Page 1

SANEAMENTO Sistema de tratamento por lodos ativados com misturadores de aeração

Centroprojekt fornecerá ETE para indústria do setor alimentício

ETE de Aldeia da Serra (SP) começa a funcionar em maio

C

om previsão para iniciar suas operações em maio, o Sistema de Tratamento de Esgoto de Aldeia da Serra, no município de Barueri, na Grande São Paulo, será um dos únicos sistemas públicos de tratamento de esgoto que funcionará até o terceiro estágio. Ou seja, além de tratar a água e o esgoto, ele vai produzir água industrial. O projeto faz parte do Plano de Saneamento Básico Municipal de Barueri, o qual prevê que todas as redes de esgoto da cidade serão interligadas à ETE. A Centroprojekt participa da obra, contratada pela Stemag Engenharia e Construções Ltda, que tem como cliente final a Sabesp. Após a sua completa instalação, a ETE terá capacidade para tratar 70 l/s (litros por segundo) de esgoto. O sistema utilizado pela CTP para tratar o esgoto gerado na região é o de lodos ativados com misturadores de aeração, composto de

ALIMENTOS

misturadores e pré-tratamento. É a primeira vez no Brasil que um sistema do tipo é aplicado em tratamento de esgoto público. Os equipamentos utilizados pela Centroprojekt nesse sistema de tratamento são: ponte raspadora do clarificador; unidade completa de pré-tratamento; rosca transportadora para unidade de pré-tratamento; 4 misturadores hiperbólicos para aeração e mistura; misturador hiperbólico para denitrificação; e Stop Log de superfície em fibra de vidro. A ETE de Aldeia da Serra será inicialmente secundária, mas o projeto prevê sua transformação, no futuro, em uma ETE terciária. Enquanto no tratamento terciário, existe a possibilidade de reutilização da água para serviços gerais, no sistema secundário a água resultante do tratamento tem a qualidade necessária para retornar ao manancial. l

Eletronorte terá estação de água potável em Tucuruí (PA)

A

Centroprojekt participará das obras de implementação e melhoria do sistema de abastecimento de água do município de Tucuruí, no Pará, onde fica a usina hidrelétrica de Tucuruí. A CTP foi contratada pela Eletrobras Eletronorte – Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. para projetar e construir uma Estação de Tratamento de Água Potável, que será responsável por 100% do abastecimento da cidade. A Estação terá capacidade de tratamento de 750 m³/h. Será pré-fabricada, em módulos de aço carbono revestido, dividida em três módulos com capacidade unitária de 250 m³/h. Além do projeto e da fabricação, a Centroprojekt será responsável pela instalação, montagem, comissionamento, treinamento e partida. A tecnologia empregada é a de tratamento convencional, com tanques abertos operando por gravidade, compreendendo as seguintes etapas: dosagem de produtos químicos, mistura rápida e coagulação, floculação mecânica, sistema de flotação com remoção de lodo mecanizada, filtros descendentes com leito filtrante de areia e antracito, acompanhado de blocos de fundo universais. l

ctpnews - 5

A

Centroprojekt está cada vez mais diversificando sua carteira de clientes. A empresa acaba de assinar um contrato com uma das maiores e tradicionais indústrias do setor alimentício do país, para o fornecimento de uma Estação de Tratamento de Efluentes por processo MBR (biorreator de membranas). O sistema utiliza membranas de ultrafiltração planas submersas, da empresa japonesa Kubota, que é simples de operar e produz um efluente final de alta qualidade para reuso. A função da ETE será tratar todos os efluentes líquidos gerados na nova unidade da indústria, que se encontra em fase de construção na cidade de Três Rios (RJ) e será responsável pelo processamento de laticínios. A Centroprojekt e a indústria alimentícia optaram pelo sistema MBR de tratamento por tratar-se de uma tecnologia que garante um efluente final com resultado superior ao requerido tanto pela legislação federal (Conama), quanto pela norma estadual (INEA). O emprego dessa tecnologia de tratamento garantirá à indústria devolver ao rio a água com qualidade igual à que foi coletada para suprir os processos industriais. A ETE deve entrar em operação em junho deste ano, mas o sistema será implantado em duas fases. Nessa primeira etapa, a capacidade média de tratamento será de 20 m³/h (480 m³/d). Já na segunda etapa, prevista para 2012, a capacidade será duplicada, totalizando 40 m³/h (960 m³/d). l


OPINIÃO

Novas conquistas para atingir a sustentatibilidade

A

s empresas brasileiras estão cada vez mais adotando políticas de prevenção ao meio ambiente, em todos os níveis da cadeia produtiva. A sustentabilidade não é apenas mais um modismo, mas de fato uma preocupação do mundo corporativo, que passou a enxergar o crescimento econômico como um aliado da natureza. O conceito de sustentabilidade pode ser resumido em ações e atividades que objetivem suprir as necessidades humanas sem comprometer o futuro das próximas gerações. Em suma, que o desenvolvimento econômico e material aconteça sem que haja agressões ao meio ambiente, e que as corporações se utilizem dos recursos naturais de forma inteligente. Recentemente, no Brasil, tivemos algumas conquistas que, com certeza, vão ajudar nessa perspectiva. Uma delas foi a aprovação da Lei de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010). Ficou definido que os governos federal, estaduais e municipais deverão elaborar seus planos para reaproveitamento, tratamento e eliminação de lixo orgânico e inorgâ-

nico, até agosto de 2012. O governo federal tem até junho deste ano para elaborar a proposta para o Plano Nacional de Resíduos Sólidos, que incluirá metas de redução, reutilização, reciclagem de resíduos, aproveitamento energético e extinção de depósitos de lixo a céu aberto, os conhecidos lixões. O prazo para os 5.565 municípios brasileiros eliminarem definitivamente seus lixões é agosto de 2014. Mas essa meta depende da implantação completa da coletiva seletiva de lixo. Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, no entanto, somente 900 municípios têm alguma experiência em coleta seletiva. A implantação da logística reversa também é um marco. As empresas (fabricantes, distribuidores e vendedores) terão que recolher seus produtos, equipamentos e embalagens de volta, quando eles não forem mais úteis ao consumidor. Pelas estatísticas mundiais, 60% do lixo produzido nas cidades são formados por material orgânico e 40% de material inorgânico, dos quais 34% são reaproveitáveis. Outra norma brasileira importante que

reconheceu a sustentabilidade como fator essencial para a sobrevivência de nosso país foi a Lei 11.445/2007, que regulamentou as políticas públicas do saneamento. Além de atribuir ao município a responsabilidade pelo saneamento, o conceito foi ampliado, passando a incluir o serviço de abastecimento de água potável, limpeza urbana, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos, drenagem e o manejo de águas pluviais urbanas. Assim como a Lei de Resíduos Sólidos, a Lei do Saneamento vem reforçar o entendimento de que a atividade empresarial, seja pública ou privada, sustentável e responsável tornou-se um quesito obrigatório. Hoje, quem pretende que seus produtos ou serviços sejam aceitos, reconhecidos e respeitados tem que se enquadrar. A Centroprojekt do Brasil compartilha desse pensamento adotando em todos os seus processos tecnologias ambientalmente corretas, que contribuem para o desenvolvimento sustentável. Crescimento produtivo e econômico sem sustentabilidade não atrai mais os consumidores.l

ASSEMAE 2011

Campinas sediará, em maio, a principal feira de saneamento

A

mais importante Feira de Saneamento do país – ASSEMAE – ocorre entre os dias 22 e 27 de maio, em Campinas, no Espaço de Eventos do Shopping Iguatemi. Neste evento, a Centroprojekt do Brasil mostrará suas principais tecnologias para saneamento ambiental. A Centroprojekt terá como destaque o sistema de aeração E-Flex Invent, que promove a distribuição do ar no tanque, de forma homogênea, por meio de difusores de ar, formando bolhas finas que resultam numa maior transferência de oxigênio para o meio líquido. Entre as

vantagens, o sistema pode ser instalado em qualquer formato de tanque e há um consumo menor de energia, de no mínimo 40%. Uma evolução dessa tecnologia é o EFlex Float, ideal para aplicação em lagoas, pois não depende de nivelamento do fundo do taque por ser flutuante. Outro processo em destaque para tratamento de efluentes líquidos é o MBBR (biorreator de leito móvel), da Aqwise. O sistema, que pode ser aplicado em processos industriais ou em saneamento público, utiliza carregadores de biomassa, com tecnologia AGAR.l

CTPNEWS É UMA PUBLICAÇÃO DOS DEPARTAMENTOS DE MARKETING E COMERCIAL Gerenciamento Editorial: Flavia Dourado Edição e Produção: Serrano & Associados e Jo Acs / More- Arquitetura de Informação (11) 2099-1135/68 Jornalista Responsável: Cacilda Luna CENTROPROJEKT DO BRASIL- Rua Alexandre Dumas, 2.200 - 2º and. - CEP 04717-910 - São Paulo - Brasil - Tel: (55 11) 3556-1100 Fax: (55 11) 5523-2473 - E-mail: comercial@centroprojekt-brasil.com.br - www.centroprojekt-brasil.com.br

ctpnews - 6


NEWS CTP Ano VIII • Número 17 • 2011

NOVOS DESAFIOS

PETROQUÍMICA

REPAR será primeira refinaria com reuso quase total de água após a UTDI II Página 2

WASTE TO ENERGY

CTP oferece nova tecnologia que gera energia com a queima do lixo Página 3

TRÊS LAGOAS

Eldorado contrata ETE para nova planta de celulose em Mato Grosso do Sul Página 4

SETOR ALIMENTÍCIO

Centroprojekt fornece ETE para grande indústria de alimentos do país Página 5 ALDEIA DA SERRA

Sistema de tratamento de esgoto de Barueri começa a operar em maio Página 5

Ruddi de Souza é o novo CEO da Centroprojekt

D

Ruddi de Souza esde o dia 10 ingressa na Centroprojekt de janeiro, a do Brasil num momento Centroprojekt importante, em que a do Brasil tem um novo empresa celebra 10 anos CEO. É o engenheiro de atividades no país e Ruddi de Souza que comemora a execução de passou a administrar a uma série de projetos empresa substituindo com sucesso. Atualmeno principal acionista te, a CTP possui um voluVladimír Kudela, o me de negócios da qual deverá dedicar-se ordem de R$ 300 milhões mais intensamente à e oferece ao mercado as gestão do grupo a parmelhores tecnologias distir da matriz na Repúponíveis para: sistemas blica Tcheca. A troca de tratamento de água, de comando ocorre esgoto sanitário, efluennum momento de tes industriais e controle expansão dos negóde poluição atmosférica. cios da Centroprojekt Ruddi de Souza tem pelo mundo, o que exicomo principal desafio ge a contratação de Ruddi de Souza: ampliar a participação da novos executivos em “meta é o crescimento” Centroprojekt no mercamercados estratégicos, do brasileiro, tornando-a como é o caso do Brasil. Formado em engenharia eletrotécnica líder no segmento de engenharia e com MBA pela Insead da França, Ruddi ambiental. “Estou muito feliz por me de Souza iniciou sua carreira profissional integrar à Centroprojekt do Brasil em um na ABB, onde exerceu funções de gestão momento tão importante. Sei, por expenos segmentos de mercado de geração, riência própria, que a empresa tem uma automação industrial, e óleo & gás. Mais excelente reputação pela qualidade de tarde, trabalhou na Alusa Engenharia, sen- seus serviços e por sua base de clientes. do responsável pelo desenvolvimento das Meu trabalho será promover o crescioperações da empresa no mercado de mento da CTP a partir desses alicerces, óleo & gás, e iniciando suas atividades no para benefício dos seus funcionários, acionistas e dos clientes. O crescimento mercado chileno. Mais recentemente, era o responsável econômico do Brasil veio para ficar e a pelos negócios de infraestrutura e de pro- CTP pode ajudar as empresas dos mais jetos térmicos da Dedini Indústrias de diversos setores a aproveitar as novas Base, com volume de negócios da ordem oportunidades que se apresentam”, prevê Ruddi de Souza.l de R$ 600 milhões.

CENTROPROJEKT SE PREPARA PARA A MAIOR FEIRA DE SANEAMENTO, EM MAIO - Pág. 6


PETROQUÍMICA

REPAR será primeira refinaria com reuso quase total das águas

A

Centroprojekt está realizando em parceria com o Consórcio Passarelli Gel - REPAR (CPGR) a implantação da Unidade de Tratamento de Despejos Industriais II para a Carteira de Coque e HDT (Hydrotreating ou Hidrotratamento) de diesel da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR), em Araucária (PR). Com um avanço físico do empreendimento total em torno de 40%, a UTDI II deve entrar em operação em janeiro de 2012. Todos os efluentes, após o tratamento na UTDI, serão encaminhados para reuso na própria REPAR, que será a primeira refinaria do Brasil a reutilizar quase a totalidade da água dos processos industriais. O escopo da Centroprojekt inclui o fornecimento de materiais, equipamentos e os serviços de projeto básico e projeto executivo, condicionamento e assistência à pré-operação e partida da unidade. A UTDI II tratará todos os efluentes

Nova UTDI tratará efluentes da Carteira de Coque e HDT de Diesel

oleosos e contaminados gerados nas novas carteiras, na UN-REPAR, e inclui ainda um sistema de filtração em leito de areia por gravidade para os efluentes tratados da UTDI I existente. Os efluentes contaminados serão gradeados, desarenados e contemplam uma caixa de partição contaminada, onde por ocasião das grandes chuvas, os efluentes em excesso são desviados para o tanque de acúmulo contaminado. O efluente do TAC é encaminhado em pequenas vazões de volta ao circuito de tratamento. Os efluentes oleosos também possuem uma caixa de partição oleosa para que os efluen-

ETDI da Refinaria Abreu e Lima tem projeto básico concluído

O

tes em excesso que chegam à unidade durante as chuvas sejam desviados para o tanque de acúmulo de águas oleosas, de onde retorna ao circuito de tratamento em pequenas vazões. Os separadores de água e óleo, flotadores a ar dissolvido e filtros de casca de nozes removem todos os sólidos e óleos contidos nos efluentes, que finalmente têm sua carga orgânica rebaixada em reatores a membranas, estes sim o coração da unidade onde toda a carga é oxidada e o efluente filtrado por meio de membranas, para posterior reuso e reaproveitamento no processo industrial da unidade.l

RNEST – Refinaria Abreu e Lima (PE) produzirá efluentes de alta qualidade com a ETDI

setor de petroquímica é um dos mais importantes mercados atendidos pela Centroprojekt do Brasil. Entre as obras em andamento, podemos citar a Estação de Tratamento de Despejos Industriais da Refinaria Abreu e Lima, em Ipojuca, cujo projeto básico já está concluído. A ETDI está prevista para receber todos os efluentes oleosos, contaminados e sanitários que serão gerados na refinaria. A meta é produzir um efluente de altíssima qualidade após passar por um tratamento primário, contendo separadores de água e óleo tipo API, flotadores a ar difuso e filtros

de cascas de nozes. Os efluentes serão submetidos também a um tratamento biológico secundário, com a utilização de membranas de ultrafiltração, um processo conhecido por MBR (biorreator por membranas), com tecnologia japonesa da Kubota. Os quatro sistemas principais que integram a ETDI já foram contratados. O projeto detalhado está em andamento e tem previsão para conclusão em julho próximo. Atualmente, a obra foi iniciada pelas bases da subestação e pelas bases dos tanques de água contaminada e dos tanques de águas oleosas. A terraplenagem está praticamente concluída. l

ctpnews -2


TRATAMENTO DE AR Waste-to-Energy

Centroprojekt usa tecnologia que gera energia com a queima do lixo

C

omo empresa de solução ambiental, a Centroprojekt resolveu ampliar a sua área de atuação, buscando parcerias com empresas especializadas em resíduos sólidos e geração de energia proveniente do lixo urbano. A Centroprojekt está utilizando a tecnologia Waste-to-Energy (WTE), um processo de obtenção de energia por meio da incineração do lixo. A escolha da WTE levou em conta o enquadramento às rígidas normas internacionais de emissão de gases, além de

ser capaz de processar com eficácia lixo com alto teor de umidade, uma das características dos resíduos urbanos no Brasil. Pelos cálculos da CTP, a planta básica, a partir de 170 ton/dia, pode gerar até 50 megawatts por ano, podendo abastecer até 24 mil residências. A Centroprojekt já está oferecendo a WTE a diversos municípios e a perspectiva é de aumentar os negócios, em decorrência da nova legislação que determina o fim dos lixões em todo o país até 2014. l

Precipitadores passam por manutenção na Usina de Pelotização da Vale, em Itabirito (MG)

C

onsiderada moderna e ambientalmente eficiente, a usina de pelotização da Vale em Itabirito, Minas Gerais, que utiliza os equipamentos fornecidos pela Centroprojekt para controle da poluição atmosférica, passou recentemente por uma criteriosa inspeção e manutenção preventiva em seus quatro precipitadores eletrostáticos. O processo é necessário para

manter as condições de funcionamento dos equipamentos dentro dos parâmetros originais, ao mesmo tempo em que garante a eficácia na captação dos materiais particulados emitidos pelo forno de pelotização antes de chegarem à atmosfera. O precipitador eletrostático retém as partículas de poeira geradas no processo de pelotização, atuando na filtragem do ar que circula na entrada e saída do forno. A tecnologia utiliza-

da no desenvolvimento dos precipitadores é da suíça ELEX, uma das líderes do setor no mundo, da qual a Centroprojekt é licenciada no Brasil. A capacidade de tratamento dos gases dos quatro precipitadores da usina da Vale é de 54.985 m³/min, com eficiência de 99%, sendo que a concentração de particulados, na saída dos precipitadores, é bem menor que o exigido pela legislação federal, de 50 mg/m³ (STP dry).l

International Paper: Precipitador quase pronto

A

Centroprojekt deve encerrar em abril deste ano a instalação do precipitador eletrostático na unidade de Luiz Antônio da International Paper, no interior paulista. O equipamento tem por objetivo a retirada de sólidos resultantes da queima de biomassa, utilizada como combustível, de uma caldeira de geração de vapor e que são lançados na atmosfera por meio de chaminé. ctpnews - 3

A obra foi iniciada em maio de 2010. O precipitador está funcionando acima das expectativas da Centroprojekt. Pelo contrato, o limite máximo de resíduos a serem lançados no ar após passar pelo precipitador elestrostático é de 100 mg/Nm³. As medições de particulados realizadas mostram uma emissão de 66 mg/Nm³, corrigido a 8% de O2.l


PAPEL E CELULOSE

Fábrica da Eldorado em Três Lagoas (MS) terá estação de tratamento de efluentes da CTP

A

Eldorado Celulose e Papel Ltda assinou o contrato de fornecimento com a Centroprojekt do Brasil para a implantação da Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) em sua nova fábrica, que está sendo construída em Três Lagoas (MS). A região é considerada polo mundial da celulose. A expectativa da empresa é de que, quando estiver pronta, no segundo semestre de 2012, a unidade deverá produzir 1,5 milhão de toneladas de pasta de celulose de eucalipto por ano, nesta primeira etapa. A ETE tem por objetivo tratar todos os efluentes gerados na nova planta de celulose e enquadrá-los aos rigorosos

padrões ambientais para descarte. A unidade está situada na margem direita do Rio Paraná, junto ao ponto onde recebe as águas do Rio Tietê. A estação de tratamento terá gradeamento manual e mecanizado, sistema de neutralização, decantação primária, torre de resfriamento, tratamento biológico por lodos ativados, contendo tanque seletor – Selectar, tanque de aeração, decantação secundária, sistema de recirculação de lodos, sistema de dosagem de produtos químicos e sistema de desidratação de lodo primário e biológico. A ETE estará apta a receber todos os efluentes gerados na primeira unidade da Eldorado, no prazo de 21 meses. A

capacidade nominal da nova estação de tratamento será de 6.500 m³/h de vazão nominal e máxima hidráulica de 7.800 m³/h. Após passarem pela ETE, os efluentes apresentarão DBO máxima de 2.500 kg/dia e 16 ppm, DQO máxima de 47.500 kg/dia e 304,5 ppm, com 97% de eficiência na remoção, e máximo de sólidos suspensos de 4.700 kg/dia. O contrato firmado entre a Eldorado Celulose e Papel e a Centroprojekt prevê o fornecimento da engenharia básica e detalhada, equipamentos proprietários, componentes e materiais diversos, supervisão de construção civil, supervisão de montagem, comissionamento, seguido da posta em marcha. l

Centroprojekt fornecerá aeradores de alta rotação

Novos aeradores vão melhorar qualidade dos efluentes da indústria argentina Tucumán

A

pós um intenso trabalho de diagnóstico, realizado pela divisão OMA, a Centroprojekt do Brasil propôs à indústria de papel argentina Papelera Tucumán S/A melhorias em seu sistema de tratamento de efluentes. Situada em San Justo, no norte da Argentina, a indústria se destaca por ser uma das poucas fábricas que produz papel e celulose a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A adequação e o repotenciamento da planta são necessários para que a Tucumán atenda os padrões de qualidade exigidos para descarte dos efluentes, requeridos pelo órgão ambiental da

região. Atualmente, a planta é composta por um tratamento primário, seguido por um sistema de lagoas aeradas. A partir da avaliação criteriosa do desempenho da estação já existente, de fatores como aproveitamento de unidades e equipamentos, e principalmente da urgência na implantação do novo sistema, a Centroprojekt fornecerá aeradores de alta rotação. Além da Papel Prensa S/A e da Celulosa Argentina S/A, a Papelera Tucumán é mais uma importante referência para consolidar a Centroprojekt no mercado argentino de papel e celulose. l

ctpnews - 4

CTP NEWS  

CTP NEWS - Edição 17

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you