Issuu on Google+

Chapa Construção Carta-Proposta

A Chapa Construção é um movimento estudantil que tem como objetivo maior a melhora da qualidade de vida dos alunos da EDESP, tanto no âmbito acadêmico quanto social. O nome “Chapa Construção” vem da compreensão de que em qualquer tipo de construção, seja ela física ou moral, a execução é tão importante quanto o planejamento. Por isso, quando se trata de construir um ambiente acadêmico mais saudável e agradável, ideias não bastam. É preciso a capacidade de executar essas ideias de maneira eficiente. É preciso experiência no ambiente estudantil, saber das dificuldades e particularidades dos alunos da GV e conhecer a instituição em todos os seus méritos e defeitos. Os membros da Chapa Construção possuem essa experiência. Eles organizaram eventos acadêmicos, eventos no C.A. e festas universitárias de forma extremamente bem sucedida. Nossa chapa sabe das dificuldades enfrentadas pelas entidades estudantis da EDESP e acredita que irá superá-las através de planejamento e execução. Dessa maneira, listamos nessa carta as nossas propostas para melhorar a atuação do Centro Acadêmico em 2013.

Institucional Mensalidades: O alto custo das mensalidades da GV é um assunto que preocupou o aluno da EDESP no fim do ano passado. A Chapa Construção propõe ressuscitar o debate das mensalidades, que desapareceu com as férias de verão sem que qualquer tipo de solução real ou conclusão fosse apresentada aos alunos. Para tanto, pretendemos, na qualidade de representantes do corpo discente, realizar uma assembleia com os alunos para definir uma posição do Centro Acadêmico


em relação às mensalidades e a abordagem que deve ser tomada frente à direção. Passada a fase de deliberação geral dos alunos, deverá ser formada uma comissão para discutir o problema de forma mais eficiente. Os membros de tal comissão deverão ser eleitos pelos alunos, de forma a representarem de forma real e justa as reinvindicações e anseios de todos os ciclos. Acreditamos que essa é a melhor solução: um diálogo continuado com os alunos e com a direção de forma a pressionar a direção a prestar esclarecimentos sobre os planos em relação às mensalidades. Eletivas: A temática das eletivas é problemática na FGV. Há problemas com a matrícula, horários, temas homogêneos de oferecimento e as eletivas da EAESP e EESP, que não são interessantes para o aluno do direito. É importante salientar que o Centro Acadêmico não pode, sozinho, trabalhar para que esses problemas sejam resolvidos. O que nós, como representantes dos alunos, nos propomos fazer é trabalhar em conjunto com a direção e coordenação para que as demandas dos alunos sejam atendidas. A questão dos horários pode ser resolvida com um trabalho do C.A. em conjunto com a coordenação, com a identificação das matérias eletivas de interesses em comum pelos alunos, para que estas sejam alocadas em horários diferentes. Quanto às matérias na EAESP e EESP, o C.A. pode ajudar a coordenação na compra das vagas de disciplinas eletivas. Os alunos poderão escolher entre as eletivas aquelas em que há interesse. A votação será repassada para a coordenação de modo que a compra de vagas das eletivas atenderá o interesse dos alunos, garantindo ao menos duas vagas nas matérias selecionadas. Compreendemos que a EDESP, por ser uma faculdade de porte pequeno, encontra limitações no número e variedades de eletivas oferecidas. Isso causa com que os alunos que têm interesses diversos da maioria cursem eletivas que não correspondem às suas necessidades profissionais. Como já foi dito, devido ao porte da faculdade, é impossível com que sejam atendidos todos os anseios dos alunos com eletivas da própria faculdade. Por isso assumimos o compromisso de trabalhar em conjunto com a direção e coordenação para que possam ser firmados convênios com outras instituições de ensino, visando à ampla cobertura dos mais diversos interesses acadêmicos, sem que o foco da faculdade seja desviado de seus objetivos originais. A


possibilidade desses convênios está prevista no estatuto da faculdade, e a coordenação se mostrou disposta a trabalhar nesse sentido. Outra solução para o problema das eletivas é a melhor divulgação das matérias do GVlaw. Muitos alunos relatam que gostariam de cursar matérias do GVlaw mas não têm certeza de quais matérias serão oferecidas a cada semestre. Esse problema é relativamente simples de ser resolvido: nós divulgaremos uma lista de todas as matérias do GVlaw que podem ser cursadas pelos alunos da graduação e a maneira de se inscrever nas mesmas. Desse modo, o aluno será melhor informado sobre as matérias de seu interesse pelo C.A. de forma que possa cursar com mais facilidade matérias do GVlaw, aumentando de fato a variedade de opções de eletivas apresentadas ao aluno. A chapa também assume o compromisso de trabalhar pela melhora do sistema de matrícula de eletivas. As eletivas da EAESP/EESP podem, por exemplo, ter uma etapa diferenciada e separada para o aluno de Direito. Nessa etapa, que seria posterior à escolha dos alunos de Administração e Economia (essa é a ordem de preferência atualmente) o aluno de Direito teria mais clareza em relação à quais matérias ele terá chances reais de se matricular, desestimulando o oportunismo e o “chute”.

Cursos de Idiomas A demanda por cursos de idiomas é grande entre os alunos da Direito GV. Por isso, temos como proposta a ampliação da variedade de cursos oferecidos aos alunos. Além do curso de francês, que é um sucesso, trabalharemos para trazer aos alunos da EDESP um curso preparatório para o TOEFL, de modo que estes não precisem buscar em professores particulares ou escolas externas o treinamento necessário para este exame, de alta demanda entre os alunos da faculdade. Além disso, trabalharemos para firmar convênios entre o Centro Acadêmico e escolas de idiomas nas redondezas da FGV, para que o aluno da EDESP tenha descontos e facilidades em seu curso de línguas.


Estágios de Férias É comum haver alunos dos primeiros ciclos que demonstram interesses em fazer um estágio de férias. Como Centro Acadêmico, iremos oferecer a esses alunos a oportunidade de estagiar em escritórios das mais diversas áreas de atuação. Sabemos que a faculdade atualmente oferece estas oportunidades de estágio. Porém, esta não tem interesse dar continuidade nesse sentido. Por isso, é papel do Centro Acadêmico garantir que o aluno que tem interesse em estagiar nas férias tenha essa possibilidade facilitada.

Caseiro do C.A. Se for confirmada a manutenção da casa do C.A., um problema grande a ser resolvido é a questão da regularização do caseiro do C.A., o Manuel. Um dos mais graves erros da atual gestão do C.A. foi o não pagamento integral das obrigações com o Manuel. Temos hoje uma dívida de FGTS e INSS de valor considerável. Consideramos que o pagamento dessa dívida não só irá desativar uma bomba-relógio esperando explodir em forma de ação trabalhista como irá melhorar a relação C.A.-Manuel, que não é muito boa, resultando em atritos que muitas vezes são transferidos aos alunos, chegando ao cúmulo de ser negada a entrada dos alunos no C.A. por parte do Manuel.

Relação Aluno/C.A. Política de portas abertas Notou-se em tempos recentes um fenômeno de abandono da sede do Centro Acadêmico. Tendo em vista os altos valores que esta consome do orçamento do C.A., faz-se mister que os alunos voltem a frequentar este ambiente, que em tese deveria proporcionar aos alunos momentos de lazer e descanso das atividades acadêmicas exaustivas.


Para tanto, propomos reavivar a cultura da “casa do C.A.” por meio de medidas simples e viáveis. A mais importante destas seria deixar, durante o período de aulas, o portão da casa destrancado. Acreditamos que o inconveniente de ter que esperar o portão ser aberto pelo caseiro, muitas vezes sob forte sol ou chuva, é um grande desincentivo aos alunos para frequentar a casa. Com o portão da frente aberto, a sede fica mais acessível e convidativa aos alunos.

Eventos de lazer Uma das responsabilidades do C.A. sempre foi a criação e a execução de eventos que proporcionem lazer aos alunos e, concomitantemente, lucro para o Centro Acadêmico. Neste ano, houve vários problemas com os eventos promovidos pelo C.A., no sentido de que no primeiro semestre estes tiveram pequeno quórum e deram prejuízo, enquanto no segundo semestre muitos reclamaram da falta de eventos. No intuito de solucionar o primeiro destes problemas, pretendemos deixar os alunos escolherem os eventos que eles querem. Deixando a temática (música, decoração, atividades e comidas) a critério dos alunos, acreditamos que conseguiremos atrair um número maior de pessoas para os eventos do Centro Acadêmico. Ademais, em parceria com o Diretório Acadêmico, pretendemos dar continuidade à política já implementada pela atual gestão de trazer os alunos das escolas de administração e economia para os eventos promovidos pelo nosso C.A., uma vez que estes comparecem sempre em grande número e promovem a integração dos alunos do direito com o resto da FGV. Venda de roupas pelo C.A. Todos os anos, existe alta demanda pelas peças de vestuário (chinelos, camisetas, agasalhos) produzidas pelo Centro Acadêmico para o kit-bixo. Além disso, no final deste ano, também houve grande procura pelos moletons vendidos pela gestão atual. Tendo em vista esta procura, a Chapa acredita que existe muito a se ganhar da venda de peças de roupa, como camisetas,


agasalhos e chinelos, do Centro Acadêmico. A criação de uma linha de roupas do C.A. não somente atenderia aos desejos dos alunos em lhes prover com roupas relacionadas à instituição, como também seria uma nova fonte de renda para o Centro Acadêmico. Por isso, propomos a criação de uma espécie de loja virtual do C.A., para que o aluno tenha mais acesso aos produtos do C.A. Eventos Acadêmicos Este ano o Centro Acadêmico quase não realizou eventos acadêmicos. E não foi por falta de demanda dos alunos. Prova disso é o público considerável dos eventos realizados pelo CEJUR, organizados por um membro de nossa chapa. Ao assumir o Centro Acadêmico realizaremos eventos acadêmicos que despertem interesse nos alunos, de modo a suprir essa deficiência da gestão atual do C.A. Estes eventos terão temas interessantes, que gerem apelo nos alunos, de modo a garantir um público considerável que justifique a manutenção dessa prática.

Melhorias Estruturais No início deste ano, a gestão “Veste a Camisa” empreendeu diversas reformas na casa do C.A. , deixando esta, na medida do possível, mais agradável para recepcionar os calouros que chegavam. Ainda assim, acreditamos que a casa sofre de algumas falhas estruturais que poderiam ser resolvidas, além de ser possível implementar melhorias para tornar o ambiente mais agradável

e

confortável

para

os

alunos.

Entre estas, propomos a instalação de um toldo na área externa, para que o sol forte ou a chuva não forcem os presentes a ficarem no interior da casa. É sabido que estas condições climáticas adversas afastam possíveis frequentadores da casa, e em nosso intuito de levar mais pessoas para esta

achamos

imprescindível

a

solução

deste

problema.

Outra situação infeliz da casa é o banheiro feminino do térreo, cujo estado lastimável impede o uso pelas frequentadoras da sede do Centro Acadêmico. Assim, planejamos reformar este para tornar a casa mais confortável para nossas alunas.


Revitalização

do

quarto

A sede do Centro Acadêmico possui um quarto no qual os alunos poderiam dormir em seu tempo livre entre aulas. Entretanto, a porta deste está, na maioria das vezes fechada, fazendo com que poucos saibam deste benefício que a casa oferece. Além disso, o estado dos colchões e a ausência de roupa de cama fazem com que muitos dos que saibam da existência do quarto não queiram

dormir

nele.

Novamente em nossa meta de promover uma utilização maior da sede do C.A. , pretendemos , aos poucos e de modo razoável em relação ao orçamento, revitalizar o quarto, trocando os colchões e comprando roupa de cama, a fim de permitir que todos os alunos tenham onde descansar nas longas janelas entre aulas.

Melhorias na Casa do C.A. Com a política de portas abertas e as reformas estruturais, os alunos aos poucos passarão a frequentar mais o C.A. Porém, hoje na casa não há nada para comer nem para beber que não seja alcoólico. Sanaremos esse problema oferecendo a venda de salgadinhos e refrigerantes e água, para os alunos que querem comer alguma coisa enquanto tomam sua cerveja, ou então para aqueles que pretendem voltar à aula. Para aqueles que gostam de ir ao C.A. tomar uma cerveja, nada é pior do que a saída do Litrão. A entrada da latinha deixou a cerveja mais cara, sendo esse um fator impeditivo aos alunos que gostam de sentar, conversar e beber no fim da tarde. Resolveremos isso com a volta do Litrão no C.A., coisa muito simples de se fazer, mas que pode ter um impacto grande na frequência da casa. Obrigado, Chapa Construção


Chapa Construção Presidente – André Misiara Vice-Presidente – Lucas Borges Secretário Geral – Diogo Lins Diretora de Comunicações – Luiza Martinez Diretor Financeiro – Luis Filipe Azevedo Silva Diretor de Planejamento – João Azambuja


Carta-Proposta