Issuu on Google+


SUMÁRIO

A Revista UNISAL é produzida pelo Departamento de Comunicação e Marketing do Centro Universitário Salesiano de São Paulo. 0800 77 12345

8

Outubro/Novembro 2016 Reitor P. Ronaldo Zacharias

3 - PALAVRA DO REITOR 4 - POR DENTRO DO UNISAL

Pró-Reitora de Ensino, Pesquisa e Pós-Graduação Romane Fortes Santos Bernardo

6 - MEU CURSO

Pró-Reitor Administrativo Nilson Leis

7 - MINHA PÓS 8 - TALENTOS UNISAL

Pró-Reitor de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral Antonio Boeing

9 - SOMOS EXTENSÃO 10 - SOMOS AÇÃO COMUNITÁRIA

Chefe de Gabinete da Reitoria Antonio Wardison C. Silva

11 - SOMOS PASTORAL

Coordenadora de Marketing Luciana Almeida Palhete Xavier

12 - SÓ AQUI 14 - EM DESTAQUE

Redatora, Editora e Jornalista responsável Fernanda Ito (MTB 37.986)

16 - OPINIÃO 17 - SOU UNISAL

Revisão Clarice da Silva Elias

18 - EU, PESQUISADOR 20 - CONSTRUINDO A CARREIRA

Projeto, Capa e Produção Gráfica Lais Yamamoto

21 - SOCIEDADE

Colaboradores Adriana Neves, Elisangela Limoni, Juliana Germano, Klaus Werner Lílian de Paula, Luis Fernando Cornacioni, Marcelo Bosso, Nara Maciel, Raquel Legnare, Rosilene Souza e Tatyana Giorno.

22 - CULTURA 23 - INOVE E EMPREENDA 24 - RADAR UNISAL

Impressão Gráfica Resolução

28 - ESPECIAL 30 - PRA SEMPRE UNISAL

Tiragem 5.000

31 - MOMENTO CULTURAL E LITERÁRIO

13

28

Créditos Fotos: Marketing UNISAL Ilustrações: br.freepik.com Errata: na edição 72, página 6, o crédito correto para o depoimento ref. ao Campus Sta. Teresinha é da Prof.ª Claudia Cortez.

O Centro Universitário Salesiano de São Paulo faz parte das IUS - Instituições Universitárias Salesianas


Palavra do

REITOR Aos membros da Comunidade Educativa No processo educativo, tornou-se imperativa a proposta de uma educação de qualidade. No entanto o conceito de qualidade é muitas vezes reduzido à aquisição de competência sobre um determinado campo do saber e ao desenvolvimento de habilidades para o exercício de tal competência. E a realidade mostra-nos que, embora milhares de pessoas competentes e habilidosas entrem no mercado de trabalho a cada ano, isso não é suficiente para promover mudanças socioculturais que favoreçam o processo de humanização das pessoas e o exercício consciente e responsável da sua cidadania. A impressão que se tem é a de que nem sempre uma educação de qualidade consegue ser libertadora e, consequentemente, profética. É impossível falar de educação de qualidade ou qualidade da educação quando o processo formativo não suscita autocrítica e espírito crítico; não favorece a abertura ao pluralismo e ao respeito à diversidade; não supera o pragmatismo e o imediatismo da mera adaptação às exigências do mercado; não reflete criticamente sobre os graves problemas que comprometem o respeito à dignidade humana e os direitos fundamentais do humano; não leva ao compromisso incondicional e desinteressado com a promoção da qualidade de vida dos mais vulneráveis e exclusos da sociedade. Não é possível falar de educação de qualidade ou qualidade da educação quando o processo formativo não suscita indignação diante da realidade e não favorece a formação da consciência profética do educando. A indignação é uma atitude profética diante de tudo o que ameaça e compromete a defesa da dignidade das pessoas e a promoção dos seus direitos fundamentais.

O profetismo da indignação reside no fato de ser esta a melhor motivação para que a proposta educativa, embora centrada no protagonismo do educando, leve-o a compreender que somente a partir do autodescentramento ele será capaz de solidarizar-se com os que mais precisam. A qualidade da sua formação e, consequentemente, a qualidade educativa da instituição terão como termômetro o compromisso concreto com a transformação social. Os acontecimentos deste ano, tanto internacionais quanto nacionais, não podem deixar-nos indiferentes, se quisermos construir uma cidadania democrática decente. Há muita indecência escandalosamente travestida no meio em que vivemos. Há quem opte por desviar o olhar dessa realidade e continuar vivendo como se o mundo fosse o melhor dos mundos para todas as pessoas. Não podemos esquecer-nos de que o desvio do olhar denuncia cumplicidade e irresponsabilidade, atitudes tão indecentes quanto aquelas estrategicamente estudadas para abafar o espírito crítico e dizimar o profetismo, que minam qualquer pretensão de cidadania democrática. Em nome do UNISAL, agradeço a todos e a cada um dos que continuaram confiando na nossa proposta educativa mesmo diante das incertezas do presente e do futuro e renovo o compromisso de continuar a fazer o possível para que o UNISAL ofereça à sociedade profissionais competentes e habilidosos na promoção e no cuidado do humano e na luta contra tudo o que o escraviza e desumaniza.

Prof. Dr. P. Ronaldo Zacharias Reitor

UNIDADES DO UNISAL Americana Campus Dom Bosco Campus Maria Auxiliadora Campinas Campus Liceu Campus São José

Lorena Campus São Joaquim

São Paulo Reitoria

São Paulo Campus Pio XI Campus Sta.Teresinha

Unidade Virtual EaD

WWW.UNISAL.BR SIGA O UNISAL


POR DENTRO DO UNISAL

Encontro de Pastoral das IUS América

O

III Encontro de Pastoral das Instituições Salesianas de Educação Superior (IUS) foi realizado de 17 a 21.10, na Guatemala. O evento contou com 14 participantes, representantes de 9 instituições salesianas da América Latina. O UNISAL foi representado pelo Prof. Me. Antonio Wardison C. Silva, Chefe de Gabinete da Reitoria. O Encontro – em cumprimento à programação das IUS América, Âmbito 2 Pastoral – versou sobre a identidade e a ação pastoral das IUS. Em geral, os trabalhos foram desenvolvidos por meio de grupos de pesquisa e discussão em plenário, com a elaboração de dois documentos referentes à temática em destaque. Tais documentos serão estudados, em evento próprio, pelos Reitores das IUS Américas e, depois, endereçados à Coordenação Geral das IUS.

Participantes do Encontro

Segundo o Prof. Antonio Wardison, “o Encontro de Pastoral das IUS América não somente proporcionou uma sólida reflexão sobre a identidade e ação pastoral das Instituições Salesianas de Educação Superior como também fortaleceu a consciência e o compromisso das IUS no contexto latino-americano para a formação humana, religiosa e intelectual de jovens estudantes”.

Programa de Intercâmbio é aprovado

A

Comissão de Internacionalização do UNISAL, composta por um representante de cada Unidade e coordenada pela Reitoria, desde o início de 2016 vem trabalhando na elaboração de um Regulamento para os programas de intercâmbio. Tal documento, intitulado “Regulamento para Programa de Intercâmbio”, foi aprovado pelo CONSU em 27.09.2016. O Regulamento estabelece critérios para a mobilidade acadêmica, ou, como é mais conhecido, para o intercâmbio de estudantes incoming (receber estudantes de IES estrangeiras) e outgoing (mobilidade dos estudantes do UNISAL). O documento também normatiza os intercâmbios de colaboradores, docentes, técnico-administrativos e de visitantes estrangeiros. Há tempos o UNISAL investe em mobilidade de professores e colaboradores administrativos, com participação em eventos, visitas técnicas, cursos etc. O Regulamento, nessa perspectiva, vem normatizar, mensurar e qualificar essas atividades no exterior ao tornar possível e de conhecimento de todos as suas ações internacionalizadas.

Em cada Unidade há um docente representante da Comissão de Internacionalização, com a tarefa particular de recepcionar e orientar os interessados em participar de programas de intercâmbio.

Comissão de Internacionalização Ana Cláudia Camargo de L. Tresmondi – Americana/MA/DB. Antônio Wardison C. Silva – São Paulo/Reitoria. Eduardo José Sartori – Campinas/São José. Fabrício Morena Furlan – São Paulo/Santa Teresinha. Fernanda de Carvalho Lage – Lorena/São Joaquim. Francisco Inácio Vieira Júnior – São Paulo/Pio XI. Roberta Werneck M. dos Santos – Lorena/São Joaquim. Romane Fortes Bernardo – São Paulo/Reitoria. Roseane de Fátima G. Czelusniak – Campinas/Liceu. Zaida Jova Aguila – Campinas/São José.

Unidade Virtual EaD UNISAL

A

o longo de um ano e oito meses, a Unidade Virtual EaD UNISAL constituiu-se tanto com recursos humanos específicos quanto com recursos tecnológicos e infraestrutura adequada para produção e oferta de disciplinas na modalidade a distância. Hoje, a Unidade Virtual EaD UNISAL conta com amplo portfólio de Cursos de Extensão, Programa de revisão, dependências e adaptações. O Programa de revisão de conteúdos está aberto para todos os alunos ingressantes, podendo, ainda, participar alunos indicados pelos professores. Conheça mais sobre a Unidade Virtual UNISAL: ead.unisal.br

4


POR DENTRO DO UNISAL

Visita canônica de representante do Reitor-Mor

A

Inspetoria Salesiana de São Paulo recebeu a visita canônica extraordinária do P. Natale Vitali, Conselheiro Regional da América Cone Sul da Congregação Salesiana. A chegada do P. Natale em São Paulo ocorreu em julho. A cada seis anos, o Conselheiro Regional tem a missão de visitar todas as obras de uma Inspetoria e conversar com todos os salesianos e leigos gestores para avaliar a missão realizada em cada obra. A extensa agenda de visitas nas Unidades do UNISAL começou em agosto, em Americana e Campinas; no mês de outubro, em Lorena; finalizando no mês de novembro, em São Paulo. P. Natale Vitali

Treinamento do Sistema Pergamum

A

s bibliotecárias do UNISAL tiveram um encontro na Reitoria, em 29.08, com a assessora Rosa Beretta, que apresentou um diagnóstico inicial para a prestação de serviços relacionados à revisão e padronização dos itens contidos no banco de dados do sistema Pergamum, hoje utilizado nas Bibliotecas do UNISAL e Colégios. O desafio será a implantação de um sistema integrado entre as Bibliotecas; análise dos dados qualitativos e quantitativos atuais do sistema Pergamum; padronização e unificação de registros MARC.

“Os sistemas de gerenciamento de bibliotecas baseiam-se na prestação de serviços de acesso à informação e devem proporcionar melhorias envolvendo armazenamento, identificação, Participantes do Treinamento localização, entre outros. Precisa facilitar os processos de aquisição, catalogação, controle de circulação (empréstimos e consultas), permitindo viabilizar melhor uso e maior eficiência das bibliotecas, adequando informações corretas e auxiliando em tomadas de decisões”, informa Valquíria Vieira de Souza, Secretária Geral, Procuradora Institucional do UNISAL e Facilitadora Institucional das Bibliotecárias. Para as bibliotecárias, a unificação dos processos é importante. “Mesmo sendo dois ambientes distintos, universitário e escolar, o sistema Pergamum é uma das grandes conquistas do nosso trabalho em equipe, e sabemos que há muito caminho e esforços pela frente. É o Sistema Integrado de Bibliotecas – SIBI”, informam as bibliotecárias do UNISAL.

Ensino Superior: um compromisso com a comunidade

O

UNISAL tem, em sua missão, valores que expressam o compromisso com a comunidade em geral, especialmente com aquelas em situação de vulnerabilidade econômica e social. Nesse sentido, tem sempre como foco compreender o aluno em sua integralidade, com suas aspirações e necessidades. A Instituição oferece um conjunto de apoio à trajetória do estudante, contemplando desde um nivelamento no ensino das disciplinas básicas (oferecido gratuitamente, dentre elas no início do curso) até apoio assistencial e psicológico. “Além disso, oferece múltiplas concessões econômicas, entre Bolsas de Estudo PROUNI, FIES, Crédito Próprio-CREDIES-UNISAL e vários tipos de descontos ou bolsas de formação, como monitoria, estágio e científica. Anualmente, mais de 7 mil alunos são beneficiados por esses programas”, diz Nilson Leis, Pró-Reitor Administrativo do UNISAL.

5


MEU CURSO

Transporte aéreo: uma carreira promissora

O

s apaixonados por aviação têm mais uma opção de formação profissional, agora de Ensino Superior, voltado para as atividades de transporte aéreo. Trata-se do Curso Superior de Tecnologia em Transporte Aéreo do UNISAL Campinas, Campus São José, o primeiro da região a ofertar essa modalidade de graduação tecnológica. Como a maioria dos cursos ofertados na área de aviação são cursos profissionalizantes, o Curso Superior de Tecnologia em Transporte Aéreo do UNISAL vem suprir a demanda da região de Campinas por qualificação de recursos humanos especializados em um modal logístico que exige, cada vez mais, profissionais habilitados para atuar nas atividades de transporte aéreo, e a educação de Ensino Superior tem um papel importante nesse processo. O perfil de formação do tecnólogo em transporte aéreo Seguindo as orientações do Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia e das Diretrizes Curriculares Nacionais do MEC, o Curso Superior de Tecnologia em Transporte Aéreo, projetado pelo UNISAL, forma recursos humanos especializados nas atividades de transporte aéreo, incluindo logística aérea; planejamento; despacho e monitoramento de voos; gestão de empresas de transportes aéreos e de infraestrutura aeroportuária, estimulando o espírito empreendedor e o compromisso social e ambiental nas atividades ligadas ao transporte aéreo. Mercado de transporte aéreo Campinas é um dos principais hubs logísticos do Brasil, cuja localização estratégica a 96 km da cidade de São Paulo – principal centro financeiro, corporativo e mercantil da América Latina e seu fácil acesso aos principais modais logísticos do Estado de São Paulo fazem dela um polo atrativo para investimentos e empreendimentos em diversos segmentos da indústria, bem como em centros de pesquisa, tecnologia e inovação de expressão internacional.

Área de atuação do tecnólogo em transporte aéreo O Tecnólogo em Transporte Aéreo terá competências e habilidades conceituais, procedimentais e atitudinais para efetivar as seguintes ações: • Planejamento, implantação e gerenciamento de sistemas de logística aérea de passageiros e de cargas aéreas, levando em conta aspectos de logística internacional, de sustentabilidade e logística reversa, além de armazenagem e movimentação de cargas aéreas e de transporte de cargas especiais e perigosas. • Coordenação de operações de voo, embasado em sólidos conhecimentos relacionados ao planejamento, despacho e monitoramento de voo, observando requisitos técnicos, regulatórios, ambientais e de segurança de voo no sistema de aviação civil, nacional e internacional. • Gestão de empresas de transportes aéreos e de infraestrutura aeroportuária com visão estratégica, espírito empreendedor, focado em metas e resultados, com conhecimentos em teorias da administração, fundamentos de economia e finanças, de direito aeronáutico, do trabalho e previdenciário, bem como da gestão da qualidade nos serviços de transporte aéreo.

Dentre esses setores, destaca-se o modal aéreo, que estimulado pelo Programa de Investimento de Logística (PIL) do governo federal, vem recebendodesde 2012 massivos investimentos por meio de outorga à iniciativa privada, para ampliar e modernizar a infraestrutura aeroportuária do Aeroporto Internacional de Viracopos e de aeroportos estaduais adjacentes à região de Campinas. Somente em Viracopos estima-se que, até o final da concessão do aeroporto à iniciativa privada, sejam investidos mais de R$ 9.5 Bi e gerados mais de 50 mil postos de trabalhos, o que exigirá uma demanda de profissionais qualificados e especializados no modal aéreo, transformando-o no maior e mais moderno aeroporto da América Latina. 6

Prof.ª Me. Beatriz Juliana de Oliveira Martins Franco Coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Transporte Aéreo Unidade Campinas/São José


MINHA PÓS

Ascensão e carreira: Administração e Recursos Humanos

A

exigência do mercado de trabalho e a competição entre empresas são tão grandes que não são permitidos erros operacionais. Os erros estratégicos têm influência devastadora no destino das instituições. A origem dos erros normalmente está debitada às pessoas que compõem a organização. Essas premissas, se validadas, traduzem uma preocupação em capacitar as pessoas, de forma plena, na eficiência e eficácia em que os processos operacionais e as questões estratégicas tenham de ser executadas. Quem deve assessorar a organização no planejamento da capacitação são os profissionais de Recursos Humanos. Conhecer os requisitos básicos, tais como administração da folha de pagamento, técnicas de captação e retenção de recursos humanos, métodos para treinamento e desenvolvimento, entre outras funções básicas, passa a ser o óbvio.

Para atingir o crescimento na empresa, a equipe de Recursos Humanos de uma organização carece de novos aprendizados, assim como neurobusiness, aprofundamento em coaching, conhecimentos detalhados de auditoria em recursos humanos, visão atualizada na área de planos de saúde e seguros, segurança e medicina de trabalho. Preocupações com diferenças etnorraciais, direitos humanos, meio ambiente, com equilíbrio nas considerações sobre inclusão, gênero e individuação do sujeito fazem parte da construção do profissional ideal de Recursos Humanos. Faz-se necessário manter-se atualizado em busca de conhecimentos, por meio de Pós-Graduação, lato ou stricto-sensu, ou mesmo de uma segunda Graduação em Direito, Contabilidade, Administração ou Psicologia.

Acredito que o futuro da Gestão de Empresas é focado na Gestão de Pessoas. Para entender um pouco sobre esse processo e, de forma muito breve, vamos observar dois aspectos atuais da Administração: primeiro, é muito claro que todos os processos desenvolvidos para execução da atividadefim de qualquer empresa envolvem pessoas; segundo, manterse em um mercado globalizado e competitivo significa buscar estratégias e ferramentas que permitam o destaque entre tantas organizações de um mesmo setor. A junção dessas constatações nos leva à percepção de que qualquer forma empregada para vencer a competição empresarial sempre estará calcada na realização eficaz das atividades atribuídas aos colaboradores. Nesse momento, observamos o Gestor de Recursos Humanos como peça fundamental para o desenvolvimento empresarial. As empresas que ainda não valorizam seu capital humano estarão fadadas a não resistirem, mas aquelas que buscam os recursos da gestão de pessoas terão grande vantagem competitiva assegurada.

No entanto, ainda existe uma competência crucial para a excelência do profissional de recursos humanos: a linguagem dos negócios. Só dessa forma a equipe de Recursos Humanos poderá alinhar-se de forma efetiva com as outras lideranças na organização. Outra competência importante é a ética. Todo o conhecimento, habilidade e atitude obtidos deixam de ser valorizados se a ética for desprezada. Mesmo com o ambiente dos negócios e políticos insuflando o contrário, e até mesmo menosprezando quem se atém aos princípios éticos, a ética será, sem dúvida, o diferencial competitivo para o sucesso do profissional de recursos humanos.

Prof. Me. José Antonio Padoveze – Coordenador do Curso Tecnologia em RH Unidade Americana

O Gestor de Recursos Humanos vai oferecer à Gestão Empresarial desde as definições básicas, que vão do recrutamento e seleção ao desenvolvimento do plano de carreiras ou à atribuição de cargos e salários; vai oportunizar o crescimento aos funcionários via treinamentos, programas motivacionais e de liderança e acompanhar o desempenho deles, além de criar ações que valorizem a equipe, como os programas de qualidade de vida. Ficam claras, então, as possibilidades de ascensão e desenvolvimento na carreira de Gestor de Recursos Humanos, que abrigará pessoas com formação calcada em sólidos conhecimentos técnicos, mas também e essencialmente, com visão humanística e grande habilidade de relacionamento interpessoal.

Prof.ª Me. Giovanna Maria Domingues Pires Coordenadora do Curso em Gestão de Recursos Humanos Unidade Campinas/São José 7


Talentos

UNISAL Alunos do Curso de Teologia Unidade São Paulo Campus Pio XI

A

Revista UNISAL entrevista os Alunos de Teologia Denis Dutra Marques (31), do 4.º sem., Fernando Mazer da Silva (34) e José Rodolfo Galvão dos Santos (26) do 6.º sem, da Unidade São Paulo, Campus Pio XI. Denis veio do Itapemirim-ES; Rodolfo, de São José dos Campos/SP; e Fernando, de São Caetano do Sul/SP para estudar Teologia em São Paulo. Confira a história dos Alunos a seguir. A Teologia Para os Alunos o aparato crítico, as leituras hermenêuticas e exegéticas dos textos bíblicos, a compreensão filosófica e sistemática das verdades de fé foram fundamentais para a escolha do Curso. Um dos motivos pelos quais os estudantes optaram pelo UNISAL foi porque a Instituição oferece uma das melhores bibliotecas em teologia do Brasil, com um acervo bibliográfico rico em material para estudo e pesquisa. O corpo docente é qualificado e os ajuda a aprofundar temas históricos e atuais da teologia. O dia a dia e o papel do Teólogo na sociedade e na vida do ser humano A vivência comunitária é o fator fundamental do dia a dia dos Alunos. Todas as refeições são realizadas juntos e, além dos estudos na faculdade, os momentos de formação e lazer também são compartilhados em grupo. Cada um ainda realiza trabalhos pastorais em diversas paróquias de São Paulo e em algumas cidades próximas. Os Alunos acreditam que o papel do teólogo na sociedade é traduzir as palavras de Deus nos gestos simples da vida e no dia a dia das pessoas. “O teólogo hoje reapresenta Deus às pessoas em cada sorriso, em cada pétala que desabrocha, em cada momento bom que vive o ser humano”, diz Denis.

8

“O teólogo aponta o caminho, mas nunca diz qual o trajeto que as pessoas têm de fazer. Ele orienta, dá coordenada para evitar acidentes e congestionamentos doutrinais”, comenta Fernando. “Diante de uma sociedade fragmentada, distante de um ideal de verdade e materialista, o teólogo tem a responsabilidade de ser sinal, de anunciar a fé e a verdade que professa, de demonstrar com seus estudos e, mais ainda, com sua vida, que o objeto de sua ciência é real e é fonte de sentido e unidade”, relata Rodolfo. Salesianidade para vocês é... Denis: uma espiritualidade, uma pedagogia, uma filosofia de vida, uma utopia. É o jeito de educar pessoas, de evangelizar, de amar, de viver. É doação, despojamento, salvação. É um conceito que transcende seus limites gráficos, semânticos e ideológicos. Fernando: ser filho espiritual de São João Bosco. Dom Bosco foi homem da Igreja, discípulo e missionário de Jesus Cristo, ouvinte e praticante da Palavra de Deus a exemplo de Maria, auxiliadora dos cristãos. Rodolfo: é uma maneira de ser, de viver e aprofundar a espiritualidade que recebemos de Dom Bosco. A Amorevolezza, o coração cotidianamente voltado para Deus na simplicidade do nosso dia a dia transformam nosso ordinário em extraordinário. Assim vivemos salesianamente, com a salesianidade como critério de relacionamento com Deus e com os irmãos.


SOMOS EXTENSÃO

Seminário dos Núcleos de Educação do UNISAL

D

entre as atividades desenvolvidas pelo UNISAL, em diferentes áreas do conhecimento, os Núcleos contribuem para o ensino, a pesquisa e a extensão. A Unidade São Paulo/Santa Teresinha promoveu, em 05.11, o III Seminário de Educação das Relações Étnicoraciais, o I Seminário de Educação em Direitos Humanos e o I Seminário de Educação Ambiental.

Após a palestra, professores e Alunos apresentaram trabalhos dentro de cada um dos núcleos. Os participantes assumiram o compromisso de seguir somando forças para avançar na concretização das políticas definidas e assumidas pelo UNISAL para cada núcleo, como também trabalhar de maneira articulada os temas desafiantes da atualidade.

Os Seminários abordaram o tema: “Ética, Mobilidade Humana e Sustentabilidade”, com a assessoria da Prof.ª Dr.ª Maria Adélia Aparecida de Souza, professora titular da USP, onde atua no Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana. Maria é autora da primeira Política Nacional de Desenvolvimento Urbano do Brasil e da Primeira Política de Desenvolvimento Urbano do Estado de São Paulo e é Pró-Reitora de Graduação da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA).

V Seminário de Extensão

A

5.ª edição do evento reuniu Alunos, professores de todas as Unidades do UNISAL e a Comunidade Salesiana, em 24.09, no Campus Liceu Salesiano, em Campinas. No início do evento houve uma apresentação musical realizada por Alunos. Logo depois, o Pró-Reitor de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral do UNISAL, Antonio Boeing, abriu as atividades com uma breve apresentação ao tema central do Seminário: “Planeta Terra: o cuidado da casa comum. Qual o nosso papel?”, abordado na palestra ministrada pelo Prof. Dr. Fernando Altemeyer Junior.

Após a palestra, houve a exposição dos pôsteres de trabalhos, no total de 130 projetos. Para a coordenadora de Pró-Reitor Antonio Boeing (à esq.) e Prof. Dr. Fernando Altemeyer Junior (à dir.) Extensão do Campus Liceu Salesiano, Roseane Guimarães, a importância da realização do Seminário dá-se pela possibilidade de os estudantes conhecerem diferentes projetos e ações de Extensão desenvolvidos na Instituição, bem como aprimorar e elevar a qualidade de suas formações discutindo temas atuais e estabelecendo contato com o ambiente acadêmico e a produção científica.

CURSOS DE

EXTENSÃO

Janeiro 2017 Unidade São Paulo/Pio XI • Animação Bíblica da Pastoral • Catequese • Ensino Religioso Escolar • Espiritualidade • Pastoral Juvenil Conheça os cursos das outras Unidades em: www.unisal.br/extensao 9


SOMOS AÇÃO COMUNITÁRIA

XIII Mostra de Responsabilidade Social IV Mostra de Ação Comunitária

A

Unidade Americana realizou, de 24 a 26 de outubro de 2016, a XIII Mostra de Responsabilidade Social e a IV Mostra de Ação Comunitária, voltadas aos Alunos e professores de todas as Unidades do UNISAL e de outras Instituições de Ensino Superior. Com o tema: “Responsabilidade Social: a comunidade Acadêmica Universitária e a Casa Comum”, as Mostras de Responsabilidade Social e a de Ação Comunitária tiveram o objetivo de refletir sobre os temas propostos pela Igreja e pela Sociedade, dentre eles a Campanha da Fraternidade: “Casa Comum, Nossa Responsabilidade” e o lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (cf. Amós 5, 24). Compreende-se por Responsabilidade Social, com base em reflexões feitas durante os eventos, como a mudança de atitude na elaboração de novas respostas pautadas no bem comum, visando à construção de uma sociedade mais justa e solidária. Por um lado, o princípio que fundamenta o trabalho de “Responsabilidade Social” e de “Ação Comunitária” no UNISAL é a convicção de que a prioridade de toda ação educativa visa garantir a dignidade da Pessoa Humana. Essa é a identidade da Instituição, a diferença em relação às demais instituições de Ensino Superior e sua razão de existir. Por outro lado, a importância da tomada de consciência sobre a construção de um estilo de vida integrado ao meio parece ser da “ordem do dia”, mas é preciso entender que esse meio não se refere somente ao “meio ambiente”, à natureza e aos recursos naturais.

Membros da mesa-redonda

Esse meio tem, antes de tudo, a presença do ser humano, e é ele que deve ser primeiramente cuidado e “preservado” da extinção. Para tanto, uma mudança de atitude na forma como os seres humanos se relacionam deveria ser a prioridade da discussão sobre Responsabilidade Social e Ação Comunitária. Assim, encorajar toda a comunidade acadêmica a refletir sobre a primazia do ser humano frente a todas as outras exigências do nosso cotidiano é o grande desafio das mostras, e tal desafio é de responsabilidade de todos, isto é, desde a reflexão racional própria das diversas disciplinas até o convívio fraterno no pátio.

II Fórum de Responsabilidade Socioambiental

A

Unidade Campinas, Campus São José, promoveu em 16 e 17.09 o II Fórum de Responsabilidade Socioambiental, que reuniu representantes das três mantenedoras parceiras do Projeto de Acolhida de Calouros, chamado Adote uma Entidade, Obra Social São João Bosco, Obra Social Casa Maria de Nazaré e Assistência Social Coração de Maria. A abertura do evento foi realizada pelo Diretor da Obra Social São João Bosco, P. Glauco Landim, e pelos responsáveis pela Obra Social Casa Maria de Nazaré e Associação Franciscana de Assistência Social Coração de Maria, que apresentaram seus projetos. Voluntários da Pastoral

No dia 17, os assessores e Alunos voluntários da Pastoral da Universidade realizaram uma intervenção urbana chamada Varal de Roupas, na praça da Catedral Metropolitana de Campinas, com o objetivo de atender às necessidades dos moradores de rua. As roupas, recebidas por meio de doações, foram dispostas em cabides e entregues aos moradores de rua da região central da cidade.

10


SOMOS PASTORAL

Jornada Salesiana de Antropologia reúne comunidade acadêmica

A

primeira edição da Jornada Salesiana de Antropologia, realizada em 08.10, na Unidade Americana, abordou o tema: “Que ser humano pretendemos formar na Universidade: Pressupostos e Concepções.” O Diretor de Operações, Prof. Homero Tadeu Colinas deu as boas-vindas aos participantes e agradeceu aos professores e demais envolvidos na organização do evento. Na sequência, o Pró-Reitor de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral, Antonio Boeing, lembrou que vivemos num contexto caracterizado pela negação do outro, do diferente. “Acredito que esta jornada é um evento muito importante para darmos continuidade àquilo que Dom Bosco fez, que é amar incondicionalmente aqueles que não eram amados, que não eram vistos, que não eram considerados no seu tempo. E, se nós estamos aqui para pensar sobre Ser Humano, é porque nós gostamos de gente, especialmente dos jovens, como Dom Bosco”, completou Boeing. As reflexões das mesas-redondas reforçaram a preocupação do UNISAL em formar o ser humano em suas dimensões: intelectual, psicológica, relacional e espiritual. Em “Concepções sobre o ser humano no mundo de hoje”, os professores José Marcos Miné Vanzella e Eduardo Dalabeneta refletiram sobre os desafios da sociedade para a formação do ser humano.

O Sistema Preventivo de Dom Bosco, formado pelo tripé: Razão, Fé e Amorevolezza foi a base da reflexão da mesaredonda: “Concepções da Pedagogia Salesiana para a formação do humano”, com os participantes P. Ronaldo Zacharias, Reitor do UNISAL e P. Antonio Carlos Galhardo, Diretor da Obra Salesiana de Piracicaba.

Participantes da mesa-redonda

Áreas: Direito • Educação • Gestão Psicologia • Tecnologia • MBA Meio Ambiente • Teologia

Unidades: Destaque-se com a escolha certa!

Americana • Campinas Lorena • São Paulo

unisal.br/pos • 0800 77 12345 11


SÓ AQUI

II Congresso Internacional de Doutrina Social da Igreja

D

e 28 a 30 de setembro de 2016, o UNISAL e a PUC-SP realizaram o II Congresso Internacional de Doutrina Social da Igreja no Campus Sta. Teresinha do UNISAL. Foram mais de 450 participantes. Apesar de os congressistas serem na sua maioria brasileiros, o Congresso contou com a presença de representantes da Argentina, Colômbia, Equador, México e Chile. O Congresso teve como tema central: “A Doutrina Social da Igreja e o cuidado misericordioso dos mais frágeis” e abordou temas sugeridos pelo próprio Papa Francisco à diretoria da Redelapsi (Rede Latino-Americana do Pensamento Social da Igreja): Ideologia Midiática, Migração, Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo.

Da esq. para a dir.: P. Ronaldo, Rosana Manzini, Ana Cintra

A Banda do Silêncio, formada por jovens surdos-mudos, fez a apresentação cultural de abertura do Congresso. Em seguida, D. Odilo Pedro Scherer, Grão-Chanceler, da PUC-SP; e P. Edson Donizetti Castilho, Chanceler do UNISAL, comentaram sobre a importância dos temas para a Igreja e a Sociedade. Dom Gustavo Rodrigues Vega, Arcebispo Metropolitano de Yucatán, no México, apresentou as urgências eclesiais segundo o coração do Papa Francisco. Sua reflexão norteou os trabalhos de todo o evento. Nos dias seguintes, convidados do Chile, Colômbia, Haiti, Espanha, Estados Unidos e Brasil abordaram os diversos temas por meio de conferências e mesas-redondas. O Congresso também foi o palco de lançamento de dois livros de Doutrina Social da Igreja: “Gozos e Esperanzas, Angustias e Tristezas en America Latina”, apresentado pelo P. Andres Moro Vargas,Vigário da Pastoral Social da Arquidiocese de Santiago/ Chile e “Magistério e Doutrina Social da Igreja: continuidade e desafios”, apresentado pelo P. Ronaldo Zacharias, Reitor do UNISAL. Durante o evento, os congressistas participaram de uma campanha em benefício da ONG Missão Paz, obra que acolhe os imigrantes e refugiados em São Paulo, por meio da oferta espontânea por livros de Ética Teológica organizados por membros da Sociedade Brasileira de Teologia Moral e publicados pela Editora Santuário. No encerramento do Congresso, a Prof.ª Anna Maria Marques Cintra, Reitora da PUC-SP e o P. Ronaldo Zacharias, Reitor do UNISAL, refletiram sobre o papel das Universidades Católicas na promoção e defesa dos mais frágeis. Ambos encerraram as atividades agradecendo à Prof.ª Rosana Manzini, Coordenadora Geral da Redelapsi, Diretora dos Campi Sta. Teresinha e Pio XI, do UNISAL, e Chefe do Departamento de Moral da PUC-SP, responsável pela organização e direção do evento.

UNISAL apoia o Outubro Rosa

A

s Unidades do UNISAL fizeram ações de conscientização do Câncer de Mama, no Outubro Rosa 2016. Em Campinas, a Comunidade Educativa São José, que envolve o UNISAL, a Escola e a ETECSAL, teve em 21.10 uma palestra gratuita e aberta ao público sobre a prevenção do Câncer de Mama. O Dr. Pedro Ricardo de Oliveira Fernandes, cirurgião oncológico do Radium, explicou quais são os sinais da doença, a importância da consulta médica e do autoexame. Na Unidade Lorena, o Setor de RH e a Pastoral da Universidade realizaram a ação em 28.10, com a palestrante da Mais Saúde, Dr.ª Erica Maria K. N. Paula, que falou sobre o tema: “Prevenção ao Câncer de Mama.”

Outubro Rosa da Unidade Campinas/São José

Outra ação realizada foi a arrecadação de lenços para pacientes oncológicos e mechas de cabelo. No total, foram arrecadados 32 lenços e 17 mechas. Os lenços foram entregues à Casa Ato, em 29.10, Guaratinguetá (SP) e as mechas de cabelo foram entregues à ONG Rapunzel Solidária (SP), em 08.11. O Novembro Azul, campanha de conscientização voltada aos homens sobre doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata também fez parte das ações do UNISAL. 12


SÓ AQUI

Decida-se 2016 reúne cerca de 4.000 jovens

O

Decida-se 2016 reuniu cerca de 4.000 jovens nas Unidades do UNISAL em Americana, Campinas, Lorena e São Paulo. O objetivo do Projeto foi auxiliar a escolha profissional de jovens e adultos que almejam cursar uma graduação.

Em 28.09, o evento aconteceu simultaneamente nos Campi Maria Auxiliadora e Dom Bosco, em Americana. Cerca de 800 alunos do Ensino Médio e comunidade participaram das atividades. O público participou da palestra: “Dicas de ouro para escolher a profissão”, no Campus Maria Auxiliadora, com o Prof. Flávio Rossi; e no Campus Dom Bosco, com a Prof.ª Brígida Queiroz. Após a palestra, os jovens fizeram um tour pelos Campi para conhecer a infraestrutura e depois conversaram com os coordenadores dos Cursos oferecidos pelo UNISAL. Decida-se Americana

A Unidade Campinas, Campi Liceu Salesiano e São José, promoveu o Decida-se em 14.09. O evento foi realizado no Ginásio Poliesportivo do Campus São José, no formato de uma Feira de Profissões, com palestras sobre cursos e carreiras. Organizados em estandes, cada Curso teve a oportunidade de apresentar seus projetos com a presença de Alunos e Professores que ficaram à disposição dos visitantes para esclarecer dúvidas e oferecer informações específicas de cada área de formação. Mais de 1.000 alunos de escolas públicas e privadas da região marcaram presença e conheceram os Cursos oferecidos pelo UNISAL em Campinas. Decida-se Campinas

Em Lorena, o evento aconteceu em 03.09 e recebeu cerca de 2.100 alunos do Vale do Paraíba, Litoral Norte, Sul de Minas e Sul Fluminense. Os estudantes tiveram à disposição 32 atividades programadas pelos Cursos de Graduação, ExAlunos, Serviço Social, Pastoral da Universidade e Biblioteca. Entre as atrações estavam carrinhos movidos a elásticos, barcos de papelão e gincana com ovos promovidos pelos Cursos de Engenharias e de Logística. Os carrinhos movidos a elásticos, os barcos de papelão e os ovos ganharam vida com os Cursos de Engenharias e de Logística. O macarrão e marshmallow ganharam funções bem diferentes do papel que cumprem em cozinhas profissionais e domésticas.

No Campus Santa Teresinha, em São Paulo, o Decida-se foi promovido em 08.10, com a presença de colégios da região e de empresas como Sebrae, CIEE, NUBE e estandes dos Cursos do UNISAL. Foram mais de 100 pessoas que participaram do evento, entre estudantes do Ensino Médio e a comunidade no entorno do UNISAL. Houve oficinas educacionais nas áreas de Direito, Gestão de RH e Pedagogia, e atividades físicas para toda a família. A Feira de Profissões possibilitou que o currículo dos jovens fosse direcionado às vagas disponíveis pelas empresas presentes. Para os jovens que tinham interesse em prestar o Vestibular UNISAL, houve desconto na taxa de inscrição.

Decida-se Lorena

Decida-se São Paulo

13


MISERICÓRDIA E

PERDÃO H

á praticamente um ano e meio, o Papa Francisco surpreendeu a Igreja e o mundo convocando as pessoas de boa vontade, por meio de uma bula intitulada Misericordiae Vultus – O Rosto da Misericórdia, a celebrar um ano santo à misericórdia de Deus. Sim, a iniciativa surpreendeu muitos! Um convite como esse – apesar de evocar a certeza que sintetiza o mistério da fé cristã – vindo de uma instituição conhecida por sua rigidez moral é sempre algo de confortador e esperançoso. Além do mais, é fato que não somente os fiéis católicos, mas o mundo precisava e precisa recordar-se de que Deus é rico em misericórdia (cf. Ef 2,4).


EM DESTAQUE

C

omo, no entanto, falar de misericórdia em um contexto que, ultimamente, clama tanto por justiça? Refiro-me ao cenário político-econômico brasileiro. Recentemente, um sentimento de indignação tomou conta dos cidadãos a respeito da corrupção que, há tempos generalizada, parece mesmo ter se institucionalizado no País. É legítimo que essa indignação venha acompanhada do desejo de justiça. Exige-se, naturalmente, que cada qual pague pelo erro que cometeu e que devolva aos cofres públicos o que lhes subtraiu. Parece muito oportuno, nesse cenário, que se reflita sobre a necessária relação entre justiça e misericórdia. Em uma primeira análise, misericórdia e justiça são conceitos que parecem se contrapor. Geralmente, pelo primeiro, o senso comum recorda o perdão que se deve oferecer a toda pessoa que errou; enquanto que pelo segundo, evoca-se a devida pena pelo mal cometido. São compreensões demasiadamente reduzidas de ambos os conceitos, uma vez que misericórdia e justiça são “dimensões de uma única realidade que se desenvolve gradualmente até atingir o clímax na plenitude do amor”. Sem lançarmos mão da imprescindível filosofia do direito para uma definição adequada de justiça, podemos conceituála, de modo geral, como o que está em conformidade com o assegurado ao indivíduo ou ao grupo por força da lei ou dos costumes. Toda infração, nesse caso, é violação de direitos fundamentais ou adquiridos e compromete os fundamentos da vida pessoal e social. Por isso, toda correção deve estar orientada a uma dupla finalidade: o restabelecimento da ordem social infringida e a recuperação do infrator. Na verdade, a recuperação do infrator é dado pressuposto ao restabelecimento da ordem. O cumprimento da lei, nesse sentido, não tem valor em si mesmo, mas em função do bem-estar social e dos indivíduos que isso implica. Do contrário, corre-se o risco de se cair em uma conduta meramente legalista, em que a lei está acima do princípio inquestionável da dignidade humana e não a serviço dela. É certo que quem erra deve responder por seus atos, contudo existe uma razão para isso. A pena também não pode ser considerada, em si mesma, como sinônimo de correção, mas apenas o início de um processo que, visando à reparação do mal praticado, tenha por objetivo a mudança do indivíduo e da sociedade. Sabemos que Jesus de Nazaré lutou ardentemente contra uma visão redutiva da justiça como mera observância do preceito legal. Não somente foi um sinal mas também o próprio evento da misericórdia divina que busca, por justiça, oferecer o perdão e a redenção aos que pecaram, uma vez que o apelo à observância da lei não pode servir de obstáculo à inquestionável atenção às situações que comprometem a dignidade das pessoas.

Resultou da atitude dele uma forte oposição daqueles que, fiéis à lei, colocavam pesados fardos sobre os ombros alheios, não sendo capazes de suportar bem menos do que impunham (cf. Mt 23,4). A consequência de tamanha rejeição foi um processo penal que resultou na sua condenação ao suplício da pena máxima imposta aos infratores da época: a morte de cruz. Sinal do cumprimento da justiça humana, a cruz rapidamente converteu-se em instrumento de realização da justiça divina, entendida como evento do amor de Deus. Livre e amorosamente abraçada pelo Filho de Deus – que, solidário à condição humana, assumiu-a integralmente (cf. Hb 4, 15) – a cruz tornou-se lugar e ocasião da manifestação plena da reparação de todo o mal ocasionado pelo pecado e evento de restauração de todo o pecador. É a misericórdia, portanto, a base da verdadeira justiça, e a cruz de Cristo é o juízo de Deus sobre todos nós e sobre o mundo. Francisco nos recorda que misericórdia “é a lei fundamental que mora no coração de toda pessoa quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida”. Esse olhar com sinceridade requer que reconheçamos no infrator não somente as fragilidades ou os erros que cometeu mas também as imensas potencialidades que constituem sua pessoa. Dom Bosco, o fundador da família salesiana, em sua vida absolutamente voltada à juventude, reconhecia que “em todo jovem – mesmo no mais difícil – há sempre um ponto acessível ao bem; o dever do educador é encontrar esse ponto e realizá-lo”. Punição aos corruptos – a corrupção é um pecado que clama aos céus! – é o mínimo que se espera! Mas o sentido da pena imputada a esses casos vai além de um mero castigo. Desejase, sim, restituir à sociedade, não somente os milhões que lhes foram roubados, mas a certeza de que a vida social é possível sem que uns se sobreponham aos outros e que os direitos de muitos sejam violados em vista do interesse de poucos. Por isso mesmo, os infratores precisam ser regenerados. O eterno convite de Deus e da Igreja aos homens de boa vontade é que, abrindo-se ao Amor, aprendamos a ser verdadeiramente justos. A proclamação de um Ano Santo abriu-nos a estrada. Que o Espírito do Amor de Deus nos impulsione a segui-la procurando a glória de Deus que, segundo Irineu de Lyon (130-202 d.C.), outra coisa não é que a vida do homem.

P. Me. Maurício Tadeu Miranda Curso de Teologia Unidade São Paulo/PioXI 15


OPINIÃO

Postura profissional: do estágio ao primeiro emprego

O

processo de transição do adolescente para a vida adulta e o início de carreira serão marcantes para sempre. É nesse momento que sonhos, desejos e planos vêm à tona e o transforma em vigoroso e voraz jovem em busca da concretização de algo que parecia tão distante. Com isso, surgem também medos e incertezas sobre as decisões tomadas no processo de escolha da profissão. Muitos começam sua grande jornada pelos estágios e vão galgando degraus em busca de uma efetivação, porém não sabem exatamente em que. Outros já iniciam como funcionários e sentem-se seguros em ter o próprio salário. Inseguranças, entretanto, são normais. Elas devem ser administradas e as energias direcionadas para conhecer o novo, ou seja, como é essa empresa em que estou? O que espero dela? O que ela espera de mim?

3- Linguagem: esqueça as gírias, preste atenção às palavras, frases e colocações. Nossa comunicação escrita e oral deve ser clara e formal. 4- Relacionamento: seja simpático, empático, solidário e comprometido. Demonstre sempre a vontade de aprender e inovar, e que valoriza as relações em grupo e equipe. 5- Atitude: demonstre ser proativo e comprometido. Essas atitudes possibilitam aceitação e reconhecimento muitas vezes maiores do que conhecimentos técnicos já desenvolvidos. 6- Política empresarial: conheça a cultura, missão e valores da empresa. Busque perceber aquilo que está implícito. Preste atenção ao CHA (Comportamento, Habilidade e Atitude). 7- Faça a diferença: demonstre seu diferencial, mas com muita humildade e coerência. 8- Acredite em você: corra atrás de suas metas e objetivos. Você pode e consegue. 9- Planejamento: planeje suas ações e suas palavras. Isso fará com que seus gestores percebam o seu talento. 10- Atualize-se sempre: nunca se acomode. A chave do sucesso está no desenvolvimento contínuo. O mercado de trabalho está altamente competitivo, então faça a diferença e mantenha-se focado, inovador, criativo e, principalmente, cultive bons relacionamentos. Mudar a postura não é mudar a personalidade e nem enganar a si mesmo, mas sim evoluir e tornar-se um profissional diferenciado no mercado de trabalho.

Muitas posturas deverão ser adaptadas ao novo contexto. É preciso perceber alguns comportamentos e atitudes exigidos no ambiente profissional.

Faça a diferença, porque você pode e é competente!

Determinadas condutas que atendem às expectativas das empresas em relação aos estagiários e funcionários podem estar implícitas, portanto é preciso estar preparado para enfrentá-las. São exemplos dessas condutas: 1- Cumprimento de horário: seja responsável com o horário de entrada e saída; chegue sempre com antecedência de 15 minutos, pelo menos. Nunca fique esperando ociosamente pelo horário de saída. 2- Vestimenta: use roupas discretas, limpas e adequadas, afinal roupas de baladas têm local certo. Evite muitos adornos, perfumes fortes ou excesso de maquiagem.

16

Prof.ª Me. Silaine Tavares Toro da Silva Cursos de Graduação Unidade São Paulo/Santa Teresinha


Sou

UNISAL

A

Revista UNISAL conversa com o colaborador Celso Eduardo Clemente (51), Supervisor de Recursos Humanos da Unidade Campinas, Campus Liceu Salesiano, desde 2002. Pai de Flávia (29) e Ricardo (23), é graduado em Administração e pós-graduado em Gestão de Pessoas no próprio UNISAL. Celso se define como uma pessoa do bem, que cultiva boas e verdadeiras amizades. O profissional Tenho mais de 20 anos de experiência com serviços relacionados a Departamento de Pessoal. Considero-me dedicado, gosto de agir com correção. O que é certo, é certo. Muitas vezes chego a ser metódico, mas me esforço sempre para cumprir minhas tarefas da melhor maneira possível e tratar todos com respeito. E nas horas vagas? Gosto muito de esportes. Sempre joguei futebol, apesar de estar parado há um longo tempo! Recomecei a praticar semanas atrás e me matriculei na academia do Liceu. É importante para a saúde também. Torço pelo Guarani, assisto aos jogos. Outra coisa de que gosto bastante e faço sempre que posso é viajar. Trajetória Salesiana Minha trajetória foi interessante. Trabalhei no Colégio Liceu e, pouco depois de o UNISAL iniciar suas atividades com o Curso de Direito em Campinas, passei a integrar a equipe de colaboradores, exatamente em 25 de fevereiro de 2002. Comecei como Auxiliar Administrativo de Serviços Externos, mas logo, meu gerente da época, o “Toninho” (Antônio José dos Santos) me chamou para fazer um treinamento no departamento pessoal. Por lá fiquei durante nove anos e tive uma excelente professora: Márcia Bernardino Andrade, a quem devo todos os ensinamentos que obtive sobre o setor.

Digo com orgulho que o UNISAL é uma das minhas ~ Venho trabalhar paixões. contente e tenho prazer em fazer parte dessa equipe.

Em 2010, nosso Campus passou a ter estrutura física e equipe próprias – anteriormente, era com o Colégio. A partir daí, foi desenvolvido um departamento de Recursos Humanos e passei a integrá-lo. Digo com orgulho que o UNISAL é uma das minhas paixões. Venho trabalhar contente e tenho prazer em fazer parte dessa equipe. Meus colegas de trabalho são profissionais conscientes e sabem que trabalhar em uma Instituição Salesiana é algo sério, porém prazeroso. Nosso ambiente é muito saudável. Passagens mais marcantes São muitos anos, então as histórias são diversas, mas gosto muito do período de Festa Junina. As nossas, organizadas pelo Colégio Liceu, têm uma tradição muito forte em Campinas, todos participam. Já, especificamente do UNISAL, cito nossas confraternizações de fim de ano. Houve uma de que me recordo ter sido a mais divertida, realizada em uma fazenda tradicional da cidade. Almoço fantástico, muitas risadas, piscina, toboágua. Guardo com carinho essas lembranças, assim como praticamente tudo o que acontece aqui.

17


EU, PESQUISADOR

XVI Mostra de Produção Científica

O

UNISAL conta com importantes veículos de divulgação de seu trabalho científico, tais como revistas especializadas e eventos regulares realizados por área do conhecimento. Pode-se afirmar que o ápice dessa divulgação científica ocorre por meio de sua Mostra de Produção Científica. Realizada anualmente entre os meses de outubro e novembro, a Mostra de Produção Científica do UNISAL é o evento que reúne todo o resultado da pesquisa científica e tecnológica, produto do trabalho de Alunos dos Programas de Iniciação Científica, Iniciação Tecnológica e Iniciação à Docência (programas governamentais PIBIC, PIBITI e PIBID e programas próprios BIC-Sal, BIT-Sal e BID-Sal), dos grupos de pesquisa e da comunidade acadêmica em geral. Da esq. para a dir.: Pró-Reitores, Diretor e Gerente Financeiro

Desde sua primeira edição em 2001, a Mostra de Produção Científica do UNISAL vem contribuindo para despertar cada vez mais o interesse de docentes e discentes pelo fascinante universo da ciência. Neste ano, a XVI Mostra de Produção Científica foi realizada no UNISAL Campinas, Campus São José, em 21 e 22 de outubro. O dia 21 foi dedicado à abertura do evento, que contou com a participação da Reitoria, Diretores e Gerentes Financeiros; de Docentes e Alunos do UNISAL. No dia 22 houve apresentações dos trabalhos. Em sua 16.ª edição, a Mostra contou com a exposição de mais de 300 trabalhos, divididos entre apresentações orais e pôsteres, reunindo resultados de quase todas as áreas do conhecimento. Alunos, Docentes, Orientadores e Pesquisadores puderam apresentar suas contribuições ao desenvolvimento e avanço da ciência, sempre com a preocupação de retornar à sociedade soluções que possam modificar e melhorar sua qualidade de vida.

Aluno tem projeto aprovado no Congresso Nacional de Iniciação Científica

M

atheus Gabriel Giusti Fernandes, Aluno do Curso de Publicidade e Propaganda, da Unidade Americana, teve projeto aprovado no Congresso Nacional de Iniciação Científica – CONIC-SEMESP, que acontecerá em 25 e 26.11, na Faculdade ENIAC, em Guarulhos-SP. “Agradeço imensamente ao UNISAL pela confiança e por tornar esse Centro Universitário um lugar em que é possível realizar cada vez mais pesquisas e estudos com o que podemos oferecer de melhor. Além disso, o UNISAL tem ótimos professores que me incentivam a adquirir o conhecimento de que mais preciso, especialmente o professor Daner Hornich, que não hesitou em me orientar depois que ouviu sobre o meu projeto”, diz Matheus.

Matheus Gabriel Giusti Fernandes

O Diretor de Operações da Unidade, Prof. Me. Homero Tadeu Colinas, parabenizou o Aluno pela conquista e disse: “Ficamos bastante orgulhosos com esse resultado, pois sabemos da exigência do CONIC em relação à qualidade dos projetos”.

18


EU, PESQUISADOR

O que são grupos de pesquisa do UNISAL?

O

UNISAL tem vocação intrínseca para a atuação em pesquisa, desenvolvimento e inovação. Essa vocação é aprimorada constantemente, envolvendo os mais diversos setores e áreas do conhecimento. Além disso, mantém sólidos e ativos vínculos com renomadas instituições, nacionais e internacionais, ativamente atuantes nessas áreas.

pelo UNISAL e devidamente registrados no Diretório Nacional de Grupos de Pesquisa (DGP) do CNPq. São eles: “Minorias, discriminação e efetividade de direitos”; “LaProPS – Laboratório de Processos Psicológicos e Subjetividade”; “Pesquisa em Educação, Tecnologia e Sociedade (GESTec)”; “Caracterização de Polímeros”; “Direitos Humanos”; “Violências na Escola”; “Compatibilidade Eletromagnética em Sistemas Eletrônicos”; “Ética e Direitos Fundamentais”; “Grupo de Inovação e O perfil investigativo permeia os Projetos Pedagógicos de Nanotecnologia”; “Conhecimento e Análise das Intervenções Curso, despertando forte interesse em Docentes e Alunos na Práxis Educativa Sociocomunitária – CAIPE”; “Efetividade pela atuação efetiva em pesquisa e produção científica de das Políticas Públicas, Meio Ambiente e Direitos Fundamentais”; qualidade. “Antropologia Teológica”; “Desenvolvimento Humano e Saúde mental (DHSM)”; “Sexualidade Humana”; “Desempenho Além dos programas de Stricto Sensu, em que a pesquisa e Acadêmico e Metodologias Aplicadas (DAMA)”; HIPE – História produção científica já são inerentes, a produção científica é da Práxis Educativa Social e Comunitária” e “Tecnologia, também estimulada nos programas Lato Sensu e nos Cursos de Educação e Inovação”. Os dezessete grupos cobrem áreas do Graduação, por meio de projetos interdisciplinares, projetos conhecimento como Direito, Psicologia, Educação, Engenharia de temáticos e trabalhos de final de curso. Materiais e Metalúrgica, Engenharia Elétrica, Filosofia e Teologia, e obedecem aos requisitos do CNPq e do “Regulamento O UNISAL contém regulamentos próprios de estímulo à Institucional de Pesquisa do UNISAL”. produção científica e de proteção à propriedade intelectual, proporcionando orientação clara e oferecendo segurança e qualidade ao pesquisador e ao resultado do trabalho dele. Oferece também recursos próprios de publicação por meio de suas revistas científicas, cobrindo áreas de Ciências Humanas, Ciências Exatas e da Terra, Engenharias, Ciências Sociais, Ciências Sociais Aplicadas e Ciências da Saúde, perfazendo um total de nove revistas atualmente. Todo esse resultado é fortemente lastreado pelos Grupos de Pesquisa do UNISAL, constituídos por docentes; alunos de iniciação científica, tecnológica e à docência; além de colaboradores de outras instituições, com enfoques que cobrem a maioria das áreas do conhecimento. Atualmente, existem dezessete grupos de pesquisa certificados

Prof. Dr. Eduardo José Sartori Coordenador da Comissão Institucional de Incentivo à Pesquisa do UNISAL

Jornada de Produção Científica e Prática de Estágio

M

ais de 100 pessoas estão envolvidas em uma ação que exemplifica e dá sentido ao trabalho de pesquisa realizado no UNISAL. Em 24 e 25.11, a Unidade Lorena promoveu a V Jornada de Produção Científica e Prática de Estágios. Muita gente atendeu ao chamado dos professores, que é incentivar a produção e a socialização do conhecimento científico e tecnológico por docentes e alunos. De acordo com a organização do evento, foram recebidas 424 inscrições de trabalhos com 19 temáticas diferentes, sob a forma de exposição oral e de pôster.

JORNADA DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E PRÁTICA DE ESTÁGIO 2016

19


CONSTRUINDO A CARREIRA

O que é um profissional com visão integrada?

Q

Qual é o segredo do meu sucesso profissional? Nessa perspectiva, vale entender qual é o meu sucesso pessoal. Sim, pensar em sucesso profissional requer muito mais que um bom desempenho, atualização e visão de futuro. Somos únicos, no entanto desempenhamos infinitos papéis. Desse modo, é necessário refletirmos sobre estes papéis: profissional, amigo, pai, mãe, filho, irmão, esposo, esposa, empresário, profissional liberal, trabalhador, estudante, facilitador de conhecimento etc.

Consequentemente, torna-se importante refletirmos sobre atitudes assertivas em cada função que desempenhamos, e, também, sobre o nosso nível de comprometimento naquele ou neste papel. É a partir disso que faço o convite a uma avaliação “das ações nossas de cada dia”. O que desejamos aqui e agora e quais os próximos passos para o esperado futuro de sucesso, integrando os aspectos pessoais e profissionais? Assim, vamos imaginar nossas atuais necessidades quanto ao percurso profissional. Isso implica avaliarmos alguns aspectos como: Onde estou, quais são os meus valores, minhas expectativas e meu perfil profissional? E aonde quero chegar?

Essas diferentes etapas orientam nosso desenvolvimento profissional, possibilitando melhor desempenho futuro. Se, como profissionais, tivermos uma visão futura clara e objetiva do que se quer e aonde se quer chegar, teremos mais facilidade para realizar as ações indispensáveis dentro de um plano bem definido. Isso possibilitará saber o que queremos, por que queremos e a forma como faremos. Dessa maneira, com clareza e visão integrada, conseguiremos definir o grau de importância dos aspectos pessoais conjugados ao desempenho do papel profissional. E quais os benefícios que obteremos com isso? Certamente, vários aspectos importantes surgirão: oportunidade de profundo autoconhecimento; autodesenvolvimento; aumento no foco; automotivação; aumento na capacidade de realização; autoconfiança; equilíbrio no desempenho dos diversos papéis (profissional e pessoal); autoestima; plenitude e satisfação.

Torna-se importante refletirmos sobre atitudes assertivas em cada papel que desempenhamos, e, também, sobre o nosso nível de comprometimento naquele ou neste papel.

Quais são as metas para o alcance dos meus objetivos? Quais são as ações importantes para caminhar em direção ao estado pretendido? A cada novo passo, faz-se necessário analisar quais são meus acertos e, ainda, quais ações precisam ser reavaliadas e revistas para corrigir a rota do percurso trilhado, no sentido de mantermos o rumo e coerência de onde se quer chegar.

Prof.ª Me. Evelin Martins – Curso de Psicologia Unidades Americana e Campinas/Liceu Salesiano 20


SOCIEDADE

O que é moda inclusiva e sua relação com a sociedade?

A

o pensar em Moda é possível que a grande maioria das pessoas se lembre do glamour das celebridades, das passarelas internacionais, da efemeridade do consumo desenfreado e também das imposições da indústria cultural, tão bem estudadas por Theodor Adorno e Max Horkheimer. O capitalismo parece dirigir o olhar àquilo que é pasteurizado e esteticamente lapidado para parecer perfeito, caro e vendável, deixando de lado o que é mais importante para uma sociedade mais justa. A Moda Inclusiva é especial, uma vez que trata do design de roupas e produtos voltados para melhorar a qualidade de vida daqueles que têm alguma necessidade. São eles crianças, adultos, cadeirantes, usuários de próteses, deficientes visuais, auditivos, hemiplégicos (com movimentos limitados em um lado do corpo), entre outros. Ao dedicar-se ao desenvolvimento da atividade, o designer avalia com precisão a ergonomia e funcionalidade, associando a beleza com mobilidade, conforto e praticidade às roupas e acessórios. Em países europeus e também nos Estados Unidos, o assunto já é tratado há mais tempo pela área por meio de organizações e iniciativa privada, que se dedicam ao tema. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 10% da população mundial tem algum tipo de deficiência. Já, no Brasil, de acordo com dados recentes do IBGE, mais de 23% tem tal característica, representando mais de 45 milhões de pessoas em nosso território. Na França existem grifes especializadas no assunto, como a A & K Classics, do estilista Chris Ambraisse, que une design às necessidades de pessoas portadoras de deficiência. No Reino Unido destaca-se a designer Louisa Summerfield, cadeirante e fundadora da marca Wheeliechix-Chic, que nasceu a partir das dificuldades da fundadora em encontrar roupas para seu uso. No Brasil destaca-se a grife Lado B, da designer e fisioterapeuta Dariene Rodrigues, que palestrou sobre o tema no UNISAL Americana – Campus Dom Bosco. A Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo desenvolveu o concurso Moda Inclusiva, com edição anual a partir de 2009, sendo direcionado a estudantes de cursos técnicos e universitários. O concurso já deu destaque à egressa do Curso de Moda do UNISAL – Suzana Hetzel e, mais recentemente, à aluna Maria Vithoria Squilace, que foi finalista da edição internacional do concurso. O evento é um estímulo para que os jovens desenvolvam soluções diversas que facilitem a usabilidade e beneficiem a autoestima dos usuários.

A dedicação dos jovens à atividade estimula o desenvolvimento de práticas que complementem tal trabalho. A fotógrafa Kica de Castro direcionou o trabalho de sua agência à inserção de modelos portadores de algum tipo de deficiência no mercado de trabalho, em parceria com a agência Visable de Berlim, que oferece os serviços da agência pela Europa. No meio digital também surgem iniciativas. Michele Simões desenvolveu o projeto #MEUCORPOEREAL (meu corpo é real). A ideia surgiu para levar às confecções e indústria têxtil o conhecimento e informações sobre os tipos corpóreos que a indústria não contempla, buscando despertar o interesse dessa indústria e sociedade, estimulando a divulgação de histórias e pessoas, e mostrando que a diversidade dos corpos existe e precisa ser contemplada. O Curso de Moda do UNISAL busca, a partir dos trabalhos interdisciplinares, estimular o olhar ao outro e o desenvolvimento de atividades que celebrem uma sociedade mais justa. O estímulo para as atividades múltiplas e a dedicação com as minorias é também função do designer, especialmente no UNISAL. Ao observar o ânimo dos jovens nesse trabalho de cara importância, sentimos a clara presença daquele que é a razão de início e continuidade de nosso trabalho: Dom Bosco.

A moda inclusiva é especial, uma vez que trata do design de roupas e produtos voltados a melhorar a qualidade de vida.

Prof. Me. Daniel Basso Polezi Coordenador do Curso de Moda Unidade Americana 21


CULTURA

Estudos via mobile: apps e outros recursos digitais

E

ntende-se que, nos últimos anos ou até mesmo em décadas, o aumento da comunicação humana mediada por dispositivos computacionais para fins educativos acarretou uma proliferação de tecnologias com o propósito de oferecer ambientes educacionais on-line. Essa inovação trouxe de volta a discussão do papel do professor no processo de ensino-aprendizagem. Com a introdução de sistemas de comunicação mediada pelos dispositivos computacionais, suscita a necessidade de novas práticas de ensino que nos levem a novas reflexões sobre o papel do professor no processo de ensino-aprendizagem. O ensino presencial e o on-line requerem práticas diferentes em razão do novo conceito de tempo e espaço, da mídia e também da pedagogia apropriada aos ambientes colaborativos on-line. De nada adianta, porém, implementar recursos de tecnologia nos cursos de Educação a Distância (EaD) se estes não são estruturados com suporte em teorias pedagógicas. Nesse sentido, é de fundamental importância o entendimento dessas teorias voltadas para o contexto e público específicos que se pretende atingir. Em se tratando de especificidade, um dos ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) mais utilizados mundialmente é o Moodle (Modular Object Oriented Distance Learning), no entanto é preciso pensar: quais são as vantagens dessa ferramenta?

Em um sistema disponibilizado em rede, como a internet, você pode usufruir de recursos que, conforme evoluam em versão, sejam melhor aproveitados e direcionados para auxiliar no processo de ensino-aprendizagem. Com isso, necessitam ser mensurados de tal forma que a utilização traga mais benefícios do que prejuízos. Diante desse cenário, pergunto: a tecnologia veio para facilitar a vida do aluno? E, nesse caso, o Moodle via mobile seria utilizado durante as aulas? O Moodle, além de sistema web, provê um aplicativo conhecido como Moodle Mobile, disponibilizado pelo próprio moodle.org, local em que pode ser instalado pela loja de aplicativos de seu dispositivo móvel, que consiste em oferecer alguns recursos e interações entre os usuários. Agora voltemos à primeira pergunta. Creio que muitos concordam com isto, quaisquer recursos que auxiliem no aprendizado do aluno são bem-vindos e, com o Moodle, mais especificamente na versão mobile, não é diferente. A utilização dele, contudo, deve ser explorada de forma cautelosa durante a aula. O Moodle, em sua versão web, provê recursos que podem ser utilizados de forma colaborativa, por exemplo, o wiki. Entendo que a versão mobile, nesse caso, é mais interessante para interações diretas entre professor e aluno, antes e depois da aula, por meio do recurso de troca de mensagens. Mas você deve estar pensando: “para isso eu tenho o whatsapp”.

22

Está correto, mas o Moodle é um espaço em que qualquer atividade fica registrada; dessa forma, ele gera um relatório de atividades para consulta e validação. Por exemplo, se o aluno entregou alguma tarefa ou se o professor disponibilizou material para realizar a atividade. Por falar em atividade, o Moodle Mobile disponibiliza ao aluno um recurso de notificação de vencimento do prazo de uma tarefa. Destaco mais uma alternativa do Moodle Mobile, que é a de realizar o download do material que o professor disponibiliza e fazer a leitura em qualquer momento ou lugar. Creio que isso já é um ganho de tempo e dinheiro. Concluindo, quaisquer alternativas que possam surtir efeito positivo na aprendizagem do aluno são bem-vindas.

Prof. Luiz Carlos Rosa Jr. EaD – Unidade Lorena


In Pulso 2016-2017 A In Pulso – Incubadora de Ideias e Projetos de Alunos do UNISAL, em Americana, criada em 2012, tem o objetivo de acelerar a inclusão de pesquisa, desenvolvimento, inovação e empreendedorismo à cultura acadêmica dos seus cursos. Para tanto, a In Pulso busca viabilizar ideias e projetos discentes com potencial para produzir conhecimentos, produtos, processos ou serviços inovadores, preparando jovens empreendedores e suas startups para atuarem a partir do paradigma da geração sustentável de trabalho e renda, isto é, com planos de negócio estruturados de forma ambientalmente correta, socialmente justa e economicamente viável. Atualmente a In Pulso possui canais de apoio ao Aluno. Um deles é a Mostra In Pulso, realizada anualmente em outubro, é um evento público que expõe os melhores projetos discentes prospectados e desenvolvidos ao longo do ano letivo em função dos potenciais acima mencionados. No evento, os melhores projetos são selecionados por uma comissão formada por empresários, gestores de incubadoras, jovens empreendedores já no mercado, entre outros, além da participação do público visitante.

Esses projetos são certificados e premiados na cerimônia de encerramento do evento. Como exemplo de projetos premiados na Mostra In Pulso, temos: viabilização de playground para cadeirantes, fresadora de três eixos controlada por computador, casa automatizada controlada por smartphone e tratamento de águas cinzas domésticas por wetland contendo macrófitas aquáticas: estudo de caso em comunidades rurais. Em 2016, o edital de pré-incubação está em sua segunda edição com 17 projetos participantes do processo seletivo em curso (em 2015 foram 14 projetos), cujos temas não podem ser divulgados em razão da cláusula de sigilo comercial estabelecida nos termos de compromisso de incubação. Contato: inpulso@am.unisal.br

CdE é reconhecido pela Endeavor

A

Endeavor, organização de fomento ao empreendedorismo, reconheceu o TIP (Tirando ideias do papel) do Centro de Empreendedorismo da Unidade Lorena como umas das quatro iniciativas de sucesso quando o assunto é educação empreendedora do País. A notícia foi publicada no site Movimento Educação Empreendedora (educacaoempreendedora.org.br). A intenção foi trazer a público boas práticas aplicadas na formação empreendedora. “A Endeavor trabalha com o empreendedorismo de alto impacto, ou seja, quer mostrar o trabalho de agentes de mudança que provocam alterações positivas na economia de uma cidade, região ou até Estado”, revela Leandro Costa, coordenador do Centro de Empreendedorismo do UNISAL.

“Para dar luz às principais iniciativas de educação empreendedora no País e possibilitar a disseminação do conteúdo, a Endeavor e o SEBRAE lançarão periodicamente materiais explicativos sobre iniciativas diferentes, em formato texto e vídeo, que possam inspirar outras instituições e profissionais. Com o TIP, foi possível conhecer o trabalho de outras instituições acadêmicas e compreender o processo de tomada de decisão, critérios, desafios, processos e detalhes de sucesso.

23


Radar

UNISAL UNIDADE AMERICANA

VII Seminário sobre Educação Sociocomunitária discute cultura, sociedade e ações educativas O Curso de Mestrado em Educação, da Unidade Americana, realizou de 21 a 23.09, no Campus Maria Auxiliadora, o VII Seminário sobre Educação Sociocomunitária, com o tema: “Educação Sociocomunitária: cultura, sociedade e ações educativas”. Participaram do evento Alunos do Mestrado e houve a apresentação de 46 trabalhos que nortearam o eixo proposto. Na abertura do Seminário, o Prof. Dr. Marcelo Firer (IMECC UNICAMP) falou sobre os museus de ciências e as atividades educativas do Museu Exploratório de Ciências – UNICAMP, onde foi diretor de 2008 a 2013. Entre as mesas-redondas discutidas nos dias seguintes, houve debates sobre: “Relações Membros da mesa-redonda etnicorraciais: Brasil-África”; “Educação Sociocomunitária e práticas educativas”, mediada pela Prof.ª Dr.ª Renata Sieiro Fernandes (UNISAL); além de reflexões sobre os filmes: “Abraço da Maré” e “Do meu lado”, que trouxeram a pauta dos Direitos Humanos nos dias atuais. No encerramento do evento, houve apresentação de comunicações, pôsteres e mostra de pesquisas dos Mestrandos.

Alunos de Pedagogia promovem a Semana do Educador em Ação Entre 17 e 24.10, os Alunos do Curso de Pedagogia da Unidade Americana, Campus Maria Auxiliadora, realizaram o evento Educador em Ação. Marta Mancini, coordenadora do Curso de Pedagogia, destacou a importância do protagonismo dos Alunos para o Educador em Ação: “A participação dos Alunos é de extrema importância para que o evento cumpra seu objetivo, que é trazer temas diferenciados para os Estudantes”. A palestrante Mayara Pacheco Coelho discursou sobre o tema “Gênero e Educação”, e Ana Carla Canuto discursou sobre “Construção da Autonomia Moral: um convite à reflexão sobre regras na escola”.

Palestrante Elaine Prado

Nos dias subsequentes foram discutidos temas como: “Educação Popular, gênero e culturas: contribuições para a valorização da diversidade” abordados pelas professoras Fabiana Rodrigues Sousa de Sante e Valéria Oliveira de Vasconcelos. Durante a semana, também foram apresentados os temas: “Educação Sexual na Escola: a transmissão de conhecimentos através de oficinas”, com Domingo Nunes, “Situacionistas, arte, política e urbanismo”, com Silvana Lavor; e “Arte urbana e microações políticas”, com Renata Sieiro Fernandes. O encerramento do evento contou com a premiação da Aluna do Curso de Pedagogia e também docente do UNISAL, a Prof.ª Rita de Cassia Fossaluza Ferreira, pelo I Criatividade em Ação: poesia que liberta e atividades com o tema: “Musicalização”, com Elaine Prado.

24


RADAR UNISAL

UNIDADE CAMPINAS/SÃO JOSÉ

I Fórum de Engenharia Civil De 17 a 19.10, por meio da Coordenação de Engenharia Civil, foi realizado o I Fórum de Engenharia Civil, com o intuito de fornecer subsídios aos profissionais e Estudantes que atuam no mercado da Engenharia Civil. O Fórum promoveu a interação entre as disciplinas aplicadas ao Curso para os Estudantes e público em geral. “O Evento foi de extrema importância, pois promoveu, durante a SNCT – Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, o encontro de renomados profissionais com os Alunos e comunidade, apresentando pesquisas, tecnologias e soluções para diversos ramos da Engenharia Civil e para o mercado de trabalho” disse Adriana A. Ambrósio de Souza, Coordenadora do Curso.

Uma das palestras do Fórum

Encontro com empresários parceiros de Campinas Em 18.10, a Unidade Campinas, Campus São José, promoveu o primeiro encontro com empresários da região, com o intuito de estreitar o relacionamento. O evento contou com a presença de representantes de várias empresas da região, como: Robert Bosch, Phoenix Contact, Banco Safra, CIEE, FEETA RH, entre outros. Após a apresentação institucional do UNISAL, houve a palestra: “Brasil e Economia”, com Mario Eugênio Pavani, Superintendente do Banco Safra de São Paulo; e outra sobre: “As competências que as empresas buscam nos jovens”, com Rosangela Pereira, Gerente Regional do CIEE (Centro de Integração EmpresaEscola).

Da esq. para à dir.: Ir. Marcelo Santos, Rosangela Pereira, Anderson Barbosa, Mario E. Pavani

UNIDADE CAMPINAS/LICEU SALESIANO

Intervalo Cultural promove exposições de arte e premiações a Alunos A Unidade Campinas/Liceu Salesino realizou, em 27.10, uma edição especial do Intervalo Cultural, evento organizado pela Biblioteca, Pastoral, Marketing e SAE – Serviço de Apoio ao Estudante, que busca trazer aos Alunos diferentes tipos de contato com a arte e a cultura. Durante tarde e noite, no espaço da Biblioteca Dom Nery, o público acompanhou as exposições sobre “Pontilhismo”, da artista visual Ana Lívia Vidal, da obra “Doe uma História”, da artista plástica Daniele Castelani, de quadros pintados por Alunos do UNISÊNIOR – Universidade Aberta à Terceira Idade e da crítica literária “Vida e Obra de Dostoiévski”, do colaborador Luis Guilherme Ribeiro. Já na Área de Apresentação musical Convivência, houve apresentação musical do Aluno Felipe Passos, do 2.º semestre do Curso de Direito e premiação aos Alunos que mais retiraram livros na Biblioteca durante o ano letivo de 2016. “Anualmente buscamos realizar o Intervalo Cultural com participação ativa da Biblioteca para que os Alunos possam ampliar seu contato com a arte. Premiar a retirada de livros também é positivo para incentivo à leitura”, explica a bibliotecária Luzinete Tarnoschi, uma das organizadoras do evento.

25


RADAR UNISAL

IV Semana da Vida trata temas como Violência Doméstica e Inclusão A Unidade Campinas, Campus Liceu Salesiano, realizou entre 3 e 6 de outubro, a 4.ª edição da Semana da Vida, cujo objetivo trouxe ações de conscientização, intervenções artísticas e atividades culturais com envolvimento maciço dos Alunos. O Curso de Psicologia abriu a Semana da Vida com atividade musical sobre o tema: “É preciso amar para poder pulsar!”. No segundo dia, Alunos de Direito organizaram uma campanha de conscientização a respeito da Violência Doméstica. Na oportunidade, visitaram salas de aula e a área de convivência durante o intervalo, portando cartazes e apresentando dados sobre a violência contra a mulher. “Uma em cada três mulheres relatam já terem sido vítimas de violência dentro de Alunos do Curso de Direito casa. São dados que chamam a atenção e, por isso, buscamos a conscientização para que essa seja uma situação extinta dentro da nossa sociedade”, diz a aluna Mirian Magalhães, uma das organizadoras da campanha. Outro tema abordado foi a segurança nos esportes, no Curso de Educação Física, que ressaltou a importância da utilização de equipamentos de proteção na prática do skateboard. “A nossa missão é despertar a consciência para o uso de capacete na prática de esportes e lazer. Perdi meu filho por traumatismo craniano após um acidente de skate e, para que outras mães não passem por isso, nasceu o nosso grupo”, conta Andrea Wanger, do Grupo Movimento Sem Trauma, composto por 16 pessoas que apoiam essa causa. Para fechar as atividades do evento em 2016, no tema Inclusão, houve apresentação da música “Vez da Voz” em Libras – Língua Brasileira de Sinais, com as Alunas do Curso de Pedagogia.

UNIDADE LORENA

III Seminário PIBID promove integração entre escola e universidade Em 27 e 28.10, a Unidade Lorena realizou o III Seminário Salesiano PIBID (Programa Institucional de Bolsas à Iniciação à Docência). Com o tema: “Formação de professores”, o Seminário PIBID teve como base as políticas da CAPES para a formação de Professores da Educação Básica e reuniu futuros Educadores, Professores e profissionais da Educação da Região do Vale para troca de experiências de saberes pedagógicos. A edição contou com a presença do Diretor da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá/UNESP, Prof. Dr. Mauro Hugo Mathias. Foram três dias de oficinas, rodas de conversa, apresentações dos projetos PIBID pelos Bolsistas e Coordenadores, com Participantes do evento debates posteriores para troca de experiências, encontro das escolas públicas e Bolsistas do PIBID para avaliação. Em 28.10, foi lançado o livro do PIBID – UNISAL, que contou com a colaboração dos representantes das instituições em sua produção. O evento foi uma realização do PIBID, Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência; CAPES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá (UNESP) e UNISAL.

26


RADAR UNISAL

V Semana das Engenharias De 24 a 29.10, a Unidade Lorena/São Joaquim sediou a V Semana das Engenharias. O evento foi organizado pela Coordenação dos Cursos de Engenharia (Produção, Civil, Elétrica, Eletrônica, Mecânica e Computação). Durante a semana também foi realizado o “I Simpósio Internacional de Projetos em Engenharia e em Tecnologia (SIPET)”, com o tema: “Projetos associados à Educação em Engenharia”. O evento incluiu palestras, workshops e apresentação de trabalhos científicos. Ainda dentro da Semana das Engenharias, o UNISAL realizou o “I CDIO Brazilian Meeting”. Resultado do reconhecimento Participantes do evento das Engenharias do UNISAL por parte da Organização internacional, graças ao plano de ensino, à estrutura e, principalmente, à aplicação de Metodologias Ativas de aprendizagem promovida pelo LIA (Laboratório de Inovação Acadêmica). Entre os dias 26 e 27.10, 22 instituições públicas e privadas das mais qualificadas no ensino de Engenharia, de cinco estados, estiveram na Unidade. A formação foi realizada no LMI (Laboratório de Metodologias Inovadoras) do UNISAL. “Foram mais de 40 Professores, Coordenadores e Diretores dessas IES aqui conosco”, revelou o Coordenador do Curso de Engenharia de Produção, Professor Lucio Veraldo.

UNIDADE SÃO PAULO/SANTA TERESINHA

XVI Encontro de Educação A Unidade São Paulo, Campus Santa Teresinha, promoveu gratuitamente, entre os dias 19 e 21.09, o XVI Encontro de Educação, evento realizado pelo Curso de Pedagogia, que reuniu Alunos, Professores das redes públicas e particulares de ensino, profissionais que atuam na gestão educacional (Coordenadores Pedagógicos, Diretores de Escola, Orientadores Educacionais e Supervisores de Ensino) e pessoas da comunidade para debater o tema “Educação Especial”. O Encontro contou ainda com a presença de diversos profissionais e especialistas para discutir o real cenário da inclusão dentro das escolas do Brasil. O Prof. Dr. Gabriel Chalita fez a palestra magna sobre Prof. Dr. Gabriel Chalita “Educação Especial: os muitos porquês e ética”. No dia 20, Alunos realizaram oficinas práticas, da percepção ao tato, da inclusão por meio da arte ao trabalho, com teatros e debates. No encerramento do evento, o filho do cantor Roberto Carlos, Dudu Braga ou “Segundinho” participou de mesa-redonda com a Prof.ª Dr.ª Rosângela Gavioli Pietro e o Prof. Mário Augusto Costa Valle sobre a necessidade de discutir a Educação na sociedade.

27


ESPECIAL

Projeto Pedagógico Diversificado

A

s Instituições de Ensino Superior configuramse como um locus de produção, construção de conhecimento e privilégio à socialização. Uma comunidade acadêmica que convive com alunos com deficiências e diversidades caracteriza-se como espaço para concretizar sonhos e projetos de vida, quando a acolhida, o convívio e o apoio mútuo fortalecem a inclusão. A educação inclusiva tem sido um desafio para a Educação Superior, no sentido de se ter um norte de como agir diante da deficiência visual e auditiva, da paralisia cerebral, entre outras.

A equipe pedagógica, por meio de entrevista com o educando, verificará o tipo de deficiência, o histórico escolar, os medicamentos usados, laudos médicos etc., para elaborar uma ficha cadastral que permita verificar o apoio ao desenvolvimento, a permanência do aluno, os recursos a serem oferecidos pela IES, a formação contínua dos professores e as responsabilidades da família. A avaliação da aprendizagem, atendendo aos conteúdos programáticos, deve ser feita com objetivos e critérios definidos, com dilação de prazo, provas orais e demais modalidades definidas para cada caso, no PPD. Uma IES, que valoriza a Educação inclusiva, deverá instituir políticas de inclusão e demover ações de exclusão por meio de seu PPD, de modo a cultivar ações pautadas no respeito à diversidade e às deficiências, pelo papel que elas representam no contexto social.

É imprescindível destacar que a Constituição Federal/1988, em seu artigo 206, garantiu o princípio de “Igualdade de condições de acesso e permanência na escola”. Estudos de teóricos sobre a Educação Inclusiva, em nível de Ensino Superior, políticas públicas, Declaração dos Direitos Humanos, tratados internacionais, normatizações do MEC, LDB, entre outros, têm sido objeto de reflexão e mesmo de ansiedade para as IES e seus professores, pois pressupõem adequações curriculares, metodológico-pedagógicas e avaliativas, por exemplo, aos incluídos, bem como a postura de todos os envolvidos no processo: Instituição de Ensino Superior, família e profissionais de apoio.

Uma IES que valoriza a Educação Inclusiva deve cultivar ações pautadas no respeito à diversidade e às deficiências.

Recentemente, foi promulgado o Estatuto da Pessoa com deficiência – Lei n. 13.146/2015 – de leitura obrigatória, a explicitar exigências, em seu artigo 30 e incisos, para o processo seletivo de ingresso e as estratégias pedagógicas para a efetiva permanência dos alunos com deficiência nos cursos oferecidos pelas Instituições de Ensino Superior e de Educação Profissional e Tecnológica, públicas e privadas. Por isso, a obrigatoriedade de um Projeto Pedagógico Diferenciado (PPD) que proponha acesso, adequação e flexibilidade ao aluno em inclusão. As adaptações didático-pedagógicas levarão em conta o ritmo e as dificuldades no processo de aprendizagem, mediante assessoria contínua da Equipe Pedagógica de Atendimento ao Aluno e do Núcleo de Apoio ao Professor. Prof.ª Dr. ª Ana Maria Melo Negrão – Curso de Direito Unidade Campinas/Liceu Salesiano 28


ESPECIAL

Preparação para o ENEM 2016

O

UNISAL, com o objetivo de apoiar os jovens no ENEM, patrocinou uma série de dicas que foram veiculadas no segundo semestre de 2016, na TV Band. Os vídeos também foram publicados na fanpage da Instituição. A exemplo de mais de 1.700 municípios de todo o País, que receberam os estudantes inscritos nessa edição, o UNISAL abriu as portas da instituição, em 05 e 06.11, para receber aproximadamente 9.000 jovens nas cidades de Americana, Campinas e Lorena, a parceria do UNISAL FundaCred, que oferece o CredIES (Crédito Universitário), fez uma ação de relacionamento com os candidatos do ENEM nas Unidades, com promotores e entrega de brindes. Além disso, os jovens foram recepcionados por dezenas de pessoas contratadas pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pela aplicação da prova, nas salas da instituição.

ENEM - Unidade Campinas - Liceu Salesiano

Curso Preparatório gratuito O UNISAL oferece nas Unidades Campinas/Liceu Salesiano e Lorena/São Joaquim o Curso Preparatório para o ENEM. As aulas são gratuitas, acontecem nas manhãs de sábado e são ministradas por professores e alunos voluntários. O público-alvo são alunos do Ensino Médio. O objetivo do Curso é aperfeiçoar os conhecimentos nas quatro áreas contempladas no Exame Nacional do Ensino Médio. As aulas são distribuídas entre linguagens e redação, matemática, ciências da natureza e ciências humanas, todas envolvendo as respectivas tecnologias.

ENEM - Unidade Campinas - São José

De acordo com a Coordenadora do Curso de Pedagogia do Campus Liceu Salesiano, Rosemary Cardoso Cabral, uma das idealizadoras do projeto, “o curso não é dividido em disciplinas, mas nas quatro áreas do conhecimento, preparando os estudantes para o momento do ENEM, que atualmente é ainda mais importante para quem quer chegar ao Ensino Superior”.

29


Crowndfunding é foco de estudo de Ex-Aluno

pra sempre Programa de Relacionamento com o Ex-Aluno

Vinicius Maximiliano Carneiro, também conhecido como Mr. Crownd, formou-se em Direito pelo UNISAL, em 2009. O Egresso tem MBA em Direito Empresarial pela FGV, é especialista em Direito Eletrônico pela PUC (MG), com experiência em diferentes campos que exploram desde assessoria de grandes estúdios de Hollywood, por meio da MPAA (Motion Picture Association), até a vice-presidência do Conselho Deliberativo SESI-SENAI. Maximiliano, além de tudo, é um empreendedor, seja em seus projetos pessoais ou em suas conquistas profissionais. Ele é autor do livro e E-book “Dinheiro da Multidão”, que trata sobre Financiamento Coletivo.

Em setembro, o advogado esteve no UNISAL para participar da XXXI Semana Jurídica, quando falou sobre Financiamento coletivo à luz da diversidade jurídica brasileira, assunto no qual é referência no Brasil. Causas sociais, produtos inovadores, startups e investimento imobiliário são algumas das frentes em que o uso do Financiamento Coletivo (crowdfunding) consegue reunir milhares de doadores/financiadores. Assim, de forma simples e rápida, há a possibilidade de tornar uma ideia real sem a burocracia dos grandes conglomerados financeiros. De acordo com o Egresso, o Financiamento Coletivo não é um modismo, veio para ficar. De fato, mais e mais pessoas, a cada dia, decidem utilizar esse formato de exposição de seus projetos para angariar fundos. No entanto, milhares de financiadores já estão se habituando a buscar pela internet opções de investimento e doação nesse formato, em razão de sua praticidade e agilidade, se comparado aos métodos convencionais de doação que existem no Brasil. Confira a seguir trechos da entrevista. Um Financiamento Coletivo pode ser realizado para qualquer tipo de projeto? Sim. Ele surgiu para viabilizar projetos solidários, mas hoje em dia há várias opções. Percebeu-se que essa possibilidade de agregar pessoas em volta de um projeto também poderia gerar capital. Esses projetos podem ser: campanhas de recompensa, campanhas de causas sociais, lançamento de startups e investimento imobiliário. No último levantamento que fiz, verifiquei que cerca de 20% dos projetos inscritos são viabilizados. Quando comecei a estudar o Financiamento Coletivo no Brasil, entrei em contato com as plataformas on-line existentes, mas ninguém queria falar sobre elas, porque não há nenhuma legislação sobre o assunto. Foi aí que eu comecei a explorar esse campo desconhecido. Como o Financiamento Coletivo está sendo regulamento no Brasil? A Comissão de Valores Imobiliários (CVM) já abriu uma consulta pública para criar um regulamento para o Financiamento Coletivo, que prevê várias aplicações em diversas áreas. Eles estão sendo vanguardistas e criando um texto juridicamente complexo, se comparado a outros países. É um conteúdo que deve ser lido por muitos profissionais, pois está tratando de temas que mudam muitas relações empresariais, como questões que o Direito Empresarial não previa. A CVM está inovando, intervindo em enquadramento de empresa e faturamento, por exemplo. Mas a CVM tem poder para isso? Tecnicamente sim, juridicamente não. Mas, se ela não fizer isso, o mercado para. E ninguém irá barrar. Um fato interessante é que a CVM está seguindo meu livro “Dinheiro da Multidão”. Alguns representantes da Comissão entraram em contato comigo antes de sair a consulta pública e me convidaram para participar dela. Foi uma surpresa! Agora eu preciso escrever um artigo técnico com uma análise do texto da CVM.

30


MOMENTO CULTURAL E LITERÁRIO DIREITO AO ENVELHECIMENTO Autora: Prof.ª Dr.ª Ana Maria Viola Unidade Lorena/São Joaquim A obra retrata um estudo que oportunizou a análise comparativa entre o Brasil e Portugal quanto ao Direito ao Envelhecimento, um direito fundamental no Brasil, país que caminha para ter a maior parte de sua população acima dos 60 anos. O IMPERATIVO ÉTICO DA MISERICÓRDIA Organizadores: Prof. Dr. P. Ronaldo Zacharias – UNISAL Prof.ª Dr.ª Maria Inês de Castro Millen – ITASA Motivado pelo Ano Santo da Misericórdia, o livro traz 16 artigos divididos em quatro partes: O princípio teologal da misericórdia; Imperativos concretos da misericórdia; Igreja e misericórdia; e Gratidão: uma questão de justiça. PEDAGOGIA SOCIAL – A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PARA ALÉM DOS MUROS DA ESCOLA: PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO SOCIAL Autor: Prof. Dr. Francisco Evangelista Unidade Americana O livro oferece rico material teórico que se apresenta entre os caminhos de compreensão da política educacional, da dialética, das práticas educacionais, das contradições, sobretudo da especificidade da Educação de Jovens e Adultos.

Teste seus conhecimentos O que significa a expressão “Sem mais delongas”? Sem mais delongas é uma expressão popular que transmite a ideia de não esperar mais por algo e ir direto ao ponto, sem atrasos ou intervalos. A palavra delongas é derivada a partir do verbo delongar, que significa adiar, atrasar, demorar e deter. Assim, o sentido da expressão é evitar a permanência do estado de demora e atraso para a realização ou concretização de determinada coisa. Exemplo: “Sem mais delongas vamos apresentar o ganhador do prêmio principal”. Uma pessoa que consegue agir ou explicar algo sem delongas; significa que é direta, sucinta e que não demora a atingir o seu objetivo. Em inglês, a expressão “sem mais delongas” pode ser traduzida, sem perder o seu sentido original, para: straight to the point ou to make a long story short, dependendo do contexto. Fonte: significados.com.br

31


VESTIBULAR 2017 O ALVO É SEU FUTURO!

Siga nossas redes sociais /unisal

unisal/linkedin

/unisal

centrounisal

unisal.br/vestibular 0800 77 12345


Revista UNISAL - Perdão e Misericórdia