Page 58

Sistemas de sementes Levar sementes de um para centenas de campos

MKONOO, Tanzânia — Tudo começou com um agricultor e uma mão cheia de sementes de grão-de-bico.

Há quase meio século, um agricultor recebeu essas sementes da Índia e, vendo que elas produziram um monte de grãos-de-bico, passou sementes a cinco outros agricultores. Esses, por sua vez passaram-nas a 20 e os 20 a 50 e em breve o grão-de-bico era a grande voga nesta região do norte da Tanzânia, perto da famosa reserva natural de Serengeti. A região de Arusha tornou-se a capital do grão-de-bico e os lavradores usavam os seus lucros para comprar tractores, construir casas e pagar para mondar os campos de cultura. Mas esta maneira informal de montar um sistema de distribuição de sementes, embora magnífica na sua simplicidade, não afastava um problema: as moléstias. Em cada estação, surgiam moléstias como o fusário, que evoluiu e encontrou novas maneiras de atacar o que se tinha tornado numa variedade local de grão-de-bico. As culturas literalmente murchavam. Grupos de agricultores horrorizados viraram-se para os peritos — reprodutores apoiados pelo CGIAR, que tinham desenvolvido variedades resistentes a moléstias e pragas. Mas os cientistas tinham por sua vez um problema: tinham capacidade para criar a melhor semente do mundo, mas como fazê-la chegar aos agricultores?

{ 44 }

Uma Paix ão para Lá do Normal . Tanzânia

Resolver este problema era o mais importante. É difícil subestimar o valor das sementes. Em tempos de desastres naturais, dizem os velhos experientes de África, os agricultores salvam em primeiro lugar a família e em segundo as sementes. As sementes são algo de tão importante que os bancos de sementes de todo o mundo enviaram, em princípios de 2008 e com pompa e circunstância, centenas de milhar de variedades para um cofre-forte de sementes subterrâneo; esse cofre-forte foi escavado nas profundezas de uma montanha no Círculo Polar Árctico — os peritos queriam um local tão frio e remoto quanto possível para assegurar a sobrevivência das sementes a toda a espécie de ameaças. O historial de países que instalaram sistemas de sementes e do apoio de doadores de sementes em situações de emergência não é brilhante. Ainda assim, tem havido alguns casos de sucesso e, dada a sua importância, os cientistas estão a utilizá-los como base. Na Tanzânia, e em vários outros países africanos, os investigadores ajudaram a montar sistemas de sementes que permitem uma distribuição alargada daquilo a que chamam sementes de origem — sementes cuidadosamente

Uma Paixao para la do Normal  

How farmers and researchers are finding solutions to Africa's hunger.

Uma Paixao para la do Normal  

How farmers and researchers are finding solutions to Africa's hunger.

Advertisement