validade incontestável. Trata-se de uma medicina influenciada por várias correntes filosóficas e religiosas, nomeadamente, pelo taoismo, que preconiza nos seus princípios básicos este conceito do “Todo”. Este sistema, conhecido como Medicina Tradicional Chinesa, assenta toda a sua teoria no equilíbrio, espontaneidade, dinamismo e ordem da Natureza, transpondo essa mesma mecânica e representação para a saúde humana, no pressuposto de que, sendo o Homem parte desse Todo, partilha internamente das suas caraterísticas, formatação e processos.


Revista

SABERES Naturopatia

Assim sendo, criaram uma teoria

O Todo

Metal e Água, são representados no

em que Cinco Elementos básicos da Natureza, Madeira, Fogo, Terra, Homem, cada um deles associado a um órgão e uma víscera (à exceção do Fogo), a um órgão dos sentidos, a uma estrutura física, a um agente patogênico, a uma emoção, a uma vertente mental etc. Todos os aspectos relatados, quer seja dentro ou fora de cada um dos elementos, não existem em separado, como não vivem isoladamente pela “existência fora”, pelo que devem ser analisados levando em conta o Todo, sejam eles funções, estruturas físicas ou aspectos “insubstanciais”, como as emoções, por exemplo. Na Medicina Tradicional Chinesa, falar de um órgão é falar não só do órgão físico, mas também do canal energético, das funções energéticas e fisiológicas, da emoção e do aspecto mental associado.


Revista

SABERES Naturopatia O Todo Valoriza-se a totalidade e a abrangência do Ser. Nada existe separado de nada e tudo se influencia mutuamente. Também na natureza a Água alimenta a Madeira, a Madeira alimenta o Fogo, o Fogo alimenta a Terra, a Terra alimenta o Metal e o Metal alimenta a Água. Assim é dentro de cada Homem. Sendo que o Homem não existe separado do meio, ele interage com toda a realidade envolvente, não só com a Natureza como meio físico, mas também com o meio familiar, com o meio social e com o meio econômico em que se integra. Todos estes pressupostos referidos transcendem as fronteiras da animalidade humana que torna esta forma de fazer saúde muito mais inteira, mais integrativa, não perdendo nunca a visão do “Holos” que se esconde muitas vezes na etiologia dos desequilíbrios ou na sua resolução. Pena é que o desgaste da palavra “Holismo” pese tanto no seu conceito nos dias de hoje. Por outro lado, a ignorância da semântica não deve e nem pode ser obstáculo ao fluir da potencialidade latente de ampliação da consciência. As resistências são várias, mas nos dão oportunidade de ponderarmos, não implicando, de forma alguma, falta de persistência nos propósitos válidos.


Revista

SABERES Naturopatia O Todo A impermanência é o valor mais certo da vida e assegura-nos a evolução e a mudança. Durante muito tempo, o caminho levou o Homem à valorização do pormenor e inerente afunilamento de visão, castrando a perspectiva holística. Mas tudo está sempre certo a cada momento, porque todos os estágios são válidos para o acúmulo de experiência e facilitação do processo evolutivo. A especialização é um importante passo no conhecimento, mas ao viver divorciada do Todo perde ela própria eficácia. O Todo não é a simples soma das partes. Eis, então, que se começa a fazer o caminho de retorno à raiz de que nunca saímos, agora mais enriquecido. Equipes multidisciplinares integram aprendizados e experiências distintos, acrescentando e valorizando holisticamente a saúde, em benefício do Homem. Perca-se o medo. Ganhe-se a coragem. Persevere-se no respeito da natureza e individualidade humanas. Juntem-se as cores que acrescentem valor e jamais seja esquecida a fervorosa espontaneidade da vida. @ana.veloso.790


Revista

SABERES Naturopatia Há verdadeiramente duas coisas diferentes: Saber e crer que se sabe. A ciência consiste em saber; em crer que se sabe, reside a ignorância. — Hipócrates


Revista

SABERES Naturopatia Epigenética e naturopatia por Eugenia Reboll

A Epigenética "está na moda". Em todos os lugares aparece mencionada em artigos publicados na grande mídia. E há razões para isso. O desenvolvimento dessa nova ciência perturbou os fundamentos da biologia e virou os geneticistas de cabeça para baixo, enquanto, por outro lado, deu um enorme endosso às práticas da Naturopatia. Agora veremos como. O ser humano sempre se impressionou com a semelhança entre pais e filhos e na família. Não apenas entre pessoas, também em animais e plantas. É o que se chama de herança genética e tem a ver com os traços biológicos e psicológicos que herdamos de nossa família.


Revista

SABERES Naturopatia Epigenética e naturopatia

Um gene é uma unidade funcional e física de hereditariedade que é passada de pai para filho. Os genes carregam informações que determinam nossos traços, ou seja, aspectos ou características de como somos e o que nossos pais nos transmitem (deles os herdamos). Na década de 1940, os experimentos de Frederick Griffith, Oswald Avery e seus colegas, e os de Alfred Hershey e Martha Chase, revelaram que os genes estão localizados no DNA (ácido desoxirribonucleico), que é uma enorme molécula química. Ou seja, os genes são segmentos de DNA. Na década de 1970, as pesquisas continuaram avançando. O entusiasmo pela genética era enorme, era o “tema quente”. Desde o início da Era da Genética, fomos ensinados a aceitar que estamos sujeitos ao poder de nossos genes. O mundo está cheio de pessoas que vivem com medo constante de que, em algum dia inesperado, seus genes se voltem contra elas. Há muitas pessoas que acreditam que são uma bomba-relógio: esperam que o câncer aconteça em suas vidas da mesma forma que ocorreu na vida de sua mãe, de seus irmãos ou de um tio. Mas aconteceu algo que veio para romper essas concepções.


Revista

SABERES Naturopatia Epigenética e naturopatia

Vamos nos localizar em 1990, aproximadamente 30 anos atrás. A humanidade estava se preparando para o evento científico do século: a decifração do código genético. Cientistas de todo o mundo se reuniram no chamado Projeto Genoma Humano, um programa de pesquisa colaborativo e internacional cujo objetivo era o mapeamento (cartografia) e a compreensão completa de todos os genes do ser humano. Esse projeto colocaria à disposição da humanidade a possibilidade de saber como é constituído todo o seu DNA, já que até hoje apenas alguns genes eram conhecidos.


Revista

SABERES Naturopatia Epigenética e naturopatia

Um gigantesco estudo científico que consistia na leitura da sequência dos pares de bases químicas que se sabia compor o DNA. Era como traduzir um documento escrito em um idioma desconhecido. De acordo com essa concepção, tudo está no DNA: a cor da sua pele, dos seus olhos e do seu cabelo. Sua altura, sua aparência corporal, suas características faciais, a forma do seu corpo. Mesmo a facilidade ou resistência a certas doenças. Pensava-se que o DNA era o único responsável por nossas características físicas, acreditava-se até que os genes também controlavam nossas emoções e comportamento. Portanto, se as informações contidas no DNA pudessem ser decifradas, ia obter-se a chave para o desenho personalizado dos medicamentos que cada pessoa precisaria para tratar, e até prevenir, todos os tipos de doenças, que se esperava que herdassem de seus pais, avós e outros ancestrais. Um dos objetivos específicos do Projeto Genoma Humano era identificar os cerca de 100.000 genes humanos no DNA, que se acreditava compô-lo. Esse valor era uma estimativa provável. Em 2003, dois anos antes do esperado, a sequência de DNA de humanos foi publicada. Os resultados não foram os esperados.


Revista

SABERES Naturopatia Epigenética e naturopatia

Surpreendentemente, eles descobriram que o número de genes na espécie humana estava entre 20.000 e 25.000, e não os cerca de 100.000 estimados. Isso intrigou os pesquisadores. Esse número parece contraditório, pois o genoma do arroz possui 50.000 genes. Como é possível que um ser vivo muito menos complexo que um ser humano possa ter o dobro de genes, se nos considerarmos a mais alta expressão da evolução neste planeta? O corpo humano, formado por cerca de cinquenta trilhões de células, tem apenas 1.500 genes a mais do que um verme microscópico lento e invertebrado, com suas mil células. Mais de oitenta por cento do DNA supostamente necessário não existia!


Revista

SABERES Naturopatia Epigenética e naturopatia

Por outro lado, os pesquisadores descobriram que as diferenças entre gêmeos idênticos não podiam ser explicadas. Pessoas nascidas do mesmo óvulo, da mesma placenta, que têm exatamente a mesma sequência em seu DNA, mas que podem ter pequenas diferenças físicas e até ter tendência a adoecer de forma diferente. Então isso gerou muitas indagações. Nem poderia ser explicado como é que em humanos existem cerca de 200 tipos diferentes de células. Todos eles com o mesmo genoma e, portanto, com a mesma cadeia de DNA. Diante de toda essa perplexidade com os resultados obtidos, surge o termo “Epigenética”, que havia sido cunhado por Conrad Hal Waddington, biólogo e geneticista britânico, em 1942 para se referir ao estudo das interações entre os genes e o ambiente que ocorrem nos organismos. Hoje a Epigenética é definida como a ciência que estuda as mudanças hereditárias na função dos genes que ocorrem sem uma mudança na sequência do DNA. Mudanças que ocorrem devido ao efeito do ambiente. Graças à Epigenética agora podemos ficar mais tranquilos, entendendo que, embora herdemos tendências a certas doenças, não está escrito que devemos sofrer delas.


Revista

SABERES Naturopatia Epigenética e naturopatia

Para evitá-las, deve-se levar em consideração o meio ambiente, ou seja, os hábitos de vida que praticamos. Não será mais necessário retirar os seios se sua mãe sofria desse tipo de câncer, como aconteceu com certa atriz famosa. Aqui já podemos observar as coincidências com a Naturopatia. Ao contrário da medicina convencional, que divide o corpo em categorias cada vez mais especializadas, tanto a Naturopatia quanto a Epigenética têm uma visão holística do organismo humano como um todo altamente interconectado com seu entorno, e que não é necessário ou conveniente dividir para entender como funciona. O todo é maior que a soma das partes. Em seguida, o conceito de "holismo" é reivindicado, uma das bases filosóficas da Naturopatia. Lembremos que o Holismo estabelece que para alcançar a saúde, todos os aspectos de um indivíduo devem ser considerados e que o bem-estar depende de um estilo de vida saudável e da saúde do meio ambiente. Não podemos ser saudáveis se o nosso ambiente não for.


Revista

SABERES Naturopatia Epigenética e naturopatia

Tudo o que os Naturopatas proclamam há décadas sobre como promover a saúde, e que a doença é produto da interação entre nosso corpo, nossa mente e o meio ambiente, está sendo validado por pesquisas no campo da Epigenética. Mais e mais trabalhos estão sendo publicados todos os dias sobre como os alimentos, suplementos, gerenciamento de estresse, exercícios, luz solar e paz de espírito influenciam a saúde. Eles descobriram apenas que os postulados básicos da Naturopatia têm uma base científica. Esta conclusão é de extrema importância e os Naturopatas devem estar cientes disso, pois a ciência agora nos valida. Graças à Epigenética. @eugeniareboll


Revista

SABERES Naturopatia

"Tuas forças naturais, as que estão dentro de ti, serão as que curarão suas doenças." — Hipócrates


Revista

SABERES Naturopatia Naturopatia e

neurociência

Como a música restabelece a saúde por Flavia Banchieri


Revista

SABERES Naturopatia Como a música restabelece a saúde A Naturopatia está muito mais perto da ciência do que as pessoas imaginam, já que tudo o que forma parte do “mundo holístico” há muitos anos vem sendo demonstrado cientificamente. Nós, naturopatas, contamos com centenas de investigações, pesquisas, teses, estatísticas, com documentação indexada em periódicos de referência. E é justamente graças às comprovações que podemos demostrar que, através das técnicas naturopáticas, podemos melhorar a saúde do ser humano e, restabelecendo o equilíbrio no ser humano, sua relação com a natureza. Nesta oportunidade, desejo compartilhar com os queridos leitores a minha experiência com a Naturopatia, a Musicoterapia e a Neurociência. Começarei explicando que o som é uma vibração que se manifesta nos números. Os sons geram em distintas pessoas e animais experiências e sensações únicas. Por exemplo, o gotejar de uma torneira e a insistente buzina de um carro podem provocar ansiedade e até mesmo irritação.


Revista

SABERES Naturopatia Como a música restabelece a saúde Pelo contrário, o rumor do oceano e o ulular do vento entre as árvores podem nos deixar cheios de sentimentos satisfatórios. Só é questão de fazer vibrar as partículas de “nossa água” em determinadas vibrações específicas. Com a música, equilibramos os hemisférios cerebrais, estimulamos os sentidos, aprimoramos a concentração, potencializamos a intuição, melhoramos a saúde e desenvolvemos um bom funcionamento de todos os órgãos e funções do corpo (controlamos a fome, a sede, a sexualidade e o ciclo do sono). Também está cientificamente demostrado que a Musicoterapia ajuda em casos de autismo. Com a música podemos modular os níveis de cortisol que geram tristeza; ativamos a dopamina quando escutamos a música que mais gostamos; potencializamos a serotonina, que favorece um estado de felicidade, e logo isso se converte em melatonina para dormirmos melhor.


Revista

SABERES Naturopatia Como a música restabelece a saúde O som surdo como de pisadas faz com que uma serpente experimente uma tensão negativa, mas, um suave canto, pode fazê-la dançar. Assim mesmo, várias culturas descobriram e desfrutam dos benefícios dos Mantras (palavras em sânscrito cantadas com o poder de gerar efeitos altamente positivos ao nível espiritual e utilizadas como instrumento em nível mental). Nós, naturopatas, utilizamos muito os “Sons Solfeggios”. Estes sons são frequências usadas desde a antiguidade nos cantos


Revista

SABERES Naturopatia Como a música restabelece a saúde gregorianos, foram redescobertas pelo Dr. Joseph Puleo e publicadas por Leonard Horowitz. Segundo estudos científicos, estas frequências têm a capacidade de modificar a matéria e a consciência dos seres vivos, ajudando nos processos de restauração do equilíbrio do corpo, mente e espírito para alcançarmos um estado ótimo de saúde. Cada frequência Solfeggio tem uma função benéfica específica: “UT 396 Hz” para a liberação do medo e a culpa, “RE 417 Hz” para a transmutação de padrões emocionais cristalizados, “MI 528 Hz” para a reparação do ADN, “FA 639 Hz” para as emoções fortes e cardiopatias, “SOL 741 Hz” para despertar a intuição, “LA 852 Hz” para o ordem espiritual. São frequências que devem ser ouvidas cada dia durante oito semanas para começar com as mudanças positivas à saúde. A neurociência demostrou que existem frequências restauradoras (369 Hz, 417 Hz, 432 Hz, 528 Hz, 852 Hz até 963 Hz, conhecida como a “Frequência de Deus”).


Revista

SABERES Naturopatia Como a música restabelece a saúde Devido ao movimento drástico do eixo do planeta Terra no ano 2004, toda a vida sofreu alterações: tanto o ser humano em todos os corpos (físico, mental, emocional e espiritual) como o planeta sofreram também efeitos negativos que variam desde tsunamis até aceleração do tempo. Precisamente por este motivo, necessitamos frequências mais elevadas para não adoecermos. Agora que já temos esse conhecimento sobre os benefícios da música em nossa vida, desejo compartilhar algumas experiências pessoais. Quando chegou a pandemia de Covid-19 ao Uruguai, enfrentamos um sério problema: não tínhamos suficientes respiradores e, no caso de precisá-los (coisa que finalmente não foi necessária), o assunto ia ser grave. Então, junto com músicos profissionais, de maneira privada, estudei uma forma de ajudar através da música, alterando e modificando


Revista

SABERES Naturopatia Como a música restabelece a saúde as partículas de água do corpo, gerando certas vibrações seguindo determinados padrões e códigos musicais. Toda enfermidade tem seu próprio código ou padrão. Se aplicamos então aquele que é correspondente, restabelecemos em pouco tempo o equilíbrio perdido no organismo, melhorando assim a saúde (no caso do oxigênio no sangue, o padrão musical restaurativo é “FA DO SOL8 LA MI MI MI”; para enfermidades respiratórias, é “SI LA MI FA MI DO SOL8”). Esta descoberta foi baseada seguindo a experiência do Dr. Masaru Emoto, quem descobriu que as partículas da água reagiam quando eram expostas a diferentes vibrações, e em uma experiência muito interessante que eu tive com a água. No ano 2015 no Uruguai, tivemos um problema com um dos elementos da natureza: contaminação da água de nossos mananciais que eram vendidas para consumo no mercado.


Revista

SABERES Naturopatia Como a música restabelece a saúde Grandes colônias de bactérias apareciam misteriosamente nas garrafas, uns dias após ser envasada, apesar de ser filtrada com filtro tamanho “capilar”. Então, foram enviadas amostras aos dez melhores laboratórios do país para proceder com uma investigação. Foram retiradas as garrafas dos supermercados imediatamente. As pesquisas que realizei determinaram que a água se contaminava três dias depois de uma tormenta solar. Investiguei, efetuei algumas provas até obter a solução: tínhamos que trocar o


O Estado exige, por exemplo, Revista agregar antibióticos à ração das galinhas, gado, cabras, Naturopatia porcos, peixes etc. Uma curiosidade é que as galinhas Como a música gostam do estilo de música restabelece a saúde “country”, elas ficam felizes e botam ovos de melhor sistema inteiro de tubos por qualidade; com o “rock”, elas onde saia a água para ser botam mais ovos, mas se envasada. Os tubos comuns estressam e adoecem deviam ser trocados por rapidamente. Não gostam do outros de prata. “reggae” para nada. Se E no lugar da saída da água (uma gruta), seria importante deprimem e não botam ovos. ter o som de “Fuga” de Bach, Com respeito à natureza, eu já que essa música é a única gostaria de comentar que está que elimina as bactérias e os cientificamente comprovado que com a música ambiental, vírus. Outra experiência maravilhosa as plantas crescem com força e ficam sanas e bem que tive graças à frondosas. Musicoterapia foi com os Para finalizar, convido a todos animais. Como todos a desfrutar da música e sabemos, eles sofrem muito melhorar, assim, a sua stress devido ao consumo qualidade de vida. excessivo de produtos alimentícios derivados de @banchieriflavia animais.

SABERES


Revista

SABERES Naturopatia "Os homens deveriam saber que é do cérebro, e de nenhum outro lugar, que vêm as alegrias, as delícias, o riso e as diversões, e tristezas, desânimos e lamentações." — Hipócrates


Revista

SABERES Naturopatia

Aromaterapia Da prática milenar à ciência

por Leonor Vilela


Revista

SABERES Naturopatia Aromaterapia Da prática milenar à ciência A Aromaterapia define-se como sendo a maneira controlada de utilizar os óleos essenciais na manutenção e regulação do físico, mente e espírito. Os óleos essenciais podem ser uma das melhores ferramentas em processos de autocura e são mensageiros da energia vital até o inconsciente, uma vez que tudo na natureza tem "um corpo físico, uma alma e um espírito". É através das substâncias aromáticas naturalmente presentes nas plantas (sementes, caules, folhas, flores, cascas do fruto, raízes) que conseguimos obter diversas finalidades terapêuticas para promover a homeostase (equilíbrio) e a saúde. É um método holístico milenar que já vem desde os Sumérios da Mesopotâmia (4000 a.C.), passando pelas civilizações egípcias, romanas e árabes, entre tantas outras, difundindo-se por todo o mundo até a atualidade.


Revista

SABERES Naturopatia Aromaterapia Da prática milenar à ciência As formas de aplicação podem variar de acordo com a finalidade, sendo as mais

Algumas delas são comuns à maioria dos óleos essenciais e cada um deles pode ter mais do que uma ação terapêutica. Entre elas, estão as ações antibacteriana, imunoestimulante, antiinflamatória,

comuns a difusão atmosférica

antiespasmódica,

previamente diluído em óleo

tantas outras.

ou a aplicação tópica na pele em ansiolítica, tranquilizante, cicatrizante, lipolítica, entre que o óleo essencial é vegetal.

Diversas são as evidências

aromaterapia, pois a estrutura

aromaterapia.

São várias as ações terapêuticas científicas no que diz respeito à prática da hoje conhecidas em molecular dos óleos essenciais confere-lhes propriedades importantes para o corpo humano.


Revista

SABERES Naturopatia Aromaterapia Da prática milenar à ciência Existem estudos que comprovam a eficácia da Aromaterapia no tratamento da ansiedade e do stress, na insônia, no alívio da dor durante o trabalho de parto, na dismenorreia, na melhoria da autoestima e em muitas outras desordens. As formas mais comuns de tratamento da ansiedade são as terapias comportamentais, o uso de ansiolíticos e outras medicações. Contudo, a procura por tratamentos alternativos tem sido, ultimamente, evidente para estes quadros clínicos. O óleo de Lavandula angustifolia é um dos mais utilizados em Aromaterapia para o tratamento destes casos, devido à sua ação ansiolítica, calmante, anestésica, sedativa, e tem vindo a despertar cada vez mais interesse à população. Também foram comprovados os seus efeitos na melhoria da insônia, depressão, diminuição da pressão sanguínea, e outras patologias.


Revista

SABERES Naturopatia Aromaterapia Da prática milenar à ciência

Ao analisar diversos artigos, é possível perceber que a ação ansiolítica do óleo essencial de Lavandula angustifolia está diretamente relacionada à composição do óleo e a sua concentração. Existem outros óleos objeto de estudo como, por exemplo, o óleo de Ylang-ylang, de Gerânio (Pelargonium graveolens), de Lemongrass (Cymbopogon schoenanthus) e ações sinérgicas entre óleos. Um estudo recente referiu a eficácia antibacteriana e antifúngica da sinergia entre o Gerânio (Pelargonium graveolens) e o Lemongrass (Cymbopogon schoenanthus) diante das cepas Treptococcus mutans,


Revista

SABERES Naturopatia Aromaterapia Da prática milenar à ciência Staphylococcus aureus, Candida albicans, Candida dubliniensis e Candida krusei. Posto isto, entende-se que a evidência científica é crescente na área da Aromaterapia, uma vez que a população está cada vez mais desperta para meios complementares terapêuticos. Para cada óleo essencial, existem uma ou mais ações terapêuticas, comprovadas pela ciência e pela prática milenar. @leonor_vilela_naturopata


Revista

SABERES Naturopatia

“É mais importante conhecer a pessoa que tem a doença do que a doença que a pessoa tem.” — Hipócrates


Revista

SABERES Naturopatia Probióticos e sua importância na função gastrointestinal por Lorna Estefanía Fernández


Revista

SABERES Naturopatia Probióticos e sua importância na função gastrointestinal

A saúde intestinal tem sido uma das maiores preocupações na saúde. Esta intimamente ligada ao bem-estar e, através da alimentação, muitos progressos podem ser percebidos. Considerada como um pilar fundamental no bem-estar geral do corpo, a saúde intestinal depende de uma boa nutrição. O intestino é permeável, mas uma nutrição inadequada, bem como o uso de certos medicamentos, provoca hiperpermeabilidade intestinal. Consequentemente, "resíduos bacterianos e alimentares atravessam a parede do intestino delgado e cólon em quantidades excessivas, penetrando na circulação geral. Essas macromoléculas, juntamente com fatores genéticos, são a causa de inúmeras doenças". A grande importância dos probióticos terem sido descobertos é que eles colaboram com a saúde intestinal. A atividade da flora intestinal, também conhecida como microbiota intestinal, faz com que os intestinos funcionem adequadamente. A utilidade dos probióticos remonta a milhares de anos, o que está registrado nas tabelas sumérias que atestam o uso de leite fermentado para o tratamento de infecções gastrointestinais 2500 anos a.C.


Revista

SABERES Naturopatia Probióticos e sua importância na função gastrointestinal

É atribuída a Hipócrates a seguinte afirmação há mais de 350 anos: “Todas as doenças começam nos intestinos”. Ele sugeriu que os intestinos deveriam ser purgados com leite fermentado para tratar infecções gastrointestinais. Galeno, mergulhando no tratamento, desde o século II, destacou os efeitos benéficos do iogurte para problemas estomacais. A confirmação seria feita no início do século XX, quando o iogurte começa a fazer parte dos hábitos alimentares da população em geral. Iliá Méchnikov, microbiologista ucraniano, russo e francês, Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1908, formulou a "teoria fagocítica da imunidade", onde nomeia a população de bactérias benéficas como probióticos e como eixo central do sistema imunológico. Os probióticos são aqueles microrganismos vivos (bactérias, fungos etc.) que, quando administrados em quantidade e forma adequadas, conferem benefício à saúde do indivíduo. As espécies mais utilizadas são:


Revista

SABERES Naturopatia Probióticos e sua importância na função gastrointestinal

- Lactobacillus; - Bifidobactéria; - Levedura Saccharomyces Boulard. Os probióticos podem ser incorporados em uma ampla gama de produtos, tanto em alimentos quanto em medicamentos e suplementos alimentares. As formas mais comuns de administração de probióticos são laticínios e alguns alimentos funcionais, além de apresentações em comprimidos, cápsulas e sachês que contêm microrganismos na forma liofilizada. Os probióticos são alimentos naturais que, uma vez fermentados, contêm leveduras e bactérias vivas que são benéficas para o nosso sistema digestivo. O seu consumo regular contribui para melhorar a microbiota intestinal, o que influencia a nossa saúde sob várias perspectivas. Ter uma microbiota balanceada é crucial e deve ser um objetivo a ser alcançado. Com uma melhor digestão, teremos uma melhor


Revista

absorção de nutrientes e um

SABERES Naturopatia

metabolismo mais otimizados

Probióticos e sua importância na função gastrointestinal

com mais eficiência vitaminas tão

dos hidratos de carbono. Da mesma forma, sintetizaremos importantes quanto a K e as do complexo B e forneceremos um importante reforço ao sistema imunológico. Cito abaixo tipos de probióticos que uso com frequência: - O iogurte é um produto lácteo obtido a partir da fermentação de microrganismos específicos do leite, como Lactobacillus bulgaricus e Streptococcus thermophilus. - Os grãos de kefir são um pequeno ecossistema vivo. Eles contêm caseína, colônias bacterianas de várias espécies, como Lactobacillus, Streptococcus, Bifidobacterium e colônias de fungos ou leveduras, como Kluyveromyces e Saccharomyses.


Revista

SABERES Naturopatia Probióticos e sua importância na função gastrointestinal Um dos benefícios é que permite que a microbiota intestinal identifique facilmente ameaças patogênicas e modifiquem a comunicação célula a célula para que as células de defesa possam responder de forma mais eficiente às infecções. - Tibicos são uma mistura de bactérias e leveduras encontradas em uma matriz polissacarídica criada por bactérias. Bactérias: Lactobacillus, Streptococcus láctico e Bifidobacteria. Leveduras: Saccharomyces delbruckii e Candida kephir. - O SCOBY ou "cogumelo" do kombucha é uma colônia, uma simbiose entre 3 elementos: bactérias, leveduras e celulose. Ajuda a desintoxicar o corpo, graças ao ácido glucurônico que adere às substâncias tóxicas e as elimina pela urina. Kombucha pode retardar o impacto ou matar microorganismos nocivos. Um estudo de 2012 publicado no Journal of Food Chemistry relatou que o kombucha feito de chás preto e verde tinha potencial antimicrobiano. Os pesquisadores também descobriram que o chá verde fermentado tinha o maior potencial antimicrobiano.


Revista

SABERES Naturopatia Probióticos e sua importância na função gastrointestinal O chucrute, um alimento típico da Alsácia, Alemanha e Polônia, é preparado pela fermentação de folhas de repolho com sal (salmoura). Rico em vitaminas C, vitaminas A, B1 e B2; minerais: Cálcio, Ferro, Fósforo e Magnésio; e enzimas que aceleram o metabolismo. Existe todo um mundo fascinante em micro-organismos e, como tais, não são visíveis ao olho humano. Para cada célula do nosso corpo existem 10 bactérias no nosso intestino. O homem descobriu que a fermentação não necessariamente promove a quebra dos alimentos, mas os torna mais nutritivos. Coma alimentos fermentados diariamente. Você tem o conhecimento. Agora é sua responsabilidade escolher os alimentos que consome e que lhe trarão saúde ou promoverão doenças. @lorna.estefania


Revista

SABERES Naturopatia

Não basta que o médico faça o que deve fazer; é preciso que o doente entenda o que ele deve obedecer. — Hipócrates


Revista

SABERES Naturopatia Holismo e Ciência por Giulietta Nadia Mariani


Revista

SABERES Naturopatia Holismo e Ciência “Holos” vem do grego clássico e significa "todo", daí deriva o termo "holismo" que foi cunhado pelo filósofo e estadista sul-africano Jan Smuts, em seu livro Holismo e Evolução, em 1927. Hoje, o holismo está reaparecendo na ciência, e os cientistas mais avançados em suas respectivas disciplinas estão descobrindo um novo paradigma que nos permite ver o cosmos como um organismo vivo, e a vida como uma rede de relações conectadas que interage em seus elementos. Graças a essas relações, a biosfera evolui dentro do universo à medida que a mente e a consciência de seus habitantes progridem dentro da biosfera. Isso se correlaciona com a definição de holismo de Smuts: "O holismo é a tendência na natureza de formar sistemas inteiros que são maiores que a soma de suas partes através da evolução criativa". A ciência trabalha para entender, entre outras coisas, a natureza fundamental da realidade. Os cientistas estão preocupados com detalhes que vão além de como as coisas funcionam no mundo, mas também com o conceito de todas as coisas, porque existem e como as encontramos.


Revista

SABERES Naturopatia Holismo e Ciência Sabemos que toda disciplina científica impõe limites a sua observação e tudo o que vai além fica a cargo de uma disciplina diferente. Assim, a visão holística das coisas se perde e perde a ciência também na possibilidade de dar um salto para uma forma mais avançada de visão e, assim, de avançar para “um novo paradigma”. O que ocorre é que mais e mais pessoas em todo o mundo, estão procurando o bem-estar psicofísico por meios naturais. Podemos observar que, quanto mais a pesquisa científica se desenvolve e os resultados obtidos pelo tecnicismo aumentam, mais nos voltamos para o mundo da Naturopatia, em busca de uma dimensão mais espiritual e de um bem-estar psicofísico que coloque o Homem em harmonia com a Natureza e o Universo. Isso levou à disseminação de disciplinas holísticas e da medicina natural em que o homem busca respostas que possam dar uma razão para os seus males, o conhecimento da origem, o princípio oculto que o está levando à doença e ao sofrimento.


Revista

SABERES Naturopatia Holismo e Ciência O conceito holístico da Naturopatia nos faz compreender então que é dentro de nós que a doença se desenvolve e, portanto, é dentro de nós que existe a fonte da cura: a “vis medicatrix naturae”. Ou seja, o poder curativo da natureza, expresso pela capacidade de manter o equilíbrio interno do corpo através da homeostase orgânica, e com as influências do ecossistema externo composto por relações com outros seres vivos e condições geo-tempo-climáticas.


Revista

SABERES Naturopatia Holismo e Ciência E, finalmente, a compreensão e a aceitação da mensagem arquetípica, vinda através da doença que leva à consciência e ao crescimento espiritual, contribui para a autocura. Portanto, é importante verificar o verdadeiro holismo que inclui uma visão puramente científica complementada por uma visão puramente holística. Para uma nova ciência unitária, é necessária uma atitude inovadora do cientista numa compreensão mais amplificada do ser. Ciência e consciência vêm da mesma raiz latina “scire”, que significa conhecer.


Revista

SABERES Naturopatia Holismo e Ciência Como afirma o italiano Nitamo Montecucco: "É necessário restabelecer uma nova ciência: os tempos a exigem em voz alta, os animais a invocam com os olhos vazios nos zoológicos. Há ainda os laboratórios experimentais e matadouros; as florestas imploram com seu silêncio forçado enquanto fogo ou tratores as destroem. Os seres humanos com esperança mas se sentindo derrotados e confusos, em meio a um mundo que gira muito rápido. Esperamos que o bem aconteça. Esperança que sempre foi frustrada e que, no entanto, os homens às vezes encontram em seus corações uma criança no pouco que resta daquela experiência não contaminada e cheia de maravilha. Uma fluidez natural, antes que os adultos lhes ensinassem que a vida não podia ser assim”. @giuliettanadia


Revista

SABERES Naturopatia A vida é curta, a arte é longa, a oportunidade fugaz, a experiência enganosa e o julgamento difícil. — Hipócrates


Edição maio 2022

Revista

SABERES Naturopatia O holístico e a ciência

NATUROPATASDOBRASIL.ORG