Page 71

amendoins vendidos para a Europa. Judith tinha-se tornado no rosto do amendoim do Malawi para o mundo. Ela atribui o mérito aos investigadores do ICRISAT. Depois de lhe mostrarem novas variedades de amendoim, ensinaram-lhe também a compreender os mercados e como obter informações actualizadas sobre o preço das culturas. Essa formação deu-lhe uma nova capacidade de negociação e conhecimentos. “Aprendemos com eles novas maneiras de cultivar”, disse. “E eles ajudaram-nos a obter melhores preços para o amendoim.” Numa área dos 11 hectares de terras de cultura, sua mãe, Esther Banda, de 68 anos, espanta-se com as mudanças na agricultura desde o tempo em que era jovem. Agora, disse ela, as mulheres têm uma oportunidade de progredir. “Nos velhos tempos, não se podia falar livremente”, recorda Esther. “O sucesso dela não me surpreende, porque agora podemos mais facilmente organizar-nos.” A filha afirma que a mudança resulta de uma série de factores. Mas acima de tudo, disse Judith, um agricultor tem que ter paixão pelo seu trabalho. “Eu adoro a agricultura’’, disse ela, caminhando através dos campos de milho, tabaco, amendoins, abóboras e mandioca. “Adoro tudo aquilo que ela representa. E estou sempre a pensar no futuro.’’

Judith Harry, um agricultora-empresária que planta amendoim, diz que aprendeu “novas maneiras de produzir” com os investigadores do ICRISAT.

Que virá então a seguir? Judith, 33 anos, tem resposta imediata. “Refinar amendoim para fazer óleo alimentar’’, afirma. “E depois vendê-lo. Ouvi dizer que há um bom mercado.” Uma Paix ão para Lá do Normal . MALAWI

{ 57 }

Uma Paixao para la do Normal  

How farmers and researchers are finding solutions to Africa's hunger.

Advertisement