Page 1

Ano 11 • No 135 • maio de 2014

Jornal

www.facebook.com/pascomsaopedro

Chave DESãoPedro Telma Feleto

Paróquia de são pedro do Tremembé

Uma chance para 99 crianças da comunidade Após convênio com a Prefeitura, as aulas na creche foram retomadas e o número de crianças atendidas aumentou quatro vezes. Leia entrevista com a diretora de Planejamento Regional da Secretaria Municipal de Educação  Pág. 4

Espiritualidade

Semana Santa

Saúde pública

Neste mês de maio, Dom Sérgio apresenta Maria como a Mãe da Evangelização Pág. 2

Veja como foi a Festa da Páscoa na igreja São Pedro

O que você pode fazer para conter o avanço da dengue Pág. 8

Pág. 7


Espiritualidade

Carta ao leitor

Maria, a Mãe da evangelização!

Formação para a vida No dia 14 de abril, 99 crianças da nossa comunidade ganharam uma chance de começar bem a vida escolar. Depois de fechar convênio com a Prefeitura, a Creche Pedro Apóstolo retomou as aulas. E a boa notícia é que o número de crianças atendidas aumentou quatro vezes. É a concretização de um sonho de muitos paroquianos que lutam há anos para que as famílias mais carentes do bairro possam ter um lugar onde deixar os filhos enquanto seus pais ou responsáveis trabalham. O acesso à creche é um direito garantido pela Constituição, mas nem sempre cumprido pelo poder público. Por isso, a Paróquia de São Pedro considera a creche como uma das principais obras sociais. Os primeiros anos de uma criança são fundamentais para a formação do indivíduo para a vida em sociedade. Numa entrevista exclusiva, a diretora regional de Planejamento da Secretaria Municipal de Educação fala sobre a importância da Creche Pedro Apóstolo. Nesta edição, a importância da Virgem Maria para a evangelização e a profundidade espiritual da consagração a Nossa Senhora. Em imagens, os principais momentos das celebrações da Semana Santa na Paróquia de São Pedro. Boa leitura!

Equipe Pascom Paróquia de São Pedro

Por Dom Sergio de Deus Borges

O

Papa Francisco conclui a Exortação Apostólica, a Alegria do Evangelho, afirmando que a Igreja precisa de evangelizadores com espírito. Diz ele: “evangelizadores com espírito quer dizer evangelizadores que se abrem sem medo à ação do Espírito Santo” (EG 259). Como modelo de evangelizador com espírito, o Papa nos apresenta a Virgem Maria: “juntamente com o Espírito Santo, sempre está Maria no meio do povo. Ela reunia os discípulos para invocá-lo (At 1,14) e assim tornou possível a explosão missionária que se deu no Pentecostes. Ela é a Mãe da Igreja evangelizadora e, sem Ela, não podemos compreender, cabalmente, o espírito da nova evangelização” (EG 284). O Santo Padre convida todos os discípulos missionários a olhar para este modelo, a olhar para Maria e fomentar um estilo mariano na atividade evangelizadora da Igreja, onde se reconhece e se acredita na força revolucionária da ternura e do afeto: “Fixando-A, descobrimos que aquela que louvava a Deus porque derrubou dos tronos os poderosos e os ricos despediu

de mãos vazias é a mesma que assegura o aconchego de um lar à nossa busca de justiça. E é a mesma, também, que conservava – cuidadosamente – todas estas coisas, ponderando-as no seu coração. Maria sabe reconhecer os vestígios do Espírito Santo de Deus tanto nos grandes acontecimentos como naqueles que parecem imperceptíveis. É contemplativa do mistério de Deus no mundo, na história e na vida diária de cada um e de todos. É a mulher orante e trabalhadora em Nazaré,mas é também Nossa Senhora da prontidão, a que sai às pressas de seu povoado para ir ajudar os outros” (EG 288). Nós, discípulos missionários, neste mês especialmente dedicado à Mãe querida e abençoada, modelo de todos os discípulos missionários, somos convidados a voltar nosso olhar para Ela e, com o coração cheio do Espírito Santo, suplicar que nos conceda a força de Deus para seguir o seu exemplo e fazer de nossa Comunidade, nossa Paróquia um “lugar” de irradiação missionária, onde não há espaço para o cansaço espiritual e a falta de sensibilidade em relação aos irmãos,

principalmente os mais frágeis. Assim, com a intercessão da Virgem Maria e imbuídos do estilo mariano, seremos verdadeiramente discípulos missionários com espírito, ocupados numa atividade evangelizadora ousada, capazes de buscar novos caminhos e vermos na cidade, no nosso bairro, nas periferias e na rua onde vivemos grandes oportunidades para levar o Evangelho da alegria, o Evangelho da vida que vence a morte, para que ninguém fique privado do encontro salvador com o Filho amado de Deus e da Mãe abençoada. Dom Sergio de Deus Borges é bispo auxiliar de São Paulo e vigário episcopal para a Região Santana

Expediente - Pascom Orientador: Pe. Edimilson da Silva Coordenação da Edição: Pastoral da Comunicação e-mail: pascomdesaopedro@gmail.com Editor: Edmilson Fernandes - MTB: 25.451/SP Direção de Arte: Toy Box Ideas Revisão: Oswaldo de Camargo Impressão: Atlântica Gráfica Tiragem: 3.000 exemplares Colaboradores: Telma Feleto e Vânia De Blasiis

Casamentos/Batismos/ Intenções de Missas Secretaria: De 2a a 6a feira: 8h às 12h e 14h às 18h | Sábados: 8h às 12h | Domingo: não há expediente na secretaria paroquial. Missas: 2 e 4 feiras, às 19h30 / 3 , 5 e 6 feiras, às 7h30 / Sábados, às 17h / Domingos: às 8h, 10h e 18h30 as

as

as

as

as

Direção Espiritual e Confissão: Atendimento: 3a feira, das 15h às 18h | 4a feira, das 20h às 22h | 6a feira, das 9h às 12h

PARÓQUIA DE SÃO PEDRO DO TREMEMBÉ Av. Maria Amália Lopes de Azevedo, 222 A | Tremembé | São Paulo | CEP: 02350-000 | Tel.: (11)2203-2159 e-mail: secretariasaopedro@hotmail.com

2

Comunidade Santa Rosa de Lima R. Luiz Carlos Gentile de Laet, 1302, Tremembé Comunidade São José (Itinerante) Missas: todos os dias 19 do mês, às 16h Momento de Oração e Estudo Bíblico: 3as feiras, às 20h Comunidade Nossa Senhora Aparecida Av. N. S. Aparecida da Cantareira, 22, Tremembé Missas: dom., às 8h30 / Missa todos os dias 12 do mês, às 20h Comunidade Nossa Senhora da Providência R. Vilarinhos, 95, Tremembé. Missa: domingo, às 10h30 Comunidade São Marcos R. Luiz da Silva, 24, Tremembé Missas: sábados, às 17h. Estudo Bíblico: 5as feiras, às 20h

Jornal Chave de São Pedro


Diálogo com a comunidade

A espiritualidade cristã na família: um casamento que dá certo Sua Santidade o Papa Francisco encoraja a todos a viverem esta união, através de atitudes dentro de casa que revelam acolhida e respeito: com licença, obrigado, desculpa Por Pe. Edimilson da Silva

O

livro A Hora da Família é um subsídio que contém várias celebrações que ajudam a comemorar as datas importantes: o aniversário de bodas de casamento, o dia dos pais, dos avós, para fortalecer ainda mais os laços familiares. A família é uma beleza. É a bênção que nasce do amor de Deus, derramado sobre a vida do casal, formado com pessoas tão diferentes entre si, mas que um dia disseram sim, por acreditarem que foram unidos pelo amor que se renova no altar do cotidiano. O Projeto de Evangelização da Pastoral familiar ajuda-nos a refletir sobre algumas ações concretas, entre elas o fortalecimento dos laços conjugais e parentais, mediante a prática da espiritualidade cristã na família. A espiritualidade nasce do encontro com Deus, através de sua Palavra. Po-

Mês de maria

Padre Edimilson da Silva é jornalista e pároco da Paróquia de São Pedro do Tremembé

Canonização

Consagração a Nossa Senhora O mês de maio é dedicado à Virgem Maria, a mãe de Jesus e nossa mãe. No dia 13, celebramos a aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos em Fátima (Portugal)

D

Ronaldo Correa/JMJ Rio 2013

as devoções a Maria, uma das mais populares e profundas é a consagração. A raiz histórica da consagração a Maria encontra-se nos primeiros tempos do cristianismo. Uma das orações mais antigas a Nossa Senhora, a oração À vossa proteção, contém já um ato de entrega à Mãe de Deus, sob cuja proteção a pessoa se confia. Segundo São Luís Maria Grignion de Montfort (1673- 1716), a consagração a Maria consiste em “entregar-se inteiramente à Santíssima Virgem, a fim de, por Ela, pertencer inteiramente à pessoa de Jesus Cristo”.

Maio | 2014

demos ter como referência bíblica Abraão, Moisés, os apóstolos, que faziam a experiência de Deus na família, pequena comunidade. Pela fé, nascia a convicção de que Deus estava com eles em todos os acontecimentos: trabalho, colheitas, conquistas, exílio, lutas e alegrias. Podemos concluir que a prática da espiritualidade cristã é uma graça, um recurso precioso, que ajuda a família a renovar a união entre seus membros, a paciência uns com os outros, o resgate dos valores cristãos. Cada integrante da família se alegra com a beleza de estar juntos.

Papa Francisco inclui a figura de Cristo na oração da consagração a Nossa Senhora Desde que o Papa Francisco celebrou a missa no Santuário Nacional de Aparecida, em julho do ano passado, os padres, religiosos e fiéis rezam uma “nova” oração de consagração a Nossa Senhora no fim das celebrações. A oração rezada pelo Papa inclui duas referências a Jesus Cristo e foi oficializada pelo Santuário já no dia seguinte.

Dois papas são proclamados santos da Igreja

O

Papa Francisco proclamou no último domingo, 27 de abril, a santidade dos Papas João XXIII e João Paulo II. O papa emérito Bento XVI também participou da cerimônia na Praça de São Pedro. O ato foi acompanhado por dezenas de milhares de peregrinos no Vaticano. O Papa Francisco disse que os pontífices foram "homens corajosos", que não tiveram "medo" de contemplar Jesus e que viveram os desafios do século XX. São João XXIII "São João XXIII e São João Paulo II tiveram a coragem de olhar as feridas de Jesus, de tocar suas mãos. Não tiveram vergonha da carne de Jesus, não se escandalizaram dele, da sua cruz, não tiveram vergonha da carne do irmão", afirmou o Papa Francisco. Segundo o Papa Francisco, João XXIII e João Paulo II também "colaboraram para recuperar a Igreja com sua fisionomia original", principalmente o primeiro, através do Concílio Vaticano II. "João XXIII foi para a Igreja Católica um pastor, um guia, mas também guiado pelo Espírito Santo. Esse foi seu grande serviço pela Igreja. Por isso, gosto de pensar nele como o 'Papa da Docilidade do Espírito Santo'", afirmou o Papa Francisco. São João Paulo II

3


Destaque

O esforço e a união concretizam os sonhos Por Edmilson Fernandes

V

ocê se lembra do seu primeiro dia de aula? Bem, como em qualquer escola de educação infantil, a primeira semana de aulas na Creche Pedro Apóstolo foi de muita choradeira. Com menos de três anos de idade, quem aguenta dizer tchau para a mamãe, deixar a segurança do colo dela sem reclamar? “Mas é só no começo”, tranquiliza a diretora do CEI Pedro Apóstolo, Fátima Maria Ferreira. Com mais de 20 anos de experiência em educação infantil, ela não estranha mais esse comportamento dos pequenos. Aliás, os remanescentes do ano passado, que tiveram a vaga garantida, nem reclamaram do retorno. Para aliviar a barra dos novatos, a primeira semana foi só de adaptação. Às 11 horas da manhã, o choro se transformava em alegria com a chegada das mães, pais, avós ou responsáveis para buscá-los. A partir da segunda semana, a rotina é período integral, o dia inteiro. As aulas na Creche Pedro Apóstolo foram retomadas no último dia 14 de abril. Este ano, começaram um pouquinho mais tarde, mas a espera valeu a pena. Concluída a reforma exigida pela Prefeitura, o número de crianças atendidas aumentou quatro vezes - passou de 25 para 99, de um a quatro anos. É a realização de um projeto que demorou anos. Desde muito tempo, mães ou responsáveis por crianças pequenas da nossa região que não tinham onde deixá-las enquanto trabalhavam precisavam de uma vaga na creche. Finalmente, graças ao esforço do pároco Pe. Edimilson da Silva, ao empenho de uma equipe voluntária e à contribuição da comunidade do Tremembé, a Prefeitura assinou o convênio e passou a financiar a creche. Pelo convênio, a Prefeitura vai arcar com as despesas administrativas, como salário de funcionários e fornecimento de merenda escolar e material didático. “Mas vamos continuar precisando da ajuda da Paróquia e dos doadores, para serviços de manutenção”, avisa a presidente do Conselho da creche, Edna Nascimento.

4

Fotos: Telma Feleto

O maior projeto social da Paróquia de São Pedro passa a atender 99 crianças da nossa comunidade. Depois de uma grande reforma, a creche firmou convênio com a Prefeitura de São Paulo e quadruplicou o número de vagas

NOVA ESTRUTURA DA CRECHE Presidente do Conselho – Edna Nascimento Diretora do CEI – Fátima Maria Ferreira 1 coordenadora 1 auxiliar de enfermagem 10 professoras 1 cozinheira 2 auxiliares de cozinha 2 funcionárias de limpeza

Jornal Chave de São Pedro


entrevista

“O convênio com a creche é resultado de décadas de trabalho da igreja São Pedro” Nesta entrevista exclusiva, a diretora de Planejamento da Diretoria Regional de Educação (Jaçanã/ Tremembé), Ramiltes Polesel, destaca a importância do CEI Pedro Apóstolo para as famílias da região Chave de São Pedro - O que levou a Prefeitura a firmar o convênio com o CEI Pedro Apóstolo? Quais os objetivos desse tipo de convênio? Ramiltes Polesel - A atual gestão, ao assumir a Prefeitura de São Paulo em janeiro de 2013, encontrou mais de 100.000 crianças aguardando uma vaga na educação infantil. Considerando a importância do acesso à educação a partir da mais tenra idade, assim como as necessidades sociais das famílias, iniciou-se um esforço concentrado para diminuir o tempo no atendimento à demanda. Neste sentido, a parceria com as entidades da sociedade civil tem-se revelado, a curto prazo, a solução para o atendimento à demanda por educação infantil de qualidade. Desta forma, envidamos esforços para firmar convênio na área da educação com várias entidades, em especial com a Igreja São Pedro, pela história e pelo trabalho realizado há décadas na Zona Norte, inclusive na área da educação. Além disso, a Prefeitura do Município de São Paulo, através de convênio com o Governo Federal/MEC, construirá 243 Centros de Educação Infantil. Chave de São Pedro - O que a Prefeitura oferece para uma creche conveniada? Ramiltes Polesel - A Prefeitura disponibiliza assessoria técnica e pedagógica antes e durante a vigência do convênio, oportuniza formação continuada aos funcionários e docentes, repassa verbas para a cobertura de todas as despesas (alimentação, recursos humanos, impostos, manutenção predial, etc.),enfim, possibilita as condições necessárias ao eficaz atendimento à criança. Chave de São Pedro - Quais as maiores dificuldades para firmar esse tipo de convênio com entidades/associações e organizações que mantêm centros de educação infantil? Ramiltes Polesel - Além da disponibilidade de entidades/associações idôneas, uma das maiores dificuldades está na localização de imóveis regulamentados e adequados para sediar um Centro de Educação Infantil, que exige infraestrutura especialmente voltada à saúde e desenvolvimento da primeira infância. Além disso, as adequações/reformas/manutenções que precisam ser realizadas nos imóveis para atendimento a essas condições de infraestrutura devem ser efetivadas a cargo da enti-

Maio | 2014

dade/associação, antes do início de atendimento do CEI (Creche). Chave de São Pedro - Qual é a importância da creche para a construção da identidade social e cultural das crianças de uma comunidade? Ramiltes Polesel - Um CEI/creche conveniado com a Prefeitura, além dos serviços educacionais, deve ter critérios para que esteja garantido em seu atendimento cotidiano o respeito aos direitos fundamentais das crianças, especialmente no que tange às interações e vivências da criança pequena com vistas a seu desenvolvimento psicológico, físico, social e cultural. Chave de São Pedro - Qual é a situação da carência de creches na nossa região? Ramiltes Polesel - A carência é relevante, em especial na região do Tremembé, onde a dificuldade de encontrar imóveis regulamentados é muito grande. Chave de São Pedro - Quantos convênios desse tipo foram firmados na sua diretoria desde o início da gestão Haddad? Ramiltes Polesel - Na Diretoria Regional de Educação Jaçanã /Tremembé, que abrange o território

de três subprefeituras (Santana/Tucuruvi/Mandaqui, Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros e Jaçanã/Tremembé), de janeiro/2013 até junho/2014 estarão em funcionamento sete novos convênios para atendimento a crianças de 0 a 5 anos, conforme quadro abaixo:

Convênios fechados com creches da região Nome do CEI 1. CEI Vovó Marlene V

Endereço R. Padre Souza Magalhães, 90, Vila Zilda – Setor: Tremembé 5 2. CEI Caminhando Rua Comandante Antonio Paiva para o Futuro Sampaio, 820 – Setor: Tucuruvi 4 3. CEI Pedro Apóstolo Rua João Sampaio, 193, Tremembé, Tremembé 6 4. CEI Nova Aliança Rua Bernardino Dauria, 242, Jardim Leonor - Tremembé 5 5. CEI Tecendo o Av. Ultramarino, 462, Lauzane Saber II Paulista – Mandaqui 2 6. CEI Tecendo o R. Blas do Prado, 495, Jd.Jomar, Saber III Tremembé 2 7. CEI Vovô João Plasa Av. Antonio de Messina, 1137, Vila Zilda - Tremembé 5 8. CEI Bom Pastor Av. Cel./Sezefredo Fagundes, 550, Tremembé, Tremembé 2 TOTAL DE NOVAS VAGAS

Capacidade

Berçário

86

27

129

64

99

34

210

87

229

107

451

168

501

208

60

-

1765

695

Início das atividades 11/02/14

11/03/14 1/04/2014 30/4/14 Início previsto: 1a quinzena de maio Início previsto: 2a quinzena de maio Início previsto: 2a quinzena de maio Início previsto: 2a quinzena de junho

5


história

O 13 de maio de 1888 Por Oswaldo de Camargo

A

abolição da escravatura no Brasil foi uma das datas mais comemoradas e que mais emocionaram o povo brasileiro. Deuse num domingo, 13 de maio de 1888, com a Lei no 3.353. “Para assinatura da sanção, o povo oferecera à Princesa uma rica caneta de ouro, ornada de pedras preciosas, da qual ela se utilizou no meio de aplausos delirantes. Não transpareciam, naquele instante, distinções de classes, nem de partidos; na sala do trono, havia representantes de todas e de todos”. (Evaristo de Moraes, transcrito da publicação Imprensa Brasileira, no 3, 10 de setembro de 1988). No entanto, a despeito da comoção pelo evento e o descomunal en-

tusiasmo, com o tempo foi-se verificando que o ato da Princesa, que se deu entre aplausos e muitas lágrimas, não bastou para garantir ao negro brasileiro a entrada no território da igualdade, do respeito e, muito mais, inteira participação na cidadania do País. Nos primeiros anos, ainda se viveu na crença de que novo e promissor caminho tinha sido aberto para o recém-liberto da escravidão. Que a pena de ouro da Princesa Isabel havia realizado o “milagre”, pondo o povo negro, logo depois, em 1889, no desfruto da “coisa pública“, que é o sentido da palavra república (do latim res publica...). Findou-se, porém, aos poucos, o entusiasmo. Viu-se, após, com de-

CCasamentos Inesquecíveis Oferecemos músicas para seu Casamento, Bodas e outras cerimônias Dispomos de tenor, trompete, trompete triunfal, violino, teclado, saxofone, cantora e percussão. Telefones: (11) 2203-1726 / 99614-7731 direto com Yvonne ou se preferir pelo e-mail: casamentosinesqueciveis@gmail.com

Matrículas abertas para 2014! Agende uma visita!

6

silusão, a falácia dessa Abolição que Carlos Assumpção, conhecido poeta negro, diz que foi um cavalo de Troia, “havia serpentes futuras debaixo do manto do entusiasmo”, na firme contramão do entusiasta Medeiros e Albuquerque (o mesmo autor do Hino da Proclamação da República, em que se canta: “Liberdade!Liberdade! Abre as asas sobre nós!”). E que canta Medeiros sobre a Abolição? “Nós nem cremos que escravos, outrora, Tenha havido em tão nobre país. Hoje o rubro lampejo da aurora Acha irmãos, não tiranos hostis...” Os versos, para nós, são ruins, sim, cantante patriotada. O Brasil teve, sim, escravos, com todas as mazelas que implica essa instituição. Tanto que uma nova Abolição foi pensada, por esforço sobretudo do negro. Como? Com movimentos reivindicatórios, como a Imprensa Negra, associações culturais, a Frente Negra, movimento com início em 1931, findado em 1937, para tentar fazer os netos de ex-escravos atuarem politicamente, e tantas outras ações. Também, dentro da igreja católica, com princípio tímido, a conscientização de que, nesse campo, a indiferença não coincidia com o Evangelho.

colaborando com o crescimento

Há 73 anos

do bairro de Tremembé

José do Patrocínio, o grande abolicionista

Em 2014, a Abolição ainda necessita achar seu verdadeiro rumo, “justificar-se”. Daí o Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, início em Porto Alegre (RS), no ano de 1977. Daí a crença na tecla constantemente batida: o Brasil só será autenticamente democrático quando negros e mestiços brasileiros (51% da população ) se inserirem verdadeiramente na cidadania. Vê-se, então, que a Abolição de 1888 dá ainda o que pensar... Oswaldo de Camargo, jornalista e escritor, escreveu os livros A Descoberta do Frio (novela) e O Negro Escrito: Apontamentos sobre a presença do negro na Literatura brasileira

Santa Gema

Rua Antonio Pestana, 155 Tel.: (11) 2203-1544 www.passionista.com.br

Jornal Chave de São Pedro


Agenda

Anote em sua agenda de junho Seminário de vida: Os 7 Dons do Espírito Santo

Dia 7 de junho Abertura da Festa de São Pedro

Dias 29, 30 e 31 de maio, às 20h 01 de junho, às 17h30 03, 04 e 05 de junho, às 20h

15h Tarde de Louvor 16h Oração clamando os dons do Espírito Santo 17h30 Carreata de São Pedro 18h Missa da Vigília de Pentecostes

Novena de São Pedro

Clipping

Vida renovada na Páscoa de Cristo

fOTOS: telma Feleto

Dias 20 a 26 de junho novena de São Pedro nas casas de família Dia 27, sexta-feira, às 20h, na Paróquia de São Pedro Dia 28, sábado, às 16h30, na Paróquia de São Pedro

Solenidade de São Pedro Dia 29 de junho Missas: 8h, 10h, 15h,18h30 17h30 Procissão com a imagem de São Pedro

Domingo de Ramos

Lava-pés

Adoração na Quinta-Feira Santa

Vânia de Blasis

N

a semana mais importante do ano litúrgico, centenas de fiéis da Paróquia de São Pedro celebraram a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo. Do Domingo de Ramos à Páscoa, foram momentos intensos de fé, adoração e contemplação. O tema da Campanha da Fraternidade continua nos convocando a continuar a missão de combater qualquer tipo de escravidão. Foi pela nossa liberdade que Cristo deu a vida na cruz.

Adoração da Cruz

Maio | 2014

Pe. Elisandro, na comunidade Nossa Sra. Aparecida

Foto Sula

FÁTIMA RODRIGUES

Comunidade celebra o Dia de São Marcos

Bênção do Fogo Novo

7


Jovens em ação

Renan Silva

Primeiro Encontro Setorial da Juventude Tremembé

Tremembé é o bairro com mais casos de dengue na Zona Norte

O

s casos de dengue em São Paulo desde o início do ano já superaram o número registrado em todo o ano passado. De acordo com dados da Secretaria Municipal da Saúde, de janeiro até agora, mais de três mil pessoas foram infectadas. Em 2013, foram 2.617 casos. Na Zona Norte, o bairro com mais casos é o Tremembé, com mais de 250 notificações. A capital já registrou pelo menos uma morte por causa da doença neste ano. A vítima foi o garoto Israel Barbosa, de seis anos, que morreu no início do mês. A criança morava no Jaguaré, bairro com maior incidência de casos. A Prefeitura afirmou que intensificou as ações de combate à doença com campanhas educativas e bloqueios de criadouros do mosquito, além de vistoria em imóveis e nebulização nas ruas.

Quermesse nos finais de semana de junho

Dias

07 e 08 - 14 e 15 21 e 22 - 28 e 29

Como prevenir Pratos de vasos de plantas devem ser preenchidos com areia; Tampinhas, latinhas e embalagens plásticas devem ser jogadas no lixo e as recicláveis guardadas fora da chuva; Latas, baldes, potes e outros frascos devem ser guardados com a boca para baixo; Caixas d’água devem ser mantidas fechadas com tampas íntegras sem rachaduras ou cobertas com tela tipo mosquiteiro; Piscinas devem ser tratadas com cloro ou cobertas; Pneus devem ser furados ou guardados em locais cobertos; Lonas, aquários, bacias, brinquedos devem ficar longe da chuva; Entulhos ou sobras de obras devem ser cobertos, destinados ao lixo ou “Operação Cata-Bagulho”; Cuidados especiais para as plantas que acumulam água, como bromélias e espadas-de-são-jorge; ponha água só na terra.

ssa e n e r t n E torcida

Paróquia de

do Tremembé

Eu participo

imagens: W Arte Pop

Saúde

No sábado, dia 26 de abril, os grupos de jovens do setor Tremembé se reuniram com o Pe. Guttemberg, responsável pela Pastoral da Juventude na Região Episcopal Santana. Participaram do encontro representantes dos grupos Anjos da Graça (Nossa Senhora Aparecida), Jovens da Joana (Sta. Joana D'arc), JOMIC (Comunidade Sta. Rosa de Lima) e do Cuca (São Pedro). Na ocasião, os grupos apresentaram projetos para mobilizar os jovens das paróquias.

das 18h às 23h

8

Jornal Chave de São Pedro

Edição maio 2014  

Uma publicação da Paróquia de São Pedro - Tremembé - São Paulo

Advertisement