Page 1

Maio 2013 n.º 1

CHOeste

NEWSLETTER

Centro Hospitalar do Oeste | Edição n.º 05 | fevereiro e março de 2017

Mensagem da Presidente

Obras na Urgência de Caldas da Rainha… Página 03

O Dia Internacional da Mulher é assinalado pela Organização das Nações Unidas, desde 1975, a cada dia 8 de março. A celebração deste dia assinala internacionalmente a conquista de direitos civis e políticos pelas mulheres. É, sobretudo, uma oportunidade para refletirmos sobre os progressos feitos.

Suplemento CHOeste em Números: Atividade Assistencial do CHOeste em 2016 … Páginas 08 e 09

Em pleno século XXI, existe ainda por todo o mundo ameaças à dignidade das mulheres, razão pela qual considero que todos, homens e mulheres, se devem envolver ativamente na promoção de uma efetiva igualdade de género. Sendo o CHOeste uma instituição onde 80% dos recursos humanos são mulheres, não poderia deixar de, neste Dia Internacional da Mulher, dirigir um reconhecimento muito especial a cada uma das mulheres que, em cada um dos 365 dias do ano, se empenha para que o CHOeste cumpra bem a sua missão especial de prestação de cuidados de saúde à população.

Dia Internacional da Mulher em Caldas da Rainha … Página 10

A Presidente do Conselho de Administração Prof.ª Doutora Ana Paula Harfouche

GCL-PPCIRA dá formação aos novos Internos … Página 11

Em Entrevista… Páginas 06 e 07

«No Dia Internacional da Mulher, todos nos comprometemos a fazer tudo o que pudermos para superar o preconceito enraizado, apoiar o compromisso e o ativismo, e promover a igualdade de género e o empoderamento das mulheres.» António Guterres, Secretário Geral da ONU

Dra. Cristina Teotónio, Diretora da Urgência de Caldas da Rainha e de Peniche

Visite-nos em www.choeste.min-saude.pt

1


ÍNDICE 03. Em Destaque - Autorizadas as Obras de Remodelação e ampliação na Urgência de Caldas da Rainha - CHOeste assinou protocolo com Instituto Oftal-

mológico Dr. Gama Pinto

04. Em Notícia - CHOeste já tem acompanhamento da Unidade de Farmacovigilância do Infarmed - CHOeste participa na reunião sobre «Reforma da Urgência»

05. Em Notícia - Carnaval 2017 na Urgência de Torres Vedras

06 e 07. Em Entrevista - Dra. Cristina Teotónio, Diretora do Serviço de Urgência de Caldas da Rainha e de Peniche

08 e 09. CHOeste em Números - Atividade Assistencial do CHOeste em 2016

10. CHOeste Utente - Ciclo de Palestras «Nós e os Pais» foi subordinado ao tema As Birras na Criança - Dia Mundial da Mulher na Unidade de Caldas da Rainha

11. CHOeste Formação - Curso de Cuidados Paliativos Pediátricos - GCL-PPCIRA dá formação aos novos Internos

12. Elogios

2


EM DESTAQUE

Autorizadas as obras de remodelação e ampliação na Urgência de Caldas da Rainha

O Centro Hospitalar do Oeste obteve autorização dos Ministérios da Saúde e das Finanças para a remodelação e ampliação do Serviço de Urgência MédicoCirúrgica da Unidade de Caldas da Rainha através da portaria nº 49/2017, de 3 de março publicada em Diário da República. Esta remodelação e ampliação representa um investimento de 1.733.254,00 (um milhão, setecentos e trinta e três mil, duzentos e cinquenta e quatro euros), a que acresce IVA à taxa legal em vigor. As obras preveem a remodelação e ampliação do atual espaço do Serviço de Urgência, estando prevista a criação de uma segunda Sala de Observação

(S.O) com capacidade para 20 camas (264 m2), e a criação de um espaço complementar para 12 cadeirões, que permitirá a retirada de doentes dos corredores. Para além disso, o espaço referente à Urgência Pediátrica já existente também será ampliado. A Sala de Observação (S.O.) passará a dispor de seis camas (passando de 27 m2 para 76 m2). Será finalmente criada uma sala de espera destinada à Urgência Pediátrica com 70 m2, assim como um balcão de admissão de doentes, unicamente destinado aos doentes em idade pediátrica (até aos 18 anos). Prevê-se ainda que a sala de espera para os adultos passe dos atuais 52 m2 para 93 m2.

Em 2016, na Unidade de Caldas da Rainha foram realizados um total de 84.361 atendimentos no Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica, com uma média de 231 atendimentos por dia. A concretização destas obras, há muito aguardadas, irá permitir melhorar a qualidade de acolhimento, conforto e atendimento aos doentes que acorrem ao CHOeste. Também os profissionais de saúde que diariamente exercem as suas funções neste Serviço verão melhoradas as suas condições de trabalho, com melhores instalações e equipamentos, que permitiram aumentar a capacidade de resposta à atividade do Serviço.

CHOeste assinou protocolo com Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto Em 07 de fevereiro , foi assinado o protocolo de colaboração na especialidade de Oftalmologia, entre o Centro Hospitalar do Oeste e o Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto. O acordo procura, através da parceria inter-hospitalar, solucionar as carências em termos de recursos médicos existentes na área de abrangência do CHOeste, no âmbito da Oftalmologia, e estabelecer relações de apoio e complementaridade entre as instituições do Serviço Nacional de Saúde

(SNS), de forma a garantir o acesso adequado aos cuidados de saúde às populações da região Oeste. Este protocolo tem na qualidade de signatários, por parte do Centro Hospitalar do Oeste, a Presidente do Conselho de Administração, Ana Paula Harfouche, e pelo Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto, a Presidente do Conselho de Administração, Maria Luísa Coutinho Pereira dos Santos.

3


EM NOTÍCIA

CHOeste já tem acompanhamento da Unidade de Farmacovigilância do Infarmed território nacional à qual se juntará esta última, num total de oito.

Dra. Cláudia Fernandes, Dra. Luísa Leal , Dr. Henrique Luz Rodrigues, Presidente do Infarmed, Prof.ª Doutora Ana Harfouche, Presidente do Conselho de Administração do CHOeste, Dr. António Curado, Diretor Clínico do CHOeste, e a Dra. Rosa Amorim.

O Centro Hospitalar do Oeste irá passar a receber o acompanhamento da Unidade de Farmacovigilância do Infarmed, na sequência da inauguração da mesma no dia 16 de fevereiro, nas instalações do Infarmed em Lisboa.

Delgado, do Presidente do Conselho Diretivo do Infarmed, Henrique Luz Rodrigues, da Presidente do Conselho de Administração do CHOeste, Ana Paula Harfouche, e da Comissão de Farmácia e Terapêutica do CHOeste.

A cerimónia de inauguração desta Unidade contou com na presença do Secretário de Estado da Saúde Manuel

Durante os últimos dois meses foram acrescentadas três unidades de farmacovigilância às quatro já existentes em

O Infarmed terá um delegado articulado com cada uma destas unidades, para intervir no processo com maior proximidade. Haverá também um reforço dos recursos humanos dedicados a esta área, que irá ultrapassar as cinco dezenas. Cada unidade terá pelo menos seis profissionais (três médicos e três farmacêuticos). Além das novas unidades, as que já existiam são reforçadas com mais profissionais. Este alargamento tem como objetivo uma maior proximidade dos profissionais de saúde de todo o país com as unidades de farmacovigilância, fomentando assim uma rede maior de informação, criando um sistema mais robusto, assim como uma maior monitorização e recolha de mais dados.

CHOeste participa na reunião sobre «Reforma da Urgência» A equipa dos Serviços de Urgência do Centro Hospitalar do Oeste - Diretores e Enfermeiros-chefes, assim com a Sra. Presidente do Conselho de Administração, o Diretor Clínico e o Vogal Executivo marcaram presença na reunião subordinada ao tema «Reforma da Urgência» realizada em 9 de março. A iniciativa foi organizada pela Coordenação Nacional para a Reforma dos Cuidados Hospitalares e realizada no Auditório do Parque da Saúde, em Lisboa. De entre as diferentes áreas de intervenção, é consensual o reconhecimento da especial importância da urgência hospitalar e como tal, é assumida como prioridade pela Equipa de Reforma Hospitalar. Nesta reunião pretendeu-se congregar, a par da reflexão de peritos, uma espe-

4

Dr. Idalécio Lourenço, Vogal Executivo, Dr. João Martins, Diretor da Urgência de Torres Vedras, Enfermeiro-chefe Luís Gonzaga, Urgência de Torres Vedras, Dra. Cristina Teotónio, Diretora da Urgência de Caldas da Rainha , Prof.ª Doutora Ana Harfouche, Presidente do Conselho de Administração, Dr. António Curado, Diretor Clínico, Enfermeiro-chefe Júlio Branco, Urgência de Caldas da Rainha.

cial colaboração e o contributo dos principais responsáveis pela organização e funcionamento dos Serviços de Urgência (S.U.), em particular dos Dire-

tores Clínicos e dos Diretores dos S.U. dos Hospitais/Centros Hospitalares, bem como de responsáveis das ARS e de ACES com S.U. Básica.


EM NOTÍCIA

Carnaval 2017 na Urgência de Torres Vedras O Carnaval é uma quadra amplamente celebrada em todo o país, tendo os festejos na cidade de Torres Vedras uma longa tradição, a cidade recebe nesta altura visitantes de todo o país. Esta capacidade de atracão turística e de catalisação de criação de riqueza, coloca pressão adicional sobre as infraestruturas da região, nomeadamente as de saúde. Reconhecendo as grandes vantagens para a cidade e para a região deste afluxo, é natural que neste período possam existir alguns constrangimentos na missão do hospital de serviço à população residente. Por esta razão o ACES Oeste Sul vem desde há alguns anos colaborando com o CHOeste, partilhando responsabilidades na avaliação de doentes em contexto de urgência. Assim, durante a noite foi montada uma estrutura de apoio ao Serviço de Urgência na Consulta Externa do Hospital de Torres Vedras. Este apoio funcionou todas as noites com exceção das de Domingo e de 3ª feira. O CHOeste disponibilizou para além de um assistente operacional, o apoio logístico (medicação, material clínico, roupa, colchões entre outros) e o ACES os recursos humanos (médico e enfermeiro). Com isto foi, possível reduzir o número de doentes que permaneceram no Serviço de Urgência, nomeadamente aqueles com intoxicação etílica pura, que não necessitavam de outros cuidados

além de hidratação e vigilância. O Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica da Unidade de Torres Vedras do Centro Hospitalar do Oeste atendeu nos seis dias 1.278 utentes, o que corresponde a um acréscimo global de 8,5 % em relação a 2016 (5 a 10 de fevereiro). Admitimos que este número peque por defeito, pois o período de maior incidência da epidemia da gripe sazonal em 2016 e a data mais precoce do Carnaval nesse ano poderão contaminar estes dados. Temos por isso de utilizar outra métrica. Há alguns anos que colaboramos com o estudo epidemiológico do Carnaval desenvolvido pelo Dr. Nuno Rodrigues, Delegado de Saúde Pública do município de Torres Vedras. Com esta ferramenta conseguimos uma melhor caracterização da afluência nesta altura do ano. Assim, foram admitidos 257 utentes especificamente relacionados com o Carnaval, o que representa um acréscimo considerável (mais 108 utentes, ou seja mais 72 %) aos números do Carnaval de 2016. A maioria destes episódios esteve associada a intoxicação etílica, seguindo-se as situações de trauma/feridas, frequentemente também associados à ingestão de bebidas alcoólicas. A colaboração com o Centro de Saúde revelou-se da maior importância, aliviando o Serviço de Urgência que se tem

mantido lotado. Foram enviados para esse espaço na Consulta Externa da Unidade de Torres Vedras, 62 utentes, o que representou um aumento de 41 % em relação ao ano passado (44 utentes). No futuro deveremos ponderar a extensão desta colaboração no período das 24 às 8 horas de segunda-feira, uma vez que a afluência foi semelhante aos outros dias. Não podemos deixar de fazer referência ao apoio policial no Serviço e Urgência. Contámos com a presença de um agente da P.S.P suplementar nas noites de 6ª a 2ª feira a partir das 20 horas, o que permitiu resolver situações mais complexas e melhorar a segurança de utentes e funcionários. Pela crescente dimensão do evento seria útil equacionar uma maior participação do INEM, eventualmente introduzindo um Posto Médico Avançado a funcionar durante o período noturno. Isto teria enorme importância, particularmente na eventualidade de uma situação grave que provocasse uma afluência desmesurada ao Serviço de Urgência.

Responsáveis pela Urgência da Unidade de Torres Vedras 

Dr. João Martins, Diretor

Enfermeiro-Chefe Luís Gonzaga

A VMER de Torres Vedras esteve de passagem pelo «Carnaval, mais Português de Portugal» na cidade de Torres Vedras! 5


EM ENTREVISTA

Dra. Cristina Teotónio Diretora do Serviço de Urgência de Caldas da Rainha e de Peniche

Ana Cristina Martins Teotónio, 53 anos, natural de Bombarral, licenciada pela Faculdade de Medicina de Lisboa em julho de 1987, assistente hospitalar graduada de Medicina Interna. Realizou o Internato Geral 1988/1989 no Centro Hospitalar de Caldas da Rainha tendo iniciado o Internato Complementar de Medicina Interna na mesma instituição em 1991; no decurso do mesmo fez estágios nos Hospitais de Santa Maria, Egas Moniz, Curry Cabral e São José. Fez exame de titulação única em fevereiro de 1996 permanecendo desde então na instituição. É diretora do Serviço da Urgência desde junho de 2016. Qual o balanço que faz até ao momento, enquanto diretora do Serviço de Urgência Médico-cirúrgica da Unidade de Caldas da Rainha? O cargo de diretor do Serviço de Urgência é desafiante, mas confesso que é difícil e lamento até ao momento não ter conseguido atingir alguns dos objetivos aos quais me propus. O tempo esgota-se na preocupação constante de elaborar escalas de serviço com o mínimo de profissionais para garantir um atendimento adequado ao crescente número de utentes que acorrem

6

diariamente ao SUMC. Este serviço “vive”, do ponto de vista de assistência médica, à custa de prestadores externos, com todas as dificuldades que daí advêm. Associam-se ainda as exíguas condições de alocação dos doentes pela escassez de vagas de internamento, permanecendo estes no serviço a aguardar vaga nos serviços de internamento. Debatemo-nos ainda com outras limitações funcionais, como por exemplo, a inoperacionalidade do sistema informático e a frequente necessidade de transferência de

doentes para outras instituições por carência de várias especialidades. Muito há a fazer, nomeadamente através da implementação de protocolos e uniformização de procedimentos para garantir uma resposta adequada e diferenciada aos utentes. Agradeço, no entanto, a todos os profissionais do CHOeste que têm, com o seu esforço e empenho, dado todo o apoio e disponibilidade para manter este serviço a funcionar, apesar de todas as dificuldades diárias e sobretudo neste período de maior afluxo.


EM ENTREVISTA E enquanto Diretora do Serviço de Urgência Básica da Unidade de Peniche? O Serviço de Urgência Básica de Peniche tem características muito próprias e uma envolvente também muito característica; apresenta ele também limitações funcionais que se têm tentado melhorar e adequar ao longo dos anos. Como a maioria dos serviços de Urgência deste país, funciona também na dependência de prestadores externos; felizmente pode contar com o apoio de um médico internista que permite resolver localmente muitas situações evitando algumas transferências. Também neste, tem sido fundamental a colaboração de todos os profissionais, nomeadamente os enfermeiros que dão o seu melhor para prestar os melhores cuidados aos doentes, e a quem muito agradeço.

de acolhimento aos utentes. No entanto, as necessidades não se esgotam nem ficarão resolvidas com essas obras, pois a maior carência da Unidade são camas de internamento nos serviços que permitam “escoar” os doentes do serviço de Urgência. O SUMC deve estar direcionado ao atendimento e resolução de situações de urgência/ emergência e atualmente funciona como um serviço de internamento, dado o número constante e elevado de doentes que aí permanece a aguardar vaga nos serviços, o que

seja possível retirar as macas do corredor.

“esgota” os profissionais. Com uma população cada vez mais envelhecida, com pluri-patologia e doenças crónicas, elevado número de lares circundantes e a diferenciação crescente dos cuidados, o número de camas de internamento, sobretudo nas áreas médicas é manifestamente insuficiente.

diariamente se deparam, aprendendo contextos que seguramente lhes serão úteis ao longo da sua vida profissional. Que apesar das nossas limitações enquanto orientadores e “modelos”, lhes saibamos transmitir conhecimento, mas sobretudo o gosto do trabalho em urgência, uma área tão gratificante em que podemos efetivamente salvar vidas. Que saibam desenvolver o seu espirito de trabalho em equipa que é fundamental em qualquer área da medici-

Para concluir, que mensagem gostaria de deixar aos Internos do ano Comum que passam pelos serviços de Urgência do CHOeste? Aos internos do Ano Comum que passam pelos serviços de Urgência do CHOeste que, neste início de vida profissional, saibam aproveitar os ensinamentos e a experiência dos profissionais que lá trabalham, da diversidade das situações que observam, das dificuldades com que

Para além de Diretora dos serviços de Urgência de Caldas e Peniche, também é adjunta do Diretor Clínico. Quais as suas principais responsabilidades? Enquanto adjunta do Diretor Clínico, o meu papel tem sido de apoio na identificação de algumas situações que possam ser objeto de avaliação pela Direção Médica, bem como em áreas de articulação com os cuidados de saúde primários, no sentido de melhorar respostas às necessidades da população da área de influência do CHOeste. Vê com entusiasmo as obras que irão ser realizadas na Urgência de Caldas da Rainha? Quais as principais mais-valias para os profissionais que lá trabalham diariamente? Em relação às obras do SUMC da Unidade de Caldas da Rainha, sem dúvida que permitirão uma requalificação deste, criando melhores condições de trabalho ao pessoal e

E para os utentes que acorrem a este serviço? Estando previsto no plano de obras o alargamento do SUMC com a criação de uma sala de decisão terapêutica, os doentes ficarão melhor instalados, pois o objetivo é que

na.

7


CHOeste Em Números

Atividade Assistencial do CHOeste em 2016 No âmbito do Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas (PCTEA), no período compreendido entre novembro de 2016 e janeiro de 2017, o CHOeste deu resposta a um aumento de 9,1 % do número de episódios de urgência em comparação com o período homólogo, posicionando-se enquanto a 3.ª instituição hospitalar da área da ARSLVT com maior número de episódios de urgência, a seguir aos dois Centros Hospitalares de Lisboa. Gráfico 1: Episódios de Urgência Geral – época 2015/2016 e 2016/2017

Para esta procura contribuiu uma taxa de incidência de síndroma gripal superior à do Inverno anterior. De acordo com o Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe (INSA), a época da gripe sazonal atingiu os maiores picos nas semanas de 18 a 24 de dezembro de 2016 e de 8 a 14 de janeiro de 2017. Nos períodos mencionados existiu um reforço do número de camas no CHOeste, no âmbito do seu plano de contingência de Inverno. Na avaliação do ano de 2016, o CHOeste registou cerca de 190.000 atendimentos de urgência, sendo a 5.º maior instituição em número de atendimentos, de todas as instituições hospitalares da área da ARSLVT. Em comparação com o ano de 2015, aumentou em 6,6 % o número de atendimentos, distribuídos pela urgência básica (27.358), urgência geral (102.146), urgência obstétrica/ginecológica (10.263) e urgência pediátrica (48.749). Gráfico 2: Avaliação do fecho do ano 2016

A urgência geral contribuiu com o maior aumento, registando em 2016 mais 13,8 % que em 2015, ao passo que a urgência pediátrica registou a maior redução, com menos 3,4 % comparativamente ao período homólogo.

Gráfico 3: Avaliação do fecho do ano 2016

Relativamente às consultas, o CHOeste registou em 2016, o maior aumento relativo de todas as instituições hospitalares da área da ARSLVT. Por conseguinte, o fecho provisório da análise da atividade assistencial realizada em 2016 aponta para um aumento de 6 % do número total de consultas.

8


CHOeste Em Números Para este crescimento contribuiu um aumento de 5,5 % do número de primeiras consultas. No que respeita ao Internamento, observou-se que o CHOeste em 2016, relativamente ao período homólogo, aumentou 2,7 % de doentes saídos, o segundo maior crescimento relativo de todas as instituições hospitalares da área da ARSLVT, tendo ainda reduzido a demora média comparativamente ao ano de 2015.

Gráficos 4 e 5: Avaliação do fecho do ano 2016

Na linha relativa à atividade cirúrgica, a avaliação do fecho provisório de 2016 revela, comparativamente a 2015, uma redução de 1,8 % da cirurgia ambulatória e de 0,2 % da cirurgia programada.

Gráficos 6 e 7: Avaliação do fecho do ano 2016

Em termos de Lista de Inscritos para Cirurgia (LIC), o CHOeste registou em 2016 uma redução de 0,29 % no cumprimento dos tempos máximos de resposta garantidos (TMRG). No âmbito do Hospital de Dia, no ano de 2016 foi registada uma redução de 15,6 % do número de sessões comparativamente a 2015, devido a novas alternativas terapêuticas (ex:. quimioterapia oral e subcutânea). Gráfico 8: Avaliação do fecho do ano 2016

Nota: Gráficos extraídos da apresentação da ARSLVT « Reunião de Acompanhamento».

9


CHOeste UTENTE

Ciclo de Palestras «Nós e os Pais» foi subordinado ao tema As Birras na Criança

Dra. Lia Oliveira

No âmbito do Ciclo de Palestras «Nós e os Pais», resultado de uma parceria entre o Serviço de Psicologia Clínica e o Serviço de Pediatria do Centro Hospitalar do Oeste (CHOeste) – Unidade de Torres Vedras, no sábado, dia 04 de março, entre as 10-12h, decorreu no espaço da sala de espera xda Consulta Externa do Hospital de Torres Vedras mais uma palestra, desta vez tendo como tema As Birras na Criança. O propósito destas palestras é aproximar os profissionais de saúde do CHOeste - Torres Vedras da população em geral e dos pais em particular, abordando temas que são uma preocupação para muitos pais - em junho de 2016 foi abordado o tema Sono no 1º

ano de vida. As birras, frequentes e saudáveis na criança (sobretudo entre os 2-3 anos), são causa de muita angústia para os pais. As dúvidas surgem várias vezes: quando é normal e quando é desajustada, quando faz parte do desenvolvimento normal e saudável da criança e quando pode ser um sinal de alarme para um problema do neurodesenvolvimento, quais são os sinais de alarme, como lidar, como intervir. A Dra. Lia Oliveira, Pediatra na Unidade de Torres Vedras, abordou as etapas normais do desenvolvimento, enquadrando as birras nessas mesmas etapas do desenvolvimento – aquisição de

Dra. Maria Manuel Carvalho

autonomia, medição de forças com os cuidadores e os sinais de alarme que podem alertar para um possível problema. De seguida, a Dra. Maria Manuel Carvalho, Psicóloga Clínica também na Unidade de Torres Vedras, aprofundou o tema, falando dos aspetos psicológicos e das estratégias para lidar com as birras e, acima de tudo, compreender a birra e a criança. A participação ativa dos pais e cuidadores permitiu que fosse criado um ambiente de saudável partilha de experiências. Foi, sem dúvida, uma mais-valia para todos os intervenientes, pais e palestrantes.

Dia da mulher na Unidade de Caldas da Rainha Em 8 de março a Associação Empresarial de Óbidos visitou o Serviço de Cirurgia e de Obstetrícia da Unidade de Caldas da Rainha, e distribuiu flores às mulheres internadas nestes Serviços, assinalando deste modo o Dia Internacional da Mulher.

10


CHOeste FORMAÇÃO

Curso de Cuidados Paliativos Pediátricos O Serviço Pediatria da Unidade de Caldas da Rainha organizou de 12 a 14 janeiro o Curso Básico de Cuidados Paliativos Pediátricos, ministrado pela Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos e com o patrocínio da Associação de Saúde Infantil de Caldas da Rainha (ASICAL). O âmbito destes cuidados é o de assegurar a todas as crianças e adolescentes que vivem com uma doença crónica complexa, limitante ou ameaçadora da vida, e suas famílias, os cuidados que vão ao encontro a todas as suas necessidades, desejos e preferências, até e para além da morte. Estima-se que em Portugal vivam cerca de 6.000 crianças com necessidades paliativas

cos e de enfermagem, apoio psicológico e social e enquadramento ético. Participaram cerca de 35 profissionais do Serviço de Pediatria CHOeste (médicos e enfermeiros) e de Medicina Geral e Familiar.

com intervenção atual predominantemente hospitalar particularmente em fase terminal. Esta formação foi ministrada por uma equipa multidisciplinar e abordou de uma forma extensa os cuidados médi-

Os objetivos principais foram a formação de todos os profissionais envolvidos nos cuidados de crianças e adolescentes com necessidades paliativas, bem como a reorganização e articulação eficaz entre todos os prestadores de cuidados, rentabilizando os recursos humanos e adequando-os às necessidades locais.

GCL-PPCIRA dá formação aos novos Internos neste período de 10 anos, a formação de aproximadamente 450 médicos.

O Grupo Coordenador Local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos (GCL-PPCIRA) tem como um dos seus componentes primordiais a formação e sensibilização de profissionais de saúde em controlo de infeção e resistência aos antimicrobianos. O GCL-PPCIRA, em resposta ao desafio

colocado pela Direção do Internato Médico, elaborou um programa de formação complementar em Controlo de Infeção e Política de Antibióticos para os médicos que iniciam funções no Centro Hospitalar do Oeste. Este programa teve início em 2007 em Caldas da Rainha e foi alargado a toda a instituição em 2012, tendo permitido,

No ano de 2017 realizam-se mais dois cursos: um em 13 de fevereiro em Caldas da Rainha e em 6 de março em Torres Vedras. O programa do curso compreende temas como Noções Básicas de Controlo de Infeção, Enquadramento Legal, Política de Antisséticos e Desinfetantes, Politica de Antibióticos, Vigilância Epidemiológica, Prevenção das Infeções relacionadas com o Cateter Venoso Central, Infeção Urinária e Infeção do Local Cirúrgico, Precauções Básicas de Controlo da Infeção e Precauções Adicionais Baseadas nas Vias de Transmissão. Enquanto formadores estiveram a Dra. Cláudia Fernandes, Dra. Adília Vicente, Dra. Isabel Maldonado, Dra. Ana Pardal, Dr. João Miguel Martins, Dr. Wildemar Costa e a Enfermeira Zélia Pisoeiro.

11


ELOGIOS

Elogio recebido em 03 de fevereiro de 2017 Agradecimento aos Profissionais do Serviço de Pediatria e Ortopedia da Unidade de Torres Vedras «GRATIDÃO é o que sentimos por todos vós. Entregar o nosso bebé nas vossas mãos durante nove dias foi uma grande provação para nós, mas nem nos piores momentos nos deixaram ir abaixo. São fantásticos! Neste Serviço [Pediatria], especialmente neste, é preciso uma grande sensibilidade, e vocês trataram o nosso Santiago como sendo um pouco vosso e com tanto carinho! Obrigada à nossa Pediatra - Dra. Cláudia, e às Ortopedistas - Dra. Margarida e Dra. Bia. Deixamos um beijinho especial à Enfermeira Marta, à Enfermeira Raquel, à Enfermeira Maya, à Enfermeira Carla e à Enfermeira Paula. Ser enfermeiro qualquer um pode, mas vocês são especiais. A todas as auxiliares, obrigada. Estão no nosso coração.» Carina Pedroso e Sérgio Martins

Elogio recebido em 16 de fevereiro de 2017 Agradecimento à Sra. Dona Teresa Conceição Matos Fonseca, Assistente Operacional na Unidade de Peniche «Por no decurso da atividade das suas funções ter demonstrado um elevado profissionalismo, empenho e simpatia, que não poderia deixar de ser sublinhado, por serem de elevado mérito.» Rosalina Pires

Elogio recebido em 06 de fevereiro de 2017 Agradecimento ao Serviço de Cirurgia da Unidade de Caldas da Rainha «Nunca tinha vivenciado tão intensamente o “mundo” hospitalar. Muito menos, tinha observado as “mil e uma tarefas” do dia-a-dia, tão diferenciadas entre elas, mas convergentes no objetivo comum: o sucesso no cuidado ao paciente. Vivi ambas as situações no Hospital de Caldas da Rainha. Em concreto no Serviço de Cirurgia, onde permaneci por intervenção cirúrgica no período de 22 a 26 de janeiro de 2017. Experiência extraordinária! Qual formigueiro, no meio de tanta azafama e disparidade de tarefas a executar, a boa organização é sempre preservada. Senti-me sempre acompanhado e amparado. Permitam-me o privilégio - o prazer! - de Elogiar. Obrigado pelas Vossas “boas mãos”. Obrigado pela Vossa disponibilidade. Obrigado pelos Vossos sorrisos. Obrigado pela Vossa paciência. Obrigado pela Vossa Humanidade. A todos Vós, Magnifica Equipa, dedico a minha maior estima e a minha profunda gratidão. Por ser de justiça quero sublinhar o atento e humanizado acolhimento que me dedicaram, em todo o meu percurso hospitalar até ao Serviço de Cirurgia.» Fernando José de Magalhães Nunes Caldeira

FICHA TÉCNICA Edição: n.º 05, fevereiro e março de 2017 | Propriedade do Editor: Centro Hospitalar do Oeste, Rua Diário de Notícias 2500-176 Caldas da Rainha, secretariado.ca@choeste.min-saude.pt, 262 830 300 | Direção: Conselho de Administração do CHOeste | Coordenação, Redação, Conceção gráfica e Fotografia: Gabinete de Comunicação do CHOeste, gab.comunicacao@choeste.min-saude.pt, 261 319 243

12

Newsletter do CHOeste | fevereiro e março de 2017  

Boletim Informativo do Centro Hospitalar do Oeste.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you