Issuu on Google+

revistachadebebe.com.br  

1


2 

revistachadebebe.com.br


revistachadebebe.com.br  

3


Editorial Bem-vindas ao nosso Chá de Bebê! Chegou a hora! Depois de reuniões de pautas, entrevistas, dedicação para escrever as matérias, artigos, capricho na diagramação, está tudo pronto. Apresentamos a Chá de Bebê, uma publicação feita com muito amor e carinho para você, e que leva o mesmo nome de um encontro muito especial entre futuras mamães e amigas. Nas páginas da revista você vai encontrar dicas de saúde, bem-estar, matérias, artigos especializados e colunas – como a “Consultório”, um espaço em que médica ginecologista e obstetra Eunice Quiumento Velloso tira todas as dúvidas sobre a gestação. Quem assina a coluna “Confissões de mãe” é a mãe, pedagoga, poeta e blogueira Bianca Velloso. A seção “Eu que fiz” é um espaço para ensinar “mimos” que você mesma pode fazer. A hora do parto é um mistério para muitas gestantes, por isso abordamos o tema nessa primeira edição. E mostramos que, ao contrário do que muita gente pensa, dar à luz não é sinônimo de sofrimento. Em outra reportagem, falamos sobre as percepções dos bebês até os dois aninhos. E ainda, como não poderia faltar nessa primeira edição, o que é importante pedir no seu Chá de Bebê. Cláudia e o seu bebê João Pedro Foto: Graciela Lindner www.gracielalindner.com

Beijos e aproveitem o nosso Chá,

equipe Chá

de Bebê

EXPEDIENTE DIRETORA EXECUTIVA E COMERCIAL Thaís de Almeida Santos EDITORA E JORNALISTA RESPONSÁVEL Alissa Azambuja (SC 02572 – JP) PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Thaís de Almeida Santos REVISÃO Jerônimo Gomes Rubim INTERNET/MÍDIAS SOCIAIS Trizco Comunicação Integrada IMPRESSÃO Gráfica Coan

Conselho Editorial BIANCA VELLOSO Pedagoga, poeta e blogueira EUNICE QUIUMENTO VELLOSO Médica Ginecologista e Obstetra JULIANA SELL Psicóloga e Coordenadora de Grupo de Gestantes e Mães de Bebês

Dúvidas? Sugestões?

fale@revistachadebebe.com.br A Revista Chá de Bebê é uma publicação trimestral da Editora Santa Ltda. | Todos os direitos são reservados | Fica expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo editorial | O conteúdo dos anúncios é de inteira responsabilidade dos anunciantes

4 

revistachadebebe.com.br


revistachadebebe.com.br  

5


Consultório

Nós, da revista “Chá de Bebê”, reservamos este espaço para tirar as suas dúvidas sobre esse mundo mágico que é a gravidez. Aqui, a médica Eunice Velloso, ginecologista, obstetra e professora da Faculdade de Medicina da UNISUL, terá um canal direto com nossas leitoras.

Nesta primeira edição, colocamos uma dúvida recorrente em nossas reuniãos de pauta:

“O que provoca a

diabetes gestacional?” A diabetes gestacional é uma desordem metabólica que começa ou torna-se evidente em torno da 24ª e 28ª semana de gestação. Não existem causas propriamente ditas, mas fatores de risco: idade acima de 25 anos, história de diabetes na família, obesidade, um filho anterior com peso acima de 4 quilos ao nascer, uma morte inexplicável de um recém-nascido anterior, uma deformação congênita de um filho anterior e infecções frequentes. É recomendado que todas as gestantes façam um teste de glicose. Geralmente, os sintomas são discretos e não representam uma ameaça à gravidez e, se houver um controle eficiente dos níveis da glicose no sangue, não haverá risco para o bebê. Na maioria dos casos os níveis de glicose voltam ao normal após o parto.

Estamos esperando por suas perguntas! Basta enviar para o e-mail dreunice@revistachadebebe.com.br. Ou através das nossas redes sociais:

@revistachadebb

6 

revistachadebebe.com.br

facebook.com/revistachadebb


revistachadebebe.com.br  

7


Coisas que amamos Calça jeans com elástico na cintura da Chez Maman. CHEZMAMAN.COM.BR

Carrinho Living + Poltrona Auto Fix Fast com Base da Chicco à venda na Lua de Papel. Possui assento reversível e possibilita instalar o bebê conforto diretamente na estrutura do carrinho. LUADEPAPEL.COM.BR

Mordedor Pezinho em material flexível da Lolly Baby.

Para a mamãe e para o bebê ....

LOLLYBABY.COM.BR

Pijama de microsoft da Fruto Tropical. Modelagem ampla que permite o movimento. CUTEECOOL.TANLUP.COM

Pouch Sling da Cute & Cool Craft Room. CUTEECOOL.TANLUP.COM

Bolsa Linha Avestruz da Majov Baby. MAJOV.COM.BR

8 

revistachadebebe.com.br


revistachadebebe.com.br  

9


Chá de Bebê

O que pedir no

Chá de Bebê? Uma lista com os artigos que ainda faltam no enxoval pode ajudar!

10 

revistachadebebe.com.br

Babador, sapatinho, cueiro, fraldas... a lista do enxoval é enorme. Para auxiliar a mamãe e o papai, que com certeza já gastaram bastante com a gravidez, pode ser realizado o “Chá de Bebê”- uma reunião com amigos para comemorar esse momento tão especial e também incrementar o enxoval. Geralmente é organizado por uma amiga bem próxima da gestante e os presentes sugeridos não são caros. Para não ganhar lembranças repetidas, a futura mamãe pode elaborar uma lista com os produtos que faltam e indicar lojas especializadas em enxovais de bebê - algumas inclusive ajudam nessa organização. As mamães devem ficar atentas, já que a lista do Chá de Bebê é diferente de uma compra de enxoval. Confira as sugestões da psicóloga Juliana Sell.


• Cueiros • Toalhas de banho • Toalhas fralda para secar • Banheira • Bolsa de água quente • Brinquedo para carrinho • CD de melodias para bebês • Sling ou Canguru • Cortador de unhas • Móbiles • Lixeira • Cesto de higiene • Travesseiro anti-sufocante • Rede ou assento para banheira • Cotonetes de segurança • Protetor impermeável Impermeável para colchão • Espelho retrovisor para carro • Mosqueteiro p/ carrinho • Almofada de amamentação • Cabides • Kit fralda de boca • Kit fralda de ombro • Termômetro • Mordedor • Kit escova de cabelo e pente • Dedeira • Brinquedos iniciais • Brinquedos para banho • Babador pequeno • Protetor solar para carro • Porta-algodão Porta Algodão • Porta-cotonetes Porta Cotonetes • Porta-pomada Porta pomada • Mosqueteiro para berço

Outros tipos de Chás Atualmente, o famoso evento tem outros temas como “Chá de Fraldas”, “Cultural” ou mesmo “Da mamãe”. Porém, tudo sem deixar de ser uma reunião divertida com os amigos. Chá de fraldas: Muitas mamães já possuem todos os itens necessários do enxoval e preferem pedir somente fraldas – presentes que podem representar uma grande ajuda e economia aos papais. O ideal é definir qual o tamanho de fralda cada convidado deve levar. Para facilitar, o pedido pode estar escrito no próprio convite. Assim, evita-se que o bebê ganhe muitos pacotes do tamanho RN ou P. Normalmente, o tamanho que o bebê usa por mais tempo é o M. Uma sugestão de decoração para esta reunião é comprar um pacote de fraldas bem baratinho e usá-lo para enfeitar a festa. Chá Cultural: Essa pode ser uma ótima oportunidade para reunir os amigos e ainda construir uma biblioteca para o neném que está chegando. Nesse tipo de reunião, os papais podem pedir livros, jogos educativos, DVDs e CDs com músicas infantis. Chá da mamãe: Nessa festa, o enfoque principal é a mamãe! Esse tipo de chá pode ser interessante para quem já tem outros filhos e itens de sobra para o bebê que vai chegar em breve. Os presentes e mimos são para alegrar e relaxar a gestante. Vale-presentes, cosméticos, sapatos são ótimas opções. O “Chá de bebê” é realizado em diversos países como Inglaterra, África do Sul, China, Estados Unidos. Em alguns lugares o encontro é feito logo depois do nascimento do neném. Aqui no Brasil é diferente, a reunião é antes. Sugere-se que a melhor época para a realização seja entre o sexto e sétimo mês de gestação, quando a grávida não sofre tanto com inchaços e enjoos e pode curtir o momento com os amigos à vontade. Tradicionalmente, é uma reunião feminina - mas recentemente os homens, amigos do papai e companheiros das amigas também são bem vindos. revistachadebebe.com.br  

11


Parto

tranquilo Um parto

Diferente do que muitas mulheres imaginam, dar à luz não é sinônimo de sofrimento

Para a maioria das mamães, principalmente as de primeira viagem, a hora do parto é de incertezas. Fomos acostumadas a ver expressões de agonia, angústia e dor em muitas cenas de filmes ou novelas. Desde cedo, mesmo antes de engravidar, as perguntas são: “Como vai ser?”, “Será que vou conseguir?”, “Será que vou sentir dor?”, “Parto normal?”, “E se eu precisar fazer cesárea?” ,“E a anestesia?” Muitos são os “serás”, as dúvidas e inseguranças. O medo mais comum é o do sofrimento. Antigamente, o parto estava ligado a sentimentos de dor e este foi um dos motivos para o Brasil ter se tornado recordista em cesarianas. Hoje, muitos métodos, informações corretas sobre o processo de parto, as formas naturais de alívio 12 

revistachadebebe.com.br


Desde o início da gestação é necessário estabelecer uma relação de confiança com o obstetra. É ele quem vai esclarecer todas as dúviidas dúvidas existentes durante o pré-natal.

de desconfortos, os exames do pré-natal e a confiança na equipe médica ajudam a vencer a ansiedade e facilitam o momento mágico e tão sonhado pelas mulheres que é dar à luz sem sofrimento. Falar dos medos é uma boa maneira de espantar os fantasmas e não fazer confusões. Desde o início da gestação é necessário estabelecer uma relação de confiança com o obstetra. Ele é quem vai esclarecer todas as questões existentes durante o pré-natal. De acordo com a ginecologista e obstetra Eunice Quiumento Velloso, além da realização dos exames laboratoriais para avaliar a saúde da gestante e da ultrassonografia para avaliar o bebê é necessário que se estabeleça um vínculo com o médico. É importante que a gestante sinta-se à vontade para fazer todas as perguntas que quiser. Claudia Hernandez, mãe de Ignácio, 1 ano, não tinha medo do parto em si, mas dos últimos momentos anteriores a ele. Logo nos primeiros meses de gravidez Claudia procurou uma doula – profissional que auxilia a gestante – para ajudá-la. Ela garante que os ensinamentos da doula facilitaram o nascimento do Ignácio, assim como a total confiança no médico que a acompanhava.

“Ele me deixou muito a vontade! Disse-me: - Tentamos o parto natural, mas você é quem vai decidir! Assim fiquei segura!”, relembra. Foram 11 horas em trabalho de parto e por falta de dilatação a equipe médica juntamente com Claudia, decidiu pela cesárea. Já com Clarissa Shamette, mãe de Davi, 3 meses, foi diferente. Desde o início da gestação ela optou pelo parto em casa por dois motivos: primeiro, porque é o lugar que se sente mais à vontade; segundo, pelo bem-estar do bebê. Assim, se preparou psicologicamente e fisicamente com aulas de natação, yoga, acupuntura, drenagem linfática e muitas caminhadas. Às vezes se pegava pensando no medo do parto, mas logo que essa ansiedade vinha o pensamento também era de que tudo daria certo. “Não ficava pensando muito como iria ser e sim que tudo sairia bem. Foi o que me deu segurança!”, recorda. Três enfermeiras, uma doula e o marido de Clarissa acompanharam a chegada de Davi. “Foi um momento divino, muito acolhedor e especial para as nossas vidas!”, assegura. Foram mais de 15 horas desde que a bolsa estourou até o nascimento do bebê. “Eu fiquei muito à vontade! Quando queria caminhava ou ficava em baixo do churevistachadebebe.com.br  

13


É fundamental que a mulher conheça o próprio corpo para reconhecer as sensações e reações aos estímulos. veiro ou ainda na banheira. Pensava que as contrações iriam fazer meu filho nascer!” . Mas não é apenas no parto domiciliar que a gestante tem acesso a estes artifícios para diminuição da dor. Nas maternidades, a parturiente conta com uma enfermeira obstétrica e toda uma equipe de enfermagem especializada que ajuda no processo, inclusive com banhos, massagens e auxílio nas posições mais adequadas para diminuição da sensação dolorosa. É importante ressaltar que nem todas as mulheres podem ter parto domiciliar. “Como as complicações do parto só acontecem na hora, a gestante deve saber que também há riscos”, salienta a médica Eunice. As contrações uterinas são necessárias para um parto normal e nem sempre são sinônimo de dor. “Há partos vaginais totalmente indolores, dependendo de cada mulher, de suas crenças sobre parto, do que ela e a equipe de saúde que a atende fazem e que posturas e procedimentos adotam”, garante a psicóloga e coordenadora do site gestando.com.br, Vitória Pamplona. A doula ajuda a mulher a conhecer o corpo, orienta como a gestante pode lidar com as contrações. “Nós ajudamos as gestantes a compreender que as contrações são nada mais que o útero empurrando o bebê para o 14 

revistachadebebe.com.br

nascimento. Essa dor, se existir, não é algo patológico mas sim do corpo trabalhando para o bebê nascer e ir para os braços da mãe”, explica Gabriela Zanella, fisioterapeuta e doula. Para a fisioterapeuta, é fundamental a mulher conhecer o próprio corpo para reconhecer as sensações e reações aos estímulos. Assim, saberá usá-lo para facilitar o parto, adotando posturas, se movimentando conforme a necessidade. “Ela saberá o que a agrada e o que a desagrada, e vai poder escolher ter acesso a coisas que a mantenham mais tranquila, como músicas, cheiros, toques, pessoas que quer ou não ter por perto”, diz Gabriela. Desde 2005, a Lei Federal 11.108 assegura a todas as gestantes um acompanhante durante todo o

período de trabalho de parto e pósparto. Pesquisas mostram que ter alguém de confiança durante todo o trabalho de parto acalma a gestante, reduz o tempo de duração do parto, o uso de analgésicos e a necessidade de cesarianas. O acompanhante pode ser o pai do bebê, a doula, uma amiga, a avó do bebê. O direito de escolha é justamente da gestante. Às vezes, o pai quer participar mas a grávida prefere a presença da própria mãe ou de outra pessoa com a qual se sente segura e mais confortável. “A escolha da pessoa que acompanhará a gestante é importante. Se o pai do


bebê puder acompanhar o pré-natal, ótimo. Mas não podemos forçá-lo, pois nem sempre ele está preparado e é preciso respeitar sua limitação, se houver. A presença da mãe, ou de uma irmã, amiga ou qualquer pessoa que auxilie a gestante na manutenção da tranquilidade é o que importa”, enfatiza a ginecologista Eunice. A psicóloga Vitória lembra que o pai do bebê não deve considerar o parto apenas como o momento em que a criança sai do ventre. “Tudo começa muito antes, e ele tem chance de auxiliar neste período anterior ajudando a reconhecer os sinais, com massagens, apoios, manobras de conforto”, aponta a psicóloga. A médica Eunice também sugere uma visita ao anestesista e ao pediatra. “Como existe a possibilidade da presença do anestesista na hora do parto, quer para uma cesariana, quer para uma analgesia de trabalho de parto, é interessante uma visita a esse profissional no último mês de gestação. Também não podemos esquecer a visita ao pediatra que irá acompanhar o bebê. Cada profissional esclarecerá as dúvidas relacionadas à sua área de atuação”, explica a ginecologista.

O medo do desconhecido é um fator importante. É muito comum que, após o nascimento do bebê, a mulher diga: “não foi ruim como eu imaginava”.

Plano de Parto Escrever um plano de parto pode aliviar a ansiedade, esclarecer muitas dúvidas e apontar as preferências da gestante para a hora do nascimento do bebê. É indicado que se comece a pensar na hora do parto bem antes da data prevista. Assim dá tempo de conversar com o pai do bebê, tirar as dúvidas com o médico e, se preferir, escolher uma doula. É importante lembrar que todo o planejado e sonhado pode mudar. A gestante deve ser flexível, já que esse não é um evento previsível. Mesmo que não seja o primeiro parto, ele vai ser diferente, especial e talvez tenha que ser adaptado de acordo com a situação. Por isso, se as coisas não acontecerem conforme o imaginado não precisa ficar ansiosa. Confiança na equipe médica que a acompanha é fundamental para um parto bem-sucedido.

Dicas de como fazer o Plano

de Parto:

Durante o trabalho de parto • Presença de outras pessoas durante o trabalho de parto: parceiro, amiga, parente, doula... • Uso de água durante o trabalho de parto: passar parte do trabalho de parto sob o chuveiro ou imersa numa banheira diminui a necessidade de medicamentos para dor. • Objetos pessoais: camisola pessoal, música... Objetos familiares podem permitir um melhor relaxamento e mais conforto.

• Medicação para alívio da dor: administrada apenas quando solicitado e com informações completas sobre possíveis efeitos sobre a gestante, o bebê e o trabalho de parto. • Liberdade para caminhar: caminhar estimula o útero a funcionar eficientemente. Os trabalhos de parto que incluem livre caminhar são mais curtos e menos propensos a receber medicamentos analgésicos.

Durante o parto • Acompanhante do parto: • Episiotomia (pequena incisão parceiro, amiga, parente, doula... feita no períneo – pele entre a vagina e o ânus) apenas se for • Anestesia peridural ou necessária. raquidiana somente se for necessária alguma intervenção • Clampeamento do cordão apenas depois que parar de cirúrgica ou a pedido materno. pulsar (desde que não haja • Escolher a melhor posição contra-indicação clínica) para a expulsão confortável e eficiente.

Pós-Parto • Gostaria de segurar o bebê logo após o parto.

• Assim que possível, gostaria de amamentar meu bebê.

• Gostaria que meu acompanhante cortasse o cordão umbilical. revistachadebebe.com.br  

15


Desenvolvimento

As percepções

dos bebês Na barriga da mamãe o bebê já possui capacidade de formar laços de carinho e amor com os mais próximos

As crianças constroem o conhecimento através de descobertas e experiências. O cientista suíço Jean Piaget (1928 – 1980) descobriu que a atividade mental se organiza em estágios. O estudioso revolucionou a forma de ver a educação de crianças com a comprovação de que elas constroem o próprio aprendizado e não pensam como adultos. Piaget desenvolveu uma teoria de conhecimento centrada no desenvolvimento natural da criança. Segundo o pesquisador, o pensamento infantil passa por quatro estágios: o sensório-motor (0 a 2 anos), o pré-operatório (2 a 7 anos), operatório concreto (7 a 12 anos) e o operatório formal (12 anos em diante). Neste texto, vamos abordar somente o primeiro estágio, o sensório-motor, período mais primitivo do desenvolvimento do bebê. São nestas primeiras manifestações de inteligência que aparecem as percepções sensoriais e 16 

revistachadebebe.com.br

atividades motoras das crianças. Durante todo esse período inicial é muito importante a troca afetiva para estabelecer uma boa relação com as pessoas da família. Estudos da neurociência mostram que o feto já possui a capacidade de formar vínculos com as pessoas mais próximas desde o desenvolvimento dos primeiros sentidos. O tato, por exemplo, começa a formar-se na sétima semana de gestação. Os movimentos do feto comprovam que ele sente quando a barriga da mãe é acariciada suavemente. A sensibilidade começa na região da boca, o que se nota a partir do sétimo mês, quando o feto começa a tocar o rosto com as mãos, a levar o dedo à boca, brincar com o cordão umbilical e a bater com a mão nas paredes do útero. Já na décima sexta semana as vibrações exteriores e os ruídos alcançam o feto. Estudos mostram que 90% do tecido nervoso do cérebro do bebê desenvolve-se


através da audição, por isso a importância dos estímulos auditivos feitos pelos pais durante a gravidez. “No final da gestação, se o pai fala o bebê já consegue escutar e diferenciar a voz”, afirma a psicóloga e membro da American Family Therapy Academy Maria Tereza Maldonado. Quando o neném nasce, todos os cinco sentidos - visão, tato, olfato, audição e paladar - já estão ativados. A ligação do recém-nascido com os que estão mais próximos começa a se dar logo nos primeiros dias. Neste período, a visão ainda está em formação e a criança tem preferências por formas arredondadas a uma distância entre 20 e 25 cm. De acordo com a psicóloga o contato, o carinho, o afeto nessa fase são muito importantes para fortalecer o vínculo emocional. Logo nos primeiros dias do bebê, os movimentos realizados não são por desejo deles e sim por simples reflexos das solicitações do meio ou sensações internas, como a fome. Estas atividades, mesmo que automáticas são importantes para o desenvolvimento da criança. As futuras ações dependem dessas atividades feitas por reflexos, que desenvolvem a motricidade. A prática capacita a criança a captar imagens e sensações – essa etapa acontece no final do primeiro mês ou início do segundo. Ao tocar algum objeto, a sensação é recebida com agrado e serve de estímulo para que novos movimentos sejam reproduzidos. Estas reações não envolvem apenas o corpo, mas também a organização das percepções. Do primeiro ao quarto mês, o bebê se adapta aos comportamentos adquiridos, o organismo se modifica de acordo com o meio em que vive. “Nosso cérebro vai se formando não só pela genética, mas também pela quantidade e qualidade dos estímulos. São os alicerces da pessoa que estão sendo formados nesse momento, por isso a importância da troca de carinho, cumplicidade nesse período”, garante Maldonado. As coordenações sensório-motoras começam a ficar estabelecidas do quarto ao oitavo mês do bebê. A sensação agradável captada pela visão ou sons prende o interesse e atenção da criança. As ações, executadas antes ao acaso, revistachadebebe.com.br  

17


agora passam a ser realizadas por repetições e passarão a ser fixadas e aperfeiçoadas. Brinquedos apropriados para esta fase são os de olhar, ouvir, pegar, morder, que vão estimular ainda mais o desenvolvimento sensorial e motor da criança. A verdadeira intenção dos movimentos começa entre o oitavo e décimo segundo mês, conhecido como o estágio de “ato voluntário”. Neste período, o objetivo da ação é estabelecido antes do movimento começar. Época em que podem ser iniciadas as brincadeiras de escondeesconde que auxiliam o desenvolvimento do bebê. Nos próximos dozes meses (dos 12 aos 24) as ações são conscientes, tentativas sucessivas para obter um resultado - algo feito ao acaso pela primeira vez ou imitando alguém. A criança procura imitar uma ação, mesmo muitas vezes sem saber como executá-la. Todos os processos de desenvolvimento da percepção, atenção e memória permitem à criança novas e importantes noções sobre o mundo que a rodeia. Neste período ela estabelece relações, nomeia objetos, compreende ordens simples, começa a saber o significado das palavras. Aqui se dá o início de uma nova forma de comunicação. O nível de sensibilidade aumenta conforme for incentivada, demonstra interesse em prender a atenção dos adultos e já mostrase orgulhosa de suas habilidades motoras. “O incentivo,

18 

revistachadebebe.com.br

carinho, amor, atenção, respeito são importantes formas de comunicação nesse primeiro estágio de desenvolvimento da criança”, diz Maria Tereza.

Quando o assunto é adotar, muitos futuros

adotar

papais ficam preocupados por não saberem como a criança foi tratada durante a gravidez e até mesmo nos primeiros anos de vida. De acordo com a psicóloga Maria Tereza, todos os bebês possuem arquivos que podem ser influenciados. A chamada neuroplasticidade ou plasticidade neural - a capacidade de remapear as conexões das células nervosas - é um processo que nos ajuda a continuar a aprender. Os caminhos neurais que se fazem e desfazem pelo resto da vida são a maneira do nosso cérebro agir e reagir à medida que experimentamos uma mudança em nosso ambiente ou desenvolvemos uma habilidade. “A possibilidade de se refazer é muito grande com a convivência com outras pessoas. Se a criança passar a conviver com um vínculo amoroso, carinhoso, atencioso novos caminhos começam a se formar”, conclui a psicóloga.


revistachadebebe.com.br  

19


Resp. Téc: Dra. Adriana Ribeiro Homem CRM-SP: 95224.

Tão completo quanto barriga de mãe.

O BCU é o mais completo e seguro banco de sangue de células-tronco de cordão umbilical do Brasil, com mais de 35.000 coletas realizadas no mundo. O cordão umbilical é uma fonte rica em células-tronco. Após a coleta, esse precioso material continua necessitando da mais absoluta proteção. E nisso, não há ninguém como o BCU. Graças a nossa tecnologia e protocolos médicos somos o lugar mais seguro do mundo. Claro, depois da barriga da mamãe. Saiba mais no www.bcubrasil.com.br

Florianópolis: R. Felipe Schmidt, 649, sala 1302 Ed. Torre da Colina fones: (48) 3025.3700 - (48) 9111.7762 20  revistachadebebe.com.br sc.florianopolis@bcubrasil.com.br

Bem-estar Anemia na Gravidez Falta de apetite, cansaço, tontura, dores de cabeça durante a gestação podem ser sinal de anemia. Uma alimentação rica em nutrientes é fundamental. As gestantes vegetarianas devem fazer suplementação de outras vitaminas, como as do “complexo B”, que estão presentes principalmente em alimentos de origem animal. Importante lembrar que quando surgir a suspeita do quadro anêmico a gestante deve conversar com o médico que a acompanha. Ele é quem vai indicar a dieta ideal a seguir de acordo com o diagnóstico realizado.

Como lidar com o ciúme do irmão mais velho? O ciúme é muito normal, ainda mais entre crianças da mesma família. Esse sentimento tende a diminuir com o tempo, quando o primogênito percebe que dividir a atenção não é sinal que deixou de ser amado. Por isso, incentive o irmão mais velho a participar dos preparativos para a chegada do mais novo, inclusive com palpites para a decoração do quarto. Procure manter a rotina do filho mais velho e lembre-se de continuar com os passeios de família.


Cuidados com o umbigo do neném Lave todos os dias até que o coto umbilical caia – entre 10 e 21 dias. Essa higienização deve ser rotina na hora do banho e previne infecções. Para limpar, utilize cotonete e álcool 70% ou apenas pingue três gotinhas de álcool 70% no umbigo. Não há necessidade de secar e a mamãe não precisa ter medo em manipular o coto umbilical para realizar a limpeza. O bebê não sente dor. Se a área ficar vermelha ou apresentar secreção, consulte o médico.

Nós Estamos Grávidos De autoria da mestre em psicologia clínica, membro da American Family Therapy Academy, Maria Tereza Maldonado, tem como coautor Júlio Dickstein. O livro foi desenvolvido para a “família grávida”. Traz os principais acontecimentos da gestação e do primeiro ano de vida do bebê. Pode ser adquirido pelo site www.mtmaldonado.com.br

Acne

Maria Tereza Maldonado Editora Integrare

Não há uma regra! Enquanto algumas grávidas percebem a pele mais bonita durante a gestação, em outras acontece ao contrário. Até mesmo aquelas mulheres que normalmente não tem acne podem passar a tê-la. As famosas espinhas podem ser controladas com a redução da gordura na alimentação e atividades físicas regulares. Se preferir usar alguma medicação, mesmo que de uso tópico, deve-se consultar o médico. Princípios ativos de pomadas ou remédios podem afetar o bebê. As mamães não precisam ficar preocupadas, normalmente as espinhas e acne desaparecem com o avançar da gestação. revistachadebebe.com.br  

21


Eu que fiz!

passarinho MÓBILE DE Fotos: Eduardo Tayer

Nessa seção da revista vamos ensinar algum mimo para você fazer para seu filho (a), sobrinho (a), afilhado (a) e até mesmo para você! Vamos mostrar de artesanato a receitas de culinária. Tudo para você mimar ainda mais as pessoas que ama e ter a realização de olhar o trabalho final e dizer “Eu que fiz!”. Começamos com este lindo “Móbile de passarinhos” executado por Maria Machado, apaixonada por artesanato. O trabalho é todo feito em feltro e costurado por precaução – não se usa cola porque a criança pode arrancar peças e colocá-las na boca. Portanto a dica é fazer uma costura bem arrematada. “Nada melhor do que ver o resultado de algo feito por mim. E quando recebemos um elogio, a alegria aumenta. Penso que é porque nos sentimos úteis, capazes de realizar algo que nunca havíamos pensado que faríamos. Pode ter certeza, ao ver o trabalho pronto você se sentirá uma estrela e pensará: sou realmente capaz, EU QUE FIZ!”, sorri a vovó Maria.

MATERIAL • 30 cm de feltro nas cores desejadas – pelo menos duas diferentes, • Enchimento acrílico • Missangas pretas pequenas • Linha para costurar na cor do feltro

• Argola de madeira ou plástico (20 cm) • Fita bebê • Contas de acrílico coloridas • Agulha • Tesoura

Se você quer participar desta coluna, envie sua sugestão para o e-mail fale@revistachadebebe.com.br. Entraremos em contato! 22 

revistachadebebe.com.br


1

1 - Corte as partes conforme os moldes. Para cada passarinho são utilizadas 2x as asas, 2x o corpo e 1x o peito.

Para baixar o molde em tamanho real acesse: www.revistachadebebe.com.br/ moldepassarinho.pdf

2 - Corte 2x o feltro de acordo

com o molde e costure a missanga preta no lugar do olho.

3 - Corte 2X o molde das asas e costure com ponto “chuleado” conforme a foto. Deixe um espaço para prender no corpo do passarinho.

2

4 - Costure as asas no corpo do passarinho como na foto; costure também o bico.

5 - Preste atenção aos números

3

nos moldes! Una o número dois do corpo do passarinho ao número dois do peito. Faça o mesmo do outro lado e deixe um espaço para colocar o enchimento.

6 - Após rechear o corpo com enchimento, feche o espaço restante. Está pronto!

4

7 - Faça uma quantidade de no mínimo 5 passarinhos. Costure um fio ou fita no pescoço, logo abaixo da cabeça em cada um. Decore conforme o seu gosto e criatividade!

7

5

6

revistachadebebe.com.br  

23


Confissões de mãe

Sobre desejos de grávida e desejos da mãe A gravidez, principalmente a primeira, é um momento mágico na vida da mulher, um momento transformador. Quando engravidei da Helena, em 2007, passei a encarar a vida com outros olhos, a desejar ainda mais que o mundo fosse mais justo, mais limpo, mais saudável. Tornei-me mais intolerante a atitudes desrespeitosas como jogar lixo no chão, deixar a praia suja, furar fila, etc. Minha vontade era (e continua sendo) que ela me visse como exemplo de justiça, amor, carinho, bondade e sustentabilidade e que seja uma pessoa muito melhor do que sou. Comecei a reciclar mais, a me exercitar, a me alimentar melhor, cortando alguns alimentos e inserindo outros mais saudáveis. Não tive desejos de grávida por comida, meus desejos se armazenaram na alma e no coração, foram plantados e são cultivados diariamente, junto com o crescimento da filhota. Mas as mães não vivem só de fé e esperança. Junto com a vontade de transformar a mim mesma e ao mundo aparecem os medos e as culpas. Meu primeiro grande medo foi o da cesariana, eu queria parto normal, tinha receio da anestesia e do pós operatório, achava que isso poderia interferir no período de curtir a cria. Caminhei durante a gravidez inteira me preparando para o parto normal, mas a danadinha não encaixou e não escapei da cesariana. Não foi ruim como eu imaginava, pelo contrário, foi super tranquilo e nos primeiros dias já conseguia levantar sem dor para atender às necessidades do bebê. Muitas vezes eu chorei pensando que não saberia os motivos dos choros, que não daria conta da educação dela. Assim que ela nasceu apareceu o sentimento de culpa: por ela não estar ganhando peso, por não conseguir fazer parar de chorar durante uma crise de refluxo, pelas assaduras, pelas vezes que dava comida demais e ela acabava vomitando tudo...

24 

revistachadebebe.com.br

meus desejos se armazenaram na alma e no coração, foram plantados e são cultivados diariamente, junto com o crescimento da filhota.

Mas com o tempo a gente descobre que ser mãe é uma delícia, que os medos e as culpas vão nos acompanhar de qualquer jeito e pela vida toda. Que não existe receita para se criar um filho, que a única forma (ou fórmula) de que tudo dê certo nesse caminhar é o amor. Muitas situações são alheias às nossas vontades e provavelmente aos nossos entendimentos, mas caminhando com amor e dialogando sempre com franqueza, sem menosprezar as dúvidas, as curiosidades e a capacidade intelectual dos nossos filhos, é possível sim ajudar a fazer da nossa cria uma criança feliz e posteriormente um adulto legal. E assim, errando e acertando, deixamos nosso legado para o mundo.

Bianca Velloso é mãe da Helena, pedagoga, poeta e blogueira. poesiacotidianabia.blogspot.com


revistachadebebe.com.br  

25


Agenda BAZAR COISAS DE MÃE Quando: 12 de Maio Onde: Sesc Cacupé - Florianópolis Mais Informações: bazarcoisasdemae.blogspot.com.br

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA – Barca dos Livros Quando: Encontros semanais e mensais Onde: Largo Hippólito do Valle Pereira, 620, LIC- Village Lagoa da Conceição – Florianópolis Mais Informações: barcadoslivros.org

CINEMATERNA Quando: Sessões quinzenais Onde: Shoppings Beira-mar, Iguatemi e Floripa Shopping Mais Informações: cinematerna.org.br

GESTA MÃES - Grupo de Mães com Bebês Quando: todas as quintas-feiras das 14h às 16h Onde: Rua Irmão Joaquim, 169 - Centro - Florianópolis Mais Informações: gestamaes.com.br

GESTA MÃES - Grupo/Curso de Gestantes Quando: Encontros de 2 horas semanais durante 6 semanas Onde: Rua Irmão Joaquim, 169 - Centro - Florianópolis Mais Informações: gestamaes.com.br

TAC TIC TUM Quando: 26 de maio às 16h e 18:30h Onde: Teatro da Ubro em Florianópolis Mais Informações: tactictummusicainfantil.blogspot.com.br

Envie a sua programação de Agosto, Setembro e Outubro para o e-mail fale@revistachadebebe.com.br.

26 

revistachadebebe.com.br


revistachadebebe.com.br  

27


28 

revistachadebebe.com.br


Revista Chá de Bebê Ed 01