a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1


Editorial Momento de baixar a temperatura e traçar estratégias A Revista Frota & Mercado é uma publicação trimestral da C & G 12 EDITORA EIRELI – ME. Telefone (PABX): (11) 3873-1525 Fax: (11) 3801-2195 www.frotaemercado.com.br atendimento@frotaemercado.com.br /frotaemercado | @FrotaeMercado frotaemercado Diretor Responsável – Editor Rodrigo Antonio Rosso Redação l Redes Sociais Ana Paula Rodrigues Marcos Neves Verônica Falco Administratuvo l Financeiro Juliana Gerazi Diagramação Rodrigo Martins www.rodrigomartins.it Depto. Comercial Alex Lima Levy Carneiro Consultor Abrão Dib Colaboradores Luiz Marins Paulo Roberto Zancaneli Distribuição José Faustino Tiragem 10 mil exemplares Redação e Comercial Caixa Postal: 60.094 CEP 05033-970 São Paulo - SP É permitida a reprodução de qualquer artigo ou matéria publicada na Revista FROTA & MERCADO, desde que seja citada a fonte. *Os artigos assinados não expressam necessariamente a opinião deste veículo, sendo assim, de responsabilidade exclusiva de seus autores.

V

ocê está lendo o primeiro editorial do ano. Esta é a primeira Revista Frota & Mercado de 2020. Como sempre, é a edição ESPECIAL ANUÁRIO – onde trazemos o balanço do ano anterior (2019) e as perspectivas para o ano vigente (2020). Faço aqui uma ‘reflexão’ acerca da principal questão no mundo nesse começo de 2020. O coronavírus, que deu uma sacudida em todos os segmentos pelo mundo, e também no Brasil. A economia, que tem sido o principal elemento de preocupação e atenção de empresários no nosso País é o mote da minha provocação. Não me recordo de ter vivido algo tão devastador em um curto período de tempo e que tenha atingido os países em escala global como a Covid-19. Ainda estamos num período de ajuste diante do que foi classificado pelas autoridades mundiais como pandemia. O mundo está parado, quando não, estamos desacelerando por conta de ações de contenção, tratamento e pesquisas acerca do novo coronavírus e suas vítimas. Mas, e o mercado empresarial ? Não tenho receio de tratar especificamente desse setor, visto que para mim, como cidadão, resta fazer a minha parte como agente colaborativo do que pedem as autoridades sanitárias. Sendo assim, acredito que esse é um momento crucial também para as empresas e empresários do nosso País. Afinal, não se trata apenas de uma relação de ganhos: fazemos parte de uma cadeia que vai além de lucros e perdas. Somos geradores de empregos e também empregados dos nossos clientes e do mercado de consumo. É uma roda que não pode parar de girar. Ao avaliar todos os desempenhos, conquistas e inovações do mercado automobilístico, tratado nesta publicação, pergunto: o que fazer diante dessa crise de saúde humanitária, que tem requerido de nossas autoridades máximas ações drásticas e se não, radicais. O que nós, do ponto de vista empresarial, podemos fazer para colaborar com o início da retomada ? Porque sim, iremos retomar nossas rotinas básicas e as empresas também. Quando ? Ainda não sabemos. Até porque, provavelmente, mesmo voltando a curto ou médio prazo, certamente o mercado ficará com sequelas. Na minha humilde avaliação, acredito que seja um momento de ‘baixarmos’ a temperatura e pensar estrategicamente. Muitos avanços foram conquistados em 2019 no mercado automobilístico depois de uma crise também sem precedentes neste setor. Todas as empresas e montadoras de automóveis tomaram diversas iniciativas, atendendo às necessidades de um mercado cada vez mais preocupado com a sustentabilidade, mobilidade, meio-ambiente, acessibilidade, tecnologia de ponta, segurança e conforto. Os resultados dessas ações poderão ser confirmados nas páginas desta edição. E é diante disso que acredito ser este um momento de pausa, não interrupção, da evolução que conquistamos ao longo de 2019 e não de desespero. O ano de 2020 começou com muitos desafios. Um novo e inesperado cenário se apresentou para nós, entretanto, as experiências adquiridas ao longo de sólidos anos de trabalho, dedicação e investimento não podem, e acredito, não serão aniquiladas por um vírus e suas consequências. Esse é o momento de fazer valer toda e cada uma das expertises que nós temos. A hora é de ‘gestão de crise’ - onde podemos contribuir, individual e coletivamente – para preservação das nossas conquistas e manutenção dos caminhos já iniciados. De minha parte, estou e farei o que puder para que esse momento entre para nossa história como uma ‘oportunidade’ e um novo despertar. E tenho certeza que estarei com muitos de vocês, que também acreditam que, de toda crise se tiram lições e possibilidades de progresso. Um ótimo restante de 2020 a Todos ! Rodrigo Antonio Rosso Diretor/Editor “Não terás medo do terror da noite nem da seta que voa de dia, Nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia. Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti... Porque tu, ó Senhor, és o meu refúgio” Salmo 91:5, 6, 7 e 9


Entrevista

Marcelo Barros Ele tem 44 anos, é casado e atual Country Manager da Autorola Brasil. Tem vasto know-how no segmento automotivo, acumulando experiência como executivo em montadoras como: Ford e Audi. E também, em grandes locadoras de veículos como: Hertz, ALD Automotive e LeasePlan

A

Autorola é uma empresa multinacional de origem dinamarquesa, fundada em 1996 que atua na área de digitalização da venda de veículos usados e desmobilização de frota em mais de 20 países. A empresa é líder de segmento na Europa, onde conta com uma ampla rede de escritórios regionais e time interno de desenvolvimento de tecnologia própria, que recebe importantes investimentos para a inovação tecnológica e para o desenvolvimento das plataformas existentes. Como parte de sua estratégia de crescimento global, a matriz identificou o Brasil como um mercado em potencial e tem investido no país desde 2014. A empresa vem crescendo ano a ano, apesar dos desafios que a crise no setor automobilístico apresentou nesses anos. “Nós mantivemos o nosso plano de negócios e investimentos para a região e os investimentos nunca foram suspensos, pelo contrário, resolvemos lutar contra a crise e estabelecer assim uma empresa de renome internacional e soluções globais em um país como o Brasil. Por isso digo que, de alguma forma, a crise impulsionou o nosso crescimento, pois a nossa plataforma oferece vantagens financeiras que são percebidas no curto prazo pelos nossos clientes”, afirma Marcelo Barros. Em entrevista exclusiva à Revista Frota & Mercado, o executivo fala do mercado e dos planos da empresa no Brasil. Revista Frota & Mercado - Quais os números de 2019 ? E a projeção para 2020 ? Marcelo Barros - 2019 foi o melhor ano da Autorola no Brasil desde a sua chegada ao país em termos de volume de carros transacionados. Para 2020 estabelecemos uma meta agressiva de crescimento na ordem de 30 % em comparação ao último ano. O segmento de carros usados tem se tornado cada vez mais competitivo e a nossa plataforma ainda tem um alto potencial de penetração no mercado, garantindo maior segurança e rentabilidade para os nossos clientes.

6

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020


RFM - Comprovadamente, qual a redução de custos de uma empresa que pratica a desmobilização digital de sua frota ? MB - As empresas que optam por digitalizar o processo de desmobilização de suas frotas têm a oportunidade de reduzir os custos operacionais do processo como um todo e, somado a isso, também é comum aumentarem as margens nas vendas. Já para quem compra tem a garantia de segurança, transparência e agilidade no processo. A redução de custo varia muito, pois cada empresa acaba tendo uma performance diferente nos processos tradicionais. Mas as vantagens vão além da questão financeira. RFM - Quais são os benefícios ? Quem ganha com isso ? MB - Na perspectiva de quem vende, ao trabalhar com a desmobilização online de frota, a empresa irá conseguir uma maior agilidade no processo de venda e também um maior número de ofertas por seus carros. Ter uma boa estratégia de precificação também é crucial para obtenção de êxito. Já na perspectiva de quem compra, vejo que o acesso a uma plataforma segura e de fácil acesso proporciona um ganho efetivo de tempo para quem busca oportunidades. Nesse mesmo ambiente o comprador pode ter acesso a um grande número de informações dos veículos, além de ter a certeza que se está comprando algo de ótima procedência. O agrupamento de informações da frota, como fotos, laudos, dados gerais dos veículos, em uma plataforma digital única e padronizada facilitam a comercialização dos veículos. Já no processo não digital, isso não ocorre com tanta eficácia. A plataforma também permite uma comunicação efetiva com todos os interlocutores envolvidos nesse processo de desmobilização (empresa, funcionários, compradores e mercado). Outro ponto importante é a transparência atrelada a rastreabilidade de todo o processo de vendas. Isso se dá porque todas as tratativas ficam registradas em nossos sistemas por até 10 anos. Conseguimos saber quais usuários e máquinas acessaram os nossos eventos e quais ações foram feitas em cada etapa do processo de desmobilização. Os relatórios (KPI’s) já ficam disponibilizados 30 minutos após o término de cada evento de venda (leilão eletrônico como chamamos). Acredito que sejam os grandes benefícios dessa operação. Sem nos esquecermos da real possibilidade de maior rentabilidade de um bem que muitas vezes já é altamente depreciável nas formas tradicionais de vendas. Acredito

ainda que todos os envolvidos saem ganhando, seja a empresa que busca uma desmobilização de frota mais rápida, segura e rentável, seja o comprador que busca procedência e segurança na hora de adquirir um carro usado. Quando uma desmobilização é bem construída a “4 mãos”, a chance de êxito é muito grande. Gerando valor para todas as partes. RFM - Qual o estágio da desmobilização digital de frotas no Brasil ? MB - A digitalização no processo de desmobilização de frota é uma realidade mais madura em mercados como EUA e Europa. O Brasil é o 5° maior mercado automotivo do mundo e é um país aberto à inovação. Nesse contexto, diversas empresas já enxergaram os benefícios da digitalização há alguns anos e tem processos já maduros. Cada vez mais a digitalização da desmobilização de frota será uma realidade. Como vimos a grande resistência enfrentada pelo Uber, por exemplo, em seu começo no Brasil e todas as discussões que foram geradas a partir de sua chegada, acredito que as grandes disrrupturas precisam ser encaradas como facilitadores e não como impedidoras de crescimento. A digitalização pode passar por alguma resistência por razões internas de cada empresa ou pela tendência do ser humano em ter certa resistência à mudança. Mas que num curto espaço de tempo os benefícios se sobrepõem à resistência ou dificuldades. RFM - Acha que no país o conservadorismo é o motivo principal que ainda impede a adoção – em maior escala – da desmobilização online ? MB - No caso da desmobilização online sim. Temos ainda muitos receios, principalmente por parte de quem adquiri frotas de carros usados via online. O comprador sempre busca referências, dados dos veículos, imagens, antigas procedências, visando mitigar o risco da compra de algo já usado. A Autorola trabalha para quebrar esta resistência proporcionando aos compradores, um ambiente seguro e confiável para que eles possam pesquisar e adquirir carros usados no conforto de suas empresas ou casas. O ambiente online que funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana e com o maior número de informações possíveis, faz com que dia-a-dia os compradores passem a comprar cada vez mais carros sem precisar Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

7


vistoriá-los em loco. Para os proprietários dos veículos, também existe certa resistência, mas acreditamos que ela é bem menor do que para quem está comprando. As empresas frotistas não tem o que perder, pelo contrário, apenas ganhar, pois passam a expor seus carros para um público seleto de compradores, já qualificados pela empresa que detém a tecnologia de vendas online. RFM - Quais as novas tendências desse mercado ? MB - Com certeza uma digitalização/informatização ainda maior na hora de se vender carros usados e se desfazer daquele bem que precisa ser vendido. Iremos notar uma presença cada vez maior de Inteligências Artificiais e Robôs, trabalhando em prol de uma desmobilização de frota cada vez mais assertiva, lucrativa e menos burocrática. Hoje já é possível que um Gestor de Frota, solicite a desmobilização de toda a sua frota, já com avaliação, cotação prévia de preço e venda do ativo, sem precisar falar com ninguém da Autorola. Por meio do nosso sistema “Fleet Monitor” que está atrelado a nossa plataforma de “Market Place”, isso já é possível.   RFM - Algum momento certo para desmobilizar a frota ?

MB - Isso vai muito da estratégia de empresa para empresa, sendo o principal fator o segmento para segmento, onde cada empresa frotista se encontra. Em geral, o mercado trabalha em carros executivos com uma ativação de 24 a 36 meses, respeitando uma quilometragem máxima de 90.000 Km. Já para veículos operacionais, o mercado considera uma troca em um intervalo menor de tempo, entre 12 e 18 meses, dependendo da quilometragem que os veículos costumam percorrer por mês. Mas isso é muito relativo, pois vemos locadoras de veículos, por exemplo, trocando toda a sua frota com 12 meses e com uma quilometragem média de 50.000 Km. Também vemos empresas que possuem carros com mais de 5 anos de uso com quilometragens elevadíssimas que ainda não pensam em trocar seus carros. Uma coisa é certa, tempo de uso e quilometragem percorrida são dois fatores determinantes para a venda de um veículo usado. RFM - Existem levantamentos sobre o percentual da desmobilização de frotas realizada de forma digital ? MB - Não existe um número preciso para o Brasil, mais notamos um aumento considerável, principalmente nesses últimos dois anos. Cada vez mais as empresas frotistas buscam plataformas digitais como da Autorola, para vender seus carros usados. A tendência aponta que o segmento irá crescer muito ainda. Se fosse para dar um palpite, acredito que cerca de 15 % das frotas corporativas circulantes utilizam plataformas digitais para desmobilizar seus ativos. Ou seja, há um enorme potencial para crescer. Para se ter uma ideia, dados de nossos escritórios regionais apontam que nos EUA, por exemplo, esse número já chegue a 50 %. Em Portugal 70 % das frotas das locadoras já são desmobilizadas em canais digitais (vendas online).   RFM - Qual o percentual – no Brasil – de locadoras que alteraram o seu core business ? MB - Podemos usar como exemplo as três grandes locadoras do país: Localiza, Movida e Unidas, que já utilizam plataformas digitais para vender parte suas frotas. Além de suas lojas físicas, hoje elas também já contam com plataformas digitais customizadas ou mesmo de terceiros para vender seus carros usados, principalmente no atacado. Acredito que as locadoras de médio e pequeno porte, irão seguir essa tendência em breve. A venda online (desmobilização online) veio para ficar e para facilitar a vida das empresas e de seus respectivos gestores. RFM - Frente ao cenário do Coronavírus, como você acha que a plataforma da Autorola pode melhorar a receita e a geração de caixa dos clientes ? MB - O momento requer uma reflexão sobre uma nova ordem econômica mundial, modelos estão sendo quebrados e novos padrões estão sendo constituídos. A plataforma da Autorola, que proporciona uma atividade online de compra e venda de carros usados totalmente segura, é uma maneira inteligente e prática das empresas continuarem suas atividades econômicas. Agora é a hora de revermos os nossos conceitos e nos abrirmos para novas tendências. A venda/ compra de veículos online certamente é uma delas.

8

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020


Locação

Locadoras têm recorde de 49,6 milhões de diárias vendidas em 2019

O

balanço anual do setor de locação de veículos reforça a mudança de comportamento do consumidor brasileiro em sua relação com o automóvel. Para a ABLA – Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis, responsável pelo Censo, o crescimento do número de diárias - 43 milhões em 2018 para 49,6 milhões no ano passado - torna nítida a migração da cultura “da posse” para uma nova cultura com foco no pagamento pela utilização dos carros. A associação atribui o novo recorde anual de diárias principalmente a dois fatores: ao crescimento da demanda por parte de pessoas que passam a alugar veículos por longos períodos, em vez de compra-los; e, também, à crescente quantidade de locações para motoristas de aplicativos de transporte. “Esse Censo anual ratifica que o brasileiro, cada vez mais,

10

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

pensa duas vezes antes de adquirir novos veículos”, avalia o presidente do Conselho Nacional da ABLA, Paulo Miguel Junior. “As vendas ao varejo encolheram nos últimos 10 anos, variando negativamente de 2,8 milhões para 1,5 milhão de automóveis”, lembra ele. Para Paulo Miguel Junior, as novas estatísticas da locação de veículos também ajudam a ratificar, com números, essa mudança de comportamento do consumidor. “Até então, a troca do desejo de ter um carro para o interesse em pagar somente pelo seu uso vinha sendo observada apenas como uma tendência de mercado”, diz. “Carro alugado é solução de mobilidade e, a partir da análise do balanço anual do nosso setor, ficou claro que está em curso no Brasil a propagação da cultura de pagar


menos pelo uso em vez gastar muito mais para ter a propriedade”. Além do aluguel de longa duração para pessoas físicas, a ABLA atribui o recorde de 49,6 milhões de diárias vendidas em 2019 também ao crescimento da demanda por parte de motoristas de aplicativos. “Existe um enorme potencial de crescimento também nesse segmento”, diz Junior. Numa estimativa preliminar da ABLA, da frota total de 997.416 veículos das locadoras, entre 150 mil a 200 mil carros estão alugados para esses motoristas. Para as locadoras, esse mercado representa mais uma oportunidade, mas também adaptações importantes no modelo de negócios para atender a esse tipo de demanda. “Tornar o negócio mais sustentável se tornou uma grande preocupação do mercado de locação”, explica o presidente da ABLA. “Maior demanda, em um nível de utilização intenso como o dos motoristas de aplicativo, implica em necessidade de renovação da frota em períodos mais curtos, porém nunca antes de 12 meses”, afirma. A publicação trouxe pelo terceiro ano consecutivo o total de empregos diretos no setor de locação em cada estado da Federação. No âmbito nacional, o número de empregos diretos atingiu 75.104 postos de trabalho, variação positiva de 3.497 vagas a mais do que em 2018. Compras e faturamento O segmento de locação de veículos também bateu seu próprio recorde de emplacamentos em 2019. No ano passado, as locadoras compraram 22,8 % do total de automóveis e comerciais leves comercializados no país, consolidando o setor como o principal

cliente das montadoras. Em números absolutos, o setor de locação foi responsável por emplacar 541.346 unidades em 2019, ante 412.753 automóveis e comerciais leves comprados em 2018. A frota total das locadoras chegou a 997.416 veículos, um aumento de 171.085 unidades em relação à frota total registrada ao final de 2018 (826.331). O número de locadoras subiu de 8.033 em 2018 para 10.812 ao final de 2019. A locação diária para pessoas físicas passou a ter 48 % de participação na frota total das locadoras, subdivida da seguinte forma: 26 % da frota utilizada no turismo de lazer e 22 % no turismo de negócios. Já o aluguel para empresas, órgãos públicos (terceirização de frotas), locação de longo prazo para pessoas físicas e para motoristas de aplicativos ficou com 52% de participação dentro da frota total das locadoras. Quanto ao faturamento bruto anual das locadoras de veículos, em 2019 o setor atingiu R$ 21,8 bilhões, enquanto o faturamento líquido foi de R$ 19 bilhões. Em 2018, o faturamento bruto do setor havia sido de R$ 15,3 bilhões, com faturamento líquido de R$ 13,9 bilhões. Marcas mais procuradas Pelo quarto ano consecutivo, a General Motors ocupou a liderança do ranking dos automóveis e comerciais leves 0 Km mais emplacados pelas locadoras em 2019, com participação de 24 %, o que equivale a 130.424 unidades vendidas ao setor de locação. O ranking das maiores montadoras por vendas ao setor de locação em 2019 tem ainda, na sequência, FCA (19,8 %), Volkswagen (19,47 %), Renault (13,91 %) e Ford (12,74 %).

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

11


Sustentabilidade

Legislação proíbe entrada e circulação de carros a combustão em Fernando de Noronha

O

Governo de Pernambuco sancionou a Lei que proíbe a entrada e circulação de carros a combustão no arquipélago de Fernando de Noronha. “A implementação de ações que contribuem para a construção de uma sociedade mais sustentável é uma prioridade para o Governo de Pernambuco, que vem reforçando sistematicamente políticas que dialogam com a preservação de seus diferentes ecossistemas e que apontam para um futuro mais equilibrado entre o desenvolvimento econômico e o meio ambiente”, afirmou o governador Paulo Câmara. “Essa é mais uma solução de mobilidade sustentável da Renault do Brasil. Para nós, é uma honra estarmos presentes em Fernando de Noronha, que é um símbolo de preservação ambiental no Brasil 12

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

e no mundo”, afirma Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil. Com a regulamentação, conhecida como Noronha Carbono Zero, a partir de 2022, nenhum carro que emita dióxido de carbono (movidos a gasolina, álcool e óleo diesel) entrará na ilha. Já a partir de 2030, a circulação desses veículos estará proibida, somente podendo circular no arquipélago transportes elétricos. Dessa forma, Fernando de Noronha se torna o primeiro lugar no Brasil a banir carros a combustão. A lei, entretanto, não se aplica a embarcações, aeronaves, tratores e outros veículos automotores assemelhados, destinados a puxar ou arrastar maquinaria, executar trabalhos de construção ou de pavimentação, serviços portuários e aeroportuários. Para reforçar a preservação ambiental de Fer-


nando de Noronha, o Governo de Pernambuco, por meio da Administração da ilha, fechou parceria com a Renault Brasil para a implantação dos carros elétricos. Os veículos – Zoe, Twizy e Kangoo Z.E. – e os carregadores foram cedidos para uso oficial da Administração local em regime de comodato. Além disso, foi divulgada no início de dezembro a lista preliminar com os 100 contemplados com a autorização ecológica, que dará direito ao frete social, sem custo algum para o requerente, apenas para primeira entrada do veículo elétrico na ilha, para o transporte de carros elétricos do continente até o arquipélago. Administrador de Fernando de Noronha, Guilherme Rocha destacou que a meta da gestão da ilha é livrar Noronha da poluição ambiental. Ele reforça, ainda, a necessidade de preservar o meio ambiente a partir de agora, uma vez que o planeta já sofre as consequências da falta de cuidado das gerações anteriores. “O nosso objetivo é zerar a emissão do carbono na ilha até 2030, conforme as premissas do Noronha + 20, que são regidas pela sustentabilidade em diversas áreas da gestão pública. Noronha Carbono Zero, por meio dos carros elétricos, é apenas o início de novas opções sustentáveis para a mobilidade e a matriz energética da ilha”, conta Rocha.

Notas BMW Motorrad celebra aumento de 42 % em vendas no Brasil em 2019

A BMW Motorrad bateu o seu recorde histórico de vendas de motocicletas no mercado brasileiro. Em 2019, a marca atingiu 10.158 unidades emplacadas no país, de acordo com dados divulgados pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), totalizando 41,9 % de crescimento nas vendas em relação a 2018, quando 7.158 motocicletas foram entregues. É a primeira vez que a BMW Motorrad supera a marca de 10 mil emplacamentos nos últimos 12 meses. Neste mesmo período, o setor de duas rodas nacional registrou 14,6 % de aumento nas vendas, totalizando 1.077.553 motocicletas emplacadas. O bom desempenho da BMW Motorrad no Brasil em 2019 teve como destaque os modelos BMW G310R e G310GS que alcançaram 3.094 unidades vendidas no segmento de motocicletas com motorização abaixo de 500cc, ante 2.193 motocicletas emplacadas no ano anterior. Neste caso, o crescimento foi de 41 %. No segmento de motocicletas acima de 500cc, que abrange modelos das categorias Maxitrail, Sport e Touring; a BMW apresentou uma evolução significativa de 42 % - 7.064 emplacamentos em 2019 ante 4.965 unidades vendidas, em 2018. O ano de 2019 também será lembrado pela conquista da marca de 60 mil motocicletas produzidas na fábrica do BMW Group em Manaus/AM, alcançada em novembro. Inaugurada em outubro de 2016, a primeira unidade fabril fora da Alemanha dedicada exclusivamente à produção de motocicletas ocupa uma área de 10 mil metros quadrados e recebeu, até o momento, um aporte total de investimentos na ordem de R$ 75 milhões. Lá são produzidos 99 % da gama BMW Motorrad disponibilizada no país. “Estes resultados são fruto do esforço dedicado de nossa equipe e dos nossos parceiros, e refletem que estamos cada vez mais alinhados às necessidades dos nossos clientes, não apenas com relação aos produtos BMW Motorrad, ainda mais inovadores e tecnológicos, mas que também incluem atividades como treinamentos e experiências exclusivas”, celebra Julian Mallea, Diretor da BMW Motorrad Brasil. Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

13


Acontecendo

Toyota lança aplicativo para locação de veículos direto nas concessionárias

A

Baixe o app Toyota Mobility Services e preencha o cadastro com seus dados pessoais, CNH e número de cartão de crédito

Selecione a concessionária mais próxima de você para retirar o veículo.

14

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

Informe o período de locação. Você pode reservar por hora ou por dia, de acordo com a sua necessidade.

Agora é só aproveitar o seu Toyota!

tenta às necessidades dos clientes, que prezam pela agilidade e mobilidade, a Toyota trouxe ao Brasil o aplicativo Toyota Mobility Services. Compatível para os sistemas iOS (Apple Store) e Android (Google Play), o novo app da Toyota promete oferecer uma experiência inédita para quem aluga veículos: a possibilidade de retirar o carro direto na concessionária, de acordo com as necessidades e preferências de cada pessoa. Roger Antonio Armellini, Diretor de Mobilidade da Toyota do Brasil, explica que o objetivo do aplicativo é oferecer a máxima comodidade aos clientes com o alto padrão Toyota em serviços e produtos. “Nossa prioridade com o Toyota Mobility Services é atender o público que hoje prioriza a mobilidade


Notas e não necessariamente a propriedade do veículo, ou que também precise de outra opção de automóvel seja por conta de rodízio, ou por necessidade momentânea de um carro para algum fim específico”, afirma. Lançado no país em setembro de 2019, o Toyota Mobility Services dá acesso aos modelos Toyota e Lexus. Os veículos podem ser alugados por dias, horas, semanas – de acordo com a necessidade do cliente. Para isso, basta se cadastrar no aplicativo e fornecer as informações de contato e meio de pagamento solicitadas. O serviço está disponível nas cidades de São Paulo/SP, Indaiatuba/SP, Americana/SP, Sorocaba/SP, Itu/SP, Rio de Janeiro/RJ, Natal/RN, Fortaleza/CE, Belo Horizonte/MG, Vitória/ES, Brasília/DF, Porto Alegre/RS, Recife/PE, Salvador/BA e Curitiba/PR. “Hoje, já temos 33 concessionárias que oferecem esta facilidade, e até o final de 2020, nossa expectativa é termos 60 estações e, já em 2021, chegaremos a aproximadamente 100 concessionárias habilitadas”, afirmou Armellini. Toda a linha Toyota está disponível para uso por meio da plataforma TMS: Etios, Yaris, Corolla em sua versão híbrida flex, Prius, RAV4 também com motorização híbrida, Hilux, SW4, Camry, além dos modelos Lexus UX 250h, NX 300h e ES 300h. A utilização do veículo para fins comerciais, por enquanto, não é permitida. Quem quiser usufruir das facilidades e conforto do novo aplicativo da Toyota, o app pode ser encontrado em ambas as lojas digitais (Apple Store e Google Play). A plataforma para o mercado nacional está indicada com a sigla BR e é fácil identificar o app pelo logo com a bandeira do Brasil, no canto inferior esquerdo. Depois de localizar o Toyota Mobility Services, o usuário deve fazer o download, informar os dados para cadastro e aguardar a aprovação. Após essa etapa, o cliente pode retirar o veículo numa concessionária, mediante agendamento prévio e em horário comercial.

Nissan Kicks agora com Sem Parar

A Nissan segue inovando e passa a equipar todas as versões do Nissan Kicks, com o Sem Parar, empresa líder em pagamentos automáticos no Brasil. Por meio do acordo com a marca que é pioneira no mercado, a Nissan reforça o conceito de Mobilidade Inteligente e a constante busca por proporcionar mais facilidade aos clientes. Com o Sem Parar instalado já na linha de montagem no Complexo Industrial da Nissan em Resende, no Sul Fluminense, os clientes do Kicks terão vantagens exclusivas como desconto de 10 % nas mensalidades. O crossover da Nissan, que obteve recorde mensal de vendas em dezembro de 2019, com quase 6 mil unidades comercializadas no Brasil, é o terceiro modelo da marca a ser equipado com a facilidade. O primeiro foi o 100 % elétrico Nissan LEAF, seguido da picape Nissan Frontier. O cliente que optar pela ativação do serviço poderá utilizá-lo, além das praças de pedágio, em mais de 650 postos de combustíveis, 330 Drive -Thrus, 150 Lava Rápidos e em uma rede de mais de 1.400 estacionamentos, reduzindo o tempo para o proprietário do Kicks, já que não será necessário enfrentar filas. Ao escolher ativar o serviço, o cliente poderá escolher entre dois planos: - “NA CIDADE”: que é voltado para quem se desloca mais dentro da cidade, conta com gratuidade em 12 mensalidades e, a partir do 13º mês, terá um desconto de 10 % sobre a mesma, pagando R$ 13,41 por mês. O serviço é disponível para pagamento de estacionamentos, drive-thru, lavagem de automóvel e abastecimento. Caso o cliente deste plano utilize o serviço de pedágio, haverá cobrança da taxa única de R$ 14,90 de roaming no mês de utilização do serviço. - “EM TODO LUGAR”: direcionado a quem viaja regularmente, contará com gratuidade em 4 mensalidades e, partir do 5º mês, terá um desconto de 10 % sobre a mesma, pagando R$ 25,11 por mês. O serviço é disponível para pagamento de estacionamentos, drive-thru, lavagem de automóvel, pedágio ilimitado sem cobrança adicional e utilização imediata de abastecimento para a forma de pagamento cartão de crédito. Na opção débito, a funcionalidade de abastecimento inicialmente não estará disponível. Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

15


Segurança por Paulo Zancaneli

Existem 2 tipos de empresas: aquelas que já tiveram vazamento de dados e aquelas que ainda vão ter !

Paulo Roberto Zancaneli é advogado em Direito Digital e Proteção de Dados E-mail: paulo@zancaneli.adv.br

18

N

a era da informação, sem dúvida, o ativo mais precioso de qualquer organização são os dados, mas é no mínimo contrassenso o grande descaso da maioria das empresas com a proteção de dados e a segurança das informações. Talvez isso ajude a explicar um pouco porque temos visto a quantidade já alarmante de vazamentos de dados aumentar de forma assustadora nos últimos meses. Assim, não é difícil admitir que, aquelas empresas que ainda não tiveram o dissabor de enfrentar um ataque cibernético estão com uma bomba relógio prestes a explodir, pois, mais dia menos dia serão as próximas vítimas a lidar com uma situação adversa desse tipo. Atualmente, todos os dias estão acontecendo vazamentos em empresas de diversas áreas e de diferentes portes, afetando clientes e usuários em todo o mundo, porém só acabamos tomando conhecimento somente daquelas ocorrências de maior expressão. É claro que, se tratando de vazamento de dados, não podemos deixar de mencionar um caso emblemático que foi o escândalo da empresa britânica de consultoria política Cambridge Analytica, que utilizou dados e informações sensíveis de milhões de usuários do Facebook na campanha da última eleição americana. É bom lembrar que esse fato levou o Facebook a pagar

uma multa de 5 bilhões de dólares, além de abalar seriamente a reputação da empresa, que já foi a rede social preferida do mundo inteiro. Interessante ressaltar que geralmente as indenizações impostas a uma empresa em caso de vazamentos são devidas, principalmente, após a comprovação da sua falta de cuidado em proteger seus dados, e ainda, por tentar encobrir a violação sofrida, o que aumenta os prejuízos a todos que são afetados. Depois desse episódio, tivemos inúmeros outros casos que vieram à tona, envolvendo graves incidentes de segurança, que causaram muitos danos a milhares de pessoas que tiveram seus dados expostos e violados e, provavelmente negociados na internet. Um desses incidentes ocorreu bem recentemente, quando foi divulgada no início de outubro de 2019 uma grave falha de segurança que levou ao vazamento de dados pessoais de aproximadamente 70 milhões de brasileiros do DETRAN do estado do Rio Grande do Norte. Assim, apenas com o número do CPF, tornou-se possível acessar a base de dados dos DETRANs, compartilhada em todo Brasil, e buscar dados como endereço residencial completo, telefone, dados da CNH, foto, RG e data de nascimento. Para se ter uma noção, foi possível encontrar dados até do Presidente Jair Bolsonaro e de sua família, além de informações de diversas personalidades públicas. Paradoxalmente, todos os casos que já ocorreram não bastaram para aumentar a preocupação das empresas com cibersegurana. O aumento de vazamentos de dados no mundo é aterrorizante e há uma tendência de que seja cada dia maior a exposição de dados pessoais e informações sensíveis que serão acessadas por invasores criminosos. O pior disso é que crimes como esses não acontecem somente no ambiente da Deep Web (local da internet de difícil acesso onde delinquentes virtuais que compartilham vírus e softwares destroem ou roubam as informações do computador infectado), mas também na Internet que está à disposição de todos. De outra sorte, é bom salientar que o Ministério Público vem trabalhando no sentido de investigar e combater


tais práticas ilegais. O PROCON também ajuda nas apurações e aplicações de multas quando ocorre um incidente de segurança. Importante registrar que esses órgãos têm sido bastante atuantes, quando o assunto são questões e condutas digitais ilícitas como um todo. Nesse contexto, a partir de agosto do próximo ano, entrará em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados - LGPD que certamente será um marco que irá contribuir muito para preservar a privacidade, os direitos fundamentais dos indivíduos e a segurança no ambiente digital. Então, partindo do pressuposto de que as companhias não são 100% seguras e sofrerão ataques, o que fazer então quando isso acontecer ? De fato, quando ocorrer um vazamento, todas as corporações devem estar preparadas para lidar com o problema de forma acertada. Logo de plano, precisam identificar realmente o que ocorreu, contornar o mais rápido possível a situação para amenizar os danos causados, sanar a origem do problema para que não ocorra novamente, bem como devem continuar investigando para descobrir quem são os infratores. Além disso, a empresa vítima da intrusão ilícita deve se pronunciar imediatamente, informando às autoridades, e a todos aqueles que tiveram seus dados expostos ou violados, relatando as providências que foram tomadas. Essa atitude, inclusive, servirá para minimizar as possíveis penalizações legais que poderá sofrer. A bem da verdade, ao invés das organizações se colocarem no papel de vítimas ao sofrerem um ataque criminoso, elas devem estar sempre atentas e se protegendo constantemente contra ameaças em seus sistemas e seus dispositivos móveis, tendo em vista que muitos ataques ocorrem pela falta de boas práticas de segurança como configurações adequadas de sistemas, utilização de softwares originais e de servidores dedicados, armazenamento de dados em cloud, compartilhamento permitido de dados e uma boa infraestrutura de proteção. O fato é que as empresas não podem ter atitudes amadoras, como

estabelecer apenas regras internas de não se clicar em links de e-mails suspeitos ou instalar antivírus em computadores e esperarem estar protegidas dos perigos do ambiente online. As empresas devem se prevenir o máximo que puderem com boas políticas de segurança da informação de modo a detectar possíveis falhas e corrigi-las rapidamente para mitigação dos seus riscos. Uma outra questão que surge é que, independente das ameaças, as empresas têm a obrigação de observar a legislação vigente sobre proteção de dados e, ainda de zelar pela segurança de todos os dados que lhe foram confiados, principalmente, tendo em vista que boa parte dos dados que possuem são confidenciais. O fato concreto é que o mundo digital sabe mais de nós do que nós mesmos e que os computadores controlam boa parte das nossas vidas. Nossos dados pessoais, de localização, de preferências e do nosso perfil estão disponíveis nos aplicativos e plataformas e as empresas muitas vezes compartilham esses dados sem permissão ou sem a devida segurança, ou ainda são vítimas dos corriqueiros vazamentos, nos quais terceiros se apoderam desses dados para comercializá-los ou outros propósitos criminosos. Nessa ordem de ideias, o certo é que vivemos em um mundo onde cada vez mais relações acontecem no mundo digital e as informações estão à disposição de todos. Assim, um dilema se criou: de um lado, temos as organizações que precisam ou querem fazer uso dessas informações e, de outro, temos que observar o direito à vida privada. Nesse cenário, é forçoso concluir que todas as organizações têm que saber lidar melhor com a coleta de informações e conhecer muito bem as suas vulnerabilidades para que possam criar eficientes mecanismos de defesa contra ameaças e para proteção dos seus dados. Efetivamente, a nova era que estamos vivendo exige uma mudança de cultura no mundo dos negócios e não há espaço para a sobrevivência das empresas que não dão o devido valor aos seus dados e os deixam à deriva.

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

19


Corporativo por Luiz Marins

Pessoas que fazem a diferença

Luiz Marins é antropólogo e escritor. Site: www.marins. com.br

20

L

igo numa empresa para comprar um produto. A pessoa que me atendeu disse ser impossível vender nas condições que eu queria. Colocou uma série de empecilhos e disse mesmo que eu deveria desistir daquela compra. Desliguei e liguei em seguida para a mesma empresa. Outra pessoa atendeu e com essa outra pessoa, na mesma empresa, no mesmo número de telefone, tudo foi possível ! A cada problema ela encontrava uma solução, a cada dificuldade ela achava uma saída fácil. Efetuei a compra num processo ganha-ganha. Bom para mim, como cliente. Bom para e empresa que vendeu o seu produto e recebeu o preço acordado.

Perguntei à segunda vendedora se ela tinha feito alguma condição especial para mim, para fechar o negócio e ela disse que não. Apenas tinha seguido todas as orientações da sua empresa. Contando esse caso para outras pessoas, várias me afirmaram ter acontecido o mesmo com elas. “Há pessoas comprometidas com o sucesso de sua empresa e de seus clientes e há pessoas que não estão nem aí”, afirmou um de meus amigos. Como antropólogo quis me aprofundar nesse caso. Liguei para a empresa e conversei com o gerente relatando o que havia acontecido comigo. Quando dei o nome das pessoas com quem havia conversado, ele simplesmente afirmou que aquela pessoa que havia me atendido bem e com sucesso era uma das mais respeitadas e consideradas vendedoras da sua empresa. E me disse: “o Sr. deve saber. Em toda empresa há pessoas que fazem a diferença. Ela é uma delas”. Acredito que isso já tenha acontecido com você, leitor desta mensagem. E imagino também o sentimento de frustração que sentiu ao ver que poderia ter realizado um bom negócio, do tipo ganha-ganha e aquela determinada empresa perdeu, por total culpa de alguém desengajado, descomprometido. Agora olhemos para nossa própria organização ou empresa. As pessoas que temos, fazem a diferença ? Você, dono, diretor ou gerente de uma empresa, já tentou comprar, anonimamente de sua própria empresa ? Qual atendimento recebeu ? Você tem em sua empresa ou organização pessoas que fazem a diferença ? Como multiplicar as atitudes e comportamentos dessa pessoas excelentes para o restante do nosso time ? E você ? Você faz a diferença ? Pense nisso. Sucesso ! 


Depoimento

O ano de 2020 pelos principais representantes do setor automotivo

E

m dezembro de 2019 ocorreu um recorde de licenciamentos de autoveículos: 262,6 mil unidades. Esse é o melhor resultado mensal desde os 370 mil de dezembro de 2014. Também foi a melhor média diária de vendas em seis anos, com 13.173 unidades. Com esses números, o Brasil fechou o ano com 2,57 milhões de autoveículos licenciados, o que deve levar o país a saltar da 8ª para a 6ª posição no ranking global, superando França e Reino Unido. O Brasil deve ficar apenas atrás de mercados como China, EUA, Japão, Alemanha e Índia. Luiz Carlos Moraes presidente da ANFAVEA - Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores - afirma que a entidade prevê para 2020 um aumento de 9,4 % no licenciamento de autoveículos, índice maior que o de 2019, e mais relevante ainda dada a maior base de comparação do ano anterior. “Todos os indicadores da economia brasileira apontam para um ano de recuperação mais robusta: alta de 2,5% no PIB em 2020, inflação controlada, emprego em leve recuperação, juros mais baixos e maior confiança do consumidor. São números mais animadores que os do ano passado, mas ainda insuficientes para que retomemos os picos de vendas e produção verificados um pouco antes da grave crise de 2014 a 2016. O Brasil está no sentido correto das reformas estruturais e do saneamento da máquina pública, mas precisa ser ainda mais ambicioso no sentido de avan-

22

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

çar nas reformas e privatizações, e sobretudo no ataque ao Custo Brasil. Só teremos uma recuperação duradoura quando o país eliminar os gargalos tributários, logísticos e burocráticos que prejudicam toda a indústria ”, afirma o presidente da ANFAVEA. Já Alarico Assumpção Júnior, presidente da FENABRAVE - Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - afirma que: “pelo terceiro ano consecutivo, as vendas de veículos registraram crescimento, chegando a 10,5 % no ano passado. Mês a mês, fomos confirmando esse cenário de consolidação da recuperação do mercado, deixando, para trás, os anos de queda, impactados pela crise econômica, que atingiu nosso País. E, com este horizonte, a FENABRAVE acredita em um novo ciclo de expansão para 2020, devendo chegar a 9,6 % sobre o ano passado, considerando todos os segmentos somados, lastreado em uma perspectiva de estabilidade econômica e política no cenário nacional”. Paulo Miguel Junior, presidente do Conselho Nacional da ABLA e diretor da Confederação Nacional do Transporte (CNT): “Em 2020, o mercado continuará a se movimentar. Acredito que com o novo desempenho da economia, a diminuição do desemprego, a baixa da taxa de juros e a volta do crédito para as pessoas jurídicas, as vendas ao varejo retomem seu lugar”, avalia.


Jordi Solé, diretor da AIAFA – Associação Internacional de Administradores de Frotas de Automóveis Brasil – afirma que a gestão de frotas e de mobilidade ainda tem muito a crescer no Brasil. “Temos ótimas expectativas e oportunidades para 2020, que deverá ter um contexto econômico favorável para os investimentos”, diz. De acordo com Paulo Roberto Rossi, presidente Executivo da ABAC – Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios – para 2020 as expectativas são otimistas e de continuidade de crescimento. “Os estudos realizados pela assessoria econômica da ABAC estimam aumento geral de vendas de novas cotas variando de 7 % a 12 %. Ao considerar a constante redução das taxas de juros, inflação abaixo da meta, bem como as reformas da previdência - já aprovada - e o encaminhamento da tributária e da administrativa, permitimo-nos avaliar um cenário melhor para o mercado consumidor de veículos leves, incluindo frotas de automóveis, vans, utilitários e comerciais leves, já considerando a paulatina recuperação dos empregos e a alavancagem de novos negócios”. A Revista Frota & Mercado conversou com Marcelo Christiansen, presidente da ABRABLIN - Associação Brasileira de Blindagem. Especificamente sobre o mercado de blindados no Brasil ele afirma que: “o ano de 2019 apresentou desafios. O setor apresentou queda de cerca de 7 %, em boa parte por consequência também da redução na venda de veículos da chamada linha Premium. Contudo, para 2020, a expectativa é de retomar essa fatia perdida, ou seja, entre 5 % e 8 %”. Já Marcos Fermanian, presiden-

te da ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – afirma que a entidade fechou o ano de 2019 comemorando o crescimento de 6,8 % na produção de motocicletas na comparação com 2018. E para 2020 a expectativa é de uma evolução de mais 6,1 %. Ricardo Guggisberg, presidente da ABVE - Associação Brasileira do Veículo Elétrico - comemora os resultados do ano passado. “A notícia passou meio despercebida, mas foi uma das mais importantes dos últimos tempos: 2019 foi um ano revolucionário para a mobilidade elétrica no Brasil. De janeiro a dezembro, nada menos de 11.858 veículos elétricos (autos e comerciais leves híbridos ou 100% elétricos) foram emplacados no país”. De acordo com especialistas ouvidos pela Revista Frota & Mercado deve haver um aumento superior a 9 % no número de licenciamento de autoveículos, em comparação ao ano anterior. Os indicadores da economia brasileira também são otimistas, prevendo uma recuperação de alta de 2,5 % no PIB em 2020, ao permanecer com a inflação controlada, com o emprego em recuperação, maior confiança do consumidor, juros mais baixos, oferta de crédito crescente, programa de privatizações, continuidade das Reformas e gestão orçamentária eficiente. Uma pesquisa realizada em novembro de 2019, realizada pela ANFAVEA e Webmotors, revelou que 88 % dos entrevistados pretendem trocar de carro neste ano. E destes, 70 % esperam trocar de veículo ainda no 1º semestre de 2020. Com o aquecimento do mercado interno, e sem os prejuízos ocasionados pelos impactos do novo coronavírus, a indústria automobilística deve produzir pelo menos 7 % mais veículos que o ano anterior.

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

23


Mercado

Os modelos mais vendido HATCH COMPACTO

SEDÃ MÉDIO

24

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

COMERCIAIS LEVES

1º Chevrolet Onix 241.214 unidades

1º Fiat Strada 76.223 unidades

2º Ford Ka 104.331 unidades

2º Fiat Toro 65.566 unidades

3º Hyundai HB20 101.590 unidades

3º Volkswagen Saveiro 42.270 unidades

4º Renault Kwid 85.117 unidades

4º Toyota Hilux 40.419 unidades

5º Volkswagen Gol 81.285 unidades

5º Chevrolet S10 32.161 unidades

1º Toyota Corolla 56.727 unidades


os do Brasil por segmento SEDÃ COMPACTO

SUV

1º Chevrolet Prisma 73.721 unidades

1º Jeep Renegade 68.726 unidades

2º Ford Ka Sedan 51.260 unidades

2º Jeep Compass 60.362 unidades

3º Volkswagen Virtus 46.876 unidades

3º Hyundai Creta 57.460 unidades

4º Hyundai HB20S 34.893 unidades

4º Nissan Kicks 56.062 unidades

5º Volkswagen Voyage 32.055 unidades

5º Honda HR-V 49.488 unidades

2º Honda Civic 27.318 unidades

3º Chevrolet Cruze Sedan 17.829 unidades

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

25


Mercado

Os números de 2019 A produção de Automóveis e Comerciais Leves montados em 2019 foi de 2.803.841 unidades. Em 2018 foram 2.747.339 unidades. Em 2019, São Paulo manteve a fatia de 40,1 % de unidades fabricadas. O Paraná produziu 15 %. As demais Unidades da Federação foram: Minas Gerais com 10,7 %; Rio Grande do Sul com 10,7 %; Bahia com 7,5 %; Pernambuco com 7,5 %; Rio de Janeiro com 6,7 %; Goiás com 1,4 % e Santa Catarina com 0,3 %.

26

Os automóveis movidos a Gasolina produzidos foram 363.950. Os Flex, 2.048.939. E os veículos a Diesel foram 35.711. Já os Comerciais Leves a Gasolina produzidos foram 45.046. Os Flex foram 211.954 e 98.351 movidos com Diesel. Foram licenciados em 2019 um total de 2.262.069 automóveis e outros 403.514 Comerciais Leves, totalizando o licenciamento de 2.665.582. Em 2018 esse número foi de 2.475.338, ou seja, uma diferença de 190.244 unidades a mais que no ano anterior.

GM

FCA – FIAT –JEEP

VOLKSWAGEN

RENAULT

475.747 unidades

496.083 unidades

411.006 unidades

239.150 unidades

FORD

TOYOTA

HYUNDAI

HONDA

218.608 unidades

216.899 unidades

193.265 unidades

129.130 unidades

NISSAN

PSA – PEUGEOT – CITROEN

CAOA

HPE – MITSUBISHI – SUZUKI

96.088 unidades

47.781 unidades

35.304 unidades

MERCEDES-BENZ

BMW

AUDI

19.608 unidades

14.782 unidades

8.711 unidades

MAN

CNH IVECO

OUTRAS MONTADORAS

3.497 unidades

3.033 unidades

23.738 unidades

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

25.457 unidades JAGUAR – LAND ROVER 7.695 unidades


Frota & Mercado - Anuรกrio 2020/Marรงo 2020

27


Mercado

Quem vendeu mais em 2019 ! Em 2019 a venda de carros novos no Brasil cresceu 7,6 %, na comparação com o ano anterior. De acordo com a FENABRAVE - Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - no ano passado foram 2.658.927. Em 2018 foram 2.470.005 comercializados. Dentre as 20 montadoras que mais venderam em 2019 nenhuma novidade em relação ao ano anterior, apenas trocas de

posições e crescimento considerável de algumas marcas. Um dos destaques foi a Renault. A comercialização do Kwid, um dos carros mais vendidos no Brasil, levou a marca para a 4ª posição com 85.117 emplacamentos ! São destaques também os números da Caoa Chery, que ocupa agora a 14ª posição.

As 20 marcas mais vendidas em 2019 no Brasil

475.684 unidades

414.481 unidades

366.135 unidades

239.227 unidades

218.527 unidades

215.681 unidades

207.656 unidades

129.463 unidades

129.118 unidades

96.083 unidades

26.513 unidades

21.881 unidades

21.612 unidades

20.182 unidades

13.142 unidades

12.206 unidades

9.274 unidades

8.707

7.915 unidades

5.875 unidades

CHEVROLET

FORD

HONDA

VOLKSWAGEN

TOYOTA

NISSAN

PEUGEOT

MERCEDES-BENZ

FIAT

HYUNDAI

CITROËN

CHERY

KIA

VOLVO

28

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

RENAULT

JEEP

MITSUBISHI

BMW

AUDI

LAND ROVER


Notas

Tesla apresenta carro à prova do novo coronavírus

O modelo Tesla Model X da fabricante norte-americana de carros elétricos oferece, entre diversos equipamentos, os filtros de ar-condicionado HEPA, ou seja, fabricado para a “absorção de partículas de alta eficiência”. O equipamento pode barrar até os menores elementos da atmosfera, inclusive o novo coronavírus. Durante seu lançamento, a empresa afirmou que o SUV é “à prova de ataques bioterroristas”. Vendida como opcional nos Estados Unidos, a proteção também será estendida ao sedã Model S. Os filtros especiais nos carros da Tesla já saem de fábrica. Com proteção biológica, possuem uma configuração exclusiva do ar-condicionado que acionado pelo condutor, a velocidade do ventilador aumenta para enviar mais ar à cabine e cria uma pressão positiva no interior do carro. Essa técnica é também utilizada em estufas de pintura, onde impede que partículas externas entrem no carro sem passar pelo filtro - que chega a ser dez vezes maior. A recirculação também é parcialmente ativada, restringindo ainda mais a entrada de ar no carro. Para a proteção ser totalmente eficaz, todos os compartimentos

do carro devem estar fechados. O modo Bioweapon dos veículos Tesla é recomendado para uso constante sempre que o veículo trafegar em locais de risco, como em engarrafamentos ou onde há grandes aglomerações de pessoas. Modelos da Tesla foram utilizados também em outros momentos delicados. Durante o longo período de incêndios na Califórnia (Estados Unidos), proprietários de Tesla X e S afirmaram que o filtro foi capaz de impedir a entrada da fumaça, oriunda das grandes queimadas. Questionado se a proteção viral também poderia ser aplicada a outros modelos, como o Model 3, Elon Musk, CEO da Tesla, a montadora explicou que “por conta da limitação de espaço dentro do painel, o sedã de entrada não é capaz de adotar os enormes filtros exigidos para entregar a proteção biológica dos modelos maiores”. No Brasil, os modelos novos da Tesla são comercializados por encomenda por meio de importação independente. Já existem encomendas da picape Cybertruck, que deve chegar com proteção biológica de fábrica. Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

29


ANFAVEA por Luiz Carlos Moraes

Como enfrentar a mais disruptiva das décadas

A

Luiz Carlos Moraes

Presidente da ANFAVEA

30

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

década de 1920 foi a mais importante na história da indústria automobilística e da mobilidade global até hoje. Terminada a Primeira Guerra, houve uma fase de calmaria internacional e de crescimento econômico que impulsionou a produção de veículos a combustão. Foi nos anos 20 que o automóvel se consolidou como um fenômeno de vendas, espalhando pelo planeta o conceito de linha de montagem. Em 1921, o Brasil começava a montar o Ford T, a exemplo de vários outros países. Em 1925, a média diária de produção desse único modelo no mundo chegou a 10 mil carros, ou impressionantes 2 milhões por ano. A produção de veículos em massa chegava como uma revolução em escala planetária, fenômeno que perdura até hoje. Esse breve recuo de 100 anos serve para fazer um paralelo com os anos 20 que se iniciam agora, e que tendem a ser tão ou mais impactantes em termos de transformação tecnológica, econômica e de hábitos. Poucos futuristas se arriscam a apostar como estarão o setor automotivo e a mobilidade daqui a 10 anos. O modelo de negócio de toda a cadeia automotiva está em rápida transformação, num nível visto apenas 100 anos atrás, quando a propulsão animal desapareceu quase por completo. Alternativas de propulsão são uma imposição ambiental na maioria dos países

onde se produzem veículos. A automação avança em ritmo acelerado, assim como a conectividade entre veículos e até entre cidades e estradas “inteligentes”. O compartilhamento é outra tendência inexorável, que coloca empresas de tecnologia e startups em condições de colaborar ou competir com os tradicionais fabricantes/comerciantes de veículos e componentes. Um mundo em rápida transformação exige pesados investimentos por parte de todos os jogadores deste complexo tabuleiro. E não deixa espaço para quem não entrar no ritmo dessas profundas mudanças. Esse contexto impõe um desafio e tanto para a ANFAVEA, uma associação que representa 26 marcas que produzem mais de 2.000 modelos e versões em 65 fábricas, com presença em 43 cidades de 10 estados da federação. Década perdida e socorro internacional Apesar da recuperação verificada nos últimos três anos, o setor automotivo brasileiro enfrentou seu momento de maior crise ao longo da década iniciada em 2010. A média de crescimento anual do PIB nesses 10 anos foi de meros 1,39%. Ou nada, se considerarmos o aumento populacional. É triste constatar que o Brasil viveu uma década de estagnação. Para o setor automotivo o tombo foi ainda mais feio. Comemoramos em 2019


um mercado interno de 2,78 milhões (8,4% a mais que em 2018), porém 1 milhão abaixo do pico de vendas verificado em 2012. Na produção, chegamos a 2,94 milhões no ano passado, cerca de 800 mil aquém do recorde de 2013. Essa depressão só pôde ser suportada graças ao ingresso líquido de US$ 24,1 bilhões na última década (dados do Banco Central), num evidente socorro vindo das matrizes às operações brasileiras. Se a produção e as vendas internas se recuperam (em especial no segmento de pesados, que sinaliza a volta do PIB), o mesmo não se pode dizer das exportações. Já são dois anos de quedas abruptas. O Brasil vive um paradoxo: produz veículos cada vez mais alinhados com o que de mais moderno existe no mundo, mas não consegue exportar em grandes volumes nem para alguns de seus vizinhos de fronteira. Ainda somos reféns do mercado argentino e de suas constantes crises. Somos extremamente competitivos como indústria. Poucos países têm uma lista de fabricantes tão extensa como o Brasil. Temos mais de duas dezenas de multinacionais disputando mercado de forma acirrada. Mas essa força termina quando saímos dos nossos limites geográficos. Por uma série de motivos, nossos produtos não chegam com preços competitivos a outros países. Se produzimos veículos em fábricas similares às de nossas matrizes europeias, americanas ou orientais, por que não conseguimos ingressar em outros mercados? A resposta está no Custo Brasil, que vai muito além da altíssima carga tributária. Nossos preços são impactados negativamente pelo manicômio tributário brasileiro, que nos consome recursos até para cálculos de tributos (cerca de R$ 2,3 bilhões por ano). A essa complexidade fiscal se somam as deficiências de nossa infraestrutura e a burocracia que acaba onerando em 12% nossas exportações, só em resíduos tributários.

Devemos ambicionar mais O atual governo trabalha para ampliar o comércio exterior, o que é muito positivo. Um exemplo é o acordo de livre comércio com a União Europeia, em fase de elaboração dos textos legais para posterior validação dos parlamentos, e que prevê reduções anuais das proteções alfandegárias, até zerar as alíquotas em 15 anos. A Anfavea defende o livre comércio. Uma indústria saudável deve competir por espaço no mercado interno e em outros países. Quanto mais fluxo comercial (importações e exportações), melhor para o país. Mas a contrapartida deve ser a rápida e radical redução do Custo Brasil. Só assim teremos uma indústria competitiva no país, e não falo apenas do setor automotivo. Os desafios estão sobre a mesa, e precisam de muito trabalho e responsabilidade por parte dos poderes Executivo e Legislativo. De nossa parte, a Anfavea tem contribuído para a compreensão dos desafios necessários para melhorar o ambiente de negócios do país. As reformas Tributária e Administrativa são urgentes, mesmo em ano de eleições municipais. Assim como ocorreu nos anos 20 do século XX, estamos no auge de uma transformação radical que em poucos anos terá deixado pelo caminho quem não estiver atento, não se adaptar e não ousar. O Brasil está se recuperando de uma década perdida, mas precisa ser mais ambicioso se quiser crescer de forma mais rápida e sustentável, se quiser mais e melhores empregos, se quiser se firmar como um país mais relevante no cenário global. Que estejamos todos preparados para esta década, pois ela dá todos os sinais de ser uma divisora de águas em termos históricos. Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

31


AIAFA por Jaume Verge

De gestores de frotas a gestores de mobilidade corporativa

E

Jaume Verge

Vice-presidente executivo da AIAFA

32

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

m constante evolução, a mobilidade tem se tornado cada vez mais dinâmica e complexa, com novas demandas, novos atores e novos modelos de negócio baseados na sustentabilidade. O surgimento de soluções e serviços inovadores – como Mobility as a Service (MaaS), car-sharing ou transporte sob demanda – é uma clara demonstração dessa evolução. Por isso, dentro da nossa missão de contribuir para o desenvolvimento profissional dos nossos associados, em 2019 atualizamos nosso nome e introduzimos o eixo Mobilidade Corporativa na nossa marca: somos agora a AIAFA - Associação Internacional de Administradores de Frotas e de Mobilidade. É que a Mobilidade Corporativa – entendida como a tendência que usa recursos e tecnologias para facilitar o deslocamento dos empregados de casa ao trabalho e também dos trabalhadores para realizar suas tarefas profissionais – tem ampliado as atribuições e a relevância dos gestores de frotas. De olho nessa tendência, a AIAFA atua para que os gestores de frotas evoluam para gestores de mobilidade corporativa. Enfrentamos muitos desafios porque, muitas vezes, por desconhecimento ou por falta de alternativas, apenas uma pequena parte desses profissionais tem incluído soluções mais sustentáveis como car-sharing, cartões de transporte coletivo, bicicletas ou patinetes elétricos no momento de renovar as frotas. Ao ouvir os desafios e anseios dos gestores e da área de frotas das empresas, percebemos que ainda é muito incipiente a introdução de alternativas econômicas e sustentáveis aos automóveis e veículos comerciais leves destinados à mobilidade de trabalhadores e empregados. Mas reforçamos que é cada vez mais im-

prescindível que o gestor de frotas se adapte a essa nova realidade e domine as novas fórmulas e soluções de mobilidade com foco nas necessidades de sua empresa, especialmente aquelas mais ligadas à responsabilidade ambiental. Os elevados custos inerentes à aquisição, à manutenção e à gestão de veículos corporativos, entre outros fatores, devem levar os gestores a buscarem alternativas mais econômicas e sustentáveis. Mais do que nunca, é necessário que as empresas repensem suas políticas de mobilidade no sentido de desestimular o uso do veículo privado. E essa nova tendência permeia todas as ações da AIAFA e estarão presentes também na agenda de eventos programados para 2020, um ano especial porque completamos dez anos de atuação no Brasil. Cada vez mais demandados, os “Workshops AIAFA Brasil de Gestores de Frotas e de Mobilidade” seguem em expansão e chegarão ao mercado do Nordeste: pela primeira vez, realizaremos uma edição em Salvador, além dos eventos já consolidados nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. No próximo dia 11 de agosto, promoveremos mais um “Dia da Frota”, uma oportunidade exclusiva para gestores de frotas e de mobilidade testarem as novidades das montadoras no emblemático Circuito de Interlagos. No segundo semestre, também organizaremos a oitava edição do “Congresso AIAFA Brasil de Gestores de Frotas e de Mobilidade”, que agora passa a ser um evento anual. Com essa ampla oferta de eventos, aliada ao conteúdo de qualidade de nossas publicações dirigidas aos gestores de frotas e de mobilidade – especialmente a revista AIAFANews, queremos contribuir para a profissionalização do setor frotista no Brasil, uma missão que assumimos há 10 anos.


FENABRAVE por Alarico Assumpção Júnior

Crescendo com o Brasil !

O

Alarico Assumpção Júnior

Presidente da FENABRAVE

Setor da Distribuição Automotiva comemorou ótimos resultados em 2019. Pelo terceiro ano consecutivo, as vendas de veículos registraram crescimento, chegando a 10,5% no ano passado. Mês a mês, fomos confirmando esse cenário de consolidação da recuperação do mercado, deixando, para trás, os anos de queda, impactados pela crise econômica, que atingiu nosso País. Embora as expectativas, com relação ao cronograma de aprovação das Reformas necessárias ao País, não tenham sido, plenamente, atendidas, as decisões do Governo Federal, que visaram impulsar a economia, mostraram reflexos positivos já no primeiro ano de mandato, reforçando a nossa confiança nas transformações que o Brasil ainda viverá pela frente. Destaco aqui medidas que influenciaram na constante redução das taxas de juros, que contribuíram para a maior oferta de crédito que, para o Setor da Distribuição de Veículos, é, simplesmente, vital. E, com este horizonte, a FENABRAVE acredita em um novo ciclo de expansão para 2020, devendo chegar a 9,6 % sobre o ano passado, considerando todos os segmentos somados, lastreado em uma perspectiva de estabilidade econômica e política no cenário nacional. Atualmente, a aprovação do crédito, para automóveis e comerciais leves, está em 70 % e, para motos, em 40 %. Ou seja, a qualidade do cadastro aumentou significativamente. Com isso, as previsões da FENABRAVE é que tanto os segmentos de automóveis e comerciais leves, como o de motocicletas, aumentem 9% suas vendas, em 2020. A projeção de 2 % para o PIB em 2020, também favorece os segmentos de Caminhões e Implementos Rodoviários, que devem alcançar crescimento de 24 % e 23 %, respectivamente, sobre o ano passado. Com a esperada recuperação dos níveis de emprego, baixas taxas de juros e inflação sob controle, é natural que a população se sinta mais confiante para o consumo e que o empresário decida por novos investimentos. Assim, vamos seguir confiantes no nosso Governo e no nosso País, aguardando e apoiando as Reformas pendentes, principalmente, a Tributária, que deve agregar mais eficiência para todos os setores. Como responsáveis por 4,5 % do PIB Nacional e pela geração direta de mais de 380 mil empregos, as mais de 7 mil Concessionárias de veículos, existentes em mais de 1.000 municípios, possam, juntas, continuar ajudando a elevar o Brasil a novos e cada vez melhores patamares de desenvolvimento econômico e social. Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

33


ABVE por Ricardo Guggisberg

Um ano de ouro para a eletromobilidade no Brasil

A

Ricardo Guggisberg

é presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico

34

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

notícia passou meio despercebida, mas foi uma das mais importantes dos últimos tempos: 2019 foi um ano revolucionário para a mobilidade elétrica no Brasil. De janeiro a dezembro, nada menos de 11.858 veículos elétricos (autos e comerciais leves híbridos ou 100% elétricos) foram emplacados no país, segundo os números Renavan/Anfavea compilados pela ABVE. O estoque total de veículos eletrificados (VEs) nas ruas brasileiras chegou a 22.524 unidades no final de 2019. O que significa 22.524 veículos elétricos num universo de 42.432.125 automóveis e comercias leves, segundo o Relatório da Frota Circulante do Sindipeças de 2018 ? Numa conta fria e distraída, significa apenas 0,053 % do total do país. Na realidade, porém, eles expressam uma tendência muito semelhante àquela já constatada por vários países da Europa e da Ásia na última década: um crescimento exponencial da frota elétrica num curto intervalo de tempo. Vejamos: 1 - Só em dezembro de 2019, o Brasil emplacou 2.409 veículos elétricos e híbridos – cinco vezes mais do que os 437 de dezembro de 2018. 2 - O total de VEs emplacados/vendidos em 2019 é simplesmente o triplo de 2018 – 11.858, contra 3.970. 3 - As vendas de veículos elétricos/híbridos em 2019 (11.858) foram mais de dez vezes superiores às de 2016 (1.091). Em quatro anos, o mercado decuplicou. 4 - O estoque total de veículos eletrificados no Brasil em 2019 (22.524) corres-

ponde a quatro vezes mais do que o de 2016 (3.400) e a quase dez vezes mais do que o de 2015 (2.309). 5 - Em janeiro de 2020, a tendência se manteve: foram 1.508 VEs emplacados quatro vezes mais do que os 370 de janeiro de 2019. Crescimento Os consumidores reagiram positivamente aos modestos estímulos de 2018 – especificamente, a novas alíquotas de IPI para veículos elétricos e híbridos definidas pelo programa automotivo Rota 2030 e pelo Decreto nº 9.442. E a indústria fez a sua parte. 2019 foi um ano difícil para o mercado automobilístico em geral no Brasil, mas não para os veículos elétricos e híbridos. Além da Toyota (que liderou as vendas no segmento, com o Corolla Híbrido Flex e o RAV 4), a maioria das marcas apresentou produtos para esse mercado e teve um bom desempenho. Renault, Mercedes-Bens, BMW, Porsche, Volvo, Lexus, Jaguar (com o novo I Pace) e JAC, entre outras empresas, venderam mais elétricos híbridos ou elétricos puros do que no ano anterior. Até mesmo os BEVs (veículos 100% elétricos a bateria) cresceram cerca de 200% sobre 2018, indicando que o mercado está receptivo a todas as configurações de veículos eletrificados. Eletropostos Ao mesmo tempo, cresceu a oferta de postos públicos de recarga elétrica. Empresas de energia e empresas automobilísticas se uniram para facilitar a vida do eletromotorista.


No final de outubro, por exemplo, Volkswagen, Audi e Porsche anunciaram com a EDP um plano para instalar 30 eletropostos em sete rodovias paulistas. Eles se somarão aos seis eletropostos do corredor elétrico na Via Dutra (parceria entre EDP e BMW), aos 11 da Eletrovia Paranaense, ligando Foz do Iguaçu a Paranaguá (projeto da Copel), e aos dois pontos de recarga no Sistema Anhanguera/Bandeirantes, entre São Paulo e Campinas (iniciativa da CPFL Energia e Rede Graal). A meta da EDP é criar um corredor elétrico atlântico, desde o Espírito Santo até Santa Catarina e, depois, até o Uruguai e Argentina. Ainda assim, os 250 ou 300 eletropostos públicos em operação em todo o país (se tanto) são um número inexpressivo em face da demanda potencial. Este é, hoje, um dos principais gargalos para o desenvolvimento da eletromobilidade no Brasil. Mas é também uma grande oportunidade para empresas de geração e distribuição de energia, fabricantes de equipamentos elétricos e, claro, montadoras de veículos. O fundamental é que os consumidores e as empresas recebam os estímulos corretos e sintam-se confiantes em apostar na eletromobilidade. Governos Para consolidar esse ambiente favorável, a ação dos poderes públicos é indispensável. Nesse terreno, tivemos avanços e recuos em 2019. O destaque positivo foi a decisão do governador Ratinho Júnior de isentar o pagamento de IPVA para os compradores de veículos 100% elétricos no Paraná. O governo paranaense também tomou uma iniciativa inédita, ao propor ao CONFAZ - Conselho de Secretários Estaduais da Fazenda, a isenção de ICMS para veículos elétricos, abrindo um debate nacional sobre o tema. Mas, em São Paulo, a maior cidade do país, a agenda da eletromobilidade enroscou-se num emaranhado de problemas judiciais, regulatórios e políticos. A licitação que se seguiu à revolucionária lei municipal 16.802/2018 (que fixou um cronograma de troca dos ônibus a diesel por veículos de baixa emissão) atolou-se numa série de impasses. Hoje, dois anos depois da promulgação da lei, apenas 15 ônibus elétricos novos entraram em operação (o total da frota paulistana é de 14.400 veículos). Já a lei de 2015 que estabeleceu o desconto da parte municipal do IPVA para proprietários de veículos elétricos ainda não “pegou”, e compradores paulistanos seguem tendo problemas para obter o benefício.

Por fim, cabe citar a dificuldade de diálogo entre operadores de serviços de veículos elétricos levíssimos e as autoridades de transporte de São Paulo. As imagens de fiscais da Prefeitura apreendendo e jogando patinetes elétricos na caçamba de um caminhão, em maio de 2019, na Avenida Faria Lima, ficarão marcadas como exemplo de insensibilidade para a nova realidade da mobilidade urbana nas grandes cidades. Brasília Em compensação, há sinais de que a agenda da eletromobilidade avança em Brasília, tanto no governo federal quanto no Congresso. Há dois projetos relevantes sobre o tema em tramitação no Senado: o PL 454, que fixa prazo até 2060 para a proibição de venda de veículos a combustível fóssil no Brasil, e o PL 302, que reduz aquele limite para 2030. Nem oito e nem oitenta. O desafio do Congresso será encontrar um meio termo entre as urgentes exigências ambientais do país e a viabilidade econômica da eletromobilidade. O certo é que em 2020 haverá um intenso debate legislativo sobre o tema em Brasília, do qual todos estamos, desde já, convocados a participar. Finalmente, cabe chamar a atenção para a Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica, cujas bases foram lançadas em 2019 numa reunião na Fiesp. A PNME talvez seja a mais promissora iniciativa de política pública sobre eletromobilidade em curso no Brasil. É uma iniciativa conjunta dos governos do Brasil e da Alemanha, por meio da Agência de Cooperação Econômica Alemã (GIZ) e do Ministério da Economia. Seu objetivo é integrar empresas, associações empresariais, universidades e diferentes instâncias do governo federal para viabilizar projetos e buscar os recursos necessários. De seu Conselho Gestor fazem parte representantes da ABVE, Ministério da Economia, Ministério do Desenvolvimento Regional, BNDES e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, entre outros. A meta final é elaborar um plano nacional de mobilidade elétrica e preparar a estratégia de transição para o fim dos combustíveis fósseis no Brasil. A PNME foi mais uma das boas notícias para a eletromobilidade em 2019. Ela prova que a agenda do transporte limpo e sustentável encontra eco no governo federal, nas empresas e no mercado. Tornou-se irreversível. O meio ambiente e a saúde pública agradecem. Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

35


ABLA por Paulo Miguel Junior

Varejo e as Vendas Diretas

A

Paulo Miguel

Junior é empresário, advogado,

Presidente do Conselho Nacional

da ABLA e diretor da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

36

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

o fazer uma avaliação de 2019 e, ao mesmo tempo, já pensar sobre quais as perspectivas para 2020, um aspecto nos chama a atenção. O público, em geral, tem sido pautado por informações que, muitas vezes, têm como base manchetes que mais servem para atrair a atenção de incautos do que trazer a verdade dos fatos em si. Podemos perceber tal viés quando se fala do mercado automotivo, que pode ser dividido em duas frentes: o mercado corporativo (B2B) e o mercado do varejo (B2C). O primeiro é movimentado pelas vendas diretas das montadoras e o segundo pela venda individual realizada por concessionárias. O mercado corporativo, segundo publicação da Anfavea – feita no início de 2020 –, vem mantendo sua atividade na última década com suas compras variando entre 800 mil e 1,2 milhão de unidades por ano. Isso mostra que, mesmo diante de todas as crises que o Brasil tem passado, por sermos um país voltado ao transporte por rodovias, o mercado corporativo manteve sua demanda e a renovação de frota necessária à continuidade dos negócios. Por outro lado, as vendas ao varejo não acompanharam tal movimentação. As crises econômicas fizeram com que houvesse diminuição de crédito às pessoas físicas. E, também, os juros, o desemprego, a queda da renda média das famílias e a preocupação com o futuro ajudaram a fazer com que o varejo se retraísse. As pessoas passaram a pensar duas vezes antes de adquirir novos veículos e, com isso, terem de enfrentar financiamento de longo prazo, razões que também fizeram com que as vendas ao varejo encolhessem nos últimos 10 anos em comparação com o mercado corporativo, variando negativamente de 2,8 milhões para 1,5 milhão de unidades vendidas no varejo. Na análise comparativa de desempenho da indústria automobilística, muitos somente focam em dizer que houve um aumento de vendas diretas de 23% para 45%, entre 2013 e 2019. Trata-se de uma estatística que chama a atenção, porém deixa de explicar os motivos relatados acima. Na verdade, o mercado vem mantendo sua média de produção para os clientes corporativos sem grande variação em unidades, numa tendência de crescimento orgânico. Foi o varejo que deixou de comprar veículos e foi isso que provocou a queda de produção das indústrias. Outro fato importante é que em todas as vendas, tanto no varejo como para o mercado corporativo, as entregas dos veículos são feitas por meio de concessionárias das marcas, respeitando a Lei 6.729/70 (Lei Ferrari), que obriga que toda entrega de veículos novos seja feita por uma concessionária, com sua devida remuneração. Diante desses fatos, não há razão para o alarde feito sobre o aumento de vendas diretas: elas continuam a ser o que sempre foram. Em 2020, o mercado continuará a se movimentar e, acredito que com o novo desempenho da economia, a diminuição do desemprego, a baixa da taxa de juros e a volta do crédito para as pessoas jurídicas, as vendas ao varejo retomem seu lugar. Dessa forma, a porcentagem da venda direta referente ao total de vendas ao mercado irá diminuir, mas manterá a média histórica em termos de unidades vendidas, conforme apresentado pela Anfavea.


ABAC por Paulo Roberto Rossi

2020 é o ano do consórcio

D

Paulo Roberto Rossi

Presidente Executivo

ABAC Associação Brasileira de

Administradoras de Consórcios

urante 2019, o Sistema de Consórcios apresentou resultados positivos, inclusive com recorde histórico de 2,87 milhões de adesões, mesmo com as oscilações político-econômicas vivenciadas no primeiro ano do novo governo e com o saldo advindo de reaquecimento pós-crise. Para 2020, as expectativas são otimistas e de continuidade de crescimento. Os estudos realizados pela assessoria econômica da ABAC estimam aumento geral de vendas de novas cotas variando de 7 % a 12 %. Ao considerar a constante redução das taxas de juros, inflação abaixo da meta, bem como as reformas da previdência - já aprovada - , e o encaminhamento da tributária e da administrativa, permitimo-nos avaliar um cenário melhor para o mercado consumidor de veículos leves, incluindo frotas de automóveis, vans, utilitários e comerciais leves, já considerando a paulatina recuperação dos empregos e a alavancagem de novos negócios. Os ajustes periódicos realizados na taxa básica de juros, por exemplo, provocam duas reações no mercado consumidor. A primeira é o desestímulo dos investidores em aplicações financeiras com baixa rentabilidade. Como consequência, a segunda está nas pessoas que ficam mais propensas a comprar no presente, abdicando do objetivo de contar com uma reserva financeira para se precaver de eventuais novas crises no futuro. Por outro lado, com o aquecimento do consumo, as empresas deverão produzir mais, tendo como consequência um ciclo de crescimento econômico. Muitos consumidores, ao vislumbrarem baixa rentabilidade em suas aplicações financeiras, poderão optar pelo imediatismo e a compra por impulso. Já para aqueles que administram suas finanças pessoais com responsabilidade e planejamento, tem no consórcio a oportunidade de poupar com objetivo definido e, assim, concretizar suas metas de forma simples e econômica. Nesse sentido, esse expressivo setor da economia nacional poderá promover a necessária renovação ou ampliação da frota de seus veículos. Ao acompanhar as projeções da ANFAVEA - Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores e da FENABRAVE - Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores de aproximadamente 9 % a 10 % na produção e na comercialização de veículos, a presença dos consórcios, incluindo novos e seminovos comerciais, poderá alcançar marcas significativas ao longo deste ano. No maior segmento do Sistema, que reunia 3,68 milhões de participantes ativos em dezembro/2019 – ou pouco mais de 50% dos 7,34 milhões de consorciados –, a expectativa é de aumento nas vendas de cotas. A elaboração de previsões é uma tarefa complexa, especialmente quando vivenciamos constantes influências internas e externas. No entanto, para o setor de veículos leves, diante dos bons resultados alcançados no ano passado, acreditamos no incremento entre 7% e 10%, transformando 2020 no ano do consórcio. Estamos assistindo a uma verdadeira mudança de comportamento do consumidor, que hoje está mais maduro na tomada de decisões e atento aos benefícios da educação financeira que lhe permitam focar nas suas conquistas pessoais, profissionais ou familiares. As peculiaridades do consórcio se ajustam a perfis de quem não quer comprar por impulso e só assume compromissos para os quais é capaz de cumpri-los dentro de seu orçamento. Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

37


ABLADIN por Marcelo Christiansen

Vidas protegidas

O

Marcelo Christiansen

é presidente da ABRABLIN -

Associação Brasileira de Blindagem

38

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

setor de blindagem automotiva é consolidado no Brasil. O país, inclusive, ocupa uma das primeiras posições no ranking mundial de blindagem para aplicação civil. A constante preocupação dos brasileiros diante da violência urbana faz com que milhares de pessoas recorram à blindagem de seus veículos como alternativa de proteção. Atualmente, a frota blindada estimada no país é de quase 225 mil veículos. Somente em 2018, 19.957 carros receberam a proteção. A produção, mais uma vez, não restringiu-se ao eixo Rio-São Paulo. O levantamento da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin), que representa 65% do total da produção de blindados no Brasil, revelou que estados como Rio Grande do Sul, Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Pará também foram atendidos, reforçando que a necessidade de se investir em mais segurança é nacional. Apesar de a procura ser por todo o Brasil, para os empresários que atuam no segmento, o ano de 2019 apresentou desafios. O setor apresentou queda de cerca de 7%, em boa parte por consequência também da redução na venda de veículos da chamada linha Premium. Vale ressaltar que esses veículos representam a maior fatia no mercado de blindagem automotiva. Contudo, para 2020, a expectativa é de retomar essa fatia perdida, ou seja, entre 5 % e 8 %. Um dos fatores para a projeção positiva para o mercado é a baixa de juros, que deve reaquecer, ainda que timidamente, a venda da linha premium, impulsionando o nosso segmento. Afora as questões de mercado, a Associação Brasileira de Blindagem segue vigilante para que o setor seja nutrido apenas por empresas realmente comprometidas, devidamente registradas e regularizadas nessa valiosa missão e objetivo de quem procura a blindagem automotiva: ter sua vida protegida.


ABRACICLO por Marcos Fermanian

Motocicletas: o cenário é de otimismo, mas ainda há muito para crescer

A

Marcos Fermanian

Presidente da Abraciclo

ABRACICLO - Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (fechou o ano de 2019 comemorando o crescimento de 6,8% na produção de motocicletas na comparação com 2018. E para 2020 a expectativa é de uma evolução de mais 6,1 %. É importante ressaltar, no entanto, que a comemoração deve ser feita com cautela, já que depois de atingir 2,1 milhões de produção em 2011, o setor enfrentou seis anos consecutivos de quedas, chegando a atingir menos de 1 milhão de motocicletas produzidas em 2017 (882 mil unidades), resultado da crise econômica e da redução da oferta de crédito no mercado. Mesmo com essa retomada gradual dos últimos dois anos, o setor ainda está longe, portanto, do recorde registrado no início da década. O ano de 2019 foi economicamente positivo em função da recuperação de vários setores no Brasil, mas é preciso ficar atento às movimentações do mercado. No primeiro bimestre do presente ano foram vendidas, em média, 4.287 motocicletas por dia útil, o que comprova o cenário otimista, porém é prudente considerar que muita coisa ainda pode acontecer e influenciar o mercado de motocicletas e a economia brasileira até dezembro. O certo é que o mercado nacional tem espaço para crescer e está preparado para isso. O Brasil conta atualmente com cerca de 9 habitantes por motocicleta em circulação, enquanto na Espanha esta relação também é de 9 para 1, na Itália chega a 7 para 1 e em alguns países da Ásia fica em 3 para 1. Há otimismo em relação ao aumento da confiança do consumidor, da oferta de crédito, do lançamento de novos produtos com tecnologias mais avançadas e do crescimento da demanda pelos veículos de duas rodas para viabilizar a mobilidade urbana com flexibilidade, economia e eficiência. Estas são, na verdade, as mais poderosas alavancas para que o mercado volte um dia ao bem-sucedido patamar de 2011. O brasileiro já constatou que a motocicleta é um veículo muito econômico, prático e ágil, e com a piora dos deslocamentos nos grandes centros a tendência é que, cada vez mais, as pessoas troquem o carro por esse importante veículo de duas rodas. Com investimentos constantes em avanços tecnológicos, a indústria se mostra totalmente alinhada a esse sustentável crescimento da demanda, oferecendo aos brasileiros produtos de alta qualidade, que competem a nível global.

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

39


Notas

Salão Internacional do Automóvel foi transferido para 2021 A ANFAVEA - Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotivos, e a REED Alcântara Machado comunicaram que edição desde ano do Salão do Automóvel, marcada para novembro deste ano, será adiada para 2021. A decisão foi comunicada após a divulgação da desistência de algumas marcas - foram pelo menos 15 fabricantes que ficarão de fora do evento de 2020. “Nossa ideia é discutir alterações de formato e reduções de custos. Tudo está na mesa. O Salão do Automóvel é um evento que precisa evoluir e refletir o momento de disrupção tecnológica que nossa indústria está vivendo. Em conjunto com a REED, tomamos a decisão de adiar a edição do Salão de 2020 para reduzir custos e termos tempo de avaliar novos formatos. A revisão do Salão não é um movimento local, está acontecendo em todos os países do mundo e pelos mesmos motivos”, afirma Luiz Carlos Moraes, Presidente da ANFAVEA. “A REED possui o grande desafio de propor um novo Salão do Automóvel alinhado com as expectativas do público visitante e com a nova realidade das montadoras. Estamos focados na solução deste desafio e comprometidos com a entrega da melhor edição

do Salão do Automóvel em 2021, afirmou Cláudio Della Nina, presidente da REED Alcântara Machado. O Salão do Automóvel comemoraria 60 anos e, segundo seus organizadores, se preparava para realizar a maior edição da história.

Honda Automóveis: 2 milhões de veículos no Brasil

A Honda Automóveis do Brasil celebrou o marco de 2 milhões de carros produzidos no Brasil. Uma história que teve início em 1997 com a produção de 20 unidades diárias do modelo Civic, então em sua sexta geração, chega a este significativo volume com um HR-V Touring cor Azul Cósmico saindo da linha de produção como o modelo de número 2.000.000. “Produzir 2 milhões de automóveis é algo grandioso, significa atender as expectativas de milhões de clientes, não só no Brasil, mas também nos mercados para os quais exportamos”, comenta Issao Mizoguchi, presidente da Honda South America. A Honda Automóveis do Brasil conta com mais de 3.500 colaboradores, entre as unidades de Sumaré 40

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

e Itirapina, ambas no interior de São Paulo e com uma rede de concessionárias em todo Brasil com 215 pontos de venda. “O foco em superar as expectativas de nossos consumidores, entregando produtos da mais alta qualidade, é o que torna a Honda uma marca de excelência. Esse é o nosso DNA, o que está na origem do marco que estamos comemorando”, completa Issao Mizoguchi. Ao longo da trajetória de 23 anos de produção de automóveis no Brasil, contínuos investimentos foram realizados com o objetivo de aumentar a capacidade de produção e melhorar a eficiência dos processos. Como resultado, atualmente, mais de 500 automóveis são produzidos diariamente entre os modelos Civic, Fit, City, HR-V e WR-V.


Crescimento contínuo e uma rede forte

E

Anselmo Borgheti

Diretor Executivo Comercial da CAOA

m 2019, a CAOA ultrapassou a marca de 135 mil veículos comercializados e cresceu o dobro do mercado brasileiro. Somando as vendas de todas suas operações (CAOA CHERY, CAOA Hyundai, CAOA HMB, CAOA SUBARU, CAOA Ford e Seminovos), a marca atingiu o número de 135.254 veículos comercializados vendidos durante o ano, observando um crescimento de 18,76 % durante o período de 12 meses enquanto o mercado automotivo brasileiro cresceu 8,6 %, segundo dados divulgados pela associação que representa montadoras instaladas no país, a ANFAVEA. Durante estas quatro décadas, desde a inauguração da empresa, a CAOA alcançou números impressionantes, como a comercialização de mais de 1,4 milhão de veículos em sua Rede de Concessionárias que conta com uma equipe especializada e permanentemente entre os primeiros lugares em Satisfação do Cliente e Qualidade de Atendimento nas pesquisas mais qualificadas do setor automotivo. A CAOA trabalha constantemente para assegurar um crescimento sustentável e para isso sabemos que temos que manter toda a atenção no lançamento de novos produtos, na estrutura de nossa rede que hoje conta com mais de 230 concessionárias e no refinamento da produção de veículos com alta qualidade, segurança e tecnologia, nas plantas localizadas em Anápolis/GO e em Jacareí/SP. Como a tendência para este ano é que o próprio mercado esteja ainda mais aquecido, a CAOA deve apresentar resultados ainda mais vultuosos com ótimos destaques em todas as operações nas áreas de Vendas, Pós-Venda e Consórcios além de novos negócios de Mobilidade, como nossa mais recente investida no mercado de locação de veículos, que poderá ser realizada por meio das nossas revendas em todo o Brasil.

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

41


Resultados positivos da FCA em 2019 impulsionam investimentos

O

Antonio Filosa

Presidente da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) para a América Latina

42

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

ano de 2019 foi bom e marcante para a FCA Fiat Chrysler Automóveis no Brasil. Encerramos o ano com cerca de 500 mil automóveis e comerciais leves vendidos no país, crescendo  14,5 %  em relação ao ano anterior. Com esse resultado, asseguramos a liderança do mercado brasileiro em 2019, como a empresa com maior volume de veículos comercializados, alcançando 18,7 % de participação de mercado e avançando 1,2 ponto percentual no market share acumulado em comparação com 2018. Três de nossos modelos se posicionaram entre os dez mais vendidos no ano no Brasil: Fiat Argo, Fiat Strada e Jeep Renegade, confirmando o perfil multimarcas da FCA. As duas principais marcas cresceram acima da taxa de expansão do mercado. A Fiat comercializou 366 mil veículos no ano, com um crescimento de 12,4 % em relação ao volume do ano anterior.  As vendas da Jeep  somaram 130 mil unidades, com expansão de 21,1 % na comparação com os resultados de 2018. As duas marcas ganharam participação de mercado: a Fiat encerrou o ano com 13,8 % de market share, enquanto a Jeep  alcançou 4,9 %.

A FCA também expandiu sua presença na América Latina, apesar da retração do mercado argentino em relação ao ano anterior. Para um mercado que alcançou 4,18 milhões de unidades em 2019, com uma queda de 5,5 % em relação aos 4,43 milhões de veículos no ano anterior, a FCA comercializou cerca de 580 mil veículos em 2019, alcançando uma participação de mercado de 13,9 % e a um ganho de 1,1 ponto percentual de participação em relação a 2018. Ano da virada para a Fiat no Brasil No Brasil, a Fiat ampliou sua presença no mercado em 2019. Foi o ano da virada e avanço para a Fiat, no qual a marca voltou a ganhar fatias de mercado, evoluindo de 13,2 % para 13,8 % das vendas totais. Este resultado decorre de uma estratégia de posicionamento de nossos produtos em múltiplos segmentos e de lançamentos importantes que movimentaram as lojas e despertaram o interesse do consumidor. A Fiat também reforçou sua presença nos segmentos em que é líder tradicional. Reafirmou a liderança no segmento de picapes pelo 15º ano consecutivo, com 41,4 % de participação e também garantiu o 10º ano consecutivo de liderança no segmento de vans, com  43 % de participação no segmento. 


A Fiat foi a montadora que mais ganhou participação de mercado nas vendas ao varejo, registrando 0,9 ponto percentual de avanço. A marca cresceu 14,2 %, enquanto o mercado varejo cresceu 3,8 %. Jeep lidera segmento de SUVs pelo quarto ano As vendas da Jeep  cresceram 21,1 % em 2019, fechando o ano com cerca de 130 mil veículos da marca vendidos, um recorde absoluto que faz do Brasil o segundo mercado da Jeep no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Mas somos os primeiros em participação do mercado: em nenhum outro país as vendas da marca alcançam os 22 % do segmento de SUVs como conseguimos atingir no mercado brasileiro. Com este resultado, a Jeep liderou pelo quarto ano consecutivo o segmento de SUVs, o qual mais cresce no mercado brasileiro. O Jeep Renegade encerrou o ano como o SUV mais vendido no mercado brasileiro, seguido pelo Jeep Compass, que, por sua vez, continuou líder absoluto no segmento de C-SUV. Resultados sustentam investimentos Os resultados positivos sustentam o plano de investimentos da FCA, de R$ 16 bilhões até 2024, que a torna a empresa do setor automotivo que mais investe no Brasil. Estes investimentos resultarão em novos veículos, marcando a entrada da Fiat no segmento de SUVs, além de um Jeep premium de três fileiras de assentos. Além disto, virão novos motores, nova transmissão e soluções inovadoras em conectividade. O primeiro veículo da nova safra será a Nova Strada, que nasce com muitas inovações e boas soluções de Design e Engenharia, que fazem da picape um carro muito bonito, seguro, eficiente e adaptado para múltiplos usos. A Nova Strada chega ao mercado nas próximas semanas. É o nosso grande lançamento do ano, que nasce com a missão de dar continuidade a uma história de sucesso. Entre 1997 a janeiro 2020 foram produzidas em Betim 1,68 milhão de unidades da picape. Um clássico, um sucesso absoluto, uma escala industrial notável e um histórico de liderança de mercado. Mas haverá outros lançamentos em 2020. Programamos cinco novidades, além da Strada. São mais dois Fiat, dois Jeep e uma Ram. Entre eles, há modelos com propulsão híbrida e elétrica. Além disto, serão lançados dois motores turbo GSE T3 e T4. Conectividade crescente Uma característica de nossos novos modelos será a crescente conectividade. O carro se transforma em uma plataforma aberta de desenvolvimento, como já acontece com os dispositivos móveis. Mais do que mobilidade, o carro conectado

será o ponto de partida para novas soluções que irão viabilizar relevantes transformações na jornada do consumidor, simplificando tarefas cotidianas de maneira fluida. Do interior do veículo, o ocupante estará conectado com sua casa, trabalho, amigos, familiares. Poderá comprar, pagar, acessar entretenimento, se relacionar, se informar utilizando o automóvel como interface. Já anunciamos parceria com a Visa do Brasil. Em um processo de cocriação, os times de inovação das duas empresas (FCA + Visa) estão mobilizados para o desenvolvimento de uma solução de pagamento segura e fluida. A inovação está centrada nas possibilidades de pagamento que o usuário realiza na jornada com o carro. Além da Visa do Brasil, também anunciamos parceria com o McDonald’s no Brasil. Diretamente pelo carro, será possível acessar o cardápio do McDonald’s, escolher o que deseja pedir, pagar e decidir qual restaurante melhor se encaixa em sua rota. A expectativa é de que os testes com os consumidores comecem no primeiro semestre de 2020. Novos parceiros serão anunciados brevemente.   Multiplicidade da matriz energética da mobilidade A FCA adota no Brasil e no mundo a estratégia de considerar a multiplicidade da matriz energética da mobilidade, apostando em vantagens e alternativas regionais que se combinem com tecnologias “mainstream”. No caso do Brasil, o país tem uma vantagem comparativa em relação a outros países, que é a estrutura de produção e distribuição do etanol como combustível, bem como muita tecnologia acumulada na propulsão à base do biocombustível. A FCA é grande defensora do emprego do etanol, entendendo que, quando considerado do poço à roda, este combustível compensa 80 % de suas emissões no ciclo vegetal da cana-de-açúcar. Assim, este combustível se enquadra nas mais rígidas regras futuras de emissões seja na Europa, nos Estados Unidos ou China. O uso do etanol é de grande relevância para o Brasil, pois utiliza uma vantagem local e assegura a amplas faixas do mercado consumidor acesso a um veículo de baixo impacto ambiental. Mas estamos focados em todas as alternativas de propulsão da mobilidade. Vamos iniciar este ano a produção de motores turbo no Brasil, com ganhos de eficiência e desempenho. Estamos estudando a otimização da aplicação do etanol como combustível, buscando melhorar seu desempenho. Disponibilizamos automóveis com predisposição para a utilização do GNV. A rota tecnológica do etanol abrange o biocombustível aplicado em modelos 100% a combustão, mas também em modelos híbridos e até mesmo em “fuel-cell”. O etanol estará presente na matriz energética da mobilidade brasileira por muitos anos. Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

43


Sprinter, a large van de ponta para uma 2020 diferenciado

O

ano de 2019 foi o melhor ano da história no segmento de Large Vans (3,5 a 5 toneladas) para a Mercedes-Benz no Brasil. A Linha Sprinter cresceu em todos os segmentos de sua atuação e teve 11.460 unidades emplacadas, entre Vans, Furgões e Chassis com Cabina. Com esse resultado, conquistamos 35% de participação de mercado em 2019, volume 38 % maior em relação ao ano anterior. Esses números mostram que a nossa estratégia de estar cada vez mais próximos ao mercado, trazendo soluções rápidas e adequadas aos seus negócios, tem sido assertiva. A Sprinter, com o portfólio mais completo da categoria e produtos que prezam por segurança, conforto e agilidade, já se consolidou no País por apresentar a melhor solução de mobilidade para pessoas e cargas no segmento “Large Van” (PBT de 3,0 toneladas a 6,0 toneladas). Além disso, o produto oferece serviços customizados às necessidades de seus clientes com uma Rede de Concessionários especializados no segmento espalhada por todo o país. Em 2020, com a Nova Sprinter, passamos a oferecer ainda mais vantagens para os nossos clientes, pois o produto veio com vários equipamentos de segurança, tecnologia e conforto como itens de série, diferenciando o veículo ainda mais de seus concorrentes. Começamos o ano com uma campanha de condições especiais de vendas e, em breve, teremos novidades envolvendo conectividade em nossos produtos. Dessa forma, ajudamos o cliente a obter o menor custo operacional em sua atividade de transporte, visando rentabilidade e economia para os seus negócios. Acreditamos no potencial do mercado brasileiro e nossas análises internas apontam para um crescimento de mercado de aproximadamente 10 % em 2020. Alguns indicadores macroeconômicos e a expectativa da aprovação das reformas essenciais para o Brasil com uma oferta de crédito e taxas menores, podem impulsionar esse segmento que já teve um mercado acima das 44 mil unidades/ano. Por isso, com o fortalecimento do empreendedorismo no País, intensificamos a parceria com as empresas implementadoras e reunimos nossos esforços para oferecer soluções ideais para cada aplicação do mercado. Além disso, neste ano celebramos 25 anos de Sprinter no mundo, o que reforça a qualidade e a confiabilidade dos produtos Mercedes-Benz.

44

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020


Estratégias e crescimento

O Alexander Ferguson

é Sr Mgr Direct Sales da Nissan

ano de 2019 foi um período muito importante para a Nissan. Assim como em 2018, a marca continuou crescendo e superando barreiras que o mercado brasileiro apresentou ao longo do ano. Na área de Vendas Diretas, fizemos escolhas estratégicas que foram de encontro ao mercado. Optamos por concentrar esforços na rentabilidade do negócio e não tanto no volume de vendas. Apesar disso, os resultados ainda se mostram muito representativos tanto para a nossa área, quanto para a empresa. Vendas Diretas representa aproximadamente 50 % do volume total de vendas da Nissan. Também aumentamos nossas vendas para pequenas e médias empresas em 75 %, expandindo fortemente nossa rede de clientes. Seguimos com a conduta de que com produtos de alta qualidade e inovadores, juntamente com uma política comercial que se adeque às necessidades do mercado. Somos uma ótima escolha para vários públicos. O sucesso de vendas do Kicks S Direct, modelo direcionado para o segmento PcD, é um exemplo disso, já que tivemos mais de 28 mil carros vendidos no ano passado. E isso se provou para o mercado e crítica especializada, já que o modelo foi escolhido como o melhor do seu segmento pelos jornalistas da revista “Quatro Rodas”, no segundo semestre de 2019, a maior e mais antiga de automóveis. Outro destaque foi o lançamento da Nissan Frontier S no final de 2018. O modelo é o mais básico da linha da picape e enquadrou-se perfeitamente para os clientes de Vendas Diretas. Tanto que ajudou a dobrar o volume de vendas da linha Nissan Frontier na comparação com os resultados de 2018. Em 2020, procuramos manter os bons resultados que alcançamos e seguir com estratégias que valorizem as vendas da Nissan. Como perspectiva de venda neste ano, acreditamos em um volume de 52 mil carros vendidos no segmento de Vendas Diretas.

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

45


Peugeot e Citroën projetam um 2020 superaquecido para o mercado de B2B

Raquel Ribeiro

Diretora de B2B das Marcas Peugeot,

O

Citroën e DS no Brasil

mercado de B2B está alavancando a retomada da indústria e as marcas precisam estar preparadas para isso. Assim, em 2019, traçamos estratégias e trabalhamos incansavelmente para fortalecer os canais de vendas, reforçar a nossa relação com o cliente e manter o mercado corporativo da Peugeot e Citroën ainda mais aquecido. A expectativa para 2020 continua positiva e o nosso objetivo é conquistar novos consumidores e ampliar a nossa presença no segmento. Os números indicam que o plano que iniciamos em 2019 está no caminho certo:

46

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

obtivemos resultados expressivos desde janeiro, rompendo um padrão de mercado que, tradicionalmente, costuma ter nos três primeiros meses do ano menos movimento quando comparado aos outros períodos. Pensando em como podemos manter as Marcas relevantes no B2B, oferecemos serviços para mostrar ao nosso consumidor frotista que entendemos o seu negócio e que nos preocupamos com seu TCO, por isso, desenvolvemos programas específicos para quem faz uso “profissional” de nossos veículos. Fizemos grandes investimentos em pessoas, processos e estrutura e, há três anos, criamos uma rotina denominada Plateau Client, que é um case de sucesso. Com ele, todas as áreas da empresa analisam cada caso de cliente nominalmente, buscando a solução dos problemas no menor tempo possível. Os resultados se refletem nos níveis de confiança que conquistamos no segmento graças aos programas de pós-vendas implantados: o Peugeot Total Care Pro e Citroën Pro trazem compromissos exclusivos de excelência, transparência e satisfação do cliente, com destaque para entrega do veículo no mesmo dia da revisão, com horário pré-agendado, por exemplo. Nós entendemos a importância do nosso veículo para o consumidor, principalmente àqueles do mercado B2B em que o carro é uma ferramenta de trabalho. Por isso, também disponibilizamos gratuitamente em nossa rede um veículo reserva para que os clientes não sejam prejudicados no momento de um reparo que leve mais tempo. E ainda temos um compromisso definitivo com o Peugeot Total Care: se o cliente não ficar

satisfeito com o serviço, não paga pelo custo da mão de obra ! Esses serviços dão solidez a nossa presença no mercado e sustentação à moderna gama de produtos que oferecemos. Dentro dos VUL, destaque para os Citroën Jumpy e Jumper, que trazem alta tecnologia, conforto, robustez e versatilidade para o transporte de cargas e passageiros nos centros urbanos. Com a Peugeot, temos a mais ampla gama de veículos utilitários leves do mercado – com a Partner, Expert e Boxer – que oferecem atributos sem precedentes nos seus respectivos segmentos. Inclusive, a Expert ganhou o prêmio de Melhor Utilitário do Brasil em 2019, confirmando as qualidades e diferenciais que o utilitário trouxe ao mercado. Para complementar a nossa gama de produtos, contamos com uma linha extraordinária de SUV’s. Na Citroën, o C4 Cactus é o protagonista da marca. Já o 2008, 3008 e 5008 são os modelos de utilitários esportivos da Peugeot. Apesar de terem características distintas, todos esbanjam robustez e elegância, possuindo tecnologias que visam o bem-estar e segurança. Destes, destaco o 3008, que acumula inúmeros prêmios no Brasil e no mundo e foi considerado o SUV com menor desvalorização em 2019. Enfim, ficamos felizes com o legado que estamos construindo, respeitando e exaltando com harmonia o DNA da Peugeot e da Citroën. Convidamos quem ainda não é cliente para conhecer os nossos produtos e se surpreender com os nossos serviços e, para quem já faz parte da família, agradecemos pela parceria e esperamos fortalecer cada vez mais essa relação de confiança.


Variedade, qualidade e a marca Renault garantem sucesso absoluto

A Alex Dias

Diretor de Vendas a Empresas

Renault do Brasil fechou o ano de 2019 com recorde de 9 % de PdM e em 4º lugar no mercado brasileiro. Este sucesso é fruto das novidades que trouxemos para o mercado: como o Kwid Outsider, as séries limitadas Duster Go Pro, Captur Bose e o principal lançamento do ano, os novos Sandero, Logan e Stepway. Além disso, o Kwid é líder absoluto no seu segmento e o Master consolidou sua força pelo 6º ano consecutivo como líder de sua categoria. Em Vendas a Empresas este sucesso não foi diferente. Atingimos o recorde histórico de mais de 118 mil emplacamentos e 10% de PdM, mantendo nossa posição de 4ª marca no segmento profissional que já perdura por mais de 5 anos. Nosso sucesso está pautado na ampla gama de veículos e serviços que atende a todos os perfis de clientes de vendas diretas: Kwid, Sandero e Logan com a melhor oferta de TCO para os clientes frotistas; Duster e Captur com versões exclusivas para o público PCD; Duster Oroch como um veículo de uso misto, perfeito para Produtores Rurais; além do Master que por mais um ano é a melhor oferta entre os veículos comerciais leves. Essa gama de veículos completa e bem posicionada acompanha ainda nossos contratos de Revisão + Fácil PRO e Manutenção + Fácil PRO, que trazem muito mais tranquilidade e planejamento financeiro para o cliente profissional, que pode financiar suas manutenções junto com seu veículo através das taxas atrativas do Banco Renault. Para 2020 a Renault do Brasil continua com perspectiva de crescimento no mercado brasileiro. O lançamento do Novo Duster é peça chave para este sucesso, uma vez que o modelo traz as características icônicas que fizeram história no modelo anterior, somadas a completas revoluções no interior, em tecnologia, segurança e conectividade. O Departamento de Vendas a Empresas segue como pilar fundamental da nossa estratégia, e continuará com alta disponibilidade e oferta competitiva de todos os modelos e serviços para o cliente profissional.

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

47


Um ano dedicado a experiências cado brasileiro em junho de 2018 e vem conquistando seu espaço desde então. Em 2019 também destacamos a estreia do Novo Corolla 2020, que foi um grande divisor de águas para a indústria automotiva, por ser o primeiro carro híbrido flex do mundo. Das quase 23 mil unidades comercializadas dessa nova geração no ano passado, cerca de 20 % foram da versão híbrida. Com isso, a Toyota se consolidou ainda mais na liderança do segmento de híbridos e elétricos no Brasil, com 65 % de participação. O pioneirismo da empresa também se reflete nos lançamentos previstos para o ano, como a nova Hilux GR-S. O modelo, que chega à sua segunda geração, é ainda mais exclusivo que o primeiro, por ter Vladimir Centurião sido desenvolvido pela divisão esportiva da Diretor de Operação de Vendas, marca: a Gazoo Racing. Projetado para uso Pós-Vendas e Marketing da Toyota do Brasil. preferencialmente fora de estrada, como vias de terra e cascalho, o utilitário é o modelo niciamos 2020 com uma grande his- topo de linha da marca. Os conceitos de tória sobre a Toyota do Brasil para durabilidade e confiabilidade também fazem contar ao mercado nacional. A em- com que a Hilux seja a “queridinha” dos presa alcançou 215.718 unidades em- produtores rurais. Sobre o segmento de agronegócio, a placadas no ano passado, estabelecendo um novo recorde em 62 anos de história projeção é de que a Toyota alcance um no País. É com grande orgulho que me sinto crescimento de 33 % em vendas este ano, parte dessa conquista, que marca o quinto impulsionado pelos modelos Hilux e SW4, ano consecutivo de alta nos negócios e que que oferecem a melhor experiência aos emfoi amparada pelo nosso compromisso com presários que atuam no campo. E é de olho o desenvolvimento do mercado brasileiro nesse mercado em expansão que prevemos por meio de investimentos em inovação, a participação nas principais feiras do setor eficiência, qualidade em produtos e serviços. ao longo do ano. Outra iniciativa que traduz o nosso DNA E, falando em vendas, o modelo mais procurado do nosso portfólio foi o Yaris, de inovação é o Toyota Mobility Services, um compacto premium que chegou ao mer- uma nova forma de experiência e acessibili-

I

48

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

dade de seus veículos a diferentes públicos. O serviço oferecido pela montadora, pioneiro no País, conta com aluguel de veículos ao público, por meio de aplicativo e estações localizadas em concessionárias da marca. Mais uma vez, apostamos em tecnologia para facilitar o dia a dia das pessoas segundo tendências mundiais de mobilidade. Desde seu lançamento, em setembro de 2019, já são 33 concessionárias participantes e 150 carros disponíveis para aluguel na plataforma. Para este ano, a expectativa é de chegar a 60 concessionárias com o serviço e, ainda no primeiro trimestre, dobrar o número de veículos. Além disso, ações em celebração ao patrocínio dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio 2020 também estão no radar da empresa, cuja campanha global “Start your Impossible” é o carro-chefe. A campanha dá ênfase ao compromisso da Toyota de apoiar a criação de uma sociedade mais inclusiva e sustentável, na qual todos possam desafiar seu impossível, e ressalta os valores de humildade, trabalho duro, superação de desafios e interminável persistência. Por essas e outras novidades, é que vivemos um ano bastante importante e desafiador para a Toyota do Brasil, visando oferecer experiências fantásticas aos nossos clientes e em sua jornada de transformação, para nos tornar uma empresa de mobilidade. Convidamos você, leitor, para fazer parte de um futuro repleto de possibilidades e oportunidades que estão sendo apresentadas todos os dias para criarmos um mundo melhor.


Entre as melhores do segmento Premium no Brasil

O João Oliveira

Diretor Geral de Operações e Inovação da Volvo Car Brasil

ano de 2019 foi surpreendente para nós da Volvo Cars Brasil. Fechamos o ano com quase oito mil carros comercializados, um recorde histórico que nos coloca entre as cinco primeiras marcas do segmento premium com 15,2 % de participação no segmento. Além disso, fomos líderes na categoria de eletrificados plug-in hybrid, ocupando 34,1 % do mercado com a marca de quase 1.200 unidades vendidas em 2019. Em 2020, iremos expandir nossa gama de SUVs, com as versões Momentum Plug-in Hybrid dos modelos XC90 e XC60, todos com o motor híbrido T8. A gama XC40 é a mais recente na linha de SUVs da Volvo e terá novidades ainda no primeiro semestre de 2020. O modelo passa a contar com a nova versão de entrada, a Momentum, com mais equipamentos e funcionalidades. Além disso, a marca apresenta a sua versão de luxo Inscription, também com motorização T4. E apresentamos a novíssima opção híbrida: T5 R-Design Plug-in Hybrid. Esses lançamentos fazem parte do nosso plano de aumentar as opções de modelos híbridos e elétricos, o que irá resultar em 43% do mix de vendas totais da marca. Para isso, manteremos nosso compromisso com a infraestrutura de eletropostos, instalando 500 em várias partes do Brasil e seguindo na busca de parcerias para ampliar ainda mais a prestação de serviços a todos os consumidores de veículos plug-in hybrid no país. Queremos alcançar a terceira posição no segmento premium, além de consolidar a liderança em eletrificados. A Volvo é uma marca progressista e sempre se pautou na construção do futuro. Aplicar esses conceitos aos nossos produtos é algo já muito enraizado na marca e perceptível aos nossos clientes. Nosso desafio agora é expandir esse olhar com programas que aumentem a experiência do cliente com a nossa marca, levando mais confiança e transparência para essa relação.

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

49


Locadoras / Terceirizadores de Frotas

ATENÇÃO !

ALD Automotive

Arval Brasil

Endereço

Endereço

ALD Automotive S/A

Arval Brasil Ltda

Rua Apeninos - Nº 222 - Aclimação

Av. Chedid Jafet - Nº 222 - Bloco A - 2º Andar

São Paulo/SP

Vila Olímpia - São Paulo/SP

CEP: 01533-000

CEP: 04551-065

Tel.: 11 3147-4710

www.arvalbrasil.com.br

contato.comercial@aldautomotive.com

/arvalbrasil.br

www.aldautomotive.com.br

/company/bnp-paribas-arval/ /arvalbrasil

Contatos Frotistas

Contatos Frotistas

Alexandre Valadão | 11 98353-2827| alexandre.valadao@aldautomotive.com

11 2246-8099

Ricardo Formigoni | 11 98442-0611 | ricardo.formigoni@aldautomotive.com

comunicacao_marketing@br.arval.com

Avis Budget Group

LeasePlan

Endereço

Endereço

Avis Budget Brasil

LeasePlan Brasil

Rua Tito - Nº 66 - Vila Romana

Alameda Rio Negro - Nº 500 - 23º Andar - Torre A - Ed. West Towers

São Paulo/SP

Barueri/SP

CEP: 05051-000

CEP: 06454-000

www.avis.com.br

www.leaseplan.com.br /leaseplanbrasil /company/leaseplan/

Contatos Frotistas

Contatos Frotistas

Luis Tundisi

Cleber Kouyomdjian

Tel. 11 3594-4000

Superintendente Comercial

terceirizacao@avis.com.br | terceirizacao@budget.com.br

(11) 3296-8624 comercial@leaseplan.com.br

50

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020


Em função das restrições por conta do Coronavírus não foi possível a atualização dos Dados para publicação nesta edição. Por isso, pedimos desculpas, pois, algumas informações desta Seção podem estar divergentes e desatualizadas.

Let’s Terceirização de Frota

LM Frotas

Endereço

Endereço

Let’s Rent a Car S/A

LM Frotas

Escritório SP: Av. Elizeu de Almeida - Nº 808 - Butantã

Rua da Alfazema - Nº 761 - 4º Andar - Edifício Iguatemi Business & Flat

São Paulo/SP - CEP: 05533-000

Caminho das Árvores

Matriz: Av. Eng. Camilo Dinucci - Nº 2.885 - Jd. Arco-Íris

Salvador/BA

Araraquara/SP - CEP: 14808-100

CEP: 41820-710

Escritório MG - (31) 3419-1600

www.lmfrotas.com.br

Escritório ES - (27) 3222-4592 www.lets.com.br /company/let-s-rent-a-car

Contatos Frotistas Tel. 71 2102-9600 e 11 4122-8410

Contatos Frotistas

comercial@lmfrotas.com.br

Anderson Holanda 11 97166-5820 | 0800 709 00 10 anderson.holanda@lets.com.br

Mister Car

Localiza Gestão de Frotas Endereço

Endereço

Localiza Gestão de Frotas

Mister Car Frotas

Matriz: Avenida Bernardo Vasconcelos - Nº 377 - Cachoeirinha

Avenida Guilherme Cotching, 985, 2º andar - Vila Maria

Belo Horizonte/MG

São Paulo/SP

CEP: 31150-000

CEP: 02113-013

www.localiza.com/frotas

www.mistercar.com.br

/company/mistercarfrotas

Contatos Frotistas

Contatos Frotistas

0800 979 3003

Tel. 11 4501-6080

gestaodefrotas@localiza.com

comercialfrotas@mistercar.com.br

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

51


Locadoras / Terceirizadores de Frotas

Movida Aluguel de Carros

Ouro Verde

Endereço

Endereço

Movida Locação de Veículos LTDA

Ouro Verde Locação e Serviço S/A

Rua Doutor Renato Paes de Barros - Nº 1.017 - 9º Andar

Matriz: Rua João Bettega - Nº 5700 - CIC - Curitiba/PR - CEP: 81350-000

Itaim Bibi

Tel: 41 3239-7000

São Paulo/SP

Escritório SP: Av. Eng. Luiz Carlos Berrini - Nº 1.297 - 5º Andar - Cj. 51

CEP: 04530-001

Cond. Edif. Sudameris - Itaim Bibi - São Paulo/SP - CEP: 04571-932 www.ouroverde.net.br /grupoouroverde /user/GrupoOV /company/871518

Contatos Frotistas

Contatos Frotistas

Renato Perim Tel. 11 3528-1102 | 11 99998-2988

Miguel Karasiaki Junior (Regional Sul e Telecom) | 41 3239-7141

renatoperim@movida.com.br

Raquel Cavalieri (Regional Sudeste) | 11 98525-0257 Adão de Oliveira (Agronegócio) | 41 3094-7261 Celomar Ulian (Telecom) | 41 99735-0333 planejamentocomercial@ouroverde.net.br

Unidas

Rodobens Leasing & Locação Endereço

Endereço

Rodobens Locadora de Veículos Ltda

Unidas S/A

Rua Estado de Israel - Nº 975 - Vila Clementino

Rua Cincinato Braga - Nº 388 - Bela Vista

São Paulo/SP

São Paulo/SP - CEP: 01333-010

CEP: 04022-002

Unidas Frotas

Tel. 11 2192-3000

Av. Raja Gabaglia, 1781, 11°/12°/13° andares

www.rodobens.com.br

Luxemburgo - Belo horizonte/MG - CEP: 30380-435 www.unidas.com.br l frotas.unidas.com.br /unidasoficial

Contatos Frotistas Elisangela Buesso Tel. 11 2192-3000 (ramal 3954)

/unidasoficial /company/unidas/ /UnidasOficial

Contatos Frotistas

embuesso@rodobens.com.br Rogerio Boucault Palhares rogerio.palhares@unidas.com.br 31 - 3319-1120 frotas.loc@unidas.com.br comunicacao.loc@unidas.com.br

52

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020


Tfleet

Fleet Brasil

Endereço

Endereço

Teclog Fleet Management Tecnologia e Gestão da Informação LTDA

Fleet Solutions Brasil

Rua Domingos de Morais - Nº 2.036 B - Vila Mariana

Rua Volkswagen, 291 - Térreo – Jabaquara

São Paulo/SP

São Paulo/SP

CEP: 04036-000

CEP: 04344-020

www.tfleet.com.br

Tel.: 0800 899 0001 /company/fleet-solutions-brasil/ www.fleetbrasil.com.br

Contatos Frotistas

Contatos Frotistas

11 3140-6401

Marcelo Guerra | 0800-899-0001

comercial@tfleet.com.br

marcelo.guerra@fleetbrasil.com.br

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

53


ATENÇÃO !

Dados montadoras

Audi

Presidente e CEO

Gerente Regional de Vendas SP

Johannes Roscheck

Alexandre Gaeta Tel: 11 3041-2834

Diretor de Vendas Daniel Rojas

Endereço

Tel: 11 3041-2834

Audi do Brasil Indústria e Comércio de Veículos LTDA

E-mail: daniel.rojas@audi.com.br

Avenida das Nações Unidas - Nº 14.261

14º andar - Torre A - WT Morumbi

São Paulo/SP

CEP: 04794-000

Alexandre Gaeta

Tel. 11 3041-2834

Tel: 11 3041-2834

www.audi.com.br

E-mail: alexandre.gaeta@audi.com.br

E-mail: alexandre.gaeta@audi.com.br

Supervisora de Vendas Corporativas Michelle Azevedo Tel: 11 3041-2834

Gerente Nacional de Vendas

E-mail: michelle.azevedo@audi.com.br

BMW Endereço BMW Group Brasil

CEO e Presidente do BMW Group Brasil

Diretor Comercial da BMW do Brasil

Aksel Krieger

Roberto Carvalho

Av. Dr. Chucri Zaidan - Nº 1.240 - 23º Andar Ed. Golden Tower - Morumbi Corporate São Paulo/SP

Diretor da BMW Motorrad Brasil

Diretor da MINI Brasil

CEP: 04711-130

Julian Mallea

Rodrigo Novello

Tel. 11 5186-0400

www.bmw.com.br

Caoa Chery Endereço

Gerente Nacional de Vendas

Caoa Chery Automóveis LTDA

Rua Harold Barnsley Holland - Nº 1.560 - Rio Abaixo

Tel: 12 3955-2700 R. 551601

Jacareí/SP

Cel: 11 97239-6194

CEP: 12334-403

vendasdiretas@cherybrasil.com.br

E-mail: daniel.proenca@cherybrasil.com.br

www.cherybrasil.com.br

54

Daniel Proença

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020


Em função das restrições por conta do Coronavírus não foi possível a atualização dos Dados para publicação nesta edição. Por isso, pedimos desculpas, pois, algumas informações desta Seção podem estar divergentes e desatualizadas.

Diretor de Vendas Diretas e Veículos Comerciais

Key Account Vendas Diretas

Fabio Arnoldo Meira Junior

Pamela Grazioli

E-mail: fabio.meira@fcagroup.com

E-mail: pamela.grazioli@fcagroup.com

Endereço

Gerente de Veículos Comerciais e Governo

Marketing Vendas Diretas

FCA Fiat Chrysler Automóveis do Brasil LTDA

Paulo César Dias Goddard

Paula Martins

(Marcas Chrysler | Jeep | Dogde | Ram | Fiat)

E-mail: paulo.goddard@fcagroup.com

E-mail: paula.c.martins@fcagroup.com

FCA Fiat Chrysler

Av. Contorno - Nº 3.455 - Paulo Camilo Betim/MG CEP: 32669-900

Key Account Vendas Diretas

Tel. 31 2123-2111 | 0800 707 1000

Kenji Ribeiro Wakimoto

www.fiat.com.br

E-mail: kenji.wakimoto@fcagroup.com

Diretor de Vendas Reinaldo Faga

Ford

Jusley Marques

Gerente de Venda Direta Cristiano Cruz

Endereço

E-mail: ccruz13@ford.com

Ford Motor Company Brasil LTDA São Bernardo do Campo/SP

E-mail: jmarqu51@ford.com

Consultor de Venda Direta Rubens Brun

Avenida do Taboão - Nº 899 - Rudge Ramos CEP: 09655-900

Consultor de Venda Direta Grandes Frotistas/ Locadoras

Consultora de Venda Direta Grandes Frotistas/Locadoras

www.ford.com.br

E-mail: rbrun@ford.com

Michelle Negri E-mail: mnegri3@ford.com

Gerente Sênior de Vendas Diretas - Nacional

GM Chevrolet

Gerente Divisional de Vendas Diretas Divisão Norte, Nordeste, Centro Oeste, MG e RJ

Cel: 11 97337-2465

Eric Loretto

E-mail: marcelo.tezoto@gm.com

Cel: 11 94384-9625 E-mail: eric.loretto@gm.com

Endereço General Motors do Brasil LTDA Avenida Goiás - Nº 1.805

São Caetano do Sul/SP

CEP: 09550-900

www.chevrolet.com.br

Marcelo Tezoto

Gerente Divisional de Vendas Diretas Sul e Sudeste

Gerente Administrativo de Vendas Diretas

Guilherme Bianchi Jr.

Fernando Pineiro Mejuto

Cel: 11 97167-1873

Cel: 11 95060-2778

E-mail: guilherme.bianchijr@gm.com

E-mail: fernando.mejuto@gm.com

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

55


Dados montadoras Supervisor de Vendas Diretas Luiz Henrique Sanches E-mail: luiz_henrique@honda.com.br

Consultor Comercial

Honda

Roberta F. T. Mendes Tel: 19 3864-7726 Cel: 19 98443-3775

Endereço

E-mail: roberta_mendes@honda.com.br

Honda Automóveis do Brasil LTDA

Estrada Municipal Valêncio Calegari - Nº 777

Consultor Comercial

Rua Interna - Nº 09 - Prédio 1A - Distrito de Nova Veneza Sumaré/SP

CEP: 13181-903

Felipe Miron Navarro Tel: 19 3864-7789

Cel: 19 98434-0043

www.honda.com.br

E-mail: felipe_navarro@honda.com.br

Brazilian Fleet & Rental Sales Ass. Manager Rener Ramos Cel: 21 97206-3511 E-mail: rener.ramos@hyundai-brasil.com

Hyundai Motor Brasil Endereço Hyundai Motor Brasil

Brazilian Fleet & Rental Sales Sr. Specialist

Patricia Stival

Avenida das Nações Unidas - Nº 14.171 - 21º Andar - Torre C (Crystal)

Tel: 11 5186-7525

Vila Gertrudes - São Paulo/SP

E-mail: patricia.stival@hyundai-brasil.com

CEP: 04794-000

www.hyundai.com/br

General Manager of Sales, Sales Planning, DND, Exportation and Sales Satisfaction Thiago Lemes Tel: 11 5186-7500 E-mail: thiago.lemes@hyundai-brasil.com

Hyundai Caoa Endereço

Venda Direta

Elisangela Mello

Avenida Ibirapuera - Nº 2.822 - Moema

Tel: 11 5538-1545

Hyundai Caoa do Brasil LTDA São Paulo/SP

Cel: 11 94732-5379

CEP: 04028-002

E-mail: elisangela.mello@hyundai-motor.com.br

www.hyundai-motor.com.br

56

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020


JAC Motors Endereço JAC Motors

Gerente Regional de Vendas

Rua Henri Bouchard, 177

Vila Leopoldina - São Paulo/SP

CEP: 05319-070

Tel. 11 3839-6000 | 0800 779 33 11

Wallace de Souza Santos Cel: 11 99602-9967

E-mail: wssantos@gruposhc.com.br

www.jacmotorsbrasil.com.br

Presidente Frederic Drouin

Ford Diretor Presidente Endereço

Divanildo Albuquerque

Jaguar Land Rover Brazil & Latin America

Avenida Ibirapuera - N° 2.332 - Torre I - 10º andar Moema - São Paulo/SP

CEP: 04028-002

Tel. 11 5056-7000

Gerente de Vendas Corporativas Mário Paziani E-mail: mpaziani@jaguarlandrover.com

www.jaguar.com | www.landrover.com

Presidente

Gerente de Vendas Diretas

José Luiz Gandini

Fabio Campos Telefone: (11) 4024-8000 E-mail: fabio.campos@kia.com.br

Kia Endereço Kia Motors do Brasil

Diretor de Vendas

Diretor de Técnico

Ary Jorge Ribeiro

Gabriel Loureiro

Avenida Francisco Ernesto Fávero - Nº 662

Tel: 11 4024-8022

Tel: 11 4024-8000

Jardim Rancho Grande - Itú/SP

E-mail: vendas@kia.com.br

E-mail: contato@kia.com.br

CEP: 13309-290

Fone: 0800 7711 011 / 11 4024-8000

www.kia.com.br

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

57


Dados montadoras Gerente Geral de Vendas Ignacio Andres Funes Cavagnaro

Gerente Operacional de Vendas

Lexus

Adilson Teixeira Rodrigues E-mail: arodrigues@toyota.com.br

Endereço Lexus

Planalto - São Bernardo do Campo - SP

CEP: 09895-510

Renan Colombo

Tel. 11 3469-0555

E-mail: agavilanes@toyota.com.br

Rua Max Mangels Senior, 1.024

Gerente de Vendas e Serviços

www.lexus.com.br

Lifan Motors Endereço

Gerente de Vendas

Lifan do Brasil Automotores Ltda

Henrique Ohori

Avenida dos Migrantes - Nº 860

Tel: 11 2811-8585

Salto/SP

CEP: 13322-170

Tel. 11 2811-8506

E-mail: henrique.ohori@lifanmotors.com.br

www.lifanmotors.com.br

Mercedes-Benz

District Manager

Nivaldo Mattos

Thiago M. Favilla

Tel: 11 4173-6545

Tel: 11 4173-6545

E-mail: vc@daimler.com

Cel: 11 99896-0238 E-mail: thiago.favilla@daimler.com

District Manager

Endereço

Robson Novaes

Avenida Alfred Jurzykowski - Nº 562

Tel: 11 4173-6545

São Bernardo do Campo/SP

Cel: 11 98964-9897

CEP: 09680-900

Mercedes-Benz do Brasil LTDA

www.mercedes-benz.com.br

58

Gerente de Vendas Corporativas

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

E-mail: robson.novaes@daimler.com

Gerente de Vendas Vans Brasil Fabio F. da Silva Tel: 11 4173-8660 Cel: 11 98992-3484 E-mail: fabio.f.silva@daimler.com


Mitsubishi Endereço

Diretor Comercial

HPE Automotores do Brasil LTDA

Julio Fiorin

Avenida Presidente Juscelino Kubtschek - Nº 1.400 - 3º Andar Vila Nova Conceição

São Paulo/SP

CEP 04543-000

Vendas ao Governo e Frotistas Sandra Santos

mitfrotista@hpeautos.com.br

Tel: 11 5694-2861

www.mitsubishimotors.com.br

E-mail: sandrasantos@hpeautos.com.br

www.mitfrotista.com.br

Suzuki Endereço

Diretor Comercial

HPE Automotores do Brasil LTDA

Avenida Presidente Juscelino Kubtschek - Nº 1.400 - 3º Andar Vila Nova Conceição

São Paulo/SP

CEP 04543-000

szkfrotista@hpeautos.com.br

Vendas ao Governo e Frotistas Sandra Santos

Julio Fiorin

Tel: 11 5694-2861

E-mail: sandrasantos@hpeautos.com.br

www.suzukiveiculos.com.br

Motocar Endereço

Diretor de Vendas e Marketing

Motocargo Indústria e Comércio de Triciclos LTDA

Carlos Araújo

Rua Nilton Coelho de Andrade - Nº 210

Tel: 11 2795-9500 E-mail: carlos.araujo@triciclosmotocar.com.br

Jd. Andarai

São Paulo/SP

CEP: 02167-010

Tel: 11 2795-9500 e 0800 092 3468

www.triciclosmotocar.com.br

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

59


Dados montadoras

Nissan Endereço Nissan do Brasil Automóveis LTDA

Diretor de Vendas Diretas

Consultor Comercial - São Paulo e Minas Gerais

Alexander Bizgim Ferguson

Kleber Olah Gonçalves

Cel: 11 98548-0021

Cel: 11 98664-4997

E-mail: alexander.ferguson@nissan.com.br

E-mail: kleber.goncalves@nissan.com.br

Gerente de Vendas Diretas

Consultor Comercial - Centro Oeste, Sul e Interior de SP

Antonio Alonso Jr.

Marcelo Boucinha

Cel: 11 98346-5491

Cel: 51 99762-1549

E-mail: antonio.alonsojr@nissan.com.br

E-mail: marcelo.boucinha@nissan.com.br

Coordenador de Vendas Diretas e Contas Globais Douglas Torelli

Consultor Comercial - Rio de Janeiro, Norte e Nordeste

Cel: 11 9 7415-4322

Elder Pari

E-mail: douglas.torelli@nissan.com.br

Cel: 11 94313-7041

Av. Ibirapuera - Nº 2332 - Torre I - 1º Andar - Cj. 11 São Paulo/SP

CEP: 04028-002

www.nissan.com.br

E-mail: elder.pari@nissan.com.br

GROUPE PSA Endereço PSA Peugeot Citröen

Av. Maria Coelho Aguiar, 215, Bloco F, 5º e 6º

Jd. São Luiz - São Paulo/SP

CEP: 04795-100

Tel. 11 2536-0000

Diretor de Vendas Corporativas e Seminovos

KAM Grandes Contas

Luiz Eduardo Pacheco

Andreia Carballo

E-mail: luiz.pacheco@mpsa.com

E-mail: andreia.carballo@mpsa.com

Gerente Nacional de Vendas Corporativas

Gerente Regional de Veículos Utilitários

Marcio Pretto

Douglas Jacobine

E-mail: marcio.pretto@mpsa.com

E-mail: douglas.jacobine@mpsa.com

KAM Grandes Contas

Gerente Regional de Veículos Utilitários

Guilherme Alves

André Reche

E-mail: guilherme.alves@mpsa.com

E-mail: andre.reche@mpsa.com

Diretor de Vendas a Empresas

Supervisor de Frota Proximidade

Alexandre Dias

Pedro Scattone

Tel: 11 2184-8302

E-mail: pedro.scattone@renault.com

www.peugeot.com.br | www.citroen.com.br

E-mail: alexandre.g.dias@renault.com

Supervisor de Frota Proximidade

Renault Endereço Renault do Brasil S/A

Adrian Boquetti

Raquel Ribeiro

E-mail: adrian.boquetti@renault.com

E-mail: raquel.ribeiro@renault.com

Rua Fidêncio Ramos - Nº 223 - 9º andar - Edifício Palladio

Consultor de Marketing

Vila Olímpia - São Paulo/SP

Guilherme Ruibal

CEP 04551-010 Tel. 11 2184-8300 www.renault.com.br renault.empresas@renault.com

60

Gerente de Frota Proximidade

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

E-mail: guilherme.ruibal@renault.com

Supervisor de Grandes Contas Jonathas Costa E-mail: jonathas.costa@renault.com


Toyota Endereço Toyota do Brasil Ltda.

Rua Max Mangels Sênior, 1024 - Jardim Planalto

São Bernardo do Campo/SP

CEP: 09895-510

Fone: 11 4390-5100

www.toyota.com.br

Gerente de Vendas Diretas

Consultor de Vendas a Frotista

Leonardo A. Paiva

Ricardo Oliveira

Cel: 11 95044-2749

Cel: 11 99509-6549

E-mail: lpaiva@toyota.com.br

E-mail: rioliveira@toyota.com.br

Consultor de Vendas a Frotista

Consultor de Vendas a Governo

Murilo Golfetti

Paulo Antunes Mesquita

Cel: 11 96482-6912

Cel: 11 99603-1868

E-mail: mgolfetti@toyota.com.br

E-mail: pmesquita@toyota.com.br

Consultor de Vendas a Frotista

Consultor de Vendas a Locadores

Francisco O. E. Santo

José Luiz Rincon Bruno

Cel: 11 95607-7241

Cel: 11 99623-4276

E-mail: mgolfetti@toyota.com.br

E-mail: jbruno@toyota.com.br

Gerente Executivo de Vendas Corporativas Leonardo de Almeida Vergueiro Tosello

Supervisor Operações de Campo Vendas Corporativas

Tel: 11 4347-4567

Antonio Marcos Bassan

E-mail: leonardo.tosello@volkswagen.com.br

Tel: 11 4347-4553 E-mail: antonio.bassan@volkswagen.com.br

Volkswagen Endereço

Gerente Operações Vendas Corporativas

Supervisora de Vendas Corporativas

Claudemir Santo

Gisele Carraro de Oliveira

Via Anchieta - KM 23,5 - CPI 1175 - Demarchi

Tel: 11 4347-5151

Tel: 11 4347-5263

São Bernardo do Campo/SP

E-mail: claudemir.santos@volkswagen.com.br

E-mail: gisele.oliveira@volkswagen.com.br

CEP: 09823-901

Tel. 11 4347-4553

Fax. 11 4347-5735

Volkswagen do Brasil Indústria de Veículos Automotores LTDA

www.vw.com.br

Volvo Endereço

Fleet & Special Sales Manager Claudio Ferreira

Volvo Car Brasil Importação e Comércio de Veículos LTDA Rua Surubim - Nº 577 - 10º Andar

Brooklin Novo - São Paulo/SP

CEP: 04571-050

Tel. 11 2348-6650

Cel: 11 9 9286-2129 E-mail: claudio.ferreira@volvocars.com

www.volvocars.com.br

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

61


Notas

Caoa cresce o dobro do mercado brasileiro em 2019

A CAOA e suas operações, CAOA CHERY, CAOA Hyundai, CAOA HMB, CAOA SUBARU, CAOA Ford e Seminovos, atingiu a marca de 135.254 veículos vendidos durante o ano de 2019, observando um crescimento de 18,76 % durante o período de 12 meses enquanto o mercado cresceu 8,6 %. O montante de Vendas da CAOA durante o período a colocaria na oitava posição do ranking de marcas que mais venderam no País em 2019. Entre os destaques de vendas, estão desde modelos recém-chegados ao Brasil, como os SUVs Tiggo 2, Tiggo 5x e Tiggo 7 a veículos consagrados há mais de uma década, como o Hyundai HR. A CAOA CHERY encerrou 2019 como a montadora que mais cresceu no Brasil. Com 20.195 unidades licenciadas no ano passado, a marca registrou crescimento de 133 % em relação a 2018, quando foram emplacados 8.640 veículos. No período a marca também dobrou seu market share, fechando 2019 com índice de 0,76 %, contra 0,35 % do ano anterior. O Tiggo 5X completou o seu primeiro ano de vendas no País e foi o campeão de vendas da CAOA CHERY, em 2019, com 7.973 unidades comercializadas. A CAOA Hyundai manteve as boas vendas de SUVs produzidos em Anápolis/GO e, entre os veículos comerciais, levou a camioneta Hyundai HR a alcançar pelo décimo terceiro ano consecutivo a marca de veículo mais vendido em seu segmento, com o expressivo número de 3.997 unidades comercializadas. Na operação CAOA HMB (Hyundai Motor Brasil), apesar do ótimo desempenho do HB20, com mais de 26.800 unidades vendidas durante o ano nas unidades CAOA, o destaque foi para o crescimento de vendas do Hyundai Creta nas lojas CAOA, passando de 11.044 vendas em 2018 para 12.179 em 2019, um 62

Frota & Mercado - Anuário 2020/Março 2020

crescimento de mais de 10 % e que representou mais de 1/5 das vendas totais do modelo no País. Com a SUBARU, a CAOA observou a manutenção dos ícones Forester (294 unidades) e XV (250 unidades) entre os modelos mais vendidos da marca. A rede de concessionárias CAOA Ford apresentou o aumento de 65,12 % nas vendas da marca, em comparação ao ano anterior, tendo como campeão o modelo Ford Ka, com 20.278 unidades comercializadas. A CAOA segue como o maior distribuidor Ford na América Latina. A equipe de Vendas de Seminovos da CAOA alcançou mais um excelente resultado no período ampliando suas vendas em 16,46%, em comparação a 2018, passando de 32.607 veículos comercializados para 37.975 unidades vendidas. Para o CEO da CAOA, Mauro Correia, a tendência para 2020 é que o próprio mercado esteja ainda mais aquecido e com isso a CAOA apresentará resultados ainda mais positivos. “A CAOA sempre trabalha para manter um crescimento sustentável e para isso sabemos que temos que manter toda a atenção no lançamento de novos produtos, na estrutura de nossa rede que hoje conta com mais de 230 lojas e nas oportunidades de novos negócios que envolvam não só a Venda de veículos, mas todo o setor de Mobilidade. Sobre 2019, foi um ano muito bom para a CAOA e um fator a se destacar é que estes números foram alcançados mesmo com a CAOA não investindo em Vendas Diretas, setor que alavanca os números de algumas marcas, mas que acabam afetando a rentabilidade do negócio”.


Profile for cg12editora

Frota & Mercado - 34  

Anuário 2020

Frota & Mercado - 34  

Anuário 2020

Advertisement