Issuu on Google+

O JORNAL PARA O

AMIGO

CAMINHONEIRO

Distribuição Gratuita www.chicodaboleia.com.br Ano 02 - Edição 13 - Janeiro de 2013

Orgulho de ser caminhoneiro

EDIÇÃO NACIONAL Conheça mais sobre o destino do IPVA A matéria conta os detalhes das formas de arrecadação do IPVA e para onde vai o dinheiro pago por motoristas. Saiba mais sobre como é calculado o imposto e quais os estados onde ele abaixou.

Pág. 5 Chico da Boleia conversa com a presidente do Instituto Lado a Lado pela vida Chico da Boleia esteve em São Paulo para conversar com a Presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira, que frisou a importância de ações e projetos voltados para a saúde dos homens.

Pág. 4

Neusa Navarro, presidente da Fórmula Truck, fala das novidades para 2013

Foto: José Machado, da ATR-Brasil, falou sobre a desoneração da folha de pagamento

José Machado, da ATR-Brasil, falou sobre a desoneração da folha de pagamento Entenda como essa medida afeta a categoria

Pág. 6 e7

Confira todas as novidades da Fórmula Truck para 2013, na entrevista com Neusa Navarro, presidente da categoria.

Pág. 8


02

EDITORIAL Companheiros do tapete negro!

Quero começar desejando a todos um Ano Novo cheio de alegrias, muita saúde, muita paz e fretes com os melhores preços possíveis. O ano de 2013 será com certeza o “nosso ano”. No ano passado o nosso setor presenciou inúmeras novidades, que ainda vão repercutir em 2013. Muito ainda vai se falar da Lei 12.619 e do fim da carta frete. Mas meu caro amigo, 2013 já começa com um assunto importante em debate: a desoneração da folha de pagamento. Em 2012, o Governo Federal, no intuito de fazer a economia do país crescer, tomou algumas medidas que devem ajudar o setor produtivo a ganhar mais competitividade no mercado. Uma delas foi a redução da tarifa de energia elétrica em quase 20%. Outro exemplo é em relação à folha de pagamento. Sobre o assunto, as propostas do governo alteram a forma de recolher o imposto referente ao INSS, que a partir de agora passa a ser sobre o faturamento. Para alguns setores ficou estabelecido que o recolhimento do INSS será de 1% sobre o faturamento, enquanto que para outros será de 2%. O Setor de Transporte Aéreo e Aquaviário, por exemplo, fica com uma taxa de 1%. "Por outro lado, o Transporte Rodoviário e Intermunicipal de passageiros receberá uma aliquota de 2%. O

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

TRC ainda não foi contemplado pela medida. E é justamente este assunto que será tratado na nossa reportagem principal. Conversamos com o Sr. José Machado, Presidente da ATR Brasil, a maior e mais respeitada Associação de Transportes do Agronegócio. Na reportagem principal desse edição, você poderá saber o que pensa nosso amigo sobre a desoneração da folha de pagamento e como as discussões para que essa medida contemple o TRC estão caminhando. Este é um tema importante que está na ordem do dia." E para quem gosta de Fórmula Truck, na área de esportes traremos uma entrevista com a Presidente da Fórmula Truck, Sra. Neuza Navarro. Ela falou sobre as novidades e as expectativas para a 18ª Temporada, que começa em março, e sobre possíveis mudanças de pilotos, equipes e regras. Bom companheiros! Espero que gostem mais uma vez desta edição que foi preparada com muito carinho para você que passa o dia na estrada, carregando Brasil na sua carreta ou carroceria! Se você quiser ver algum tema debatido no nosso Jornal, envie-nos um e-mail dando sua sugestão:

Blogueiros do Chico Chico da Boleia Chapa Dra. Virginia Laira José Machado Albino Castro Djalma Fogaça Roberto Videira

chicodaboleia@chicodaboleia.com.br Para todos um ano cheio de grandes alegrias e com muita saúde. Feliz 2013! Um abraço do Chico da Boleia, Orgulho de Ser Caminhoneiro.

COOPAC BRASIL ESTÁ NASCENDO

ACESSE O SITE E CONHEÇA MAIS SOBRE A COOPERATIVA WWW.COOPACBRA.COM.BR

Expediente Sede: Rua Bento da Rocha, 354 - Itapira-SP, CEP 13.970-030 Fone:(19) 3843-5778 Tiragem: 50.000 exemplares Nacional, 10.000 exemplares Baixa Mogiana e 10.000 exemplares Grande Ribeirão Preto Diretora-Presidente: Wanda Jacheta Diretor Editorial: Chico da Boleia Editor Responsável: Chico da Boleia Revisão Larissa J. Riberti Diagramação Pamela Souza Suporte Técnico Matheus A. Moraes Juliano H. Buzana Conselho Editorial: Albino Castro (Jornalista) Larissa J. Riberti (Historiadora) Dra. Virgínia Laira (Advogada e coordenadora do Departamento Jurídico da Fenacat) Roberto Videira (Presidente da APROCAM Brasil) José Araújo “China“ (Presidente da UNICAM Brasil) Responsabilidade social: ViraVida Ligue 100 Na mão certa

P


PAPO DE BOLEIA Presidente Dilma Rousseff sanciona lei de incentivo à fabricantes de caminhões Foi sancionada pela Presidente da República, Dilma Rousseff, a lei de incentivo aos fabricantes de caminhões e vagões ferroviários. A Lei 12.788, publicada no Diário Oficial da União em 15 de janeiro, autoriza a depreciação acelerada dos veículos automóveis para transportes de mercadorias e dos vagões, locomotivas, locotratores e tênderes. Originalmente uma medida provisória, a lei reduz de 48 meses para 12 meses o prazo de depreciação das máquinas.Tal medida beneficia os proprietários já que garante a redução no pagamento de impostos e estimula a venda desses produtos. Com a aceleração no calculo da depreciação de veículos, o governo dá às empresas o direito de uma mudança contábil que reduz o pagamento de impostos e pode resultar até mesmo na

restituição de tributos ao contribuinte. A medida abrange compras de caminhões, vagões e locomotivas realizadas somente no ano passado. Contendo 17 artigos, sendo a maioria deles vetados, a lei abrange, no entanto, apenas a compras de vagões e locomotivas feitas no ano passado. Não existe ainda, previsão de recursos de Orçamento para suprir a queda na arrecadação de impostos e os benefícios colocados pelas medidas. Por esse motivo, inclusive, a lei não contempla embarcações e empilhadeiras usadas em portos e para carregamento de navios. Foi sancionado também um artigo que aumenta o prazo para a renegociação de dívidas agrícolas de pessoas jurídicas.

Redação Chico da Boleia

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

03

Chico da Boleia responde Chico, como funciona o tal do Procaminhoneiro e que tipo de equipamento posso conseguir com ele? Ouvi dizer que posso até mesmo fazer o financiamento do cavalo e carreta juntos, isso é verdade? Do que preciso e como devo proceder para conseguir o financiamento através do Procaminhoneiro?

Nacional. Para você ter acesso ao financiamento é preciso ter o RNTRC em dia e comprovar renda de acordo com o bem a ser adquirido. O financiamento pode ser pleiteado tanto pela pessoa física como pessoa jurídica. O BNDES Financia até 100% do valor do bem

Caro companheiro, o Pró Caminhoneiro foi criado com o objetivo de facilitar a compra de caminhões e implementos rodoviários e assim começar a renovar a frota do Brasil, que é bastante antiga. Porém, na prática nem sempre a ideia funciona. Digo isso porque algumas exigências são difíceis de resolver, como por exemplo, a comprovação de renda. Os amigos sabem que nós que trabalhamos como autônomos nem sempre temos algum comprovante formal em relação ao frete realizado. Isso deve mudar a partir deste ano com o fim da famigerada carta frete. Mas vamos responder suas perguntas.

Para mais informações sobre o Procaminhoneiro, acesse: http://www.bndes.gov.br Chico, carreguei numa empresa e me disseram que iriam pagar com carta frete só depois de carregar o caminhão, fui lá fiz a entrega e agora o cara não quer me pagar. Como devo proceder, a quem recorrer nesse momento?

Isso tem sido um problema constante, muita gente esta tentando burlar o fim da carta frete ou dizendo que isso não vai funcionar. É por este problema que Veja o que você pode comprar usando temos que exigir das autoridades como Pró Caminhoneiro: petentes a fiscalização rígida sobre a utilização do meio eletrônico para paEquipamentos novos: caminhões, gamento do frete. chassis, caminhões-trator, carretas, cavalos-mecânicos, reboques, semir- No seu caso você, se você tiver algum reboques, incluídos os tipo dolly, tan- comprovante que você efetivamente ques e afins, devidamente registrados fez o frete tem que denunciar a empreno órgão de trânsito competente, e car- sa junto a ANTT para que eles tomem rocerias para caminhões, cadastrados as medidas necessárias e para que a no BNDES. empresa seja impedida de cometer novamente essa ilegalidade. No caso de Equipamentos usados: caminhões, receber o seu frete, você deve procurar chassis, caminhões-trator, carretas, o sindicato da sua região para que eles cavalos-mecânicos, reboques, semir- entrem em contato para tentar resolver reboques, incluídos os tipo dolly, tan- de forma amigável ou em ultima insques e afins, devidamente registrados tância entrar com um processo contra no órgão de trânsito competente, e car- a empresa. Caso o Sindicato não lhe dê rocerias para caminhões,** que no ano a atenção necessária faça novo contato de apresentação do pedido de financia- comigo e verei como posso ajudar. mento ao BNDES tenham completado Para mais informações até 15 anos contados a partir do ano de www.antt.gov.br/ sua fabricação. Sistemas de rastreamento novos, cadastrados no BNDES, quando adquiridos em conjunto com os equipamentos novos ou usados citados anteriormente. Seguro do bem e seguro prestamista, quando contratados em conjunto com os equipamentos novos ou usados financiáveis. Observação: Os produtos acima mencionados tem que ser de fabricação


04

FIQUE POR DENTRO

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

Marlene Oliveira, Presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, fala sobre os projetos para a saúde do homem em 2013 Em dezembro do ano passado, Chi-

co da Boleia esteve em São Paulo para conversar com a Presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira. A porta-voz da instituição aceitou gentilmente o convite de Chico da Boleia para estabelecer uma parceria na ação educativa que foi realizada no dia 17 de novembro do ano passado, sobre a prevenção e combate ao câncer de próstata. A divulgação da Campanha Novembro Azul, do Instituto Lado a Lado pela Vida, foi o início de uma parceria que esperamos que se prolongue por mais tempo. Agradecemos desde já, a colaboração do Instituto que cedeu o material de divulgação de informações sobre a prevenção da doença e desejamos que neste ano possamos contribuir para mais iniciativas em prol dos nossos amigos da estrada. O Instituto Lado a Lado pela Vida é uma instituição brasileira que desenvolve conceitos e projetos, apoia e implanta ações voltadas ao campo da humanização da saúde e da atenção integral ao cidadão, em diferentes fases da vida. De acordo com o portfólio do Instituto, parte-se do princípio de que, embora seja um direito sócio-político, a saúde não está assegurada, devido a uma distribuição desigual de oportunidades. Para a Instituição, portanto, é necessária a constante criação e manutenção de condições e práticas que acolham e atendam às mais variadas necessidades dos indivíduos neste campo. Com relação à saúde da mulher, a instituição desenvolve ações preventivas do câncer de mama, uterino e endometriose. Já as ações voltadas à saúde do homem ganharam um espaço especial com a Campanha Novembro Azul. Marlene Oliveira explicou que, ao contrário das mulheres, os homens não recebem a atenção devida quando se trata de prevenção de doenças. Somam-se a isso, tabus e preconceitos que eles ainda conservam quando precisam realizar exames e seguir tratamentos. “A mulher há muitos anos tem um conhecimento e uma assistência focada na sua saúde. Já o homem carece desse entendimento.”, explicou Marlene. O resultado dessa negligência foi o registro de 60 mil novos casos de câncer de próstata em 2012. A proposta da Campanha Novembro Azul é justamente atender a essa demanda. O foco na saúde do homem e

na prevenção do câncer de próstata é essencial para que essa realidade se altere. Existe ainda pouca iniciativa dos homens em buscarem respostas às suas dúvidas e soluções para seus problemas de saúde. Segundo Marlene, a Secretaria de Saúde do Homem realiza atividades menos expressivas do que a Secretaria da Mulher. Tal constatação evidencia que, em pleno século XXI grande parte dos homens e da sociedade ainda não aprendeu a valorizar a prevenção de doenças masculinas.

apoiem e que outras iniciativas surjam durante os próximos meses.”, frisou Marlene. Com relação aos profissionais que atuam no Instituto, a Presidente explicou que eles possuem uma experiência muito grande voltada a saúde e desenvolvem constantemente ações e eventos para a área médica. A instituição sente a necessidade de desenvolver projetos voltados para o paciente e para a população de uma maneira em geral. Foram inúmeros os prêmios concedi-

Chico da Boleia e Marlene Oliveira, presidente do Instituto Lado a Lado pela vida

Os relatos de pacientes e dados de pesquisas mostram que o preconceito em relação ao exame de toque retal é o que impera quando se fala, por exemplo, em câncer de próstata. Para Marlene, a mulher hoje tem um papel muito importante na transformação desse quadro, pois é ela quem chama a atenção do homem para a necessidade dos exames. “É a mulher que agenda as consultas, é ela quem insiste para que o homem vá ao médico. Isso é muito interessante, porque a mulher na sua cultura já sabe que necessita fazer o exame de toque em vários momentos da sua vida e transmite isso ao homem.”, explicou a Presidente. Para os membros do Instituto Lado a Lado pela Vida, a saúde do homem é muito importante. Porém, eles percebem que em todo o país a prevenção e o combate de doenças masculinas são negligenciados. “Existem grandes campanhas focadas na saúde da mulher, com relação aos homens é diferente. O que se espera com a campanha Novembro Azul é que outras instituições nos

dos à Instituição pelos trabalhos desenvolvidos até hoje. O mais recente foi o Prêmio Caio, também conhecido como Jacaré de Ouro, em decorrência de um projeto que o Instituto Lado a Lado pela Vida realiza com pessoas esquizofrênicas. Nele são utilizados os recursos da pintura e da poesia como uma forma de terapia. O objetivo é incluir e inserir os pacientes na sociedade em geral. O resultado do projeto foi a publicação do livro “Arte de Viver” que reúne os belíssimos trabalhos de pintura e poesia realizados pelos pacientes esquizofrênicos. Para este ano o foco da Instituição será a saúde do homem. De acordo com Marlene, os projetos desenvolverão ações em decorrência do dia 15 de julho, o Dia Nacional do Homem. Na ocasião a Instituição fará atividades com o objetivo de chamar atenção dos homens para a importância dos check-ups, da prevenção de doenças cardíacas, da saúde da próstata, da incontinência urinária, entre outras.

Além disso, o Instituto Lado a Lado pela Vida planeja um projeto para agosto, o mês dos pais. “Temos a ideia de fazer algumas campanhas e ações. O objetivo é aproveitar o apelo dos filhos e que eles chamem a atenção dos seus pais para que eles fiquem atentos à saúde.”, concluiu Marlene. Parceria com Chico da Boleia. A presidente Marlene ressaltou a importância da divulgação da campanha de prevenção e de combate ao câncer de próstata, Novembro Azul, também apoiada por Chico da Boleia. A proposta para esse ano é desenvolver mais ações e se, possível, levar informação com qualidade até as pessoas em todos os cantos do país. Essas atividades buscam fazer com que os homens procurem precocemente os médicos e que tenham um bom atendimento. Alertar para a necessidade de se realizar exames preventivos é necessário para que os homens procurem informações e para que os médicos possam diagnosticar com antecedência possíveis doenças, aumentando as chances de sucesso dos tratamentos. Dessa forma, Marlene espera que no final de 2013 os resultados sejam positivos para toda a categoria. “A Campanha Novembro Azul foi um grande sucesso. Começamos pelas mídias sociais, onde tivemos uma aceitação muito positiva. Temos mais de 12 mil pessoas que nos acompanham pelas mídias. Realizamos ações na Av. Paulista, uma corrida em Minas Gerais, uma ação no Senado. Ocorreram várias intervenções educativas ao longo de 2012 e que serão intensificadas este ano. Para o sucesso dessas iniciativas, contamos também com o apoio do Chico da Boleia.”, completou Marlene. Com relação à atuação do Chico da Boleia na divulgação da Campanha Novembro Azul, Marlene afirmou que a ação realizada dia 17 foi de extrema importância. A parceria contribuiu para divulgar informações de qualidade sobre o combate e a prevenção do câncer de próstata, fornecidas pelo Instituto Lado a Lado pela Vida. Chico da Boleia e sua equipe agradecem pelo material fornecido e assumem o compromisso de abraçar ideias que possam melhorar a qualidade de vida dos nossos companheiros do tapete negro. Redação Chico da Boleia


o a a .

s s

a r m

s .

o

l

a s

s

o

o

a

u

o o

e a e

FIQUE POR DENTRO

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

Você sabe o que é e para onde vai o dinheiro do IPVA?

Foto: Matheus Moraes

Nesse começo de ano o que mais cretara da Fazenda de São Paulo, “a

assombra os amigos caminhoneiros e qualquer cidadão que possua um veículo automotor é o pagamento do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor). Já é de conhecimento de muitos contribuintes que o IPVA de 2013 baixou para algumas categorias em alguns estados. Isso aconteceu em função da redução de IPI sobre os automóveis novos no ano passado. Mas por que o IPVA baixou só em alguns estados? O que nem todas as pessoas sabem é que o IPVA é um imposto estadual cuja alíquota anual, ou seja, o valor cobrado, pode variar de acordo com o valor do veículo e também de acordo com o Estado da União que o aplica. Varia de 2,5% (Paraná, Sergipe) a 4% (São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro), dependendo da categoria do veículo, no que ele é usado (taxis, veículos de locadoras, caminhões e utilitários pagam bem menos) e no combustível utilizado. No Rio de Janeiro, por exemplo, há um bom desconto, de aproximadamente 70%, caso o veículo seja equipado com GNV (gás natural veicular). De acordo com informações da Se-

apuração do valor dos veículos está diretamente ligada às variações de seus preços no mercado, que não guardam qualquer relação direta com índices de inflação ou de depreciação do veículo.” A tabela deste estado, com os valores do IPVA correspondentes à 2013, foi produzida depois de uma pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE). Outros critérios utilizados para esse cálculo são também a marca e o ano de fabricação do veículo automotor, já que esses fatores influenciam também no seu valor de mercado. Vale lembrar que as leis que determinam qual a porcentagem da alíquota que deve ser cobrada sobre cada tipo de veículo, são de responsabilidade de cada estado. Em São Paulo, por exemplo, a Lei 13296/08 que estabelece o tratamento tributário do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores determina que “a alíquota do imposto, aplicada sobre a base de cálculo atribuída ao veículo será de: 1,5% para veículos de carga, tipo caminhão; 2% para ônibus e micro-ônibus, caminhonetes cabine simples, motocicletas, ciclomotores, motonetas, triciclos e quadrici-

clos, máquinas de terraplenagem, empilhadeiras, guindastes, locomotivas, tratores e similares; 3% para veículos que utilizarem motor especificado para funcionar, exclusivamente, com os seguintes combustíveis: álcool, gás natural veicular ou eletricidade, ainda que combinados entre si; 4% para qualquer veículo automotor não incluído nas outras categorias.” Em Minas Gerais, a base de cálculo para o IPVA já é diferente. A Secretaria da Fazenda informa que, desde 2004, calcula-se o IPVA aplicando-se sobre a base de cálculo as seguintes alíquotas: 4% para automóveis, veículos de uso misto e utilitários; 3% para caminhonetes de carga (pick-ups) e furgão; 2% para automóveis, veículos de uso misto e utilitários com autorização para transporte público (ex: táxi, escolar) comprovada mediante registro no órgão de trânsito na categoria aluguel; 2% para motocicletas e similares; 1% para veículos de locadoras (pessoa jurídica) e 1% para ônibus, micro ônibus, caminhão, caminhão trator. A função do IPVA é de fiscalizar os veículos e seus proprietários. Do valor pago, 50% vão para o governo estadual e a outra metade fica com o município em que o veículo é registrado. Ao contrário do que a maioria pensa, ele não é destinado diretamente à manutenção de ruas e sinalização. Assim como a maioria dos impostos, é uma receita pro governo e pode ser usada em educação, saneamento básico, saúde, entre outras demandas. Tanto é que em muitos es-

05

tados ele é recolhido pela Secretaria da Fazenda do Estado, e não pelo Detran. Juntamente com a primeira parcela ou parcela única do IPVA, vem a cobrança do DPVAT, o seguro obrigatório que garante o pagamento de indenizações a terceiros, pessoas comuns que se envolvem em acidentes. É responsável por custear a despesa gerada por ambulâncias, paramédicos, medicamentos, entre outras caso ocorra algum acidente. A depender de onde você mora, são necessárias vistorias ou inspeções em seu veículo. Algumas podem verificar somente o estado dos quesitos básicos de um veículo como pneus (se estão com pelo menos 1,6mm de sulcos), iluminação e possíveis vazamentos. Mas alguns vistoriadores podem ir mais longe e também medir o índice de poluentes na atmosfera, mesmo que esse seja um critério já verificado pelo próprio fabricante do veículo. Se você não concordar com o valor cobrado no seu IPVA ou caso haja uma diferença muito grande entre o calculo do imposto e o ano ou valor real do seu veículo, peça uma revisão da cobrança. Você deve entrar em contato com a Secretaria da Fazendo ou o Detran do seu Estado e pedir instruções sobre como proceder. Para saber exatamente quanto será seu IPVA e como ele foi calculado, acesse o site da Secretaria da Fazendo do seu Estado ou procure informações junto ao Detran. Abraço, Chapa


06

REPORTAGEM

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

Desoneração da folha de pagamento: entenda o que é! O ano de 2013 começou com muitas discussões sobre a decisão do governo que determina a desoneração da folha de pagamento. Em outras palavras, a medida prevê que a contribuição previdenciária (INSS) recolhida por algumas modalidades de empresas não seja calculada mais sobre a folha de pagamento de cada funcionário, mas sim, sobre o faturamento da empresa empregadora. A desoneração da folha de pagamento é constituída de duas medidas complementares. A primeira delas é que o governo está, aos poucos, eliminando a atual forma de contribuição previdências sobre a folha de pagamento de cada funcionário e adotando um novo método para esse recolhimento. Nele, a contribuição previdenciária deve incidir sobre a receita bruta das empresas (descontando as receitas de exportação). Em segundo lugar, a alteração na base da contribuição contempla uma redução de carga tributária dos setores beneficiados, pois a alíquota sobre a receita bruta foi fixada em um patamar inferior à anterior. A decisão determina que as empresas que paguem até 20% de contribuição patronal de suas folhas salarias, possam ser beneficiadas por novas alíquotas que serão de 1% a 2% sobre o faturamento bruto da empresa. Vale lembrar que para todas as outras contribuições incidentes sobre a folha de pagamento não houve mudanças, como, por exemplo, o caso do FGTS e a contribuição dos próprios empregados para o Regime Geral da Previdência Social. Isso significa que a empresa contemplada pela medida continuará recolhendo a contribuição dos seus empregados e as outras contribuições sociais incidentes sobre a folha de pagamento (como seguro de acidente de trabalho, salário-educação, FGTS e sistema S) da mesma forma que hoje. Somente a parcela patronal deixará de ser calculada com base nos salários e passará a ser calculada com base na receita bruta. Segundo o Ministério da Fazenda são

múltiplos os objetivos da medida. O primeiro deles é ampliar a competitividade da indústria nacional, por meio de redução de custos tributários e estimular as exportações, isentando-as de fazer parte da base de cálculo sobre a qual será calculada a contribuição previdenciária em receita. Além disso, o governo pretende estimular o crescimento da formalização do mercado de trabalho, uma vez que a contribuição previdenciária dependerá da receita e não mais da folha de salários. Por fim, o governo acredita que a medida é capaz de reduzir as assimetrias na tributação entre o produto nacional e importado, impondo sobre este último um adicional sobre a alíquota de Cofins-Importação igual à alíquota sobre a receita bruta que a produção nacional pagará para a Previdência Social.

de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras. O novo texto altera o artigo 7o da lei de 2011, que passa a vigorar com um novo texto. No que se refere ao setor de transporte, a lei determina que: “Art.7o Até 31 de dezembro de 2014, contribuirão sobre o valor da receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, à alíquota de 2% (dois por cento):

carga na navegação de cabotagem; V - de transporte marítimo de passageiros na navegação de cabotagem; VI - de transporte marítimo de carga na navegação de longo curso; VII - de transporte marítimo de passageiros na navegação de longo curso; VIII - de transporte por navegação interior de carga; IX - de transporte por navegação interior de passageiros em linhas regulares; X - e de navegação de apoio marítimo e de apoio portuário.

[...]

III - as empresas de transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal, intermunicipal em região metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional enquadradas nas classes 4921-3 e 4922-1 da CNAE O governo calcula uma redução de 2.0.” tributos de todos os beneficiados de R$ 12,8 bilhões neste ano, o equi- Para as empresas de transporte rovalente a 0,26% do Produto Interno doviário coletivo de passageiros, Bruto (PIB) que é estimado em R$ portanto, a alíquota que determina o 4,9 trilhões. Na área de transporte quanto se pagará sobre o faturamento de passageiros a desoneração che- em INSS será de 2%. ga a R$ 2,1 bilhões, o que significa Por outro lado, a Lei também altera o uma queda de R$3,3 bilhões para art.8º da Lei no 12.546. O novo texR$ 1,2 bilhão na arrecadação. A le- to, que fala sobre a alíquota para ougislação aprovada determina que a tras categorias do setor do transporte, União compensará o Fundo do Re- determina que: gime Geral de Previdência Social no valor correspondente à estimativa de renúncia previdenciária decorrente "Art. 8º. Até 31 de dezembro de da desoneração, conforme previsto 2014, contribuirão sobre o valor da na Lei de Responsabilidade Fiscal, receita bruta, excluídas as vendas compensando a redução na arreca- canceladas e os descontos incondidação e não afetando a apuração do cionais concedidos, à alíquota de 1% resultado financeiro da Previdência. (um por cento), em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de A mudança foi autorizada através da 24 de julho de 1991, as empresas que Lei 12715, sancionada pela presi- fabricam os produtos classificados dente Dilma Rousseff em 17 de se- na Tipi, aprovada pelo Decreto no tembro de 2012. Para que possamos 7.660, de 23 de dezembro de 2011, compreender do que se trata a nova nos códigos referidos no Anexo deslei, devemos ter em mente que, den- ta Lei: tre outras coisas, ela altera os textos de leis antigas que regulamentavam sobre a questão tributária relaciona- Dentre outros, também se aplica à: I da a vários setores empregadores e - as empresas de manutenção e repaprodutores brasileiros. ração de aeronaves, motores, compoA nova lei altera, por exemplo, al- nentes e equipamentos correlatos; II guns artigos da Lei no 12.546, de 14 - de transporte aéreo de carga; III - de de dezembro de 2011 que instituiu transporte aéreo de passageiros reguo Regime Especial de Reintegração lar; IV - de transporte marítimo de

Foto: Divulgação

O texto mostra, portanto, que o benefício não contempla todas as categorias, como, por exemplo, as empresas de transporte rodoviário de cargas. A Confederação Nacional de Transporte (CNT) acredita que o pacote é importante porque a tributação sobre a folha de pagamento representa um dos principais custos para alguns setores produtivos, principalmente o do transporte. A alteração, portanto, traz mais competitividade às empresas de


REPORTAGEM

transporte e possibilita, por exem- uma proposta ao Secretário-Executiplo, investimentos em renovação da vo Adjunto do Ministério da Fazenfrota e treinamento de pessoal. da, Dyogo Henrique de Oliveira, de ; Por outro lado, a própria CNT de- solicitação de apoio do ministério à fende que uma alíquota de 2% so- emenda nº 67 de autoria do Senador bre o setor de transporte rodoviário Clésio Andrade (PMDB/MG) para a e de passageiros pode resultar em um Medida Provisória nº 582 de 2012. efeito reverso, causando oneração. e Além disso, o fato da lei não cono templar o setor de transporte rodo- A Emenda visa incluir entre os beneficiários da desoneração da folha viário de cargas causo insatisfação de pagamento o setor de transporte e na entidade. rodoviário de cargas através de uma r Outros órgãos representativos modificação do texto do Parágrafo ; como a ATR – Brasil (Associação terceiro, do artigo 8o da Lei. Dessa do Transporte Rodoviário do Bra- forma, o TRC passaria a igualar-se

o s s o

sil) concordam que a não contemplação desse setor pode prejudicar a competitividade das empresas ligadas ao transporte rodoviário de cargas, já que elas são responsáveis a por 60% de todo mercado de transe porte de cargas do país.

com outras categorias de transporte em relação ao benefício. Um dos argumentos para a defesa da Emenda é justamente o tamanho da participação das empresas de TRC no mercado de transporte de cargas no país todo.

Foi por essa razão que o representante da ATR-Brasil, Roberto Queiroga acompanhado pelo Des putado Jerônimo Goergen (PP/RS), e apresentaram, ainda em dezembro,

A ATR informou em nota que, durante o encontro, seu representante e o parlamentar argumentaram sobre as diferentes formas de contratação de frete e as especificidades do setor e

s

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

07

que por esta razão não poderia haver desigualdade no tratamento do transporte rodoviário, marítimo e aéreo em relação à aplicação das alíquotas.

José Machado ainda ressaltou que entidades como a ATR Brasil estão mobilizadas em favor da categoria e que vão acompanhar os avanços nas negociações. “Já foram pedidos pelo Ministério da Fazendo inúmeros esEm entrevista feita por nosso com- tudos que comprovem a nossa defesa panheiro Chico da Boleia, o Sr. José de uma alíquota de 1%. Isso já foi Machado, presidente da ATR-Brasil, feito pelas entidades”, afirmou. explicou que é muito difícil chegar a uma concordância sobre uma alíquo- Segundo ele, os estudos ainda mosta adequada para todos os setores. tram que a arrecadação do governo No entanto, estranha o fato do setor tende a crescer nesse setor, já que a de transporte rodoviário de carga não forma de recolhimento do INSS soter sido contemplado com a medida bre o faturamento inibe a sonegação e ter tratamento diferenciado em re- de impostos. “Hoje os empregadores lação à outros setores podem registrar o funcionário com do transporte. Mesmo um salário menor ou pagar de outras assim, José Machado formas. A gente percebe que às vedefende a medida de zes em cima do autônomo a empredesoneração e explica sa nem recolhe o benefício. Quando que a mudança na for- essa alíquota for estabelecida em ma de recolher o INSS cima do faturamento, impossibilitará é uma maneira de pro- a sonegação.”, completou. teger o empregado e coibir a sonegação. Em nota, a ATR-Brasil declarou que Durante a entrevista com Chico da Boleia, o presidente da ATR Brasil ainda frisou que caso a categoria de transporte rodoviário de cargas seja beneficiado com a aprovação da medida provisória é de suma importância defender uma alíquota de 1% para a maioria delas. “É muito difícil estabelecer uma alíquota que contemple todas as empresas. Por exemplo, no caso do agronegócio. Dificilmente você encontrará uma empresa que transporte grãos e que busca agigantar a frota. Como o negócio é muito sazonal, se a empresa de transporte investir só nesse negócio ela não terá receita nos períodos entressafra. Então temos duas categorias de empresas: aquelas com frotas grandes, que contratam menos autônomos e aquelas pequenas e médias que utilizam o trabalho dos autônomos em maiores proporções. No caso das primeiras uma alíquota de 2% é considerada até razoável. Já para as empresas que contratam largamente os autônomos uma alíquota como essa resultaria na oneração dos trabalhadores”, frisou.

o ideal é que se crie uma agenda de conversas e discussões até a definição governamental final. Não deixe de acompanhar todas as informações referentes a essas discussões. E caso o tema desperte dúvidas ou curiosidades, escreva pra gente! Para ver a entrevista completa, acesse: www.chicodaboleia.com.br Redação Chico da Boleia


08

ESPORTES

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

Neusa Navarro, presidente da Fórmula Truck, fala sobre as novidades da competição para 2013 Chico da Boleia foi até a cidade de Santos, no litoral sul paulista, para conversar com a presidente da Fórmula Truck, Neusa Navarro. Junto com ela estava Vytor Zeidan, jornalista que acompanha e realiza grande parte das entrevistas e matérias das etapas do campeonato. A presidente da categoria ressaltou que 2012 foi um ano de grande satisfação para todos que trabalham e participam das etapas da competição. Apesar dos problemas financeiros que todo o país o enfrentou, Neusa afirmou que o ano passado deixou boas lembranças de um campeonato acirrado e emocionante fechado com chave de ouro na última etapa de Brasilia, em dezembro. A boa disputa e a vitória de Leandro Totti proporcionaram felicidade ao público e aos amantes da Fórmula Truck. Com relação aos trabalhos desenvolvidos pela Fórmula Truck na parte de comunicação, Vytor Zeidan frisou que os resultados de 2012 foram além das expectativas e representaram um grande avanço. O jornalista atribui o sucesso da marca Fórmula Truck e também das etapas promovidas, às divulgações e trabalhos de comunicação desenvolvidos em parceria com a Grelak Comunicação, chefiada por Clóvis Grelak. A empresa que presta assessoria de imprensa contribuiu para a divulgação das etapas e ações da Fórmula Truck nas diversas mídias disponíveis. Novidades: O ano de 2013 promete muitas novidades para a Fórmula Truck. De acordo com Neusa Navarro, existem vários pilotos da categoria que ainda não decidiram qual equipe integrarão. Existe, ainda, a possibilidade de entrarem mais pilotos para a categoria. Tudo isso será confirmado nos próximos dias. Sobre a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, a presidente da categoria reafirmou, como em outras vezes, sua satisfação em voltar ao Autódromo de Tarumã, no Rio Grande do Sul. “O retorno à Tarumã será ótimo. Desde 2008 não acontece uma etapa lá. O público sempre se fez presente e eles são fanáticos por corridas, principalmente pela Truck”, acrescentou Neusa. Além disso, Vytor lembrou que o Autódromo de Londrina também está confirmado para o calendário 2013 da Fórmula Truck. Por outro lado, os cariocas não terão o gostinho de acompanhar as emoções da competição no Rio de Janeiro, já que o Autódromo de

Foto: Chico da Boleia, Neusa Navarro e Vyctor Zeidan

Jacarepaguá foi fechado. A concentração de etapas do Campeonato na região Sul do Brasil (Curitiba, Londrina, Cascavel, Tarumã e Guaporé) é resultado da carência de Autódromos em outros estados. “Não temos muitas opções no Brasil. Rio de Janeiro foi fechado, então tivemos que buscar outro autódromo. Campo Grande é uma praça bacana, mas o acesso ao autódromo não é muito bom, as pessoas não conseguem chegar até lá com grande facilidade. Isso caracteriza uma dificuldade tanto para a Truck quanto para o público.”, explicou Neusa Navarro. Outra novidade que pode esquentar o automobilismo brasileiro é a possível criação de uma categoria na Fórmula Truck para jovens pilotos menores de 21 anos. A Truck Light, como foi chamada por Neusa Navarro, terá o objetivo de acolher novos pilotos e proporcionar a eles experiências nas pistas. Os caminhões utilizados serão menores e a categoria terá regras específicas. Neusa frisou que a categoria talvez seja criada em 2014. Segurança durante as corridas. O acidente com o piloto Diumar Bueno, da DB Motor Sport, ocorrido na etapa de Guaporé em outubro do ano passado, deixou os organizadores e o público receosos. Segundo Vytor Zeidan o acidente foi o mais grave da história da Fórmula Truck, em termos de consequência, já que o piloto teve várias fraturas nas pernas. O ocorrido, no entanto, é apenas uma lembrança para todos, visto que o próprio piloto frisou a qualidade dos itens de segurança dos caminhões da Truck. Diumar, que teve uma recuperação impressionante nos últimos meses, pensa, inclusive, em voltar a correr já neste ano.

Em competições automobilísticas, no entanto, qualquer item que possa proporcionar mais segurança aos pilotos é sempre bem-vindo. Isso porque o bom andamento das corridas não depende somente da organização do evento, das equipes e dos pilotos, mas também das boas condições do autódromo e do clima. Por isso Neusa Navarro lembrou que na última etapa de 2012, em Brasília, foi apesentado um caminhão com uma modificação no sistema de freios. A novidade foi aprovada pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e já entrou no regulamento. Dessa forma, na primeira etapa deste ano, os caminhões estarão adequados com um novo sistema de freios. Pilotos confirmados para 2013: Muitos detalhes ainda não foram confirmados para 2013, mas já podemos contar com a renovação dos pilotos Beto Monteiro e Valmir Benavides na equipe Iveco, que, em 2012, investiu pesado em seus caminhões de corrida. A equipe ABF/Mercedes-Benz também confirmou a parceria de dez anos dos pilotos Wellington Cirino e Geraldo Piquet. A grande novidade foi anunciada também neste dia 10 de janeiro: Paulo Salustiano, de 29 anos, assinou com a ABF Desenvolvimento Team e correrá com o caminhão Mercedes-Benz vencedor dos campeonatos brasileiro e sul-americano de 2012. Já a estrela do campeonato passado, Leandro Totti, ainda não tem equipe garantida na Fórmula Truck. Neusa Navarro acredita que a confirmação desta informação deva acontecer nos próximos dias. Está confirmada também a estreia da equipe comandada por Edu Piano, o multicampeão do Rally dos Sertões.

Edu, que tem 20 anos de experiência nas terras, provará uma pouco das emoções dos circuitos fechados. A nova equipe será composta por caminhões Ford, competindo, assim, com a experiente equipe DF Motor Sport/Ford, de Djalma Fogaça. Outro piloto confirmado é Jansen Bueno que fará parte da equipe DB Motor Sport. Desde o ano passado, o jovem de 21 anos já tinha pretensões de fazer parte do Grid da Fórmula Truck, porém o regulamento, dentre outras exigências, não permite que menores de 21 anos corram na categoria. A ideia era que Jansen corresse ao lado do pai, Diumar Bueno que, apesar dos anseios de retornar às pistas, ainda não confirmou sua volta. Fórmula Truck nas mídias: As etapas dos Campeonatos Brasileiro e Sul-Americano de Fórmula Truck prometem agitar as cidades do calendário 2013. Segundo Vytor Zeidan o plano é “pulverizar mais as informações sobre a Truck ao longo do ano e em todos os lugares”. Além disso, a ideia é divulgar as etapas e ações antes, durante e depois do evento em cada cidade, para que as pessoas se aproximem mais da competição e acompanhem todos os detalhes. Para que todos conheçam realmente a sensação de andar num caminhão de corrida, a Fórmula Truck criou a “Volta Rápida”. Nela, clientes vips e representantes da imprensa poderão andar a toda velocidade juntamente com os pilotos oficiais da competição. O caminhão para a Volta Rápida está em construção e será totalmente diferente das marcas e montadoras, para que todos os pilotos possam pilotar. A atração será acompanhada de um coquetel e acontecerá nos sábados que antecedem a corrida. Neusa Navarro ainda comentou como é acompanhar seus filhos durante o Show de Caminhões, espetáculo no qual Gabi, Dani e Junior fazem manobras radicais com caminhões de 4 toneladas. A mãe frisou que não consegue assistir ao show dos filhos, “fico muito nervosa”, disse ela. Mas ela ainda ressaltou a admiração e a emoção que sente pelos filhos estarem seguindo os passos do pai, Aurélio Félix. Neusa comentou ainda, que pretende ver um deles correndo na Fórmula Truck. Truck Kids: A ação social que está em todas as etapas da Fórmula Truck continu-


3

o . r , r

n B o s a e e o ,

o k o o , s o s e

DE BOA NA BOLEIA ará em 2013. “Nas etapas, o evento da Truck Kids é automático. Mas 2012 foi o ano em que mais ocorreram eventos da Truck Kids fora das etapas da competição”, frisou Vytor Zeidan. Neusa Navarro ainda ressaltou a satisfação em oferecer às crianças a oportunidade de andarem nos caminhõezinhos da Truck. Segundo ela, nas ações que ocorreram nas cidades a presença do público foi muito grande. “Fizemos um evento da Truck Kids aqui em Santos no Natal, com o Papai Noel e as crianças gostaram muito. Elas comparecem em massa. Tem muita empresa parceira que colabora doando brindes e brinquedos”, acrescentou Neusa. Recado aos caminhoneiros. Em todas as suas entrevistas, Chico da Boleia faz questão de incluir as questões que afetam toda a categoria dos caminhoneiros. Sobre o assunto, Neusa Navarro concluiu que apesar de conhecer a difícil realidade dos caminhoneiros deste país, acredita que 2013 será um ano de grandes conquistas para todos da categoria, principalmente em função das leis que estão sendo debatidas e aprovadas em benefício dos caminhoneiros. Por último, a presidente Neusa Navarro desejou muita saúde e que todos os caminhoneiros do país possam acompanhar de perto o evento que é especialmente preparado para eles: a Fórmula Truck.

Calendário F-Truck 2013 Confira o calendário 2013 da Fórmula Truck

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

09

Frases de Para-choques “Quem toma decisões está sujeito a erros. Quem não toma, já errou.” “Perca um minuto na vida. Não perca a vida em um minuto” “De inveja não morro, mas mato muita gente!” “Nasce o Sol e a Lua e o show continua!”

Foto: Larissa J. Riberti - Etapa Córdoba, Argentina

10/03 - Tarumã, Rio Grande do Sul. 07/04 - Londrina, Paraná. 19/05 - Caruaru, Pernambuco. 09/06 - Goiânia, Goiás. 07/07 - Interlagos, São Paulo. 04/08 - Cascavel, Paraná. 08/09 - Córdoba, Argentina.

“Não sou presidente, mas tenho um bom CARGO” “Fruta madura na beira da estrada: está podre ou bichada.” “Não sou mágico, mas vivo de um truck” “Qual a diferença do caminhão para o sol? O sol sai pra esquentar e o caminhão esquenta pra sair“ “O difícil fazemos na hora. O impossível demora mais um pouco.” “Marido de mulher feia detesta feriado.” “Não dê o peixe. Ensine a pescar.” “Mais vale um exemplo do que mil palavras”

13/10 - Guaporé, Rio Grande do Sul.

“Antes eu sonhava. Agora nem durmo.” e 10/11 - Curitiba, Paraná. o “Nas grandes estradas moro, mas às vezes de saudade eu choro.” a 08/12 - Brasília, Distrito Federal. e Equipe Chico da Boleia o e . TRANSPORTE AEROMÉDICO (UTI AÉREA) FRETAMENTO EXECUTIVO DE AERONAVES á a CONVÊNIO COM PLANOS DE SAÚDE E SECRETARIAS DE SAÚDE A e

o e o m s o , s a m -

s -

PLANTÃO 24H (62) 3207-5001 / 3207-5566 (62) 9971-5370 / 9980-1419

WWW.BRASIL.COM.BR - FRETAMENTO@BRASILVIDA.COM.BR


10

ENTRETENIMENTO

O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

CHICO DA BOLEIA

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS Cruzadinha www.coquetel.com.br © Revistas COQUETEL 2013 Modalidade de licitação feita através da internet Característica do assunto importante Brincadeira; pilhéria

Primeira claridade da manhã

Instrumentos de (?): tambor e agogô

Adaptação harmoniosa (entre pessoas)

Moveu-se sobre si (como o pião)

Tricampeão (red.) Hormônio responsável pelas características femininas secundárias

Promoção Cultural

Diz-se do sujeito que gosta de aparecer em transmissões de TV para ganhar fama

Tipo de gás não reativo (Quím.) Iberê Camargo, artista plástico

Cachorro

C Ã O

(?) Open, torneio de tênis dos EUA

Canção, em inglês Ato Institucional (sigla)

Virtude ausente na pessoa arrogante

Samuel Rosa, cantor mineiro

Jogadora de vôlei brasileira Plantação onde trabalhavam escravos

(?) de ótica, truque de shows de mágica

(?) azul, espécie de peixe em extinção

Idioma litúrgico do Candomblé

Forma de Auxiliar do decote professor suave na aula

A vogal marcada no jogo da velha

"Errado", na correção da prova

Pronome que designa a coisa próxima de quem fala

500, em romanos

"Internacional", em FMI

Tomo (abrev.)

Fruto energético exportado pelo Pará

Associação Brasileira de Imprensa (?) Valley, região vinícola dos EUA

Dar seu parecer sobre algo

BANCO

Acesse o site e participe!

Capital do Marrocos Grama (símbolo)

Olga Benário, militante alemã

www.chicodaboleia.com.br

4/eito — opep — song. 5/rabat. 6/inerte. 7/gracejo.

Regime alimentar Parada (?): indicação do sinal vermelho ao motorista

É um Hot Site Promocional Cultural desenvolvido para demonstrar a importância e a facilidade de usar o RASTREADOR com a tecnologia Sascar, onde o participante visualiza através do mapa montado em parceria com a Sascar onde o personagem “Chico da Boleia” está no momento do seu acesso, o importante é que o Chico da Boleia roda pelo Brasil todo e a Sascar mostra isso em tempo real. A partir daí o participante se cadastra gratuitamente e participa das promoções informando onde está o Chico da Boleia no exato momento do acesso ao site promocional. Repita esse procedimento 4 vezes durante o mês e concorra!

Cartel petrolífero Segura; pega O instinto, por sua origem

Mórbida

O que é “Onde está o CHICO DA BOLEIA”?

86

Solução

ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO AO CAMINHONEIRO DO BRASIL

I C M

A E L V R A O D E O U S

© 2013 Classic Media, LLC.

APROCAM BRASIL

A

pegando fogo nas bancas!

D

os tempos!

P C I A I P I A O N G E A A R I I T O E D A E P E P A I N A R Ç A B A T R I A

de todos

D

mais encapetado

P E E V A N TR R C E J O U S S S T I A S R M Ã O E O G A N E S T N O T I A O P I A A N B R A I G A TO

do diabinho

U M O E N I E T O B R

24H

P R E G Ã O E L E T R O N I C O

A volta

Junte-se a nós www.aprocambrasil.org.br

(11)4371-4845 - FAX (11)4371-4844 (11)4371-4843 (11)4371-4842


O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

PROSA DE CAMINHONEIRO Espaço do Internauta Espaço dedicado aos internautas que estão conectados no site do Chico da Boleia. " Matéria muito positiva, Chico da Boleia. Uma característica muito importante sem dúvida é a segurança. A cada temporada a potência dos caminhões aumenta, já a largura das pistas e dos circuitos permanecem a mesma, logo sendo necessário disponibilizar mais sistemas de segurança em tudo que envolve a Fórmula Truck (caminhões, pistas, público). Sobre os pilotos e equipes, já ouvi falar que o Totti correrá pela VW este ano. Veremos. Sou fã do Djalma Fogaça e gostaria muito em vê-lo andando entre os 5 mais rápidos, já que na última temporada seu caminhão Ford não rendeu o que tem condições para render. Se a Ford disponibilizar os motores 13 litros no mercado este ano, acredito que seu caminhão poderá chegar em torno de 1.500cv, dando mais adrenalina ao Caipira Voador e à sua equipe também. E que venha logo a nova temporada para nossa diversão!" Alessandro Ricoboni, na matéria sobre a entrevista de Neusa Navarro, Presidente da Fórmula Truck.

" Parabéns pelo programa e obrigado pelo esforço em defender uma classe que não tem tempo de expor suas dificuldades. Porém, apesar das dificuldades somos privilegiados com o prazer de conhecer lugares e pessoas novas." Walber, companheiro caminhoneiro.

"É, a Lei do Motorista só veio para regulamentar o lógico: quem dirige sem descanso é pior que dirigir embriagado. Eu já tive essa experiência e é péssimo (dirigir muitas horas sem descanso). Levei um susto grande ainda bem que não causei nenhum prejuízo a outros nem a mim mesmo, dei um cochilo de alguns segundos fui para o canteiro lateral direita da Cândido Portinari (depois de Batatais) sentido Franca. Já era de madrugada fiz um bate e volta em SP, depois disso fiquei em ALERTA. Espero que os companheiros não passem por isso, é melhor respeitar o seu estado físico. A lei é só um reforço, o respeito à vida é o mais importante. Tem um provérbio que diz… “o homem acaba com sua saúde querendo ganhar dinheiro… depois acaba com dinheiro querendo recuperar sua saúde”." Tanajé Luiz Amorim, na publicação “Quantas horas você dirige?” do Blog do Chico. Redação Chico da Boleia

CHICO DA BOLEIA

11

te o sal e a pimenta e cozinhe com a panela tampada até que os temperos se dissolvam. Numa tigela à parte, misture pouco a pouco o fubá no caldo de galinha frio, adicione aos poucos na panela sempre mexendo para não empelotar. Siga mexendo e adicionando o fubá diluído até conseguir o ponto de consistência desejado. Esse processo pode demorar mais tempo dependendo da consistência desejada.

Frango ensopada com polenta Que companheiro da estrada nunca cozinhou para a patroa ou mesmo para os amigos? Cozinhar é uma terapia e sempre que tenho tempo vou para o fogão fazer umas delícias. Compartilho com vocês uma das minhas maiores especialidades: frango com polenta. Originária da Itália, a polenta é um preparado de fubá extremamente rico em carboidratos e delicioso. Vai bem com tudo: linguicinha calabresa, feijão, salada, frango, costelinha de porco. Companheiros, tá na hora de mostrarmos que não somos bons só com o volante, mas também com as panelas. A louça, claro, fica por conta delas! Ingredientes: Coxas e sobrecoxas de frango, limpos e temperados previamente. Fubá Alho picado a gosto. Cebola picada.

Após isso, separe uma travessa e forre-a com um guardanapo de pano. Despeje a polenta sobre o guardanapo na tigela e deixe descansar por alguns minutos. Levante as pontas do guardanapo, torça-as e faça um laço com um barbante, formando assim uma espécie de trouxa. Coloque a trouxa diretamente sobre a pedra fria do mármore, lembrando-se de muda-la de lugar sempre que a pedra esquentar. Quando a polenta estiver fria abra a trouxa e você verá que a polenta terá tomado a forma de uma cuia, assim ela poderá segurar melhor o molho que a cobrirá.

Cheiro verde picado. Caldo de galinha.

Frango

Manteiga

Numa panela doure rapidamente os pedações de frango já temperados no azeite. Quando o frango estiver dourado, refogueo na cebola ralada, acrescente sal e pimenta e a polpa dos tomates. Cubra o conteúdo com caldo de galinha e com o cheiro verde e o louro, tampe a panela e deixe cozinhar em fogo baixo. Quando o molho reduzir o suficiente, coloque os pedaços de frango na travessa onde já estava a polenta, cubra com o molho e sirva.

Tomates sem pele e sem a semente (também pode ser molho ou extrato de tomate) Sal e pimenta a gosto. Folhas inteiras de louro Azeite de oliva. Polenta Doure no azeite o alho e a cebola, acrescen-

Em 2012, nós seguimos a direção certa, levando muito mais conforto e segurança para você. Mais um ano se passou e nossa preocupação com seu bem-estar só aumentou. Afinal, nós nos encontramos todos os dias em tantas estradas e por isso, queremos que nossa relação seja cada vez melhor. E em 2013, vamos trabalhar ainda mais para que você siga pelas melhores direções e possa continuar o seu caminho sempre tranquilo.


Foto: Matheus Moraes


13ª Edição - Jornal Chico da Boleia Nacional