Page 1

CARAVANA, Junho de 2003

Página 1

A CARAVANA Junho 2003 Fundado em 01/12/1966

NÚMERO 410 – ANO XXXV http://meuwebsite.com.br/Cenmc

e-mail: cenmc@hotmail.com INFORMATIVO DO CENTRO ESPÍRITA NAIR MONTEZ DE CASTRO Rua Vilela Tavares 173 - Lins Rio de Janeiro/RJ - Telefone 2595-5462

O RETORNO DO APÓSTOLO CHICO XAVIER Quando mergulhou no corpo físico, para o ministério que deveria desenvolver, tudo era expectativa e promessa. Aquinhoado com incomum patrimônio de bênçãos, especialmente na área da mediunidade, Mensageiros da Luz prometeram inspirá-lo durante todo o tempo em que se encontrasse na trajetória física, advertindo-o dos perigos da travessia no mar encapelado das paixões, bem como das lutas que deveria travar para alcançar o porto de segurança. Orfandade, perseguições rudes na infância, solidão e amargura estabeleceram o cerco que lhe poderia ter dificultado o avanço, porém, as providências superiores auxiliaram-no a vencer esses desafios mais rudes e a crescer interiormente no rumo do objetivo da iluminação. Adversários de ontem que se haviam reencarnado também, crivaram-no de aflições e de crueldade durante toda a existência orgânica, mas ele conseguiu amálos, jamais devolvendo as mesmas farpas, os espículos e o mal que lhe dirigiam. Experimentou abandono e descrédito, necessidades de toda a ordem, tentações incontáveis que lhe rondaram os passos ameaçando-lhe a integridade moral, mas não cedeu ao dinheiro, ao sexo, às projeções enganosas da sociedade, nem aos sentimentos vis. Sempre se manteve em clima de harmonia, sintonizando com as Fontes Geradoras de Vida, de onde hauria

coragem e forças para não desfalecer. Trabalhando infatigavelmente, alargou o campo da solidariedade, e acendendo o archote da fé racional que distendia através dos incomuns testemunhos mediúnicos, iluminou vidas que se tornaram faróis e amparo para outras tantas existências. Nunca se exaltou e jamais se entregou ao desânimo, nem mesmo quando sob o metralhar de perversas acusações, permanecendo fiel ao dever, sem apresentar justificativas para os seus atos. Lentamente, por exemplo, pela probidade e pelo esforço de herói cristão, sensibilizou o povo e os seus líderes, que passaram a amá-lo, tornou-se parâmetro do comportamento, transformando-se em pessoa de referência para as informações seguras sobre o Mundo Espiritual e os fenômenos da mediunidade. Sua palavra doce e ungida de bondade sempre soava ensinando, direcionando e encaminhando as pessoas que o buscavam para a senda do bem. Em contínuo contato com seu Anjo tutelar, nunca o decepcionou, extraviando-se na estrada do dever, mantendo disciplina e fidelidade ao compromisso assumido. Abandonado por uns e por outros, afetos e amigos, conhecidos ou não, jamais deixou de realizar o seu compromisso para com a Vida, nunca desertando de suas tarefas. As enfermidades minaram-lhe as energias, mas ele as renovava através da oração e do exercício intérmino da caridade.

A claridade dos olhos diminuiu até quase apagar-se, no entanto a visão interior tornou-se mais poderosa para penetrar nos arcanos da Espiritualidade. Nunca se escusou a ajudar, mas nunca deu trabalho a ninguém. Seus silêncios homéricos falaram mais altos do que as discussões perturbadoras e os debates insensatos que aconteciam a sua volta e longe dele, sobre a Doutrina que esposava e os seus sublimes ensinamentos. Tornou-se a maior antena parapsíquica do seu tempo, conseguindo viajar fora do corpo, quando parcialmente desdobrado pelo sono natural, assim como penetrar em mentes e corações para melhor ajuda-los, tanto quanto tornando-se maleável aos Espíritos que o utilizaram por quase setenta e cinco anos de devotamento e de renúncia na mediunidade luminosa. Por isso mesmo, o seu foi mediunato foi incomparável. ...E ao desencarnar, suave e docemente, permitindo que o corpo se aquietasse, ascendeu nos rumos do infinito, sendo recebido por Jesus, que o acolheu com Sua bondade, asseverando-lhe: - Descansa por um pouco, meu filho, a fim de esqueceres as tristezas da Terra e desfrutares das inefáveis alegrias do reino dos Céus.

Joanna de Ângeles (Página psicografada pelo médium Divaldo P. Franco, no dia 2 de Junho de 2002, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia)

OUÇA A RÁDIO RIO DE JANEIRO - 1400KHz AM - A EMISSORA DOS ESPÍRITAS


CARAVANA, Junho de 2003

C E N T R O

E S P Í R I T A N A I R M O N T E Z PÁGINA DE REFLEXÃO

D E

Página 2

C A S T R O

FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER: APÓSTOLO DO AMOR INCONDICIONAL Jesus nos legou o ensinamento maior ao nos esclarecer que todas as Leis que emanam da Providência Divina, se sintetizam no “ AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO”. E nos deixou como diretriz de comportamento, o seu exemplo de amor: “NOVO MANDAMENTO QUE VOS DOU:QUE VOS AMEIS UNS AOS OUTROS, ASSIM COMO EU VOS AMEI!” (JOÃO, 13:34). Os Espíritos Superiores incumbidos de trazer aos homens o Consolador prometido, consubstanciado na Doutrina Espírita, revivendo o Cristianismo primitivo, tal como Jesus nos legou, ensinam: “Fora da caridade não há salvação”. Francisco Cândido Xavier é o espírito nobre que, vivenciando esses ensinos, abriu um caminho de luz para os homens, mostrando que a Doutrina Espírita, quando retamente praticada, representa a construção da paz em nós mesmos, libertando-nos rumo a melhores níveis de vida, nos quais a Lei de Amor é constante paradigma de vivência. Servindo-se de severa autodisciplina, de uma humildade consciente, de dedicação plena ao Bem, de abnegação constante e de muita perseverança, “negando-se a si mesmo”, como recomenda Jesus, retornou vitorioso para a Pátria Espiritual, deixando para nós os seus exemplos, para que sirvam de balizas ao nosso esforço de aprimoramento espiritual, objetivo maior da nossa encarnação na Terra. Que ele possa receber, onde se encontrar, as manifestações sinceras da nossa gratidão, com os votos de que as bênçãos de Jesus, que ele tanto espalhou, retornem, renovadas, ao seu coração, fortalecendo-o na gloriosa tarefa que tão bem executou, e que, por certo, no mundo espiritual, continuará a executar, que é a de difundir o amor e a paz junto a toda a Humanidade. Trecho transcrito do REFORMADOR – Julho de 2002

ANTE OS QUE PARTIRAM É possível que nenhum sofrimento na terra seja comparável ao daquele coração que se debruça sobre outro coração enregelado e querido que o ataúde transporta para o grande silêncio. Ver a névoa da morte estampar-se, inevitável, na fisionomia daqueles que mais amamos, e cerrar-lhes os olhos no aDeus indescritível, é como despedaçar a própria alma e prosseguir vivendo. Digam aqueles que já apertaram contra o peito o corpo inerte de um ser amado, consumidos pela dor e pela angústia da separação. Falem aqueles que varados de saudade, inclinaram-se, esmagados de solidão, à frente de um túmulo, perguntando em vão pela presença dos que partiram. Todavia, quando semelhante provação te bater à porta, reprime o desespero e dilui a corrente de mágoa na fonte viva da oração, porque os chamados "mortos" são apenas ausentes e as gotas de teu pranto amargo e revoltado lhes fustigam a alma. Também eles pensam e lutam, sentem e choram. Atravessaram a faixa do sepulcro como quem se desvencilha da noite, mas, na madrugada do novo dia, inquietam-se pelos que ficaram. Ouvem-lhes as lamúrias e as súplicas e sofrem cada vez que os afetos deste plano da vida se rendem à inconformação ou ao desânimo. Lamentam-se pelos erros praticados e trabalham, com afinco, na regeneração que lhes diz respeito. Estimulam-te à prática do bem, compartilhando contigo de dores e de alegrias. Rejubilam-se com tuas vitórias e consolam-te nas horas amargas para que não te percas no frio do desencanto. Tranqüiliza, desse modo, aqueles que te antecederam no regresso à pátria espiritual, suportando corajosamente a despedida temporária, e honra-lhes a memória, abraçando com nobreza os deveres que te legaram. Recorda que, em futuro mais próximo que imaginas, respirarás entre eles, dividindo outra vez necessidades e problemas, porque terminarás tu também a própria viagem no mar das provas redentoras. Pára e pensa, pois, nessas questões. Não obstante a morte imponha amargura e dor, frustração e lágrimas naqueles que ficam, vale a pena permaneças vigilante, a fim de evitar excessos que te impeçam de pensar com clareza. A morte não é o fim absoluto da querida convivência dos que se prezam, dos que se amam. Cultiva, então, o bom senso. Sofre e chora sem que o teu sofrimento perturbe os outros, sem que tuas lágrimas tragam desequilíbrio para tua intimidade. Retira o bom aproveitamento do padecer, amadurecendo, superando te, para que as tuas provações ou expiações humanas, de fato, façam-te avançar para Deus. Chora teus mortos? Então faze desse pranto um aceno de ternura e um bilhete de paz, onde tu digas aos amores desencarnados: Permitiu Deus que te libertasses antes de mim, e eu disso queixo-me por egoísmo, porque preferiria verte ainda sujeito às penas e sofrimentos da vida. Espero, pois, resignado, o momento de nos reunirmos de novo no mundo mais venturoso no qual me precedeste. Até breve e que Deus te abençoe, ser querido! Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no capítulo 29 do livro Revelações da luz, de J. Raul Teixeira, pelo Espírito Camilo, e nas pp. 153/155 do livro Religião dos Espíritos, de Francisco Cândido Xavier, pelo EspíritoEmmanuel.

Participe das atividades da nossa casa. Sua presença é muito importante!


A CARAVANA junho de 2003

C. E. Nair Montez de Castro

Página 3

LIVRO DO MÊS

COORDENAÇÃO DE ATIVIDADES ASSISTENCIAIS Distribuição de Alimentos 1º domingo do mês Campanha do Quilo 2º Domingo do mês Sopa de Rua 3º Sábado do mês Sopa das quartas-feiras Todas as quartas-feiras Ambulatório Médico Todas as quartas, às 14:00 horas. Terceiro sábado, de 09:00 às 12:00 hs. Distribuição de Enxovais para Gestantes e Bebês Mensal, última segunda-feira do mês, às 14:00 horas. Sala de Costura Todas as segundas-feiras, às 14:00 horas. Oficina de Trabalhos Manuais com Assistidos Todos os sábados Evangelização para crianças de 6 a 11 anos Todos os sábados, de 09:15 às 10:30 horas. Distribuição de Leite - Crianças até três Anos Todas as segundas-feiras, às 14:00 horas. Recolhimento, Prensa e Troca de Latas. Horário em aberto Centro de Recreação Teresa de Jesus Segundas, quartas e sextas-feiras, às 08:00 horas. Distribuição de Roupas e Calçados Usados Todas as segundas-feiras, às 14:00 horas.

CAMPANHAS EM ANDAMENTO ÓLEO MACARRÃO FARINHA DE MESA FUBÁ LATAS DE ALUMÍNIO LATAS DE LEITE OU NESCAU VAZIAS

OBRIGADO PELA

AJUDE-NOS A AJUDAR COLABORAÇÃO! TORNANDO-SE SÓCIO CONTRIBUINTE DO C. E. NAIR MONTEZ DE CASTRO!

Informações na Tesouraria

CANTEIRO DE IDÉIAS Francisco Cândido Xavier - Espíritos Diversos

Chico e uma Mãe Aflita As palavras de Chico Xavier estão sempre revestidas de luz, descortinando novos caminhos para os nossos passos... Ele é uma fonte inesgotável de bênçãos, dessedentando os corações cansados de sofrer no vale das provações humanas... Por isto, quando ele fala, todas as vozes se emudecem e todos os ouvidos se aguçam, a fim de guardar-lhe os ensinamentos nos escrínios da própria alma. Recordo-me de que, há muito tempo, uma mãe aflita, ao debruçar-se-lhe sobre os ombros, indagou em lágrimas: "Chico, o que vou fazer agora da minha vida?! ... Perdi os meus filhos, Chico, num desastre ... Morreram os dois ... A minha dor é terrível ... Estou desesperada ..." O episódio nos comovia a todos, no "Grupo Espírita da Prece", em Uberaba. Fitando-a com os olhos igualmente repletos de lágrimas, o incansável servo do Cristo lhe respondeu: - “Filha, o nosso Emmanuel sempre me diz que a aceitação de nossos problemas, sejam eles quais forem, representa cinqüenta por cento da solução dos mesmos; os outros cinqüenta por cento vêm com o tempo... Tenhamos paciência e fé, pois não estamos desamparados pela Bondade Divina." Bastou que ouvisse estas palavras do Chico, para que aquela senhora se acalmasse em uma cadeira próxima, começando a refletir sobre os Desígnios de Deus. De nossa parte, ficamos também, em silêncio, a meditar na grandeza da lição daquela hora, a respeito da aceitação do sofrimento, perguntando a nós mesmos quantas dores maiores poderíamos evitar, se nos resignássemos antes as dores aparentemente sem remédio que nos visitam no cotidiano... Do livro "Chico Xavier, Mediunidade e Ação”. Carlos Antônio Baccelli – Uberaba/MG

Luz do Evangelho – 22 de Junho de 2000

DÊ SUA SUGESTÃO, TRAGA SUA COLABORAÇÃO, FALE CONOSCO! GRUPO DE DIVULGAÇÃO: José Carlos e Marcelo.

Terça-feira, das 20:00 às 22:00 hs – José Carlos.


A CARAVANA junho de 2003

Página 4

PROGRAMAÇÃO DE JUNHO DE 2003 • Reunião das Segundas - 20:00 Hs DIA 02 09 16 23 30

TEMA

NUNCA ESTAMOS SÓS INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS EM NOSSAS VIDAS EMANCIPAÇÃO DA ALMA: VISITAS ENTRE ESPÍRITOS O HOMEM NO MUNDO E SEUS PROBLEMAS CHICO XAVIER: UMA HISTÓRIA DE AMOR

• Reunião das Quintas - 14:30 Hs DIA 05 12 19 26

TEMA INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS EM NOSSAS VIDAS EMANCIPAÇÃO DA ALMA: VISITAS ENTRE ESPÍRITOS O HOMEM NO MUNDO E SEUS PROBLEMAS CHICO XAVIER: UMA HISTÓRIA DE AMOR

• Reunião das Sextas - 20:00 Hs DIA 06 13 20 27

TEMA INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS EM NOSSAS VIDAS EMANCIPAÇÃO DA ALMA: VISITAS ENTRE ESPÍRITOS O HOMEM NO MUNDO E SEUS PROBLEMAS CHICO XAVIER: UMA HISTÓRIA DE AMOR

• Reunião dos Sábados - 15:00 Hs DIA 07 14 21 28

TEMA INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS EM NOSSAS VIDAS EMANCIPAÇÃO DA ALMA: VISITAS ENTRE ESPÍRITOS O HOMEM NO MUNDO E SEUS PROBLEMAS CHICO XAVIER: UMA HISTÓRIA DE AMOR

Quem pergunta quer saber 251. São sensíveis à música os Espíritos? “Aludes à música terrena? Que é ela comparada à música celeste? A esta harmonia de que nada na Terra vos pode dar idéia? Uma está para a outra como o canto do selvagem para uma doce melodia. Não obstante, Espíritos vulgares podem experimentar certo prazer em ouvir a vossa música, por lhes não ser dado ainda compreenderem outra mais sublime. A música possui infinitos encantos para os Espíritos, por terem eles muito desenvolvidos as qualidades sensitivas. Refiro-me à música celeste, que é tudo o que de mais belo e delicado pode a imaginação espiritual conceber”. 252. São sensíveis, os Espíritos, às magnificências da Natureza? “Tão diferentes são as belezas naturais dos mundos, que longe estamos de as conhecer. Sim, os Espíritos são sensíveis a essas belezas, de acordo com as aptidões que tenham para as apreciar e compreender. Para os Espíritos elevados, há belezas de conjunto que, por assim dizer, apagam as das particularidades”. 253. Os Espíritos experimentam as nossas necessidades e sofrimentos físicos? “Eles os conhecem, porque os sofreram, não os experimentam, porém, materialmente, como vós C. E. NAIR MONTEZ DE CASTRO outros: são Espíritos”. Presidente: Teresinha C. Maranhão 1º Vice-Presidente: Aldo M. Coutinho 2º Vice-Presidente: Walmir P. Leão. Rua Vilela Tavares, 173 - Lins de Vasconcelos

C.G.C. 34.037.010/0001-13

Livro dos Espíritos, página 164. Inscrição Estadual: 345.856.00

A Caravana - Junho 2003  

Informativo mensal do Centro Espírita Nair Montez de Castro

A Caravana - Junho 2003  

Informativo mensal do Centro Espírita Nair Montez de Castro

Advertisement