Page 1

Universidade Federal do ABC

Nome:

Amanda Soares de Melo Cesar Ricardo Tomaz da Silva Tiago Rocha do Nascimento Vinicius Brambilla Alakaki

Estudo das publicações de 2016 Literatura Fantástica no Brasil

Projeto de Conclusão de Disciplina

São Bernardo 2017

21070815 21025716 11111812 21034716


Projeto de Conclusão da Disciplina Bases Computacionais da Ciência

Este projeto de conclusão de disciplina visa atender aos requesitos da Disciplina Base Computacionais da Ciência do primeiro quadrimestre de 2017 da Universidade Federal do ABC, período noturno.

Bases Computacionais da Ciência Ministrada por: Prof. Cesar Giacomini Penteado

2 São Bernardo 2017


Índice

Índice ------------------------------------------------------------------------------------------------------------Resumo da Proposta ----------------------------------------------------------------------------------------Introdução ------------------------------------------------------------------------------------------------------Justificativa -----------------------------------------------------------------------------------------------------Metodologia ---------------------------------------------------------------------------------------------------Apresentação dos Dados e Analise dos Resultados / Analise dos Dados----------------------Analise do Formato / Ebook x Real ----------------------------------------------------------------------

3 5 6 7 8 9 10

Análise das Publicações / Lançamentos x Republicações ------------------------------------------

11

Análise do Estilo / Romance x Antologia x Coletânea x Livro de Arte x Não Ficção x Novelização ----------------------------------------------------------------------------------------------------A evolução da ficção especulativa brasileira de 2006 a 2016 -------------------------------------Conclusão -------------------------------------------------------------------------------------------------------Referências ------------------------------------------------------------------------------------------------------

13 15 19 20

3 São Bernardo 2017


“Ainda que o mito possa ser paradigmático, e ainda que possa implicar em uma ordem social ou cósmica, ou uma condição perfeita, também carrega consigo a promessa de um outro modo de existência, a ser realizado além do tempo e lugar presentes. Ele não é apenas fundacional (...) mas também libertador(...)” (Laurence Coupe, Myth (1997)

4 São Bernardo 2017


Resumo da proposta: No Brasil, entre os 2006 e 2016 o número de lançamentos de literatura especulativa aumentou de forma considerável. Este aumento foi descrito e registrado em trabalhos detalhados e minuciosos, como nos publicados pelo nosso colega de turma e integrante do grupo que elaborou este projeto, Cesar Ricardo Tomaz Silva e de seu parceiro de profissional, Marcello Branco, que publicaram o Anuário de Literatura Fantástica por 11 anos ininterruptos até o ano 2015. (5,6) A proposta de nosso projeto é analisar o mercado editorial de literatura fantástica, quanto aos lançamentos realizados no ano de 2016, quanto ao meio de publicação mais utilizado, aplicando os conhecimentos adquiridos na disciplina de Bases Computacionais da Ciência, realizando também, uma breve análise quanto à evolução do mercado no período histórico de 2006 a 2016, baseada na experiência profissional do nosso colega Cesar Ricardo Tomaz Silva.

5 São Bernardo 2017


Introdução

A ficção especulativa, literatura que é caracterizada no desenvolvimento de ideias baseadas, em mitos, crenças, hipóteses, fatos fictícios entre outras possíveis no ideário humano, que dão “vida” e curso as narrativas, são a força motriz dos eventos descritos, num cenário muitas vezes fantástico e imaginário, ou muito próximo da nossa realidade foi uma das que mais cresceu na última década. Este é um ramo da literatura que envolve os seguintes gêneros, Ficção Científica, Terror e Fantasia. Com obras clássicas e famosas, como o “Admirável Mundo Novo”(1932), de Aldous Huxley, “Eu, Robô”(1950), de Isaac Asimov(1), “Planeta dos Macacos” (1963), de Pierre Boulle, “2001 uma Odisseia no Espaço” (1968), de Artur C. Clarke(2), “Laranja Mecânica”(1971), de Anthony Burgess(1), marcaram época e pensamentos dentro de diversos ramos da ciência como na sociologia, psicologia e entre outros, fazem parte do gênero de Ficção científica, “Frankenstein”(1818), de Mary Shelley, “Ilha do Dr. Moreau”(1896), de H.G. Wells, estão entre a Ficção Científica e o Terror, contudo, ganharam mais fama pelo enforque no Terror deixando como pano de fundo as ideias bem presentes da Ficção Científica que estas obras contém, “A História Sem Fim” (1979), de Michael Ende, é um exemplo emblemático e clássico do último gênero do ramo de literatura especulativa, a Fantasia. Entre os anos de 2006 e 2016 este mercado literário no Brasil sofreu uma grande mudança saltando de um total de lançamentos de 63 (sessenta e três) lançamentos no ano de 2006 para 278 (duzentos e setenta e oito) lançamentos em 2016. Sendo o carro chefe deste aumento o gênero Fantasia que passou de 28% do total de obras publicadas em 2006 para 55% em 2016. Quanto ao ano de 2016 analisaremos os números buscando identificar, o formato mais utilizado para publicação das obras, a quantidade de trabalhos inéditos e republicações, qual gênero dentro da literatura fantástica foi mais publicado ou republicado, qual estilos de escrita foram mais utilizados pelos autores no período.

6 São Bernardo 2017


Justificativa As análises dos números de mercado ajudam ao entendimento de fenômenos que tanto explicam como influenciam a produção e o consumo de determinado produto. Este projeto busca verificar, além do movimento histórico de crescimento da literatura fantástica, com o aumento de publicações do gênero Fantasia, verificar também, como o mercado literário ligado a este ramo da literatura, Fantástica, se comportou no ano de 2016, aplicando para isso os conhecimentos adquiridos no curso de Bases Computacionais da Ciência. O projeto finalizado, demonstrando este comportamento mercadológico, trará a exposição do conteúdo disciplinar transformado em ferramenta multiúso que atende a diversos fins, como por exemplos, o auxílio na elaboração de um anuário referente ao ano analisado no projeto, ou como fonte orientadora para quem busca inserir-se no mercado como escritor, editor, gráfica entre outros. Transformar o conteúdo adquirido em ferramenta, produto, ideia, de valor social, comercial ou intelectual é o objetivo de qualquer trabalho científico e a análise que faremos a seguir visa alcançar a este objetivo.

7 São Bernardo 2017


Metodologia Para cumprir ao proposto, ou seja, o estudo dos dados sobre lançamentos ocorridos no ano de 2016 no mercado editorial de literatura especulativa, descreveremos os fenômenos mais importantes nos baseando nos conhecimentos adquiridos nas aulas da disciplina de Bases Computacionais da Ciência, da turma NB2BIS000515SB, ministrada durante o 1º Quadrimestre do ano de 2017, na Universidade Federal do ABC, Campus de São Bernardo, bloco Alfa 2, pelo professor doutor Cesar Giacomini Penteado. Na aplicação destes conhecimentos e utilizaremos, para a conclusão do projeto, a (4) Suíte de Escritório Livre e de código aberto, LibreOficce, e suas ferramentas, mais especificamente, a planilha, Calc, o processador de Texto, Writer e o editor de apresentações, Impress, onde aplicaremos os conceitos de programação, estatística, representação e estudo de fenômenos discutidos no decorrer das aulas da disciplina.

8 São Bernardo 2017


Apresentação dos dados e Análise dos Resultados:

Análise dos dados do ano de 2016, referente aos lançamentos de obras de Literatura Fantástica. Esta analise foi realizada com base em banco de dados (planilha Calc, do LibreOffice) que contém todas as obras de literatura fantástica publicada no ano de 2016 no Brasil(7), disposta com as seguintes informações: Título Autor Editora Estilo Gênero (Fantasia, Ficção Científica ou Horror) Formato (Real ou E-book) Status (corresponde se a obra literária é inédita ou se foi republicada) Conforme imagem ilustrativa abaixo:

9 São Bernardo 2017


Análise do Formato: Ebook x Real (Impresso) Deste modo, quantificamos os objetos identificados por determinado(s) critério(s), e o comparativo entre quantidade de lançamentos de livros reais e digitais segue a baixo: Lançamentos Ebook 67 Real 236 Total 303

A partir desta comparação, é possível expandir a análise comparando os Gêneros em separados com base nos Formatos:

Fantasia FC Horror Total

Real 139 40 57 236

Ebook 23 32 12 67

Total 162 72 69 303

Desta forma, é possível verificar que, no ano de 2016 em média, a cada 3,5 (três vírgula cinco) lançamentos de livros reais, 1 (um) ebook era foi lançado. Em termos absolutos, os lançamentos de Fantasia superaram os de Ficção e de Horror, porém, a proporção entre os Gêneros separados por Formato são bem distintas, sendo que a Ficção Científica é o Gênero mais publicado no Formato de ebook e o o menos publicado em versão real; Com a representação gráfica, tais conclusões podem ser verificadas de maneira mais evidente:

10 São Bernardo 2017


Análise das Publicações: Lançamentos x Republicações A proporção entre livros inéditos e republicados se mantém próxima quando comparados com os Formatos:

Inédito Republicação Total

Ebook 60 6 66

Real 217 20 237

Total 277 26 303

A proporção entre livros inéditos e republicados, independentemente do Formato ficou, em média, 10,65 (dez vírgula sessenta e cinco) livros lançados para cada 1 (um) republicado. No caso dos livros físicos, a proporção ficou em 10,85 (dez virgula oitenta e cinco) livros lançados para cada 1 (um) republicado e, no caso dos ebooks, a proporção ficou em 10 (dez) livros lançados para cada 1 (um) republicado. Não há discrepância nessas variáveis, já que a proporção ficou praticamente inalterada entre os Formatos preferidos, tanto para lançar um livro inédito ou republicar.

11 São Bernardo 2017


Análise do Estilo: Romance x Antologia x Coletânea x Livro de Arte x Não Ficção x Novelização Diversos estilos são utilizados pelos autores em suas obras literárias e com o a Literatura Fantástica não seria diferente.

Romance Antologia Coletânea Livro de Arte Não Ficção Novelização

Real 191 18 16 1 4 6

Ebook 59 2 3 0 3 0

Total 250 20 19 1 7 6

Total

236

67

303

O Romance é o estilo mais publicado pelos autores de literatura fantástica no ano de 2016. Com 250 (duzentos e cinquenta) publicações está muito a frente do segundo estilo mais publicado no ano que foi a antologia com 20 (vinte) publicações e da Coletânea que ficou com 19 (dezenove) publicações em terceiro lugar.

12 São Bernardo 2017


0% 2%

Estilo

6% 2%

Romance

7%

Antologia Coletêna Livro de Arte 83%

Não Ficção Novelização

O Romance ocupou 83% das prateleiras, físicas ou virtuais da literatura fantástica no ano de 2016, muito diferente dos Livros e Arte, que não chegaram a sequer 1% do número de publicações e não teve sequer publicações virtuais, teve apenas uma publicação real no ano. Dentro dos gêneros o panorama ficou assim:

Romance Antologia Coletânea Livro de Arte Não Ficção Novelização Total

Fantasia 142 4 6 1 3 6 162

FC 63 5 2 0 2 0 72

Horror 45 11 11 0 2 0 69

No líder em lançamentos, Romance, 142 (cento e quarenta e duas) publicações foram dentro do gênero Fantasia, o também líder de publicações dentro da Literatura Fantástica. Apenas a Novelização e os Livros de Arte não publicaram nos 3 (três) gêneros, tendo publicado somente no gênero Fantasia.

Fantasia

FC

Horror

Romance Antologia Coletânea Livro de Arte Não Ficção Novelização

Real 123 4 4 1 1 6

Ebook 19 0 2 0 2 0

Real 32 4 2 0 2 0

Ebook 31 1 0 0 0 0

Real 36 10 10 0 1 0

Ebook 9 1 1 0 1 0

Total Gênero

139

23

40

32

57

12

13 São Bernardo 2017


Neste novo comparativo percebemos que o estilo Romance foi o mais publicado em todos os gêneros e formatos no ano de 2016.

A evolução da ficção especulativa brasileira de 2006 a 2016 No que se refere a evolução histórica na publicação de literatura brasileira especulativa de 2006 a 2016, tomamos por base as informações disponibilizadas pelas edições do Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica (2006 a 2014) e pelo Almanaque de Arte Fantástica Brasileira (2015), em comparação aos números de 2016 levantados nesta pesquisa. A tabela a seguir mostra a composição desses dados:

Totais de publicação de títulos inéditos de autores brasileiros por gênero

Fantasia FC Horror Total

2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 18 24 66 118 263 230 320 152 147 135 30 35 32 48 86 71 104 67 63 63 15 30 38 59 132 77 119 73 57 59 63 89 136 225 481 378 543 292 267 257

2016 153 60 65 278

TOTAL 1626 659 724 3009

De imediato, percebe-se um vigoroso crescimento de todos os setores até o ano de 2012 (pico de 543 lançamentos), com forte queda em 2013, seguida de um período de equilíbrio que se sustenta ainda em 2016, quando inclusive apresentou leve recuperação em relação a tendência de redução percebida nos anos anteriores. O mercado editorial, em termos de quantidade absoluta de lançamentos, refletiu, como de resto toda a economia, o período de desenvolvimento positivo pela qual o Brasil passou, até meados do governo Dilma Rousseff, entrando em decréscimo quando os primeiros problemas econômicos foram experimentados a partir de 2013, como pode ser visto no gráfico a seguir:

14 São Bernardo 2017


Analisando a informação de modo generalista, a linha de tendência apresenta correlação positiva, isto é, apesar da crise recente que afetou a economia do país, a tendência ainda é de crescimento. O súbito e explosivo crescimento no número de lançamentos nos anos de 2010 a 2012 pode ter sido resultado de uma bolha especulativa, quando editoras grandes e pequenas, diagnosticando o crescimento do nicho no mercado, investiram fortemente nos gêneros especulativos, mas frente a resultados inexpressivos nas vendas, acabaram por abandonar o nicho que, desse modo, alinhou-se a sua evolução histórica natural, o que é alvissareiro como tendência e aponta o crescimento sustentável para o futuro. Desse gráfico pode-se ainda extrair os seguintes dados estatísticos: Média = 273,5455 Mediana = 267 F(x) = 21,2363636363636x + 146,127272727273 R2 = 0,218641408434903

Com relação aos gêneros, temos o seguinte gráfico:

Percebemos aqui que o crescimento fora da curva nos anos de 2010 a 2012 foi especialmente decorrente de um único gênero, a Fantasia, que vinha ganhando espaço proporcionalmente maior no conjunto da literatura especulativa no Brasil desde o início da pesquisa. Esse fenômeno é facilmente entendido pela influência dos produtos da mídia audiovisual, que sempre tivera influência importante nesse nicho de mercado. Franquias bem sucedidas no cinema, como as séries Harry Potter e O senhor dos anéis (ambos lançados em 2001, baseados nos livros de J.K. Rowling e J.R.R.Tolkien, respectivamente), foram os marcos iniciais dessa aceleração de interesse, incendiados especialmente com o sucesso da série de tv A guerra dos tronos (, lançada em 2011, baseado na série literária Crônicas de gelo e fogo, de George R.R. Martin), entre outras. O crescimento da fantasia no período de 2006 a 2016 foi de 15 São Bernardo 2017


750% (saindo de 18 para 153 títulos anuais). O gênero do Horror também contribuiu discretamente. De sua posição terciária em 2006 e 2007 saltou para a segunda entre 2008 e 2013, com um crescimento especialmente notável em 2010. Contudo, nos anos de 2014 e 2015, retomou a terceira posição, subindo novamente para segundo em 2016, embora com uma diferença quase inexpressiva da ficção científica (FC). O crescimento do horror no período de 2006 a 2016 foi de 333% (de 15 para 65 títulos anuais). A FC foi o gênero que apresentou maior estabilidade ao longo do período, com uma curva de picos e vales discretos. Também apresentou um crescimento insuspeito nos anos de 2010 a 2012, mas bem menos destacado que o dos outros gêneros. Isso pode ser fruto de um contra reflexo, percebido no crescimento por séries de fantasia com base em um imaginário voltado ao passado (medievalismo em O senhor dos anéis e A guerra dos tronos, e era vitoriana em Harry Potter). As promessas de um futuro brilhante regado a conquistas tecnológicas e avanços científicos redentores, que faziam sonhar os homens do século passado, ao não se cumprirem como se imaginava (não temos carros voadores, nem colônias em Marte, mas uma séria crise ambiental e robôs ocupando os empregos dos homens), tiraram da FC boa parte de seu glamour e, por conseguinte, do interesse dos leitores pelo gênero, que se voltaram para um passado romântico. Podemos explicar a pequena liderança da FC em relação ao Horror nos anos de 2014 e 2015 (respectivamente 63 a 57; 63 a 59) também pela ação da mídia audiovisual que, nesse período, trouxe ao mercado franquias bem sucedidas ligadas ao subgênero da Distopia como, por exemplo, Jogos vorazes (Hungry games, 2012), Divergente (Divergent, 2014) e Maze runner: Correr ou morrer (The maze runner, 2014), todas adaptadas de séries literárias estrangeiras. Mesmo assim, o crescimento do gênero foi muito pequeno: no período de 2006 a 2016, a FC cresceu apenas 100% (de 30 para 60 títulos anuais). Ainda por gênero, podemos ver mais claramente no gráfico a seguir a composição proporcional dos gêneros no mercado total:

16 São Bernardo 2017


Também aqui percebemos a clara liderança da Fantasia a partir de 2008, chegando a dominar mais de 50% do total de lançamentos nos anos de 2010 a 2012, voltando a uma marca acima desse índice em 2016. Já a FC, de protagonista principal em 2006, passou a uma posição terciária em 2016; embora esteja revezando-se nessa posição com o gênero do Horror. Esse panorama também pode ser percebido ao compararmos os dois gráficos a seguir:

Temos aqui, lado a lado, as proporções relativas dos mercados de 2006 e 2016. Nota-se claramente a redução do espaço da FC, que caiu de 48% para 22% do mercado, enquanto que a Fantasia cresceu de 28 para 55% no mesmo período. O Horror ficou praticamente igual, passando de 24% para 23%. O gráfico a seguir mostra o total geral de publicações entre 2006 a 2016:

Como se vê, mesmo sob um ponto de vista de profundidade histórica, a Fantasia predomina com 54% do total de lançamentos entre 2006 a 2016, ficando o Horror em segundo lugar com 24%, e a FC em terceiro, com 22%. Não há muita dúvida, portanto, que essa deve ser a tendência que caracterizará o mercado dos autores brasileiros de literatura especulativa nos próximos anos. 17 São Bernardo 2017


Conclusão:

Percebemos ao longo desta pesquisa que os gêneros especulativos da literatura brasileira apresentaram um crescimento significativo nos últimos dez anos e que a proporção entre os três gêneros que a formam sofreram mudanças que estão se solidificando ao longo do tempo. No que se refere ao ano de 2016, a Fantasia predomina e os lançamentos no formato ebook ainda são em número bem menor que os de livros reais, impressos em papel, sendo que o gênero que mais publicou no formato virtual foi a ficção científica. As republicações também apresentam números pouco expressivos, indicando que o mercado brasileiro investe prioritariamente em títulos inéditos. As ferramentas de análise apresentadas pela disciplina foram úteis e efetivas em sua usabilidade e mostraram-se eficientes para os objetivos deste estudo, facilitando uma ampla gama de ponderações e observações a respeito dos dados colhidos.

18 São Bernardo 2017


Referências Bibliográficas: MYTH, Laurence Coupe, 1997 http://www.saraivaconteudo.com.br/Materias/Post/51499 Site Saraiva Conteúdos, (Dez livros de ficção científica essenciais) https://www.tecmundo.com.br/literatura/88194-7-livros-classicos-ficcao-cientifica-vocedeveria-ler-video.htm Site Tecmundo (7 Livros de ficção científica que você deveria ler) https://pt-br.libreoffice.org/descubra/libreoffice/ Site oficial do LibreOffice, definição do produto. http://whosgeek.com/o-ultimo-anuario-de-literatura-fantastica/ Site: Who’s Geek Matéria: Último Anuário de Literatura Fantástica. https://issuu.com/cesarsilva7/docs/lista2015 Site: Issuu Matéria: Almanaque da Arte Fantástica Brasileira: Lançamentos 2015 Escritor e organizador de livros Cesar Ricardo Tomaz Silva – Arquivo pessoal. BRANCO, Marcello Simão; SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2006. São Bernardo do Campo: Edições Hiperespaço, 2007. BRANCO, Marcello Simão; SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2007. São Bernardo do Campo: Tarja Editorial, 2008. BRANCO, Marcello Simão; SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2008. São Bernardo do Campo: Edições Tarja Editorial, 2009. BRANCO, Marcello Simão; SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2009. São Bernardo do Campo: Devir Livraria, 2010. BRANCO, Marcello Simão; SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2010. São Bernardo do Campo: Devir Livraria, 2011. SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2011 - Lançamentos. São Bernardo do Campo: Edição do autor, 2012. SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2012 - Lançamentos. Edição do autor, 2014. SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2013 - Lançamentos. São Bernardo do Campo: Edição do autor, 2014. SILVA, Cesar. Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2014 - Lançamentos. São Bernardo do Campo: Edição do autor, 2015. SILVA, Cesar. Almanaque da Arte Fantástica Brasileira 2015 - Lançamentos. São Bernardo do Campo: Edição do autor, 2016.

19 São Bernardo 2017

A literatura fantástica brasileira em 2016  

Trabalho acadêmico para a disciplina de Bases Computacionais da Ciência, UFABC, 2017.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you