Issuu on Google+

Edição Especial - Outubro de 2007 Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior comemora 100 anos de trabalho pela Educação

A Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior é a instituição educacional mais antiga do Município. Por ela, já passaram professores, advogados, médicos, engenheiros, que através dos conhecimentos adquiridos, nesta escola, hoje prestam serviços em várias regiões do Brasil. A Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior foi criada pelo Decreto nº 2.046 de 10 de julho de 1907, publicado no Minas Gerais, de 11 de julho de 1907 e sua instalação ocor-

reu, em 21 de março de 1908. Há exatamente 100 anos, cidadãos ilustres da Vila de Águas Virtuosas sentiram a necessidade de se criar uma Casa de Ensino, onde a infância da localidade pudesse receber as luzes da instrução. Através do então Governador do Estado, o Exmo Dr. João Pinheiro da Silva, deu-se a instalação do Grupo Escolar Dr. João Bráulio Júnior. Inicialmente, a Escola funcionou à Rua Wenceslau Braz, em prédio construído e doado pelo município

e transferida para o atual prédio, em 1931. De 1965 a 1966, o prédio foi reformado pela Carpe, sendo construídas mais duas salas de aula em 1986 e 1987. Mais, tarde, em 1997, a Escola passou por nova reforma. Em 31 de dezembro, de 1997, A escola Estadual Dr. João Bráulio Júnior foi municipalizada, de acordo com a Resolução 8.218/97, publicada no Minas Gerais, passando a sechamar Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior.

Em 2001, foi reformado um prédio pertencente ao Município, localizado ao lado da Escola com a finalidade de funcionamento de quatro salas de Educação Infantil (Préescolar). Atualmente, a Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior possui 17 salas de aula, com capacidade para atender 980 alunos em dois turnos, ministra o ensino pré-escolar e 1ª a 4ª série do Ensino Fundamental.

Escola conservará suas memórias em uma “Cápsula do Tempo”

O alunos do Curso de História , da Faculdade de Campanha, Lúcio e Cláudio desenvolveram o projeto “Cápsula do Tempo”.

O dicionário inglês Oxford define cápsula do tempo como um “recipiente usado para armazenar uma seleção de objetos considerados característicos da vida em um momento particular”. Assim, a função de uma cápsula do tempo é preservar um pouco do presente para a posteridade. É uma maneira de capturar o tempo e de compartilhar lembranças com as gerações futuras. “Elas são extremamente populares. Escolas, grupos de escoteiros, igrejas e outras organizações as têm construído”, de acordo com Paul Hudson, fundador da International Time Capsule Society (Sociedade Internacional da Cápsula do Tempo - ITCS) da Universidade de Oglethorpe, em Atlanta. Durante as comemorações do centenário da Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior, em Lambari, Minas Gerais, alunos e professores irão enterrar, no centro da instituição, uma cápsula do tempo com itens e objetos típicos de nossa época. Os estudantes, além dos professores, funcionários e membros da comunidade, desenvolvem trabalhos e empenham-se em atividades que serão destinadas a esse projeto. A cápsula, que será lacrada e enterrada no dia 27 de outubro, deverá ser aberta pelos futuros alunos na mesma data do ano de 2027. Segundo Cláudio Corrêa de Souza e Lúcio De Franciscis Filho (ex-aluno da escola), e coordenadores da Cápsula do Tempo, o projeto não tem por finalidade representar meramente um evento das comemorações do centenário da escola, mas visa tornar-se, sobretudo, uma guarida de futuros documentos históricos. A partir desses documentos, daqui a 20 anos será possível analisar os rumos que a sociedade tomou e a sua evolução nos mais diversos aspectos – econômicos, sociais, tecnológicos –, e traçar uma comparação com o mundo de 2007. Além disso, imagine a reação de um adulto ao rever objetos feitos por ele durante a infância, há duas décadas, e a sensação de crescimento pessoal que isso proporcionará! Lúcio De Franciscis Filho


Informativo do Centenário

2

Editorial “Cem Anos Trabalhando pela Educação” amadurecimento humano e espiritual. Este foi sempre o nosso compromisso. Neste momento tão singular de nossa escola, de algum modo nossos corações ardem de alegria e contentamento e nossas almas se enchem de entusiasmo pela consciência do dever cumprido no Quem acredita na educação, trabalho e no empenho de cada um. No passado e no presente, certamente, compreende o significado do título deste todos foram importantes e viver editorial. Em si mesmo ele diz juntos este momento é poder tudo: Um século de serviço colher alegria de tantos frutos, que neste chão já brotaram prestado à educação. A educação é, com certeza, um através da nobre arte de ensinar. Toda história se faz de muitos dos fatores mais importantes para a construção de uma sociedade rostos, muitos fatos, muita democrática, desenvolvida e emoção. Quantas vidas? Quantas socialmente justa. É condição gerações? Um canteiro de sonhos, básica e direito fundamental da um espaço de formação de cidadania. Uma sociedade é cidadãos. A história de nossa aquilo que ela faz pela educação. escola é história de nossa cidade, Portanto, celebrar 100 anos da história de uma comunidade, comunidade escolar Dr. João nossa própria história. Por isso, vamos todos nos Bráulio Júnior é fazer memória de todos aqueles que por aqui confraternizar, celebrar com passaram e que, de algum modo, júbilo, fazer memória de tudo que deram de si mesmos para que em fomos e somos! Aos nossos funcionários, nossa terra das águas virtuosas, a educação fosse compromisso de professores e colaboradores nossa gratidão e estima por fazerem todos. Educar vem de “educere”, parte desta história de amor e expressão latina que significa compromisso com a educação. formar, conduzir, interiorizar para fazer brotar de dentro, construir caminhos de Izabel Cristina Brasileiro Leandro conhecimento, de liberdade e Diretora da E.M.Dr.João Bráulio Jr.

Centenário da Escola Dr. João Bráulio Júnior traz orgulho para o Município nossa cidade: a nossa maravilhosa Escola. Agradeço primeiramente a Deus por me conceder força de vontade e saúde para trabalhar incansavelmente por uma EDUCAÇÃO de qualidade para todos os educandos. Agradeço também à minha doce avó e à minha querida mãe que são a minha fortaleza interior. Agradeço ainda ao Exmo. Sr. Prefeito pela confiança depositada em meu trabalho e aos funcionários, que atuam com comprometimento profissional, de modo especial a minha grande parceira, Izabel Cristina, Diretora da nossa querida Escola. Parabéns E.M. Dr. João Bráulio Júnior pelos seus cem anos de existência, promovendo uma Educação de alta qualidade! Sucesso e prosperidades! São os meus sinceros votos!

É com imensa satisfação que celebramos o Centenário da magnífica E.M. Dr. João Bráulio Júnior. Assumi a gestão da Rede Municipal de Educação, em janeiro de 2005 e, desde então, venho me empenhado arduamente na busca de melhorias diversas para as Escolas Municipais. Para mim é um prazer incomensurável a realização de um objetivo tão almejado por todos: a Rodolfo Tomaz Dias reforma do prédio público mais Secretário Municipal de Educação antigo e dos mais importantes de Lambari, 26 de outubro de 2007.

O trabalho que deixou lembranças Durante os últimos cem anos, A Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior foi dirigida por pessoas competentes e disciplinadas, que contribuíram para o desenvolvimento administrativo e moral da Escola, fazendo com que se tornasse um exemplo digno de amor à educação e aos jovens lambarienses.

DIRETORES DA ESCOLA DR. JOÃO BRÁULIO JÚNIOR • • • • • •

Maria Emília de Vilhena Borlido Serafim Maria de Paiva Vilhena Maria de Jesus Lisboa Bacha Anita Carvalho Marília Corrêa Netto Pinotti Celeste Maria Magalhães

• Maria da Conceição Vilhena • Helvina Xavier Moreira • Nair Bacha Leite • Maria Carlota Viola Corrêa Netto • Maria Aparecida Brigagão • Lina Lívia Iwamoto

Izabel Cristina Brasileiro Leandro (atual)

EXPEDIENTE Diretora da E.M. “Dr. João Bráulio Júnior: Izabel C.Brasileiro Leandro Vice-Diretora: Luciane Siqueira dos R. Casaliccho Vice-Diretora: Maria Emília Lisboa Raimundi Jornalista Responsável: Cristiane Rubim - Mtb JP 06029-MG Diagramação e projeto gráfico: Luciano Cesarino de Oliveira Tiragem: 1000 exemplares Gráfica: Propapel Distribuição: gratuita

A bela história de dedicação entre a professora Marília Corrêa Netto Pinotti e a Escola Municipal Dr.João Bráulio Júnior é marcada pelos longos anos em que atuou na Direção da Escola que, naquela época, ainda se encontrava sob a administração Estadual. Ela assumiu o cargo em 21 de novembro de 1972 e permaneceu na Diretoria do Grupo escolar até a data de sua aposentadoria, em 16 de abril de 1988, prestando assim dezesseis anos de serviços. Entretanto, esta história de amor e dedicação estendia-se a toda a fa-

mília da ex-diretora, cujos filhos também estudaram lá. O marido da ex-diretora, o professor Rafael Pinotti foi quem idealizou as bandeiras da Escola Municipal Dr.João Bráulio Júnior e também do Município de Lambari. Em entrevista ao informativo do Centenário da Escola, o casal falou sobre o trabalho vivenciado no magistério, há mais de trinta anos e as expectativas que os fez sobreviverem às dificuldades iniciais da profissão. A ex-diretora relembrou os anos de trabalho vividos no grupo, a equipe de professores e a emoção de ver os ex-alunos inseridos, atualmente, no mercado de trabalho. A ex-diretora afirmou que sente profunda alegria por ter participado e contribuído para a bonita história de amor à educação realizada, nos últimos cem anos, no grupo Dr. João Bráulio Júnior.


Informativo do Centenário Os caminhos percorridos por Dr. João Bráulio Júnior

Em outubro de 1957, em comemoração ao cinqüentenário da Escola Estadual Dr. João Bráulio Júnior, foi lançado o Informativo “Voz da Infância”, onde foram escritos diversos textos contando a história da fundação do Grupo escolar. A princípio, o Grupo Escolar Dr.João Bráulio Júnior chamou-se Grupo Escolar da Vila de Águas Virtuosas e, em 21 de março de 1908, estando presente o Inspetor escolar Major Alfredo Ribeiro de Almeida Luz, foram instaladas as aulas do presente ano letivo. A lembrança da pessoa do Dr. João Bráulio Júnior está intimamente ligada à cidade de Lambari e aos habitantes do Município, que iniciaram os conhecimentos educacionais através desta escola. Dr. João Bráulio Moinhos de Vilhena

Júnior nasceu na cidade de Campanha, em 23 de julho de 1860, e foi o primogênito do casal Desembargador João Bráulio Moinhos de Vilhena e de Manoela Augusta d’alckim Vilhena. O Dr. João Bráulio Júnior fez seus primeiros estudos em sua terra natal, transferindo-se depois para Ouro Preto. Iniciou o curso de medicina no Rio de Janeiro,concluindo-o na Bahia, em 1886, com brilhantismo e competência. Defendeu a tese “A Gota”, merecendo os mais entusiásticos louvores da banca examinadora. Em 27 de agosto de 1887, casou-se com sua prima Elisa Emília Paiva de Vilhena. O casal teve 14 filhos; Maria das Dores(Mére Rosário de Sion); Maria da Conceição; João do Espírito Santo, Serafim Maria; Maria das Mercês; José Maria; Manoel Maria; Maria do Rosário (Mére Bráulio de Sion);

Maria Rita; Maria Aparecida; Antônio Agostinho; Inácio; Maria de Jesus e Ana Maria de Lourdes. Homem público, de grande visão, mostrou-se sempre preocupado com a coletividade. Logo cedo, entrou para a política, tendo sido eleito deputado estadual em 1891, reelegendo-se sempre com facilidade por diversas legislaturas, chegando à Presidência da Assembléia Estadual. No governo do então presidente do Estado de Minas Gerais, Dr. João Pinheiro, exerceu o cargo de Secretário de Finanças e, como seu representante, cumpriu honrosa missão na França, partindo do Rio de janeiro, no dia 23 de julho de 1907, dia de seu aniversário onde, mais tarde, veio a falecer em trágico acidente. Em apenas dezessete anos de vida pública, de 1891 a 1908, Dr. João Bráulio realizou importantes serviços em Lambari, destacando-se a criação do Distrito de Paz das Águas Virtuosas, em 1891, vinda da Estrada de Ferro, com inauguração da Estação em 1894, quando, em nome do povo, e primoroso orador que era, pronunciou eloqüente discurso; criação do Município, em 16 de setembro de 1901; captação da água mineral, pelas obras realizadas em 1905 e 1906; criação do Grupo Escolar que tem o seu nome, em 26 de outubro de 1907, cujo centenário está sendo

3 comemorado, em outubro deste ano, um dos primeiros instalados no Estado de Minas Gerais. Dr. João Bráulio Júnior fundou em Lambari o Instituto Cirúrgico e Ginecológico de Minas Gerais, em 1896, criou o jornal “A Peleja” que muito se destacou como importante semanário político informativo e literário em todo o Sul de Minas; traçou o plano de urbanização e saneamento de Lambari, que foi executado pelo Prefeito Américo Werneck de 1908 a 1911,com recursos do Estado, conseguidos por ele.

A neta do Dr. João Bráulio, Maria Aparecida Lamounier de Vilhena, visitou a rua, Lamark, em Paris, onde o avô sofreu o trágico acidente que culminou em sua morte

Dr. João Bráulio Júnior foi um homem exemplar, marido fiel e Os descendentes de hoje pai extremoso. Aqueles que o conheceram não se cansam de O Dr. João Bráulio Júnior constituiu extensa família, à qual lhe lembrar o amor que dedicava à esposa Elisa, para a qual proporcionou inúmeros descendentes. Entre eles, estão os tataranetos João Manoel dos S Vilhena dos Reis , Afonso Augusto Vilhena S. dos Reis e o escreveu a dedicatória abaixo:

“Como a ave, a quem ao resplandente fulgor de rósea madrugada ao longe acena, rufla as asas branco-luzídicas por um céu de opala, assim, minha pena suave e refulgente corre e voa hoje sobre esta paisagem tão nossa. E tem razão essa companheira imaculada de minhas vigílias solitárias e no sentir imersas... Deixou que ela resoe por estes paramas estreladas e colha e traga-me as quegurações que, por ali, espalhei, ardente em devaneio oriental... São elas as únicas jóias que posso dar-te, despido como sou da áurea plumagem ao mundo fascinando deslumbra. Valem tudo para mim e creio que, mesmo para ti, em cujo coração há a limpidez, surgem do cristal ao atravessar-se dos raios sedutores da inoscência. Guarda, pois, o livro que, em tuas mãos o deixo, como o símbolo modesto de um esforço arriscado e imenso, a que me atirei gostoso e crente porque em teus lábios me sorria o amor. Guarda-o como um laço eterno desse amor, porque é divino e santo. Guarda-o, enfim, como a primeira e melhor oferta do teu noivo que te ama... e ama...” Campanha, 18 de fevereiro de 1887

Joãozinho

João Marcelo, atualmente, aluno da segunda série da Escola Municipal, que possui o nome de seu tataravô. Em uma singela homenagem aos cem anos desta escola e também à memória de seu ilustre parente, João Marcelo escreveu o texto abaixo:

João Marcelo de Vilhena Franco

João Manoel dos S Vilhena dos Reis e Afonso Augusto Vilhena S. dos Reis

“A Minha Escola A escola está fazendo cem anos em outubro. Meu tataravô fundou esta escola. Eu queria agradecer a Deus por ter dado inteligência ao meu tataravô, por ele ter construído esta escola, pensando no povo desta cidade. A escola está ficando muito bonita e sempre vou guardá-la no meu coração porque foi aqui que eu aprendi a ler e a escrever.” A festa do centenário vai ser muito bonita e alegre. Quando eu crescer quero ter muitas lembranças da minha escola.” João Marcelo de Vilhena Franco


Informativo do Centenário

4

Tributo dos alunos ao Centenário da Escola Poesia

A Minha Escola Querida

A escola é bonita Como vou dizer Na minha escola Eu estudo com prazer! A escola é linda, Feita com amor, Está no coração De quem estudou.

Minha escola do coração, Minha escola que me deu a mão, Minha escola que eu amo, Minha escola, você me causa emoção.

Matheus Martins 1 série- sala:04

Karina 4 série- sala 9

O Centenário da Minha Escola Sou uma criança de sorte por poder estudar numa escola tão forte em matéria de ensinar. Aqui aprendo muitas coisas tudo na maior harmonia e a maior parte do pessoal faz tudo com a maior alegria. Quer saber o nome desta escola que mora no meu coração? é Dr. João Bráulio Júnior que faz 100 anos de pura emoção! Sheyla Isabella Rodrigues Pereira 3ª. Série – Sala 4

Revivendo o passado

Quantas saudades sinto da minha infância querida. Dos velhos tempos em que estudei na Escola Dr. João Bráulio Júnior. Naquela escola bonita, aprendi o be a bá, na cartilha da Lili, com Dona Aparecida Carvalho, e lá também aprendi a dançar quadrilha, a jogar queimada, bolinha de gude e a conviver com crianças ricas, pobres, órfãs,

bonitas e feias e a entender o quanto a vida é maravilhosa e que somos todos iguais perante a Deus. Hoje sou médico pediatra e devo muito às minhas antigas professoras, que com paciência e muito amor contribuíram para minha formação médica e moral da qual muito me orgulho. Obrigado velha escola “Doutor João Bráulio Júnior” por existir e ensinar às crianças, que por aí passam, tantas coisas boas. Espero que você nunca deixe de existir.

Minha Escola Minha escola é linda, é um lugar para estudar gosto dela também para brincar. Em outubro nossa escola cem anos completará e com muita dedicação, ensinando continuará. Nos cadernos copio as matérias aprendendo com alegria para um dia me tornar uma moça com sabedoria. Edda Lucarelli Martins Pinheiro 3ª. Série – Sala 4

Aos mestres com carinho Neste ano nossa Escola Dr. João Bráulio Júnior comemora seu centenário. Isto é motivo de alegria e orgulho para todos nós funcionários e alunos. Estando eu em fim de carreira venho parabenizar e agradecer a esta cidade e a escola Dr. João Bráulio Júnior pelo trabalho que me foi permitido desempenhar. A pureza e o carinho dos alunos, a amizade dos colegas, a compreensão dos diretores, tudo isto estará para sempre gravado em minha alma. Pude sentir nesta escola a seriedade de um trabalho digno e comprometido com a sociedade. Os professores não medem esforços para alcançar as suas metas. Juntos formamos uma equipe unida, que visa o sucesso do aluno. É claro que nem tudo são flores, às vezes choramos, reclamamos, mas sempre chegamos a um acordo visando o bem de todos. “A felicidade às vezes é uma benção, mas geralmente é uma conquista.” Paulo Coelho Professora Célia de Almeida Barros

Ultrapassando barreiras e criando novos caminhos...

A memória, entendida como elemento fundamental na formação da identidade cultural individual Francisco José Mendes de Biaso e coletiva, na instituição de tradições e no registro de Médico Pediatra de Lambari experiências significativas, deve ser valorizada e Muitos foram os professores que contribuíram para a formação de preservada. No ano de 1780, um cidadão campanhense, Antônio crianças e adolescentes, nos últimos cem anos, na Escola Araújo Dantas, descobriu nossas fontes de água mineral Municipal Dr. João Bráulio Júnior. no terreno de sua fazenda e a notícia se espalhou rapidamente. Segundo a lenda eram águas milagrosas. Com o tempo foram se erguendo construções e formando um arraial. Instalaram-se neste local grandes benfeitores, dentre eles Dr. João Bráulio Moinhos de Vilhena Júnior, campanhense de nascimento e lambariense de coração. Após ter conquistado méritos, abraçou com todo fervor a necessidade de instalação do grupo escolar em Lambari, que não se fez esperar, sendo o 3° grupo escolar criado em Minas Gerais por ato do governo, a 26 de outubro de 1907, sendo instalado solenemente a 21 de março de 1908 com o nome de “Dr. João Bráulio Júnior”. O tempo passa... os rastros, as marcas, as lembranças, a memória, matérias-primas da história, monstrando-nos que ao longo de sua existência cada um que por ela passa de alguma forma dela participa, tece sua história e com ela se forja. E agora estamos aqui com significativos festejos, comemorando os cem anos de vida da nossa Escola Municipal Dr. João Bráulio Júnior. Na escola de hoje, contamos com uma equipe rica em jóias de inestimável valor, com um potencial inerente e capacidades de avaliar e buscar respostas educativas para alunos e aperfeiçoamentos. Os projetos de ensino, que estamos assessorando em nossa rede de ensino, estão “fazendo a diferença” e aos poucos o sucesso dessas propostas se formam visíveis, refletindo a clareza de nossas concepções e a coerência entre o que pensamos e o que fazemos para concretizar o sonho de uma escola sem preconceitos, democrática, competente – uma escola de todos, para todos e com todos! Professora Ignez de Almeida Costa

Na foto acima, o corpo docente de 1934.

O corpo docente atual


Informativo do Centenário - E.M. JBJ