Page 45

quais mulheres). Pelo seu trabalho, foi uma das duas pessoas escolhidas para o prestigiado prémio Yara 2007, para uma Revolução Verde em África. Levou a sua mãe, Rose Ethel, à cerimónia da entrega dos prémios em Oslo. “Ela ficou muito feliz,” conta Okot. “Quando voltou ao Uganda as amigas tratavam-na como se ela fosse a mãe do Salvador!” Riu-se, saboreando a satisfação de ter dado algo em retorno a sua mãe — tal como o tem feito a outras mulheres rurais. “Quando vejo estas mulheres produtoras, o rosto delas ... diz tudo”, afirma Okot. “Todas elas estão a mandar filhos à escola com o dinheiro ganho com as sementes. Algumas até já construíram casas com ele.” Apesar dos altos juros bancários, Okot construiu recentemente uma nova fábrica de sementes em Gulu. Tem esperança que ela fomente o incremento agrícola. “Tenho mesmo é que continuar a lutar”, remata ela. “Pode ser difícil — a menos que se tenha uma paixão por aquilo que vai além do normal.”

A filosofia da empresária do comércio de sementes, Josephine Okot é: “Tenho que continuar a lutar.” Uma Paix ão para Lá do Normal . UGANDA

{ 31 }

Uma Paixao para la do Normal  

How farmers and researchers are finding solutions to Africa's hunger.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you